You are on page 1of 2

O estudo realizado tem como objetivo entender um pouco das culturas brasileira e                        

alemã, tendo em vista os conflitos existentes entre as duas no ambiente empresarial, além de                            
criar uma estratégia para solucionar os mesmos. 
1­ Principais características da cultura brasileira: 
A cultura deve ser entendida como aquilo – idéias, valores, pressupostos de ação, etc                          
– que os indivíduos compartilham em uma coletividade. Ao incorporar o conceito de cultura à                            
teoria das organizações, esta assumiu a forma de “cultura organizacional”, que seria as                        
manifestações culturais que são interpretadas de maneira consistente em uma organização.                    
Tendo isso em vista, podemos definir a cultura organizacional brasileira como uma série de                          
valores, idéias e pressupostos que caracterizam a maneira como administramos e nos                      
relacionamentos em nossas organizações. Entretanto, para entender o que é cultura                    
organizacional brasileira, devemos passar pelo delineamento do relacionamento entre cultura                  
organizacional e a cultura nacional, ou a influência que esta última exerce sobre a primeira. 
Podemos observar alguns traços que definem a cultura organizacional brasileira, como:                    
a hierarquia, o personalismo, a flexibilidade, o sensualismo e a aventura. 
A hierarquia é vista nas empresas, a partir do momento em que há uma distancia de                              
poder, a subordinação e a obediência caracterizando tradicionalmente as relações entre os                      
níveis hierárquicos. Tendo também como destaque a tendência autrocrática dos chefes,                    
relacionada ao processo de tomada de decisão, feito por uma interação social, na qual o chefe                              
toma as decisões junto aos subordinados, porém a “palavra final” continua sendo do chefe,                          
tendo maior responsabilidade na decisão final.Outra característica seria o personalismo, que                    
pode ser visto quando as relações sociais são baseadas no afeto e na atração pessoal que as                                
pessoas exercem sobre as outras, e não na especialização ou no mérito. O que muitas vezes                              
pode ser complementada pelo paternalismo, que é um modo de camuflar o excesso de poder                            
sob forma de proteção. 
Já a flexibilidade se dá ao “jeitinho”, que é o processo tipicamente brasileiro de se                            
atingir objetivos a despeito de determinações (leis, normas, regras, ordens etc.) contrárias. No                        
contexto empresarial, pode­se ver muito do “jeitinho” quando um trabalhador acaba em uma                        
situação na qual ele tem que encontrar uma maneira mais prática e rápida de solucionar um                              
problema, o que por muitos é visto como uma capacidade coletiva de superar obstáculos e as                              
adversidades. Representa flexibilidade, adaptabilidade e é um meio de navegação social,                    
porém quando levado ao extremo se torna a “malandragem”. Enquanto o sensualismo se dá                          
pelo fato de nossas relações interpessoais serem caracterizadas pela valorização da                    
proximidade e afetividade, como o exemplo dos “beijinhos” que está muito ligado ao caráter                          
sensual da cultura brasileira  
E por fim, a aventura diz respeito à tendência do brasileiro de se deixar levar pelo                              
mínimo esforço ao perseguir objetivos. Pode­se dizer que o brasileiro não se caracteriza pelo                          
planejamento e pela utilização criteriosa e exaustiva dos recursos disponíveis; diferentemente,                    
somos atraídos pelos ganhos de curto prazo. 
 
 
Fontes:  
http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/3213/P00337_1.pdf?seq
uence=1 
http://cultura­sa.blogspot.com.br/2010/08/segundo­fernando­motta­e­miguel­caldas.ht
ml 
http://www.desenvolvimento.gov.br/arquivo/secex/sti/indbrasopodesafios/edutecnologi
a/art04profMarileneCarvalho.pdf