You are on page 1of 10

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA –
SANTO AMARO



FRANCISCO AIRES
JOÃO PEDRO CALHAU
LAISE LIMA
LARIZZA BRENDA
SÂMYA FIGUEIREDO




COESÃO
DEFINIÇÃO, CONCEITUAÇÃO E APLICAÇÃO





Santo Amaro, BA
Julho, 2013.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E
TECNOLOGIA DA BAHIA – SANTO AMARO


FRANCISCO AIRES
JOÃO PEDRO CALHAU
LAISE
LARIZZA
SÂMYA FIGUEIREDO


COESÃO
DEFINIÇÃO, CONCEITUAÇÃO E APLICAÇÃO


Relatório de seminário apresentado à
disciplina de Língua Portuguesa do Instituto
Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da
Bahia – Campus Santo Amaro como requisito
parcial para obtenção do título de Técnico em
Informática sobre a coordenação da Professora
Tânia.

2º Ano do Curso Técnico em Informática –
Turma Única –


Santo Amaro, BA
Julho, 2013.
CONCEITUANDO
Coesão é a conexão, ligação, harmonia entre os elementos de um texto. Percebemos
tal definição quando lemos um texto e verificamos que as palavras, as frases e os parágrafos
estão entrelaçados, um dando continuidade ao outro.
Essa união ou ligação entre os elementos de um texto deve apresentar um sentido
lógico, coerente; para isso é necessário observar as relações de sentido existentes entre eles.
Em síntese, pode-se dizer que se deve criar uma linha lógica, tanto relacionado ao tempo e
cronologicidade
1
quanto ao sentido, de acordo, é claro, com as regras da língua.
Os elementos de coesão determinam a transição de ideias entre as frases e os
parágrafos e são objetos que garantem se usados corretamente, a unidade do texto.
Observe a coesão presente no texto a seguir:
“Os sem-terra fizeram um protesto em Brasília contra a política agrária do
país, porque consideram injusta a atual distribuição de terras. Porém o ministro da
Agricultura considerou a manifestação um ato de rebeldia, uma vez que o projeto de
Reforma Agrária pretende assentar milhares de sem-terra.” (JORDÃO, R.,
BELLEZI C. Linguagens. São Paulo: Escala Educacional, 2007, p. 566).
As palavras destacadas têm o papel de ligar as partes do texto, podemos dizer que
elas são responsáveis pela coesão do texto.
Há vários recursos que respondem pela coesão do texto, os principais são:
 Palavras de transição;
 Coesão Referencial;
 Coesão Lexical;
 Coesão Recorrencial;
 Coesão Sequencial.
PALAVRAS DE TRANSIÇÃO

1
Termo empregado pela Professora Suzana Luz em uma das suas vídeo-aulas. Tal termo refere-se à ideia de
cronológica do texto, ou seja, uma frase ou oração que tenha início, meio e fim, ou seja, sentido lógico
completo.

 Palavras de transição: são palavras responsáveis pela coesão do texto,
estabelecem a inter-relação entre os enunciados (orações, frases, parágrafos), são preposições,
conjunções, alguns advérbios e locuções adverbiais.
Ex.: A prática de atividade física é essencial ao nosso cotidiano. Assim sendo,
quem a pratica possui uma melhor qualidade de vida.
COESÃO REFERENCIAL
Alcança-se a coesão referencial utilizando expressões que retomam ou antecipam
nossas ideias:
 Onde: indica a noção de "lugar" e pode substituir outras palavras.
-São Paulo é uma cidade onde a poluição atinge níveis muito altos. [No
caso, "onde" retoma a palavra "cidade"].

 Cujo: pode estabelecer uma relação de posse entre dois substantivos.
-Raul Pompéia é um escritor cujas obras lemos com prazer.


 Que: pode substituir (e evitar a repetição de) palavras ou de uma oração
inteira.
-Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil, o que permitiu aos portugueses
ampliarem seu império marítimo.

 Esse (a), isso: podem conectar duas frases, apontando para uma idéia que já
foi mencionada no texto.
-O presidente de uma ONG tem inúmeras funções a cumprir. Essas
responsabilidades, no entanto, podem ser divididas com outros membros da
diretoria.

 Este (a), isto: podem conectar duas frases, apontando para uma ideia que
será mencionada no texto.
-O que me fascina em Machado de Assis é isto: sua ironia.







COESÃO LEXICAL

Permite evitar a repetição de palavras e, também, unir partes de um texto. Pode ser
alcançada utilizando-se:


 Sinônimos: palavras semelhantes que podem ser usadas em diferentes
contextos, mas sem alterar o que o texto pretende transmitir.
-O presidente do Palmeiras, Silvano Eustáquio, afirmou que o time tem todas as condições
para ganhar o campeonato. Segundo o dirigente, com Miudinho na zaga, o gol palmeirense
será impenetrável. Na opinião do cartola, a torcida só terá motivos de alegria.
 Hiperônimos: vocábulo de sentido mais genérico em relação a outro.
-Lucinha estava na poltrona do cinema, esperando o filme começar, quando, de repente,
no assento ao lado, uma idosa desmaiou.

 Perífrases: construção mais complexa para caracterizar uma expressão mais
simples.
-A vigilância policial nos estádios de futebol é sempre necessária, pois as torcidas às vezes
agem com violência. Na verdade, não é mais possível a realização de qualquer campeonato
sem a presença de elementos treinados para garantir não só a ordem, mas também proteger a
segurança dos cidadãos que desejam acompanhar o jogo em tranquilidade.










COESÃO RECORRENCIAL

Esse tipo de coesão se caracteriza pela repetição de algum tipo de elemento
anterior. Essa repetição não funciona como na coesão referencial, quando fazemos alusão a
um mesmo referente, mas sim como uma “lembrança” de um mesmo padrão.

Ela pode aparecer de várias formas:

 Através da recorrência de termos:
Exemplo: Marta falava, falava, falava...
A recorrência nesse caso dá uma ideia de continuidade. Não é uma repetição vocabular vista
como desnecessária, mas sim enfática.

 Através de recursos fonológicos, ou sons, caso da rima:
Exemplo: Ela estava calada, quieta, quietinha...
A repetição “quieta”, “quietinha” intensifica a ideia.

 Através de uma paráfrase, que se refere à recorrência de conteúdos
semânticos.
A paráfrase é um tipo de intertextualidade. Podemos enquadrá-la nesse
mecanismo coesivo, uma vez que liga ideias presentes em textos diferentes e mantém
(repete) o sentido do original.

 Através de paralelismo, que se baseia na recorrência da mesma estrutura
sintática:
Exemplo: Lápis na mão, papel na mesa e ideias na mente sempre geram algum fruto.
É perceptível como há nas expressões “Lápis na mão”, “papel na mesa” e “ideias na mente”
uma relação de equivalência. (a estrutura é semelhante)

Como podemos ver, a COESÃO RECORRENCIAL trabalha, basicamente, com
a reiteração das ideias. Uma informação colocada inicialmente é mantida através de
determinada estrutura. Em alguns casos, repetir uma informação pode, sim, ser um recurso
coesivo, uma vez que articula os conteúdos. Vimos aqui casos em que esse fenômeno ocorre.
Entretanto, é preciso lembrar que os demais tipos de coesão (referencial, lexical,
sequencial), muitas vezes, são priorizados já que apresentam informações novas a um texto,
sem, necessariamente, repeti-las. Tudo depende da intenção do discurso.



COESÃO SEQUENCIAL

Trata-se de estabelecer relações lógicas entre as ideias do texto. Para tanto,
utilizamos os chamados conectivos (principalmente preposições e conjunções). Veja os
principais:

 Consequência (ou conclusão): por isso, logo, portanto, pois, de modo que,
assim, então, por conseguinte, em vista disso.
-Ela é muito competente, por isso conseguiu a vaga.

 Causa: porque, pois, visto que, já que, dado que, como, uma vez que,
porquanto, por, por causa de, em vista de, em virtude de, devido a, por motivo de, por razões
de.
-Ela conseguiu a vaga, já que é muito competente.

 Oposição: entretanto, mas, porém, no entanto, todavia, contudo.
-Paulo tinha tudo para ganhar a corrida, no entanto, no dia da prova, sofreu um acidente de
carro.

 Condição: se, caso, desde que, contanto que.
-Você pode ir brincar na rua, desde que faça todo o dever.

 Finalidade: para que, a fim de que, com o objetivo de, com o intuito de.
-Com o intuito de conseguir a vaga na faculdade, Sílvia estudava oito horas todos os dias.

REFERÊNCIAS

Disponível em:
<http://br.answers.yahoo.com/question/indeqid=20081125031544AAEhtZl> . Acesso em:
10/09/2013.

Disponível em:
<http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20081125031846AAPKKTA> .
Acesso em:09/09/2013.

Disponível em: <http://www.mundoeducacao.com/gramatica/hiponimos-hiperonimos-
holonimos-meronimos.htm> . Acesso em 11/09/2013.

CARNEIRO, A. D. Redação em Construção. São Paulo: Moderna, 2001. Disponível em:
<http://www.vestibular1.com.br/revisao/tipos_coesao.pdf> . Acesso em: 11/09/2013.

GOMES, Priscila. Coesão Sequencial e Recorrencial. Disponível em:
<http://soumaisenem.com.br/redacao/coesao-e-coerencia/tipos-de-coesao-sequencial-e-
recorrencial-0>. Acesso em: 09/09/13.

JORDÃO, R., BELLEZI C. Coesão. Disponível em:
<http://www.brasilescola.com/redacao/coesao.htm>. Acesso em: 09/09/2013.

MATIAS, M. Tipos e Mecanismos de Coesão Textual. Acesso em: 11/09/2013.