Escola Secundária de Leal da Câmara

C u r s o E FA / S e c u n d á r i o – 2 0 0 9 / 1 0

Núcleo Gerador 5 – Tecnologias da Comunicação e Infor mação
Tema: (Contexto Institucional) – Media e Informação Competência: Relacionar-se com os mass media reconhecendo os seus impactos na constituição do poder mediático e tendo percepção dos efeitos deste na regulação institucional

Ficha

Os blogues e meios de comunicação
Uma boa parte das "relações perigosas" entre weblogs e os meios de comunicação social têm a sua origem na dificuldade em perceber o que são os weblogs e o que é o jornalismo. Bastante sintomática destas dificuldades é a muito antiga e mal formulada pergunta sobre se os blogues são jornalismo, bem como as variadas tentativas de, como que por magia, transformar redactores, editores e colunistas, em bloggers. Afirmar que os weblogs (blogues) são sítios Web pessoais, compostos por entradas individuais e organizadas mediante ordem cronológica inversa, não parece resolver o dilema, pelo que apresento o seguinte decálogo. 1. OS BLOGUES NÃO SÃO UM GÉNERO, SÃO UM MEIO Da mesma forma que os livros, as revistas ou os discos não são, respectivamente, romance policial, banda desenhada ou balada; os blogues não são autobiografia nem jornalismo. Em todos os casos, trata-se de media que, enquanto tal, podem ser utilizados para qualquer propósito comunicativo ou artístico. O meio não define o género, mas sim a linguagem e os formatos de informação (texto, imagem, áudio, vídeo) aos quais é possível recorrer. 2. OS BLOGUES NÃO SÃO MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA, SÃO MEDIA SOCIAIS Exceptuando uma mão cheia de casos excepcionais, os blogues são media de escala comunitária ou social. Consequentemente, a sua influência e repercussão não podem ser analisadas com os mesmos parâmetros que se utilizam para valorar os meios de comunicação de massa. A projecção de um blogue não está directamente relacionada com o seu tráfego, mas sim com a sua posição no seio da rede. A capacidade de influência dos blogues encontra-se mediatizada pela blogosfera em que se inscreve e que opera como caixa de ressonância das notícias e opiniões publicadas em sítios mais modestos. 3. OS BLOGUES NÃO SÃO ESPAÇOS PRIVADOS, SÃO COMUNICAÇÃO PÚBLICA "No meu blogue eu faço o que quero" é uma das duas tontices mais repetidas na blogosfera. O blogue é um medium público e o que não se pode fazer em público está regulado peia lei. "Escrevo apenas para mim", é a outra. Se um indivíduo escreve num meio público, então escreve para ser lido por outros, caso contrário redige num caderno e esconde-o. Os leitores merecem ser tratados com respeito, que não se lhes minta, que não sejam ocultados os conflitos de interesse do autor ou inclusivamente, em certas ocasiões, a sua identidade. 4. OS BLOGUES NÃO VÃO LEVAR AO FIM DE NENHUM MEIO DE COMUNICAÇÃO MAS ESTÃO A ORIGINAR TRANSFORMAÇÕES NOS MEDIA Como tem vindo a ocorrer regularmente na história das tecnologias da informação, o desenvolvimento de cada novo meio gera um discurso apocalíptico por parte dos media anteriores, que temem ser substituídos. O certo é que essa história demonstra que as relações entre media novos e antigos são regidas por uma dinâmica de acumulação e complementaridade, mas não de substituição. Os blogues não vão levar ao fim de nenhum meio de comunicação, mas estão a fazer com que muitos se transformem.

Cultura, Língua e Comunicação

Formador: Pedro Vitória

1/3

Escola Secundária de Leal da Câmara
C u r s o E FA / S e c u n d á r i o – 2 0 0 9 / 1 0

5. OS BLOGUES NÃO SÃO JORNALISMO POR SEREM BLOGUES (QUANDO O SÃO, É POR OUTRA RAZÃO) A relação que existe entre blogues e jornalismo é análoga àquela que pode colocar-se entre uma máquina de escrever e a literatura. As ferramentas que utilizamos para escrever não definem o género de uma obra. Neste sentido, os blogues são uma ferramenta (um gestor de conteúdos) que pode utilizar-se para variados propósitos. A identidade jornalística não deriva do acesso a ferramentas de gestão e publicação de conteúdos. 6. OS BLOGUES NÃO TÊM EDITORES, SÃO MEIOS AUTOGERIDOS PELOS SEUS AUTORES O velho paradigma da comunicação pública na era analógica «primeiro filtra-se, depois publica-se» é subvertido na era digital, na qual «primeiro publica-se, depois filtra-se». Os media sociais permitem exercer uma forma de comunicação pública na qual desaparece a figura dos editores e a revisão prévia dos conteúdos, e na qual os utilizadores assumem o papel de filtro social e os motores de pesquisa se transformam nos novos intermediários da informação. Um blogue é um meio que não possui editores e cujo funcionamento é assumido directamente pelo seu autor. 7. OS BLOGUES NÃO SÃO COMPLICADOS, MAS MANTÊ-LOS EXIGE DEDICAÇÃO A facilidade de criar um blogue contrasta com a dificuldade que supõe a redacção e publicação regular de conteúdos de qualidade. Ainda que inicialmente os blogues sejam fáceis, rápidos e gratuitos, o certo é que permanecer na blogosfera exige um esforço contínuo e por vezes até gera custos (domínio próprio, posting). Manter um blogue tem que ser divertido para o autor, tem que reflectir a sua paixão por algo, mas representa sem dúvida um esforço e exige tempo. 8. OS BLOGUES NÃO SÃO APENAS UM FORMATO, SÃO TAMBÉM UMA CULTURA Um blogue não se define apenas pelos seus elementos estruturais (entradas individuais, cronologia inversa, arquivos, categorias, comentários), nem exclusivamente pela utilização de um gestor de conteúdos (Blogger, TypePad, WordPress), supõe também a partilha e disseminação da cultura e estilo do meio. A blogosfera é não só o espaço virtual dos blogues na rede, como também a cultura que este meio tem vindo a construir ao longo da sua história 9. OS BLOGUES NÃO SÃO UM MONÓLOGO, SÃO UMA CONVERSA Ainda que a forma mais evidente de conversa num blogue seja os comentários que os leitores podem formular em cada entrada, o certo é que a metáfora do diálogo aplicada à blogosfera propala-se para além dessa prática, em particular mediante as ligações externas e os trackbacks. As referências cruzadas, construídas através dos links, constituem um dos eixos articuladores da blogosfera e da cultura dos blogues. 10. OS BLOGUES SÃO PESSOAIS Um blogue é a voz particular de alguém. Um blogue é o estilo do seu autor, os seus pontos de vista, as suas preferências, as suas manias e os seus gostos. Um blogue é a projecção de uma pessoa na rede, é uma identidade que se vai construindo e expressando a pedaços (links, textos, vídeos, imagens). Os blogues são pessoas que nos propõem uma conversa.
Retirado e adaptado de: Paula Oliveira Silva, Blogo, logo existo, Editora Media XXI, Porto, 2009

Tarefas: 1. Quais são as principais diferenças entre os media tradicionais e os blogues utilizados como meio de produção de notícias? 2. Caracterize o blogue como meio de expressão. 3. Que tipo de relação ou relações se pode estabelecer entre o autor de um blogue e o seu público?

Cultura, Língua e Comunicação

Formador: Pedro Vitória

2/3

Escola Secundária de Leal da Câmara
C u r s o E FA / S e c u n d á r i o – 2 0 0 9 / 1 0

4. Que acha do problema dos blogues serem um meio de comunicação sem “filtro”, ou seja, sem “editores”? No texto trabalhado na sessão presencial diz-se a certa altura: - “primeiro publica-se depois filtra-se”. Comente esta frase, tendo em conta a qualidade dos textos produzidos em blogues. 5. Acha quer os blogues podem ter um papel relevante na liberdade de expressão individual. Justifique apresentando exemplos e razões da sua posição. 6. Que consequências podem trazer o surgimento dos blogues ao espaço dos media tradicionais? 7. Ser "fácil" construir um blogue é o mesmo do que ser "fácil" construir e manter um excelente blogue? 8. Refira a importância dos comentários nos blogues. 9. O que entende pela noção de “blogosfera”? 10. O que é para si um excelente blogue? Justifique apresentando exemplos e razões da sua posição. 11. Acha importantes os blogues nas sociedades contemporâneas? Justifique. 12. Considera que poderá ser importante ter o seu blogue pessoal? Justifique.

Cultura, Língua e Comunicação

Formador: Pedro Vitória

3/3

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful