Equation Chapter 1 Section 1000 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

-

UFMA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CCET CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE ONDAS E LINHAS – TURMA 2 ALUNO: RAFAEL CARVALHO CORREIA EE06230-69 PROFESSOR: JONAS RIBEIRO

RELATÓRIO 2 LABORATÓRIO DE ONDAS E LINHAS

São Luís 19/10/2009

RELATÓRIO 2 LABORATÓRIO DE ONDAS E LINHAS

Relatório apresentado à disciplina de Laboratório de Ondas e Linhas pelo curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Maranhão UFMA, referente à segunda experiência. Prof. Jonas Ribeiro.

São Luís 19/10/2009

Sumário

1 2 3

OBJETIVOS...........................................................................................................3 INTRODUÇÃO TEÓRICA......................................................................................4 RESULTADOS.......................................................................................................7 3.1 3.2 3.3 3.4 ROE na Linha Terminada................................................................................7 Gráfico de Gama (Гx).......................................................................................9 Г e ROE em Pontos de Mínimos....................................................................12 Scripts Comentados......................................................................................13 VSWR.....................................................................................................13 Zx...........................................................................................................14 Gráfico SWR x λ.....................................................................................16

3.4.1 3.4.2 3.4.3 3.5

Responder Questão.......................................................................................17 Solução:.................................................................................................17

3.5.1 4

CONCLUSÕES....................................................................................................19

REFERÊNCIAS...........................................................................................................20 REFERÊNCIAS

1

OBJETIVOS

Calcular a razão de onda estacionária (ROE, ou em inglês SWR – Stand Wave Ratio) para uma onda de tensão propagando-se em uma linha de transmissão, em diversas situações de carga. Verificar a razão de onda estacionária (ROE ou VSWR), distância de mínima tensão vmx (medida a partir da carga), potência na carga, e o coeficiente de reflexão de uma linha de transmissão terminada para as seguintes condições: a) b) c) d) e) f) g) Linha casada; Linha em circuito-aberto; Linha em curto-circuito; Carga resistiva menor que a resistência característica da linha; Carga resistiva maior que a resistência característica da linha; Carga complexa indutiva; Carga complexa capacitiva.

1

INTRODUÇÃO TEÓRICA

Para uma linha de transmissão sem perdas, é sabido que a seguinte expressão é válida para o cálculo da impedância de entrada em qualquer ponto da linha: \* MERGEFORMAT0  Z + jZ O tan β l  Z ent = Z O  C   Z O + jZ C tan β l  Onde é referido como comprimento elétrico da linha, é a impedância

βl
característica da linha e

Z0
é a impedância da carga conectada à linha. Essa

ZC
expressão mostra que a impedância de entrada tem uma dependência periódica com a distância l da carga. Baseado nisso, podemos definir uma nova variável, como o

ΓC
coeficiente de reflexão da tensão (na carga). é a razão entre a onda refletida e a

ΓC
onda incidente, de modo que fornece uma informação quantitativa sobre os efeitos da reflexão e é dado pela seguinte expressão: \* MERGEFORMAT0 ΓC = Onde e V e V e
− γl 0 + −γ l 0

são respectivamente as amplitudes das ondas que se propagam na

VO

VO

+

direção negativa de z e na direção positiva de z, eixo tomado como referência para propagação de ondas em meios físicos. Da teoria de Eletromagnetismo, pode-se mostrar que essas grandezas dependem de l e são dadas por: \* MERGEFORMAT0

1 VO + = (VC + Z O I C )eγ l 2

\* MERGEFORMAT0

1 VO − = (VC − ZO IC ) e −γ l 2
Para uma dada condição inicial de que: \* MERGEFORMAT0
VC = V ( z = l )

\* MERGEFORMAT0
I C = I (z = l )

Em que

é a amplitude da onda de corrente na carga e

é a amplitude da onda de

IC

VC

tensão na carga (neste caso específico considera-se que l é a distância do gerador à carga). Substituindo isso na equação , obtemos: \* MERGEFORMAT0

ΓC =

Z C − Z0 Z C + Z0
pode der escrito em termos de

Observe que, por se tratar de um número complexo,

ΓC
seu módulo, , e sua fase, , da seguinte forma:

ρ

φ
\* MERGEFORMAT0
ΓC = ρ∠ ϕ

Desse modo, o coeficiente de reflexão da tensão em qualquer ponto da linha é a razão entre as amplitudes da onda refletida e incidente. Ou seja: \* MERGEFORMAT0 Γ( z ) = Fazendo V e V e
− γl 0 + −γ l 0

=

V 2γ l e V

− 0 + 0

, e substituindo isso na expressão acima, considerando a equação ,

z = l − l′
temos: \* MERGEFORMAT0 Γ( z ) = V 2γ l −2γ l ′ e e = Γ C e −2γ l ′ V
− 0 + 0

Deve-se enfatizar que o coeficiente de reflexão da corrente, em qualquer ponto, é dado pelo coeficiente de reflexão da tensão, multiplicado por .

(−1)
Agora vamos definir, do mesmo modo que se faz para ondas planas, uma razão de onda estacionária, abreviadamente, ROE, como: \* MERGEFORMAT0

s=

Vmáx Imáx 1 + ΓC = = Vmín Imín 1 − ΓC

Assim, a impedância de entrada da equação tem máximos e mínimos que ocorrem, respectivamente, nos máximos e mínimos das ondas estacionárias de tensão e corrente. Observa-se também que a ROE varia de um a infinito e é um valor real. Partindo das equações , e temos alguns casos interessantes a observar: I. Linha em Curto circuito ( )

ZC = 0
Nesse caso, temos que , de onde vemos que a impedância de

Z ent = jZ O tan β l
entrada se torna uma reatância pura, variando entra capacitiva e indutiva de acordo com o valor de l. Também, e .

ΓC = −1 s = ∞
)

II.

Linha em aberto (

ZC = ∞
Nesse caso, pela equação (16), vemos que , que

Z ent = lim Z ent = − jZ O cot β l
Z C →∞

novamente possui comportamento indutivo ou capacitivo, a depender de l. Nesse caso, e

ΓC = 1
III.

s=∞
)

Linha casada (

Z C = ZO
Este sem dúvida é o caso mais interessante em termos práticos. Isto porque com impedâncias casadas, a onda inteira será transmitida e não haverá reflexão, ocorrendo

assim, o fenômeno da máxima transferência de potência da fonte para a carga. Nesse caso a equação (16) nos dá . Para o coeficiente de reflexão e a ROE, esse é

Z ent = Z O
o caso mais interessante, uma vez que e . Ou seja, toda a onda é

ΓC = 0

s =1

transmitida e não há reflexão. Em termos de potência isso significa dizer que a potência incidente é completamente absorvida pela carga, ocorrendo a máxima transmissão de energia.

1

RESULTADOS

1.1

ROE na Linha Terminada

Por meio de uma simulação computacional, determine a razão de onda estacionária (ROE) para uma onda de tensão propagando-se em uma linha de transmissão sem perdas, tendo como parâmetros a impedância característica da linha, a impedância de carga e a posição z = l, ao longo da LT. Utilize os valores de ZL e ZO. Utilize os valores da tabela abaixo:

Tabela 1 - Valores de Zx

LT

z=0
ZC (Ω)

z=
VSWR (z = 0)

λ 16

Z0 (Ω) 150 150 150 150 150 150 150 150 150 150 150 150

ΓC
0 + 0i 0,3333 + 0i -0,3333 + 0i 0,0588 + 0,2353i 0,0588 - 0,2353i 0,0769 + 0,6154i 0,0769 - 0,6154i 0,5009 + 0,0208i 0,5009 - 0,0208i 0,68 + 0,24i 0,68 - 0,24i 0,0769 + 0,6154i

ρ ∠ϕ
0

ΓC
0 + 0i 0,2357 - 0,2357i -0,2357 + 0,2357i 0,208 + 0,1248i -0,1248 - 0,208i 0,4895 + 0,3807i -0,3807 - 0,4895i 0,3689 - 0,3395i 0,3395 - 0,3689i 0,6505 - 0,3111i 0,3111 - 0,6505i 0,4895 + 0,3807i

ρ ∠ϕ
0

VSWR (z = l)

150+0i 300+0i 75+0i 150+75i 150-75i 75+150i 75-150i 450+25i 450-25i 450+450i 450-450i 75+150i

1 2 2 1,6404 1,6404 4,2656 4,2656 3,0104 3,0104 6,1713 6,1713 4,2656

1 2 2 1,6404 1,6404 4,2656 4,2656 3,0104 3,0104 6,1713 6,1713 4,2656

0, 3333∠0º
0,3333∠180º

0,3333∠ − 45º
0,3333∠135º

0, 2425∠75,9638º
0, 2425∠ − 75,9638º

0, 2425∠30,9638º
0, 2425∠ −120,9638º

0, 6202∠82,8750º
0, 6202∠ − 82,8750º

0, 6202∠37,8750º
0, 6202 ∠ −127,8750º

0, 5013∠2,3777º
0,5013∠ − 2,3777º

0,5013∠ − 42,6223º
0,5013∠ − 47,3777º

0, 7211∠19,4400º
0, 7211∠19,4400º

0, 7211∠ − 25,5600º
0, 7211∠ − 64,4400º

0, 6202∠82,8750º

0, 6202∠37,8750º

150 150 150 150 150

75-150i 25+75i 25-75i 0i 1000000

0,0769 - 0,6154i -0,4483 + 0,6207i -0,4483 - 0,6207i -1 + 0i 0,9997 + 0i

0, 6202∠ − 82,8750º

4,2656 7,5339 7,5339 Inf 6666,6667

-0,3807 - 0,4895i 0,1219 + 0,7559i -0,7559 - 0,1219i -0,7071 + 0,7071i 0,7069 - 0,7069i

0, 6202 ∠ −127,8750º

4,2656 7,5339 7,5339 Inf 6666,6667

0, 7656∠125,8377º
0, 7656 ∠ −125,8377º

0, 7656∠80,8377º
0, 7656 ∠ −170,8377º

1∠180º
0,9997 ∠0º

1∠135º
0,9997 ∠ − 45º

1.2

Gráfico de Gama (Гx)

1.3

Г e ROE em Pontos de Mínimos

Considerando uma LT sem perdas de 0,25λ de comprimento, usada para os seguintes casos de impedância característica e de carga: a) Z0 = 100Ω, e ZL = (100 + j200)Ω

71,0 ; ROE = 5,83 ; Zx = 18,00 + 21,91i b) Z0 = 100Ω, e ZL = (200 + j0)Ω

|Γx| = 33,0 ; ROE = 2 ; Zx = 51,89+16,75i c) Z0 = 50Ω, e ZL = (150 - j50)Ω

|Γx| = 54,0 ; ROE = 3,37 ; Zx = 15,53+10,27i d) Z0 = 75Ω, e ZL = (73 - j42,5)Ω

|Γx| =28,0 ; ROE = 1,76 ; Zx = 43.98+11.32i e) Z0 = 50Ω, e ZL = (150 - j50)Ω

|Γx| = 54.0 ; ROE = 3,37 ; Zx = 15.53+10.27i Vemos que uma alternativa para determinarmos o coeficiente de reflexão Gama e a ROE é utilizarmos dos pontos de mínimo da tensão da onda estacionária a partir da seguinte expressão:

Z ( xmin ) =

Zo Z + Z otanhγ x min = Zo L S Z o + Z Ltanhγ x min

1.1
1.1.1

Scripts Comentados
VSWR

%Program 2: VSWR (Chapter 3, Section 3-4). C.W. Miller 19 December, 1998 %This program evaluates (3-4-11) and (3-4-26) to give the VSWR on a lossless %transmission line as a function of the load impedance. clear; timesrun=0; while timesrun<1000, if timesrun==0, % Parametros Pre-definidos RL=200;

XL=10; ZC=50; else,clr % Modificação dos parâmetros RL=input('Entre resistência de carga, RL: '); XL=input('Entre reatância de carga, XL: '); ZC=input('Entre impedância característica, ZC: '); end; % Módulo do coeficiente de reflexão mcr = sqrt(((RL-ZC)^2+XL^2)/((RL+ZC)^2+XL^2)); % VSWR (ROE) vswr = (1+mcr)/(1-mcr) % Saida do Programa disp(' '); disp(['Resistência de carga (RL) = ',num2str(RL),' ohms']); disp(['Reatância de carga (XL) = ',num2str(XL),' ohms']); disp(['Impedância característica (ZC) = ',num2str(ZC),' ohms']); disp(' '); disp(['VSWR= ',num2str(vswr)]); disp(['Módulo do coeficiente de reflexão= ',num2str(mcr)]); disp(' '); % Incrementando contador timesrun timesrun=timesrun+1; % Satisfazer condição para mudança de parâmetros, ou seja, o usuário poderá modificar os parâmetros para calculo do roe e etc. done=input('Entre 1 para modificar parâmetros: '); if done~=1 timesrun=1000; % sai do programa end; end;

1.1.2

Zx

% Program 1: ZX (chapter 3, Section 3-4). This program, based on code originally % written by Professor Jim Akers of Mississippi State University, calculates the % impedance Z at distances X from the load on a transmission line. The load % impedance may be either real or complex, and the distance along the line (in % electrical degrees) for which calculations are performed are userselectable. % C.W. Miller 19 December, 1998 clear; timesrun=0;

while timesrun<1000; if timesrun==0, Z0=50; R=200; X1=10; L0=0; L3=180; I=10; else, Z0=input('Enter characteristic impedance, Z0: '); R=input('Enter load resistance, R: '); X1=input('Enter load reactance, X1: '); L0=input('Enter starting distance from load (in degrees), L0: '); L3=input('Enter ending distance from load (in degrees), L3: '); I=input('Enter distance increment (in degrees), I: '); end; M1= sqrt((R-Z0)^2 + X1^2)/sqrt((R+Z0)^2 + X1^2); % modulo do coeficiente de reflexão na carga. if M1== 1 disp('VSWR at load is infinite'); else K = (1 + M1)/(1 - M1); %valor do VSWR taxa de relação de onda estacionária disp(['VSWR at load = ',num2str(K)]); if K == 1 disp('Line is matched'); end

end clear R4; clear I1; clear dist; hold off; count=0; for B = L0:I:L3; count=count+1; dist(count)=B/360; W1 = B./360; A = B.*pi/180; R1 = Z0 - (X1.*tan(A)); R2 = R.*tan(A); R3 = X1 + Z0.*tan(A); Q = Z0./(R1.^2 + R2.^2); L1 = Q.*(R.*R1 + R2.*R3); R4(count) = L1; L4 = Q.*(R3.*R1 - R2.*R); I1(count) = L4; disp(' '); disp(['Distance disp(['Distance disp(['ZX(real) disp(['ZX(imag) end;

from load (LX) = ',num2str(B),' deg']); from load (W1) = ',num2str(W1),' wavelengths']); = ',num2str(R4(count))]); = ',num2str(I1(count))]);

% Construção do Grafico plot(dist,R4,'-'); hold on; plot(dist,I1,'--'); title('Impedance at Distance X from Load'); xlabel('Distance in wavelengths'); ylabel('RX (solid) and XX (dashed)'); maxval=max([R4 I1]); xtext=dist(1)+max(dist)/15; ytext=0.9*maxval; text(xtext,ytext,['Characteristic impedance (Z0) = ',num2str(Z0),' ohms']); text(xtext,0.8*maxval,['Load resistance (R) = ',num2str(R),' ohms']); text(xtext,0.7*maxval,['Load reactance (X1) = ',num2str(X1),' ohms']); grid timesrun=timesrun+1; done=input('Enter 1 to modify parameters: '); if done~=1, timesrun=1000; end; end;

1.1.3
clear

Gráfico SWR x λ

rad2graus = 180/pi; %% AQUISIÇÃO DOS DADOS DE ENTRADA % Primeira e segunda colunas da tabela a = [150 150 150 300 150 75 150 150+j*75 150 150-j*75 150 0 150 10e5]; % Impedância de entrada Zo = a(:,1); % Impedância da carga Zl = a(:,2); % comprimento de onda normalizado lamb = 1; beta = 2*pi/lamb; % vetor com os valores possíveis de l x = 0:0.01:1; %x = 1; %z = lamb/16; z = 1;

z = z*x; %% DADOS PARA Z = 0 % Coeficiente de Reflexão RC0 = (Zl - Zo)./(Zl + Zo); % Módulo de RC mcr0 = abs(RC0); ang0 = angle(RC0); ang0 = ang0*rad2graus; % Relação de Onda Estacionária vswr0 = (1 + mcr0)./(1 - mcr0); %% DADOS PARA VALORES DE Z ~= 0 RC1 = RC0*exp(-2*beta*z*1j); mcr1 = abs(RC1); ang1 = angle(RC1); ang1 = ang1*rad2graus; % Relação de Onda Estacionária vswr1 = (1 + mcr1)./(1 - mcr1);

%% PLOTAGEM DOS GRÁFICOS [b, colunas] = size(a); for i = 1:b figure(i) hold on plot(x,mcr1(i,:),'r') plot(x,ang1(i,:),'g.') plot(x,RC1(i,:)) hold off end

1.2

Responder Questão

Um transmissor operando em 300MHz é ligado a uma antena através de um cabo coaxial RG 058 (atenuação de 29,1 dB/100 m, para esta freqüência), com 30m de comprimento. A relação de onda estacionária medida na entrada do cabo (saída do transmissor) foi de 1,2. Calcule a ROE na antena. Considere a mesma situação, somente trocando o cabo por um celular do tipo RGC 058 (atenuação de 16,64 db/100m, para esta freqüência). Comenta os resultados obtidos. Qual cabo você recomendaria utilizar, e por quê? Apresente seus argumentos com fundamentação técnica.

1.2.1

Solução: • • Atenuação Coeficiente de reflexão na entrada do cabo:

( 29,1 / 100 ) x 30 = 8,73 dB Γent = ( Sent -1 ) / ( Sent + 1 ) = (1.2 – 1) / (1.2 + 1) = 0.091 αxNEPER = 8,73 / 8,686 = 1,005e2αx = 7,463 Scarga = ( 1 + | Γent | e2αx ) / ( 1 - | Γent | e2αx ) = ( 1 + 0,091 – 7,463 ) / ( 1 – 0,091 x 7,463 ) = 5,2 O valor da ROE que é medida na entrada da linha pode nos levar a conclusões erradas se a atenuação (α) na linha de transmissão não for conhecida e considerada. Neste caso o valor da ROE = 1,2, que pode ser considerado aceitável na prática, está longe do valor efetivamente obtido na antena que é de 5,2. Este valor representa uma potência refletida na antena igual a 46% da potência incidente. Utilizando RGC 058 com atenuação de 16,64 dB / 100 m e operando a 300 MHz: • • Atenuação Coeficiente de reflexão na entrada do cabo: ( 16,64 / 100 ) x 30 = 4,992 dB Γent = ( Sent -1 ) / ( Sent + 1 ) = (1.2 – 1) / (1.2 + 1) = 0.091 αxNEPER = 4,992 / 8,686 = 0,5747 e2αx = 3,1564 Scarga = ( 1 + | Γent | e2αx ) / ( 1 - | Γent | e2αx ) = = (1 – (0,0909 –3,1564))/(1+ (0,909x-3,1564)) = 1,8 Após trocarmos os cabos, os cálculos resultaram em uma atenuação menor, e o valor na entrada se aproximou muito do que foi obtido na carga. Isso reflete em parte a necessidade de se usar linhas com menores perdas possíveis, de forma a aproximar nossa análise daquela feita anteriormente para uma linha sem perdas.

1

CONCLUSÕES

Através dos resultados obtidos percebeu-se que os cálculos das características de linhas de transmissão são de grande utilidade, uma vez que são parâmetros que determinam o quão boa é a linha em termos de transmissão de potência. Além disso, para diversas aplicações das linhas de transmissão, a análise torna-se mais simples em virtude da facilidade de seus cálculos. Portanto, a análise de casamento de impedâncias e cálculos de transmissão de potência por uma linha, pode ser efetuada levando em conta principalmente esses dois importantes fatores.

REFERÊNCIAS

SADIKU, Matthew N. O. Elementos de Eleromagnetismo. Tradução: Jorge Amoretti Lisboa. Editora Bookman. 3° Edição. Porto Alegre. 2004.