You are on page 1of 7

PETECA

A peteca como recreação
Registros no passado mostraram que a peteca, como recreação, era praticada pelos nativos brasileiros, mesmo antes
da chegada dos portugueses. Consequentemente, nossos antepassados, através de sucessivas gerações, também a
praticaram, fazendo chegar essa recreação indígena a todo o territrio brasileiro.
! aprimoramento dessa recreação deu"se em #$%&, e é atribuída aos nadadores olímpicos da delegação brasileira que
participavam da ' !limpíada, na chamada (peteca esticada ou rebatida(, utilizada, principalmente, como aquecimento
dos nadadores.
A peteca como competição / esporte
)a rua, da grama ou da areia para as quadras, transformando essa recreação em competição, s aconteceu em *inas
+erais na cidade de ,elo -orizonte, na década de .&, porém muito timidamente. /elizmente, na década de 0&, milhares
de homens e mulheres, velhos e moços, passaram a pratic1"la, diuturnamente, seguindo as suas regras devidamente
regulamentadas.
/inalmente, em %0 de agosto de #$23, o Conselho 4acional de )esporto " C)4, reconheceu o 5ogo de peteca como
esporte, por solicitação da /ederação *ineira de 6eteca " /ederação *ineira de 6eteca.
Definição sumária do jogo de peteca
Colocados os 5ogadores na quadra, um deles inicía o 5ogo com um saque, ou se5a, postado atr1s da linha de fundo ele
segura a peteca com uma mão, batendo nela com a outra, a fim de 5og1"la, por cima da rede, para o campo advers1rio.
! advers1rio deve, então, rebater a peteca, devolvendo"a, também, por cima da rede mas, com apenas um toque, como
no 5ogo de t7nis de campo ou mesa. Resumindo8 posta a peteca em 5ogo, através do saque, ela vai sendo 5ogada de um
advers1rio para outro até que se5a marcado um ponto. 9ste é conseguido quando a peteca cair no chão, dentro dos
limites da quadra, ou quando o advers1rio que recebeu o saque, a rebate na rede ou fora dos limites da quadra ou
quando o advers1rio comete alguma falta técnica.
! 5ogador consegue o ponto quando não dei:a a peteca cair em seu campo, ou não aconteceu nenhuma falta técnica
;toque na rede, invasão da linha central, condução, etc...<, ou ainda, quando o advers1rio não consegue rebate"la, ou se
consegue, não a devolve dentro dos limites do campo advers1rio, porque bateu na rede ou foi fora dos limites da
quadra. 6ara disputa do ponto seguinte, o 5ogador que conseguiu o ponto, inicia nova disputa de ponto através de um
novo saque.
Tipos de rebatidas (toques)
,atida b1sica ou batida por cima com os pés no chão=
,atida por bai:o ;quando a peteca vem muito bai:a ou muito pr:ima da rede<=
,atida saltando ;mais agressivo com maior poder ofensivo, porém, e:ige grande esforço físico<.
Tática do jogo
4ão errar=
6reparar o ponto sem precipitação, criando a oportunidade adequada=
>ntecipar a 5ogada=
9:plorar o lado fraco do advers1rio=
?sar seus pontos fortes ;aquelas 5ogadas que e:ecuta bem<=
)osar o esforço físico=
4ão 5ogar a peteca na mão dos advers1rios ;peteca a meia altura<.
ficia!i"ação e codificação das regras
/inalmente, sendo o 5ogo praticado em todos os estados da união, fazia"se necess1rio oficializ1"lo e, em
seguida codificar suas regras, de modo a evitar as d@vidas na interpretação do 5ogo. >qui cabe e:altar os esforços do
benemérito !utorgantino *agalhães )ias, o Aote, que depois de uma luta
incessante, viu"se aprovada a oficialização de esporte, na sessão do plen1rio, do
Conselho 4acional de )esportos " C)4, conforme deliberação nB #3C23, daquele
Drgão, de %0 de agosto de #$23, em ,rasília " )/, para a alegria de v1rios
milhares de aficionados, cabendo E Confederação ,rasileira de )esportos
Aerrestres " C,)A, o dever de codificar e estruturar o desporto como determina a
lei.A PETECA
Fegundo os registros do passado, mesmo antes da chegada dos portugueses no ,rasil, os nativos 51 5ogavam
peteca como forma de recreação, paralelamente, aos seus cantos, suas danças e suas alegrias.
Consequentemente, nossos antepassados, através das sucessivas gerações, foram"nos transmitindo essa
salutar atividade. >tualmente, milhares de aficionados, na fai:a de &0 a 2& anos, ou mais, dedicam, prazerosamente,
hor1rios di1rios, para 5ogar peteca, que em clubes, escolas, nas praias, nos bosques ou em quadras residenciais.
Guis o destino que, nos 5ogos da ' !limpíada, realizados na >ntuérpia, capital da ,élgica, em #$%&, a título de
recreação, os brasileiros que pela primeira vez participavam de uma !limpíada, levassem petecas, atraindo numerosos
atletas de outros países, interessados na sua pr1tica. Revela"nos o registro da época, que o )r. Hosé *aria Castelo
,ranco, chefe da )elegação ,rasileira, viu"se, momentaneamente, embaraçado pelos insistentes pedidos de regras
formulados por técnicos e atletas finlandeses que , evidentemente, demonstravam interesse pela nova atividade
desportiva. Coube a *inas +erais a primazia de dar"lhe sentido competitivo, realizando 5ogos internos nos clubes
pioneiros de ,elo -orizonte.
9m #$0I, surgiram as regras da peteca, dando margem para a fundação da /ederação *ineira de 6eteca "
/9*69, em #$03, confirmando, assim, o pioneirismo de um esporte nascido e desenvolvido entre ns. Como positivo
respaldo, h1 muitas publicações como livros, revistas, informativos, panfletos e reportagens que enfatizam as vantagens
da pr1tica desse esporte e que pode ser 5ogado por crianças e adultos sem limite de idade, sendo sadio e atraente para
os dois se:os, sem choques, sem acidentes cu5a velocidade é decorrente da homogeneidade dos contendores. >ssim,
em #$02, o *obral, editou o livreto ('amos Hogar 6eteca(, admir1vel publicação dos técnicos do Centro Cultural e do
+rupo 9:ecutivo da Campanha (9sporte 6ara Aodos( " +9C9A, do *inistério da 9ducação, sob a supervisão da 6rofJ.
*aria Kuíza +onçalves Cavalcanti. 6osteriormente, também a Fecretaria de 9ducação /ísica e )esporto do *9C, teve
uma parcela de marcante colaboração, divulgando essa pr1tica em todo o territrio nacional, com sucesso.
ficia!i"ação e Codificação das #egras
/inalmente, fazia"se necess1rio oficializar o 5ogo e, em seguida, codificar sua regras, de modo a evitar as
d@vidas na interpretação. >qui cabe e:altar, mais uma vez, os esforços do benemérito !utorgantino *agalhães )ias, o
Aote, que depois de uma luta incessante, viu aprovada a oficialização do esporte, na Fegunda Fessão do 6len1rio, do
Conselho 4acional de )esporto " C4), conforme )eliberação nB #3C23 de #0 de agosto de #$23, em ,rasília, cabendo
E Confederação ,rasileira de )esporto Aerrestres " C,)A, o dever de codificar e estruturar o desporto como determina
a lei.
Consequentemente, em &# de abril de #$2L, a C,)A nomeou o desportista Malter Hosé dos Fantos, para
dirigir seu )epartamento de 6eteca, codificar as regras e regulamentos para possibilitar em #$20, a realização do
6rimeiro Campeonato ,rasileiro de 6eteca. 4o dia &L de novembro de #$2L, realizou"se, em ,elo -orizonte, a primeira
reunião especialmente convocada para o estudo das provid7ncias, decorrido o tempo para consultas e estudos, a %I de
fevereiro de #$20, foi realizada a reunião final para definir o te:to das Regras, também em ,elo -orizonte, sob a direção
do )iretor da C,)A, participando da mesma o 6residente da /ederação ,rasiliense de 6eteca, Kuiz >stolfo de >ndrade
Aiburcio e o 6residente 6aulista de 6eteca, *1rio *eirelles. 9m #$$3, sob a direção do 6residente da Confederação
,rasileira de )esporto Aerrestres, 4ilton Fei:as 4ecchi, e do )iretor do )epartamento de 6eteca da C,)A, >ntNnio
Hosé *agnavacca, do 6residente da /ederação *ineira de 6eteca, Onim1 Rodrigues de Fouza, e do 6residente da
/ederação ,rasiliense de 6eteca Kuiz >stolfo >. Aiburcio, foram introduzidas alterações visando tornar o 5ogo mais
competitivo e atraente. 9ntre essas alterações destaca"se a tomada de saque com a fi:ação de tempo para a conquista
do ponto.
#egra $%& ' Da quadra
Dimens(es e Equipamentos
Fer1 de #3,&& m por 0,3& m para o 5ogo de
duplas.
Fer1 de #3,&& m por 3,3& m para o 5ogo de
simples.
! piso da quadra dever1 ter uma superfície
1spera e uniforme, a fim de facilitar a
movimentação dos atletas.
> quadra ser1 delimitada por linhas com &,&3
m de largura, as quais fazem parte integrante
da mesma.
Kinha central é a que divide a quadra ao meio.
/ica estipulada uma cor padrão para a quadra de peteca8 verde com as linhas demarcatrias da cor laran5a"trPnsito.
9m toda e qualquer competição, adotar"se"1 fitas sinalizadoras nas linhas de fundo da quadra.
#egra )%& ' Da rede
Dimens(es* Acess+rios* Cores* Posição e Postes
)imensões8 0,L& m de comprimento por
&,L& m de largura e, os quadrados de
malha medindo &,&. m por &,&. m, tecida
de nQlon ou material similar, com debruns
de &,&3 m nas e:tremidades,
acompanhando as linhas laterais do
campo.
>ltura 6adrão8 %,.I m para 5ogos da
categoria masculino e %,%. m para o
feminino, oficiais eCou amistosos.
6ostes destinados E colocação da rede8 deverão estar a &,3& m de distPncia das linhas laterais.
#egra ,%& ' Da peteca
Dimens(es* Peso e -ateriais
,ase8 o diPmetro dever1 ter de &,&3& m a &,&3% m. > altura da peteca ser1 de &,%& m, inculindo as penas. 6eso8 de .&
a .% gramas apro:imadamente.
6enas8 brancas, em n@mero de . ;quatro<, amarradas a &,&3 m abai:o das e:tremidades superiores, formando um
diPmetro de &,&. a &,&3 m.
! material da base dever1 ser de borracha, em camadas sobrepostas.
#egra .%& ' Das arbitragens
/rbitros e seus Au0i!iares
! 1rbitro principal dirige o 5ogo e suas
decisões são soberanas.
6ara os 5ogos oficiais, caber1 E /ederação
a indicação dos 1rbitros e seus au:iliares,
com as mesmas atribuições contidas no
item
6ara os 5ogos amistosos, os 1rbitros e seus
au:iliares serão escolhidos pelas equipes
participantes, com plena anu7ncia da
/ederação.
Compete ao 1rbitro principal, que ficar1
colocado em frente E linha central da
quadra, do mesmo lado da equipe que
estiver com a vantagem ;saque<, conduzir
o 5ogo com precisão, registrando os
acontecimentos e fazendo com o mes1rio a contagem dos pontos, em cada set, em voz alta, se não houver placar ao
p@blico.
! 1rbitro au:iliar, portar1 bandeira para assinalar a queda da peteca para dentro ou para fora da quadra, a5udado pelas
fitas sinalizadoras 1s linhas de fundo.
> equipe de arbitragem para cada 5ogo ser1 composta de &# ;um< 1rbitro principal, &# ;um< 1rbitro au:iliar e um
mes1rio, que far1 anotações na s@mula e cronometrar1 o 5ogo. >o 1rbitro au:iliar competir1, usando apito, assinalar os
I& segundos.
!s 1rbitros e mes1rio escalados não poderão ser recusados.
Fomente os capitães eCou técnicos terão direito de dirigir"se ao 1rbitro e seus au:iliares, para pedido de tempo ou
qualquer e:plicação a respeito do 5ogo.
#egra 1%& ' Dos at!etas
23meros* 4imites de inscrição
!s atletas devem estar uniformizados, com uma camiseta, um calção e tenis.
)evem ter na camiseta um n@mero de #3 cm de altura, por &,&% cm de largura.
!s atletas deverão apresentar"se E quadra com uniforme limpo e bem cuidado.
4o caso de dupla, o n@mero de atletas inscritos de uma equipe não poder1 ser superior a &I ;tr7s<.
6ara a simples, o n@mero de atletas inscritos de uma equipe não poder1 ser superior a &% ;dois<.
>ntes de cada 5ogo as equipes se apresentarão E mesa da comissão, para o respectivo registro da presença dos atletas
e indicação dos seus capitães.
!s atletas não inscritos não poderão participar do 5ogo.
Aanto na dupla como na simples, os atletas s poderão ser substituidos &% ;duas< vezes, na desenrolar de cada set.
#egra 5%& ' Do jogo
!s (Fets(e a 6ontuação. ! Aempo Relacionado E 6ontuação. )esempate. Arocas de Kado.
! atleta deve conhecer as regras do 5ogo e cumpri"las estritamente.
4@mero de sets em &# 5ogo8 todos os 5ogos serão disputados em melhor de &I ;tr7s< sets. Cada set ter1 tempo limite de
%& minutos cronometrados de peteca em 5ogo, ou #% ;doze< pontos com tomada de saque.
A escolha da quadra obedecerá a seguinte ordem:
!s capitães tirarão a sorte para opção de escolha da quadra ou do saque.
4ão haver1 troca de posições, as equipes permanecerão como terminaram o #B set, sendo que o saque pertencer1 E
equipe que não iniciou sacando no #B set.
! 1rbitro principal proceder1 a novo sorteio para escolha da quadra ou do saque.
Aroca de quadras8 autom1tica logo que uma das equipes atin5a &L ;seis< pontos ou o tempo de 5ogo alcance #& ;dez<
minutos, em cada set.
!s pontos serão assinalados pelo 1rbitro principal e seus au:iliares, quando a base da peteca atingir os limites
demarcatrios da quadra.
/icam proibidas quaisquer anotações de pontos na s@mula, sem o pleno conhecimento do 1rbitro principal, que
anunciar1 o placar, aps a conquista de cada ponto, preservando"se, desta maneira, a ordem e a segurança na
competição.
! pedido de tempo8 por solicitação da equipe, o 1rbitro principal poder1 conceder uma interrupção de 5ogo, com a
duração m1:ima de &# ;um< minuto, quando a peteca estiver fora de 5ogo.
Cada equipe poder1 pedir, no m1:imo, &% ;dois< tempos em cada set.
Guando o 5ogo for de duplas, não poder1 ser realizado com apenas um atleta.
4os sets de cada 5ogo, ser1 permitido o rodízio entre os &I ;tr7s< atletas de uma mesma equipe, podendo haver, no
m1:imo, &% ;duas< substituições em cada set, que serão solicitadas pelo seu técnico eCou capitão ao 1rbitro principal. >s
substituições s serão permitidas quando a peteca estiver fora de 5ogo.
)urante os sets o IB atleta e o treinador devem permanecer sentados no banco de reserva, ou de pé na 1rea
previamente determinada pelo 1rbitro principal. R proibido aos mesmos dar instruções Es suas equipes, senão quando
houver pedido de tempo.
Cada set se compõe de #% ;doze< pontos ou %& ;vinte< minutos cronometrados de peteca em 5ogo. > equipe que antes
dos %& ;vinte< minutos completar #% ;doze< pontos de vantagem, ser1 considerada vencedora do set. 9sgotados os %&
;vinte< minutos, ser1 vencedora do set a equipe que tiver maior n@mero de pontos. Fe estiverem empatadas, o 5ogo ter1
prosseguimento até que uma das equipes obtenha um ponto de vantagem sobre a outra.
+anhar1 o 5ogo a equipe que vencer &% ;dois< sets.
9m todos os 5ogos ser1 concedido pelos 1rbitros um intervalo de &I ;tr7s< minutos entre os sets.
#egra 6%& ' Das interrupç(es do jogo
Crit7rios% 4esão de 8ogadores%
4as situações imprevistas, a critério do 1rbitro, o 5ogo poder1 ser interrompido e o ponto em disputa ser novamente
5ogado.
Guando o 5ogo for interrompido e a paralização for inferior a I& ;trinta< minutos, o 5ogo ter1 sequ7ncia normal,
mantendo"se os resultados até ali registrados.
Guando o 5ogo for interrompido e não puder ser reiniciado dentro de I& ;trinta< minutos, no m1:imo, caber1 E comissão
técnica, marcar nova data, local e hor1rio para o seu reinício, prevalecendo os resultados do set eCou sets 5ogados no
ato da paralização, recomeçando o set em disputa com o placar de & : & ;zero a zero<.
4o caso de lesão de uma atleta, serão concedidos &3 ;cinco< minutos de interrupção. Fe o atleta não tiver condições de
continuar 5ogando e se a equipe 51 houver realizado as &% ;duas< substituições do set em 5ogo, o mesmo ser1
encerrado, sendo considerada vencedora a equipe advers1ria pelo placar de #% ;doze< a zero. 6ara o set seguinte ;se
houver< o 5ogo ter1 a sequ7ncia normal.
Dimens(es* Acess+rios*
Cores* Posição e
Postes
)imensões8 0,L& m de comprimento por
&,L& m de largura e, os quadrados de
malha medindo &,&. m por &,&. m,
tecida de nQlon ou material similar, com
debruns de &,&3 m nas e:tremidades, acompanhando as linhas laterais do campo.
>ltura 6adrão8 %,.I m para 5ogos da categoria masculino e %,%. m para o feminino, oficiais eCou amistosos.
6ostes destinados E colocação da rede8 deverão estar a &,3& m de distPncia das linhas laterais.
C- #EC#EA9:
Registros no passado mostraram que a peteca, como recreaçao, era praticada pelos nativos brasileiros, mesmo antes
da chegada dos portogueses. Consequentemente, nossos antepassados, através de sucessivas gerações, também a
praticaram, fazendo chegar essa recreação indígena a todo o territrio brasileiro.
& aprimoramento dessa recreação deu"se em #$%&, e é atribuída aos nadadores olímpicos da delegação brasileira que
participavam da ' !limpíada, na chamada (peteca esticada ou rebatida(, utilizada, principalmente, como aquecimento
dos referidos nadadores.
C- C-PET;9:
)a rua, da grama ou da areia para as quadras, transformando essa recreação em competição, s aconteceu em *inas
+erais na cidade de ,elo -orizonte, na década de .&, porém muito timidamente. /elizmente, na década de 0&, milhares
de homens e mulheres, velhos e moços, passaram a pratic1"#a, diuturnamente, seguindo as suas regras devidamente
regulamentadas.
A PETECA C- E<P#TE
/inalmente, em %0 de agosto de #$23, o Conselho 4acional de )esporto ;C)4< reconheceu o 5ogo de peteca como
esporte, por solicitação da /9*69 " /ederação *ineira de 6eteca.
=A2TA>E2< D 8> DE PETECA
R um esporte aerbico, portanto, aumenta a apitidao física de seus praticantes=
Requer espaço pequeno para a sua pr1tica=
9sporte de massas, pois nao h1 limites de idade ;mesmo como competição<=
R um esporte barato para se praticar=
9sporte salutar, movimentado e agrad1vel, proporcionando grande satisfagao a quem o pr1tica=
9sporte que aprimora os refle:os, o golpe de vista e a vigilPcia=
9sporte que é (m1quina de se fazer amigos(=
6ara os torneios, copas e campeonatos, são estabelecidos padrões limitativos de idade= Onfantis, Huvenis e >dultos=
9:celente meio de descarga psicolgica para tensões e frustrações=
?tilizado como recreação é muito @til como passatempo, alegre, agrad1ve# e descontraído.
DE?;2;9: <@-/#;A D 8> DE PETECA
Colocados os 5ogadores na quadra, um deles inicía o 5ogo com um saque, ou se5a, postado atr1s da linha de fundo ele
segura a peteca com uma mão, batendo nela com a outra, a fim de 5og1"la, por cima da rede, para o campo advers1rio.
& advers1rio deve, então, rebater a peteca, devolvendo"a, também, por cima da rede mas, com apenas um toque, como
no 5ogo de t7nis de campo ou mesa.
Resumindo:
6osta a peteca em 5ogo, através do saque, ela vai sendo 5ogada de um advers1io para o outro até que se5a marcado um
ponto. 9ste é conseguido quando8 a peteca cair no chao, dentre os limites da quadra, ou quando o advers1io que
recebeu o saque, a rebate na rede ou fora dos limites da quadra ou quando o advers1rio comete alguma falta técnica.
5ogador consegue o ponto, ou a vantagem, quando nao dei:a a peteca cair em seu campo, ou não aconteceu nenhuma
falta técnica ;toque na rede, invasao da linha central, condução etc.<, ou ainda, quando o advers1io não consegue
rebate"la, ou se consegue, não a devolve dentro dos limites do campo advers1io, porque bateu na rede ou foi fora dos
limites da quadra. 6ara disputa do ponto seguinte, o 5ogador que conseguiu o ponto, inicia nova disputa de ponto
através de um novo saque.
T;P< DE #EAAT;DA< (TB@E<)
,atida b1sica ou batida por cima com os pés no chão=
,atida por bai:o ;quando a peteca vem muito bai:a ou muito pr:ima da rede<=
,atida saltando ;mais agressivo com maior poder ofensivo, porém, e:ige grande esforço físico<.
T/T;CA D 8>
4ão errar=
6reparar o ponto sem precipitação, criando a oportunidade adequada=
>ntecipar a 5ogada=
9:plorar o lado fraco do advers1io=
Aomar a iniciativa do 5ogo=
?sar seus pontos fortes ;aquelas 5ogadas que e:ecuta bem<=
)osar o esforqo físico=
4ão 5ogar a peteca na mão dos advers1ios ;peteca a meia altura<=
Dimens(es* Peso e -ateriais
,ase8 o diPmetro dever1 ter de &,&3& m a &,&3% m. > altura da peteca ser1 de &,%& m, inculindo as penas. 6eso8 de .&
a .% gramas apro:imadamente.
6enas8 brancas, em n@mero de . ;quatro<, amarradas a &,&3 m abai:o das e:tremidades superiores, formando um
diPmetro de &,&. a &,&3 m.
! material da base dever1 ser de borracha, em camadas sobrepostas.
C@#;<;DADEC
> influ7ncia indígena na peteca est1 definitivamente gravada em seu prprio nome.
'1rias palavras de nosso idioma t7m origem no tupi guarani. 9 a peteca é uma delas. !
verbo socar, por e:emplo, vem de soc, que é bater com mão fechada. 4o mesmo sentido,
bater com a mão aberta é petec, e vem daí o termo peteca.
'oc7 sabia que a peteca é invenção dos índios brasileirosS >ntes dos colonos
portugueses chegarem aqui no ,rasil em #3&&.
4aquela época, a peteca era composta por uma base de palha e penas de aves. >
brincadeira de peteca era uma forma da comunidade indígena recrear e essa pr1tica
passou por diversas gerações.
9m #$23, a peteca foi oficializada como uma pratica esportiva, % anos depois
aconteceu o primeiro Campeonato ,rasileiro de 6eteca em quadra.
6ara o presidente da Confederação ,rasileira de 6eteca, *1rcio 6edrosa, a peteca além
de ser reconhecida em todo territrio nacional e *inas +erais é o 9stado que mais
pratica. -o5e a competição é reconhecida e praticada por crianças, 5ovens e adultos
internacionalmente.

6arecido com o t7nis, o badminton também usa raquetes, mas troca a bola de feltro por uma petecaT
-o5e, é o esporte com raquetes mais r1pido do mundoT > velocidade da peteca pode chegar a %L& UmChTTT Osso é
possível, porque a peteca é bem leve, pesa em média cinco gramas e é feita com #L penas de asa de ganso.
R e:igido que os 5ogadores tenham um timo preparo físico, porque é preciso correr mais ou menos, #,L quilNmetros
em campo. Osso é muuuuita corrida, quase duas vezes mais que um tenista...-a5a fNlego, heinST
! badminton entrou para os esportes olímpicos em #$$%, nos 5ogos de ,arcelona ;l1 na 9spanha< e desde sua
estréia, os países que lideram o ranUing são a Ondonésia e China. 6ara voc7 que quer treinar, segue algumas regras do
5ogo que misturam t7nis com vNlei8
"! ob5etivo é colocar a peteca no chão da quadra do advers1rio. Fão tr7s partidas valendo %# pontos cada.
'ence quem ganhar duas partidas ;ou as tr7sT<
" 6ara colocar a peteca em 5ogo, o sacador deve bater nela de bai:o para cima e em posição diagonal ao
advers1rio.
" R proibido dar dois toques seguidos no mesmo lado da quadra. Fe a peteca acertar um 5ogador ou bater no
teto, é considerado falta.
PodeC ?sar culos protetores para não ser atingido por uma peteca que voa h1 mais de #&&UmChora
2ão podeC ?sar as mãos e os pés como raquete.