You are on page 1of 18

Teste drive

Tudo começou pelo MSN. Eu Joana tinha uma vontade enorme de colocar um piercing no
clitóris e conversando com meu tatuador e body piercing Henrique, perguntei o que
achava da ideia. Ele disse que achava muito sexy o piercing e que se eu colocas
se ele também colocaria um nele. Entramos no assunto, ele me perguntou o que eu ac
hava dele colocar um também e eu como não podia perder a oportunidade, disse a ele q
ue ficaria sexy também, mas que tinha um porém, que eu teria que ver depois de pront
o já que o meu ele iria ser o primeiro a ver né?! Ele também não perdendo tempo, fala pr
a mim, que pra ficar completo só fazendo teste drive e eu não perdi a chance de fala
r que teriamos que fazer um teste drive pré e outro pós piercing e ele não ficou pra t
rás, concordou com tudo.
Ficou por isso a nossa conversa, demorei marcar pra colocar o tal piercing e o H
enrique pensou até que eu tinha desistido da ideia.
Aí um belo dia, ligo pra ele e marco a perfuração. Claro, marquei em um horário onde não t
eria ninguém no estúdio, apenas eu e ele. Cheguei lá toda tensa, com medo da dor, anci
osa e com vontade de pegar o Henrique. Andei de um lado para o outro no estúdio, e
stava travada e não sabia o que fazer pra deixar o clima melhor. O Henrique se apr
oximou e falou e se eu te der um beijo, te acalma mais? Nem deu tempo de respond
er, já estavamos nos beijando e nos pegando. Ele tirou a minha roupa e me sentou n
a cadeira, colocou tudo na minha boca, que delicia de cacete, que delicia de bei
jo, que delicia do Henrique. Depois me colocou na cama onde faria a perfuração e me
chupou, que delicia de lingua, que boca ... Aquele clima tenso tinha passado, el
e me comeu ali mesmo na mesma onde ia colocar o meu piercing. Me fez sentir um p
razer, uma excitação diferente, me tocava, me beijava deliciosamente, intensamente.
Nos deliciamos ali, no estudio de tatuagens dele. Um fetiche e tanto, pegar o ta
tuador em seu próprio estudio. O Henrique gozou muito e me deu muito prazer. Depoi
s, veio o trabalho, ele retocou uma tattoo e colocou o tal piercing em mim e o m
elhor, fez tudo isso de cueca e eu nua em cima da cama, sentindo cada toque dele
. E de acordo com o combinado, faltava ele, colocar o piercing pra gente fazer o
pós ja que o pré ja havia rolado ali mesmo. Pensei que ele não teria coragem, mas ele
teve, o ajudei e ele colocou o piercing. Ahhhh como ficou excitante, piercing n
o mamilo e agora no cacete. Se eu soubesse que o Henrique era tão bom assim, tinha
insunuado a mais tempo pra ele. Agora estamos esperando ambas perfurações cicatriza
rem, pra fazermos o teste drive pós piercing. Foi delicioso, cheguei na faculdade
e todo mundo perguntando por onde andei, cheguei com uma cara de satisfação e felici
dade que todos perceberam, só não sabiam que tudo isso era graças ao Henrique que me f
udeu gostoso.
Fudida pelo porteiro amigo do meu pai
Este fato aconteceu quando estava com 18 anos, hoje tenho 25, vou usar nomes fic
tícios. Já tinha um corpo definido, seios grandinhos mamilos saltados coxas grosas e
bumbum que chamava atenção de todos... um dia cheguei da escola encontrei meu pai c
onversando com um homem... papai me apresentou... Ana esse é o Alfredo meu amigo q
ue a partir de amanhã vai trabalhar no prédio como porteiro... estendi a mão trocamos
algumas palavras e fui para meu quarto... mais tarde enquanto jantávamos papai com
entou que Alfredo era seu amigo de anos fazia um tempo que não se via e agora ele
viera lhe procurar estava passando por uma situação financeira muito difícil era viúvo e
papai como era sindico do prédio resolveu ajudar o amigo... Alfredo amigo do meu
pai, estava com 39 anos muito bem conservado aparentava uns 33 anos cabelos um p
ouco grisalho.. ele ficava na portaria do prédio e iria morar no apartamento desti
nado ao porteiro... sempre muito gentil ficava na portaria recebendo e distribui
ndo as cartas dos moradores muito solicito ajudava a levar as compras e coisas d
o gênero... com o tempo passei a simpatizar como o seu Alfredo como o chamava... q
uando chegava do escola ficava no balcão da portaria conversando com ele... e mais
tarde as vezes levava um prato de comida que mamãe preparava... uma noite me apro
ximei do balcão trazia o prato de comida ele esva distraído a tv ligada subi o tapum
e ele ainda não havia percebido quando me aproximei o peguei olhando uma revista d
e mulher pelada ao mesmo tempo que ele passava a mão no pau por cima da calça... qua
ndo me viu arregalou os olhos fechou rápido a reista colocando em baixo do jornal.
. eu sorri e coloquei o prato de comida... ele ficou agradeceu e depois todo con
strangido me segurou a mão pedindo, não sei bem o que me deu na hora, pena, uma repe
ntina atração, eu entrelacei meus dedos com os dele e com a outra mão passei no seu ro
sto em uma carícia suave e depois dei um beijinho no rosto e falei que não contaria
nada.. ele correspondeu ao sorriso e me deu uma olhada de cima a baixo que me ar
repiou.. o sr não vai comer? Esta esfriando... há sim disse largando minha mão dando u
ma primeira garfada... hum que delicia a sua mãe cozinha muito bem... fiquei ao la
do peguei o jornal colocando em cima do balcão filheando deixando a revista a vist
a... ele abriu a gaveta para guardar a revista eu o inpedi.. deixa ai afinal não t
em nada de mal... ele sorriu mais uma vez continuando a jantar... dando uma desv
iada de olho para a revista ao mesmo tempo que percebia que ele dava uma olhadin
ha para meu bumbum e coxas, estava usando um short mas nada de ousado... depois
de alguns minutos fechei o jornal... posso ver a revista... ele disse que sim...
deixei na parte de baixo do balcão e fui dando umas folheadas.. encontrando fotos
de mulheres em possos sensuais e depois nuas.. na segunda parte da revista havi
a fotos de garotas mais novas 18 20 anos... quase ao final da revista havia uma
seção de contos eróticos e passei os olhos de leve... se vc quiser pode levar para ler
no seu quarto... se vc gosta desse tipo de literatura tem uns relatos bem inter
essantes.. é que fica meio difícil entrar com a revista respondi... coloca por baixo
da camiseta um pouco mais pra baixo no short... sugeriu me olhando nos seios..
vai Ana experimenta... dei uma olhadinha pros lados levantei um pouco a camiseta
fazendo como sugeri... o geladinho da revista com a minha pele na barriga me ar
reipou de vês e meus biquinhos saltaram marcando a camiseta.. ele olhou diretament
e... ficou ótimo ninguém vai perceber nada... então ta amanhã eu devolvo... peguei o pra
to o copo com suco e fui embora dando uma reboladinha... entrei em casa meus pai
s assistiam tv... larguei o prato e o copo na cozinha e fui direto para meu quar
to colocar a revista em lugar seguro... mais tarde quando me deitei peguei a rev
ista folheando admirando os corpos das mulheres e das garotas e depois lendo os
relatos comecei a me excitar... tirei a camiseta a calcinha e com a outra mão livr
e comecei a passar e acariciar meus seios desci para a xoxota passando os dedos
nos lábios o clitóris ficou saltado durinho e fui curtindo a leitura sentindo minha
xoxotinha na não mais virgem ficar cada vez mais molhada... e me masturbei atingin
do um orgasmos gostoso ao final do ultimo relato. No dia seguinte a noite quando
fui levar o jantar para seu Alfredo junto levei a revista.. então Aninha gostou d
os relatos? bem interessantes... respondi... eu usava um outro short um pouco ma
is curto realçando meu bumbum... senti seu olhar para meu corpo e aquilo sem dúvidas
me arrepiou e meus seios denunciaram meu estado... ele deu a primeira garfada e
abrindo a gaveta tirou outra revista... essa tem uns relatos bem interessantes.
. enquanto ele jantarva eu ia folheando a revista... lendo um e outro relato enq
uanto ele jantava.. quando terminou me olhou perguntando se havia gostado... fal
ei que sim... e virei a pagina onde aparecia uma seqüência de fotos de uma garota in
icialmente com minissaia curta uma camiseta que dava para perceber sem sutiã e ia
se mostrando ate aparecer de calcinha... linda que corpo... falou ele me olhando
.. muito bonita há se eu tivesse um corpo assim... comentei... com todo respeito A
ninha vc tem um corpo lindo... sorri pra ele... o senhor acha mesmo? claro que s
im... me olhou de baixo pra cima... ele acendeu um cigarro eu fumava escondido d
os meus pais e pedi um cigarro ele me deu acendi escodendo atrás do balcão... e fica
mos meio escondidos naquela clima de cumplicidade... ele começou a fazer algumas c
omparações com as fotos e meu corpo iniciando pelas coxas... bumbum e seios... fique
i um pouco sem jeito mas ao mesmo tempo me sentindo excitada... então ele foi ousa
do e colocou a mão no meu joelho e foi subindo pela coxa ate meu bumbum por trás ape
rtando de leve eu suspirei... gostando do seu toque ousado ele tbm percebeu come
ntando.. vc tem uma pele muito macia Aninha... pequei a revista escondendo junto
ao meu corpo o prato o copo e fui para a casa... no dia sequinte quando cheguei
do colégio mamãe me falou que papai chegaria mais tarde.. jantamos ela serviu o pra
to do seu Alfredo eu levei usava uma saia mais curta e uma blusa de alcinhas col
ada no corpo destacando mais meus seios... ele sorriu ao me ver elogiando minha
roupa falando que destacava meu corpo... coloquei o prato sobre o balcão... conver
samos um pouco entreguei a revista... ele perguntou seu havia gostado... respond
i que sim ele abriu a gaveta tirando outra... fui folheando enquanto ele jantava
... comentando os corpos das mulheres que apareciam a cada foto... quando termin
ou de jantar puxou a cadeira mais para perto... em uma foto aparecia uma garota
passando creme no corpo... ele comentou algo sobre hiudratar a pele e coisas ass
im... então passou a mão de leve no meu braço... fiquei quietinha ele segurando minha
mão acariciando de leve meu abraço que estava esticado para baixo... meus biquinhos
ficaram erijecidos marcando a blusa... ele olhando tudo aquilo me deixava excita
da... então ele levou a mão tocando minha perna na altura do joelho... suspirei de l
eve sem tirar os olhos da revista.. com toques leves sua mão foi subindo para minh
a coxa... que pele macia Aninha vc tbm passa creme? Falei que sim sempre após o ba
nho;; -- que delicia menina... em uma outra pagina havia uma garota usando chort
inhos bem curtos e minissaias... então ele comentou que aquela saia era parecida c
om a minha... ai seu Alfredo a minha não é tão curta assim... é uma pena vc tem pernas l
indas... a mão subiu mais por trás entrando por baixo da saia... ai seu Alfredo... f
alei dando uma viradinha... deixa Aninha vc esta fazendo um velhinho muito feliz
... velinho é? Olhando para o volume sobre a calca... desculpe Ana mas não posso evi
tar de ficar assim... tudo bem isto é natural... e fiquei olhando ele que esfregav
a o pau sobre a calca... apertando pro lado destacando o volume... voltei a olha
r a revista onde havia algumas garotas de calcinha... acho a calcinha a parte ma
is sexi linda ainda mais enfiadinha no bumbum... sorri pra ele... que voltou a p
assar a mão na minha coxa... vc tem um bumbum lindo... bumbum não tenho é uma mala...
que nada deixa eu ver e foi levantando meu vestido... ta louco seu Alfredo alguém
pode aparecer... ele deu uma risadinha voltando a acariciar minha coxa... queren
do saber detalhes da minha calcinha... eu estava adorando aquela situação já me sentia
molhadinha nunca estivera com um homem mais velho que tinha idade para ser meu
pai mas sempre tivera uma quedinha na escola costumava provocar meus professores
mais velhos junto com algumas amigas e adorávamos ver que surgia aquele volume na
s calcas eles ficavam todos sem jeito disfarçando depois eu e minhas colegas riamo
s muito ao mesmo tempo excitadas. Tinha duas colega da minha idade que já havia tr
ansado com um professor e outra com um tio e as duas me falavam que era mais gos
toso transar com um coroa do que com os garotos da nossa idade, que os coroas não
tinham aquela preça dos meninos e curtiam mais as preliminares muito importante pa
ra toda mulher... quando os dedos dele chegaram ao inicio da minha bunda reclame
i outra vez de forma mais dengosa mas não me afastei a mão subiu passando no meu bum
bum por cima da calcinha... hum que maravilha Aninha... deixa eu ver deixa... pa
ra seu Alfredo mas que coisa... falei segurando sua mão... ta agora chega... quand
o fui pegar o prato ele segurou minha mão... deixa eu ir seu Alfredo... dei uma ol
hadinha pra calca dele nossa que volume estava ficando curiosa... ele segurou mi
nha mão me fazendo um pedido... Aninha me da a tua calcinha? -- como é? Falei totalm
ente surpresa com seu pedido ao mesmo tempo achando engraçado... e rindo... é isto m
esmo deixa ela comigo amanhã eu devolvo quero ficar curtindo olhando sentindo seu
perfume... mas o senhor hem... há Aninha faz isto pro seu amigo velinho... hum de
velinho não tem nada disse olhando mais uma vez pro pau dele... que pegou minha mão
levando a boca beijando... vai ali na escada e tira a calcinha... ri mais uma ve
z não estava acreditando naquele pedido maluco mas ao mesmo tempo excitante.. então
resolvi atender.... entreguei a cacinha pra ele peguei o prato e o copo e voltei
para meu apartamento... fui direto pro meu quarto tranquei a porta tirei a roup
a me deitando... nossa meu corpo estava pegando fogo... levei os dedos a minha x
oxota a outra mão acariciando os seios, fechei os olhos vindo a visão do volume na c
alça do seu Alfredo... ai que tesão estava sentindo... enfiei um dois dedos na xoxot
a movimentando... aquela minha amiga que havia transado com o tio dela me falou
que havia pego ele se masturbando com suas calcinhas no banheiro... coisas de ho
mens... era estranho mas muito excitante... continuei a me masturbar bem gostoso
nossa que tesão aquele velho safada me dava, atualmente estava sem namorado fazia
mais de dois meses que não transava... só consegui pegar no sono depois de gozar pr
ofundamente. No dia seguinte passei no maior frisom na escola comentei com minha
amiga Claudia o que estava rolando... claudinha ficou louca me chamando de puti
nha safada e disse que se fosse ela já tinha dado pro seu Alfredo... Cladinha tbm
era bem safada ela havia dando pro tio e ate pra um amigo do tio dela ao mesmo t
empo... nos dávamos super bem e sempre dividíamos nossos segredos e intimidades... q
uando voltei da escola seu Alfredo me comprimento todo formalmente ate porque o
porteiro do dia estava saindo... seu Alfredo trabalhava na portaria das 17 horas
ate a meia noite... tomei um banho escolhi uma calcinha bem mais sexi pequena a
jeitei ela enfiando no rego... um sutiã tipo meia taça... usei um vestido abotoado n
a frente pelo meio das coxas. Naquela noite um casal amgos dos meus pais iria ja
ntar conosco... fui para a cozinha ajudar mamãe, passado uma hora papai chegou com
seus amigos... mamãe foi fazer sala enquanto eu terminava o jantar... mais tarde
após jantarmos servi um prato e levei para o meu porteiro safado... oi querida hum
comida expecial, estou morto de fome... então aproveita que eu ajudei a mamãe a faz
er o jantar... hum deve estar uma delicia assim como vc... disse ele beijando me
u braço antes da primeira garfada... ele abriu a gaveta tirando outra revista... e
ssa era mais safada ainda tinha fotos de transas... fui dando uma olhada enquant
o ele jantava... depois de jantar ele foi se chegando e passou a mão na minha bund
a por cima do vestido... hum ta sem calcinha querida? claro que não né? Ela é pequenin
ha... hum assim vc me deixa louco menina... ri do seu jeito olhando pra baixo...
ainda bem que hoje o senhor esta mais calmo... mas já vou ficar daquele jeitinho.
.. e começou a esfregar a mão no pau de forma descarada ajeitando pro lado de forma
que o volume ficava mais visível sobre o tecido... puxa seu Alfredo mas o senhor h
em... é vc que me deixa assim minha menina linda... sente só como ele esta... e pega
ndo minha mão levou ate o cacete... meus dedos pressionaram senti duro e um tamanh
o considerável mas resolvi tirar a mão ao mesmo tempo que ele já acariciava livremente
minhas coxas... ai Aninha não agüento mais quero te ver todinha vamos no meu aparta
mento quando sair da portaria... não da como vou justificar pros meus pais sair a
meia noite mas eu acho que meus pais vão levar os amigos em casa... ele sorriu pra
mim... hum ótimo querida assim que eles saírem vou pro meu apartamento te esperar..
. mas o senhor promete que vai se comportar direitinho? claro que sim querida só q
uero ver esse corpo lindo gostoso... eu não posso me demorar muito esse casal não mo
ra muito longe... tudo bem Aninha tudo o que vc quiser. Voltei pro casa, eles já h
aviam tomado cafezinho fui para cozinha lavar a louça... passado um tempo mamãe diss
e que iriam levar seus amigos em casa e não demorariam... estava ansiosa... fui a
janela controlar a saída do carro na garagem.. alguns minutos bati a porta do seu
Alfredo que me recebeu todo sorridente... segurando a mão me fez entrar... nossa s
ua mão ta gelada, não precisa ficar nervosa Aninha... sorri pra ele que me ofereceu
uma bebida servindo mais campari... tomei dois goles já me sentindo mais calma após
alguns minutos... depois me pegou pela mão levando ate uma estante onde havia um a
quário grande... fiquei olhando os peixinho ele comentando sobre cada espécie e mais
alguns detalhes... foi se aproximando por trás lentamente ate que senti seu corpo
encostado no meu, ele puxou meus cabelos pro lado e começou a dar beijinhos no ro
sto descendo para o pescoço falando palavras de carinho... senti minha pele se arr
epiar toda suspirei seus braços envolveram minha cintura pressionando contra o vol
ume sua mão foi subindo ate que tocou meu seio por cima do vestido, ficamos assim
um bom tempo eu já me sentia mais a vontade ele foi me virando de frente me abraçou
suas mãos passando em minhas costas descendo acariciando meu bumbum por cima do te
cido os dedos acompanhando a calcinha então me beijou... nossa como ele beijava go
stoso sua língua invadiu minha boca vasculhando cada centímetro... quando nos afasta
mos estava ofegante... ele começou abrir os botões do meu vestido fiquei um pouco se
m jeito mas ele sabia como me deixar mais calca logo meu vestido foi retirado el
e me abraçou estava sem camisa o peito peludo diferente dos garotos que são todos li
zinho.. ele deu um passo pra trás olhando meu corpo... mexi nos cabelos ele sorriu
... nossa que corpo lindo Aninha... dei uma risadinha ai seu Alfredo... falei se
m jeito... ele me abraçou novamente me beijando a boca o pescoço passando as mãos na m
inha bunda nos seios por cima do sutiã me deixando molhadinha.. já havia passado mei
a hora e o tempo estava terminando... nos abraçamos mais uma vez outo beijo sentia
seu perfume aquele cheiro de macho de verdade, ele voltou a me virar de costas
esfregando o cacete na minha bunda sempre me elogiando.. hum é uma tesão Aninha que
bundinha gostosa... bundinha nada, tenho um bundao... essas foram as minhas prim
eiras palavar desde que começou a me abrçar... ele se agachou atrás beijando meu bumbu
m passando a língua no rego por onde a calcinha sumia as mãos acariciando minhas cox
as os dedos passando na virilha mas não tocando meu ventre e isto aumentava mais m
eu estado de excitação... então ele levantou beijou meu pescoço a orelha... agora quero
ver esses seios... abriu o fecho e lentamente foi baixando as alças as mãos envolver
am meus seios apertando os biquinhos ficaram mais duros ainda ele me virou eu su
spirei profundamente... ele ficou olhando que seios lindos querida... ficou um t
empo passando a mão nos meus seios passando os dedos nos bicos depois aproximou o
rosto e com a ponta da língua passou em volta do mamilo nossa que delicia depois s
ugou o biquinho e mais tarde abriu a boca sugando o que podia do meu seio... nos
sa senti a calcinha molhar mais ainda... os dedos desceram a tocaram a minha xox
ota por cima do fino tecido da calcinha gemi apertando a cabeça contra meu peito..
. ele me levou ate a mesa fazendo sentar e depois deitar sobre a mesa e ficou ao
lado beijando a boca os seios enquanto os dedos tocavam mais direto a minha xox
ota por cima da calcinha, seus lábios deslizavam cada centimetro pela minha pele c
om a ponta da língua tipo zigue e zague ate minhas coxas passando na virilha eu ge
mendo quase gozando... ele dei vários beijinhos na minha calcinha então puxou pro la
do.. que xoxotinha linda tem a minha menina... quando ele tocou com a ponta da lín
gua meu clitóris dei um gemido e um gritinho e senti gozar.. ele sorriu e passou a
língua em toda a minha rachinha de baixo a cima repetindo varias vezes depois abr
iu os lábios sugando meu clitóris preedendo com sua boca um e outro lábios e depois en
fiando a língua pelo canal onde me senti preenchida nossa que linguao gostoso fiqu
ei louco ele me chupando e novamente gozei... ele levantou minhas coxas e sua líng
ua desceu ate meu cuzinho... ai que delicia... falei entre gemidos e suspiros...
sua língua passou em volta e forçou a entrada... fiquei louca, nunca tinha recibido
uma carícia no cuzinho muito menos um cacete era virgem ali, só sendo penetrada por
meus dedinhos quando me masturbava... ele voltou a sugar minha xoxota me fazend
o gozar mais uma vez... me lembrei da minha amiga claudinha falando que transar
com um coroa era mais gostoso que com os garotos.. seu Alfredo era muito experie
nte fazia tudo com muita calma e carinho me dando muito tesão... isto era bom mas
ao mesmo tempo a hora de ir pra casa se aproximava... falei que meus pais já dever
iam estar retornando... que pena querida eu gostaria de ter muito tempo para fic
ar com vc... eu tbm to adorando mas não posso arrumar confusão com meus pais... ele
passou uma mão nos meus seios me beijou eu sentindo meu próprio gosto pelos seus lábio
s os outros dedos tocando minha xoxota... olha só querida como vc me deixa... ele
abriu o fecho da calão e puxou pra fora o cacete... levei a mão o segurando, era um
pau grande deveria ter quase 20 cm o maior que já segurava estava um pouquinho mol
e.. o puxei virando o rosto dei um beijo na cabeça e depois comecei a chupar famin
damente... que delicia esse cacete.. MINHA menina... suguei aquele pau lambi sen
tindo aquele gostinho salgado na minha boca enquanto ela acariciava meus seios e
a minha xoxota me masturbando bem gostoso me fazendo gozar... então depois de um
tempo ele tirou o pau da minha boca fiquei sem entender.. o que foi não gostou? Es
tou adorando minha meninha safadinha mas esta na hora de vc ir... há não falei me ai
me come um pouquinho... Aninha não pede assim meu amor... ai só um pouquinho seu Al
fredo vem come sua safadinha... só um pouquinho não quero que vc arrume confusão em ca
sa... ele foi para a ponta da mesa puxou minha calcinha pro lado e foi enfiando
o pau... nossa senti aquele cacete ivandindo minha xoxota me sentia toda preench
ida... ai que delicia hum assim vai enfiando... ele foi colocando ate o que eu s
uportei e depois tirou... ai não porque tirou... ta na hora querida não queria que v
c saísse mas fazer o que... dei um suspiro e olhei pro relógio ele estava certo me v
esti trocamos um beijo e fui correndo pra casa... foi só o tempo de entrar e meus
pais chegaram... sabe aquela sensação de ser comida pela metade? Era assim que me se
ntia, tinha que dar um jeito de transar com ele outro dia... nossa aquele homem
era muito gostoso. No dia seguinte contei tudo em detalhes para minha amiga clau
dinha que ficou excitada com meu relato, embora ela fosse putinha fazia algumas
semanas que não transava... quando disse que ele tinha um pau de 20 cm minha amiga
pediu para ir ate minha casa só para conhecer o meu coroa... quando chegamos no p
rédio ele estava na portaria como sempre, me aproximei com minha amiga fazendo apr
esentação... ele esticou a mão e a safada aproximou dando dois beijinhos no rosto o qu
e ele é claro gostou eu fiquei com um pouco de ciúmes... fomos pra minha casa e conv
ersamos... Claudia achou ele um coroa muito bonito.. depois acompanhei minha ami
ga ate a porta do prédio ela deu um tchau pra ele e uma piscadinha de olho, ele so
rriu e falou para ela aparecer... quando retornava ele me chamou ate o balcão... e
ntão querida vc chegou ontem e seus pais? tudo bem seu Alfredo eles não perceberam..
. ele pegou umas chaves se levantando... falou que iria ate a garagem examinar u
m registro me convidando para ir junto... descemos ate a garagem chegando em uma
sala onde havia vários registros hidráulicos dos apartamento... ele olhou testou e
depois me convidou para entrar... me aproximei ele foi se chegando me abraçando po
r trás beijando meu pescoço... para seu Alfredo... o que foi Aninha, não gostou de ont
em? Eu to morrendo de saudades de vc... falava ele me beijando o pescoço esfregand
o na minha bunda.... saudades é, e já tava dando sorrizinhos e piscadinha de olho pr
a minha amiga... ele riu... a muito tempo que alguém não sentia ciúmes de mim... eu so
u ciumenta sim... não precisa ficar com ciúmes minha gatinha linda, vc é mais gostosa
e bonita que sua amiquinha... é sei, homem é tudo igual, apesar que a Claudinha é uma
galinha já foi logo lhe beijando o rosto aquela safada amanhã ela vai ouvir... ele s
orrindo me deu um beijão de língua que me deixou sem fôlego... as mãos acariciaram minha
bunda puxando mais contra seu pau e depois subiu as mãos apertando meus seios...
a sua amiguinha nem tem uns peitos assim lindos como vc... e levantou minha cami
seta... ai seu Alfredo não faz assim não posso demorar... só um pouquinho querida deix
a eu ver esses seios lindos... ele puxou o sutiã pro lado e colou os lábios sugando
meus mamilos os bicos que já estavam duros... suspirei gemi acariciando sua cabeça c
olada ao meu corpo.. levei a mão tocando seu pau por cima da calça... ele suspirou..
. ai que tesão olha como vc me deixa e abriu o fechou tirando o pau pra fora me fa
zendo segurar... seu Alfredo para guarda isso... da uma chupadinha da Aninha...
ai seu Alfredo só uma rapidinha a mamãe ta me esperando... me agachei pegando aquele
pauzao gostoso passando a língua em toda a estençao e depois enfiei o que cabia na
boca.. preendendo com os lábios mexi a cabeça pra frente e pra trás... fiz por uns doi
s minutos e depois o larguei... ai já parou querida... tenho que ir mais tarde qua
ndo trouxer a sua comida a gente brinca mais um pouquinho. Em casa ainda bem que
mamãe não notou nada... tomei meu banho vesti uma saia e blusa... estava ansiosa pa
ra que chegasse a hora de levar o jantar... mais tarde depois que jantamos levei
o prato... ele comecou a jantar e foi passando a mão nas minhas coxas subindo aca
riciando minha bunda por baixo do vestido... eu adorava aquela sacanagem nossa s
entia minha pele arrepiada quente eu ali em pe atrás do balcão ele sentado me tocand
o... falava palavras de sacanagem que me deixava mais tesudinha ainda... abre um
pouco as perninhas querida.. apoiei as mãos não balcão colocando o jornal por cima co
mo se estivesse lendo.. sua mão por trás entrou entre minhas coxas e seus dedos a pr
incipio começaram a tocar minha xoxotinha por cima da calcinha logo ele puxou pro
lado e senti seus dedos passando nos lábios da minha xoxota... hum que delicia a m
inha menininha esta molhadinha.. ai seu Alfredo não judia de mim... gosta é safadinh
a... gosto sim... falei virando mais a bunda pra tras querendo sentir seu dedo..
ele brincou com meu clitóris que sobressaia entre os lábios e depois ele enfiou o d
edo todo na minha xoxota mordi o lábio inferior para abafar um gemido mais alto...
ai me come... falei baixinho... eu não posso sair da portaria... mas eu quero sen
tir o teu pau, vamos na escada rapidinho por favor.. falei choramingando... ele
se levantou... e quando chegamos na escada me virei de costas meu vestido foi su
spenso a calcinha pro lado e senti a cabeça do caralho escorregando pelo canal da
minha xaninha... nossa que delicia.. falei ele deu uma duas cravadas me abraçou be
ijou meu pescoço me pegou pelos seios... gosta é sua safadinha? ai adoro isto assim
me come bem gostoso ai que delicia... ele tirou.. ai não tira não tira enfia vai...
quer é sua putinha vai ser a minha putinha vai... já sou a sua putinha safada... faláv
amos quase susurrando... mas ai alguém acendeu a luz em outro andar a iluminou tod
a a escada, rapidamendo nos recompumos... que merda nossa eu tava quase gozando
bem na portinha... peguie o prato e fui pra minha casa... mamãe me olhou perguntan
do... que cara de braba é essa filho o que aconteceu? Nada mamãe nada... falei indig
uinada fui ao banheiro bater uma siririca para me acalmar. No dia seguinte estávam
os jantando quando papai me pergunta se o seu Alfredo me tratava bem... quanse m
e engasguei com a pergunta e respondi meia que gagejando que sim... ele é respeita
dor nunca falou uma gracinha? claro que não papai, nossa por que o senhor ta me pe
rgutando isto? É que o Alfredo hoje veio me falar algo que ate tem fundamento... d
isse ele que não gostaria mais de jantar ali no balcão e sim no seu apartamento.. é qu
erido eu tbm acho, fica uma coisa meia chata, passa os moradores ou visitas e o
porteiro ali com o prato jantando... disse mamãe... então a partir de hoje vc leva o
prato dele no apartamento mas não precisa ficar esperando ele depois entrega... há
papai o que tem de mais, eu gosto de ouvir suas historias de pescarica... há ele já
te falou sobre isto? é falou sim e disse que vcs já pescaram juntos... é verdade.. dis
se papai comentando algumas coisas rapidamente... nossa fique feliz da vida... q
uando ele abriu a porta estava todo sirridente... então gosou da minha ideia? ador
ei... fechou a porta me abraçando colando a boca na minha... depois coloquei o pra
to sobre a mesa e perguntei com uma carinha safada.. não vai jantar? depois, prime
iro quero comer a sobremessa... em menos de 30 segundos estava nua... ele beijou
meus seios desceu para minha xoxota que estavamolhadissima pasou a língua no meu
cuzinho curtimos um 69 delicioso... ai vem me come por favor to louca pra gozar
bem gostoso desde ontem... afastei as coxas ele veio por cima e cravou o cacete
nossa que felicidade dei um gritinho quando senti todo ate o fundo e gozei... de
pois fui por cima e novo orgasmos... foi uma transa rapidinha mas muito gostosa.
.. Meus pais trabalhavam o dia todo eu dividia as manhas entre curso de inglês e c
uso pré-vestibular.... sabia que as vezes meu amante ficava em casa e naquela manh
a acordei cheia de tesão... havia virado uma verdadeira putinha fazia tudo o que e
le queria... e naquela manha falei para maame que estava meia indisposta, aquela
s coisas de mulher e mamãe aconselhou a ficar em casa pela manha... por volta das
10 horas liguei para ele e fui ao seu apartamento... nossa foi uma delicia ele m
e chupou todinha me fazendo gozar muito na sua boca me comeu em todas as posições...
deipois nos deitamos ele então falou que queria comer a minha bundinha... ai não se
u Alfredo doi minhas amigas já falaram que doi muito... que nada querida eu coloco
u com carinho vc vai gostar... falou já me beijando acariciando todinha... então me
virou de ladinho encostou o pau no meu cuzinho virgem e foi entrando, nossa vi e
strelinhas quando a cabeça entrou mas ele começou a acariciar minha xoxota eu relaxe
i ele entrou mais um pouco e a dor foi dando lugar ao prazer e por fim eu adorei
... um final de semana meus pais viajaram... que maravilha... saíram sábado pela man
ha para um encontro de casais... eu fui para o apartamento do meu amante... me s
entia muito bem ao seu lado.. ele me fez ficar de calcinha o tempo todo... tínhamo
s o dia todo só para nos... enquanto tomávamos uma cervejinha ainda antes do almoço ti
rei o pau pra fora do calção e comecei a chupar.. uma delicia... ele me acariciando.
.. depois me comei a xoxota ai que tesão... come a bundinha... gosta é minha safadin
ha... gosto sim... ele cravou o pau.. ai que delicia isto assim enfia esse cacet
e... assim minha querida meu pau todinho no teu cuzinho... hum que delicia vou g
ozar.. e como gozei naquele dia, dei na cozinha, sala, cama em todos os lugares
foi uma loucura total me senti mulher totalmente satisfeira... um final de seman
a depois havia uma festa de aniversario de uma amiga, claudinha foi comigo e com
binamos de dormir na minha casa... retornamos por volta da meia noite seu Alfred
o sorriu quando entramos nos aproximamos do balcão comentou sobre a festa... não foi
festa só jantar em uma pissaria... respondi.. estava boa a pissa? uma delicia mas
melhor a cerveja.. e com este calor nada melhor eu vou tomar uma vcs querem me
comptanhar? Fiquei meia na duvida e Claudia disse... vamos Ana sua mãe acha que es
tamos na festa ainda... Sentamos no sofá.. ele seviu os copos colocou um som volto
u do quarto usando apenas um calção... percebi o olhar da minha amiga pra o corpo de
le... já havia bebido o suficiente para me deixar alegrinha e logo seu Alfredo com
eçou a me abraçar passando a mão nas minhas coxas... pedi para parar por causa da minh
a amiga... fiquem a vontade faz de conta que não estou aqui... disse ela enquanto
ele virou meu rosto dando uma beijo de língua quando nos separamos ele já havia aber
to minha blusa acariciando meus seios por cima do sutiã... quando ele abriu meu su
tiã acariciando e beijando meus seios, quando abri os olhos Claudia nos olhava ate
ntamente... levei a mão tocando o pau dele tirei pra fora e dei umas chupadas... C
laudia suspirou... olhei pra ela direcionando o pau... vem safada eu sei que vc
ta louca pra chupar ele... minha amiga sem dizer nada aproximou já baixando o rost
o e chupando o cacete enquanto ele me beijava os seios a boca me acariciando tir
ando o resto da minha roupa... depois foi despindo Claudia que não queria largar o
pau parecia ser o ultimo.. ele ficou louco quando viu o corpo dela tipo magra s
eios médios bundinha renda durinha... depois de um tempo não agüentando mais de tesão el
e deitou eu fui por cima ele puxou ela fazendo sentar no seu rosto e começou a chu
par a xoxota da minha amiga... nos demos as mãos as vees nos olhando éramos as duas
só tesão prazer e um momento ela aproximou o rosto e beijou minha boca era a primeir
a vez que eu beijava uma mulher e gostei nos entravamos ela desceu beijando suga
ndo meus seios foi uma loucura... gozei e mudasmo de posição ela demorou um pouco pa
ra se acostumar com o calibre dele mas depois ficou louca subindo e descendo e g
ozou pra valer... ele falou que não estava mais agentando e iria gozar.. então Claud
ia falou para ele gozar na sua boca e começou a chupar... vai Aninha chupa junto c
om a tua amiginha... e nos duas passávamos os lábios língua por todo aquele pauzao ate
que nos beijamos na boca ele ficou louco e voltamos chupar quando ele deu um gr
ito e começou a gozar sobre nossos rostos foi uma delicia nos lambemos colhendo ca
da gotinha do seu gozo.. depois dessa vez tranzamos mais algumas vezes, mas ele
arrumou uma mulher e acabou saindo do predio. Até queria que eu fosse sua amante,
mas isso não era vida pra mim.
sada fogosa
O QUE VOU CONTAR PRA VCS HJ FOI ALGO QUE ACONTECEU COMIGO FAZ UM ANO MAIS OU MEN
OS, NÃO VOU DIZER MEU NOME REAL MAS VOU USAR CAMILA.
SOU CASADA A 5 ANOS E MEIO, TENHO 26 ANOS, MORENA CLARA, CABELOS COMPRIDOS, SEIO
S GRANDES BUNDA ARREBITADA, CINTURA FINA,65 KG TIPO MULHER CAVALONA MODESTA PART
E SOU UMA MULHER ATRAENTE QUE ATRAE OS OLHOS DOS HOMENS, SEMPRE QUE PASSO POR EL
ES PROVOCO SEMPRE ALGUMA REAÇÃO, SOU VICIADA EM SEXO, ADORO MT FODER GOSTOSO, NÃO IMAG
INO MINHA VIDA SEM. EU E MEU MARIDO SEMPRE NOS DEMOS MT BEM NA CAMA, TINHAMOS UM
A QUÍMICA MARAVILHOSA ELE SEMPRE ME LEVAVA A LOUCURA COM SEU JEITO DELICIOSO DE TR
EPAR, SÓ QUE HÁ DOIS ANOS ATRÁS ELE FOI PRESO POR UM CRIME QUE NÃO COMETEU E ATÉ HJ ESTÁ PRE
SO E LÁ ONDE ELE ESTÁ PRESO NÃO É PERMITIDO VISITA ÍNTIMA. ENTÃO APENAS NOS FALAMOS POR TELE
FONE E NOS DIAS DE VISITA QUE VOU VÊ-LO, MAS NA VISITA NADA ACONTECE, POIS TODAS A
MULHERES SÃO OBRIGADAS A ENTRAR USANDO ROUPAS BEM COMPORTADAS E A CALÇA TEM QUE SER
JEANS DE MANEIRA QUE NO MÁXIMO COM MT SACRIFICIO É BATER UMA PUNHETA E ELE ME DÁ UMAS
DEDADAS QUE EU ADORO E CHEGO ATÉ GOZAR, MAS É APENAS ISSO E PRONTO. COMO SOU UMA MU
LHER MT FOGOSA VIVO SEMPRE PENSANDO EM SEXO IMAGINANDO UM MONTE DE BESTEIRAS QUA
NDO VEJO UM HOMEM ATRAENTE, MAS NUNCA DEI MEMNHUMA BOLA PRA NENHUM HOMEM NA RUA
APESAR DA VONTADE, ENTÃO TODAS AS NOITES AO SAIR DO TRABALHO TOMAVA UM BANHO ME MA
STURBAVA IMAGINANDO AS MEMLHORES LOUCURAS E DPS IA PARA FRENTE DO COMPUTADOR E E
NTRAVA EM SALA DE BATE PAPO, SEMPRE ENCONTRAVA UNS CARAS LEGAIS SIMPÁTICOS COM CAR
A DE SAFADOS QUE EU AMAVA, MTS DAS VEZES QUANDO O CARA ME EXCITAVA MT LIGAVA MIN
HA CAM E FAZIAMOS SEXO VIRTUAL ADORAVA ME EXIBIR NA CAM, EU TENHO UM VIBRADOR QU
E LEVAVA OS HOMENS A LOUCURA EM ME VE PENETRANDO AKELA PICA ENORME NA MINHA BUCE
TINHA, RASPADINHA , NOSSA SÓ DE FALAR FICO EXCITADA, ELES FICAVAM BABANDO DO OUTRO
LADO DA CAM, MAS SÓ LIGAVA A CAM DPS QUE EU O VIA PRIMEIRO , PRA TER CERTEZA QUE
NÃO ERA NENHUM CONHECIDO, POIS A CIDADE QUE MORO NÃO É MT GRANDE E PODERIA UM DIA DESS
ES DÁ DE CARA COM UM CONHECIDO NA CAM, UMAS DAS COISAS QUE MAIS ME EXCITA É SER OBSE
RVADA A METER MEU BELO BRINQUEDINHO EM MIM,MAS ATÉ ENTÃO NUNCA HAVIA TRAIDO MEU MARI
DO, A UNICA FORMA DE ME SATISFAZER SEXUALMENTE ERA ESSA, MAS NUNCA NO REAL, ATÉ O
DIA EM QUE CONHECI ROGERIO, UM CARA TBM CASADO DE 35 ANOS, MORENO, NOSSA UM GATO
AKELE HOMEM CONSEGUIA ME TIRAR DO SÉRIO, ME MOSTROU SUA PICA PELA CAM, NOSSA EU B
ABEI, MINHA VONTADE ERA DE MAMA DELICIOSAMENTE ATÉ ELE GOZAR NA MINHA BOCA, ELE AD
ORAVA ME PROVOCAR SEMPRE QUIZ MARCAR UM ENCONTRO, MAS EU TINHA MEDO DE ALGUÉM VÊ. NO
SSAS FODAS PELA NET ME DEIXAVA CADA VEZ MAIS ENCANTADA COM AKELE HOMEM DELICIOSO
, EU JÁ NÃO DORMIA BEM, IMAGINANDO AKELE HOMEM COM AKELA LIGUA MARAVILHOSA ME CHUPAN
DO, DEI MEU TELEFONE PRA ELE ME LIGAR,NOSSA QUIMICA ERA TÃO GRANDE QUE EU GOSAVA C
OM ELE PELO TELEFONE, AKELA VOZ ESTREMECIA TODO MEU CORPO EU JÁ NÃO AGUENTAVA MAIS R
ESISTIR. UM DIA LEVADA PELO TESÃO SAI DO SERVIÇO E RESOLVI IR AO ENCONTRO DESSE HOME
M, ELE HAVIA ME DITO QUE A ESPOSA DELE ESTAVA TRABALHANDO( ELA TRABALHAVA EMBARC
ADA) SÓ VOLTARIA NA OUTRA SEMANA E ME DEU O ENDEREÇO DE SUA RESIDÊNCIA, EU GELEI MAS T
AVA COM MT TESÃO EU TINHA QUE IR AKELE ENCONTRO, COMO EU JÁ ESTAVA MAL INTENCIONADA,
LEVEI NA BOLSA PARA O SERVIÇO UMA CALCINHA LINDINHA PRETA DE RENDA, ONDE SÓ TINHA U
M FIO ATRÁS, CHEGUEI NA CASA DELE ELE ME RECEBEU SUPER BEM ABRIMOS UM VINHO E EU P
EDI PARA TOMAR UM BANHO, POIS ESTAVA SAINDO NAQUELA HORA DO SERVIÇO, ENTÃO TOMEI UM
BANHO GOSTOSO E COLOQUEI A TAL CALCINHA E VESTI NOVAMENTE A MINHA ROUPA, QUANDO
SAI DO BANHEIRO NOTEI QUE ELE ESTAVA NA SALA ME AGUARDANDO JÁ DE PAU DURO E EU FAL
EI NOSSA !!! JÁ? ELE DISSE QUE EU ERA MT GOSTOSA QUE NAO ACREDITAVA QUE EU ESTAVA
LÁ E ME DEU UM PUXÃO NOS CABELOS E ME TACOU UM BEIJO DELICIOSO QUE EU FIQUEI TODA MO
LHADA, EU DISSE A ELE ANTES PELA NET TUDO QUE EU GOSTAVA QUE FIZESSEM COMIGO E E
LE FEZ TUDINHO DIREITINHO, DISSE QUE GOSTAVA DE SER POSSUIDA COM VONTADE E QUE A
DORAVA LEVAR UNS TAPINHAS E DE SER CHAMADA DE PUTA, CACHORRA ETC. ENTÃO ELE ME JOG
OU COM VIOLÊNCIA NO SOFÁ E ARRANCOU A MINHA CALÇA COMPRIDA E QUANDO DEU DE CARA COM AK
ELA CALCINHA MINUSCULA ELE FALOU CARALHO QUE DELICIA !!! VC É DEMAIS SUA PUTA SAFA
DA, FEZ ISSO PRA ME PROVOCAR E ARRANCOU MINHA CALCINHA COM O DENTE RASGANDO-A A
ABRIU MINHA PERNA E CHUPOU MINHA BUCETINHA DE TAL MANEIRA QUE NUNCA FUI CHUPADA,
EU GEMIA GOSTOSO E GRITAVA DE TANTO TESÃO. ELE METIA O DEDO E A LINGUA AO MESMO T
EMPO QUE ME FAZIA DELIRAR, DISSE QUE IRIA GOZAR E GOZEI NA BOCA DELE E ELE METEN
DO O DEDO E OLHANDO PRA MINHA CARA E FALANDO GOZA CACHORRA, GOZE BEM GOSTOSO,EU
COMECEI A IMPLORAR PARA ELE ME FODER E METER LOGO NA MINHA BUCETINHA ELE DISSE Q
UE AINDA NÃO, QUE QUERIA ME VE SOFRER DE TESÃO, AÍ ELE ME PERGUNTOU SE EU HAVIA LEVADO
MEU BRINQUEDINHO, EU DISSE QUE SIM ENTÃO ELE PEDIU PARA EU USA-LO QUE ERA PRA EU
GOZAR SOZINHA QUE ELE QUERIA ME VÊ FAZENDO AKILO, NOSSA QUE TESÃO, TAVA REALIZANDO U
MA DAS MINHAS FANTASIAS, COISA QUE NUNCA HAVIA FEITO COM MEU MARIDOE ELE SÓ FALAVA
, VAI PUTA CACHORRA !!! GOZAR GEME GOSTOSO, QUANTO MAIS ELE FALAVA MAIS EXCITADA
EU FICAVA ENQUANTO EU METIA O BRINQUEDINHO EM MIM ELE COLOCOU SEU PAU NA MINHA
BOCA E MANDOU EU CHIAPAR BEM GOSTOSO COMO UMA CADELINHA E QUE PAU MARAVILHOSO, N
OSSA QUE DELICIA, EU CHUPAVA COM VONTADE COMO UMA CRIANÇA CHUPANDO UM PIRULITO. AÍ E
LE GOZOU DELICIOSAMENTE NA MINHA BOCA E MANDOU EU ENGILIR TUDINHO, DPS DE GOZAR
CONT. CHUPANDO AKELA PICA GRANDE E GROSSA E LOGO FICOU DURA NOVAMENTE E ELE ME C
OLOCA DE 4 E METE COM TANTA VONTADE QUE EU DOU GEMIDO MT ALTO DE PRAZER ELE COM
MEDO DOS VIZINHOS OUVIREM KKKKK ETA PICA DELICIOSA ELE ME FAZ GOZAR DENOVO, PUXA
MEUS CABELOS, DÁ TAPINHA NA MINHA BUNDA, FAZ TUDO QUE EU ADORO, EU JÁ NÃO AGUENTAVA M
AIS DE TANTO PRAZER PEDIR PRA ELE COMER MEU CUZINHO, ELE TINHA UM LUBRIFICANTE E
M SUA CASA, PEGOU PASSOU NO MEU CUZINHO, FOI ABRINDO AOS POUCO E METENDO BEM DEV
AGAR ATÉ ENTRAR A CABEÇA, NOSSA DOEU !!! EU DEI UM BERRO DE DOR E PRAZER AO MSM TEMP
O MAS A SENSAÇÃO DE DOR LOGO PASSOU, E SÓ FICOU O PRAZER ELE ME ARROMBAVA E METIA SEM
DÓ NO MEU CÚ E EU GRITAVA FEITO UMA CADELA ATÉ QUE EU E ELE GOZAMOS JUNTINHOS, LOGO EM
SEGUIDA MEU TEL TOCA, ERA MEU MARIDO PERGUNTANDO AONDE EU ESTAVA, PQ ELE LIGOU
PRA MINHA CASA E NMINHA MAE DISSE QUE EU AINDA MÃO TINHA CHEGADO DO SERVIÇO, DISSE Q
UE ESTAVA NA CASA DE UMA AMIGA E QUE JÁ ESTAVA INDO PRA CASA, FIQUEI MT TENSA NA H
ORA, PQ NUNCA HAVIO FEITO NADA ANTES E ME VESTI PEGUEI MEU CARRO E FUI PRA CASA,
DPS DESSA VEZ NOS ENCONTRAMOS MTS OUTRAS VEZES, QUANDO A ESPOSA DELE EMBARCAVA,
FIZEMOS MTS LOUCURAS JUNTOS, MAS FICA PRA OUTRA CONTO. DEPOIS TBM CONHECI OUTRO
S CARAS DELICIOSOS. TADINHO DO MEU MARIDO NEM IMAGINA QUE É UM CORNO.
No banheiro da universidade
Hoje faltei o estágio porque tinha uma prova. Fui para a facul. mais cedo do que o
normal, às 10 h. Estudo no horário vespertino, e por volta das 16 h seria a prova d
e Direito Civil das Obrigações.
Como eu sempre faço, não estudei nada e deixei para estudar em cima da hora. Quando
cheguei na biblioteca me desesperei com a quantidade de matérias acumuladas, mas não
tinha mais jeito.
Quando eu já estava na metade da matéria que teria para estudar, o meu telefone toca
, e para a minha surpresa vejo que o meu neguinho era quem me ligava. Nós estávamos
brigados, como de costume, mas eu já estava louca de saudades dele e, além disso, de
vido a nossa briga, já fazia mais de um mês que a gente não transava.
Atendi já tendo vários planos em mente. Quando ele começou a falar comigo, senti um te
são muito grande, pois além de ele ser muito gostoso, a voz dele no telefone é maravil
hosa, faz com que qualquer mulher fique doida. Então, ele começou a me perguntar qua
ndo nos veríamos de novo, pois ele estava louco de saudade e assim como eu, estava
louco para matar a saudade.
Não quis esperar e pedi para que ele me encontrasse na facul. Ele não demorou mais d
o que vinte minutos. Quando chegou, por volta de 12h, nem falou nada, me deu um
beijo que me encheu de tesão, e fez com que eu propusesse uma de minhas fantasias,
que era a de dar pra ele dentro da minha facul. Ele, assim como eu, adora a adr
enalina e o perigo de sermos pegos fazia com que tudo valesse a pena.
Como quem não queria nada, fomos direto para o banheiro do sexto andar, pois lá não é mu
ito movimentado e ele poderia entrar com mais facilidade. Já entramos tirando a ro
upa, e fomos para uma das cabines, e fechamos a porta. Foi uma loucura..., ele m
e jogou na parede e começou a beijar o meu pescoço e mordiscar a minha orelha, eu já e
stava louca de tesão. E dava pra perceber que ele também, pois o seu cacete àquela alt
ura estava extremamente duro.
As mãos dele me acariciavam o corpo todo. Ele puxava o meu cabelo de um jeito que
só ele sabe fazer, e com isso, o meu tesão apenas foi amplificado, então fiquei de joe
lhos e puxei o cacete dele pra fora, coloquei na boca e fiz ele ficar louco. Ele
gemia e tremia de tesão, murmurando palavras desconexas, sem sentido, mas sempre
pedindo para me penetrar. O mais engraçado é que, no local em que a gente estava, tính
amos que fazer o menor barulho possível. Coitadinho, ele estava tão louco por não pode
r colocar pra fora todo aquele tesão dele, que ele chegava a se tremer.
Aí ele disse que iria se vingar, eu agora teria que provar do meu próprio remédio. Com
eçou então a mamar em mim. Ai como eu adoro aquela boca maravilhosa que ele tem, não d
ava pra me controlar, kkk. E pra piorar, ele pediu para o deixar retribuir o que
eu tinha feito pra ele. Tirei a minha calça e passei uma das minhas pernas por ci
ma da pia e então ele colocou a língua bem devagarzinho no meu grelinho me fazendo g
emer baixinho e empurrar a cabeça dele contra a minha boceta. Só de me lembrar me dá t
esão de novo, foi muito bom. Com a língua ele ora massageava o meu grelinho, ora me
fodia.
Eu não podia mais esperar, pedi para ele me penetrar, e como ele também já estava louc
o pra fazer isso, me fez subir em seu colo e ele me comeu de pé. Eu cavalgava feit
o louca, e a essas alturas já nem mais me preocupava com o barulho. Nunca tinha ti
do uma transa tão alucinante. Então aí, eu o senti, um orgasmo de quase meio minuto. M
as ele, nada. Continuava firme e forte. E meu Deus, aquele pau dele era enorme e
grosso, ele estava me rasgando toda, mas eu nem me importava. Adorava aquele ne
gão dentro de mim. E que negão...
Ele só gozou quando eu já estava no meu terceiro orgasmo, acabamos gozando juntos. F
oi muito legal... ainda hoje me lembro. Mas ele ainda agüentava mais. Aquele homem
mais parecia um cavalo, se não fosse pelo tamanho, seria pela força que ele tinha.
Fizemos por umas quatro vezes. Quando eu olhei no relógio já era 14h40. Quase na hor
a da minha prova. Ele ainda tentou me convencer a ficar mais um pouco, mas não dav
a. Eu precisava me recuperar. Kkkk.
Foi então que a minha ficha caiu, eu acabei deixando de estudar metade do conteúdo d
a prova. Kkk, mas quem se importava. Tinha valido a pena. Nunca tinha gozado tan
to na minha vida. Ele era um animal no cio, não cansava nunca. Sabe Deus até que hor
a ele ia continuar lá se eu não tivesse interrompido ele...
Me recompus, fui pra minha sala, e fiquei conversando com as minhas amigas mas não
tive coragem de contar o que tinha acabado de acontecer. Ainda estava perplexa.
Ainda bem que não nos pegaram lá dentro. Hehhe. Já pensou??. Fiz a minha prova. Pra m
inha sorte, só caiu o que eu tinha estudado. Quando eu saí da sala, liguei o celular
e tinha uma mensagem de texto. Quando eu a abri, vi que ele ainda estava me esp
erando e ainda pediu para que eu comprasse mais algumas camisinhas, que as dele
já tinham acabado.
Resultado: fui na lanchonete e comprei mais duas. Voltei pro banheiro, chamei po
r ele e ele ainda estava lá. Meu deus, não sei de onde eu ainda tirei forças, ficamos
até umas 20h. hheheheh. Eu não tava quase conseguindo andar direito. Tava toda assad
a. Kkkk. Também, com quase seis horas de sexo, não era pra menos...
Hoje eu falei com ele pelo MSN, mas isso já é assunto para outro conto...
AJUDANDO A ADOLENCENTE NOIVINHA
AJUDANDO A ADOLENCENTE NOIVINHA
Desde cedo aprendi a escutar minhas amigas e tentar ajudá-las, foi assim que surgi
ram varias situações prazerosas para mim e para elas. Com o surgimento da internet,
eu expandi meus horizontes e também passei a ajudar minhas amigas da net. Criei es
se MSN para que elas possam de alguma forma ser ajudadas, compreendidas e muitas
vezes realizar suas fantasias.
Vou interromper a sequencia da sociedade secreta das adolescentes para contar a
historia de Patrícia, pois foi muito complicado para ela e alem do mais eu nunca v
isto de perto situação semelhante, eu sei que existem segredos de família, mas quando
você se depara com um, tem que lidar com ele de maneira que ninguém saia prejudicado
.
Depois de seis meses estudando fora Patrícia retornou há poucos dias, ela veio matar
a saudade, Patrícia estava sedenta de sexo, depois de ficarmos junto, conversamos
, rimos, ai ela tive a idéia de contar tudo aqui. Todos os nomes são fictícios.
Moramos todos no mesmo prédio, Patrícia sempre foi precoce em tudo, ela é muito inteli
gente, eu sou amigo dos pais dela há anos. Eu brincava muito com Patrícia, quando el
a foi crescendo começou a curiosidade normal por sexo, ela não conversava com os pai
s para esclarecer as suas duvidas sobre sexo, no começo ela começou a passar e-mail
para mim para tirar suas duvidas, depois começou a conversar comigo no MSN.
Comecei a notar que quando ela puxava assunto sobre sexo no MSN, ela estava semp
re de calcinha e sutiã, ate ai nada de mais, porque hoje na televisão tem desfiles d
e roupas intimas, mas o que me chamou atenção foi que ela uma vez me pediu para desc
rever como era numa relação sexual, comecei a contar, enquanto contava notei a movim
entação do seu braço e depois ela nitidamente gozou. Perguntei se ela tinha se masturb
ado, ela falou que sim, falei que tinha gostado de ter ajudado, que era normal s
e masturbar. Toda vez que ela estava com tesão vinha conversar comigo no MSN, eu c
omecei a dar umas dicas sobre masturbação, ela se acostumou a gozar falando comigo n
o MSN. Com o tempo seu corpo foi tomando forma, ela já não tinha mais vergonha, já apa
recia toda nua mostrando seus seios, seu bumbum, sua xaninha. Ela sempre pergunt
ava se era bonita, se era gostosa, se causava tesão nos homens. Eu achava tudo nor
mal, porque eu tenho inúmeras amigas que se mostram e perguntam a mesma coisa, out
ras gostam de se sentir admiradas e desejadas, isso as torna seguras de si.
Depois de certa idade os pais dela a deixaram namorar, os pais de Patrícia tinham
um casal de amigos que também moram em nosso prédio e que eram como se fossem irmãos p
ara eles, o casal tinha um filho de vinte e dois anos e duas meninas, uma da ida
de de Patrícia a outra um ano mais velha. Quando Patrícia fez quinze anos, os pai de
la começaram a fazer pressão no namoro dela com o rapaz filho dos seus amigos, Patríci
a me falou que estava tentada a namorar, disse que ele é muito bonito e forte, mas
disse que ele tinha dois amigos que não desgrudavam dele e que ele não prestava ate
nção nela.
Numa reunião na casa de Patrícia, por pura pressão das famílias Patrícia e o rapaz começaram
a namorar. Com o tempo eu achei um namoro um tanto quanto aguado, mas não disse n
ada, às vezes Patrícia ia lá para casa, me chamava para o computador, sentava no meu c
olo, colocava um filme pornô e ficava comentando e tirando uma casquinha comigo, e
u sabia que era a falta de alguma coisa no namoro dela, mas apenas deixava ela t
irar um sarro para matar a sua vontade.
A família do rapaz e a dos pais de Patrícia tem uma excelente situação financeira, quand
o ela fez dezesseis anos, as famílias armaram o noivado dela, eu estava presente,
o acontecimento foi no apartamento dos pais do rapaz, Patrícia filmavam tudo, pois
ela adora filmar e fotografar tudo. No noivado já marcaram a data do casamento e
como presente de casamento os pais do rapaz deram aos noivos um apartamento no m
esmo prédio em que morávamos.
O apartamento começou a ser pintado e mobiliado, Patricia estava curtindo aquela n
ovidade, o casamento ia ser seis meses depois, Patrícia tinha uma chave e o rapaz
tinha outra, os dois acompanhavam a reforma. Um mês depois o apartamento estava to
talmente pronto e mobiliado.
Numa noite eu estava chegando do trabalho, Patrícia estava me esperando em baixo d
o prédio com sua filmadora na mão, quando desci do carro ela veio correndo em minha
direção, abraçou-se comigo e começou a chorar. Perguntei o que estava acontecendo, ela f
alou que a tarde pegou a filmadora e foi ao apartamento filmar tudo para poder m
ostrar as suas amigas no colégio, quando chegou à porta da frente do apartamento ouv
iu vozes, ela achou estranho e foi entrar pela porta da cozinha, pois se tivesse
alguém na sala não a veria quando entrasse. Ela falou que quando entrou tomou um ch
oque com o que viu, disse que quando se refez do choque começou a filmar tudo, dis
se que queria que eu visse com meus próprios olhos.
Subimos, eu liguei o computador, baixei o filme e sentei na cadeira, ela sentou
no meu colo, dei o play, começamos a ver. No sofá da sala estavam, o noivo de patrícia
e os dois amigos dele, o noivo de Patrícia estava de quatro, um amigo socava o pêni
s no cu dele enquanto ele chupava o outro amigo, depois ele saiu do sofá deitou-se
de costas no tapete, o amigo que ele estava chupando veio por cima e começaram um
69, o outro levantou suas pernas e novamente meteu no cu dele, o amigo que esta
va no 69 com ele deixou de chupar, sentou na cara dele e começou a beijar, enquant
o durou o filme todos se revezavam uns comendo os outros, ate que no final o noi
vo de Patrícia ficou de quatro, passou a chupar e o outro a enrabá-lo, quando um tir
ava do cu ia borta na boca dele e o que estava na boca ia enrabá-lo, depois os doi
s foram para frente dele e gozaram na sua boca, logo após um deles começou a chupar
o noivo de Patrícia o outro foi para trás dele e meteu três dedos no cu dele ate que e
le gozou na boca do amigo.
Se aquelas cenas me deixaram chocados, imagine Patrícia, ela chorava muito e dizia
que ainda bem que ele nem queria beijá-la direito, que ela pensava que o problema
estava com ela, mas agora estava tudo esclarecido, disse que ia acabar com tudo
. Consolei Patrícia um tempo, falei para ela se acalmar, disse que ela fosse para
casa dormir, que no dia seguinte ela falasse com os pais dele antes de acabar o
noivado pois os pais precisavam saber o motivo, isso para ela não sair de vilã nessa
historia. Fiz uma copia do filme em CD e dei a ela para mostrar aos pais dele c
aso eles não acreditassem nela, ela me deu um gostoso beijo na boca e disse que da
li para frente eu seria seu homem, falei que tudo bem, mas que agora ela precisa
va ir para casa.
No dia seguinte pela manhã Patrícia foi falar com os pais do noivo, o pai tinha saído
para trabalhar, ela falou com a mãe do noivo, a mãe a chamouela de mentirosa, Patrícia
então colocou o filme para ela ver, a mãe dele ficou sem ação, ligou para o marido, ele
voltou correndo do trabalho para casa, o pai pediu para conversar em particular
com Patrícia, a mãe saiu da sala, ai ele disse que já sabia, pois já tinha pegado eles
juntos, que as meninas também sabiam, só quem não sabia era a mãe dele. O pai pediu a Pa
trícia para não acabar o noivado, disse que daria a ela o que ela quisesse, que quan
do ela sentisse tesão, ele mesmo poderia fazer as vezes do filho.
Eu acho que era isso que ele queria, queria casar o filho e ficar comendo Patrícia
. Mas na hora ela disse que já tinha um homem para fazer dela uma mulher de verdad
e, ai falou meu nome, o pai dele disse que tudo bem, que ela teria total liberda
de comigo, que daria uma gorda mesada para ela, mas pediu que ela fosse discreta
, não contasse nada aos pais dela, não deixasse ninguém saber o que o filho dele era g
ay e nem deixasse ninguém saber que ela ia ficar transando com outro homem.
Patrícia pensou um pouco, depois disse ao pai do noivo que topava, mas a lua de me
l teria que ser comigo, que o noivo nem sonhasse em aparecer, que também não queria
os amigos do filho comendo ele dentro de casa, que queria quartos separados, que
nos finais de semana que ele quisesse dar, não voltasse para casa, que quando ele
fosse sair com os amigos queria a companhia das cunhadas. As condições foram aceita
s.
Patrícia era muito esperta, sabia que ia ter mais liberdade do que em casa. Mas el
a estava revoltada com o que fizeram com ela, ela me disse que ia se vingar da f
amília do noivo, disse que ia transformas as cunhadas em putinhas safadas, disse q
ue elas iam ser minhas putinhas, que elas eram sonsas, que só viviam vendo filmes
de sacanagem na internet e que as duas ate se pegavam.
As visitas de Patrícia a minha casa estavam mais freqüentes, os sarros mais quentes,
mas combinamos que só íamos transar lua de mel, assim seria mais gostoso.
Num sábado eu já estava de calção para descer para praia, quando tocam a capainha, era P
atrícia com Mel. Mel é a cunhada mais velha, elas estavam com saída de banho e biquínis
por baixo, quando entraram, beijei as meninas, Patrícia disse que estavam de biquíni
s novos, que vieram para eu ver e filmar elas desfilando para mim.
Mel é uma morena linda, têm 1,65m, olhos cor de mel, cabelos lisos, bem pretos, seio
s pequenos, mas não muito, coxas torneadas, bumbum bem feito, médio, xaninha carnuda
.
Patrícia tem 1,67m, é galega com cabelos que chegam na cintura, olhos verdes, rostin
ho delicado, lábios bem desenhados, seios médios, bem durinhos, aureolas rosadas, co
xas grossas, xaninha rosada, toda depilada, bumbum grande, mas não exagerado, ela é
linda.
Patrícia me entregou a filmadora e pediu para eu sentar no sofá para filmá-las, elas f
oram para o banheiro social, a primeira a sair foi Patrícia, ela estava com um biq
uíni amarelo enterrado no seu bumbum lindo, eu apreciava aquela galega desfilando
de modo sensual, meu pênis ficou duro, Patrícia terminou seu desfile, sentou ao meu
lado e chamou Mel, ela veio desfilando, usava um biquíni vermelho também enterrado n
o seu bumbum, era uma beleza diferente, mas todas as duas eram lindas, enquanto
eu filmava Patrícia alisava e apertava meu pênis, Mel com a maior cara de sacana bot
ou a linguinha de fora para o lado e depois colocou o dedinho na boca, ela termi
nou o desfile se baixando de costas para a gente e tocou o chão com as mãos espalmad
as, mas com as pernas ligeiramente abertas sem dobrá-las, seu bumbum e sua xaninha
ficaram expostos, Patrícia levantou-se pegou na mão dela e disse:
- Vem aqui safada, vem sentir o que é um pau de verdade, é muito diferente daqueles
seus amiguinhos que você se agarra no colégio.
Patrícia foi empurrando mel para sentar no meu colo, segurei Mel com uma mão em cada
banda do seu bumbum, à medida que ela foi sentando eu fui abrindo seu bumbum, gui
ei sua xaninha para a cabeça do meu pênis, quando ela sentou-se deu um suspiro e dis
se:
- Bem que você disse que é gostoso, é uma delicia sentir o pau de um homem de verdade,
sinto ele bem duro, grande e grosso.
Patricia filmava tudo, pedi a Mel para abrir as pernas, ela abriu, eu empurrei s
eu troco para que ela ficasse debruçada nas minhas coxas, naquela posição ela estava t
oda aberta em cima do meu pênis, segurei Mel pelas ancas e comecei a fazer movimen
tos circulares com sua xaninha em cima do meu pênis, depois a esfreguei para frent
e e para trás, com pouco tempo Mel soltou um gemido e se estremeceu toda, eu senti
meu calção molhar com o gozo de mel, ela ficou largada no meu colo, meu pênis latejav
a de tesão, esperei ela se recuperar, tirei Mel do meu colo, coloquei ela sentada
no sofá, fiquei de pé em frente a ela, aguardei alguma reação dela.
Mel começou a alisar meu pênis por cima do calção, Patrícia filmava tudo, depois o tirou p
elo lado do calção e começou a me masturbar, era a primeira vez que Patrícia estava vend
o o meu pênis, Mel foi aproximando sua boca e começou a lamber, depois abocanhou, no
começo ela começou a chupar toda desajeitada, depois foi pegando jeito, Mel estava
maravilhada com meu pênis, eu comecei a fazer vai e vem na sua boquinha linda, ali
sava sua cabeça, ate que comecei a gozar, ela sorveu tudo ate o ultimo jato, depoi
s lambeu a cabeça do meu pênis, passou a língua nos lábios e disse:
- Bem que minha amiga disse que tem um gosto diferente, mas não é ruim não.
Mel foi ao banheiro lavar a boca para poder irmos à praia, mas antes de descer eu
queria saber mais sobre o noivo da Patrícia, quando ela voltou eu perguntei a Mel
como ela soube que o irmão dela era gay. Mel falou que num sábado que elas foram jog
ar no colégio, não houve jogo, elas chegaram mais cedo e viram os três no quarto da mãe
dela de pegando. Mel falou que não foi só uma vez, que depois tiveram varias outras,
que eles quando estão transando não vêem mais nada, parece que estão sozinhos no mundo,
que nunca viu gostarem tanto de pau no cu.
Eu aproveitei a deixa e perguntei se ela gostaria de dar o cuzinho, ela falou qu
e queria tentar, mas achava que não ia conseguir porque meu pênis é grande e grosso, f
alei que todas agüentavam meu pênis no cuzinho, as meninas riram, Patrícia disse que i
a agüentar de qualquer jeito.
Chamei as meninas para descer, quando pegamos o elevador Mel disse que estava do
ida para contar a novidade para a irmã (Bia), que ela ia adorar porque agora elas
não ficariam só se pegando uma a outra, agora elas iam ter um homem de verdade para
brincar com elas e tirar os cabacinhos. Eu falei que ela tivesse cuidado para o
pai e a mãe dela não saber de nada disso, ela falou que a mãe não poderia saber mesmo, m
as que eu não me preocupasse com o pai delas, que elas tinham um segredo do pai gu
ardado e que o pai sabia que elas o tinham na mão, que ele não podia reclamar de nad
a, tinha que aceitar o que elas quisessem, disse também que a mãe era a única ingênua de
ntro de casa. Fiquei curioso para saber o que era, mas dentro do elevador não era
hora de perguntar detalhes.
Continua ...
Amigo_e_confidente@hotmail.com
Libanesa novinha gozando gostoso no jet sky
Ola, eu sou a Libanesa tenho 18 anos, morena de cabelos longos e lisos, estilo índ
ia, tenho 1,68 de altura e peso...bom isso não se revela, mas diria que tenho um c
orpão. O que relato a seguir aconteceu na casa de um amigo do meu pai, fica no Ria
cho Grande. A casa tem um quintal que desemboca na represa, e nos dias quentes o
pessoal costuma andar de jet sky. Fomos para lá, tava um baita calorão, cheguei lá e
a primeira coisa que perguntei foi do jet sky, meu irmão até deu bronca, falou que e
u parecia uma interesseira. Mas como já sou de casa o pessoal não falou nada.
Este amigo do meu pai, o Ruy é casado com a Flávia e tem dois filhos, uma casal, o R
enan e a Juliana. Eles tem a idade próxima a minha. Bom fomos almoçar, comi muito, m
as tudo bem . Assim que acabou o almoço, lá pras duas da tarde comecei a pentelhar o
pessoal pra andar de jet,ninguém quis. Perguntei pro Ruy se eu poderia ir sozinha
, ele disse que sim e só disse para eu tomar cuidado.
O jet já estava no lugar certo, fui até o banheiro e coloquei um maio preto, porque
bikini poderia cair com uma queda. Fui até o jet,ligar foi fácil, dei umas acelerada
s, mas ele não andava direito, fiquei assim,o motor parecia que ia explodir, mas a
chei que fosse normal. Andei poucos metros e já estava de frente pra uma outra cas
a, lá estava um cara nadando e quando me viu acenou, perguntou se eu era amiga do
Renan, afinal estava com o jet dele. Expliquei a situação, ele sorriu e me explicou
que eu estava afogando o motor da maneira que eu estava dirigindo. Para não ser ma
l educada me apresentei e ele também, Álvaro. Ele então se ofereceu pra explicar, por
fim perguntou se queria dar uma volta comigo na garupa. Eu disse que sim e fomos
. Logo que sentei ele já acelerou com tudo, eu para não cair agarrei em seu tronco,
passei meus braços em volta dele e colei meu rosto na suas costas. Senti que ele s
e arrepiou e até desacelerou, olhou pra trás e disse assim eu me descontrolo. Eu enten
di bem o que ele dizia, não posso negar que me empolguei. Falei para ele ir mais d
evagar, ele foi, cada vez indo mais longe, eu então comecei a passar a mão pelo seu
corpo, apertava suas coxas e passava a mão entre as pernas rapidamente, aquela sun
ga azul clara dele era uma delícia.
Em pouco tempo senti que seu pau estava duro, fui até seu ouvido e pedi para que e
le seguisse em frente direto, que eu gostaria de fazer umas carícias, ele sorriu e
me obedeceu. Antes de começar enfiei minha língua em sua orelha, enfiando fundo, e
ele só ficava mais louco. Fiquei massageando seu pau sobre a sunga, esse eras dos
grandes e grosso, apertava com força, e aquilo estava mais parecendo um pedaço de pe
dra. Ele perguntou se queria que eu parasse, mas disse que não, que apensas contin
uasse andando. Ele pedia para eu enfiar a mão por dentro da sunga, mas eu disse qu
e não. Perguntei se ele gostava de pés, ele disse que sim, ai me apoiei com os braços
pra trás e o envolvi com minhas pernas, juntando meus dois pezinhos em seu membro,
sobre a sunga, o jet sky parecia sem rumo agora. O tempo começou a virar, e as nu
vens escureceram o céu, Álvaro perguntou se eu queria voltar, disse que ainda não, que
agora eu que iria pilotar. Trocamos de lugar, ele se sentou atrás e me ajudou a p
assar para a frente, e quando sentei fiz questão de raspar minhas bunda em seu pau
zão. Pedi algumas explicações e em pouco tempo eu estava guiando. Ele parecia estar se
m graça então virei e pedi, por favor lindo, me encoxa e bate uma pra mim, na mesma ho
ra ele veio pra cima de mim, encaixando seu mastro por entre minhasnádegas e enfia
ndo o dedo dentro do meu maiô...eu estava ensopada. Como eram ágeis os dedos de Álvaro
,ele deve ter ficado uns 5 minutos direto sem parar, senti que ia gozar e o avis
ei,ele afundou seus dedos e eu tremia feito uma cabrita gozando, fiquei louca, p
arei o jet, coloquei minha mão pra trás e enfiei em sua sunga segurando o seu pau, d
ei umas massageadas, e coloquei pra fora aquilo, esmaguei contra o banco, me lev
antei e sentei sobre seu pau e passei a rebolar...
Não agüentei muito tempo e disse eu quero você dentro de mim. Me debrucei pra frente, em
pinei a bunda e falei, fique a vontade, só me faça gozar de novo. Ele afastou o maio,
cuspiu no pau e começou a enfiar no meu cuzinho, colocou a cabeça, mas pedi para ele
parar, primeira na frente, mais tarde no cu. E então começou a enfiar. Eu sentia cada
centímetro, e a chuva começou, eu gemia alto, afinal ninguém nos escutaria e ele se e
mpolgava, metia com mais força, ele fazia como eu gostava, abria bem minha bunda,
me dava tapas e as vezes enfiava um dedo no cuzinho. Eu rebolava feito uma cadel
a no cio, não resisti e avisei que gozaria de novo, assim que disse isso ele puxou
meus cabelos, eu quase morri de tanto gozo, eu gozei por muito tempo e ele fodi
a sem dó,do jeito que gosto. Devemos ter ficado ali uns 40 minutos, e estranhei qu
e ele não gozava, perguntei se ele não queria gozar, mas ele disse que tava muito bo
m, e se gozasse teria q parar porque era perigoso engravidar. Disse para ele rel
axar e avisasse quando fosse gozar que eu tiraria e não teria perigo algum. Disse
isso e então ele falou então é agora, sai, sai, joguei meu corpo sobre ele e sentei em s
eu pau com tudo, e só fui sentindo as contrações daquele cacete jorrando porra dentro
de mim, ele gozava muito, eu galopava com força e disse agüenta mais um pouco que vou
gozar de novo, aaaaaaaaaaaaaaa, como gozei. Eu devo ter desidratado o Álvaro, fui
fazendo mais devagar, senti seu pau amolecer, pedi para ele fechar os olhos e de
ixar comigo, tirei minha bucetinha de seu pau, mas deixei sobre ele, fiz força com
os músculos vaginais para expulsar aquela porra, fui encharcando o seu pau mole c
om sua própria porra. Quase cai do jet, mas não cai não. Me equilibrei e passei a chup
a-lo, juntei toda a porra que vazou com a língua e suguei, engoli tudinho e fiquei c
hupando o pau dele.
A chuva ficou muito forte, parecia tempestade, mas tava tão bom seu pau voltando a
endurecer, e ele disse você é demais, a vontade que tenho é de contar pros meu amigos,
mas jamais acreditariam. Eu sorri e disse, e se tivesse mais um deles com você, ele
acreditaria?. Voces nem imaginam o que aconteceu depois!
rafaela.libano@hotmail.com
A Prestativa Estagiária de 19 aninhos...
Olá, meu nome é Marcos, tenho 30 anos, sou Advogado e vou contar como minha história c
om minha deliciosa estagiária começou.
Sou proprietário de um escritório de advocacia empresarial no interior de São Paulo, e
ja havia alguns meses que eu tinha contratado uma nova estagiária que aqui vou ch
amar de Carol.
Carol é uma morena de cabelos pretos e lisos, olhos grandes e castanhos, altura me
diana com um corpinho bem gostoso, seios médios e bunda bem redondinha como todo h
omem gosta! Nesta época minha deliciosa estagiária estava com 19 aninhos.
No passar dos meses, após algumas reunioes a sós, caronas e bate papos nos corredore
s do escritório pude perceber que apesar de novinha, minha nova estagiária parecia b
astante desinibida quando o assunto era relacionamento e inevitavelmente sexo...
Na época namorava um rapaz bem mais velho e endinheirado, tentando deixa-la insegu
ra quanto ao namoro perguntei se ela não desconfiava que um rapaz boa praça e com di
nheiro como o namorado dela não poderia escapar a qualquer momento das mãos dela, e
no mesmo momento ela me olhou com uma cara de sexo que poucas vezes tinha visto
uma mulher fazer e me disse: Difícil hein, poucas mulheres sabem satisfazer um hom
em como eu....Confesso que meu cacete ficou duro na hora e a ficha caiu naquele
momento, eu tinha que comer aquela ninfetinha.
Semanas depois veio a oportunidade, eu tinha que visitar um cliente em outro est
ado e disse a ela que precisava que fosse junto para me ajudar no trabalho, diss
e que iamos voltar no mesmo dia ja que era uma viagem de 4 horas aproximadamente
. Ela disse que tudo bem, afinal estava na empresa para me "atender prontamente"
, mais uma vez com aquela cara de sexo que só ela sabe fazer......percebi na hora
que ela tinha entendido o recado.
Passei pega-la cedo da madrugada, ja que tinhamos que estar na empresa as 9 hora
s da manhã e tinhamos uma longa estrada pela frente. No início da viagem, a sós com el
a no carro, percebi que ambos estavamos muito sonolentos ja que ainda nem havia
amanhecido direito. Falavamos de trabalho e pedi a ela para mudarmos para um ass
unto mais interessante para perdermos o sono que estavamos sentindo. Imediatamen
te ela me perguntou sobre o que eu gostaria de falar, respondi que poderiamos fa
lar sobre ela e como estava o namoro dela com o cara mais velho....Após alguns min
utos de monólogo dela, me dizendo que estava feliz com o rapaz e que ja falavam de
casamento eu comecei a pensar que levar a conversa para onde eu queria ia ser d
ifícil, até que eu a interrompi e disse que achava ela muito nova para se casar, afi
nal a vida era longa e ainda havia muitas experiências que ela deveria ter, afinal
ela só tinha 19 aninhos....
Percebi um certo tom de irritação dela ao me perguntar se eu achava ela inexperiente
, o fato é que mal pude responder porque no mesmo momento ouvi frase que quase me
fez perder o controle do carro...ela me disse: "Não sou inexperiente, eu ja até fodi
com dois caras ao mesmo tempo".
NOSSA....(maísculo porque acho que foi esta minha reação).....
Nesta hora minha vontade era tirar meu cacete pra fora que a este ponto ja estav
a com a cabeçona toda molhada e pulsando como nunca, mas me segurei e continuei a
brincadeira que ela tinha começado.
Passei as duas próximas horas perguntando a ela sobre sua experiência sexual, pergun
tava se ela gostava de dar o cuzinho, se gostava de porra em sua boca, com quant
os anos tinha feito a primeira chupeta, coisas assim, o problema é que a safada co
ntava tudo em mínimos detalhes, dizendo que adorava o sabor da porra, que gozava m
uito fácil quando era enrabada com força e assim foi me atualizando sobre suas taras
e experiencias por duas horas que pareceram dois minutos.
Quando percebi ja haviamos chegado ao cliente, e praticamente em cima da hora, o
u seja, mesmo que eu quisesse nao daria tempo habil de parar para fode-la, e eu
nao estava nem um pouco disposto a fazer isto com pressa, aquela piranha merecia
ser fodida com gosto, com calma e sem pressa.
Tivemos que passar o dia na empresa do cliente, ao contrário da viagem de ida, a h
ora não passava. Ela me olhava e sorria com cara de safada a todo o tempo, obviame
nte minha produtividade ja tinha ido literalmente pro saco e eu só pensava em fode
r o cu daquela ninfeta putinha.
Depois de 4 longas horas de reuniões no cliente recebi a melhor noticia que poderi
a receber naquele momento, alguns documentos que precisavamos nao estavam pronto
s e tinhamos que voltar embora ja que nao havia mais o que fazer no dia.
Prontamente ja estavamos no carro indo almoçar para voltar embora. Depois de um al
moço rápido e com muitas trocas de olhares minha estagiária me perguntou: "E aí chefinho
, o que vamos fazer agora que estamos com a tarde livre?"
Olhei para ela e respondi: Você sabe.....dei um sorriso bem safado e fui prontamen
te correspondido.
De volta no carro, ja na estrada tinhamos 4 horas de viagem pela frente e pelo m
enos mais 3 horas livres ja que ganhamos a tarde, perfeito para não leventar suspe
itas para o namorado dela ou minha noiva. Percebendo que ela estava novamente co
m sono por ter acabado de almoçar, olhei para ela e disse que não tinhamos mais assu
nto picante para nos manter acordados ja que ja viagem de dia ela ja tinha me co
ntado tudo.....Ela disse para eu ficar tranquilo que não iria dormir....sem perder
a oportunidade eu respondi: "E se dormir, é melhor que não durma de boca aberta, po
rque provavelmente vai acordar com algo roliço em sua boca..."
Neste momento, aquela cara de sexo que eu ja descrevi se repetiu mais perfeita q
ue nunca, e olhando fixamente para meu pau ela respondeu: "Muito roliço????"
Não perdi tempo e coloquei a mão dela sobre minha rola e disse para ela mesmo ver se
r era roliço o suficiente, sem perder tempo a safada agarrou aquele cacete com mui
ta força e imediatamente começou a abrir meu ziper até que meu cacete ja todo melado p
raticamente saltasse pra fora....
Com um desespero que eu nunca tinha visto a estagiária engoliu minha rola até se eng
asgar, e eu sem dó nem piedade empurrava a cabeça dela com força contra o cacete duro
para faze-la engasgar e babar ainda mais. Ela chupava com maestria, nunca tinha
sido chupado com tanta técnica nem por prostitutas, a menina apesar de novinha rea
lmente sabia o que fazer com um caralho na boca.
Enquanto ela chupava eu levantei sua saia e encontrei sua bucetinha que escorria
aquele caldo quente e grosso pelas pernas, percebi então que ela realmente era tão
safada quanto eu, afinal para estar tão molhada ela ja estava com tesão ha muitas ho
ras. Quanto mais forte e rápido eu socava meus dedos na bucetinha dela, mais rápido
e forte ela me chupava, ficamos nesta situação deliciosa até encontrarmos um motel, qu
e meus amigos, parecia nunca aparecer.
Como estavamos em uma BR interestadual, óbiviamente não havia moteis, e ja tinhamos
parado a sacanagem para nos concentrarmos em procurar um motel ou um canto na es
trada mesmo onde pudessemos foder a vontade. A cada 3 minutos nos olhavamos e eu
tirava o cacete pra fora novamente e ela prontamente caia de boca no cacete.
Finalmente encontramos um motel, antes mesmo de eu abrir a porta a vadia ja esta
va agaixada com meu caralho na boca, se engasgando com os olhos cheios de lágrimas
e com a boca toda babada. Ela realmente forçava a própria cabeça contra meu pau até eng
asgar e fazia isto a todo segundo como se fosse obrigada a engolir o pau até o tal
o sempre que colocava na boca.
Rapidamente eu arranquei a saia dela e pus sua minuscula calcinha de lado, quand
o pude finalmente admirar com calma aquela minuscula bucetinha adolescente rosad
a e lisinha.....
Fiquei completamente louco quanto ela bem devagarzinho ficou de quatro e expôs sem
nenhum pudor seu lindo cuzinho, que parecia uma pedir para ser invadido por uma
lingua bem quente e molhada, e foi o que fiz. Lambi o cuzinho daquela estagiária
como se estivesse lambendo um sorvete, a todo momento eu cuspia no cu e colocava
um dedo para sentir o calor, neste momento ela ja não aguentando mais disse: "Me
fode com força, não aguento mais esperar"....
Prontamente obedeci, estocando minha rola quente e grossa naquela bucetinha enso
pada com muita força, eu fodia aquela piranha como se estivesse castigando-a, e qu
anto mais forte eu estocava mais forte a vagabunda gritava e falava pra eu foder
com força.
Percebi que devido ao tempo que eu fiquei com meu cacete duro sem gozar na estra
da, eu estava com o pau meio dormente, o que me faria segurar mais tempo o gozo,
sendo assim continuei a foder aquela buceta em várias posições por mais alguns minuto
s, só que agora com dois dedos no cu da safada. Quando vi que ja estava bem lacead
o, coloquei a cabeçona inchada do meu pau e empurrei devagar para dentro, quando p
ercebi que realmente a vadia estava acostumada a ser enrabada, ja que o cacete e
ntrou sem muita dificuldade.
Fomos ao banheiro e continuamos a fodeção de cuzinho por lá....a todo momento a Carol
me perguntava se eu estava gostando de foder o cu da estagiária, se eu queria ench
er o rosto e a boca dela de porra e coisas assim.....já não aguentando mais, tirei m
eu pau para fora daquele rabão gostoso, lavei com o chuveirinho e sabonete e dei p
ara a vadia mamar novamente. Desta vez não precisou de muito tempo e eu ja estava
jorrando meio litro de porra quente no rosto e na boca da minha prestativa estag
iária, que demonstrava adorar aquele líquido quente, ja que não perdia uma gora sequer
, indo buscar os jatos que cairam nos seus peitos e até na minha própria perna, lamb
endo os dedos e olhando fixamente para meus olhos.
Fiquei de olhos virados e pernas bambas. Feliz da vida por ter contratado a ninf
eta mais linda e safada que eu poderia imaginar na minha vida.
Como não pudia deixar de ser, até hoje, anos depois trabalhamos juntos. Nestes anos,
fizemos de tudo um pouco, suruba, menage masculino e feminino (Além de completa t
empos depois ela demonstrou interesse em chupar uma bucetinha), swing entre outr
as coisas.
Este foi meu primeiro conto para relatar como nossa história começou, quem sabe eu f
aça outros relatos para contar todas estas histórias da minha deliciosa estariária.
Espero que tenham gostado.
Marcos