You are on page 1of 39

Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013 - Ano - II - Número 178.

Índice
Decisões ................................................... 1
1ª Câmara .............................................. 1
Acórdão ............................................. 1

Decisões
1ª Câmara
Acórdão
Processo - 201300047002871/902

Acórdão 2724/2013
Ementa: Recurso de Reconsideração de
Acórdão que decidiu pela aplicação de
multa por descumprimento do prazo para
envio de Movimento Contábil a esta Corte.
Preenchimento dos pressupostos recursais.
Conhecimento do recurso.
Encaminhamento de movimento contábil
dentro do prazo regimental, mas com
autuação posterior no Tribunal de Contas.
Não configuração de descumprimento do
prazo. Reforma da decisão.
1 - Se o encaminhamento do Movimento
Contábil ao Tribunal de Contas se deu
dentro do prazo estabelecido no Regimento
Interno, más a atuação na Corte se deu
após, não é caso de aplicação de sanção
ao Administrador Público. Aplica-se o
disposto no Regimento.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201300047002871, que
tratam Recurso de Reconsideração,
interposto por Alexandre Baldy Sant´Anna
Braga, em face da decisão proferida no
Acórdão N° 1110/13, lavrado na data de 18
de Junho de 2013, pela Primeira Câmara
desta Corte de Contas, nos autos do
Processo n° 201200009001978, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em conhecer do
recurso, dando-lhe provimento, para
reformar o Acórdão N° 1110, desta Corte
de Contas, com a consequente anulação
da multa aplicada ao ora Recorrente.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Digitally signed by MARCUS VINICIUS DO AMARAL:19009917134
Date: 2013.12.18 11:48:03 -02:00
Reason: Diário Eletrônico de Contas
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
2
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201300047002843/905

Acórdão 2725/2013
Ementa: Recurso de reconsideração com
efeito suspensivo. Decisão que aplicou
multa por descumprimento do prazo para
envio de movimento contábil a esta Corte
de Contas, com base no Artigo 112, inciso
IX,, da LOTCE-GO. Descumprimento dos
princípios constitucionais do contraditório e
da ampla defesa. Conhecimento e
provimento do recurso. Nulidade do
Acórdão sancionador.
1. A data a ser considerada para fins de
cumprimento do prazo estabelecido no
artigo 193, §2º, da Resolução n° 22/08, é a
do encaminhamento do movimento
contábil, ainda que sua autuação na Corte
de Contas tenha se dado posteriormente.
2. É nula, por violar os princípios
constitucionais do contraditório e da ampla
defesa, a decisão que aplica sanção de
multa sem oportunizar a apresentação
prévia de justificativas, com exceção das
hipóteses expressamente previstas no
artigo 112, §3º, da Lei Estadual 16.168/07.
3. Estando devidamente justificado o atraso
é possível o julgamento, desde logo, do
mérito recursal em favor do Recorrente, por
ausência de prejuízo - pas de nullité sans
grief.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201300047002843, que
tratam de Pedido de Reexame, recebido e
conhecido como Recurso de
Reconsideração com efeito suspensivo,
interposto por José Adriano Donzelli, em
face da decisão materializada no Acórdão
n° 1187, proferido pela Primeira Câmara
desta Corte, em 02 de Julho de 2013, nos
autos do Processo n° 201200027000536, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
exposta pelo Relator, em conhecer do
recurso, dando-lhe provimento, para
reformar o Acórdão 1187, com a
consequente anulação da multa aplicada
ao Recorrente.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201300047003055/905

Acórdão 2726/2013
Ementa: Recurso de Reconsideração em
face Acórdão que decidiu pela aplicação de
multa por descumprimento do prazo para
envio de Movimento Contábil a esta Corte.
Preenchimento dos pressupostos recursais.
Conhecimento do recurso.
Encaminhamento de movimento contábil
dentro do prazo regimental, mas com
autuação posterior no Tribunal de Contas.
Não configuração de descumprimento do
prazo. Reforma da decisão.
1-. Se o encaminhamento do Movimento
Contábil ao Tribunal de Contas se deu
dentro do prazo estabelecido no Regimento
Interno, más a atuação na Corte se deu
após, não é caso de aplicação de sanção
ao Administrador Público. Aplica-se o
disposto no Regimento.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201300047003055, que
tratam Recurso de Reconsideração,
interposto por José Adriano Donzelli, em
face da decisão proferida no Acórdão n°
1186/13, lavrado na data de 02 de Julho de
2013, pela Primeira Câmara desta Corte de
Contas, nos autos do Processo n°
201200027000380, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
exposta pelo Relator, em conhecer do
Recurso, dando-lhe provimento, para
reformar o Acórdão N° 1186, com a
consequente anulação da multa aplicada
ao ora Recorrente.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
3
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201000006041608/204-01

Acórdão 2727/2013
Ementa: Aposentadoria. Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “F-I”. Registro concomitante.
Admissão e aposentadoria. Legalidade.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201000006041608, que
trazem a Portaria nº 2942, de 30 de
setembro de 2011 e o Despacho nº
5874/SECC, de 29 de dezembro de 2011,
com os quais o Secretário da Casa Civil,
com fundamento no art. 40, § 1º incisos III,
alínea “b”, e § 8º, da Constituição Federal,
alterado pela Emenda Constitucional nº 41,
de 19 de dezembro de 2003, 97, inciso III,
alínea “b”, da Constituição Estadual, e 52,
incisos I, II e III, da Lei Complementar nº
77, de 22 de janeiro de 2010, combinados
com os art. 63, §§ 1º e 2º, deste último
Diploma legal, e 264, inciso II, da Lei nº
10.460, de 22 de fevereiro de 1988, em
harmonia com os art. 1º e seus parágrafos
da Lei federal nº 10.887, de 18 de junho de
2004, e 29-B da Lei nº 8.213, de 24 de
julho de 1991, acrescido pelo art. 12 da
precitada Lei nº 10.887/04, concedeu
aposentadoria ao Sr. Altamiro Pereira da
Silva, no cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio Referência “F-I”, do
Quadro Pessoal da Secretaria da
Educação, na quantia anual de R$
6.540,00 (seis mil, quinhentos e quarenta
reais), proporcional a 9.372 (nove mil,
trezentos e setenta e dois) dias de
contribuição, equivalente ao valor mensal
de R$ 545,00 (quinhentos e quarenta e
cinco reais), e,
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas, pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e da Procuradoria de
Contas e Auditoria, em considerar legal os
atos de admissão no cargo de Porteiro
Servente e de aposentadoria no cargo de
Agente Administrativo Educacional de
Apoio Referência “F-I”, do Sr. Altamiro
Pereira da Silva, da Secretaria de Estado
da Educação, por estarem em consonância
com as formalidades exigidas em lei,
determinando os seus registros
concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006004213/204-01

Acórdão 2728/2013
Ementa: Aposentadoria. Lei 11.301/2006 -
Funções do Magistério- Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos, de n° 201100006004213,
que tratam da análise da legalidade, para
fins de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
HÉLIA FERREIRA LUCENA, no cargo de
Professor VI, Referência “E”, do Quadro
Permanente do Magistério Público
Estadual, perfazendo os proventos a
quantia, anual e integral, de R$ 37.972,35
(trinta e sete mil, novecentos e setenta e
dois reais e trinta e cinco centavos), assim
discriminada: VENCIMENTO (210h):
22.336,68 (vinte e dois mil, trezentos e
trinta e seis reais e sessenta e oito
centavos), GRATIFICAÇÃO DE
TITULARIDADE (30%): R$ 6.701,00 (seis
mil, setecentos e um reais) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL, referente a
05(cinco) quinquênios (40%): R$ 8.934,67
(oito mil, novecentos e trinta e quatro reais
e sessenta e sete centavos),
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, por unanimidade de votos dos
integrantes de sua Primeira Câmara, ante
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
4
as razões exposta pelo Relator, em julgar
legal o ato administrativo de concessão de
aposentadoria da Sra. HÉLIA FERREIRA
LUCENA, no cargo de Professor IV,
Referência “E”, do Quadro Permanente do
Magistério Público Estadual, determinando
seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006004780/204-01

Acórdão 2729/2013
Ementa: Aposentadoria. Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos, de n° 201100006004780,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de concessão de
aposentadoria da servidora Margareth
Correia de Souza Silva, no cargo de
Professor IV, Referência “D”, do Quadro de
Pessoal da Secretaria da Educação,
perfazendo os proventos a quantia, anual e
integral, de R$ 39.077,64 (trinta e nove mil,
setenta e sete reais e sessenta e quatro
centavos), composta de: Vencimento
(210h): R$ 28.946,40 (vinte e oito mil,
novecentos e quarenta e seis reais e
quarenta centavos) e Gratificação
Adicional, correspondente à 05(cinco)
quinquênios (35%): R$ 10.131,24 (dez mil,
cento e trinta e um reais e vinte e quatro
centavos), e
Considerando que o ato de admissão da
servidora ainda não foi objeto de registro
neste Tribunal; e considerando o relatório e
o voto como partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, por unanimidade de votos dos
integrantes de sua Primeira Câmara, ante
as razões exposta pelo Relator, em julgar
legais os atos de admissão, no cargo de
Professor Assistente, Nível “A”, e de
aposentadoria, no cargo Professor IV,
Referência “D”, da Sra. Margareth Correia
de Souza Silva, determinando seus
registros concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006007713/204-01

Acórdão 2730/2013
Ementa: Aposentadoria. Professor. É legal
a aposentadoria de professor, desde que
preenchidos os requisitos do art. 3º da EC
4705.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006007713, que
trazem a Portaria nº 3677, de 07 de
dezembro de 2011 e o Despacho nº
5721/SECC, de 12 de dezembro de 2011,
com os quais o Secretário da Casa Civil,
concedeu aposentadoria a Maria Paula
Nunes, no cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “H”, do
Quadro de Pessoal da Secretaria da
Educação, na quantia anual e integral de
R$ 14.216,32 (quatorze mil, duzentos e
dezesseis reais e trinta e dois centavos),
assim discriminados: Vencimento (200h)-
R$ 9.804,36 (nove mil, oitocentos e quatro
reais e trinta e seis centavos) e Gratificação
Adicional referente a 6 (seis) quinquênios
(45%)- R$ 4.411,96 (quatro mil,
quatrocentos e onze reais e noventa e seis
centavos);
Considerando que o ato de admissão da
interessada não encontra registrado nesta
Corte, e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal, em parte da
Procuradoria de Contas e Auditoria, em
considerar legais os atos de admissão, no
cargo de Porteiro Servente, e de
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
5
aposentadoria, no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “H”, da Sra. Maria Paula Nunes,
da Secretaria de Estado da Educação, com
proventos integrais, por estarem em
consonância com as formalidades exigidas
em lei, determinando os seus registros
concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006008214/204-01

Acórdão 2731/2013
Ementa: Aposentadoria do servidor Gilberto
de Souza Ferraz. Legalidade do ato para
fins de registro.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006008214, que
trazem a Portaria nº 2923 e o Despacho nº
5858/SECC, com os quais o Secretário da
Casa Civil, fixou os proventos da
aposentadoria de Gilberto de Souza Ferraz,
no cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “G-I”, do
Quadro Pessoal da Secretaria da
Educação, na quantia anual de R$
7.922,40 (sete mil, novecentos e vinte e
dois reais e quarenta centavos),
proporcional a 12.054 (doze mil e cinquenta
e quatro) dias de contribuição, equivalente
ao valor mensal de R$ 660,20 (seiscentos
e sessenta reais e vinte centavos) e,
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e, em parte, da
Auditoria, em considerar legal o ato de
aposentadoria do Sr. Gilberto de Souza
Ferraz, no cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “G-I”, da
Secretaria de Estado da Educação,
determinando seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para a publicação da
decisão e demais providências a seu cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006008381/204-01

Acórdão 2732/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
de concessão de aposentadoria.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato.
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro perante o Tribunal
de Contas do Estado.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006008381, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da Sra.
Iraides Furtunata dos Santos Albado, no
cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “H”,
pertencente ao quadro da Secretaria de
Estado da Educação, sendo que, pelo
Despacho n.º 5935/SECC (fl. TCE 25) teve
os proventos fixados na quantia anual e
integral de R$ 13.726,10 (treze mil,
setecentos e vinte e seis reais e dez
centavos) assim discriminados:
VENCIMENTO (200h) - R$ 9.804,36 (nove
mil, oitocentos e quatro reais e trinta e seis
centavos) e GRATIFICAÇÃO ADICIONAL
referente a 06 (seis) quinquênios (40%) -
R$ 3.921,74 (três mil, novecentos e vinte e
um reais e setenta e quatro centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legal o ato
concessivo de aposentadoria da Sra.
Iraides Furtunata dos Santos Albado, no
cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “H”,
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
6
pertencente ao quadro de pessoal da
Secretaria de Estado da Educação,
determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006010222/204-01

Acórdão 2733/2013
Ementa: Aposentadoria. Observância dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato de
concessão de aposentadoria.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006010222,
que tratam da análise da legalidade, para
fins de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
Maria Pereira dos Santos Goulart,
ocupante do cargo de Agente
Administrativo Educacional Técnico,
Referência “G-I”, pertencente ao Quadro da
Secretaria de Estado da Educação,
perfazendo os proventos a quantia, anual e
integral, de 22.853,03 (vinte e dois mil,
oitocentos e cinquenta e três reais e três
centavos), composta de: Vencimento
(200h): R$ 13.058,88 (treze mil, cinquenta
e oito reais e oitenta e oito centavos),
Gratificação Adicional, referente a 06(seis)
quinquênios (45%): R$ 5.876,49 (cinco mil,
oitocentos e setenta e seis reais e quarenta
e nove centavos) e Gratificação de
Incentivo Funcional (30%): R$ 3.917,66
(três mil, novecentos e dezessete reais e
sessenta e seis centavos), e
Considerando o voto e o relatório como
partes integrantes desta decisão,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legal o ato
de concessão de aposentadoria da Sra.
Maria Pereira dos Santos Goulart, no cargo
de Agente Administrativo Educacional
Técnico, Referência “G-I”, da Secretaria
Estadual da Educação, determinando seu
registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006011358/204-01

Acórdão 2734/2013
Ementa: Aposentadoria. Professor. É legal
a aposentadoria de professor, desde que
preenchidos os requisitos do art. 3º da EC
47/03.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006011358, que
trazem a Portaria nº 3328, de 04 de
novembro de 2011 e o Despacho nº
5231/SECC, de 09 de novembro de 2011,
com os quais o Secretário da Casa Civil,
concedeu aposentadoria a Francisca das
Chagas do Nascimento, no cargo de
Professor IV, Referência “E”, do Quadro
Permanente do Magistério Público
Estadual, na quantia anual e integral de R$
39.089,18 (trinta e nove mil, oitenta e nove
reais e dezoito centavos), assim
discriminados: Vencimento (210h)- R$
22.336,68 (vinte e dois mil, trezentos e
trinta e seis reais e sessenta e oito
centavos), Gratificação de Titularidade
(30%)- R$ 6.701,00 (seis mil, setecentos e
um reais), Gratificação Adicional referente
a 6 (seis) quinquênios (45%)- R$ 10.051,50
(dez mil, cinquenta e um reais e cinquenta
centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e da Auditoria, em
considerar legal o ato de concessão de
aposentadoria, da Sra. Francisca das
Chagas do Nascimento, no cargo de
Professor IV, Referência “E”, por estar em
consonância com as formalidades exigidas
em lei, determinando o seu registro.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
7
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006013378/204-01

Acórdão 2735/2013
Ementa: Aposentadoria. Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-I”. Registro.
É legal a aposentadoria de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
desde que preenchidos os requisitos do art.
3º da Emenda Constitucional Federal nº
47/2005.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006013378, que
trazem a Portaria nº 3828 e o Despacho nº
5936/SECC, com os quais o Secretário da
Casa Civil, concedeu a Iracema Pereira
Lopes aposentadoria no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-I”, do Quadro de Pessoal da
Secretaria da Educação, na quantia anual e
integral de R$ 10.198,77 (dez mil, cento e
noventa e oito reais e setenta e sete
centavos), assim discriminados:
Vencimento (200h)- R$ 7.284,84 (sete mil,
duzentos e oitenta e quatro reais e oitenta
e quatro centavos), Gratificação Adicional
referente a 6 (seis) quinquênios (40%) - R$
2.913,93 (dois mil, novecentos e treze reais
e noventa e três centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas, pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e, em parte da
Auditoria, em considerar legal o ato de
concessão de aposentadoria da Sra.
Iracema Pereira Lopes, no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-I”, da Secretaria de Estado
da Educação, com proventos integrais, por
estar em consonância com as formalidades
exigidas em lei, determinando o seu
registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006013489/204-01

Acórdão 2736/2013
Ementa: Retifica Acórdão n° 2408/2013, na
parte que especifica.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº201100006013489,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato concessão de aposentadoria da
servidora Dionalva Batista de Souza, no
cargo de Professor III, Referência “C”, do
Quadro de Pessoal da Secretaria de
Educação do Estado de Goiás, e
Considerando o equívoco identificado no
Acórdão n° 2408/2013, especificamente no
valor total dos proventos,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, à vista das razões compostas no
feito, decidir pela retificação do Acórdão nº
2408/2013, de 19 de novembro de 2013, no
tocante ao valor total dos proventos,
indicando-os em R$ 31.418,43 (trinta e um
mil, quatrocentos e dezoito reais e quarenta
e três centavos); e pela ratificação as
demais disposições do ato ora corrigido.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.



Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
8
Processo - 201100006013589/204-01

Acórdão 2737/2013
Ementa: Ato administrativo de Concessão
de Aposentadoria. Economia Processual.
Apreciação concomitante dos atos de
admissão e de aposentadoria.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006013589, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato concessivo da
aposentadoria da servidora Etelvina
Aparecida Ananias, no cargo de Professor
IV, Referência “E”, do Quadro Permanente
do Magistério Público Estadual, sendo que,
mediante Despacho n° 1877/SECC, teve
seus proventos fixados na quantia, anual e
integral, em R$ 39.859,12 (trinta e nove mil,
oitocentos e cinquenta e nove reais e doze
centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO (210h) - R$ 29.525,28 (vinte
e nove mil, quinhentos e vinte e cinco reais
e vinte e oito centavos), e GRATIFICAÇÃO
ADICIONAL, referente a 05 (cinco)
quinquênios (35%) - R$ 10.333,84 (dez mil,
trezentos e trinta e três reais e oitenta
quatro centavos),
Considerando que o ato de admissão da
servidora requerente não foi objeto de
registro neste Tribunal, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
exposta pelo Relator, em julgar legais os
atos administrativos de admissão, no cargo
de Professor Nível AD-1 e de
aposentadoria, no cargo de Professor IV,
Referência “E”, do quadro permanente do
Magistério Público Estadual, da Sra.
Etelvina Aparecida Ananias, determinando
os seus registros concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.



Processo - 201100006014215/204-01

Acórdão 2738/2013
Ementa: Aposentadoria. Agente
administrativo Educacional de Apoio.
Registro.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006014215,
que trazem a Portaria nº 3567, de 01 de
dezembro de 2011, e o Despacho nº
5631/SECC, de 06 de dezembro de 2011,
por meio dos quais, com fundamento nos
art. 6º, incisos I a IV, e 7º da Emenda
Constituição Federal nº 41, de 19 de
dezembro de 2003, este último dispositivo
aplicado por força do art. 2º da Emenda
Constitucional nº 47, de 05 de julho de
2005, e no art. 56, incisos I a V e parágrafo
único, da Lei Complementar nº 77, de 22
de janeiro de 2010, combinados com os
arts. 95, inciso XIX, da Constituição
Estadual, 170, § 5º, 264, inciso I, alínea “a”,
e 265 da Lei nº 10.460, de 22 de fevereiro
de 1988, foi concedida aposentadoria à
servidora Elienay Borges Sampaio, no
cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “H”, do
Quadro de Pessoal da Secretaria da
Educação; e fixou-se os proventos na
quantia, anual e integral, de R$ 13.726,10
(treze mil, setecentos e vinte e seis reais e
dez centavos), assim discriminada:
Vencimento (200h): R$ 9.804,36 (nove mil,
oitocentos e quatro reais e trinta e seis
centavos) e Gratificação Adicional,
referente a 06(seis) quinquênios (40%): R$
3.921,74 (três mil, novecentos e vinte e um
reais e setenta e quatro centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas, pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e da Auditoria, em
julgar legal o ato de concessão de
aposentadoria da Sra. Elienay Borges
Sampaio, no cargo de Agente
administrativo Educacional de Apoio,
Referência “H”, da Secretaria de Estado da
Educação, com proventos integrais, por
estar em consonância com as formalidades
exigidas em lei, determinando o seu
registro.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
9
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006015773/204-01

Acórdão 2739/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
de concessão de aposentadoria.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
dos atos.
O ato concessivo de exoneração e de
aposentadoria que cumprem os requisitos
constitucionais e legais, merecem registro
perante o Tribunal de Contas do Estado.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006015773, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da Sra. Vera
Maria, no cargo de Professor IV,
Referência “E”, da Secretaria de Educação
do Estado de Goiás, a qual, pelo Despacho
n° 1575/SECC, teve os proventos fixados
na quantia anual e integral de R$ 42.811,65
(quarenta e dois mil, oitocentos e onze
reais e sessenta e cinco centavos), assim
discriminados: VENCIMENTO (210h) - R$
29.525,28 (vinte e nove mil, quinhentos e
vinte e cinco reais e vinte e oito centavos),
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a 6
(seis) quinquênios (45%) - R$ 13.286,37
(treze mil, duzentos e oitenta e seis reais e
trinta e sete centavos);
Considerando que o ato de exoneração da
servidora não foi objeto de registro nesta
Corte, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legais os
atos administrativos de exoneração, no
cargo de Oficial Administrativo, “J” e de
concessão de aposentadoria da Sra. Vera
Maria, no cargo de Professor IV,
Referência “E”, da Secretaria de Educação
do Estado de Goiás, determinando os seus
registros.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006017380/204-01

Acórdão 2740/2013
Ementa: Aposentadoria. Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos, de nº 201100006017380,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de concessão de
aposentadoria da servidora Helena Reis
Silva de Melo, no cargo de Professor IV,
Referência “D”, do Quadro Permanente do
Magistério Público Estadual, com proventos
integrais fixados na quantia, anual e
integral, de R$ 38.322,68 (trinta e oito mil,
trezentos e vinte e dois reais e sessenta e
oito centavos), composta de : Vencimento
(210h): R$ 21.898,68 (vinte e um mil,
oitocentos e noventa e oito reais e
sessenta e oito centavos), Gratificação de
Titularidade (30%): R$ 6.569,60 (seis mil,
quinhentos e sessenta e nove reais e
sessenta centavos) e Gratificação
Adicional, correspondente a 06(seis)
quinquênios (45%): R$ 9.854,40 (nove mil,
oitocentos e cinquenta e quatro reais e
quarenta centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e pela
Auditoria, em julgar legal o ato
administrativo de concessão de
aposentadoria da Sra. Helena Reis Silva de
Melo, no cargo de Professor IV, Referência
“D”, do Quadro Permanente do Magistério
Público Estadual, determinando o seu
registro.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
10
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006017454/204-01

Acórdão 2741/2013
Ementa: Aposentadoria. Agente
Administrativo Educacional Técnico.
Registro.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006017454,
que trazem a Portaria nº 3640, de 02 de
dezembro de 2011 e o Despacho nº
5670/SECC, de 08 de dezembro de 2011,
por meio dos quais, com fundamento no
art. 3º, incisos I, II e III, e parágrafo único,
da Emenda Constitucional Federal nº 47,
de 05 de julho de 2005, e 58, incisos I a V,
e parágrafo único, da Lei Complementar nº
77, de 22 de janeiro de 2010, combinados
com os arts. 95, inciso XIX, da Constituição
Estadual, 170, § 5º, 264, inciso I, alínea “a”,
e 265 da Lei nº 10.460, de 22 de fevereiro
de 1988, bem como com o art. 18, § 4º, da
Lei nº 13.910, de 25 de setembro de 2001,
foi concedida aposentadoria à servidora
Alzira Mendes da Silva, no cargo de Agente
Administrativo Educacional Técnico,
Referência “A-II”, do Quadro de Pessoal da
Secretaria da Educação; e fixou-se os
proventos na quantia, anual e integral, de
R$ 28.770,93 (vinte e oito mil, setecentos e
setenta reais e noventa e três centavos),
assim discriminada: Vencimento (200h): de
R$ 16.924,08 (dezesseis mil, novecentos e
vinte e quatro reais e oito centavos),
Gratificação Adicional, referente a 06 (seis)
quinquênios (40%): R$ 6.769,63 (seis mil,
setecentos e sessenta e nove reais e
sessenta e três centavos) e Gratificação de
Incentivo Funcional (30%): R$ 5.077,22
(cinco mil, setenta e sete e reais e vinte e
dois centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal, da Procuradoria de
Contas e da Auditoria, em considerar legal
o ato de concessão de aposentadoria da
Sra. Alzira Mendes da Silva, no cargo de
Agente Administrativo Educacional
Técnico, Referência “A-II”, da Secretaria de
Estado da Educação, com proventos
integrais, por estar em consonância com as
formalidades exigidas em lei, determinando
o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006017488/204-01

Acórdão 2742/2013
Ementa: Processo nº 201100006017488.
Verificação da legalidade de ato
administrativo concessivo de
aposentadoria. Cumprimento dos requisitos
constitucionais e legais pertinentes.
Legalidade e registro do ato.
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos de nº 201100006017488,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de concessão de
aposentadoria da servidora Iracilda Maria
Vianês, no cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “H”, do
Quadro de Pessoal da Secretaria da
Educação, cujos proventos foram fixados
pelo Secretário da Casa Civil através do
Despacho nº 426/SECC (fl. TCE 025), na
quantia anual e integral de R$ 12.500,91
(doze mil, quinhentos reais e noventa um
centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO (180h) - R$ 7.353,48 (sete
mil, trezentos e cinquenta três reais e
quarenta oito centavos), GRATIFICAÇÃO
ADICIONAL referente a 6 (seis)
quinquênios (40%) - R$ 2.941,39 (dois mil,
novecentos quarenta e um reais e trinta
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
11
nove centavos) e GRATIFICAÇÃO DE
INCENTIVO FUNCIONAL (30%) -
R$2.206,04 (dois mil, duzentos e seis reais
e quatro centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e da Auditoria,
em julgar legal o ato administrativo de
concessão de aposentadoria de Iracilda
Maria Vianês no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “H”, do Quadro de Pessoal da
Secretaria da Educação, determinando o
seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006018302/204-01

Acórdão 2743/2013
Ementa: Aposentadoria. Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos, de nº 201100006018302,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de aposentadoria da
servidora Alice Vicente de Almeida Souza,
no cargo de Professor IV, Referência “B”,
da Secretaria de Educação do Estado de
Goiás, perfazendo os proventos a quantia,
anual e integral, de R$ 40.342,42 (quarenta
mil, trezentos e quarenta e dois reais e
quarenta e dois centavos), assim
discriminada: Vencimento (210h): R$
27.822,36 (vinte e sete mil, oitocentos e
vinte e dois reais e trinta e seis centavos) e
Gratificação Adicional, correspondente à 06
quinquênios(45%): R$ 12.520,06 (doze mil,
quinhentos e vinte reais e seis centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legal o ato
administrativo de concessão de
aposentadoria da Sra. Alice Vicente de
Almeida Souza, no cargo de Professor IV,
Referência ¨B¨, do Quadro Permanente do
Magistério Público Estadual, com proventos
integrais, determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006018402/204-01

Acórdão 2744/2013
Ementa: Retifica Acórdão n° 1729/2013, na
parte que especifica.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006018402,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato concessão de aposentadoria da
servidora Irone de Assis Rezende, no cargo
de Professor III, Referência “D”, do Quadro
de Pessoal da Secretaria de Educação do
Estado de Goiás.
Considerando o equívoco verificado no
Acórdão n° 1729/2013, especificamente na
parte introdutória, quanto indevidamente foi
indicado o ano de 2013 respectivo à data
de expedição da Portaria n° 1.337/2012,
esta tratando-se do ato concessivo da
aposentadoria apreciada,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, à vista das razões compostas no
feito, decidir pela retificação do Acórdão nº
1729/2013, de 17 de setembro de 2013,
fazendo indicar 2012 como o ano de
lavratura da retrocitada Portaria n°
1.337/2012; e pela ratificação as demais
disposições do ato ora corrigido.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
12
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006018568/204-01

Acórdão 2745/2013
Ementa: Ato administrativo de Concessão
de Aposentadoria. Observância dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato de
concessão de aposentadoria.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006018568,
que tratam da análise da legalidade, para
fins de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
Lourdes Vieira Neto no cargo de Professor
Assistente “C”, referência “E”, integrante do
quadro de pessoal da Secretaria da
Educação, sendo que, mediante Despacho
n° 5948/SECC, de 30 de dezembro de
2011 (fls. TCE 034), teve seus proventos
fixados na quantia, anual e integral, de R$
13.575,82 (treze mil, quinhentos e setenta
e cinco reais e oitenta e dois centavos),
assim discriminados: VENCIMENTO (157h)
- R$ 9.362,64 (nove mil, trezentos e
sessenta e dois reais e sessenta e quatro
centavos) GRATIFICAÇÃO ADICIONAL,
referente a 06 (seis) quinquênios (45%) -
R$ 4.213,18 (quatro mil, duzentos e treze
reais e dezoito centavos), e
Considerando o voto e o relatório como
partes integrantes desta decisão,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e, em parte,
pela Auditoria, assim acolhidas pelo
Relator, em julgar legal o ato de concessão
de aposentadoria da Sra. Lourdes Vieira
Neto no cargo de Professor Assistente “C”,
integrante do quadro de pessoal da
Secretaria da Educação, determinando o
seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006019946/204-01

Acórdão 2746/2013
Ementa: Aposentadoria. Professor.
É legal a aposentadoria de professor,
desde que preenchidos os requisitos do art.
6º da EC 41/03.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006019946, que
trazem a Portaria nº 595, de 09 de março
de 2012 e o Despacho nº 1264/SECC, de
19 de março de 2012, com os quais o
Secretário da Casa Civil, concede
aposentadoria a Josefa Jorge da Silva, no
cargo de Professor IV, Referência “E”, do
Quadro Permanente do Magistério Público
Estadual, na quantia anual e integral de R$
42.811,65 (quarenta e dois mil, oitocentos e
onze reais e sessenta e cinco centavos),
assim discriminados: Vencimento (210h)-
R$ 29.525,28 (vinte e nove mil, quinhentos
e vinte e cinco reais e vinte e oito centavos)
e Gratificação Adicional referente a 6 (seis)
quinquênios (45%)- R$ 13.286,37 (treze
mil, duzentos e oitenta e seis reais e trinta
e sete centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e da Auditoria, em
considerar legal o ato de aposentadoria da
Sra. Josefa Jorge da Silva, no cargo de
Professor IV, Referência “E”, com
proventos integrais, por estar em
consonância com as formalidades exigidas
em lei, determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
13
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006020886/204-01

Acórdão 2747/2013
Ementa: Aposentadoria. Agente
Administrativo Educacional de Apoio.
Registro.
É legal a aposentadoria de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
desde que preenchidos os requisitos do art.
3º da Emenda Constitucional Federal nº
47/2005.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006020886, que
trazem a Portaria nº 209, de 03 de fevereiro
de 2012 e o Despacho nº 512/2012, de 07
de fevereiro de 2012, com os quais o
Secretário da Casa Civil, concedeu a Maria
Alves Santana da Silva aposentadoria no
cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “H”, do
Quadro de Pessoal da Secretaria da
Educação, na quantia anual e integral de
R$ 16.667,40 (dezesseis mil, seiscentos e
sessenta e sete reais e quarenta centavos),
assim discriminados: Vencimento (200h)-
R$ 9.804,36 (nove mil, oitocentos e quatro
reais e trinta e seis centavos) e Gratificação
Adicional referente a 6 (seis) quinquênios
(40%)- R$ 3.921,74 (três mil, novecentos e
vinte e um reais e setenta e quatro
centavos) e Gratificação de Incentivo
Funcional (30%)- R$ 2.941,30 (dois mil,
novecentos e quarenta e um reais e trinta
centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas, pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e da Auditoria, em
considerar legal o ato de concessão de
aposentadoria da Sra. Maria Alves Santana
da Silva, no cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “H”, da
Secretaria de Estado da Educação,
determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006021112/204-01

Acórdão 2748/2013
Ementa: Aposentadoria. Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006021112,
que trazem a Portaria nº 159 de 30 de
janeiro de 2012, e o Despacho nº
424/SECC, de 02 de fevereiro de 2012,
com os quais o Secretário da Casa Civil,
concedeu aposentadoria à servidora Isabel
Aparecida da Silva, no cargo de Agente
Administrativo Educacional Técnico,
Referência “A-II”, do Quadro de Pessoal da
Secretaria de Estado da Educação, e fixou-
se os proventos na quantia anual e integral
de R$ 29.617,13 (vinte e nove mil,
seiscentos e dezessete reais e treze
centavos) assim discriminados: Vencimento
(200h): R$ 16.924,08 (dezesseis mil,
novecentos e vinte e quatro reais e oito
centavos), Gratificação Adicional,
correspondente a 06 (seis) quinquênios
(45%): R$ 7.615,83 (sete mil, seiscentos e
quinze reais e oitenta e três centavos),
Gratificação de Incentivo Funcional (30%) -
R$ 5.077,22 (cinco mil, setenta e sete reais
e vinte dois centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legal o ato
de concessão de aposentadoria da Sra.
Isabel Aparecida da Silva, no cargo de
Agente Administrativo Educacional
Técnico, Referência “A-II”, do Quadro
Pessoal da Secretaria de Estado da
Educação, determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
14
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013. Processo julgado em:
17/12/2013.

Processo - 201100006022749/204-01

Acórdão 2749/2013
Ementa: Verificação da legalidade de ato
administrativo concessivo de
aposentadoria. Admissão no serviço
público antes da Constituição Federal de
1988, sem concurso público e sem
preencher os requisitos de estabilidade do
artigo 19 do ADCT.
1. Princípios da segurança jurídica e da
estabilização dos efeitos do ato
administrativo. Prejudicial analisada e
superada.
2. Preenchimento dos requisitos
constitucionais e legais. Declaração de
legalidade, e consequente registro, do ato
de aposentadoria.
3. Todavia, a situação excepcional do caso
concreto, no qual o ingresso da servidora,
sem concurso público, se deu há mais de
30 anos, gera a estabilização dos efeitos
do ato administrativo de admissão, em
homenagem aos princípios da segurança
jurídica e da proteção da confiança;
4. Ato de aposentadoria merecedor de
registro por esta Corte de Contas.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006022749, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria em nome de
Márcia Magalhães, no cargo de Professor
III, Referência “E”, da Secretaria de
Educação do Estado de Goiás, sendo que,
pelo Despacho n.º 1658/SECC, datado de
09/04/2012(fl. TCE 38), teve os proventos
fixados pelo Secretário da Casa Civil, na
quantia anual e integral de R$ 31.129,26
(trinta e um mil, cento e vinte e nove reais e
vinte e seis centavos), composta de:
VENCIMENTO (157h) - R$ 19.639,92
(dezenove mil, seiscentos e trinta e nove
reais e noventa e dois centavos),
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a
06 (seis) quinquênios (45%) - R$ 8.837,96
(oito mil, oitocentos e trinta e sete reais e
noventa e seis centavos) e
GRATIFICAÇÃO DE INCENTIVO
FUNCIONAL (10%) - R$ 2.651,38 (dois mil,
seiscentos e cinquenta e um reais e trinta e
oito centavos),e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Pessoal e, em parte, pela
Auditoria, assim acolhidas pelo Relator, em
julgar legal o ato administrativo de
concessão de aposentadoria no cargo de
Professor III, Referência “E”, da Secretaria
de Educação do Estado de Goiás, da Sra.
Márcia Magalhães, determinando o seu
registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006025091/204-01

Acórdão 2750/2013
Ementa: Aposentadoria da servidora
pública Maria Genoveva Alves Barcelos.
Legalidade do ato para fins de registro.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006025091,
onde consta a Portaria nº 200, de 03 de
fevereiro de 2012, e o Despacho nº
505/SECC, onde o Secretário da Casa
Civil, concede aposentadoria à Sra. Iraci
Alves da Silva, no cargo de Agente
Administrativo Técnico, Referência “G-I”, do
Quadro de Pessoal da Secretaria de
Estado da Educação, e fixou os proventos
na quantia anual e integral de R$ 22.200,09
(vinte e dois mil, duzentos reais e nove
centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO - (200h): R$ 13.058,88
(treze mil, cinquenta e oito reais e oitenta e
oito centavos); GRATIFICAÇÃO
ADICIONAL referente a 6 (seis)
quinquênios (40%) - R$ 5.223,55 (cinco mil
duzentos e vinte e três reais e cinquenta e
cinco centavos) e Gratificação de Incentivo
Funcional (30%) - R$ 3.917,66 (três mil,
novecentos e dezessete reais e sessenta e
seis centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
15
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da sua
Primeira Câmara, presumida a legitimidade
e a veracidade da documentação juntada
aos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, das manifestações do Serviço
de Registro de Atos de Pessoal, e, em
parte, da Auditoria, em considerar legal o
ato de aposentadoria da Sra. Iraci Alves da
Silva, no cargo de Agente Administrativo
Técnico, Referência “G-I”, do Quadro
Pessoal da Secretaria da Educação,
determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e Comunicação
para as providências a seu cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006025546/204-01

Acórdão 2751/2013
Ementa: Aposentadoria - Legalidade.
Registro do ato.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201000006025546, que
tratam da análise para fins de registro
nesta Corte de Contas, da aposentadoria
requerida por Homira Tosta de Lacerda
Viveiros, no cargo de Professor IV,
Referência “E”, do Quadro Permanente do
Magistério Público Estadual, na quantia
anual e integral de R$ 39.089,18 (trinta e
nove mil, oitenta e nove reais e dezoito
centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO (210h) - R$ 22.336,68 (vinte
e dois mil, trezentos e trinta e seis reais e
sessenta e oito centavos), GRATIFICAÇÃO
DE TITULARIDADE (30%) - R$ 6.701,00
(seis mil, setecentos e um reais) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a 6
(seis) quinquênios (45%) - R$ 10.051,50
(dez mil, cinquenta e um reais e cinquenta
centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e, em parte,
pela Auditoria, assim acolhidas pelo
Relator, em julgar legal o ato administrativo
de concessão de aposentadoria de Homira
Tosta de Lacerda Viveiros, no cargo de
Professor IV, Referência “E”, da Secretaria
de Estado de Educação, determinando seu
registro
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências
devidas.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006027461/204-01

Acórdão 2752/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
concessivo de aposentadoria. Análise
conjunta do ato de admissão. Resolução
Normativa n° 003/2005. Provimentos
derivados. Segurança jurídica.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato.
1. Ante a ausência de registro junto ao
TCE-GO do ato de admissão, é possível
sua análise e registro juntamente com o ato
de aposentadoria, prestigiando a celeridade
e a economia processual.
2. Estando os atos em conformidade com
os requisitos legais pertinentes, merecem
registro junto ao TCE.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006027461, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria em nome de
Geny Neres de Souza Borges, no cargo de
Professor IV, Referência “D”, da Secretaria
de Educação do Estado de Goiás, sendo
que, pelo Despacho n.º 1610/SECC (fl.
TCE 29), teve os proventos fixados pelo
Secretário da Casa Civil, na quantia anual
e integral de R$ 39.077,64 (trinta e nove
mil, setenta e sete reais e sessenta e
quatro centavos), composta de:
VENCIMENTO (210h) - R$ 28.946,40 (vinte
e oito mil, novecentos e quarenta e seis
reais e quarenta centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a
05 (cinco) quinquênios (35%) - R$
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
16
10.131,24 (dez mil, cento e trinta e um
reais e vinte e quatro centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Pessoal, em parte do Ministério
Público de Contas e da Auditoria, assim
acolhidas pelo Relator, em julgar legais os
atos administrativos de admissão no cargo
de Professor, Nível “AD-1” e aposentadoria
no cargo de Professor IV, Referência “D”,
da Secretaria de Educação do Estado de
Goiás, da Sra. Geny Neres de Souza
Borges, determinando o registro de ambos.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006027890/204-01

Acórdão 2753/2013
Ementa: Ato administrativo de Concessão
de Aposentadoria. Observância dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato de
concessão de aposentadoria.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006027890,
que tratam da análise da legalidade, para
fins de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
Lucíola Tereza Mota da Silva, no cargo de
Agente Administrativo Educacional de
Apoio, Referência “G-I”, integrante do
quadro de pessoal da Secretaria da
Educação, sendo que, mediante Despacho
n° 2756/SECC, de 14 de junho de 2012 (fls.
TCE 024), teve seus proventos fixados na
quantia anual e integral, de R$ 12.688,80
(doze mil, seiscentos e oitenta e oito reais e
oitenta centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO (200h) - R$ 7.464,00 (sete
mil, quatrocentos e sessenta e quatro
reais), GRATIFICAÇÃO ADICIONAL,
referente a 06 (seis) quinquênios (40%) -
R$ 2.985,60 (dois mil, novecentos e oitenta
e cinco reais e sessenta centavos) e
GRATIFICAÇÃO DE INCENTIVO
FUNCIONAL (30%) - R$ 2.239,20 (dois mil,
duzentos e trinta nove reais e vinte
centavos), e
Considerando o voto e o relatório como
partes integrantes desta decisão,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e, em parte,
pela Auditoria, assim acolhidas pelo
Relator, em julgar legal o ato de concessão
de aposentadoria da Sra. Lucíola Tereza
Mota da Silva, no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-I”, integrante do quadro de
pessoal da Secretaria da Educação,
determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006028031/204-01

Acórdão 2754/2013
Ementa: Aposentadoria. Registro
concomitante. Admissão. Possibilidade.
Na ausência do registro de admissão, é
possível fazê-lo concomitantemente com o
ato de aposentadoria, desde que
preenchidos os requisitos legais.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006028031, que
trazem a Portaria nº 941, de 04 de abril de
2012, e o Despacho nº 1704/SECC, de 16
de abril de 2012, por meio dos quais, foi
concedida aposentadoria à servidora Lucy
Luiz de Oliveira, no cargo de Professor IV,
Referência “B”, do Quadro Permanente do
Magistério Público Estadual, e fixou-se os
proventos na quantia, anual e integral, de
R$ 34.777,95 (trinta e quatro mil,
setecentos e setenta e sete reais e noventa
e cinco centavos), assim discriminados:
Vencimento (210h)- R$ 27.822,36 (vinte e
sete mil, oitocentos e vinte e dois reais e
trinta e seis centavos), e Gratificação
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
17
Adicional, referente a 04 (quatro)
quinquênios (25%) - R$ 6.955,59 (seis mil,
novecentos e cinquenta e cinco reais e
cinquenta e nove centavos),
Considerando que o ato de admissão da
servidora ainda não foi objeto de registro
neste Tribunal, e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das manifestações do Serviço de
Registro de Atos de Pessoal, em parte da
Procuradoria de Contas, e da Auditoria,
assim acolhidas pelo Relator, em julgar
legais os atos de admissão, no cargo de
Professor, Nível AD-5, e de aposentadoria,
no cargo de Professor IV, Referência “B”,
da Sra. Lucy Luiz de Oliveira, servidora da
Secretaria de Estado da Educação, com
proventos integrais, por estarem em
consonância com as formalidades exigidas
em lei, determinando os seus registros
concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para a publicação da
decisão e demais providências a seu cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006028760/204-01

Acórdão 2755/2013
Ementa: Aposentadoria. Registros
concomitantes. Aposentadoria e admissão.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos, de n° 201100006028760,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de concessão de
aposentadoria da servidora Ivani Francisca
de Morais Silva, no cargo de Professor I,
Referência “C”, do Quadro de Pessoal da
Secretaria da Educação, perfazendo os
proventos a quantia, anual e integral, de R$
23.512,03 (vinte e três mil, quinhentos e
doze reais e três centavos), composta de:
Vencimento (210h): R$ 17.416,32
(dezessete mil, quatrocentos e dezesseis
reais e trinta e dois centavos) e
Gratificação Adicional, referente a 05(cinco)
quinquênios (35%): R$ 6.095,71 (seis mil,
noventa e cinco reais e setenta e um
centavos), e
Considerando que o ato de admissão da
servidora ainda não foi objeto de registro
neste Tribunal; e considerando o relatório e
o voto como partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, por unanimidade de votos dos
integrantes de sua Primeira Câmara, ante
as manifestações compostas pelo Serviço
de Registro de Atos de Pessoal, pela
Procuradoria e, em parte, pela Auditoria,
assim acolhidas pelo Relator, em julgar
legais os atos administrativos de admissão,
no cargo de Professor, Nível AD-1, e de
concessão de aposentadoria, no cargo de
Professor I, Referência “C”, da Sra. Ivani
Francisca de Morais Silva, determinando
seus registros concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006029577/204-01

Acórdão 2756/2013
Ementa: Aposentadoria. Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006029577,
que tratam da análise da legalidade, para
fins de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
Maria de Lourdes Barreto Mendonça, no
cargo de Professor I, Referência “F”, da
Secretaria de Educação do Estado de
Goiás, sendo que os proventos foram
fixados na quantia, anual e integral, de R$
26.799,48 (vinte e seis mil, setecentos e
noventa e nove reais e quarenta e oito
centavos), composta de Vencimento
(210h): R$ 18.482,40 (dezoito mil,
quatrocentos e oitenta e dois reais e
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
18
quarenta centavos) e Gratificação
Adicional, referente a 06 (seis) quinquênios
(45%): R$ 8.317,08 (oito mil, trezentos e
dezessete reais e oito centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legal o ato
administrativo de concessão de
aposentadoria da Sra. Maria de Lourdes
Barreto Mendonça, no cargo de Professor I,
Referência “F”, determinando o seu
registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita. Representante do Ministério
Público de Contas: Maisa de Castro
Sousa Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006029809/204-01

Acórdão 2757/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
concessivo de aposentadoria. Análise
conjunta do ato de admissão. Resolução
Normativa n° 003/2005. Provimentos
derivados. Segurança jurídica.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato.
1. Ante a ausência de registro junto ao
TCE-GO do ato de admissão, é possível
sua análise e registro juntamente com o ato
de aposentadoria, prestigiando a celeridade
e a economia processual.
2. Estando os atos em conformidade com
os requisitos legais pertinentes, merecem
registro junto ao TCE.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006029809, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
Cecília Ferreira Duarte, no cargo de
Professor IV - Referência “D”, da Secretaria
de Estado da Educação de Goiás, sendo
que, pelo Despacho n.º 1306/SECC (fl.
TCE 28), teve seus proventos fixados pelo
Secretário da Casa Civil, na quantia anual
e integral de R$ 39.077,64 (trinta e nove
mil, setenta e sete reais e sessenta e
quatro centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO (210h) - R$ 28.946,40 (vinte
e oito mil, novecentos e quarenta e seis
reais e quarenta centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a
05 (cinco) quinquênios (35%) - R$
10.131,24 (dez mil, cento e trinta e um
reais e vinte e quatro centavos);
Considerando, que o ato de admissão da
servidora não foi registrado nesta Corte de
Contas, e
Considerando, o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Pessoal, Ministério Público de
Contas, em parte e da Auditoria, assim
acolhidas pelo Relator, em julgar legais os
atos administrativos de admissão no cargo
Professor Assistente, Nível “A” e
aposentadoria no cargo de Professor IV,
Referência “D”, da Secretaria de Educação
do Estado de Goiás, da Sra. Cecília
Ferreira Duarte, determinando os seus
registros concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006031471/204-01

Acórdão 2758/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
de concessão de aposentadoria.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato. O ato concessivo de aposentadoria
que cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro perante o Tribunal
de Contas do Estado.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006031471, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria em nome de
Rita Maria de Souza, no cargo de Agente
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
19
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “H”, da Secretaria de Educação
do Estado de Goiás, sendo que, pelo
Despacho n.º 1669/SECC, datado de
09/04/2012 (fl.. TCE 30), teve os proventos
fixados pelo Secretário da Casa Civil, na
quantia anual e integral de R$ 16.667,40
(dezesseis mil, seiscentos e sessenta e
sete reais e quarenta centavos), composta
de: VENCIMENTO (200h) - R$ 9.804,36
(nove mil, oitocentos e quatro reais e trinta
e seis centavos), GRATIFICAÇÃO
ADICIONAL referente a 06 (seis)
quinquênios (40%) - R$ 3.921,74 (três mil,
novecentos e vinte e um reais e setenta e
quatro centavos) e GRATIFICAÇÃO DE
INCENTIVO FUNCIONAL (30%) - R$
2.941,30 (dois mil, novecentos e quarenta e
um reais e trinta centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e pela
Auditoria, assim acolhidas pelo Relator, em
julgar legal o ato administrativo de
concessão de aposentadoria no cargo de
Agente Administrativo Educacional de
Apoio, Referência “H”, da Secretaria de
Educação do Estado de Goiás, da Sra. Rita
Maria de Souza, determinando o seu
registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006031880/204-01

Acórdão 2759/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
concessivo de aposentadoria. Análise
conjunta do ato de exoneração e admissão.
Resolução Normativa n° 003/2005.
Segurança jurídica. Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato.
1. Ante a ausência de registros junto ao
TCE-GO dos atos de exoneração e
admissão, são possíveis suas análises e
registros juntamente com o ato de
aposentadoria, prestigiando a celeridade e
a economia processual.
2. Estando os atos em conformidade com
os requisitos legais pertinentes, merecem
registro junto ao TCE.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006031880, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
Benedita Alves Aragão, no cargo de
Professor IV, Referência “B”, da Secretaria
de Educação do Estado de Goiás, sendo
que, pelo Despacho n.º 2205/SECC, teve
os proventos fixados pelo Secretário da
Casa Civil, na quantia anual e integral de
R$ 36.169,06 (trinta e seis mil, cento e
sessenta e nove reais e seis centavos),
assim discriminados: VENCIMENTO (210h)
- R$ 27.822,36 (vinte e sete mil, oitocentos
e vinte e dois reais e trinta e seis centavos)
e GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a
06 (seis) quinquênios (30%) - R$ 8.346,70
(oito mil, trezentos e quarenta e seis reais e
setenta centavos);
Considerando que os atos de exoneração e
admissão não foram objeto de registro
neste Tribunal, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas, amparado nas manifestações do
Serviço de Registro de Atos de Pessoal, do
Ministério Público de Contas, e da
Auditoria, assim acolhidas pelo Relator, em
julgar legais os atos administrativos de
exoneração no cargo de Assistente de
Ensino Primário, admissão no cargo de
Professor I, Referência “Base” e
aposentadoria no cargo de Professor IV,
Referência “B”, da servidora Benedita Alves
Aragão, da Secretaria de Educação do
Estado de Goiás, determinando os seus
registros concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
20
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006032452/204-01

Acórdão 2760/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
concessivo de aposentadoria. Análise
conjunta do ato de admissão. Resolução
Normativa n° 003/2005. Provimentos
derivados. Segurança jurídica.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato.
1. Ante a ausência de registro junto ao
TCE-GO do ato de admissão, é possível
sua análise e registro juntamente com o ato
de aposentadoria, prestigiando a celeridade
e a economia processual.
2. Estando os atos em conformidade com
os requisitos legais pertinentes, merecem
registro junto ao TCE.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006032452, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria em nome de
Mônica Jacqueline Gomes, no cargo de
Professor III, Referência “D”, da Secretaria
de Educação do Estado de Goiás, sendo
que, pelo Despacho n.º 1900/SECC (fl.
TCE 25), teve os proventos fixados pelo
Secretário da Casa Civil, na quantia anual
e integral de R$ 34.658,76 (trinta e quatro
mil, seiscentos e cinquenta e oito reais e
setenta e seis centavos), composta de:
VENCIMENTO (210h) - R$ 25.673,16 (vinte
e cinco mil, seiscentos e setenta e três
reais e dezesseis centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a
05 (cinco) quinquênios (35%) - R$ 8.985,60
(oito mil, novecentos e oitenta e cinco reais
e sessenta centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Pessoal, Ministério Público de
Contas, em parte e da Auditoria, assim
acolhidas pelo Relator, em julgar legais os
atos administrativos de admissão no cargo
de Professor, Nível “AD-1” e aposentadoria
no cargo de Professor III, Referência “D”,
da Secretaria de Educação do Estado de
Goiás, da Sra. Mônica Jacqueline Gomes,
determinando os seus registros.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006032712/204-01

Acórdão 2761/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
de concessão de aposentadoria.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato.
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro perante o Tribunal
de Contas do Estado.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006032712, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato concessivo de
aposentadoria da Sra. Silvia Helena
Martins Silva, no cargo de Agente
Administrativo Educacional Técnico,
Referência “G-I”, pertencente ao quadro da
Secretaria de Estado da Educação, sendo
que, pelo Despacho n.º 1161/SECC (fl.
TCE 27) teve os proventos fixados na
quantia anual e integral de R$ 22.853,03
(vinte e dois mil, oitocentos e cinquenta e
três reais e três centavos) assim
discriminados: VENCIMENTO (200h) - R$
13.058,88 (treze mil, cinquenta e oito reais
e oitenta e oito centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a
06 (seis) quinquênios (45%) - R$ 5.876,49
(cinco mil, oitocentos e setenta e seis reais
e quarenta e nove centavos) e
GRATIFICAÇÃO DE INCENTIVO
FUNCIONAL (30%) - R$ 3.917,66 (três mil,
novecentos e dezessete reais e sessenta e
seis centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
21
expostas pelo Relator, em julgar legal o ato
concessivo de aposentadoria da Sra. Silvia
Helena Martins Silva, no cargo de Agente
Administrativo Educacional Técnico,
Referência “G-I”, pertencente ao quadro da
Secretaria de Estado da Educação,
determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006033646/204-01

Acórdão 2762/2013
Ementa: Verificação de atos administrativos
de exoneração, admissão e concessão de
aposentadoria. Cumprimento dos requisitos
constitucionais e legais pertinentes.
Legalidade e registros dos atos
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos de nº 201100006033646,
que tratam da análise da legalidade, para
fins de registro, do ato administrativo de
aposentadoria da servidora Ivanildes Divina
do Carmo, no cargo de Professor IV,
Referência “C”, da Secretaria da Educação
do Estado de Goiás, sendo que, mediante
Despacho n° 1500/SECC, datado em 28 de
março de 2012, teve os proventos fixados
pelo Secretário da Casa Civil, na quantia
anual e integral de R$ 36.892,44 (trinta e
seis mil, oitocentos e noventa e dois reais e
quarenta e quatro centavos) composta de:
Vencimento (210h): R$ 28.378,80 (vinte e
oito mil, trezentos e setenta e oito reais e
oitenta centavos) e Gratificação Adicional
referente a 06 quinquênios (30%): R$
8.513,64 (oito mil, quinhentos e treze reais
e sessenta e quatro centavos);
Considerando que os atos de exoneração e
admissão não foram objetos de registro
nesta Corte de Contas, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legais os
atos administrativos de exoneração, no
cargo de Executor de Serviços
Administrativos I; admissão, no cargo de
Professor I, referência “A” e de
aposentadoria, no cargo de Professor IV,
referência “C”, da Secretaria da Educação
do Estado de Goiás, da Sra. Ivanildes
Divina do Carmo, determinando os seus
registros concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006034878/204-01

Acórdão 2763/2013
Ementa: Aposentadoria. Registros
concomitantes: Admissão e aposentadoria.
Legalidade.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006034878,
que trazem a Portaria nº 1100, de 26 de
abril de 2012, e o Despacho nº
2014/SECC, de 02 de maio de 2012, por
meio dos quais, com fundamento nos arts.
3º, incisos I, II e III, e parágrafo único, da
Emenda Constitucional Federal nº 47, de
05 de julho de 2005, e 58, incisos I a V, e
parágrafo único, da Lei Complementar nº
77, de 22 de janeiro de 2010, combinados
com os arts. 95, inciso XIX, da Constituição
Estadual, 170, § 5º, 264, inciso I, alínea “a”,
e 265 da Lei nº 10.460, de 22 de fevereiro
de 1988, bem como com o art. 18, § 4º, da
Lei nº 13.910, de 25 de setembro de 2001,
foi concedida aposentadoria à servidora
Divina Estevam Dias Souza, no cargo de
Agente Administrativo Educacional
Técnico, Referência “A-II”, do Quadro de
Pessoal da Secretaria da Educação; e
fixou-se os proventos na quantia, anual e
integral, de R$ 27.924,72 (vinte e sete mil,
novecentos e vinte e quatro reais e setenta
e dois centavos), assim discriminada:
VENCIMENTO (200h): R$ 16.924,08
(dezesseis mil, novecentos e te e quatro
reais e oito centavos), Gratificação
Adicional, referente a 05(cinco)
quinquênios (35%): R$ 5.923,42 (cinco mil,
novecentos e vinte e três reais e quarenta e
dois centavos) e Gratificação de Incentivo
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
22
Funcional (30%): R$ 5.077,22 (cinco mil,
setenta e sete reais e vinte e dois
centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas, pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e, em parte, da
Procuradoria de Contas e da Auditoria, em
julgar legais os atos de admissão, no cargo
de Professor Assistente, Nível “A” e de
aposentadoria, no cargo de Agente
Administrativo Educacional Técnico,
Referência “A-II” da Sra. Divina Estevam
Dias Souza, da Secretaria de Educação por
estarem em consonância com as
formalidades exigidas em lei, determinando
os seus registros concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006035936/204-01

Acórdão 2764/2013
Ementa: Aposentadoria Em consonância
com a legislação pertinente. Legalidade.
Registro do ato.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006035936,
que trazem a Portaria nº 407, de 29 de
fevereiro de 2012, e o Despacho nº
847/SECC, de 1º de março de 2012, por
meio dos quais, com fundamento no art. 3º,
incisos I, II e III, e parágrafo único, da
Emenda Constituição Federal nº 47, de 05
de julho de 2005, e no art. 58, incisos I a V,
e parágrafo único da Lei Complementar nº
77, de 22 de janeiro de 2010, combinados
com os arts. 37, inciso XIV, da Constituição
Federal, alterado pela Emenda
Constitucional nº 19, de 04 de junho de
1998, 95, inciso XIX, da Constituição
Estadual, e 47, parágrafo único, da Lei nº
13.909, de 25 de setembro de 2001, foi
concedida aposentadoria à servidora LUCI
MENDES ARRUDA, no cargo Professor IV,
Referência “D”, do Quadro Permanente do
Magistério Público Estadual; e fixou-se os
proventos na quantia, anual e integral, de
R$ 41.972,28 (quarenta e um mil,
novecentos e setenta e dois reais e vinte e
oito centavos), assim discriminada:
VENCIMENTO(210h): R$ 28.946,40 (vinte
e oito mil, novecentos e quarenta e seis
reais e quarenta centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL, referente a
06(seis) quinquênios (45%): R$ 13.025,88
(treze mil, vinte e cinco reais e oitenta e
oito centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA, o TRIBUNAL DE CONTAS DO
ESTADO DE GOIÁS, pelos membros que
integram sua Primeira Câmara, presumindo
a legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal, da Auditoria, em parte,
e do Ministério Público de Contas, em
julgar legal o ato de concessão de
aposentadoria da Sra. Luci Mendes Arruda,
no cargo de Professor IV, Referência “D”,
por estar em consonância com as
formalidades exigidas em lei, determinando
o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006037813/204-01

Acórdão 2765/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
de concessão de aposentadoria.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato.
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro perante o Tribunal
de Contas do Estado.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
23
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006037813, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria de Altair
Gomes Fleuri, no cargo de Professor IV,
Referência “E”, da Secretaria de Educação
do Estado de Goiás, sendo que, pelo
Despacho n.º 1967/SECC, datado de
26/04/2012 (fl. TCE 30), teve os proventos
fixados pelo Secretário da Casa Civil, na
quantia anual e integral de R$ 42.811,65
(quarenta e dois mil, oitocentos e onze
reais e sessenta e cinco centavos),
composta de: VENCIMENTO (210h) - R$
29.525,28 (vinte e nove mil, quinhentos e
vinte e cinco reais e vinte e oito centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a
06 (seis) quinquênios (45%) - R$ 13.286,37
(treze mil, duzentos e oitenta e seis reais e
trinta e sete centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, , ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e pela
Auditoria, assim acolhidas pelo Relator, em
julgar legal o ato administrativo de
concessão de aposentadoria no cargo de
Professor IV, Referência “E”, da Secretaria
de Educação do Estado de Goiás, da Sra.
Altair Gomes Fleuri, determinando o seu
registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006039236/204-01

Acórdão 2766/2013
Ementa: Aposentadoria. Professor IV.
Registros concomitantes. Admissão e
aposentadoria. Legalidade.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006039236, que
trazem a Portaria nº 1135 e o Despacho nº
2055/SECC, com os quais o Secretário da
Casa Civil, concedeu aposentadoria a
servidora Maria Aparecida Parca da Silva,
no cargo de Professor IV, Referência “C”,
do Quadro Permanente do Magistério
Público Estadual, na quantia anual e
integral de R$ 38.311,38 (trinta e oito mil,
trezentos e onze reais e trinta e oito
centavos), assim discriminados:
Vencimento (210h)- R$ 28.378,80 (vinte e
oito mil, trezentos e setenta e oito reais e
oitenta centavos) e Gratificação Adicional
referente a 5 (cinco) quinquênios (35%)- R$
9.932,58 (nove mil, novecentos e trinta e
dois reais e cinquenta e oito centavos);
Considerando que o ato de admissão da
servidora não se encontra registrado nesta
Corte de Contas, e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal e, em parte da
Procuradoria de Contas e da Auditoria, em
considerar legais os atos de admissão, no
cargo de Professor AD-1, e de
aposentadoria, no cargo de Professor IV,
Referência “C”, da Sra. Maria Aparecida
Parca da Silva, da Secretaria de Estado da
Educação, com proventos integrais,
determinando os seus registros
concomitantes.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006042644/204-01

Acórdão 2767/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
de concessão de aposentadoria.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
24
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro perante o Tribunal
de Contas do Estado.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201100006042644, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria em nome de
Lucinda Araújo de Oliveira, no cargo de
Agente Administrativo Educacional
Técnico, Referência “G-I”, da Secretaria de
Educação do Estado de Goiás, sendo que,
pelo Despacho n.º 1884/SECC (fl. TCE 24),
teve os proventos fixados pelo Secretário
da Casa Civil, na quantia anual e integral
de R$ 18.282,43 (dezoito mil, duzentos e
oitenta e dois reais e quarenta e três
centavos), compostos de: VENCIMENTO
(200h) - R$ 13.058,88 (treze mil, cinquenta
e oito reais e oitenta e oito centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a
06 (seis) quinquênios (40%) - R$ 5.223,55
(cinco mil, duzentos e vinte e três reais e
cinquenta e cinco centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Pessoal e em parte da
Auditoria, assim acolhidas pelo Relator, em
julgar legal o ato administrativo de
concessão de aposentadoria, no cargo de
Agente Administrativo Educacional
Técnico, Referência “G-I”, da Secretaria de
Educação do Estado de Goiás, da Sra.
Lucinda Araújo de Oliveira, determinando o
seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201200006006438/204-01

Acórdão 2768/2013
Ementa: Ato administrativo de Concessão
de Aposentadoria da Sra. Jaide de Oliveira
Melo. Observância dos requisitos
constitucionais e legais pertinentes.
Legalidade e registro.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006006438, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
Jaide de Oliveira Melo, no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-1”, da Secretaria de Estado
da Educação, sendo que, mediante
Despacho n° 3116/SECC, de 02 de julho
de 2012, teve seus proventos fixados na
quantia anual e integral, de R$ 13.675,95
(treze mil, seiscentos e setenta e cinco
reais e noventa e cinco centavos), assim
discriminados: VENCIMENTO (200h) - R$
8.044,68 (oito mil, quarenta e quatro reais e
sessenta e oito centavos), GRATIFICAÇÃO
ADICIONAL, referente a 06 (seis)
quinquênios (40%) - R$ 3.217,87 (três mil,
duzentos dezessete reais e oitenta sete
centavos), e GRATIFICAÇÃO DE
INCENTIVO FUNCIONAL (30%) - 2.413,40
(dois mil, quatrocentos e treze reais e
quarenta centavos), e
Considerando o voto e o relatório como
partes integrantes desta decisão,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legal o ato
de concessão de aposentadoria de Jaide
de Oliveira Melo, no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-1” do Quadro da Secretaria
de Estado da Educação, determinando seu
registro, para que surta os efeitos de
direito.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201200006010281/204-01

Acórdão 2769/2013
Ementa: Ato administrativo de Concessão
de Aposentadoria. Observância dos
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
25
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato de
concessão de aposentadoria.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos de nº 201200006010281,
que tratam da análise da legalidade, para
fins de registro, do ato concessivo de
aposentadoria da servidora Luciana Camilo
do Nascimento, ocupante do cargo de
Professor I, Referência ‘D”, integrante do
quadro de pessoal da Secretaria da
Educação, sendo que, mediante Despacho
n° 3874/SECC, de 09 de agosto de 2012,
teve seus proventos fixados na quantia
anual e integral de R$ 26.029,24 (vinte e
seis mil, vinte nove reais e vinte e quatro
centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO (210h) - R$ 18.592,32
(dezoito mil, quinhentos e noventa e dois
reais e trinta e dois centavos),
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL, referente a
06 (seis) quinquênios (40%) - R$ 7.436,92
(sete mil, quatrocentos e trinta e seis reais
e noventa e dois centavos), e
Considerando o voto e o relatório como
partes integrantes desta decisão,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e, em parte,
pela Auditoria, assim acolhidas pelo
Relator, em julgar legal o ato de concessão
de aposentadoria da Sra. Luciana Camilo
do Nascimento, ocupante do cargo de
Professor I, Referência ‘D”, integrante do
quadro de pessoal da Secretaria da
Educação, determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201200006010438/204-01

Acórdão 2770/2013
Ementa: Verificação da legalidade de ato
administrativo concessivo de
aposentadoria. Cumprimento dos requisitos
constitucionais e legais pertinentes.
Legalidade e registro do ato.
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos de nº 201200006010438,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de concessão de
aposentadoria da servidora Kátia Aparecida
de Pádua Martins (Portaria nº 2.256, de 06
de agosto de 2012, publicada no Diário
Oficial/GO nº 21.404, de 09/08/2012), no
cargo de Agente Administrativo
Educacional Técnico, Referência “G-I”, do
Quadro de Pessoal da Secretaria da
Educação, cujos proventos foram fixados
pelo Secretário da Casa Civil através do
Despacho nº 3870/SECC (fl. TCE 024), na
quantia anual e integral de R$ 24.329,04
(vinte quatro mil, trezentos vinte nove reais
e quatro centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO (200h): R$ 14.311,20
(quatorze mil, trezentos e onze reais e vinte
centavos), GRATIFICAÇÃO ADICIONAL
referente a 6 (seis) quinquênios (40%): R$
5.724,48 (cinco mil, setecentos vinte quatro
reais e quarenta oito centavos) e
GRATIFICAÇÃO DE INCENTIVO
FUNCIONAL (30%): R$ 4.293,36 (quatro
mil, duzentos noventa e três reais e trinta
seis centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal e da Auditoria,
em julgar legal o ato administrativo de
concessão de aposentadoria de Kátia
Aparecida de Pádua Martins, no cargo de
Agente Administrativo Educacional
Técnico, Referência “G-I”, do Quadro de
Pessoal da Secretaria da Educação,
determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
26

Processo - 201200006011029/204-01

Acórdão 2771/2013
Ementa: Aposentadoria. Agente
Administrativo Educacional de Apoio.
Registro.
“É legal a aposentadoria de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
desde que preenchidos os requisitos do art.
3º da Emenda Constitucional Federal nº
47/2005.”
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201200006011029, que
trazem a Portaria nº 2669, de 12 de
setembro de 2012, e o Despacho nº
4601/SECC, de 14 de setembro de 2012,
com os quais o Secretário da Casa Civil,
que concedeu a Aparecida José de Moraes
aposentadoria no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-I”, do Quadro de Pessoal da
Secretaria da Educação, cujos proventos
foram fixados, na quantia anual e integral,
de R$ 11.262,55 (onze mil, duzentos e
sessenta e dois reais e cinquenta e cinco
centavos), assim discriminados:
Vencimento (200h)- R$ 8.044,68 (oito mil,
quarenta e quatro reais e sessenta e oito
centavos) e Gratificação Adicional referente
a 06 (seis) quinquênios (40%) - R$
3.217,87 (três mil, duzentos e dezessete
reais e oitenta e sete centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas, pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
de Atos de Pessoal, da Procuradoria de
Contas e da Auditoria, em considerar legal
o ato de concessão de aposentadoria à
Sra. Aparecida José de Moraes, no cargo
de Agente Administrativo Educacional de
Apoio, Referência “G-I”, da Secretaria de
Estado da Educação, com proventos
integrais, por estar em consonância com as
formalidades exigidas em lei, determinando
o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201200006013275/204-01

Acórdão 2772/2013
Ementa: Verificação de ato administrativo
de concessão de aposentadoria.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
do ato. O ato concessivo de aposentadoria
que cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro perante o Tribunal
de Contas do Estado.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos n.º 201200006013275, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da Sra.
Francisca Maria da Silva, no cargo de
Agente Administrativo Educacional de
Apoio, Referência “I”, da Secretaria de
Educação do Estado de Goiás, sendo que,
pelo Despacho n.º 4150/SECC (fl. TCE 27),
teve os proventos fixados na quantia anual
e integral de R$ 13.973,38 (treze mil,
novecentos e setenta e três reais e trinta e
oito centavos) assim discriminados:
VENCIMENTO (180h) - R$ 8.219,64 (oito
mil, duzentos e dezenove reais e sessenta
e quatro centavos), GRATIFICAÇÃO
ADICIONAL referente a 06 (seis)
quinquênios (40%) - R$ 3.287,85 (três mil,
duzentos e oitenta e sete reais e oitenta e
cinco centavos) e GRATIFICAÇÃO DE
INCENTIVO FUNCIONAL (30%) - R$
2.465,89 (dois mil, quatrocentos e sessenta
e cinco reais e oitenta e nove centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator e das manifestações
do Serviço de Registro de Atos de Pessoal
e, em parte, da Auditoria, em julgar legal o
ato administrativo concessivo de
aposentadoria da Sra. Francisca Maria da
Silva, no cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “I”, da
Secretaria de Educação do Estado de
Goiás, determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
27
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201200006018205/204-01

Acórdão 2773/2013
Ementa: Aposentadoria. Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais.
Legalidade e registro.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201200006018205,
onde consta a Portaria nº 2833, de 19 de
setembro de 2012, e o Despacho nº
4821/SECC, de 24 de setembro de 2012,
por meio dos quais foi concedida
aposentadoria à servidora Lindalva
Machado Silva, no cargo de Agente
Administrativo Educacional Técnico
Referência “A-II”, do Quadro de Pessoal da
Secretaria de Estado da Educação, com
fundamento no art. 3º, incisos I, II e III, e
parágrafo único, da Emenda Constitucional
Federal nº 47, de 05 de julho de 2005, e
58, inciso I a V, e parágrafo único, da Lei
Complementar nº 77, de 22 de janeiro de
2010, combinados com os arts. 95, inciso
XIX, da Constituição Estadual, 170, § 5º,
264, inciso I, alínea “a”, e 265 da Lei nº
10.460, de 22 de fevereiro de 1988, bem
como com o art. 18, § 4º, da Lei nº 13.910,
de 25 de setembro de 2001; e fixou-se os
proventos na quantia, anual e integral, de
R$ 31.530,03 (trinta e um mil, quinhentos e
trinta reais e três centavos), assim
discriminada: Vencimento(200h): R$
18.547,08 (dezoito mil, quinhentos e
quarenta e sete reais e oito centavos),
Gratificação Adicional, referente a 06(seis)
quinquênios (40%): R$ 7.418,83 (sete mil,
quatrocentos e dezoito reais e oitenta e três
centavos) e Gratificação de Incentivo
Funcional (30%) - R$ 5.564,12 (cinco mil,
quinhentos e sessenta e quatro reais e
doze centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da sua
Primeira Câmara, presumida a legitimidade
e a veracidade da documentação constante
dos autos e diante das manifestações
compostas pelo Serviço de Registro de
Atos de Pessoal e, em parte, pela
Auditoria, assim acolhidas pelo Relator, em
considerar legal o ato de aposentadoria da
Sra. Lindalva Machado Silva, no cargo de
Agente Administrativo Educacional
Técnico, Referência “A-II”, do Quadro
Pessoal da Secretaria da Educação,
determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 200800047000937

Acórdão 2774/2013
Ementa: Pedido de Reconsideração
interposto em face do Acórdão nº 245/08.
Tempestividade. Pressupostos de
admissibilidade.
Recurso conhecido. Insuficiência de
argumentos que ensejem provimento às
razões recursais. Provimento negado.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 200800047000937, que
tratam de Recurso de Reconsideração,
interposto por Emílio Carlo Paiva de Paula,
visando a reforma do Acórdão nº 245, de
07/02/2008, por meio do qual esta Corte de
Contas julgou a Prestação de Contas do
Fundo Rotativo, da Secretaria de Estado da
Infraestrutura, referente ao 3º trimestre de
2002, irregular, e aplicou multa ao ora
recorrente;
Considerando a inexistência de
argumentos que ensejem provimento às
razões recursais, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, diante das
manifestações da Gerência de
Fiscalização, Supervisão X e do Ministério
Público de Contas, acolhidas pelo Relator,
em conhecer do presente Recurso e, no
mérito, negar o seu provimento, mantendo-
se o Acórdão nº 245/2008 em seus exatos
termos.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
28
Ao Serviço de Publicação e Comunicações
para as providências cabíveis, bem como
para a atualização monetária da multa
aplicada.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 10461256

Acórdão 2775/2013
Processo n.º: 10461256
Interessado(a): Adriana Chaveiro
Rodrigues
Assunto: Pensão
Conselheiro Relator: Saulo Mesquita
Processo de Fiscalização. Ato de pessoal
sujeito a registro. Pensão. Legalidade do
ato. Lei nº 10.150/1986. Registro.
Vistos, oralmente expostos e discutidos
estes Autos nº 10461256, tendo o relatório
e o voto como partes integrantes deste,
que trata do seguinte ato: Pensão
concedida à beneficiária Adriana Chaveiro
Rodrigues, aos 19 de junho de 2.006, em
decorrência do óbito de Levi Lourenço de
Oliveira, Soldado da Polícia Militar,
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em considerar legal
o ato de concessão de pensão à
beneficiária Adriana Chaveiro Rodrigues,
na condição de companheira do segurado
Levi Lourenço de Oliveira, determinando o
seu registro, nos termos da Lei Orgânica e
Regimento Interno deste Tribunal, para
todos os fins legais.
À Secretaria Geral para as providências a
seu cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade e Saulo Marques Mesquita
(Relator).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 28397576

Acórdão 2776/2013
Processo n.º: 28397576
Interessado(a): Thayanne de Freitas Cunha
Assunto: Pensão
Conselheiro Relator: Saulo Mesquita
Processo de Fiscalização. Ato de pessoal
sujeito a registro. Pensão. Legalidade do
ato. Lei nº 13.903/2001.
Vistos, oralmente expostos e discutidos
estes Autos nº 28397576, que tratam do
registro da pensão concedida à
beneficiária, Thayanne de Freitas Cunha,
na condição de filha inválida, decorrente do
óbito de Conceição de Freitas Oliveira,
ocupante do cargo de Professor I,
Referência “B”, do quadro de pessoal da
Secretaria de Educação do Estado de
Goiás, tendo o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em considerar legal
o ato de pensão à beneficiária Thayanne
de Freitas Cunha, determinando o seu
registro, nos termos da Lei Orgânica e
Regimento Interno deste Tribunal, para
todos os fins legais.
À Secretaria Geral para as providências a
seu cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade e Saulo Marques Mesquita
(Relator).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 200900002000833/204-01

Acórdão 2777/2013
Admissão e Aposentadoria. Instrução
regular. Emenda Constitucional 47/2005.
Legalidade dos atos de admissão e
Aposentadoria. Registro concomitante.
Resolução n° 003/2005. Lei 16.168/07 e
Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 200900002000833,
no qual constam para registro:
1) a admissão de Rosa Vieira da Cunha
Costa, no cargo de Auxiliar de Cozinha,
sob regime da legislação trabalhista, em 04
de agosto de 1978, conforme Carteira de
Trabalho constante às fls. 06;
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
29
2) a aposentadoria em nome da
requerente, no cargo de Executor de
Serviços Auxiliares II, A-1, do Quadro
Transitório da então Agência Goiana de
Administração e Negócios Públicos, com
proventos integrais, conforme Portaria nº
2.022, de 27 de novembro de 2009, fls. 54,
na quantia anual de R$ 8.091,00 (oito mil e
noventa e um reais), conforme
apostilamento, fls. 67.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, em considerar legais os atos
de admissão e aposentadoria de Rosa
Vieira da Cunha Costa, determinando o seu
registro concomitante, nos termos da Lei
Orgânica (artigos 1º, incisos III e IV e 104,
incisos I e II), Regimento Interno (artigos 2º,
incisos III e IV, 297, incisos I e II e 302) e
da Resolução nº 003/2005, para todos os
fins legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade e Saulo Marques Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa. Sessão Ordinária da Primeira
Câmara Nº 44/2013. Processo julgado
em: 17/12/2013.

Processo - 200900006011510/204-01

Acórdão 2778/2013
Aposentadoria. Instrução regular. EC nº
41/2003. Legalidade do ato. Lei 16.168/07
e Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 200900006011510,
no qual constam para registro:
1) a aposentadoria de Lazara Martins
Assunção Oliveira, no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência "G-I", do Quadro de Pessoal da
Secretaria da Educação, com proventos
proporcionais ao tempo de contribuição,
conforme Portaria nº 446, de 30 de março
de 2011, fls. 116, na quantia anual de R$
7.617,84 (sete mil, seiscentos e dezessete
reais e oitenta e quatro centavos),
conforme apostila às fls. 172.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pela Relatora, em considerar legal o ato de
aposentadoria de Lazara Martins Assunção
Oliveira, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, inciso
IV e 104, inciso II), Regimento Interno
(artigos 2º, inciso IV, 297, inciso II e 302),
para todos os fins legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201000006033059/204-01

Acórdão 2779/2013
Admissão e Aposentadoria. Instrução
regular. Emenda Constitucional 41/2003.
Legalidade dos atos de admissão e
Aposentadoria. Registro concomitante.
Resolução n° 003/2005. Lei 16.168/07 e
Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201000006033059,
no qual constam para registro:
1) a admissão de Raimunda Marques de
Sousa, no cargo de Auxiliar de Serviços
Gerais, do Quadro de Pessoal de
Administrativo, da Secretaria de Estado da
Educação, em virtude de haver sido
habilitada em concurso público a que se
submeteu na forma da lei, conforme
Apostila constante às fls. 10;
2) a aposentadoria em nome de Raimunda
Marques Ferreira, no cargo de Agente
Educacional de Apoio, Referência “H”, da
Secretaria da Educação, com proventos
integrais, conforme Portaria nº 1.737, de 17
de julho de 2011, fls. 20, no valor anual de
R$ 6.540,00 (seis mil, quinhentos e
quarenta reais), conforme apostila, fls. 68.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
30
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, em considerar legais os atos
de admissão e aposentadoria de Raimunda
Marques Ferreira, determinando o seu
registro concomitante, nos termos da Lei
Orgânica (artigos 1º, incisos III e IV e 104,
incisos I e II), Regimento Interno (artigos 2º,
incisos III e IV, 297, incisos I e II e 302) e
da Resolução nº 003/2005, para todos os
fins legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201200010005185/204-01

Acórdão 2780/2013
Aposentadoria. Instrução regular. EC nº
47/2005. Legalidade do ato. Lei 16.168/07
e Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201200010005185,
no qual constam para registro:
1) a aposentadoria de Sandra Maria Vieira,
no cargo de Auxiliar de Serviços Gerais, do
Grupo Ocupacional Agente de Serviços da
Saúde, do Quadro de Permanente dos
Servidores da Secretaria da Saúde, com
proventos integrais, conforme Portaria nº
1.817, de 27 de junho de 2012, fls. 26, na
quantia anual de R$ 12.887,78 (doze mil,
oitocentos e oitenta e sete reais e setenta e
oito centavos), conforme apostila às fls. 35.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pela Relatora, em considerar legal o ato de
aposentadoria de Sandra Maria Vieira,
determinando o seu registro, nos termos da
Lei Orgânica (artigos 1º, inciso IV e 104,
inciso II), Regimento Interno (artigos 2º,
inciso IV, 297, inciso II e 302), para todos
os fins legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201200010006318/204-01

Acórdão 2781/2013
Aposentadoria. Instrução regular. EC nº
47/2005. Legalidade do ato. Lei 16.168/07
e Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201200010006318,
no qual constam para registro:
1) a aposentadoria de Alvaro Peixoto de
Oliveira, no cargo de Médico, do Grupo
Ocupacional Analista de Saúde, do Quadro
de Permanente dos Servidores da
Secretaria da Saúde, com proventos
integrais, conforme Portaria nº 2.733, de 13
de setembro de 2012, fls. 23, na quantia
anual de R$ 49.315,50 (quarenta e nove
mil, trezentos e quinze reais e cinquenta
centavos), conforme apostila às fls. 32.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pela Relatora, em considerar legal o ato de
aposentadoria de Alvaro Peixoto de
Oliveira, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, inciso
IV e 104, inciso II), Regimento Interno
(artigos 2º, inciso IV, 297, inciso II e 302),
para todos os fins legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
31
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 5818974

Acórdão 2782/2013
Ementa: Concessão de revisão de pensão.
Legalidade. Registro do ato. Regimento
Interno artigos 2º, IV, 297, II e 302.
Vistos, expostos e discutidos estes autos nº
5818974/2004, que trazem o Despacho nº
827-2004/PR, de 16/03/2001, fl. 93, com
que o Presidente do Instituto de
Previdência e Assistência dos Servidores
do Estado de Goiás, acolhendo o Parecer
nº 112/2004 da Coordenação de
Concessão e Revisão de Benefícios da
Diprev, de 19/02/2004, determinou o
Cancelamento do benefício pensional
concedido a Joana Caetano de Araújo,
referente ao Cargo Comissionado de
Delegado Municipal de Polícia “A”, exercido
pelo ex-servidor, e Ratificou a concessão
de pensão relativa ao exercício do Cargo
de 2º Tenente PM pelo falecido Joaquim de
Araújo, nos termos do art. 89, §3º, da Lei nº
13.903/2011.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões exposta pela Relatora no
relatório e voto, que passam a fazer parte
integrante deste Acórdão, em considerar
legal o ato de revisão do benefício
pensional, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, IV e art.
104, II), Regimento Interno (artigos 2º, IV,
297, II e 302), para todos os fins legais.
Ao Serviço de Registro de Atos de Pessoal
para providenciar as anotações e ao
Cartório de Contas para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.



Processo - 201200003006859/205-01

Acórdão 2783/2013
Pensão, Instrução regular. Legalidade dos
atos. Registro concomitante. Lei 16.359/08
e Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201200003006859,
no qual constam para registro:
1) Pensão Vitalícia em nome de Maria
Carmen de Souza Mafra, viúva do ex-
servidor Raimundo Ilídio Mafra, pagável
mensalmente a partir de 09 de julho de
2012, no valor mensal de R$ 6.025,84 (seis
mil e vinte cinco reais e oitenta e quatro
centavos), conforme Despacho nº 4622-
2012/GAB/GOIASPREV, fls. 25, nos
termos da Lei nº 16.359/08.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, em considerar legal o ato
pensão, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, incisos
III e IV e 104, incisos I e II), Regimento
Interno (artigos 2º, incisos III e IV, 297,
incisos I e II e 302), para todos os fins
legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201211129001927/205-01

Acórdão 2784/2013
Pensão, Instrução regular. Legalidade dos
atos. Registro concomitante. Lei 16.359/08
e Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201211129001927,
no qual constam para registro:
1) Pensão Vitalícia em nome de Janira de
Brito Carvalho, viúva do ex-servidor
Francisco Resende de Carvalho, pagável
mensalmente a partir de 08 de junho de
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
32
2012, no valor mensal de R$ 4.243,38
(quatro mil, duzentos e quarenta e três
reais e trinta e oito centavos), conforme
Despacho nº 3399-
2012/GAB/GOIASPREV, fls. 27, nos
termos da Lei nº 16.359/08.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, em considerar legal o ato
pensão, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, incisos
III e IV e 104, incisos I e II), Regimento
Interno (artigos 2º, incisos III e IV, 297,
incisos I e II e 302), para todos os fins
legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201211129002089/205-01

Acórdão 2785/2013
Pensão Temporária, Instrução regular.
Legalidade do ato. Lei 16.359/08 e
Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201211129002089,
no qual constam para registro:
1) Pensão Temporária em nome de
Vinicius de Deus Lima, filho do ex-servidor
Absaí de Deus, pagável mensalmente a
partir de 28 de junho de 2012, com
extinção em 20/08/2013, no valor mensal
de R$ 13.014,21 (treze mil e quatorze reais
e vinte e um centavos), conforme
Despacho nº 3572-
2012/GAB/GOIASPREV, fls. 39, nos
termos da Lei nº 16.359/08.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, em considerar legal o ato
pensão, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, incisos
III e IV e 104, incisos I e II), Regimento
Interno (artigos 2º, incisos III e IV, 297,
incisos I e II e 302), para todos os fins
legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201211129003518/205-01

Acórdão 2786/2013
Pensão, Instrução regular. Legalidade dos
atos. Registro concomitante. Lei 16.359/08
e Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201211129003518,
no qual constam para registro:
1) Pensão Vitalícia em nome de Manoel
Rodrigues Pereira, viúvo da ex-servidora
Ledir Maria da Trindade Rodrigues,
pagável mensalmente a partir de 13 de
setembro de 2012, no valor mensal de R$
2.592,70 (dois mil quinhentos e noventa e
dois reais e setenta centavos), conforme
Despacho nº 6785-
2012/GAB/GOIASPREV, fls. 30, nos
termos da Lei nº 16.359/08.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, em considerar legal o ato
pensão, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, incisos
III e IV e 104, incisos I e II), Regimento
Interno (artigos 2º, incisos III e IV, 297,
incisos I e II e 302), para todos os fins
legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
33
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201211129003663/205-01

Acórdão 2787/2013
EMENTA: Pensão. Regularidade do ato de
concessão. Instrução legal. Registro do ato.
Lei 16.359/08. Art. 40, §7º da CF e LC nº
77/2010.
Vistos, oralmente expostos e discutidos
estes Autos nº 201211129003663, que
trazem o Despacho nº
778/2013/GABGOIASPREV, de
28/02/2013, com que o Diretor da
Presidência da Goiasprev, com fundamento
na Lei Complementar nº 77, de 22/01/2010,
adotando o Parecer nº 0146/2013-GECOB,
fls. 24/29, acolhendo a Memória de Cálculo
nº 91/2013, fl. 36, concedeu PENSÃO à
Aparecida Dias Bernardes de Souza, viúva
do ex-segurado Edervandes Bernardes de
Souza, aposentado no cargo de Auxiliar de
Serviços Gerais, do quadro de Pessoal da
Secretaria de Estado da Saúde, pagável a
partir da data do óbito, até sua extinção, no
valor mensal de R$ 1.053,63 (um mil e
cinquenta e três reais e sessenta e três
centavos).
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, por unanimidade de votos dos
integrantes da sua Primeira Câmara,
presumida a legitimidade e veracidade da
documentação juntada aos autos e diante
das razões expostas pela Relatora,
considerar legal o mencionado ato,
determinando o seu registro, nos termos do
art. 1º, incisos III e IV c/c art. 104, incisos I
e II da Lei nº 16.168, de 11 de dezembro
de 2007 (Lei Orgânica do TCE).
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201211129003919/205-01

Acórdão 2788/2013
Pensão, Instrução regular. Legalidade dos
atos. Registro concomitante. Lei 16.359/08
e Resolução nº 22/08.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201211129003919,
no qual constam para registro:
1) Pensão Vitalícia em nome de Iara
Castanheira de Souza, viúva do ex-servidor
Júlio Cesário de Souza, pagável
mensalmente a partir de 12 de novembro
de 2012, no valor mensal de R$ 5.202,96
(cinco mil e duzentos e dois reais e noventa
e seis centavos), conforme Despacho nº
7632-2012/GAB/GOIASPREV, fls. 23, nos
termos da Lei nº 16.359/08.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, em considerar legal o ato
pensão, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, incisos
III e IV e 104, incisos I e II), Regimento
Interno (artigos 2º, incisos III e IV, 297,
incisos I e II e 302), para todos os fins
legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201311129002284/205-01

Acórdão 2789/2013
Pensão, Instrução regular. Legalidade do
ato. Lei 16.359/08 e Resolução nº 22/08.
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
34
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201311129002284,
no qual constam para registro:
1) Pensão Vitalícia em nome de Sérgia
Adorno Ferreira da Costa, viúva de Otacílio
Ferreira da Costa aposentado no cargo de
Promotor de Justiça de 3ª Entrância, do
Quadro de Pessoal do Ministério Público do
Estado de Goiás, pagável mensalmente a
partir de 17 de maio de 2013, no valor
mensal de R$ 18.974,16 (dezoito mil,
novecentos e setenta e quatro reais e
dezesseis centavos), conforme Despacho
nº 2.411-2013/GAB/GOIASPREV, fl. 33,
nos termos da Lei Complementar nº
77/2010.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e diante das razões expostas
pelo Relator, em considerar legal o ato
pensão, determinando o seu registro, nos
termos da Lei Orgânica (artigos 1º, incisos
III e IV e 104, incisos I e II), Regimento
Interno (artigos 2º, incisos III e IV, 297,
incisos I e II e 302), para todos os fins
legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e à Gerência de
Comunicação e Controle para a devida
publicação e posterior devolução dos autos
a origem.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 200500022001119

Acórdão 2790/2013
Ementa: Admissão e Transferência para a
reserva remunerada. Lei n° 8.033/75.
Legalidade dos atos. Registro
concomitante. Resolução n° 003/2005. Lei
16.168/ 2007.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 200500022001119,
no qual constam para registro:
1) a Admissão de Tadeu Barbosa Caetano
- na patente de Soldado PM, incluído no
serviço militar na graduação de Aluno
Soldado Pm, em 01/07/1980, conforme
Boletim Geral nº 137, de 29/07/1980 (fl.
TCE 214);
2) a Transferência para a Reserva
remunerada na patente de 3º SGT PM
Tadeu Barbosa Caetano, conforme Portaria
n° 001/PM/06, de 18 de janeiro de 2006, fl.
TCE 123, no valor anual de R$ 22.870,41
(vinte e dois mil, oitocentos e setenta reais
e quarenta e um centavos), conforme
Apostila Declaratória de fl. TCE 128.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, presumida a legitimidade e
veracidade dos documentos constantes
dos autos e, diante das razões expostas
pela Relatoria no voto, em considerar
legais os atos de Admissão e Transferência
para a Reserva remunerada, determinando
o seu registro concomitante, nos termos da
Lei Orgânica (artigos 1º, incisos III e IV e
104, incisos I e II), Regimento Interno
(artigos 2º, incisos III e IV, 297, incisos I e II
e 302) e da Resolução n. 003/2005, para
todos os fins legais.
À Gerência de Registro para providenciar
as anotações e, após, à Gerência de
Comunicação e Controle para publicação e
posterior devolução dos autos ao órgão de
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201000002000508/207-01

Acórdão 2791/2013
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
autos do processo nº 201000002000508,
no qual consta para registros a
transferência para a reserva remunerada
de Divino Sergio Marques Pereira;
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos integrantes da Primeira
Câmara, com fundamento no artigo 463, I,
do CPC, em retificar, por inexatidão
material, o Acórdão nº 2452/2013, onde se
lê "a Transferência para a reserva
remunerada do 3º SGT PM", leia-se " a
Transferência para a reserva remunerada
do 2º SGT PM", mantendo-se inalterados
os demais termos do referido acórdão, de
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
35
acordo com os pareceres emitidos nos
autos.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relatora), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente), e Saulo Marques
Mesquita.
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201300047002738/902

Acórdão 2792/2013
Ementa: Recurso de reconsideração com
efeito suspensivo. Decisão que aplicou
multa por descumprimento do prazo para
envio de movimento contábil a esta Corte
de Contas, com base no Artigo 112, inciso
IX,, da LOTCE-GO. Descumprimento dos
princípios constitucionais do contraditório e
da ampla defesa. Conhecimento e
provimento do recurso. Nulidade do
Acórdão sancionador.
1.A data a ser considerada para fins de
cumprimento do prazo estabelecido no
artigo 193, §2º, da Resolução n° 22/08, é a
do encaminhamento do movimento
contábil, ainda que sua autuação na Corte
de Contas tenha se dado posteriormente.
2.É nula, por violar os princípios
constitucionais do contraditório e da ampla
defesa, a decisão que aplica sanção de
multa sem oportunizar a apresentação
prévia de justificativas, com exceção das
hipóteses expressamente previstas no
artigo 112, §3º, da Lei Estadual 16.168/07.
3.Estando devidamente justificado o atraso
é possível o julgamento, desde logo, do
mérito recursal em favor do Recorrente, por
ausência de prejuízo - pas de nullité sans
grief.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201300047002738/902,
que tratam de Recurso de Reconsideração
com Efeito Suspensivo interposto por Ney
Geraldo Borges em face da decisão
materializada no Acórdão n° 1114,
proferido pela Primeira Câmara desta
Corte, em 18 de Junho de 2013, nos autos
do processo n° 201300026000694, e
Considerando o Relatório e o Voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
exposta pelo Relator, em conhecer do
recurso, dando-lhe provimento, para
reformar o Acórdão 1114, com a
consequente anulação da multa aplicada
ao ora Recorrente.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006013371/204-01

Acórdão 2793/2013
Ementa: Aposentadoria. Professor.
Registro.
É legal a aposentadoria de professor,
desde que preenchidos os requisitos do art.
6º da Emenda Constitucional Federal nº
41/2003.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006013371, que
trazem a Portaria nº 3671e o Despacho nº
5716/SECC, com os quais o Secretário da
Casa Civil, concedeu a Graciane Aparecida
Siqueira aposentadoria no cargo de
Professor IV, Referência “D”, do Quadro
Permanente do Magistério Público
Estadual, na quantia anual e integral de R$
37.227,75 (trinta e sete mil, duzentos e
vinte e sete reais e setenta e cinco
centavos), assim discriminados:
Vencimento (210h) - de R$ 21.898,68 (vinte
e um mil, oitocentos e noventa e oito reais
e sessenta e oito centavos), Gratificação
de Titularidade (30%) - R$ 6.569,60 (seis
mil, quinhentos e sessenta e nove reais e
sessenta centavos) e Gratificação Adicional
referente a 5 (cinco) quinquênios (40%) -
R$ 8.759,47 (oito mil, setecentos e
cinquenta e nove reais e quarenta e sete
centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações do Serviço de Registro
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
36
de Atos de Pessoal, da Procuradoria de
Contas e da Auditoria, em considerar legal
o ato de concessão de aposentadoria da
Sra. Graciane Aparecida Siqueira, no cargo
de Professor IV, Referência “D”, da
Secretaria de Estado da Educação, com
proventos integrais, determinando o seu
registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006013783/204-01

Acórdão 2794/2013
Ementa: Aposentadoria. Professor IV
referencia “B”. Registro.
É legal a aposentadoria de Professor IV,
referência “B”, desde que preenchidos os
requisitos do art. 6º da Emenda
Constitucional 41/03.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006013783,
que trazem a Portaria nº 661, de 19 de
março de 2012, e o Despacho nº
1375/SECC, de 22 de março de 2012, por
meio dos quais, com fundamento no art. 6º,
incisos I a IV, e 7º, da Emenda
Constitucional Federal nº 41, de 19 de
dezembro de 2003, este último dispositivo
aplicado por força do art. 2º da Emenda
Constitucional nº 47, de 05 de julho de
2005, e no art. 56, incisos I a V, e parágrafo
único, da Lei Complementar nº 77, de 22
de janeiro de 2010, combinados com os
arts. 37, inciso XIV, da Constituição
Federal, alterado pela Emenda
Constitucional nº 19, de 04 de junho de
1998, 95, inciso XIX, da Constituição
Estadual, e 47, parágrafo único, da Lei nº
13.909, de 25 de setembro de 2001, foi
concedida aposentadoria à servidora
LUCIA HELENA RODRIGUES DE SOUZA
COELHO, no cargo de Professor IV,
Referência “B”, do Quadro Permanente do
Magistério Público Estadual; e fixou-se os
proventos na quantia, anual e integral, de
R$ 37.560,18 (trinta e sete mil, quinhentos
e sessenta reais e dezoito centavos), assim
discriminada: VENCIMENTO (210h)- R$
27.822,36 (vinte sete mil, oitocentos e vinte
dois reais e trinta e seis centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL, referente a
05 (cinco) quinquênios (35%)- R$ 9.737,82
(nove mil, setecentos e trinta e sete reais e
oitenta e dois centavos), e
Considerando o relatório e voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos membros que integram
sua Primeira Câmara, presumindo a
legitimidade e a veracidade da
documentação constante dos autos e
diante das razões expostas pelo Relator e
das manifestações compostas pelo Serviço
de Registro de Atos de Pessoal, pela
Procuradoria de Contas e pela Auditoria,
em considerar legal o ato de
aposentadoria, no cargo de Professor IV,
Referência “B”, da Sra. LUCIA HELENA
RODRIGUES DE SOUZA COELHO, da
Secretaria de Estado da Educação, com
proventos integrais, determinando o seu
registro, para que surta os efeitos de
direito.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006020852/204-01

Acórdão 2795/2013
Ementa: Aposentadoria. Cumprimento dos
requisitos constitucionais e legais
pertinentes. Legalidade e registro do ato.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos, de nº 201100006020852,
que tratam da análise da legalidade, para
fins de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria da servidora
Maria de Célia Lopes da Silva Amaral, no
cargo de Professor IV, Referência “F”, da
Secretaria de Educação do Estado de
Goiás, cujos proventos foram fixados na
quantia, anual e integral, de R$ 39.871,02
(trinta e nove mil, oitocentos e setenta e um
reais e dois centavos), composta de:
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
37
Vencimento (210h): R$ 22.783,44 (vinte e
dois mil, setecentos e oitenta e três reais e
quarenta e quatro reais), Gratificação de
Titularidade (30%): R$ 6.835,03 (seis mil,
oitocentos e trinta e cinco reais e três
centavos) e Gratificação Adicional,
referente à 06(seis) quinquênios (45%): R$
10.252,55 (dez mil, duzentos e cinquenta e
dois reais e cinquenta e cinco centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, em julgar legal o ato
administrativo de concessão de
aposentadoria da Sra. Maria de Célia
Lopes da Silva Amaral, no cargo de
Professor IV, Referência “F”, da Secretaria
Estadual da Educação, determinando o seu
registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações, para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006021132/204-01

Acórdão 2796/2013
Ementa: Verificação da legalidade de ato
administrativo concessivo de
aposentadoria. Cumprimento dos requisitos
constitucionais e legais pertinentes.
Legalidade e registro do ato.
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos de nº 201100006021132,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de concessão de
aposentadoria da servidora Maria Irene
Nunes do Carmo (Portaria nº 25, de 18 de
janeiro de 2012) no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-III”, do Quadro de Pessoal
da Secretaria da Educação, cujos
proventos foram fixados pelo Secretário da
Casa Civil, através do Despacho nº
246/SECC, na quantia anual e integral de
R$ 10.092,93 (dez mil, noventa e dois reais
e noventa e três centavos), assim
discriminados: VENCIMENTO (180h): R$
7.209,24 (sete mil, duzentos e nove reais e
vinte quatro centavos) e GRATIFICAÇÃO
ADICIONAL referente a 6 (seis)
quinquênios (40%): R$ 2.883,69 (dois mil,
oitocentos e oitenta e três reais e sessenta
nove centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal, Ministério
Público de Contas e da Auditoria, em julgar
legal o ato administrativo de concessão de
aposentadoria de Maria Irene Nunes do
Carmo no cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, Referência “G-III”,
do Quadro de Pessoal da Secretaria da
Educação, com proventos integrais,
determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006025714/204-01

Acórdão 2797/2013
Ementa: Verificação da legalidade de ato
administrativo concessivo de
aposentadoria. Cumprimento dos requisitos
constitucionais e legais pertinentes.
Legalidade e registro do ato.
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro, concomitantemente
ao registro dos atos de admissão e
exoneração.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos de nº 201100006025714,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de concessão de
aposentadoria da servidora Divina Dionízio
dos Reis (Portaria nº 1.099, de 26 de abril
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
38
de 2012, publicada no Diário Oficial/GO nº
21.335, de 26/04/2012), no cargo de
Professor III, Referência “C”, do Quadro
Permanente do Magistério Público
Estadual, cujos proventos foram fixados
pelo Secretário da Casa Civil, através do
Despacho nº 2013/SECC (fl. TCE 037), na
quantia anual e integral de R$ 25.484,38
(vinte e cinco mil, quatrocentos oitenta
quatro reais e trinta oito centavos), assim
discriminados: VENCIMENTO (157h) - R$
18.877,32 (dezoito mil, oitocentos setenta
sete reais e trinta dois centavos) e
GRATIFICAÇÃO ADICIONAL referente a 5
(cinco) quinquênios (35%) - R$ 6.607,06
(seis mil, seiscentos sete reais e seis
centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as
manifestações compostas pelo Serviço de
Registro de Atos de Pessoal, Ministério
Público de Contas e da Auditoria, em julgar
legal o ato administrativo de concessão de
aposentadoria de Divina Dionízio dos Reis,
no cargo de Professor III, Referência “C”,
do Quadro Permanente do Magistério
Público Estadual com proventos integrais,
determinando o seu registro,
concomitantemente aos registros dos
seguintes atos:
a) o ato de admissão da servidora no cargo
de Porteiro Servente;
b) o ato de exoneração da servidora no
cargo de Porteiro Servente;
c) o ato de admissão da servidora no cargo
de Professor Nível AD-I.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006034441/204-01

Acórdão 2798/2013
Ementa: Verificação da legalidade de ato
administrativo concessivo de
aposentadoria. Cumprimento dos requisitos
constitucionais e legais pertinentes.
Legalidade e registro do ato.
O ato concessivo de aposentadoria que
cumpre os requisitos constitucionais e
legais merece registro.
Vistos, expostos e oralmente discutidos os
presentes autos de nº 201100006034441,
que tratam da análise, para fins de registro,
do ato administrativo de aposentadoria da
servidora Eunice Rodrigues Modesto, no
cargo de Agente Administrativo
Educacional de Apoio, referência G-I, cujos
proventos, pelo Despacho nº 1549/SECC,
do Secretário da Casa Civil, foram fixados
na quantia anual e integral de R$ 7.649,21
(sete mil, seiscentos quarenta e nove reais
e vinte um centavos), assim discriminados:
VENCIMENTO (180 h) - R$ 5.463,72 (cinco
mil, quatrocentos sessenta três reais e
setenta dois centavos) e GRATIFICAÇÃO
ADICIONAL referente a 06 (seis)
quinquênios (40%) - R$ 2.185,49 (dois mil,
cento oitenta cinco reais e quarenta nove
centavos), e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas pelo Relator, e das manifestações
do Serviço de Registro de Atos de Pessoal,
Procuradoria de Contas e Auditoria, em
julgar legal o ato administrativo de
concessão de aposentadoria de Eunice
Rodrigues Modesto, no cargo de Agente
Administrativo Educacional de Apoio,
Referência “G-I”, do Quadro de Pessoal da
Secretaria da Educação, com proventos
integrais, determinando o seu registro.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 201100006035333/204-01

Acórdão 2799/2013
Tribunal de Contas do Estado de Goiás - Diário Eletrônico de Contas - Ano - II - Número 178 Goiânia, quarta-feira, 18 de dezembro de 2013.
39
Ementa: Verificação dos atos
administrativos de rescisão, exoneração,
admissão e concessão de aposentadoria.
Cumprimento dos requisitos constitucionais
e legais pertinentes. Legalidade e registro
dos atos.
Os atos de rescisão, exoneração, admissão
e concessão de aposentadoria que
cumprem os requisitos constitucionais e
legais merecem registro perante o Tribunal
de Contas do Estado.
Vistos, oralmente expostos e discutidos os
presentes autos nº 201100006035333, que
tratam da análise da legalidade, para fins
de registro, do ato administrativo de
concessão de aposentadoria do Sr. Elson
Antônio Dias Campos, no cargo de
Professor IV, Referência “A”, da Secretaria
de Educação do Estado de Goiás, sendo
que, pelo Despacho n.º 1634/SECC (fl.
TCE 29) teve os proventos fixados pelo
Secretário da Casa Civil, na quantia anual
e integral de R$ 35.459,89 (trinta e cinco
mil, quatrocentos e cinquenta e nove reais
e oitenta e nove centavos), assim
discriminados: VENCIMENTO (210h) - R$
27.276,84 (vinte e sete mil, duzentos e
setenta e seis reais e oitenta e quatro
centavos) e GRATIFICAÇÃO ADICIONAL
referente a 06 (seis) quinquênios (30%) -
R$ 8.138,05 (oito mil, cento trinta e oito
reais e cinco centavos);
Considerando que os atos de exoneração e
rescisão, exoneração e admissão não
foram registrados nesta Corte, e
Considerando o relatório e o voto como
partes integrantes deste,
ACORDA,
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos integrantes de
sua Primeira Câmara, ante as razões
expostas, amparado nas manifestações do
Serviço de Registro de Atos de Pessoal, do
Ministério Público de Contas, e da
Auditoria, assim acolhidas pelo Relator,
em julgar legais os atos administrativos de
rescisão, no cargo de Assistente de Ensino
Médio; exoneração, no cargo de Professor
Assistente Nível “D”; admissão, no cargo
de Professor III, Referência “Base” e de
aposentadoria, no cargo de Professor IV,
Referência “A”, do Sr. Elson Antônio Dias
Campos, da Secretaria de Educação do
Estado de Goiás, determinando os
respectivos registros nesta Casa.
Ao Serviço de Publicações e
Comunicações para as providências a seu


Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Presidente), Kennedy de Sousa
Trindade (Relator) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.
Processo julgado em: 17/12/2013.

Processo - 200800047000531

Acórdão 2800/2013
Ementa: Relatório de Inspeção. Área de
Transportes. Arquivamento. Lei nº
16.168/07.
VISTOS, expostos e discutidos estes Autos
nº 200800047000531, que trazem o
Relatório de Inspeção Externa nº 006/2008,
realizado pela Equipe Técnica da Primeira
Divisão de Fiscalização, junto ao Instituto
de Previdência do Estado de Goiás -
IPASGO, objetivando a análise na área de
transporte, no que diz respeito à aquisição,
locação, movimentação e guarda dos
veículos.
Considerando os termos do Relatório e
Voto apresentados que passam a fazer
parte desta decisão.
ACORDA
o TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
DE GOIÁS, pelos votos dos Membros
integrantes da Primeira Câmara, ante as
razões expostas pela Relatora, adotando
os entendimentos da Unidade Técnica,
Ministério Público de Contas e da Auditoria,
em conhecer o Relatório de Inspeção nº
006/2008, e determinar o arquivamento do
presente feito, nos termos do art. 99, inciso
I da Lei nº 16.168/07 (Lei Orgânica TCE),
ante a inexistência de ilegalidade.
À Secretaria Geral para providências a seu
cargo.
Presentes os Conselheiros: Carla Cintia
Santillo (Relator), Kennedy de Sousa
Trindade (Presidente) e Flávio Lúcio
Rodrigues da Silva (Art. 143, Parágrafo
único RITCE).
Representante do Ministério Público de
Contas: Maisa de Castro Sousa
Barbosa.
Sessão Ordinária da Primeira Câmara Nº
44/2013.

Fim da publicação.