You are on page 1of 7

P

á
g
i
n
a
1

MANUAL DO BENEFICIÁRIO
Mais que um benefício criado pelo Governo Federal, o Passe Livre é uma conquista da sociedade.
Um avanço que trouxe mais respeito e dignidade para o portador de deficiência.
Com o Passe Livre, você vai poder viajar por todo o país. Use e defenda o seu direito. O bom
funcionamento do Passe Livre depende também da sua fiscalização. Denuncie, sempre que souber de
alguma irregularidade. Faça valer a sua conquista. E boa viagem!
Conheça Melhor o Passe Livre
Quem tem direito ao Passe Livre?
Portadores de deficiência física, mental, auditiva ou visual comprovadamente carentes.
Quem é considerado carente?
Aquele com renda familiar mensal per capita de até um salário mínimo. Para calcular a renda, faça o
seguinte:
rendimentos que não o salário (lucro de atividade agrícola, pensão, aposentadoria, etc.), esses devem
ser computados na renda familiar.

desde que morem em sua casa.
ia será
considerado carente.
Quais os documentos necessários para solicitar o Passe Livre?

 certidão de nascimento;
 certidão de casamento;
 certidão de reservista;
 carteira de identidade;
 carteira de trabalho e previdência social;
 título de eleitor.
deficiência ou incapacidade do interessado.
iliar mensal per capita igual ou inferior a
um salário mínimo nacional, (formulário anexo).

P
á
g
i
n
a
2

Atenção: Quem fizer declaração falsa de carência sofrerá as penalidades previstas em lei.
Como solicitar o Passe Livre?
-os e anexando um dos documentos
relacionados. Uma vez preenchidos, os formulários devem ser enviados ao Ministério dos
Transportes no seguinte endereço: Ministério dos Transportes, Caixa Postal 9.600 - CEP 70.040-976
- Brasília (DF). Neste caso, as despesas de correio serão por conta do beneficiário; ou
para que o
Ministério dos Transportes possa lhe remeter o kit do Passe Livre. A remessa ao Ministério dos
Transportes, dos formulários preenchidos, junto com a cópia do documento de identificação e o
original do Atestado (laudo) da Equipe Multiprofissional do Sistema Único de Saúde (SUS), é
gratuita e deve ser feita no envelope branco, com o porte pago.
Atenção: Não aceite intermediários. Você não paga nada para solicitar o Passe Livre.
Quais os tipos de transporte que aceitam o Passe Livre?
Transporte coletivo interestadual convencional por ônibus, trem ou barco, incluindo o transporte
interestadual semi-urbano. O Passe Livre do Governo Federal não vale para o transporte urbano ou
intermunicipal dentro do mesmo estado, nem para viagens em ônibus executivo e leito.
Como conseguir autorização de viagem nas empresas?
Basta apresentar a carteira do Passe Livre do Governo Federal junto com a carteira de identidade nos
pontos-de-venda de passagens, até três horas antes do início da viagem. As empresas são obrigadas a
reservar, a cada viagem, dois assentos para atender às pessoas portadoras do Passe Livre do Governo
Federal.
Atenção:
Se as vagas já estiverem preenchidas, a empresa tem obrigação de reservar a sua passagem em outra
data ou horário. Caso você não seja atendido, faça a sua reclamação pelo telefone (61) 2029.8035.
Passe Livre dá direito a acompanhante?
Não. O acompanhante não tem direito a viajar de graça.
Informações e Reclamações
Informações:
Posto de atendimento - SAN Quadra 3 Bloco N/O térreo - Brasília/DF telefones: (61) 2029.8035.
Caixa Postal - 9.600 - CEP 70.040-976 - Brasília/DF
e-mail: passelivre@transportes.gov.br

Reclamações:
e-mail: passelivre@transportes.gov.br ou
Caixa Postal - 9.600 - CEP 70.040-976 - Brasília/DF



P
á
g
i
n
a
3


Conheça melhor o Passe Livre
AS EMPRESAS

O Passe Livre só será válido em serviço convencional das empresas de transporte coletivo interestadual de
passageiros nas modalidades ônibus, trem ou barco, incluindo transportes interestaduais semi-urbanos.
AS VAGAS
As empresas devem reservar dois assentos por viagem, preferencialmente nos lugares da frente. Caso as
passagens não sejam solicitadas até três horas antes da viagem, as duas vagas podem ser vendidas a outros
passageiros.
O CONTROLE
O Passe Livre só será concedido a pessoas portadoras de deficiência física, mental, auditiva ou visual que
sejam comprovadamente carentes.
Todo o controle do cadastramento será centralizado pelas secretarias de Transportes Terrestres e de
Transportes Aquaviários do Ministério dos Transportes.
A PASSAGEM
A empresa de transporte emitirá o Documento de Autorização de Viagem (DAV), contendo as seguintes
informações:
1. Nome da empresa, endereço e número do CNPJ/MF.
2. Denominação "Autorização de Viagem – Passe Livre".
3. Data da emissão.
4. Número de ordem do documento.
5. Origem e destino da viagem.
6. Linha e seu prefixo.
7. Data e horário da viagem.
8. Número da poltrona.
9. Nome do beneficiário.
O DAV deve ser emitido, no mínimo, em três vias – a primeira para a empresa, a segunda fica com o
beneficiário e a terceira, encaminhada ao órgão de fiscalização da Secretaria de Transportes
Terrestres (STT) ou Secretaria de Transportes Aquaviários (STA).
A IDENTIFICAÇÃO
A solicitação do DAV, mediante apresentação da carteira do Passe Livre, pode ser feita pelo beneficiário ou
por pessoa por ele indicada. No ato do embarque, o beneficiário deve apresentar a carteira de Passe Livre
junto com um documento de identificação.
A BAGAGEM
A bagagem da pessoa portadora de deficiência e os equipamentos indispensáveis à sua locomoção devem
ser transportados gratuitamente e colocados em lugar adequado e acessível ao usuário.
O TREINAMENTO
As empresas devem orientar todo o seu pessoal sobre o atendimento correto às pessoas portadoras de
deficiência. Para isso, estamos enviando em anexo o Manual de Comportamento.
A PENALIDADE
As empresas que infringirem a Lei 8.899 estão sujeitas a penalidade de multa (de R$ 550 a R$ 10.500).
Lei 8.899, de 29/06/1994.
Decreto 3.691, de 19/12/2000.


P
á
g
i
n
a
4

DIREITOS E BENEFÍCIOS AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA E DE DOENÇAS
GRAVES - COMPARTILHE A INFORMAÇÃO!
Sergio Ferreira Pantaleão
Em meio a tantas leis e normas que alteram diuturnamente, é comum que pessoas portadoras de
doenças graves ou mesmo os responsáveis por estes doentes, desconheçam quais são os direitos ou
benefícios existentes que podem contribuir para melhorar a condição de vida dos pacientes, bem
como, indiretamente, dos responsáveis diretos por cuidar destes doentes.
As Doenças Crônicas ou graves são doenças de evolução prolongada, permanentes, para as quais,
atualmente, não existe cura, afetando negativamente a saúde e funcionalidade do paciente. No
entanto, os seus efeitos podem ser controlados, melhorando sua qualidade de vida.
A bem da verdade, quando não há ninguém na família que seja portador de alguma doença grave é
normal não se interessar em buscar mais informações ou mesmo ignorar uma notícia que ouvimos ou
vemos num jornal, revista ou TV.
Mesmo que tal situação não seja uma realidade na família é quase impossível se dizer que não
conhecemos um vizinho, parente de um amigo, conhecido do trabalho, da escola ou do meio social
em que vivemos, que seja portador de doença grave e que possa estar precisando de ajuda.
Por isso, é importante despertar esta preocupação com o próximo, buscando repassar todo tipo de
informação e conhecimento que, de alguma forma, vá contribuir para que estes portadores busquem
melhorar sua condição de vida e de suas famílias, requerendo junto aos órgãos municipais, estaduais
e federais, o reconhecimento de seus direitos.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) define como doenças crônicas as doenças cardiovasculares
(cerebrovasculares,isquêmicas), as neoplasias, as doenças respiratórias crônicas e diabetes mellitus.
A OMS também inclui nesse rol aquelas doenças que contribuem para o sofrimento dos indivíduos,
das famílias e da sociedade, tais como as desordens mentais e neurológicas, as doenças bucais,
ósseas e articulares, as desordens genéticas e as patologias oculares e auditivas.
O art. 151 da Lei 8.213/91 (Planos de Benefícios da Previdência Social) dispõe uma lista de doenças
consideradas graves, a saber:
 tuberculose ativa;
 hanseníase;
 alienação mental;
 neoplasia maligna (câncer);
 cegueira;
 paralisia irreversível e incapacitante;
 cardiopatia grave;
 doença de Parkinson;
 espondiloartrose anquilosante;
 nefropatia grave;
 estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante);

P
á
g
i
n
a
5

 síndrome da deficiência imunológica adquirida - AIDS;
 contaminação por radiação, com base em conclusão da medicina especializada; e
 hepatopatia grave.
DIREITOS E BENEFÍCIOS DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA E DE DOENÇAS
GRAVES
Isenção do Imposto de Renda
São isentos do Imposto de Renda os rendimentos sejam relativos a aposentadoria, pensão ou reforma
(outros rendimentos não são isentos), incluindo a complementação recebida de entidade privada e a
pensão alimentícia, os portadores das seguintes doenças:
 AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida);
 Alienação mental;
 Cardiopatia grave;
 Cegueira;
 Contaminação por radiação;
 Doença de Paget em estados avançados (Osteíte deformante);
 Doença de Parkinson;
 Esclerose múltipla;
 Espondiloartrose anquilosante;
 Fibrose cística (Mucoviscidose);
 Hanseníase;
 Nefropatia grave;
 Hepatopatia grave (observação: nos casos de hepatopatia grave somente serão isentos os
rendimentos auferidos a partir de 01/01/2005);
 Neoplasia maligna;
 Paralisia irreversível e incapacitante;
 Tuberculose ativa.
Isenção do IPI - Imposto sobre Produtos Industrializados
As pessoas portadoras de deficiência física, visual, mental severa ou profunda, ou autistas, ainda que
menores de 18 (dezoito) anos, poderão adquirir, diretamente ou por intermédio de seu representante
legal, com isenção do IPI, automóvel de passageiros ou veículo de uso misto, de fabricação nacional,
classificado na posição 87.03 da Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados
(Tipi).
O direito à aquisição com o benefício da isenção poderá ser exercido apenas uma vez a cada dois
anos, sem limite do número de aquisições, observada a vigência da Lei nº 8.989, de 1995 atualmente
prorrogada pela Lei 11.941/2009, art. 77, até 31.12.2014.

P
á
g
i
n
a
6

Isenção do IOF - Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou Relativas a Títulos
ou Valores Imobiliários
São isentas do IOF as operações financeiras para aquisição de automóveis de passageiros de
fabricação nacional de até 127 HP de potência bruta para pessoas portadoras de deficiência física,
atestada pelo Departamento de Trânsito do Estado onde residirem em caráter permanente, cujo laudo
de perícia médica especifique;
a) o tipo de defeito físico e a total incapacidade do requerente para dirigir automóveis convencionais;
b) a habilitação do requerente para dirigir veículo com adaptações especiais, descritas no referido
laudo;
A Isenção do IOF poderá ser utilizada uma única vez.
Saque do FGTS e do PIS
Terão direito ao saque do FGTS quando:
 O trabalhador ou seu dependente for portador do vírus HIV;
 O trabalhador ou seu dependente for acometido de neoplasia maligna - câncer;
 O trabalhador ou seu dependente estiver em estágio terminal, em razão de doença grave;
 No falecimento do trabalhador;
 O titular da conta vinculada tiver idade igual ou superior a 70 anos;
Acréscimo de 25% na Aposentadoria por Invalidez
O valor da aposentadoria por invalidez do segurado que necessitar da assistência permanente de
outra pessoa será acrescido de 25% (vinte e cinco por cento). A comprovação desta assistência
permanente (quando o aposentado está incapacitado para as atividades da vida diária) depende de
constatação por meio de perícia médica do INSS, considerando que:
a) será devido ainda que o valor da aposentadoria atinja o limite máximo legal;
b) será recalculado quando o benefício que lhe deu origem for reajustado;
c) cessará com a morte do aposentado, não sendo incorporável ao valor da pensão.
Amparo Social - Pessoa Portadora de Deficiência
O benefício de assistência social será prestado ao portador de deficiência (incapacitada para a vida
independente e para o trabalho, ou seja, aquela que apresenta perdas ou reduções da sua estrutura, ou
função anatômica, fisiológica, psicológica ou mental, de caráter permanente), independentemente de
contribuição à seguridade social, no valor de um salário mínimo, desde que a renda familiar mensal
(per capita) seja inferior a ¼ do salário mínimo;
A avaliação da deficiência e do grau de incapacidade será composta de avaliação médica e social. As
avaliações serão realizadas, respectivamente, pela perícia médica e pelo serviço social do INSS, por
meio de instrumentos desenvolvidos especificamente para este fim.

P
á
g
i
n
a
7

Desconto na Conta de Energia Elétrica
As famílias incluídas no Cadastro Único de Programas Sociais com renda mensal total de até três
salários mínimos, que tenham em sua composição portador de doença cujo tratamento exija o uso
continuado de equipamentos com alto consumo de energia elétrica, terão acesso ao desconto
conforme faixa de consumo demonstrado na tabela abaixo:
Faixa de consumo mensal
Percentual
de desconto
Até 30kwh 65%
Entre 31kwh e 100kwh 40%
Entre 101 kWh e 220kwh 10%
Quitação da Casa Própria
A aquisição de imóvel financiado por agentes do Sistema Financeiro de Habitação (COHAB, Caixa
Econômica Federal e outros bancos privados) normalmente vem condicionada à contratação de um
seguro habitacional, cujo prêmio é pago junto com as parcelas mensais do financiamento.
Esse contrato de seguro normalmente possui uma cláusula prevendo a quitação do saldo devedor nos
casos de morte e invalidez permanente do contratante.
Isenção do ICMS - Imposto Sobre Circulação de Mercadorias
Todos aqueles que possuem algum tipo de deficiência física limitadora da capacidade de dirigir um
veículo comum sem prejuízo à sua saúde ou sem risco à coletividade têm direito à isenção do ICMS.
A condição de deficiente físico deverá ser atestada por uma junta médica do Departamento de
Trânsito - DETRAN.
Isenção do IPVA - Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores
Cada Estado possui legislação própria regulamentando a matéria. Por isso, o primeiro passo é
verificar se a legislação do seu Estado contempla a isenção de IPVA para os veículos utilizados por
pessoas com deficiência, podendo se enquadrar nessa condição o paciente com câncer com limitação
física. Essa informação pode ser obtida nos DETRANs e nas Secretarias Estaduais da Fazenda.
Nota: Busque se orientar também através das concessionárias e revendedoras de veículos, as quais
possuem informações quanto à possibilidade de usufruir do benefício tributário e como proceder para
tanto.
Isenção da Tarifa no Transporte Público
Têm direito ao transporte coletivo gratuito as pessoas portadoras de deficiência física. Há cidades
que concedem esta gratuidade, inclusive, ao acompanhante da pessoa com deficiência que não pode
se deslocar sozinho, desde que comprovado por atestado firmado por uma instituição especializada
ou serviço da Prefeitura Municipal. Busque maiores informações junto a Secretaria de Transporte
Público de sua região.