You are on page 1of 5

A cadeia econômica do Agronegócio (fertilizantes, sementes, implementos

,
financiamento, produção, estocagem, escoamento, logística e comercialização).
NÍVEIS DE ANÁLISE DO AGRONEGÓCIO
1. Sistema agroindustrial (SAI)
2. Complexo agroindustrial
3. Cadeia de produção agroindustrial
Sistema agroindustrial (SAI)
O SAI pode ser considerado o conjunto de atividades que concorrem para a produção de
produtos agroindustriais, desde a produção dos insumos (sementes, adubos, máquinas
agrícolas etc.) até a chegada do produto final (queijo, biscoito, massas etc.) ao consumidor.
Ele não está associado a nenhuma matéria-prima agropecuária ou produto específico.
Ele não está associado a nenhuma matéria-prima agropecuária ou produto específico.
Na verdade, o SAI, quando apresentado desta forma, revela-se de pouca utilidade prática
como ferramenta de gestão e de apoio à tomada de decisão.
O SAI é composto por seis elementos básicos:
1. O SAI é composto por seis elementos básicos:
2. 1. agricultura, pecuária e pesca;
3. 2. indústrias agroalimentares (IAA);
4. 3. distribuição agrícola e alimentar;
5. 4. comércio internacional;
6. 5. consumidor;
7. 6. Indústrias e serviços de apoio (INA).
Complexo agroindustrial
Um complexo agroindustrial tem como ponto de partida determinada matéria-prima de base.
Desta forma, poder-se-ia, por exemplo, fazer alusão ao complexo soja, complexo leite,
complexo cana-de-açúcar, complexo café etc.
A arquitetura deste complexo agroindustrial seria ditada pela “explosão” da matéria-prima
principal que o originou, segundo os diferentes processos industriais e comerciais que ela pode
sofrer até se transformar em diferentes produtos finais. Assim, a formação de um complexo
agroindustrial exige a participação de um conjunto de cadeias de produção, cada uma delas
associada a um produto ou família de produtos.
A arquitetura deste complexo agroindustrial seria ditada pela “explosão” da matéria-prima
principal que o originou, segundo os diferentes processos industriais e comerciais que ela pode
sofrer até se transformar em diferentes produtos finais. Assim, a formação de um complexo
agroindustrial exige a participação de um conjunto de cadeias de produção, cada uma delas
associada a um produto ou família de produtos.
Cadeia de produção agroindustrial
1. a cadeia de produção é uma sucessão de operações de transformação dissociáveis,
capazes de ser separadas e ligadas entre si por um encadeamento técnico;
2. a cadeia de produção é também um conjunto de relações comerciais e financeiras que
estabelecem, entre todos os estados de transformação, um fluxo de troca, situado de montante
e jusante, entre fornecedores e clientes;
3. a cadeia de produção é um conjunto de ações econômicas que presidem a valoração dos
meios de produção e asseguram a articulação das operações.
Ao contrário do complexo agroindustrial, uma cadeia de produção é definida a partir da
identificação de determinado produto final. Após esta identificação, cabe ir encadeando, de
jusante a montante, as várias operações técnicas, comerciais e logísticas, necessárias a sua
produção.
O termo agribusiness, quando transcrito para o português (agronegócio), deve
necessariamente vir acompanhado de um complemento delimitador. Assim, a palavra
agronegócios não está particularmente associada a nenhum dos níveis de análise
apresentados anteriormente. O enfoque pode partir do mais global (agronegócios brasileiro) ao
mais específico (agronegócios da soja ou do suco de laranja).
1. O termo agribusiness, quando transcrito para o português (agronegócio), deve
necessariamente vir acompanhado de um complemento delimitador. Assim, a palavra
agronegócios não está particularmente associada a nenhum dos níveis de análise
apresentados anteriormente. O enfoque pode partir do mais global (agronegócios brasileiro) ao
mais específico (agronegócios da soja ou do suco de laranja).
A VISÃO SISTÊMICA DO AGRONEGÓCIO
Pela definição original, agronegócios é a soma total das operações de produção e
distribuição de suprimentos agrícolas, das operações de produção nas unidades
agrícolas, do armazenamento, do processamento e distribuição dos produtos agrícolas e
itens produzidos a partir deles.
Dessa forma, o conceito engloba os fornecedores de bens e serviços para a agricultura, os
produtores rurais, os processadores, os transformadores e distribuidores e todos os envolvidos
na geração e fluxo dos produtos de origem agrícola até o consumidor final.
Dessa forma, o conceito engloba os fornecedores de bens e serviços para a agricultura, os
produtores rurais, os processadores, os transformadores e distribuidores e todos os envolvidos
na geração e fluxo dos produtos de origem agrícola até o consumidor final.
Participam também desse complexo os agentes que afetam e coordenam o fluxo dos produtos,
tais como o governo, os mercados, as entidades comerciais, financeiras e de serviços.
Participam também desse complexo os agentes que afetam e coordenam o fluxo dos produtos,
tais como o governo, os mercados, as entidades comerciais, financeiras e de serviços.
FUNÇÕES DO AGRONEGÓCIO

a) suprimentos à produção;
b) produção;
c) transformação;
d) acondicionamento;
e) armazenamento;
f) distribuição;
g) consumo.
O termo agroindústria não deve ser confundido com agronegócios; o primeiro é parte do
segundo. Ao longo do tempo, novos conceitos têm sido elaborados com o objetivo de dar uma
definição mais precisa para agroindústria, ampliando-a na medida do possível.
O termo agroindústria não deve ser confundido com agronegócios; o primeiro é parte do
segundo. Ao longo do tempo, novos conceitos têm sido elaborados com o objetivo de dar uma
definição mais precisa para agroindústria, ampliando-a na medida do possível.
“No agronegócios, a agroindústria é a unidade produtora integrante dos segmentos localizados
nos níveis de suprimento à produção, transformação e acondicionamento, e que processa o
produto agrícola, em primeira ou segunda transformação, para sua utilização intermediária ou
final”.
“No agronegócios, a agroindústria é a unidade produtora integrante dos segmentos localizados
nos níveis de suprimento à produção, transformação e acondicionamento, e que processa o
produto agrícola, em primeira ou segunda transformação, para sua utilização intermediária ou
final”.
O agronegócio envolve os agentes que produzem, processam e distribuem produtos
alimentares, as fibras e os produtos energéticos provenientes da biomassa, num sistema de
funções interdependentes.
O agronegócio envolve os agentes que produzem, processam e distribuem produtos
alimentares, as fibras e os produtos energéticos provenientes da biomassa, num sistema de
funções interdependentes.
Nele atuam os fornecedores de insumos e fatores de produção, os produtores, os
processadores e os distribuidores.
A compreensão do funcionamento do agronegócio é uma ferramenta indispensável para que os
tomadores de decisão, autoridades públicas e agentes econômicos privados formulem políticas
e estratégias com maior precisão e máxima eficiência. Toda a análise que se faça no âmbito do
agronegócio deve levar em conta as especificidades do sistema de produção agrícola.
A compreensão do funcionamento do agronegócio é uma ferramenta indispensável para que os
tomadores de decisão, autoridades públicas e agentes econômicos privados formulem políticas
e estratégias com maior precisão e máxima eficiência. Toda a análise que se faça no âmbito do
agronegócio deve levar em conta as especificidades do sistema de produção agrícola.
Ao contrário dos bens manufaturados, a produção de bens agropecuários desenvolve-se em
determinados períodos do ano apenas, em virtude das condições de clima e exigências
biológicas das plantas e animais domésticos. As épocas de safra e entressafra influenciam e
formam a tendência de variação sazonal dos preços, com reflexo na utilização de insumos,
fatores de produção e no processamento e transformação das matérias-primas de origem
agropecuária.
Ao contrário dos bens manufaturados, a produção de bens agropecuários desenvolve-se em
determinados períodos do ano apenas, em virtude das condições de clima e exigências
biológicas das plantas e animais domésticos. As épocas de safra e entressafra influenciam e
formam a tendência de variação sazonal dos preços, com reflexo na utilização de insumos,
fatores de produção e no processamento e transformação das matérias-primas de origem
agropecuária.
Já o consumo, contrapondo-se à sazonalidade da oferta, é relativamente constante ao longo do
ano. Assim como a produção agropecuária sofre a interferência de fatores, como adversidades
climáticas e ataques de pragas e doenças – até certo ponto incontroláveis – os desequilíbrios
nos mercados tomam-se, às vezes, inevitáveis. Além disto, os gêneros agrícolas são
essencialmente perecíveis. Todos esses fatores são focos geradores de instabilidade da renda
dos agricultores e dos outros segmentos do agronegócio.
Já o consumo, contrapondo-se à sazonalidade da oferta, é relativamente constante ao longo do
ano. Assim como a produção agropecuária sofre a interferência de fatores, como adversidades
climáticas e ataques de pragas e doenças – até certo ponto incontroláveis – os desequilíbrios
nos mercados tomam-se, às vezes, inevitáveis. Além disto, os gêneros agrícolas são
essencialmente perecíveis. Todos esses fatores são focos geradores de instabilidade da renda
dos agricultores e dos outros segmentos do agronegócio.
Isto deixa claro que o fator gerencial é crítico no desenvolvimento de um sistema viável de
produção de fibras, alimentos e energia renovável, cujo conjunto, dada sua magnitude, é forte
determinante do crescimento econômico tanto dos países desenvolvidos quanto dos em
desenvolvimento.
Isto deixa claro que o fator gerencial é crítico no desenvolvimento de um sistema viável de
produção de fibras, alimentos e energia renovável, cujo conjunto, dada sua magnitude, é forte
determinante do crescimento econômico tanto dos países desenvolvidos quanto dos em
desenvolvimento.
A visualização da estrutura e organização operacional de toda a rede de alimentos, fibras e
substitutos energéticos abre caminho para entender como os recursos escassos são alocados
e dirigidos para a satisfação das necessidades e desejos do homem. Serve igualmente para,
em qualquer tempo, aportar subsídios para responder a questões-chaves ligadas ao
gerenciamento do agronegócio, em uma visão de planejamento.
A visualização da estrutura e organização operacional de toda a rede de alimentos, fibras e
substitutos energéticos abre caminho para entender como os recursos escassos são alocados
e dirigidos para a satisfação das necessidades e desejos do homem. Serve igualmente para,
em qualquer tempo, aportar subsídios para responder a questões-chaves ligadas ao
gerenciamento do agronegócio, em uma visão de planejamento.