You are on page 1of 22

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE

PERNAMBUCO
JOANA ALBUQUERQUE E KETHELLYN SOARES
O PROCESSO DE OCUPAÇÃO IRREGULAR NAS AREAS DE MORROS DA
REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE
RECIFE
2012
JOANA ALBUQUERQUE E KETHELLYN SOARES
O PROCESSO DE OCUPAÇÃO IRREGULAR NAS AREAS DE MORROS DA
REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE

Relatório apresentado as professoras Solange Lopes e
Clézia Braga das disciplinas de história e geografia da
Turma de saneamento ambiental 6º período turno da manh!"
R#C$%#
&'(&
RESUMO
) ob*eti+o do relatório foi compreender as causas e conse,u-ncias das ocupa./es
irregulares nas 0reas de morros na regi!o metropolitana do Recife ,uem as ocupa+a e por,ue
as ocupa+am"
1ara isso relacionamos as ocupa./es irregulares com a postura de distanciamento dos
go+ernos militares no conte2to da guerra fria ,ue assim fa+oreceram o fen3meno da
4fa+eliza.!o5" 6nalisamos também o processo de urbaniza.!o ,ue se intensificou a partir da
década de 6' bem como os impactos ambientais causados pela mudan.a de fun.!o da
paisagem"
1ala+ras7cha+e8 )cupa.!o irregular9 :uerra fria e ;rbaniza.!o"
ABSTRACT
The report<s purpose =as to understand the causes and conse,uences of illegal
occupations in the areas of hills in the metropolitan area of Recife and those =ho occupied
because occupied"
To this end the illegal occupations relate to the attitude of detachment of the militar>
go+ernments in the conte2t of the Cold ?ar that so fa+ored the phenomenon of @slum@" ?e
also anal>zed the process of urbanization =hich intensified from the 6'<s and the
en+ironmental impacts caused b> the change of function of the landscape"
Ae>7=ords8 $rregular occupation Cold ?ar and ;rbanization
SUMÁRIO
(" $BTR)C;DE)""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""F
&" ) C)BT#GT) 1)LHT$C) I;BC$6L B6 CJC6C6 C# F' # 6'""""""""""""""""""""""""""""""""""""6
K" ) $BCL6D) C6 C$C6C# """""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""M
K"(" 6 4grande5 solu.!o para a ,uest!o da habita.!o"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""M
K"& 6 cria.!o da RIR e a e2pans!o da popula.!o pelo território pernambucano """"""""""""""""N
O" 6S B#C#SS$C6C#S C# I;C6BD6 B6 1)LHT$C6 B6C$)B6L """"""""""""""""""""""""""""""((
F" 6 CR$6DE) C6 S;C#B#"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""(K
6" 6DP#S C)S :)Q#RB)S 1)1;L6R#S #I 1#RB6IB;C) """"""""""""""""""""""""""""""""""""(O
M" 6 C#I)CR6C$6 # 6 L$B#RC6C# C61$T6L$ST6 6 S#RQ$D) C)
6;T)R$T6R$SI)""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""(6
R" $I16CT)S 6IB$#BT6$S C6;S6C)S 1#L6 )C;16DE) $RR#:;L6R"""""""""""""""(M
N" C)BS$C#R6DP#S %$B6$S""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""(R
R#%#RSBC$6S""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""(N
F
1 INTRODUÇÃO
) presente relatório aborda de ,ue forma as ,uest/es políticas influenciaram uma
di+ersidade de fatores atuais em nossa sociedade" 6 ,uest!o da habita.!o é a mais enfocada
pelo fato de ser um fator significati+o principalmente no período de intensifica.!o da
urbaniza.!o recifense e da guerra fria"
Saber como se comporta+a o go+erno em rela.!o T popula.!o de bai2a renda no
conte2to de bipolariza.!o do mundo e nos go+ernos militares é fundamental para
compreender histórica e geograficamente por,ue a ocupa.!o dos morros foi feita de forma
desordenada e até negligenciada" 6 e+olu.!o do processo de urbaniza.!o le+ou T cria.!o da
regi!o metropolitana do recife ,ue surge nesse período para desafogar a cidade ,ue esta+a
inchada de+ido ao intenso contingente populacional ,ue se dirigia a ela"
6
2 O CONTE!TO POL"TICO MUNDIAL NA D#CADA DE $0 E %0
6 guerra fria se inicia logo após o fim da segunda guerra mundial" ) mundo se
polariza em dois blocos de um lado os #stados ;nidos liderando o bloco capitalista do outro
a ;ni!o de RepUblica Socialistas So+iética liderando o socialista" Besta época ambos os
países luta+am por zonas de influ-ncia em todo o mundo e os #stados ;nidos passam a
oferecer um plano de a*uda econ3mica para #uropa o VWplano IarshallWW com +istas a
combater o a+an.o do comunismo"
6 6mérica Latina era naturalmente zona de influ-ncia do bloco capitalista por isso
n!o despertou inicialmente muito interesse por parte dos #;6" #sse fato come.ou a mudar a
partir de (NFN com a re+olu.!o cubana ,ue implantou o sistema socialista no país"
6 partir de ent!o a 6mérica Latina tornou7se a primeira prioridade da agenda e2terna
dos #stados ;nidos ,ue formulou oficialmente em (N6( a 46lian.a para o 1rogresso5 uma
espécie VWplano IarshallWW ,ue pretendia a*udar e acelerar o desen+ol+imento econ3mico na
6mérica Latina" %oi produzida uma carta de inten./es ,ue propunha uma série de melhorias
na distribui.!o de renda do continente latino7americano reforma agr0ria e o desen+ol+imento
de plane*amentos econ3micos e sociais" Ba realidade o plano era apenas conter o a+an.o
comunista no continente e e+itar o ,ue ha+ia acontecido em Cuba
M
& O INCHAÇO DA CIDADE
Xuscelino AubitscheY eleito presidente da RepUblica *untamente com o +ice7
presidente Xo!o :oulart instituiu o plano de metas ,ue +isa+a o desen+ol+imento econ3mico
do Brasil ou se*a pauta+a7se em um con*unto de medidas ,ue atingiria o desen+ol+imento
econ3mico de +0rios setores priorizando a dinamiza.!o do processo de industrializa.!o do
Brasil" 6 industrializa.!o do país se efeti+ou basicamente na regi!o sudeste destacando neste
momento a grande migra.!o nordestina para esta regi!o"
) país +inha se modernizando desde :etUlio Qargas durante o período XA a indUstria
deu um salto mas a maioria se concentrou no sul e sudeste" #m 1ernambuco o ,ue +igora+a
era o campo" 6 industrializa.!o se traduziu praticamente em mecaniza.!o do campo
influenciado pelos usineiros detinham o poder no estado" 6 mecaniza.!o do campo e as
prec0rias condi./es de trabalho enfrentadas pelos camponeses fa+oreceram a 4Qeneza
americana5 do come.o do século GG se con+erter na 4mucambópolis5" Recife atraia um
enorme contingente migratório ,ue incha+a a cidade" #ssa popula.!o ,ue chega T cidade n!o
tem ,ualifica.!o para trabalhar no meio urbano também n!o tem moradia e come.am a se
proliferar os mucambos" 6 pala+ra mocambo dada pelos próprios negros Ts suas
rudimentares habita./es n!o est0 mais utilizada com o mesmo sentido pelos sociólogos
modernos" :ilberto %reire d0 a e2press!o e2tensi+a a todas as habita./es pobres
&1 A '()*+,-. /012340 5*)* * 62-/740 ,* 8*9:7*340

R
6gamenon Iagalh!es ,ue é o inter+entor do estado de 1ernambuco de (NKM até
(NOF cria a Liga Social Contra o Iocambo ,ue em (NOF se transforma em uma autar,uia8 o
Ser+i.o Social Contra o Iocambo"
) Ser+i.o Social contra o Iocambo ZSSCI[ ad,uire o compromisso do ,ue seria
uma a.!o de higiene pUblica eficaz para assumirem ares classistas" Segundo 6gamenon
Iagalh!es o mocambo é pois uma degrada.!o social" J um índice de pauperismo de
miséria uma fuga de +ida uma fuga da dignidade humana" )s mocambos passam ent!o a ser
considerados uma chaga ,ue de+e ser erradicada da cidade para o bem dos habitantes mais
abastados" 6 habita.!o ser0 a VferramentaW utilizada para a manuten.!o da ordem ou em
outras pala+ras significa dizer ,ue a insalubridade dos mocambos era +ista como uma
possí+el causa de insatisfa.!o social o ,ue poderia contribuir para a dissemina.!o do
comunismo em meio prolet0rio" ) controle dos sindicatos e o combate ao mocambo passam
desta maneira a ser os principais ob*eti+os do go+erno de 6gamenon Iagalh!es"
Com a orienta.!o de ,ue as casas fossem construídas conforme o critério profissional
surge as primeiras +ilas oper0rias" ) Cabo de Santo 6gostinho oi o lugar onde 6gamenon
Iagalh!es escolheu para construir a Qila Social contra o mocambo criada em (NK' para ser
autossuficiente e para ,ue os trabalhadores fossem mantidos longe dos bairros mais elitizados"
)s te2tos liter0rios elaborados por Xosué de Castro médico e cientista social e Chico
Science cantor e compositor acerca da paisagem urbana dos mocambos re+elam uma
representa.!o espacial da cidade do Recife ambos retratam a problem0tica do crescimento do
Recife mas ,ue s!o problemas de todas as grandes metrópoles"
Logo a liga se mostra ineficiente no período (NKN a (NOO foram construídas M"FR&
casas populares por iniciati+a da Liga em parceria com di+ersos institutos de pre+id-ncia e
algumas f0bricas em oposi.!o a cerca de (& mil mocambos demolidos o ,ue representou
N
cerca de K' mil pessoas da massa miser0+el desalo*adas sem ,ue hou+esse pro+is!o de uma
habita.!o ,ue pudesse balancear a situa.!o"
&2 A ;):*340 ,* RMR - * -<5*+/40 ,* 50521*340 5-10 7-)):7=):0 5-)+*>92;*+0
Ba tentati+a de desafogar o centro do Recife é criada a Regi!o Ietropolitana do
Recife ZRIR[ ,ue ho*e conta com dezessete municípios8 Xaboat!o dos
:uararapes )linda 1aulista $garassu :oiana #scada Sirinhaém 6breu e
Lima Camaragibe Cabo de Santo 6gostinho S!o Louren.o da Iata 6ra.oiaba $lha de
$tamarac0 $po*uca Ioreno $tapissuma e Recife"
6 RIR foi instituída pela Lei Complementar %ederal nUmero (O de R de *unho de
(NMK mas a idéia de sua cria.!o é mais antiga" #ra empurrar as camadas mais pobres para
cada +ez mais longe do centro" 6 constru.!o de con*untos habitacionais nas 0reas mais
distantes como no Xord!o 6lto e $bura foi uma das iniciati+as para manter as camadas
populares mais distantes do centro"
6 cidade do Recife est0 situada em uma planície alu+ial ou flu+iomarinha formada
por penínsulas alagados e manguezais en+ol+idos por cinco rios8 Beberibe Capibaribe
Te*ipió e bra.os do Xaboat!o e do 1irapama" Seu clima é tropical e sua +egeta.!o em algumas
0reas de Iata 6tl\ntica"
Saber a constitui.!o e o processo detalhado das 0reas do ,ue ho*e forma a Regi!o
Ietropolitana do Recife é uma tarefa difícil *0 ,ue a história oficial só era contada da capital
na época o Recife se resumia a uma pe,uena 0rea central" N'] das terras eram engenhos eles
come.aram a ser po+oados por ,ue na maioria das +ezes os donos de engenhos cediam as
('
terras improduti+as para a popula.!o utilizar como moradia como e2emplo na 0rea onde ho*e
fica a Q0rzea foi estimulada a ocupa.!o na década de O' para os trabalhadores da maca2eira"
Qila dos milagres era 0rea do antigo engenho de %ernandes Qieira essa parte do
terreno n!o era usada por,ue o acesso a ela era difícil" 6 popula.!o ,ue foi 4e2pulsa5 da parte
nobre de Recife e ,ue chegou do interior do estado foi colocada nas regi/es altas de morros
,ue eram consideradas lugares impróprios para habita.!o" )utro elemento importante ainda
ho*e para os moradores da regi!o é a bica dos milagres ,ue recebeu este nome por minar 0gua
pura pot0+el o ,ue facilitou a +ida dos moradores"
Xaboat!o dos :uararapes recebeu em (NFR uma esta.!o ferro+i0ria fato ,ue foi
primordial para sua ocupa.!o geogr0fica" Sua regi!o era alagadi.a e por isso incompatí+el
com ati+idades econ3micas" %oi chamada de 4Ioscouzinha5por eleger em (NOM um prefeito
do partido comunista"6 partir da década de 6' *unto com o Cabo de Santo 6gostinho passa a
receber in+estimentos para se tornar distrito industrial"
Boa +iagem e 1iedade eram 0reas ,ue inicialmente eram apenas para casas de +eraneio
e a popula.!o mais abastada tomou conta das 0reas costeiras" 6 constru.!o da ponte do pina
foi um símbolo de urbaniza.!o da época e os bairros logo sofreram especula.!o imobili0ria"
Candeias e Barra de Xangada ho*e s!o o al+o das especula./es imobili0rias" Barra de
Xangada era conhecida por suas ati+idades de pesca e pelo fornecimento de alimentos aos
bairros +izinhos mas a constru.!o do porto de Suape fez a 0rea se +alorizar bastante nos
Ultimos anos
) bairro de Curcuranas fica situado no distrito de 1razeres Ts margens da Lagoa )lho
C<^gua" Ba década de M' foi construída pelo ent!o prefeito :eraldo Ielo a @estrada da
Curcurana@ ,ue liga+a a Barra das Xangadas ao po+oado de 1ontezinha" Cesde esta época ,ue
a localidade +em sofrendo um intenso processo de ocupa.!o apesar disso é uma are muito
carente"
((
1ontezinha foi um e2emplo de nUcleo fabril ligado a indUstria de pól+ora" 6 indUstria
foi implantada numa localidade rural no município do Cabo pró2ima T linha da #strada de
%erro Recife_Cabo Za segunda ferro+ia construída no Brasil[" Buma 0rea pró2ima T f0brica a
empresa ergueu o nUcleo fabril de 1ontezinha ,ue chegou a contar com(R' casas"
? AS NECESSIDADES DE MUDANÇA NA POL"TICA NACIONAL
) -2odo rural por conta da precariedade de trabalho e das secas esta+a inchando cada
+ez mais a cidade do Recife ,ue n!o conseguia absor+er as necessidades b0sicas da
popula.!o no ,ue diz respeito a emprego moradia etc" 6 necessidade de a popula.!o ser
ou+ida e atendida n!o podia ser mais forte do ,ue em 1ernambuco"
Bo cen0rio nacional destacamos a atua.!o do go+erno de Xo!o :oulart ,ue te+e sua
chegada ao posto de presidente conturbada por n!o ser aceito pelos ministros militares e pelas
classes dominantes" Ce fato +0rios grupos políticos conser+adores o associa+am T
amea.adora hipótese de instala.!o do comunismo no Brasil""
6s reformas de base eram uma bandeira do go+erno de Xango as iniciati+as +isa+am
altera./es banc0rias fiscais urbanas administrati+as agr0rias e uni+ersit0rias" 1ara
completar alme*a+a7se oferecer o direito de +oto para analfabetos e Ts patentes subalternas
das for.as armadas" 6s medidas causariam uma participa.!o maior do #stado em ,uest/es
econ3micas regulando o in+estimento estrangeiro no país"
) #statuto do Trabalhador Rural apro+ado em (N6K altera+a o processo de reforma
agr0ria9 além disso estendia aos assalariados do campo os mesmos direitos dos trabalhadores
(&
urbanos9 fortalecia a sindicaliza.!o e a organiza.!o dos trabalhadores rurais até ent!o
desunidos e sem uma legisla.!o ,ue os protegesse da semi7escra+id!o a ,ue ainda eram
submetidos" 6s medidas afetaram diretamente as elites pernambucanas ,ue eram basicamente
constituídas de latifundi0rios"
(K
$ A CRIAÇÃO DA SUDENE
Ciante do cen0rio de disparidades regionais ,ue o nordeste passa+a foi criada em (NFN
a S;C#B# ZSuperintend-ncia para o Cesen+ol+imento do Bordeste[" ) órg!o a partir de
(N6& se torna o principal canal de repasse dos recursos da alian.a para o progresso +isando o
desen+ol+endo do nordeste e afastando T amea.a comunista ,ue poderia seduzir a popula.!o
mais pobre e sedenta de assist-ncia" )s incenti+os criados pela S;C#B# destina+am7se
principalmente a descentraliza.!o industrial e substitui.!o das importa./es brasileira como a
política de fi2a.!o do homem na terra"
6 S;C#B# foi a política desen+ol+imentista de maior import\ncia criada pelo
go+erno federal para o desen+ol+imento da regi!o nordeste e desta forma diminuir os gra+es
problemas de dese,uilíbrios econ3micos regionais" 1ode7se concluir ,ue as a./es do go+erno
foram importantes no processo de desconcentra.!o da indUstria nacional e para isso no
nordeste brasileiro a S;C#B# foi uma tentati+a de promo+er o desen+ol+imento regional
criando políticas pUblicas de industrializa.!o"
6pós o golpe militar de (N6O o órg!o é descaracterizado e acabou ganhando a fama de
órg!o corrupto e ineficaz" #m parte por,ue em 1ernambuco na,uela época ,ual,uer tentati+a
de democracia e modernidade era comunista" ) órg!o é e2tinto no go+erno %ernando
Lenri,ue Cardoso"
(O
% AÇ@ES DOS GOAERNOS POPULARES EM PERNAMBUCO
Cesde (NOF o partido comunista +inha crescendo" 6 tend-ncia es,uerdista e a uni!o de
socialistas com comunistas ficaram conhecida como @%rente do Recife5" #m (NFF conseguem
eleger para prefeito 1elópidas Sil+eira ,ue te+e seu go+erno marcado pela participa.!o
popular" Iais tarde a participa.!o popular passou a ser plataforma política da %rente do
Recife" # foi utilizada posteriormente no go+erno de 6rraes"
Ba ,uest!o da habita.!o também hou+e uma mudan.a no enfo,ue" 6ssistindo Ts
popula./es dos altos e córregos foi empreendido o loteamento popular entre outras
inter+en./es em fa+or dos pobres" #m agosto(NFN Iiguel 6rraes é eleito para a 1refeitura do
Recife assumindo o cargo de 1refeito em dezembro" Sua gest!o é marcada pela amplia.!o do
sistema de abastecimento de 0gua e energia elétrica urbaniza.!o de bairros pa+imenta.!o e
ilumina.!o de e2pressi+o nUmero de ruas e inaugura.!o da rede de 3nibus elétricos da capital"
Sua principal realiza.!o na prefeitura foi o Io+imento de cultura popular ,ue tinha o
ob*eti+o da ele+a.!o cultural do po+o atra+és da educa.!o utilizando seus próprios elementos
referenciais" ) mo+imento contou com o apoio e colabora.!o de di+ersos artistas e
intelectuais como 1aulo %reire 6belardo da Lora e :ermano Coelho"
6 6lian.a para o progresso atuou fortemente no plane*amento estatal e seus ob*eti+os
oficiais eram oferecer teto trabalho terra saUde e educa.!o mas seus reais ob*eti+os era
disputar terreno com as crescentes for.as de es,uerda para e+itar uma re+olu.!o como em
Cuba"
) crescimento de Iiguel 6rraes era acompanhado pelos norte americanos ,ue
in+estiam dinheiro para atrapalhar o caminho de 6rraes rumo ao poder mas n!o adiantou" #m
(N6& 6rraes se elege para :o+erno do #stado de 1ernambuco assumindo o cargo em *aneiro
(F
de (N6K" Bo início da administra.!o firma um pacto inédito com usineiros garantindo
benefícios para os trabalhadores da cana7de7a.Ucar inclusi+e o pagamento de sal0rio mínimo
angariando o apoio de mo+imentos sociais e em contrapartida a desconfian.a dos setores
conser+adores"
(6
B A DEMOCRACIA E A LIBERDADE CAPITALISTA A SERAIÇO DO
AUTORITARISMO
Cada +ez mais temerosos da iminente 4Re+olu.!o brasileira5 o go+erno norte
americano radicalizou suas inter+en./es e2ternas" ) n!o apoio do Brasil T inter+en.!o militar
em Cuba fez com ,ue o go+erno americano se aliasse com conser+adores no Brasil ,ue
,ueriam derrubar Xango"
) golpe de (N6O n!o foi apenas fomentado pelo go+erno dos #;6 mas apoiado pelo
mesmo" ) go+erno americano tinha até um plano de inter+en.!o armada caso a rea.!o ao
golpe fosse de grande dimens!o" Ba época a repress!o militar no Bordeste foi mais intensa
por,ue acredita+a7se ,ue o comunismo l0 *0 esta+a mais desen+ol+ido"
6 partir de (N6O todas as alternati+as de en+ol+imento popular para melhoria de +ida
da popula.!o foram +eementemente re*eitadas e condenadas" 6 ,uest!o da habita.!o sofreu
grande retrocesso pois antes do período ditatorial a inten.!o do go+erno era promo+er a
legaliza.!o das 0reas ocupadas pela popula.!o assim como resol+er os problemas de infra7
estrutura ,ue os locais apresentassem" Cepois da ditadura ,ual,uer inter+en.!o era tachada
comunista"
6 partir de ent!o a popula.!o mais carente se +- sem alternati+as" 6s a./es para o
pro+imento de habita./es antes de golpe *0 eram limitadas e muitas +ezes insuficientes para o
contingente populacional agora eram ine2istentes" B!o cabia mais ao go+erno inter+ir para
legalizar as habita./es bem como dar o suporte necess0rio para ,ue esse processo ocorresse
de forma sadia tanto para as pessoas como para o ambiente"
(M
C IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELA OCUPAÇÃO IRREGULAR
6 urbaniza.!o descontrolada acabou atropelando os modelos de organiza.!o do
território tradicionais"6 r0pida mudan.a na fun.!o da paisagem tem resultado no
aparecimento de cidades sem infra7estrutura e disponibilidade de ser+i.os urbanos capazes de
suprir o contingente populacional ,ue migrou para as cidades";m dos problemas acarretados
pela ocupa.!o irregular é a falta de saneamento b0sico ,ue gera prolifera.!o de doen.as de
todo tipo *0 ,ue o li2o n!o é tratado da forma correta e na maioria das +ezes fica e2posto"
)utros problemas s!o polui.!o sonora atmosférica e hídrica e destrui.!o dos recursos
naturais do local causando deslizamentos eros/es e desgaste do solo"
6 solu.!o seria a ocupa.!o dessas 0reas de a forma organizada e plane*ada pelo
go+erno a distribui.!o correta da popula.!o para ,ue nenhuma 0rea sofra com
superpo+oamento e ,ue ha*a ,ualidade de +ida para a popula.!o" # ainda o empenho da
popula.!o para uma rela.!o e,uilibrada entre ela e o meio ambiente ha*a +ista a import\ncia
da preser+a.!o dos recursos naturais de cada lugar"
(R
D CONSIDERAÇ@ES FINAIS
6 necessidade de moradia em 0rea disponí+el e de bai2o +alor de mercado
impulsionou a popula.!o carente para 0reas anecUmenas ,ue re,uisitam de todo um
plane*amento para ,ue a ocupa.!o se*a feita de forma ade,uada" B!o foi o ,ue ocorreu no
Recife ,ue te+e grande parte de suas estruturas urbanas ocupadas de forma desordenada e
irregular"
)s fatores políticos influenciaram diretamente a +ida de grande parte das pessoas
residentes na regi!o metropolitana do recife" 6 postura de distanciamento do go+erno a partir
de (N6O em rala.!o Ts ocupa./es foi respons0+el por problemas ,ue até ho*e obser+amos nas
0reas mais carentes da cidade ,ue s!o as mais afetadas com as enchentes deslizamentos
condi.!o de habita.!o prec0ria etc"
(N
REFERÊNCIAS
:6S16R#TT) X`B$)R 6nt3nio" R-E0)>*/ ,- 9*/- &'('" Cisponí+el8
ahttp8bb==="infoescola"combhistoria7do7brasilbreformas7de7basebc" 6cesso em8 &F mai"&'(&"
I$R6BC6 Lí+ia $zabel Bezerra de" O)(*+:F*340 S0;:0-/5*;:*1 - M09:1:,*,- R-/:,-+;:*1
+* R-(:40 M-7)0501:7*+* ,0 R-;:E-, PE" $n8 GGQ$$$ encontro anual da 6B1)CS &''O
Ca2ambu" 6nais do GGQ$$$ #ncontro 6nula da 6B1)CS &''O" Cisponí+el em8
ahttp8bb==="cadernosmetropole"netbdo=nloadbcmdartigosbcm(&d6("pdfc" 6cesso em8 &F
mai"&'(&"
B)BC;A$ Babil" P01G7:;* 8*9:7*;:0+*1 - :+;12/40 /0;:*1 +0 B)*/:1H )-I:/40 8:/7=):;* -
+0I*/ 5-)/5-;7:I*/ +0 (0I-)+0 L21* Cisponí+el8
ahttp8bb==="us*t"brbar,"urbbnumerod'(bartigod'Fd(R'N'R"pdfc 6cesso em8 &6 mai"&'(&"
S);e6 Ciego Be*a $nglez de" R-;0+/7)2:+,0 C*J2-:)0 S-;0 H A)62:7-72)*, 501G7:;* /0;:*1
- ;2172)* 50521*) -> P-)+*>92;0 K1D%0L%?M Cisponí+el 8
ahttp8bb==="docomomo"org"brbseminario]&'R]&'pdfsb(M'"pdfc 6cesso em8 &O mai"&'(&"
L$R6 Xosé Ta+ares Correia de" A ;0+/7)2340 ,:/;2)/:I* ,* ;*/* 50521*) +0 R-;:E-
K,N;*,* ,- &0M Q)L" " GG$G Z(&M[ (NNO" Cisponí+el8
ahttp8bbanalisesocial"ics"ul"ptbdocumentosb(&&KKMMFMF?FgGeMli($zO6?CM"pdfc 6cesso em8
&6 mai"&'(&"
&'
SSCIRe+ista"A 1:(* /0;:*1 ;0+7)* 0 >0;*>90 6cesso em &F"mai"&'(& a
http8bb==="urbanismobr"orgbbdbdocumentos"phpfidg(F6c
L#$T# Ricardo" RECIFE DOS MORROS E CORREGOSH * E)*(0)0/* ,-))07* ,0
-<7-)>:+*,0) ,- >0;*>90/ - /2* 1:(* /0;:*1 -> C*/* A>*)-1* 6bril &'('" Cisponí+el8 a
http8bb==="encontro&'('"historiaoral"org"brbresourcesbanaisb&b(&M'O&K'&Nd6Rh;$Q)dR#C
$%#C)SI)RR)S#C)RR#:)S"'F'(&'('"pdfc 6cesso em &F mai"&'(&"
L$R6 Xosé Ta+ares Correia de" A ;0+/7)2340 ,:/;2)/:I* ,* ;*/* 50521*) +0 R-;:E-
K,N;*,* ,- &0M"(NNO"Cisponí+el8
ahttp8bbanalisesocial"ics"ul"ptbdocumentosb(&&KKMMFMF?FgGeMli($zO6?CM"pdfc 6cesso em
&O mai"&'(&"
1#R#$R6 Lenri,ue 6lonso de" O/ E/7*,0/ U+:,0/ - * *1:*+3* 5*)* 0 5)0()-//0 +*
A>N):;* 1*7:+* &''F" Cisponí+el 8a
http8bb==="sbpcnet"org"brbli+robFMrabprogramasbseniorbR#S;I)SbresumodK&KO"htmlc
6cesso &6 mai" &'(&"
C#Rh;#$R6 ?agner de9 %rancisco" O B)*/:1 +* G2-))* E):* Cisponí+el8
ahttp8bb==="brasilescola"combgeografiabo7brasil7na7guerra7fria"htmc 6cesso em8 &6
mai"&'(&"
L$I6 Xac,ueline de C0ssia 1inheiro" M0,-)+:F*340 - H:(:-+:/>0 S0;:*1H P)0J-70/ ,-
H*9:7*3P-/ P0521*)-/ -> R-;:E- - R:0 ,- J*+-:)0 ,2)*+7- 0 E/7*,0 N0I0 K1D&BL1D?$M
&(
&''O" Cisponí+el8 ahttp8bb==="espacoacademico"com"brb'KFbKFelima"htmc 6cesso em8 &6
mai" &'(&"
Qisita técnica de algumas 0reas mencionadas no relatório realizada no dia (O de maio de
&'(&"