You are on page 1of 6

Explique sobre extrusão hidrostática

:
Este processo é caracterizado por empregar um fluido sob pressão para empurrar o material através da matriz, o
que evita qualquer tipo de fricção nas paredes da câmara ,neste processo, o diâmetro do tarugo é menor que o
diâmetro da câmara, que é preenchida pelo fluido. Como a pressão para a operação de extrusão é proveniente de
um meio fluido, que envolve o tarugo, não há fricção entre parede e tarugo. Em geral a pressão transmitida ao
tarugo através de um pistão é da ordem de 1.400 MPa
Cite uma característica da extrusão hidrostática:
Ela aumenta a ductilidade do material, portanto materiais frágeis podem se beneficiar desta forma de
extrusão. Este processo caracteriza-se principalmente por apresentar: baixa fricção, pequenos ângulos de
matriz e altas relações de extrusão.
Qual equipamento complementar No processo de extrusão?
Um equipamento complementar, indispensável à máquina de extrusão, é o forno de aquecimento dos tarugos ou
lingotes. Esses fornos podem ser de diversos tipos, de acordo com os sistemas de aquecimento por combustível
ou elétrico
As ferramentas para extrudar, ou fieiras como também são chamadas, podem apresentar diversos
tipos de perfis, o que é preciso para determina-los?
Deve-se analisar o tipo do metal a ser trabalhado e a experiência já acumulada em cada condição de trabalho.
Quais as condições que devem ser observadas na determinação dos perfis ?
1. Propriedades do metal a ser extrudado;
2. Tolerâncias de distorção no extrudado;
3. Níveis das tensões aplicadas;
4. Contração térmica no extrudado;
5. Escoamento uniforme e equilibrado do metal pela matriz.
Quais são os tipos de ferramentas usados comumente para a extrusão de tubos?
Os com ângulos de entrada mais acentuados e com 120º a 160º , Os tipos de formato mais complexo são
usados para metais duros e para reduzir os esforços na matriz
Como deve ser o material da ferramenta de extrudar?
deve ser um aço ligado com a característica de manter elevada dureza (44 a 45 RC), obtido no
tratamento térmico de têmpera e revenido, em temperatura de trabalho que podem atingir
níveis de 600ºC ou mais.

Quando usar o metal-duro na extrusão?
É usado como material da ferramenta quando as quantidades de metal a extrudar são
suficientemente elevadas, para justificar um custo maior da ferramenta, e também para
produzir perfis especiais e de dimensões não muito elevadas
.

Quanto aos aços ligados para ferramentas, quais os cuidados especiais deve se ter?
Deve se ter particularmente no tratamento térmico para evitar a criação de tensões internas
elevadas que possam conduzir ao empenamento ou fissuramento da ferramenta. A usinagem
de ferramenta é comumente realizada pelo processo de eletro-erosão
.
Os diferentes tipos de matrizes tem suas características, que podem produzir um perfil extrudado de
boa ou má qualidade. Para tanto alguns quesitos devem ser levados em consideração para o
bom projeto de uma matriz, Quais são eles?
procurar simetria da seção transversal, evitar cantos vivos e mudanças extremas nas dimensões dentro
da seção transversal, um pequeno raio de concordância é colocado na entrada para evitar a quebra ou
deformação da ponta aguda, em condições de elevadas pressões, e para evitar o aparecimento de fissuras
superficiais nos extrudados de metais duros, embora com raio de concordância o nível de tensão em
geral se eleve.
Quais são os materiais para matrizes de extrusão a quente mais usados? E como prolongar
sua vida?
Aços ferramenta para trabalho a quente, Revestimentos como zircônio podem ser aplicados para
prolongar a vida das matrizes, especialmente em matrizes para produção de tubos e barras.
Quais são os parâmetros geométricos da extrusão?
− O ângulo da matriz α;
− A relação de extrusão, que é o quociente entre a áreas das seções transversais do tarugo A
0
e do produto
extrudado A
f
;
− O diâmetro do círculo circunscrito (DCC), que é o diâmetro do menor círculo no qual se inscreve a seção
transversal.
Como é medida a complexidade da extrusão?
É medida pela relação entre o perímetro da seção do produto extrudado e a área da seção transversal.
Esta relação é demominada fator de forma.

Quais outras variáveis do processo?
- Temperatura do tarugo
- Velocidade de deslocamento do pistão
- Tipo de lubrificante
O que o fluxo do material determina?
Determina a qualidade e as propriedades mecânicas do produto final
Quais as etapas do processo de extrusão ?

1º- Fabricação de lingote ou tarugo de seção circular;
2º- Aquecimento uniforme do lingote ou tarugo;
3º- Transporte do lingote ou tarugo aquecido para a câmara de extrusão. Essa etapa deve ser executada o
mais rapidamente possível para diminuir a oxidação na superfície do metal aquecido;
4º- Execução da extrusão: com o tarugo aquecido apoiado diante da câmara de extrusão, o pistão é acionado
e o material é empurrado para o interior da câmara


Por que o lingote para extrusão apresenta uma superfície praticamente isenta de oxidação?
É devido à forma com que é produzido: a fundição do lingote se dá em coquilhas verticais que apenas
permitem o contato do metal-líquido com o meio ambiente na parte superior, que é cortada após a
solidificação.

No processo de extrusão, porém, pode-se adotar um pistão de diâmetro inferior ao diâmetro do
tarugo, de maneira que o pistão possa penetrar por dentro do tarugo deixando uma casca
superficial, por que retira-se esta casca deixada no recipiente?
Porque ela contem as irregularidades e os óxidos formados nos processos anteriores ou no
aquecimento para a extrusão
Por que deve-se também remover o fundo ou resíduo do tarugo (ou lingote) não-extrudado?
Porque se foré extrudado provoca um fluxo de metal irregular, que reduz a qualidade do
produto: o defeito que surge no extrudado se manifesta na forma de um furo interno.

Por que o tarugo (ou lingote) inicialmente é aquecido no forno (preferencialmente forno
elétrico de indução?
Pela melhor qualidade obtida quanto à uniformidade de aquecimento e rapidamente
transportado para o recipiente, restringindo-se assim ao máximo o contato com o meio
ambiente (para evitar um a oxidação superficial intensa).
Entre o pistão e o tarugo coloca-se um disco metálico para que?
Para evitar a soldagem do pistão no tarugo em virtude das temperaturas e pressões elevadas.
A presença do disco, de diâmetro próximo ou inferior ao da camisa (de acordo com a intenção
de se deixar ou não formar uma casca), cria um motivo a mais para se deixar um resto de
tarugo sem extrudar, que é o de se evitar que o disco atinja a ferramenta de extrudar.

Um número grande de fatores exercem influência no processo de extrusão e a análise dessa
influência é complexa em face dos efeitos de interação entre eles, das dificuldades teóricas
de se isolarem os efeitos para análise e das dificuldades experimentais referentes à natureza
do material metálico (que exige elevadas temperaturas e elevada tensão de trabalho e não
permite, com facilidade, o acompanhamento da evolução do ciclo do processo), cite As
técnicas experimentais podem ser utilizadas em duas áreas de estudo do problema:
1ª) Análise das propriedades mecânicas e características metalúrgicas do material metálico, na
forma de matéria-prima (lingote fundido ou tarugo laminado) e na forma do produto final (barra
ou perfil extrudado).
2ª) Análise das condições de processamento ligadas ao desempenho da máquina de extrusão e
ao comportamento do material durante o processo de extrusão



Para análise das condições de processamento é muito importante a observação da maneira
como ocorre o fluxo ou escoamento do material no recipiente e através da ferramenta de
extrusão. Essa observação exige aplicação de técnicas especiais para uma análise
quantitativa das deformações, cite algumas:
1ª) O tarugo (ou lingote) é cortado longitudinalmente e é usada, nos seus planos diametrais, uma
quadrangular de sulcos;
2ª) Após essa inscrição, as duas partes são reunidas colocando-se no meio uma substância refratária (argila
ou grafita) para facilitar a separação posterior à extrusão;
3ª) As partes reunidas e presas por grampos são aquecidas à temperatura de extrusão e colocadas
justapostas, sem grampos, no recipiente da máquina de extrusão, cuidando-se para manter um ajuste
preciso entre as partes;
4ª) Executa-se a extrusão parcial ou totalmente, e as partes extrudadas conjuntamente são depois
separadas – é analisada então a deformação da rede de sulcos .
Na análise da deformação pode ser ainda realizada com o emprego de que tipo de material?
materiais plásticos transparentes contendo esferas pequenas e coloridas, que, após a deformação,
transformam-se em elipsóides. Nesse caso, no entanto, a transposição dos resultados para o material
metálico exige o uso da teoria da simulação.
As condições de operação dos tratamentos prévios também precisam ser controladas: na
preparação da matéria-prima (por fundição ou laminação) no tratamento de recozimento (com
controle de tempo, temperatura e atmosfera do forno de tratamento). Qual o objetivo da análise
dos fatores de influência?
é encontrar as condições de trabalho mais favoráveis e que conduzem à obtenção de um produto de
qualidade e custo especificados.
Como é classificado os produtos extrudados?
A classificação dos produtos extrudados é realizada de acordo com a forma de secção transversal. Que
podem ser barras (redondas, quadradas, hexagonais etc.), arames, tubos e perfis (ocos ou maciços) de
formas diversas.

Quais os materiais metálicos mais comumente extrudados?
São o alumínio, o cobre e suas ligas mas, outros metais não-ferrosos, de aplicação mais restrita, podem
ser também extrudados.
Tubos e barras de aço podem ser produzidos pelo processo de extrusão, mas isso ocorre de
forma limitada pelas dificuldades operacionais, quais são estas dificuldades?
Esses materiais (aços-carbono, aços inoxidáveis e alguns aços-liga) exigem elevadas temperaturas e
pressões de trabalho que criam dificuldades de lubrificação e, em conseqüência, impõem baixas
velocidades de trabalho e pequenas reduções.



Cite os defeitos que podem aparecer nos produtos extrudados, em função dos diversos
fatores de influência referentes ao material, mas principalmente às condições de operação:
a) vazios internos na parte final do extrudado, decorrentes ao problema, já analisado, do modo de
escoamento; uma velocidade de extrusão muito grande, principalmente ao final do processo, pode
acentuar a presença do defeito;
b) trincas de extrusão, de direção perpendicular à direção de extrusão, decorrentes de defeitos no lingote
ou no tarugo, ao ser empregada uma temperatura de trabalho muito alta, associada ou não a uma
velocidade elevada de extrusão;
c) escamas superficiais, ocasionadas pela aderência de partículas de material duro na superfície das
ferramentas, provenientes da ação de desgaste ou da quebra de camadas superficiais do recipiente de
extrusão; esse defeito pode ser causado também pelo desalinhamento do pistão ou por excessiva
temperatura de trabalho;
d) riscos de extrusão, causados por irregularidades superficiais na ferramenta ou por resíduos de óxidos
metálicos retidos em sua superfície;
e) inclusão de partículas de material estranho, que são arrastadas longitudinalmente, dando uma
aparência de manchas provocadas por raspagens;
f) bolhas superficiais provenientes de gases retidos na fundição do lingote para extrusão ou no tratamento
térmico de aquecimento para a mesma;
g) marcas transversais, provocadas pela parada da prensa e retomada do movimento;
h) manchas e perdas de cores, decorrentes da oxidação e contaminação superficial com substâncias
estranhas ou provenientes do lubrificante.

Quais os defeitos, provenientes da falta de homogeneidade estrutural, como granulação mais
grosseira na superfície, ou segregações, provocadas pelos processos de preparação do lingote
por fundição (ou tarugo por laminação) ou pela falta de uniformidade de temperatura através
da seção transversal durante a extrusão?
1º) defeitos decorrentes da geometria do lingote;
2º) defeitos decorrentes do estado da superfície do lingote (cavidade alongada, marcas longitudinais,
pregas duplas);
3º) defeitos decorrentes da lubrificação (ondulações e marcas pontuais);
4º) defeitos decorrentes do metal (marcas tipo “tronco de palmeira”, trincas e sulcos);
5º) defeitos decorrentes do desgaste da ferramenta
Como ocorre o defeito denominado como “falta de coesão interna na forma de V”,, que na
nomenclatura inglesa é conhecido como central burst ou chevroning, e na francesa como
chevron?
Pode ocorrer na conformação através de um canal cônico, como é usual na extrusão (e na trefilação)
dependendo da combinação de fatores de influência, como redução de seção, ângulo do cone (da
ferramenta), atrito e características do metal.

Esse defeito se apresenta de forma periódica ao longo do extrudado e como pode ser
evitado?
Pode ser evitado com o tratamento térmico de recozimento do tarugo a ser extrudado e também com
o arredondamento do canto formado pela parte cônica com a cilíndrica da ferramenta.