You are on page 1of 54

PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD.

ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
1

09 - SISTEMA E PROCESSO DE ORÇAMENTAÇÃO,
CLASSIFICAÇES ORÇAMENTÁRIAS, PRO!RAMAÇÃO E
EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA, ACOMPANHAMENTO
DA EXECUÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇES
Caro estudante,

Por equívoco anunciamos na nota de aula 08 que aquela seria a última,
porém, verifiquei que alguns tópicos do edital não foram contemplados
nas oito notas de aula. ssim, nesta aula iremos discorrer sucintamente
so!re tais tópicos.

" importante esclarecer que grande parte do assunto #Classifica$%es
or$ament&rias' foi a!ordado nas aulas de receita e despesa, ou se(a,
nas classifica$%es da receita e da despesa.

gora sim, esta é a nossa última aula) C*egamos ao final de mais um
curso) +!rigado pela conviv,ncia virtual)

Por aqui ficamos torcendo enormemente pelo seu sucesso. -ue sua
mente este(a sempre ./01.23)

4nimo e muita for$a de vontade para a conquista de seu son*o) 2unca
desista de conquist&5lo)

ten$ão) 2o fim desta nota de aula estamos apresentando uma !ateria
de e6ercícios com a lista com todos os e6ercícios nela comentados, para
que o aluno, a seu critério, os resolva antes de ver o ga!arito e ler os
coment&rios correspondentes.

7sta nota de aula contempla os seguintes conteúdos editalícios8
ula 09
:.; <istema e processo de or$amenta$ão. :.=
Classifica$%es or$ament&rias. ; Programa$ão e e6ecu$ão
or$ament&ria e financeira. ;.1 compan*amento da
e6ecu$ão. ;.> <istemas de informa$%es.

R"#$"%&'(
2este mundo não e6iste nen*uma tarefa impossível, se e6iste persist,ncia 5
Provér!io C*in,s

<on*ar é uma das mel*ores coisas da vida, mas o mel*or mesmo é acordar e
lutar por cada um de nossos son*os)
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>

+ destino não é uma questão de sorte, é uma questão de escol*a. 2ão é algo
pelo que se espera, mas algo a alcan$ar 5 ?illian @ennings ArBan
Aons estudos)

). SISTEMA E PROCESSO DE ORÇAMENTAÇÃO

F*+,$*-,-":
Conforme a /ei no 10.180, de C de fevereiro de >0018
rt. >o + <istema de Plane(amento e de +r$amento Dederal tem por
finalidade8
. 5 formular o plane(amento estratégico nacionalE
.. 5 formular planos nacionais, setoriais e regionais de desenvolvimento
econFmico e socialE
... 5 formular o plano plurianual, as diretriGes or$ament&rias e os
or$amentos anuaisE
.H 5 gerenciar o processo de plane(amento e or$amento federalE
H 5 promover a articula$ão com os 7stados, o 3istrito Dederal e os
1unicípios, visando a compati!iliGa$ão de normas e tarefas afins aos
diversos <istemas, nos planos federal, estadual, distrital e municipal.

A.*/*-,-"0 -' 0*0."1, -" P$,+"2,1"+.' " -" O34,1"+.' F"-"3,$:
+ <istema de Plane(amento e de +r$amento Dederal compreende as
atividades de ela!ora$ão, acompan*amento e avalia$ão de planos,
programas e or$amentos, e de realiGa$ão de estudos e pesquisas sócio5
econFmicas.

P,3, #*%,3(
tividades do sistema8
1. 7la!ora$ão da proposta or$ament&ria anual I /+, PP, /3+ e
outros planosE
>. compan*amento e avalia$ão8 PP, /3+, /+ e outros planosE
:. Pesquisas e estudos sócio5econFmicas.

536&'0 *+."63,+."0 -' 0*0."1, -" P$,+"2,1"+.' " -" O34,1"+.'
F"-"3,$:

.ntegram o <istema de Plane(amento e de +r$amento Dederal8
. 5 o 1inistério do Plane(amento, +r$amento e Jestão, como órgão
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:

centralE
.. 5 órgãos setoriaisE
... 5 órgãos específicos.
+s órgãos setoriais são as unidades de plane(amento e or$amento dos
1inistérios, da dvocacia5Jeral da 0nião, da Hice5Presid,ncia e da Casa
Civil da Presid,ncia da Kepú!lica.
+s órgãos específicos são aqueles vinculados ou su!ordinados ao órgão
central do <istema, cu(a missão est& voltada para as atividades de
plane(amento e or$amento.
+s órgãos setoriais e específicos ficam su(eitos L orienta$ão normativa
e L supervisão técnica do órgão central do <istema, sem pre(uíGo da
su!ordina$ão ao órgão em cu(a estrutura administrativa estiverem
integrados.

PAPEL DOS A!ENTES DO SISTEMA DE PLANEJAMENTO E DE
ORÇAMENTO FEDERAL

SECRETARIA DE ORÇAMENTO FEDERAL
+ tra!al*o desenvolvido pela <+D, no cumprimento de sua missão
institucional, tem sido norteado por um con(unto de compet,ncias,
descritas no art. 1M do ne6o . do 3ecreto no M.CM=, de >0 de (aneiro
de >01>, e amparado no art. 8o da /ei no 10.180, de >001.

7 S"83".,3*, -" O34,1"+.' F"-"3,$ 8'19".":
. 5 coordenar, consolidar e supervisionar a ela!ora$ão da lei de
diretriGes or$ament&rias e da proposta or$ament&ria da 0nião,
compreendendo os or$amentos fiscal e da seguridade socialE
.. 5 esta!elecer as normas necess&rias L ela!ora$ão e L implementa$ão
dos or$amentos federais so! sua responsa!ilidadeE
... 5 proceder, sem pre(uíGo da compet,ncia atri!uída a outros órgãos,
ao acompan*amento da e6ecu$ão or$ament&riaE
.H 5 realiGar estudos e pesquisas concernentes ao desenvolvimento e ao
aperfei$oamento do processo or$ament&rio federalE
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;

H 5 orientar, coordenar e supervisionar tecnicamente os órgãos setoriais
de or$amentoE
H. 5 e6ercer a supervisão da Carreira de nalista de Plane(amento e
+r$amento, em articula$ão com a <ecretaria de Plane(amento e
.nvestimentos 7stratégicos, o!servadas as diretriGes emanadas do
Comit, de Jestão das Carreiras do 1inistério do Plane(amento,
+r$amento e JestãoE
H.. 5 esta!elecer as classifica$%es or$ament&rias da receita e da
despesaE e
H... 5 acompan*ar e avaliar o comportamento da despesa pú!lica e de
suas fontes de financiamento, !em como desenvolver e participar de
estudos econFmico5fiscais, voltados ao aperfei$oamento do processo de
aloca$ão de recursos.

7ssa missão pressup%e uma constante articula$ão com os agentes
envolvidos na tarefa de ela!ora$ão das propostas or$ament&rias
setoriais das diversas instNncias da dministra$ão Pú!lica Dederal e dos
demais Poderes da 0nião.

5R!ÃO SETORIAL
+ órgão setorial desempen*a o papel de articulador no Nm!ito da sua
estrutura, coordenando o processo decisório no nível su!setorial O0+P.

S:, ,.:,4&' +' 93'8"00' '34,1"+.;3*' "+/'$/":
5 esta!elecimento de diretriGes setoriais para ela!ora$ão e altera$%es
or$ament&riasE
5 defini$ão e divulga$ão de instru$%es, normas e procedimentos a
serem o!servados no Nm!ito do órgão durante o processo de
ela!ora$ão e altera$ão or$ament&riaE
5 avalia$ão da adequa$ão da estrutura program&tica e mapeamento das
altera$%es necess&riasE
5 coordena$ão do processo de atualiGa$ão e aperfei$oamento das
informa$%es constantes do cadastro de programas e a$%esE
5 fi6a$ão, de acordo com as prioridades setoriais, dos referenciais
monet&rios para apresenta$ão das propostas or$ament&rias e dos
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
=

limites de movimenta$ão e empen*o e de pagamento de suas
respectivas 0+E
5 an&lise e valida$ão das propostas e das altera$%es or$ament&rias de
suas 0+sE e
5 consolida$ão e formaliGa$ão da proposta e das altera$%es
or$ament&rias do órgão.

UNIDADE ORÇAMENTÁRIA
0+ desempen*a o papel de coordena$ão do processo de ela!ora$ão
da proposta or$ament&ria no seu Nm!ito de atua$ão, integrando e
articulando o tra!al*o das suas unidades administrativas, tendo em
vista a consist,ncia da programa$ão do órgão.

s 0+s são respons&veis pela apresenta$ão da programa$ão
or$ament&ria detal*ada da despesa por programa, ação e subtítulo.

S:, ,.:,4&' +' 93'8"00' '34,1"+.;3*' 8'193""+-":
5 esta!elecimento de diretriGes no Nm!ito da 0+ para ela!ora$ão da
proposta e altera$%es or$ament&riasE
5 estudos de adequa$ão da estrutura program&ticaE
5 formaliGa$ão, ao órgão setorial, da proposta de altera$ão da estrutura
program&tica so! a responsa!ilidade de suas unidades administrativasE
5 coordena$ão do processo de atualiGa$ão e aperfei$oamento das
informa$%es constantes do cadastro de a$%es or$ament&riasE
5 fi6a$ão dos referenciais monet&rios para apresenta$ão das propostas
or$ament&rias e dos limites de movimenta$ão e empen*o e de
pagamento de suas respectivas unidades administrativasE
5 an&lise e valida$ão das propostas or$ament&rias das unidades
administrativasE e
5 consolida$ão e formaliGa$ão de sua proposta or$ament&ria.

<. CLASSIFICAÇES ORÇAMENTÁRIAS

PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
C

s classifica$%es or$ament&rias podem ser segregadas em classifica$%es
da receita e da despesa.

CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA DA RECEITA
A 8$,00*#*8,4&' '34,1"+.;3*, -, 3"8"*., 9'-" 0"3 0:=-*/*-*-, "1:
A. P'3 #'+.">-"0.*+,4&' -" 3"8:30'0?
@. P'3 *-"+.*#*8,-'3 -" 3"0:$.,-'?
C. P'3 +,.:3"A, -,0 3"8"*.,0.

A. CLASSIFICAÇÃO POR FONTE>DESTINAÇÃO DE RECURSOS

7ste instrumento foi criado para assegurar que receitas vinculadas por
lei a finalidade específica se(am e6clusivamente aplicadas em programas
e a$%es que visem a consecu$ão de despesas ou políticas pú!licas
associadas a esse o!(etivo legal, as fontesQdestina$%es de recursos
agrupam determinadas natureGas de receita conforme *a(a necessidade
de mapeamento dessas aplica$%es de recursos no or$amento pú!lico,
segundo diretriGes esta!elecidas pela <+D.

Como mecanismo integrador entre a receita e a despesa, o código de
fonteQdestina$ão de recursos e6erce duplo papel no processo
or$ament&rio8

2a receita, indica o destino de recursos para o financiamento de
determinadas despesasE

2a despesa, identifica a origem dos recursos que estão sendo utiliGados.

ssim, o mesmo código utiliGado para controle das destina$%es da
receita tam!ém é utiliGado na despesa, para controle das fontes
financiadoras. 3essa forma, esse mecanismo contri!ui para o
atendimento do par&grafo único do art. 8o, par&grafo único, e do art.
=0, inciso ., da /KD8
rt. 8o R...S
Par&grafo único. +s recursos legalmente vinculados a finalidade
específica serão utiliGados e6clusivamente para atender ao o!(eto de sua
vincula$ão, ainda que em e6ercício diverso daquele em que ocorrer o
ingresso.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
M

#rt. =0. lém de o!edecer Ls demais normas de conta!ilidade pú!lica,
a escritura$ão das contas pú!licas o!servar& as seguintes8'
#. 5 a disponi!ilidade de cai6a constar& de registro próprio, de modo que
os recursos vinculados a órgão, fundo ou despesa o!rigatória fiquem
identificados e escriturados de forma individualiGada.'
7nquanto a natureGa da receita or$ament&ria !usca identificar a origem
do recurso segundo seu fato gerador, a fonteQdestina$ão de recursos
possui a finalidade precípua de identificar o destino dos recursos
arrecadados.

7m lin*as gerais, pode5se diGer que *& destina$%es vinculadas e não
vinculadas8

,B -"0.*+,4&' /*+8:$,-,: processo de vincula$ão entre a origem e a
aplica$ão de recursos, em atendimento Ls finalidades específicas
esta!elecidas pela norma.
=B -"0.*+,4&' +&' /*+8:$,-, C': '3-*+;3*,B: é o processo de
aloca$ão livre entre a origem e a aplica$ão de recursos, para atender a
quaisquer finalidades, desde que dentro do Nm!ito das compet,ncias de
atua$ão do órgão ou entidade.

vincula$ão de receitas deve ser pautada em mandamentos legais que
regulamentam a aplica$ão de recursos e os direcionam para despesas,
entes, órgãos, entidades ou fundos.
classifica$ão de fonteQdestina$ão consiste em um código de tr,s
dígitos. + 1o dígito representa o grupo de fonte enquanto o >o e o :o
representam a especificação da fonte.
O=0"3/":

Jrupos de fontes e as respectivas especifica$%es das fontes de recursos
vigentes8
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
8


76emplos de fontesQdestina$ão de recursos8

@. CLASSIFICAÇÃO DA RECEITA POR IDENTIFICADOR DE
RESULTADO
Conforme esta classifica$ão, as receitas do Joverno Dederal podem ser
divididas em8

,B 93*1;3*,0 CPB, quando seus valores são incluídos na apura$ão do
resultado prim&rio Odiferen$a entre as receitas prim&rias e as despesas
prim&riasPE e

=B +&' 93*1;3*,0 ': #*+,+8"*3,0 CFB, quando não são incluídas nesse
c&lculo.

s receitas prim&rias referem5se, predominantemente, Ls receitas
correntes que adv,m dos tri!utos, das contri!ui$%es sociais, das
concess%es, dos dividendos rece!idos pela 0nião, da cota5parte das
compensa$%es financeiras, das decorrentes do próprio esfor$o de
arrecada$ão das 0+s, das provenientes de doa$%es e conv,nios e outras
tam!ém consideradas prim&rias.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
9

s receitas não prim&rias ou financeiras são aquelas que não
contri!uem para o resultado prim&rio ou não alteram o endividamento
líquido do Joverno Osetor pú!lico não financeiroP no e6ercício financeiro
correspondente, uma veG que criam uma o!riga$ão ou e6tinguem um
direito, am!os de natureGa financeira, (unto ao setor privado interno
eQou e6terno. <ão adquiridas (unto ao mercado financeiro, decorrentes
da emissão de títulos, da contrata$ão de opera$%es de crédito por
organismos oficiais, das receitas de aplica$%es financeiras da 0nião
O(uros rece!idos, por e6emploP, das privatiGa$%es e outras.
C. CLASSIFICAÇÃO POR NATUREZA DAS RECEITAS
7ste tópico foi o!(eto de estudo na aula de receita. ssim, farei apenas
um resumo.
RECEITA PÚBLICA
receita so! o enfoque patrimonial ocorre quando um fato
administrativo ocasiona acréscimo no patrimFnio líquido.
3e acordo com o 1anual da Keceita 2acional, Receita pelo enfoque
orçamentário são todos os ingressos disponíveis para co!ertura de
despesas or$ament&rias e opera$%es que, mesmo não *avendo ingresso
de recursos, financiam despesas or$ament&rias.
Receita Orçamentária: são ingressos de recursos financeiros que se
incorporam definitivamente ao patrimFnio pú!lico, pois pertencem L
entidade que o rece!e.
Receita Extraorçamentária8 são ingressos de recursos financeiros que
2T+ se incorporam definitivamente ao patrimFnio, pois 2T+ pertencem
L entidade que o rece!e. <ão recursos que estão apenas
momentaneamente transitando pelo patrimFnio e serão oportunamente
restituídos ao seu propriet&rio.
Receita Derivada: é a receita que deriva do poder coercitivo do
estado, sendo oriunda, portanto, do patrimFnio da sociedade. + governo
e6erce a sua compet,ncia ou o poder de tri!utar os rendimentos e o
patrimFnio da popula$ão.
Receita Originária: é a receita proveniente da atividade privada do
7stado, ou se(a, o!tida através da e6plora$ão de seu próprio patrimFnio,
venda de produtos ou da presta$ão de servi$os.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
10

Receita Efetiva: aquela que, no momento do seu recon*ecimento,
aumenta a situa$ão líquida patrimonial da entidade. <ua arrecada$ão
constitui5se em fato cont&!il modificativo aumentativo.
Receita Não Efetiva: é aquela que não altera a situa$ão líquida
patrimonial no momento do seu recon*ecimento, constituindo fato
cont&!il permutativo. 2este caso, além da receita or$ament&ria
arrecadada registra5se, de forma concomitante, conta de varia$ão
passiva para anular o efeito dessa receita so!re o patrimFnio líquido da
entidade.
CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA DA RECEITA
RECEITA CORRENTE: <ão as receitas tri!ut&rias, de contri!ui$%es,
patrimonial, agropecu&ria, industrial, de servi$os e outras e, ainda, as
provenientes de recursos financeiros rece!idos de outras pessoas de
direito pú!lico ou privado, quando destinadas a atender despesas
classific&veis em 3espesas Correntes.
RECEITA DE CAPITAL: <ão as receitas provenientes da realiGa$ão de
recursos financeiros oriundos de constitui$ão de dívidasE da conversão,
em espécie, de !ens e direitosE recursos rece!idos de outras pessoas de
direito pú!lico ou privado, destinados a atender despesas classific&veis
em 3espesas de Capital e, ainda, o super&vit do +r$amento Corrente.

Dace L necessidade de constante atualiGa$ão e mel*or identifica$ão dos
ingressos aos cofres pú!licos, o código identificador da natureGa de
receita é desmem!rado em níveis. ssim, na ela!ora$ão e e6ecu$ão do
or$amento pú!lico a codifica$ão econFmica da receita or$ament&ria é
composta por 8 dígitos, nos 6 níveis a!ai6o8
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
11

1U nível Categoria econFmica C
>U nível Origem O
:U nível Espécie E
;U nível Ru!rica R
=U nível Alínea AA
CU nível Su!alínea SS

1C<P, Parte ., =V edi$ão O>01>P
RECEITA INTRAORÇAMENTÁRIA: <ão ingressos oriundos de
opera$%es realiGadas entre órgãos e demais entidades da dministra$ão
Pú!lica integrantes do or$amento fiscal e da seguridade social de uma
mesma esfera de governo.
ETAPAS DA RECEITA PÚBLICA
;V edi$ão do 1anual de Conta!ilidade plicada ao <etor Pú!lico e o
1anual Wécnico de +r$amento >01> informam as seguintes etapas da
receita8
1ª Planejamento Confec$ão do or$amento8 previsão da receita a
ser auferida.
2ª Execução . /an$amento A. rrecada$ão C. Kecol*imento.
LANÇAMENTO: + lan$amento consiste no procedimento administrativo
onde se verifica a proced,ncia do crédito fiscal, quem é o devedor e
quando ele dever& cumprir sua o!riga$ão de pagamento.
ARRECADAÇÃO: arrecada$ão ocorre no momento em que o
contri!uinte ou devedor efetua o pagamento. ssim, a arrecada$ão
consiste na entrega realiGada pelos contri!uintes ou devedores aos
agentes arrecadadores autoriGados pelo ente, dos recursos devidos ao
Wesouro 2acional.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
1>

RECOLHIMENTO: + recol*imento ocorre no momento em que o agente
arrecadador transfere o recurso ao ente. ssim, o recol*imento da
receita consiste na transfer,ncia dos valores arrecadados L conta
específica do Wesouro respons&vel pela administra$ão e controle da
arrecada$ão e programa$ão financeira, o!servando5se o Princípio da
0nidade de Cai6a, representado pelo controle centraliGado dos recursos
arrecadados em cada ente da Dedera$ão.
3. CLASSIFICAÇÕES ORÇAMENTÁRIAS DA DESPESA
7ste tópico (& foi a!ordado na aula de despesa pú!lica, porém, marquei
como itens não importantes. Porém, recomendo uma leitura nestes
itens8
1.=. 7strutura da despesa or$ament&ria
1.=.1. 2atureGa da despesa
1.=.>. Classifica$ão institucional
1.=.:. Classifica$ão funcional
1.=.;. 7strutura program&tica

SEGUE UM RESUMO DOS TÓPICOS:

CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL

classifica$ão institucional informa o órgão, entidade ou institui$ão que
e6ecuta a despesa, quem realiGa o gasto. 3essa forma, essa
classifica$ão reflete a estrutura organiGacional do ente, pois precisa
informar onde os créditos or$ament&rios foram alocados para serem
utiliGados.

estrutura da classifica$ão institucional est& !aseada em dois níveis
*ier&rquicos8 órgão orçamentário e unidade orçamentária.
<egundo o artigo 1; da /ei nU ;.:>0QC;, unidade orçamentária é o
agrupamento de servi$os su!ordinados ao mesmo órgão ou reparti$ão a
que serão consignadas dota$%es próprias.

As dotações orçamentárias são consignadas às unidades
orçamentárias, as quais são as respons&veis pela realiGa$ão das a$%es
governamentais.

Dotação orçamentária, ou simplesmente dota$ão, é o nome dado ao
limite de crédito consignado na lei de or$amento ou crédito adicional,
para atender determinada despesa.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
1:

+ Joverno Dederal utiliGa um o código de cinco dígitos na classifica$ão
institucional, sendo os dois primeiros reservados L identifica$ão do
órgão e os tr,s últimos L unidade or$ament&ria.

Código da Classificação Institucional no Governo Federal:
1º 2º 3º 4º 5º
Xrgão +r$ament&rio 0nidade +r$ament&ria

CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL
classifica$ão funcional segrega as dota$%es or$ament&rias em fun$%es
e su!fun$%es.

classifica$ão funcional informa em que &rea de a$ão governamental a
despesa ser& realiGada.

classifica$ão funcional atualmente utiliGada foi instituída pela Portaria
nU ;>Q1999, do então 1inistério do +r$amento e Jestão, e é composta
de um rol de fun$%es e su!fun$%es prefi6adas, que servem como
agregador dos gastos pú!licos por &rea de a$ão governamental nas tr,s
esferas de Joverno.

Atenção! classifica$ão funcional é de aplica$ão comum e o!rigatória
para todos os entes da Dedera$ão O0nião, 7stados, 3istrito Dederal e
1unicípiosP, permitindo a consolida$ão nacional dos gastos do setor
pú!lico.

classifica$ão funcional é composta por cinco dígitos8 os dois primeiros
referem5se L fun$ão e os tr,s últimos dígitos representam a su!fun$ão.
Código da Classifica$ão Duncional8
1º 2º 3º 4º 5º
Dun$ão <u!fun$ão

Lembre-se! classifica$ão funcional agrega as diversas &reas de
atua$ão do setor pú!lico, nas esferas legislativa, e6ecutiva e (udici&ria.

ESTRUTURA PROGRAMÁTICA

2o +r$amento5Programa as a$%es governamentais são plane(adas e
estruturadas através de programas, pois a preocupa$ão maior do 7stado
não é sa!er simplesmente o o!(eto do gasto pú!lico, mas sim o o!(etivo
do gasto, os tra!al*os desenvolvidos em prol da popula$ão, ou se(a, os
produtos ou servi$os oferecidos.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
1;


+ Plano Plurianual I PP ir& definir os o!(etivos estratégicos para o
período de quatro anos, os quais serão colocados em pr&tica através dos
programas de tra!al*o do governo, contidos na /ei +r$ament&ria nual
I /+.

+!viamente é perce!ida a rela$ão #programas de tra!al*o do governo'
e #despesas pú!licas', pois, para que aqueles se(am realiGados, ser&
necess&ria a utiliGa$ão de recursos financeiros, culminando, portanto, na
e6ecu$ão de despesas.
ssim, a estrutura program&tica tam!ém comp%e a gama de códigos
que identificam e classificam a despesa or$ament&ria.

Atenção! Wodos os entes da Dedera$ão devem ter seus tra!al*os
organiGados por programas, mas cada um esta!elecer& sua estrutura
própria.
Conforme esta!elecido no artigo :U da Portaria 1P+J nU ;>Q1999, a
0nião, os 7stados, o 3istrito Dederal e os 1unicípios esta!elecerão, em
atos próprios, suas estruturas de programas, códigos e identifica$ão,
respeitados os conceitos e determina$%es nela contidos. +u se(a, todos
os entes devem ter seus tra!al*os organiGados por programas, mas
cada um esta!elecer& sua estrutura própria de acordo com a referida
Portaria.

Portanto, Atenção! 2ão e6iste uma estrutura única de programas para
os 7ntes Dederados, cada 7nte deve ela!orar suas estruturas de
programas, códigos e identifica$ão, respeitados os conceitos da Portaria
1P+J nU ;>Q1999.

ssim, todos os entes devem ter seus tra!al*os organiGados por
programas e a$%es, mas cada um esta!elecer& seus próprios programas
e a$%es de acordo com a referida Portaria.

estrutura program&tica da despesa or$ament&ria da 0nião est&
organiGada conforme demonstrado a seguir8
Programa
rticula um con(unto de a$%es que concorrem para a
concretiGa$ão de um o!(etivo comum
preesta!elecido.
Ação
+pera$%es das quais resultam produtos O!ens ou
servi$osP que contri!uem para atender ao o!(etivo de
um programa.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
1=

Localizador
de Gasto
O<u!títuloP .ndica a localiGa$ão física das a$%es.

Cada um desses tr,s itens rece!e um código de quatro dígitos. ssim, a
estrutura program&tica or$ament&ria da 0nião é composta de 1> dígitos,
dividida em : partes iguais8


X X X X X X X X X X X X

Programa $ão /ocaliGador de
Jasto



CLASSIFICAÇÃO DA DESPESA POR ESFERA ORÇAMENTÁRIA
2a /+, a esfera tem por finalidade identificar se a despesa pertence ao
+r$amento Discal ODP, da <eguridade <ocial O<P ou de .nvestimento das
7mpresas 7statais O.P, conforme disposto no Y =o do art. 1C= da CD. 2a
!ase de dados do <.+P, o campo destinado L esfera orçamentária é
composto de dois dígitos e ser& associado L ação orçamentária8

5 Orçamento Fiscal (código 10)8 referente aos Poderes da 0nião,
seus fundos, órgãos e entidades da administra$ão direta e indireta,
inclusive funda$%es instituídas e mantidas pelo Poder Pú!licoE
5 Orçamento da Seguridade Social (código 20): a!range todas as
entidades e órgãos a ela vinculados, da administra$ão direta ou indireta,
!em como os fundos e funda$%es instituídos e mantidos pelo Poder
Pú!licoE e
5 Orçamento de Investimento (código 30): or$amento das
empresas em que a 0nião, direta ou indiretamente, deten*a a maioria
do capital social com direito a voto.
CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA DA DESPESA PÚBLICA
3espesa, para fins de registro das transa$%es pela conta!ilidade pú!lica,
ocorre quando *& desem!olso de recurso financeiro, qualquer que se(a.
Lembre-se! conta!ilidade pú!lica recon*ece a receita e a despesa
patrimonial pelo regime de compet,ncia.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
1C

RECONHECIMENTO DA DESPESA SOB O ENFOQUE PATRIMONIAL:
ocorre quando o fato administrativo provoca decréscimo de valor no
patrimFnio líquido, e6cluídos os que se(am provenientes de distri!ui$ão
de riqueGa aos propriet&rios da entidade.
RECONHECIMENTO DA DESPESA SOB O ENFOQUE
ORÇAMENTÁRIO: ocorre com a utiliGa$ão do crédito or$ament&rio, ou
se(a, com o empenho da despesa.
ORÇAMENTÁRIA X EXTRAORÇAMENTÁRIA
Despesa Orçamentária: é a despesa decorrente da e6ecu$ão do
or$amento pú!lico em curso, podendo estar autoriGada na lei
or$ament&ria anual originalmente sancionada ou em leis específicas que
modificam esse or$amento.
Despesa Extraorçamentária: é a despesa que não consta na lei
or$ament&ria anual em curso nem em leis específicas que tratam desse
or$amento.
EFETIVA X NÃO-EFETIVA
Despesa Efetiva: aquela que, no momento da sua realiGa$ão, reduG a
situa$ão líquida patrimonial da entidade. Constitui fato cont&!il
modificativo diminutivo O1C<P, Parte ., ;V edi$ãoP.
Despesa Não-Efetiva: aquela que, no momento da sua realiGa$ão, não
reduG a situa$ão líquida patrimonial da entidade e constitui apenas um
fato cont&!il permutativo. 2este caso, além da despesa or$ament&ria,
registra5se concomitantemente conta de varia$ão aumentativa para
anular o efeito dessa despesa so!re o patrimFnio líquido da entidade
O1C<P, Parte ., ;V edi$ãoP.
CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA DA DESPESA
/ei nU ;.:>0QC; esta!elece que as despesas são divididas em8
DESPESAS CORRENTES: 3espesas de Custeio e Wransfer,ncias
Correntes
DESPESAS DE CAPITAL: .nvestimentos, .nvers%es Dinanceiras e
Wransfer,ncias de Capital.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
1M

Despesas Correntes: são aquelas que não contri!uem, diretamente,
para a forma$ão ou aquisi$ão de um !em de capital. 2ormalmente Onão
é sempreP a despesa corrente coincide com a despesa efetiva,
entretanto, tam!ém e6istem despesas correntes não5efetivas.
Despesas de Capital: são aquelas que contri!uem, diretamente, para
a forma$ão ou aquisi$ão de um !em de capital. 2ormalmente Onão é
sempreP, a despesa de capital coincide com a despesa não5efetiva,
entretanto, tam!ém *& despesa de capital efetiva.
ETAPAS DA DESPESA PÚBLICA
1ª. Planejamento: Confec$ão do or$amento com a fi6a$ão da despesa,
como tam!ém ado$ão dos demais procedimentos que possi!ilitam a
e6ecu$ão da despesa, quais se(am8 programa$ão e descentraliGa$ão de
créditos or$ament&rios e financeiros
A. Fixação da despesa: + governo estima a receita, prev, o quanto ir&
arrecadar no e6ercício financeiro e, do outro lado, fi6a a despesa,
!aseado na pro(e$ão da receita e nas a$%es governamentais que
demandam e6ecu$ão.
B. Descentralizações de créditos orçamentários: 3epois de
aprovada a /ei +r$ament&ria nual pelo poder /egislativo, sancionada
pelo c*efe do 76ecutivo e adotados os procedimentos da <+D, a despesa
or$ament&ria estar& finalmente em condi$%es de ser e6ecutada através
de descentraliGa$%es.
s descentraliGa$%es de créditos or$ament&rios possuem duas
denomina$%es8
Provisão: descentraliGa$ão internaE quando a descentraliGa$ão envolver
unidades gestoras de um mesmo órgão.
Destaque: descentraliGa$ão e6ternaE quando a movimenta$ão de
crédito or$ament&rio ocorrer entre unidades gestoras de órgãos ou
entidades de estrutura diferente.
C. Programação orçamentária e financeira: 7fetuar programa$ão
or$ament&ria e financeira é plane(ar or$ament&ria e financeiramente a
e6ecu$ão da despesa, tendo como !ase os flu6os de pagamento e
rece!imento.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
18

movimenta$ão de recursos financeiros possui as seguintes
denomina$%es8
Cota: li!era$ão de recurso financeiro do órgão central O<W2P para o
1inistério, Xrgão ou 7ntidade.
Repasse: importNncia que a unidade or$ament&ria transfere a outro
1inistério, Xrgão ou 7ntidade. 7st& associado ao 3estaque
Omovimenta$ão de recursos or$ament&riosP.
Sub-Repasse: movimenta$ão interna de recursos financeirosE
importNncia que a unidade or$ament&ria transfere para outra unidade
or$ament&ria ou administrativa do mesmo 1inistério, Xrgão ou
7ntidade. 7st& associado L Provisão Omovimenta$ão de recursos
or$ament&riosP.
2ª. Execução . 7mpen*o A. /iquida$ão C. Pagamento.
EMPENHO: + empen*o é e6atamente o momento em que o 7stado
utiliGa os recursos or$ament&rios rece!idos, pois contratou !ens ou
servi$os com terceiros, devendo indicar nesta fase quem ser& o
favorecido do futuro pagamento. " o ato emanado de autoridade
competente que cria para o 7stado o!riga$ão de pagamento pendente
ou não de implemento de condi$ão Oart. =8 da /ei nU ;.:>0QC;P.
MODALIDADES OU TIPOS DE EMPENHO
ORDINÁRIO: despesas de valor previamente con*ecidoE pagamento
ocorrer& de uma só veG.
ESTIMATIVO: despesas de valor não previamente con*ecido Ovalor
estimadoPE em geral os pagamentos são parcelados, mas poderão
ocorrer pagamento de uma só veG.
GLOBAL: despesas de valor previamente con*ecidoE pagamentos serão
parcelados.
PRÉ-EMPENHO: tualmente, na 0nião, se encontra em aplica$ão a
sistem&tica do pré5empen*o. finalidade do pré5empen*o é reservar o
crédito or$ament&rio enquanto o órgão finaliGa o procedimento
licitatório.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
19

LIQUIDAÇÃO: consiste na verifica$ão do direito adquirido pelo credor
tendo por !ase os títulos e documentos compro!atórios do respectivo
crédito Oart. C:, /ei nU ;.:>0QC;P.
rt. C:. liquida$ão da despesa consiste na verifica$ão do direito
adquirido pelo credor tendo por !ase os títulos e documentos
compro!atórios do respectivo crédito.
Y 1Z 7ssa verifica$ão tem por fim apurar8
. 5 a origem e o o!(eto do que se deve pagarE
.. 5 a importNncia e6ata a pagarE
... 5 a quem se deve pagar a importNncia, para e6tinguir a o!riga$ão.
Y >U liquida$ão da despesa por fornecimentos feitos ou servi$os
prestados ter& por !ase8
. 5 o contrato, a(uste ou acordo respectivoE
.. 5 a nota de empen*oE
... 5 os comprovantes da entrega de material ou da presta$ão efetiva do
servi$o.
PAGAMENTO: + pagamento é o terceiro e último est&gio da e6ecu$ão
da despesa.
Lei 4.320/64:
rt. C>. + pagamento da despesa só ser& efetuado quando ordenado
após sua regular liquida$ão.
rt. C;. ordem de pagamento é o despac*o e6arado por autoridade
competente, determinando que a despesa se(a paga.
Par&grafo único. ordem de pagamento só poder& ser e6arada em
documentos processados pelos servi$os de conta!ilidade.
4. PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITO E TRANSFERÊNCIAS
FINANCEIRAS – DESTAQUE, PROVISÃO, REPASSE, SUB-
REPASSE E COTA

descentraliGa$ão de créditos e transfer,ncias financeiras efetiva5se
através dos seguintes instrumentos8 Cota, provisão, repasse sub-
repasse e destaque. 7stes procedimentos efetivam5se durante a
e6ecu$ão do or$amento ao longo de todo o e6ercício financeiro.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>0


estrutura dos órgãos de programa$ão financeira pode ser
representada da seguinte forma8












" importante o!servar que a <W2 é um órgão su!ordinado ao 1inistério
da DaGenda. Portanto, todas as movimenta$%es de créditos e de
recursos financeiros dos or$amentos são administradas pelos órgãos
supracitados.

<W2 administra tanto os recursos or$ament&rios quanto os
e6traor$ament&rios, *a(a vista que todos os recursos financeiros são
depositados no cai6a único do Wesouro 2acional e controlados pela <W2.

Atenção para a diferença entre movimentação de crédito e de
recursos financeiros!

movimenta$ão ou descentraliGa$ão de créditos consiste na
transfer,ncia, de uma 0nidade Jestora para outra, do poder de utiliGar
créditos or$ament&rios que l*e ten*am sido consignados no or$amento
O/+P ou em créditos adicionais.

7ssa descentraliGa$ão pode ser interna, se realiGada entre 0nidades
Jestoras do mesmo órgãoE ou externa, se efetuada entre órgãos
distintos.

@& a movimenta$ão ou descentraliGa$ão de recursos financeiros oriundos
do or$amento da 0nião O/+P, consiste na transfer,ncia de #din*eiro'
entre as 0nidades Jestoras que comp%em o sistema de programa$ão
financeira e ocorre so! a forma de li!era$ão de cotas, repasses e su!5
Ministérios/AGU/Vice-
Presidência
Ministério da Fazenda
<ecretaria do Wesouro
2acional 5 <W2
Coordena$ão Jeral de
Programa$ão Dinanceira 5
C+D.2
Xrgão <etorial de
Programa$ão Dinanceira 5
+<PD
<u!secretarias de
Plane(amento e +r$amento
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>1

repasses para o pagamento de despesas através de concessão de limite
de saque L Conta [nica do Wesouro 2acional.

Atenção para não se confundir! Crédito e recurso são duas faces de
uma mesma moeda. +u se(a, recurso é dinheiro ou saldo de
disponi!ilidade !anc&ria enquanto que o crédito é dota$ão ou
autoriGa$ão de gasto.

sequ,ncia para o rece!imento de crédito é !asicamente a seguinte8
1U. 0nidade +r$ament&ria ou dministrativa rece!e o créditoE
>U. 3e posse do crédito a 0J realiGa todos os procedimentos relativos L
despesa, plane(amento, licita$ão, dispensa, ine6igi!ilidade, etc.E
:U. /iquida5se a despesaE
;U. 3epois de liquidada a despesa solicita5se recurso financeiro para
pag&5la.
Portanto, primeiro e6ecuta o lado or$ament&rio OcréditosP e, em
seguida, a parte financeira OrecursosP.

Heremos a funcionalidade dos créditos or$ament&rios e as transfer,ncias
de recursos durante o e6ercício financeiro Oe6ecu$ão da /ei
+r$ament&ria nualP.

0ma veG pu!licada a /+, inicia5se imediatamente os procedimentos de
e6ecu$ão or$ament&ria e de programa$ão financeira.

7m lin*as gerais a e6ecu$ão or$ament&ria é processada !asicamente da
seguinte forma8

1º passo: <ecretaria de +r$amento Dederal I <+D do 1inistério do
Plane(amento, +r$amento e Jestão I 1P+J, gera automaticamente no
<.D., o documento 2ota de 3ota$ão I 23. Com esse documento cria5
se o crédito or$ament&rio e inicia a e6ecu$ão or$ament&ria
propriamente dita. -uanto L movimenta$ão de créditos, a fun$ão da
<+D se encerra nesse ponto.

2º passo: Com !ase no 3ecreto de programa$ão financeira, a <W2
inicia a movimenta$ão OdescentraliGa$ãoP de créditos. <ó após o
rece!imento do crédito é que as 0nidades Jestores ou or$ament&rias
estão em condi$%es de efetuar a realiGa$ão das despesas pú!licas.

/KD esta!elece que até trinta dias após a pu!lica$ão dos or$amentos,
nos termos em que dispuser a lei de diretriGes or$ament&rias, o Poder
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>>

76ecutivo esta!elecer& a programa$ão financeira e o cronograma de
e6ecu$ão mensal de desem!olso Oart. 8U da /KDP.
2os dois primeiros passos não *ouve nen*um refle6o financeiro, ou
se(a, não ocorreu movimenta$ão de recursos, apenas de crédito.

3º passo: Kece!ido o crédito, ca!e a cada unidade contemplada
realiGar os procedimentos relativos L e6ecu$ão das despesas Olicita$ão,
dispensa, ine6igi!ilidade, tipo de despesa, empen*o, liquida$ão, etc.P.
Com a transfer,ncia dos recursos come$a a fase de desem!olso para
pagamentos diversos, depois de cumpridos os est&gios ou fases da
despesa Oempen*o e liquida$ãoP.

4º passo: primeira movimenta$ão de recursos é a li!era$ão de cota e
deve ser realiGada em consonNncia com o cronograma de desem!olso
aprovado pela <W2. ssim, cota é o montante de recursos colocados L
disposi$ão dos Xrgãos <etoriais de Programa$ão Dinanceira I +<PD pela
Coordena$ão5Jeral de Programa$ão Dinanceira I C+D.2Q<W2 mediante
movimenta$ão intra5siafi dos recursos da Conta [nica do Wesouro
2acional.

Portanto, atenção! Cotas são somente os recursos transferidos pela
<W2 para os +<PD.

5º passo: /i!era$ão de repasses ou su!5repasses. Repasse
Otransfer,ncia e6ternaP, é a movimenta$ão de recursos realiGada pelos
+<PD para as unidades de outros órgãos ou ministérios e entidades da
dministra$ão .ndireta, !em como entre essesE e sub-repasse
Otransfer,ncia internaP, é a li!era$ão de recursos dos +<PD para as
unidades so! sua (urisdi$ão e entre as unidades de um mesmo órgão,
ministério ou entidade.

partir das transfer,ncias de repasses e su!5repasses, as unidades
gestoras, agora com os recursos em cai6a, podem dar início L fase de
pagamento de seus compromissos OdespesasP.

Resumindo:
\ Descentralização de créditos: " transfer,ncia de créditos entre unidade
gestorasE
^ Descentralização interna de créditos (provisão): " a movimenta$ão de
créditos entre unidades gestoras de um mesmo órgão ou entidades integrantes
do or$amento fiscal e da seguridade social, respeitada fielmente a classifica$ão
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>:

funcional Oart. >U cQc o art. :U do 3ecreto 8>=Q9:PE
^ Descentralização externa de créditos (destaque): " a descentraliGa$ão
de créditos entre unidades gestoras de órgãos ou entidades de estruturas
diferentes, respeitada fielmente a classifica$ão funcional Oart. >U, par&grafo
único, cQc o art. :U do 3ecreto 8>=Q9:PE
^ Descentralização de recursos financeiros: " a transfer,ncia de
#din*eiro' entre as 0nidades Jestoras que comp%em o sistema de
programa$ão financeira e ocorre so! a forma de li!era$ão de cotas, repasses e
su!5repassesE
^ Cota: " a li!era$ão de recursos do órgão central para o setorial de
programa$ão financeiraE
^ Repasse: " a li!era$ão de recursos do órgão setorial de programa$ão
financeira para entidades da dministra$ão .ndireta, e entre estas e ainda de
um ministério para outroE
^ Sub-repasse: " a li!era$ão de recursos dos órgãos setoriais de
programa$ão financeira para as unidades gestoras de sua (urisdi$ão e entre as
unidades gestoras de um mesmo ministério, órgão ou entidade.

Como funciona o controle da entrada e saída dos recursos?
descentraliGa$ão de créditos Onão é din*eiro)P ocorre conforme
demonstrado no gr&fico a!ai6o8













STN/SOF
MJ/
órgão
OSPF
UG
DPF
órgão
DPRF
órgão
O
R
Ç
A
M
E
N
T
O
Provisão
Provisão
MF
órgão
OSPF
UG
DRF/SP
DRF/MS
Provisão
Provisão Destaque
Orçamento
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>;




Legenda: 1@ ] 1inistério da @usti$a. 3PD] 3epartamento de Polícia Dederal. 3PKD] 3epartamento de
Polícia Kodovi&ria Dederal. 1D] 1inistério da DaGenda. 3KD] 3elegacia da Keceita Dederal.
Comentando o gráfico
1º. -uando o +<PD do 1@ transfere crédito aos seus órgãos
OdepartamentosP, essa transfer,ncia é interna, denominada de provisão.

2º. -uando o +<PD do 1@ transfere crédito ao +<PD do 1D, essa
transfer,ncia é e6terna, c*amada de destaue.

3º. transfer,ncia de créditos da <W2 para os +<PD de qualquer
ministério, entidade da administra$ão indireta e para outro Poder,
denomina5se descentraliGa$ão de crédito.

Kesumindo, a transfer,ncia interna de crédito é c*amada de provisão e
a e6terna, destaque.

Atenção! 7ntidades não integrantes dos or$amentos fiscal e da
seguridade social podem rece!er crédito^
<im, conforme previsão no art. ;Z do 3ecreto 8>=Q9:.

7ssa norma determina que as empresas pú!licas federais que não
integrarem os or$amentos fiscal e da seguridade social, mas que
e6ecutarem as atividades de agente financeiro governamental, poderão
rece!er créditos em descentraliGa$ão, para via!iliGar a consecu$ão de
o!(etivos previstos na lei or$ament&ria.

descentraliGa$ão de recursos financeiros ocorre conforme
demonstrado no gr&fico a!ai6o8






3escentraliGa$ão de créditos
Ministrio
!a Fa"en!a
STN

Ministério
da Justiça
OSPF
UG

DRT/MS

DRT/SC
Ministério do
Trabalho - MT
#
O
T
A

#
O
T
A

MJ/
órgão
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>=













/egenda8 3KW] 3elegacia Kegional do Wra!al*o
Comentando o gráfico

1º. -uando a <W2 descentraliGa recursos financeiros para o +<PD do 1@
ou do 1W, essa transfer,ncia é denominada de cota. cota é sempre da
<W2 para os órgãos setoriais.

2º. -uando o +<PD do 1@ ou do 1W transfere recursos financeiros para
as suas unidades gestoras, denomina5se sub-repasse.

3º. transfer,ncia de recursos financeiros do +<PD do 1@ para o +<PD
do 1W é c*amada de repasse.

Kesumindo, a transfer,ncia interna de recursos c*ama5se de su!5
repasse e a e6terna, repasse.

Caso a transfer,ncia de recursos se(a de um ministério para uma
entidade supervisionada, a e6emplo de uma Dunda$ão ou utarquia, é
considerada e6terna, portanto, é um repasse.

Foi cobrado em concurso!
ODCCIWKWQ>;VQ>011 I 2/.<W @03 5 _K7 5 C+2WA./.337P
descentraliGa$ão or$ament&ria entre unidades gestoras de um mesmo
órgão ser& efetuada por meio do instrumento denominado
OSPF
UG
DPF/UG

DPRF
UG
R!ass
Sub-repasse
Sub-repasse
Sub-r!ass
Sub-r!ass
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>C

OP Kepasse +r$ament&rio.
OAP 3estaque.
OCP 3ota$ão.
O3P Cota +r$ament&ria.
O7P Provisão.

Resolução
descentraliGa$ão interna, ou se(a, a transfer,ncia .2W7K2 de crédito
or$ament&rio entre unidades gestoras de um mesmo órgão ser&
efetuada por meio do instrumento denominado PK+H.<T+.
@& a Descentralização externa de créditos denomina5se 37<W-07.
Para mel*or entendimento, o!serve a resolu$ão da questão acima.
/etra 7.

Poderíamos resumir o procedimento de movimenta$ão financeira
envolvendo o órgão central e os órgãos setoriais da seguinte forma8






Comentários
1º. s 0nidades 76ecutoras ou unidades or$ament&rias vinculadas a um
1inistério preparam suas propostas de programa$ão financeira e a
encamin*am ao +<PD.

2º. + Xrgão <etorial de Programa$ão Dinanceira 5 +<PD rece!e a
proposta de programa$ão financeira I PPD, encamin*ada pelas 0nidades
76ecutoras I 07, realiGa a(ustes se for o caso e a encamin*a L <W2.

3º. <W2 aprova ou determina a(ustes nos valores a li!erar. 3epois de
aprovada, a <W2 gera a proposta de programa$ão financeira aprovada I
PD. partir dessa fase, o órgão central est& em condi$%es de li!erar os
recursos financeiros através de ordem !anc&ria I +A, no siafi.
4º. transfer,ncia de recursos financeiros da <W2 para os +<PD é
através de cotas.

Órgão central:
STN/MF.
Órgãos setoriais:
OSPF
Unidades executoras:
UE
Aprova e libera o recurso
- cota
$i%era o re&urso ' su%'
re(asse
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>M

5º. transfer,ncia de recursos financeiros dos +<PD vinculados a um
1inistério para as 0nidades 76ecutoras desse mesmo 1inistério é
realiGada através de su!5repasse, mediante +A, no sistema siafi.

6º. <e a transfer,ncia de recursos financeiros for realiGada entre
1inistérios ou entre entidades supervisionadas ODunda$%es ou
utarquiasP, ser& através de repasse mediante +A, no sistema siafi.

Depois de aprovada a PF, como se planeja e concretiza a
movimentação da execução orçamentária e financeira?
e6ecu$ão or$ament&ria e financeira funciona da seguinte forma8

1º. Passo: +s +<PD, considerando as necessidades de recursos
financeiros das unidades gestoras supervisionadas, deverão registrar,
até o último dia útil de cada m,s, as propostas de programa$ão
financeira 5 PPD para o m,s seguinte Oart. 1U da .2 nU. >Q99P.

2º. Passo: <W2, considerando as disponi!ilidades e6istentes em
cai6a, a estimativa de ingresso de recursos, as dota$%es or$ament&rias
vigentes e as prioridades para pagamento definidas no 3ecreto nU.
8>=Q9: e os cronogramas mensal e anual de desem!olsos financeiros,
a(ustar& os valores propostos, registrando a programa$ão financeira
aprovada I PD Oart. >U da .2 nU. >Q99P.

3º. Passo: +s +<PD descentraliGarão os limites da Programa$ão
Dinanceira provada 5 PD Ls unidades gestoras supervisionadas em até
dois dias úteis do lan$amento da PD pela <W2 Oart. :U da .2 nU. >Q99P.

4º. Passo: s Propostas de Programa$ão Dinanceira 5 PPD e PD serão
registradas no siafi, podendo ser a(ustadas dentro do m,s de refer,ncia
Oart. ;U da .2 nU. >Q99P.

5º. Passo: totaliGa$ão dos valores apresentados nas PPD poder&
e6ceder as dota$%es aprovadas na /ei +r$ament&ria nual. 7ntretanto,
este e6cesso ser& considerado apenas como simples estimativa, não
representando qualquer garantia de concessão de recursos adicionais
Oart. =U da .2 nU. >Q99P.

6º. Passo: +s compromissos em moeda estrangeira deverão ser
programados em reais, permitido o a(uste dos valores decorrentes da
varia$ão cam!ial Oart. CU da .2 nU. >Q99P.

PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>8

PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA

programa$ão financeira se materialiGa através da Nota de
Programação Financeira – PF - 2ota de Programa$ão Dinanceira é
o documento que permite registrar os valores constantes da Proposta de
Programa$ão Dinanceira OPPDP e a Programa$ão Dinanceira provada
OPDP, envolvendo a Coordena$ão5Jeral de Programa$ão Dinanceira da
<ecretaria do Wesouro 2acional 5 C+D.2Q<W2 e os Xrgãos <etoriais de
Programa$ão Dinanceira 5 +<PD.

-uais são as informa$%es apresentadas nas propostas de programa$ão
financeira^
s PPD apresentarão as seguintes informa$%es8
^ Categoria de gastoE
^ Wipo de despesaE
^ Código de vincula$ão de pagamentoE
^ Donte de recursosE
^ 1,s de refer,nciaE e
^ Halor.

s li!era$%es de recursos da <W2 aos +<PD e destes para as unidades
gestoras supervisionadas serão efetivadas mediante a concessão de
limites de saque L conta única do Wesouro 2acional, através de registro
em conta cont&!il Oart. 8U da .2 nU. >Q99P.

Importante! +s limites para pagamento de pessoal t,m prioridades e
serão concedidos de acordo com o seguinte cronograma8
^ Xrgãos dos Poderes /egislativo, @udici&rio e 1inistério Pú!lico8 no dia
vinte de cada m,s de compet,ncia da fol*a ou, quando este ocorrer em
dia não útil, no dia útil imediatamente anteriorE
^ Xrgão do Poder 76ecutivo8 no !ltimo dia !til de cada m"s de
compet,ncia da fol*aE
^ 2o caso de pagamento de fol*a complementar, os limites serão
registrados no dia cinco do m"s subseuente ao de compet,ncia da
fol*a, em conta5 corrente específica.

DESCENTRALIZAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS –
TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS

PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
>9

s Wransfer,ncias .ntergovernamentais compreendem a entrega de
recursos, correntes ou de capital, de um ente Oc*amado #transferidor'P
a outro Oc*amado #!enefici&rio', ou #rece!edor'P. Podem ser
volunt&rias, nesse caso destinadas L coopera$ão, au6ílio ou assist,ncia,
ou decorrentes de determina$ão constitucional ou legal.

Portanto, a movimenta$ão ou descentraliGa$ão de recursos financeiros
oriundos do or$amento da 0nião O/+P, consiste na transfer,ncia de
#din*eiro' entre as 0nidades Jestoras que comp%em o sistema de
programa$ão financeira e ocorre so! a forma de li!era$ão de cotas,
repasses e su!5repasses para o pagamento de despesas através de
concessão de limite de saque L Conta [nica do Wesouro 2acional.

s transfer,ncias intergovernamentais constitucionais ou legais devem
ser conta!iliGadas pelo ente transferidor como uma despesa ou como
dedu$ão de receita, dependendo da forma como foi ela!orado o
or$amento do ente.

Portanto, o ente transferido pode conta!iliGar os recursos transferidos
de duas formas8
3iretamente como despesasE
Como uma dedu$ão das receitas previstas.

Importante! 2o caso das transfer,ncias volunt&rias, a conta!iliGa$ão
deve ser como despesa, (& que não *& uma determina$ão legal para a
transfer,ncia, dependendo, portanto, de autoriGa$ão legislativa para a
efetiva$ão dessas transfer,ncias.

ssim, o ente que arrecada receitas de propriedade de outros entes e as
inclui em seu or$amento como receita, com o intuito de não evidenciar
super&vit indevido utiliGando5se de recursos do !enefici&rio, deve,
sempre que possível, conta!iliGar a despesa de transfer,ncia no passivo
financeiro até entregar financeiramente os recursos correspondentes no
início do m,s su!seq`ente.

QUESTÕES DE CONCURSOS PÚBLICOS – COTA, PROVISÃO,
REPASSE E SUB-REPASSE

1. OC7<P7 I 2/.<W 31.2.<WKW.H+ I 277/Q>010P s dota$%es
atri!uídas Ls diversas unidades or$ament&rias não poderão ser
movimentadas por órgãos centrais de administra$ão geral, ainda que
e6pressamente determinado na /ei de +r$amento.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:0


Resolução
Woda e qualquer autoriGa$ão prevista na /ei de or$amento #em tese'
pode ser e6ecutada. ssim, as dota$%es atri!uídas Ls diversas unidades
or$ament&rias poderão ser movimentadas normalmente por órgãos
centrais de administra$ão geral. 7KK3+.

>. OC7<P7 I C+2W3+KQ3P0Q>010P Com rela$ão aos conceitos
associados aos processos de descentraliGa$ão de créditos e de
movimenta$ão de recursos, na e6ecu$ão or$ament&ria e financeira,
assinale a op$ão correta.
s descentraliGa$%es de créditos or$ament&rios a outros entes da
Dedera$ão, a e6emplo das transfer,ncias volunt&rias, devem ser
classificadas como opera$%es especiais.
A descentraliGa$ão de créditos or$ament&rios transfere a programa$ão
para outra unidade or$ament&ria.
C provisão é tam!ém c*amada de descentraliGa$ão interna, por
efetuar5se entre unidades gestoras de um mesmo órgão.
3 cota corresponde L movimenta$ão de recursos entre as unidades do
sistema de programa$ão or$ament&ria e se efetua mediante destaque.
7 + repasse ocorre quando a li!era$ão de recursos se efetua entre
unidades gestoras de um mesmo órgão ou entidade.

Resolução
aP s descentraliGa$%es de créditos or$ament&rios a outros entes da
Dedera$ão, a e6emplo das transfer,ncias volunt&rias, devem ser
classificadas conforme o tipo de despesa a ser realiGada Ocorrente ou de
capitalP. Portanto, não necessariamente são classificadas como
opera$%es especiais.
s opera$%es especiais englo!am despesas em rela$ão Ls quais não se
pode associar um !em ou servi$o a ser gerado no processo produtivo
corrente, tais como8 dívidas, ressarcimentos, indeniGa$%es e outras
afins, representando, portanto, uma agrega$ão neutra. ssim, nesse
caso, as a$%es estarão associadas aos programas do tipo a+pera$%es
7speciaisa. 7KK3+.
!P descentraliGa$ão de créditos or$ament&rios 2T+ transfere a
programa$ão para outra unidade or$ament&ria ou gestora. Cada 0J
possui sua própria programa$ão or$ament&ria. 7KK3+.
cP Perfeito) provisão é denominada de descentraliGa$ão interna. 7sta
descentraliGa$ão interna ocorre entre unidades gestoras de um mesmo
órgão. C7KW+.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:1

dP Conceito de Cota: " a li!era$ão de recursos do órgão central para o
setorial de programa$ão financeira.
Conceito de Destaque (descentralização externa de créditos): " a
descentraliGa$ão de créditos entre unidades gestoras de órgãos ou
entidades de estruturas diferentes, respeitada fielmente a classifica$ão
funcional Oart. >U, par&grafo único, cQc o art. :U do 3ecreto 8>=Q9:P.
7KK3+.
eP li!era$ão de recursos entre unidades gestoras de um mesmo órgão
ou entidade denomina5se <0AK7P<<7. 7KK3+.
+p$ão C.

:. OC7<P7 I C+2W3+KQ3P0Q>010P Com refer,ncia ao registro cont&!il
da descentraliGa$ão de crédito interna OprovisãoP e do seu respectivo
refle6o no sistema de contas, tendo por !ase a estrutura do plano de
contas atual, composta por seis classes de contas, é correto afirmar que
o rece!imento de descentraliGa$ão interna de crédito OprovisãoP é
conta!iliGada no sistema de contas
compensa$ão, de!itando5se a conta de crédito disponível e
creditando5se a conta de descentraliGa$ão interna de créditos.
A financeiro, de!itando5se a conta de crédito disponível e creditando5se
a conta de descentraliGa$ão interna de créditos.
C or$ament&rio, de!itando5se a conta de crédito disponível e creditando5
se a conta de descentraliGa$ão interna de créditos.
3 financeiro, de!itando5se a conta de descentraliGa$ão interna de
créditos e creditando5se a conta de crédito disponível.
7 or$ament&rio, de!itando5se a conta de descentraliGa$ão interna de
créditos e creditando5se a conta de crédito disponível.

Resolução
Para quem o!servou atentamente os lan$amentos cont&!eis resolve
esta questão com facilidade.
-uem rece!e crédito mediante descentraliGa$ão, como o próprio nome
indica OcréditoP, o!rigatoriamente o registro de crédito deve ser no
sistema or$ament&rio.
+ lan$amento na 0J !enefici&ria ser&8
Sistema orçamentário:
3 I 3escentraliGa$ão interna de crédito bbb
C I Créditos disponíveis bbb
+p$ão 7.

;. OC7<P7 I C+2W3+K I 1.2.<W"K.+ 3 <[37Q>010P
transfer,ncia do limite de saque da <ecretaria do Wesouro 2acional para
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:>

os órgãos setoriais do sistema de programa$ão financeira O+<PDP ocorre
por meio do repasse, enquanto a cota refere5se L li!era$ão dos recursos
do +<PD para entidades da administra$ão indireta.

Resolução
transfer,ncia do limite de saque da <ecretaria do Wesouro 2acional
para os órgãos setoriais do sistema de programa$ão financeira O+<PDP
ocorre por meio de C+W.
Kepasse é a li!era$ão dos recursos do +<PD para entidades da
administra$ão indireta ou outro ministério.
7KK3+.

=. O7<D I DCQCJ0 I >00CP ssinale a op$ão correta a respeito do
controle cont&!il das descentraliGa$%es de créditos realiGadas no Nm!ito
federal.
aP descentraliGa$ão de crédito implica autom&tica transfer,ncia
financeira dos recursos.
!P descentraliGa$ão interna e a e6terna de crédito rece!em o mesmo
tratamento cont&!il.
cP conta!iliGa$ão na unidade destinat&ria dos créditos depende de
a$ão dessa unidade, uma veG que, ao ser emitido o documento de
descentraliGa$ão, o crédito permanece em conta transitória.
dP 2a unidade destinat&ria do crédito, a contrapartida da conta provisão
rece!ida do ativo compensado é a conta crédito disponível do passivo
compensado.
eP 2a unidade gestora descentraliGadora dos créditos ocorre um
decréscimo patrimonial.

Resolução
aP descentraliGa$ão de crédito 2T+ implica autom&tica transfer,ncia
financeira dos recursos. descentraliGa$ão de crédito gera apenas
e6pectativa de rece!imento posterior dos recursos. Jeralmente os
recursos são transferidos depois de realiGados os procedimentos
licitatórios relativos ao crédito descentraliGado. Caso a unidade
or$ament&ria ou gestora não ultime os procedimentos licitatórios não
*aver& transfer,ncia de recursos pelo órgão setorial de programa$ão
financeira. 7KK3.
!P descentraliGa$ão interna e a e6terna de crédito 2T+ rece!em o
mesmo tratamento cont&!il, *a(a vista que a descentraliGa$ão .2W7K2
gera uma PK+H.<T+ de crédito OreservaP, enquanto que na
descentraliGa$ão 7bW7K2 gera um 37<W-07 de crédito, ou se(a, uma
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
::

dedu$ão da 3+WcT+ or$ament&ria do órgão descentraliGador dos
créditos. 7KK3.
cP conta!iliGa$ão na unidade destinat&ria dos créditos .237P7237 de
a$ão dessa unidade, uma veG que, ao ser emitido o documento de
descentraliGa$ão, o crédito ficar& L disposi$ão da unidade rece!edora do
crédito em conta específica. 7KK3.
dP descentraliGa$ão de crédito é ato administrativo que no momento
de sua descentraliGa$ão não *aver& altera$ão do patrimFnio líquido,
porém, essa transa$ão deve ser controlada tanto no sistema
or$ament&rio quanto em contas de controle do sistema de
compensa$ão. " denominada no plano de contas como uma célula da
despesa porque ainda não é uma despesa de fato.
2o plano de contas da 0nião esse ato é tratado da seguinte forma8 na
unidade destinat&ria do crédito, a contrapartida da conta provisão
rece!ida do ativo compensado é a conta crédito disponível do passivo
compensado. C7KW+.
eP 2a unidade gestora descentraliGadora dos créditos ocorre uma
interfer,ncia passiva. 7KK3.
+p$ão 3.

C. OC7<P7 I 2W-Qnalista I Ci,ncias Cont&!eis I >009P 2a
descentraliGa$ão de créditos, a e6ecu$ão da despesa or$ament&ria
realiGa5se por meio de outro órgão ou entidade, não se alterando a
classifica$ão funcional e a estrutura program&tica.

Resolução
Certíssimo# -uando ocorre a descentraliGa$ão de recursos, o órgão ou
entidade transferidor efetua a classifica$ão completa do crédito e o
rece!edor aplicar& os recursos conforme esta classifica$ão.
Importante! -uando da transfer,ncia de recursos o ente transferidor
considera a despesa realiGada, para fins de sua conta!iliGa$ão, na etapa
da /.-0.3cT+, e o ente rece!edor considera o rece!imento dos
recursos como receita, e6atamente nesta mesma etapa.
C7KW+.

M. OC7<P7 I 2W-Qnalista I >009P + destaque, que é a
descentraliGa$ão das disponi!ilidades financeiras vinculadas ao
or$amento, compete aos órgãos setoriais de programa$ão financeira,
que transferem tais disponi!ilidades para outro órgão ou ministério.

PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:;

Resolução
+ destaque é realmente efetuado pelos órgãos setoriais de programa$ão
financeira O+<PDP. Wodavia, trata5se de uma descentraliGa$ão e6terna de
CK"3.W+<, e não dos recursos financeiros Odin*eiroP, entre unidades
gestoras de órgãos ou entidades de estruturas diferentes.
transfer,ncia de disponi!ilidades financeiras Odin*eiroP para outro
órgão ou ministério é denominada K7P<<7.
7KK3+.

8. OC7<P7 I 1in. <aúde I >008P 2o esta!elecimento da programa$ão da
despesa or$ament&ria, devem5se levar em conta não apenas os recursos
provenientes dos créditos or$ament&rios e adicionais, mas tam!ém os
rece!idos por conta de opera$%es e6tra5or$ament&rias.

Resolução
programa$ão financeira e o cronograma de e6ecu$ão mensal de
desem!olso é uma das ferramentas utiliGadas pela administra$ão
pú!lica pala mel*or gerir o er&rio, imposta pela lei complementar nU
101Q00 O/ei de Kesponsa!ilidade DiscalP, em seu artigo 8U.
Programa$ão Dinanceira o!(etiva a(ustar o ritmo de e6ecu$ão do
or$amento ao flu6o prov&vel de recursos financeiros que ingressam,
assegurando a e6ecu$ão dos programas de tra!al*o.
+!viamente que as receitas e6tra5or$ament&rias, apesar de sua
característica de transitoriedade nos cofres pú!licos, são fontes
disponíveis de recursos para a consecu$ão dos o!(etivos do 7stado.
C7KW+.

9. OC7<P7 I 1in. <aúde I >008P <ão c*amados de su!5repasses os
instrumentos de li!era$ão de recursos or$ament&rios utiliGados pelos
órgãos setoriais de programa$ão financeira para as unidades gestoras.

Resolução
ten$ão para as nomenclaturas utiliGadas)
Hamos recordar8
<u!5repasse8 " a li!era$ão de recursos dos órgãos setoriais de
programa$ão financeira para as unidades gestoras de sua (urisdi$ão e
entre as unidades gestoras de um mesmo ministério, órgão ou entidade.
-uando for utiliGada a palavra #recursos', est& se referindo a
disponi!ilidade financeira Odin*eiroP8
5 recursos financeirosE
5 recursos financeiros or$ament&riosE
5 recursos or$ament&rios etc.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:=

questão utiliGou a e6pressão #recursos or$ament&rios' na tentativa de
confundir com candidato #crédito or$ament&rio'. -uem estava desatento
provavelmente errou essa.
C7KW+.

LISTA DAS QUESTÕES

1. OC7<P7 I 2/.<W 31.2.<WKW.H+ I 277/Q>010P s dota$%es
atri!uídas Ls diversas unidades or$ament&rias não poderão ser
movimentadas por órgãos centrais de administra$ão geral, ainda que
e6pressamente determinado na /ei de +r$amento.

>. OC7<P7 I C+2W3+KQ3P0Q>010P Com rela$ão aos conceitos
associados aos processos de descentraliGa$ão de créditos e de
movimenta$ão de recursos, na e6ecu$ão or$ament&ria e financeira,
assinale a op$ão correta.
s descentraliGa$%es de créditos or$ament&rios a outros entes da
Dedera$ão, a e6emplo das transfer,ncias volunt&rias, devem ser
classificadas como opera$%es especiais.
A descentraliGa$ão de créditos or$ament&rios transfere a programa$ão
para outra unidade or$ament&ria.
C provisão é tam!ém c*amada de descentraliGa$ão interna, por
efetuar5se entre unidades gestoras de um mesmo órgão.
3 cota corresponde L movimenta$ão de recursos entre as unidades do
sistema de programa$ão or$ament&ria e se efetua mediante destaque.
7 + repasse ocorre quando a li!era$ão de recursos se efetua entre
unidades gestoras de um mesmo órgão ou entidade.

:. OC7<P7 I C+2W3+KQ3P0Q>010P Com refer,ncia ao registro cont&!il
da descentraliGa$ão de crédito interna OprovisãoP e do seu respectivo
refle6o no sistema de contas, tendo por !ase a estrutura do plano de
contas atual, composta por seis classes de contas, é correto afirmar que
o rece!imento de descentraliGa$ão interna de crédito OprovisãoP é
conta!iliGada no sistema de contas
compensa$ão, de!itando5se a conta de crédito disponível e
creditando5se a conta de descentraliGa$ão interna de créditos.
A financeiro, de!itando5se a conta de crédito disponível e creditando5se
a conta de descentraliGa$ão interna de créditos.
C or$ament&rio, de!itando5se a conta de crédito disponível e creditando5
se a conta de descentraliGa$ão interna de créditos.
3 financeiro, de!itando5se a conta de descentraliGa$ão interna de
créditos e creditando5se a conta de crédito disponível.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:C

7 or$ament&rio, de!itando5se a conta de descentraliGa$ão interna de
créditos e creditando5se a conta de crédito disponível.

;. OC7<P7 I C+2W3+K I 1.2.<W"K.+ 3 <[37Q>010P
transfer,ncia do limite de saque da <ecretaria do Wesouro 2acional para
os órgãos setoriais do sistema de programa$ão financeira O+<PDP ocorre
por meio do repasse, enquanto a cota refere5se L li!era$ão dos recursos
do +<PD para entidades da administra$ão indireta.

=. O7<D I DCQCJ0 I >00CP ssinale a op$ão correta a respeito do
controle cont&!il das descentraliGa$%es de créditos realiGadas no Nm!ito
federal.
aP descentraliGa$ão de crédito implica autom&tica transfer,ncia
financeira dos recursos.
!P descentraliGa$ão interna e a e6terna de crédito rece!em o mesmo
tratamento cont&!il.
cP conta!iliGa$ão na unidade destinat&ria dos créditos depende de
a$ão dessa unidade, uma veG que, ao ser emitido o documento de
descentraliGa$ão, o crédito permanece em conta transitória.
dP 2a unidade destinat&ria do crédito, a contrapartida da conta provisão
rece!ida do ativo compensado é a conta crédito disponível do passivo
compensado.
eP 2a unidade gestora descentraliGadora dos créditos ocorre um
decréscimo patrimonial.

C. OC7<P7 I 2W-Qnalista I Ci,ncias Cont&!eis I >009P 2a
descentraliGa$ão de créditos, a e6ecu$ão da despesa or$ament&ria
realiGa5se por meio de outro órgão ou entidade, não se alterando a
classifica$ão funcional e a estrutura program&tica.

M. OC7<P7 I 2W-Qnalista I >009P + destaque, que é a
descentraliGa$ão das disponi!ilidades financeiras vinculadas ao
or$amento, compete aos órgãos setoriais de programa$ão financeira,
que transferem tais disponi!ilidades para outro órgão ou ministério.

8. OC7<P7 I 1in. <aúde I >008P 2o esta!elecimento da programa$ão da
despesa or$ament&ria, devem5se levar em conta não apenas os recursos
provenientes dos créditos or$ament&rios e adicionais, mas tam!ém os
rece!idos por conta de opera$%es e6tra5or$ament&rias.

PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:M

9. OC7<P7 I 1in. <aúde I >008P <ão c*amados de su!5repasses os
instrumentos de li!era$ão de recursos or$ament&rios utiliGados pelos
órgãos setoriais de programa$ão financeira para as unidades gestoras.

GABARITO
17 >C :7 ;7 =3 CC M7 8C 9C
5. SISTEMAS DE INFORMAÇÕES - SICONFI
+ Joverno Dederal tem conduGido um processo para desenvolvimento e
implanta$ão de um sistema denominado <istema de .nforma$%es Cont&!eis
e Discais do <etor Pú!lico Arasileiro O<.C+2D.P, que visa padroniGar a coleta
de dados cont&!eis e fiscais de toda a federa$ão. ado$ão nacional do
PC<P contri!uir& para a transmissão de dados a serem coletados por esse
sistema, possi!ilitando um aprimoramento da consolida$ão cont&!il
nacional prevista na /KD.
Objetivos Gerais do Projeto SICONFI
utomatiGar e mel*orar a coleta de dados cont&!eis dos entes da
federa$ão para dar
pu!licidade ao cumprimento de disposi$%es da /KD e limites
constitucionais.
d umentar a confia!ilidade dos dados.
d Dle6i!iliGar os mecanismos de entrada de dados criando alternativas L
entrada de
dados manual, aumentando a adesão ao <.C+2D. Oatualmente C0e no
<.<W2P.
d Prover informa$%es confi&veis para serem utiliGadas por8
I gera$ão de estatísticas fiscaisE
I consolida$ão das contas anuaisE
I acompan*amento e apura$ão de informa$%es so!re Parcerias Pú!lico5
Privadas OPPPsPE
I acompan*amento da dívida consolidada e mo!ili&riaE
I registro eletrFnico centraliGado das dívidas pú!licas interna e e6ternaE
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:8

I acompan*amento das opera$%es de crédito.
d Prover mecanismo de e6porta$ão de dados padroniGado para outros
sistemas e entidades e6ternas.

tualmente e6istem outros sistemas utiliGados pelo governo federal.

SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA FEDERAL

Função do Sistema de Administração Financeira Federal:
1anter o equilíbrio financeiro do Joverno Dederal, dentro dos limites
da receita e despesa pú!licas.

ATIVIDADES DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
FEDERAL:

7sse sistema compreende as atividades de programa$ão financeira da
0nião, de administra$ão de direitos e *averes, garantias e o!riga$%es de
responsa!ilidade do Wesouro 2acional e de orienta$ão técnico5normativa
referente L e6ecu$ão or$ament&ria e financeira.

Portanto, o <.<W71 DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA FEDERAL
compreende tr,s atividades !&sicas8
1. Programa$ão financeira da 0niãoE
>. dministra$ão de direitos e *averes, garantias e o!riga$%es de
responsa!ilidade do Wesouro 2acionalE
:. +rienta$ão técnico5normativa referente L e6ecu$ão or$ament&ria
e financeira

Órgãos integrantes do Sistema de ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
FEDERAL8
. 5 a <ecretaria do Wesouro 2acional 5 <W2, como órgão centralE
.. 5 órgãos setoriais.
+s órgãos setoriais são as unidades de programa$ão financeira dos
1inistérios, da dvocacia5Jeral da 0nião, da Hice5Presid,ncia e da Casa
Civil da Presid,ncia da Kepú!lica.
+s órgãos setoriais ficam su(eitos L orienta$ão normativa e L supervisão
técnica do órgão central do <istema, sem pre(uíGo da su!ordina$ão ao
órgão em cu(a estrutura administrativa estiverem integrados.

SISTEMA DE CONTABILIDADE FEDERAL
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
:9


Finalidade do Sistema de Contabilidade Federal:
+ <istema de Conta!ilidade Dederal visa a evidenciar a situa$ão
or$ament&ria, financeira e patrimonial da 0nião.

Portanto, o <istema de Conta!ilidade Dederal tem como fun$ão
primordial 7H.372C.K OdemonstrarP8

A situação

+r$ament&riaE
DinanceiraE
7 Patrimonial da 0nião.

A FINALIDADE específica do Sistema de Contabilidade Federal é:

Registrar os atos e fatos relacionados com a administra$ão
or$ament&ria, financeira e patrimonial da 0nião.
Deve EVIDENCIAR:
. 5 as opera$%es realiGadas pelos órgãos ou entidades governamentais e os
seus efeitos so!re a estrutura do patrimFnio da 0niãoE
.. 5 os recursos dos or$amentos vigentes, as altera$%es decorrentes de
créditos adicionais, as receitas previstas e arrecadadas, a despesa
empen*ada, liquidada e paga L conta desses recursos e as respectivas
disponi!ilidadesE
... 5 perante a DaGenda Pú!lica, a situa$ão de todos quantos, de qualquer
modo, arrecadem receitas, efetuem despesas, administrem ou guardem !ens
a ela pertencentes ou confiadosE
.H 5 a situa$ão patrimonial do ente pú!lico e suas varia$%esE
H 5 os custos dos programas e das unidades da dministra$ão Pú!lica
DederalE
H. 5 a aplica$ão dos recursos da 0nião, por unidade da Dedera$ão !eneficiadaE
H.. 5 a renúncia de receitas de órgãos e entidades federais.

.mportante) s opera$%es de que resultem dé!itos e créditos de
natureGa financeira não compreendidas na e6ecu$ão or$ament&ria Ofatos
e6traor$ament&riosP serão, tam!ém, o!(eto de registro, individualiGa$ão
e controle cont&!il.

ssim sendo, pode5se diGer que o <istema de Conta!ilidade Dederal
compreende as atividades de registro, de tratamento e de controle das
opera$%es relativas L administra$ão or$ament&ria, financeira e
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;0

patrimonial da 0nião, com vistas L ela!ora$ão de demonstra$%es
cont&!eis.

Órgãos integrantes do Sistema de Contabilidade Federal:
. 5 <ecretaria do Wesouro 2acional 5 <W2, como órgão centralE
.. 5 Xrgãos setoriais.
+s órgãos setoriais são as unidades de gestão interna dos 1inistérios
e da dvocacia5Jeral da 0nião.

ten$ão) + órgão de controle interno da Casa Civil e6ercer& tam!ém
as atividades de órgão setorial contábil de todos os órgãos integrantes
da Presid,ncia da Kepú!lica, da Hice5Presid,ncia da Kepú!lica, além de
outros determinados em legisla$ão específica.

+s órgãos setoriais ficam su(eitos L orienta$ão normativa e L supervisão
técnica do órgão central do <istema O<W2P, sem pre(uíGo da
su!ordina$ão ao órgão em cu(a estrutura administrativa estiverem
integrados.

COMPETÊNCIA das unidades responsáveis pelas atividades do
Sistema de Contabilidade Federal:

. 5 manter e aprimorar o Plano de Contas [nico da 0niãoE

.. 5 esta!elecer normas e procedimentos para o adequado registro
cont&!il dos atos e dos fatos da gestão or$ament&ria, financeira e
patrimonial nos órgãos e nas entidades da dministra$ão Pú!lica
DederalE

... 5 com !ase em apura$%es de atos e fatos inquinados de ilegais ou
irregulares, efetuar os registros pertinentes e adotar as provid,ncias
necess&rias L responsa!iliGa$ão do agente, comunicando o fato L
autoridade a quem o respons&vel este(a su!ordinado e ao órgão ou
unidade do <istema de Controle .nternoE

.H 5 instituir, manter e aprimorar sistemas de informa$ão que permitam
realiGar a conta!iliGa$ão dos atos e fatos de gestão or$ament&ria,
financeira e patrimonial da 0nião e gerar informa$%es gerenciais
necess&rias L tomada de decisão e L supervisão ministerialE

H 5 realiGar tomadas de contas dos ordenadores de despesa e demais
respons&veis por !ens e valores pú!licos e de todo aquele que der
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;1

causa a perda, e6travio ou outra irregularidade que resulte dano ao
er&rioE

H. 5 ela!orar os Aalan$os Jerais da 0niãoE

H.. 5 consolidar os !alan$os da 0nião, dos 7stados, do 3istrito Dederal e
dos 1unicípios, com vistas L ela!ora$ão do Aalan$o do <etor Pú!lico
2acionalE

H... 5 promover a integra$ão com os demais Poderes e esferas de
governo em assuntos de conta!ilidade.

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO
FEDERAL

+ Sistema de Controle Interno do Poder 76ecutivo Dederal visa L
avalia$ão da a$ão governamental e da gestão dos administradores
pú!licos federais, por intermédio da fiscaliGa$ão cont&!il, financeira,
or$ament&ria, operacional e patrimonial, e a apoiar o controle externo
no e6ercício de sua missão institucional.

Portanto, é fun$ão do Controle .nterno do Poder 76ecutivo Dederal8
Ação Forma de execução
valia$ão dos atos e fatos
governamental e da gestão dos
administradores pú!licos federais
Por intermédio da fiscaliGa$ão
cont&!il, financeira, or$ament&ria,
operacional e patrimonial

Ca!e ainda ao Controle .nterno apoiar o controle externo no e6ercício
de sua missão institucional, ou se(a, apoiar o Wri!unal de Contas da
0nião I WC0, para mel*or desempen*ar sua fun$ão constitucional e
institucional.

Finalidades do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo
Federal:
. 5 avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plurianual, a e6ecu$ão
dos programas de governo e dos or$amentos da 0niãoE

.. 5 comprovar a legalidade e avaliar os resultados, quanto L efic&cia e
efici,ncia, da gestão or$ament&ria, financeira e patrimonial nos órgãos e nas
entidades da dministra$ão Pú!lica Dederal, !em como da aplica$ão de
recursos pú!licos por entidades de direito privadoE

PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;>

... 5 e6ercer o controle das opera$%es de crédito, avais e garantias, !em como
dos direitos e *averes da 0niãoE

.H 5 apoiar o controle e6terno no e6ercício de sua missão institucional.


+ <istema de Controle .nterno do Poder 76ecutivo Dederal compreende
as atividades de avalia$ão do cumprimento das metas previstas no
plano plurianual, da e6ecu$ão dos programas de governo e dos
or$amentos da 0nião e de avalia$ão da gestão dos administradores
pú!licos federais, utiliGando como instrumentos a auditoria e a
fiscaliGa$ão.

Integram o Sistema de Controle Interno do Poder Executivo
Federal:
. 5 a <ecretaria Dederal de Controle .nterno, como órgão centralE
.. 5 órgãos setoriais.

&rea de atua$ão do órgão central do <istema a!range todos os
órgãos do Poder 76ecutivo Dederal, e6ceto os seguintes8
1inistério das Kela$%es 76terioresE
1inistério da 3efesaE
dvocacia5Jeral da 0niãoE
7 a Casa Civil da Presid,ncia da Kepú!lica.


Portanto, o Controle Interno do Poder Executivo Federal não
fiscaliza:
1inistério das Kela$%es 76terioresE
1inistério da 3efesaE
dvocacia5Jeral da 0niãoE
7 a Casa Civil da Presid,ncia da Kepú!lica.

+s órgãos acima possuem seus próprios controles .nternos, a e6emplo
do 76ército Arasileiro, que possui as .nspetorias de Conta!ilidade e
Dinan$as.

+s órgãos setoriais são aqueles de controle interno que integram a
estrutura do 1inistério das Kela$%es 76teriores, do 1inistério da 3efesa,
da dvocacia5Jeral da 0nião e da Casa Civil.

PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;:

+ órgão de controle interno da Casa Civil tem como &rea de atua$ão
todos os órgãos integrantes da Presid,ncia da Kepú!lica e da Hice5
Presid,ncia da Kepú!lica, além de outros determinados em legisla$ão
específica.

+s órgãos central e setoriais podem su!dividir5se em unidades setoriais
e regionais, como segmentos funcionais e espaciais, respectivamente.

+s órgãos setoriais ficam su(eitos L orienta$ão normativa e L supervisão
técnica do órgão central do <istema, sem pre(uíGo da su!ordina$ão ao
órgão em cu(a estrutura administrativa estiverem integrados

+!servadas as disposi$%es contidas no art. 11M da /ei n
o
8.11>, de 11
de deGem!ro de 1990, é vedado aos dirigentes dos órgãos e das
unidades dos <istemas8 P/27@172W+ 7 37 +Kc172W+ D737K/,
31.2.<WKcT+ D.22C7.K D737K/ de C+2WK+/7 .2W7K2+ 3+
P+37K 7b7C0W.H+ D737K/ e de CONTABILIDADE FEDERAL
e6ercerem8
. 5 atividade de dire$ão político5partid&riaE
.. 5 profissão li!eralE
... 5 demais atividades incompatíveis com os interesses da
dministra$ão Pú!lica Dederal, na forma que dispuser o regulamento.

Importante! 2en*um processo, documento ou informa$ão poder& ser
sonegado aos servidores dos <istemas de Conta!ilidade Dederal e de
Controle .nterno do Poder 76ecutivo Dederal, no e6ercício das
atri!ui$%es inerentes Ls atividades de registros cont&!eis, de auditoria,
fiscaliGa$ão e avalia$ão de gestão.

ten$ão) + agente pú!lico que, por a$ão ou omissão, causar em!ara$o,
constrangimento ou o!st&culo L atua$ão dos <istemas de
Contabilidade Federal e de Controle .nterno, no desempen*o de suas
fun$%es institucionais, ficar& su(eito L pena de responsa!ilidade
administrativa, civil e penal.

+ servidor dever& guardar sigilo so!re dados e informa$%es pertinentes
aos assuntos a que tiver acesso em decorr,ncia do e6ercício de suas
fun$%es, utiliGando5os, e6clusivamente, para a ela!ora$ão de pareceres
e relatórios destinados L autoridade competente, so! pena de
responsa!ilidade administrativa, civil e penal.

7ntendo que essa regra é aplic&vel aos servidores pú!licos em geral.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;;


os dirigentes dos órgãos e das unidades do <istema de Controle
.nterno do Poder 76ecutivo Dederal e dos órgãos do <istema de
Conta!ilidade Dederal, no e6ercício de suas atri!ui$%es, é facultado
impugnar, mediante representa$ão ao respons&vel, quaisquer atos de
gestão realiGados sem a devida fundamenta$ão legal.

QUESTÕES DE CONCURSOS PÚBLICOS

1. O7<D I P+Q>010P /ei n. 10.180, de 0C de fevereiro de >001,
organiGou e disciplinou o <istema de Plane(amento e +r$amento
Dederal. .dentifique qual o!(etivo faG parte desse <istema, segundo a
referida /ei.
aP Dormular planos nacionais, setoriais e regionais de desenvolvimento
econFmico e social.
!P dministrar as opera$%es de crédito so! a responsa!ilidade do
Wesouro 2acional.
cP Jerir a dívida pú!lica mo!ili&ria federal e a dívida e6terna de
responsa!ilidade do Wesouro 2acional.
dP 1anter controle dos compromissos que onerem, direta ou
indiretamente, a 0nião (unto a entidades ou organismos internacionais.
eP 7ditar normas so!re a programa$ão financeira e a e6ecu$ão
or$ament&ria e financeira, !em como promover o acompan*amento, a
sistematiGa$ão e a padroniGa$ão da e6ecu$ão da despesa pú!lica.

Resolução
+!serve os o!(etivos do <istema de Plane(amento e de +r$amento
Dederal8
. 5 formular o plane(amento estratégico nacionalE
.. 5 formular planos nacionais, setoriais e regionais de desenvolvimento
econFmico e socialE
... 5 formular o plano plurianual, as diretriGes or$ament&rias e os
or$amentos anuaisE
.H 5 gerenciar o processo de plane(amento e or$amento federalE
H 5 promover a articula$ão com os 7stados, o 3istrito Dederal e os
1unicípios, visando a compati!iliGa$ão de normas e tarefas afins aos
diversos <istemas, nos planos federal, estadual, distrital e municipal.
aP Conforme se o!serva acima, formular planos nacionais, setoriais e
regionais de desenvolvimento econômico e social faG parte dos
o!(etivos do <istema de Plane(amento e de +r$amento Dederal. Certo.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;=

!P dministrar as opera$%es de crédito so! a responsa!ilidade do
Wesouro 2acional é o!(etivo do <.<W71 37 31.2.<WKcT+
D.22C7.K D737K/. 7rrado.
cP Jerir a dívida pú!lica mo!ili&ria federal e a dívida e6terna de
responsa!ilidade do Wesouro 2acional é fun$ão da <W2. 7rrado.
dP 1anter controle dos compromissos que onerem, direta ou
indiretamente, a 0nião (unto a entidades ou organismos internacionais é
fun$ão do sistema de Conta!ilidade Pú!lica. 1anter controle é fun$ão
precípua da Conta!ilidade. 7rrado.
eP 7ditar normas so!re a programa$ão financeira e a e6ecu$ão
or$ament&ria e financeira, !em como promover o acompan*amento, a
sistematiGa$ão e a padroniGa$ão da e6ecu$ão da despesa pú!lica é
fun$ão da <W2. 7rrado.
+p$ão .

>. O7<D I DCQCJ0 I >008P 5 3e acordo com a /ei n. 10.180Q01, são
de compet,ncia dos órgãos e unidades do <istema de Controle .nterno
do Poder 76ecutivo Dederal as seguintes a$%es, e6ceto8
aP realiGar auditorias nos sistemas cont&!il, financeiro, or$ament&rio e
de pessoal das entidades privadas que guardem ou gerenciem recursos
pú!licos federais.
!P avaliar a e6ecu$ão dos or$amentos da 0nião.
cP avaliar o cumprimento das metas esta!elecidas no plano plurianual.
dP realiGar auditoria so!re a gestão dos recursos pú!licos federais so! a
responsa!ilidade de órgãos e entidades pú!licos e privados.
eP avaliar o desempen*o da auditoria interna das entidades da
administra$ão indireta federal.

Resolução
Compete aos órgãos e Ls unidades do <istema de Controle .nterno do
Poder 76ecutivo Dederal8
$. Avaliar o cumprimento das metas estabelecidas no plano
plurianual%
&. Fiscalizar e avaliar a execução dos programas de governo'
inclusive aç(es descentrali)adas reali)adas * conta de recursos oriundos
dos +rçamentos da ,nião' uanto ao nível de e-ecução das metas e
ob.etivos estabelecidos e * ualidade do gerenciamento%
/. 0valiar a e-ecução dos orçamentos da ,nião%
1. 2-ercer o controle das operaç(es de crédito' avais' garantias' direitos e
haveres da ,nião%
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;C

3. 4ornecer informaç(es sobre a situação físico-financeira dos pro.etos e
das atividades constantes dos orçamentos da ,nião%
5. 6eali)ar auditoria sobre a gestão dos recursos p!blicos federais sob a
responsabilidade de 7rgãos e entidades p!blicos e privados%
8. 0purar os atos ou fatos inuinados de ilegais ou irregulares' praticados
por agentes p!blicos ou privados' na utili)ação de recursos p!blicos
federais e' uando for o caso' comunicar * unidade responsável pela
contabilidade para as provid"ncias cabíveis%
9. 6eali)ar auditorias nos sistemas contábil' financeiro' orçamentário' de
pessoal e demais sistemas administrativos e operacionais%
:. Avaliar o desempenho da auditoria interna das entidades da
administração indireta federal%
$;. Elaborar a Prestação de ontas Anual do Presidente da
!ep"blica a ser encaminhada ao ongresso #acional' nos termos do
art. 91' inciso <<=>' da Constituição 4ederal%
$$. Criar condiç(es para o e-ercício do controle social sobre os programas
contemplados com recursos oriundos dos orçamentos da ,nião.

Dinalidades do <istema de Controle .nterno do Poder 76ecutivo Dederal8
$. Avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plurianual' a
e-ecução dos programas de governo e dos orçamentos da ,nião%
&. omprovar a legalidade e avaliar os resultados' uanto * eficácia e
efici"ncia' da gestão orçamentária' financeira e patrimonial nos 7rgãos e
nas entidades da 0dministração P!blica 4ederal' bem como da aplicação de
recursos p!blicos por entidades de direito privado%
/. Exercer o controle das operaç(es de crédito' avais e garantias' bem
como dos direitos e haveres da ,nião%
1. Apoiar o controle externo no e-ercício de sua missão institucional.

+!serve que o primeiro quadro refere5se Ls compet,ncias e o segundo,
Ls finalidades do sistema de controle interno do governo federal. Porém,
e6iste atividade que se enquadra tanto como compet,ncia quanto como
finalidade, a e6emplo da fun$ão de #Avaliar o cumprimento das metas
previstas no plano plurianual?.
Conclusão:
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;M

+ comando da questão pede uma e6ce$ão em rela$ão Ls compet,ncias
do sistema de controle interno do governo federal.

Portanto, realiGar auditorias nos sistemas cont&!il, financeiro,
or$ament&rio e de pessoal das entidades privadas que guardem ou
gerenciem recursos pú!licos federais 2T+ é compet,ncia do sistema de
controle interno do Poder 76ecutivo Dederal.

compet,ncia do sistema de controle interno se limita a #6eali)ar
auditoria sobre a gestão dos recursos p"blicos $ederais sob a
responsabilidade de %rgãos e entidades p"blicos e privados?. +u
se.a' reali)ar auditoria para verificar a aplicação dos recursos p!blicos
federais repassados *s entidades privadas' a e-emplo das empresas ue
atuam na área de sa!de @hospitais' clínicas' laborat7rios etc.A.

Compare o enunciado da op$ão #' com as fun$%es do Controle .nterno.
+!serve que não é fun$ão do Controle .nterno realiGar auditorias de
pessoal em entidades privadas' a e-emplo dos hospitais privados.

aP realiGar auditorias nos sistemas cont&!il, financeiro, or$ament&rio e
de pessoal das entidades privadas que guardem ou gerenciem recursos
pú!licos federais.
8. KealiGar auditorias nos sistemas cont&!il, financeiro, or$ament&rio, de
pessoal e demais sistemas administrativos e operacionaisE
C. KealiGar auditoria so!re a gestão dos recursos pú!licos federais so! a
responsa!ilidade de órgãos e entidades pú!licos e privadosE
+p$ão .

:. OC7<P7 I C7QWC0 I >00MP + <istema de Conta!ilidade Dederal
compreende as atividades de registro, de tratamento e de controle das
opera$%es relativas L administra$ão or$ament&ria, financeira e
patrimonial da 0nião, com vistas L ela!ora$ão das demonstra$%es
cont&!eis.
+s órgãos setoriais desse sistema su(eitam5se L orienta$ão normativa e
L supervisão técnica do 1inistério do Plane(amento, +r$amento e
Jestão, que é o órgão central do sistema.

Resolução
+ comando dessa questão refere5se L /ei nU. 10.180 de 0C de fevereiro
de >001 que organiGa e disciplina os <istemas de Plane(amento e de
+r$amento Dederal, de dministra$ão Dinanceira Dederal, de
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;8

Conta!ilidade Dederal e de Controle .nterno do Poder 76ecutivo Dederal,
e d& outras provid,ncias.

" importante que o candidato consulte essa norma e atente5se para as
compet,ncias e o!(etivos dos diversos sistemas. Jeralmente as
quest%es de concursos acerca dessas normas são e6igidos !asicamente
conceitos literais, a e6emplo dessa questão.

Observe:
0rt. $5. + Bistema de Contabilidade 4ederal compreende as atividades de
registro' de tratamento e de controle das operaç(es relativas * administração
orçamentária' financeira e patrimonial da ,nião' com vistas * elaboração de
demonstraç(es contábeis.
0rt. $8. =ntegram o Bistema de Contabilidade 4ederalC
= - a Becretaria do Desouro Eacional' como 7rgão central%
II - %rgãos setoriais.
F $
o
+s 7rgãos setoriais são as unidades de gestão interna dos Ginistérios e
da 0dvocacia-Heral da ,nião.
F &
o
+ 7rgão de controle interno da Casa Civil e-ercerá também as atividades
de 7rgão setorial contábil de todos os 7rgãos integrantes da Presid"ncia da
6ep!blica' da >ice-Presid"ncia da 6ep!blica' além de outros determinados em
legislação específica.
& '
o
(s %rgãos setoriais $icam su)eitos * orientação normativa e *
supervisão t+cnica do %rgão central do ,istema- sem pre)u.zo da
subordinação ao %rgão em cu)a estrutura administrativa estiverem
integrados/

0rt. $1. + Bistema de Contabilidade 4ederal visa a evidenciar a situação
orçamentária' financeira e patrimonial da ,nião.
0rt. $3. + Bistema de Contabilidade 4ederal tem por finalidade registrar os
atos e fatos relacionados com a administração orçamentária' financeira e
patrimonial da ,nião e evidenciarC
= - as operaç(es reali)adas pelos 7rgãos ou entidades governamentais e os
seus efeitos sobre a estrutura do patrimInio da ,nião%
== - os recursos dos orçamentos vigentes' as alteraç(es decorrentes de
créditos adicionais' as receitas prevista e arrecadada' a despesa empenhada'
liuidada e paga * conta desses recursos e as respectivas disponibilidades%
=== - perante a 4a)enda P!blica' a situação de todos uantos' de ualuer
modo' arrecadem receitas' efetuem despesas' administrem ou guardem bens
a ela pertencentes ou confiados%
=> - a situação patrimonial do ente p!blico e suas variaç(es%
> - os custos dos programas e das unidades da 0dministração P!blica 4ederal%
>= - a aplicação dos recursos da ,nião' por unidade da 4ederação beneficiada%
>== - a ren!ncia de receitas de 7rgãos e entidades federais.
Parágrafo !nico. 0s operaç(es de ue resultem débitos e créditos de nature)a
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
;9

financeira não compreendidas na e-ecução orçamentária serão' também'
ob.eto de registro' individuali)ação e controle contábil.
Conclusão:
nalisando as regras da norma acima transcrita pode5se verificar que os
órgãos setoriais do sistema 2T+ se su(eitam L orienta$ão normativa e L
supervisão técnica do 1inistério do Plane(amento, +r$amento e Jestão,
mas sim da <ecretaria do Wesouro 2acional I <W2, que é o órgão central
do sistema.
7KK3+.

;. O7<D I Contador 1inistério do Plane(amentoQ72P I >00CP +
<istema de Conta!ilidade Dederal não tem como o!(etivo evidenciar
aP os créditos adicionais aos or$amentos vigentes da 0nião.
!P os custos dos programas e das unidades da dministra$ão Pú!lica
Dederal.
cP a aplica$ão dos recursos da 0nião pelas unidades da Dedera$ão
!eneficiadas.
dP a renúncia de receitas de órgãos e entidades federais.
eP as receitas o!tidas pelas unidades da Dedera$ão e os recursos
aplicados.

Resolução
/ei Dederal nU. 10.180Q>001 que organiGa e disciplina os <istemas de
Plane(amento e de +r$amento Dederal, de dministra$ão Dinanceira
Dederal, de Conta!ilidade Dederal e de Controle .nterno do Poder
76ecutivo Dederal, e d& outras provid,ncias assim esta!elece acerca do
assunto8
0rt. $1. + Bistema de Contabilidade 4ederal visa a evidenciar a situação
orçamentária' financeira e patrimonial da ,nião.
0rt. $3. + Bistema de Contabilidade 4ederal tem por finalidade registrar os
atos e fatos relacionados com a administração orçamentária' financeira e
patrimonial da ,nião e evidenciarC
= - as operaç(es reali)adas pelos 7rgãos ou entidades governamentais e os
seus efeitos sobre a estrutura do patrimInio da ,nião%
== - os recursos dos orçamentos vigentes' as alteraç(es decorrentes de
créditos adicionais' as receitas prevista e arrecadada' a despesa empenhada'
liuidada e paga * conta desses recursos e as respectivas disponibilidades%
=== - perante a 4a)enda P!blica' a situação de todos uantos' de ualuer
modo' arrecadem receitas' efetuem despesas' administrem ou guardem bens
a ela pertencentes ou confiados%
=> - a situação patrimonial do ente p!blico e suas variaç(es%
> - os custos dos programas e das unidades da 0dministração P!blica 4ederal%
>= - a aplicação dos recursos da ,nião' por unidade da 4ederação beneficiada%
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
=0

>== - a ren!ncia de receitas de 7rgãos e entidades federais.
Parágrafo !nico. 0s operaç(es de ue resultem débitos e créditos de nature)a
financeira não compreendidas na e-ecução orçamentária serão' também'
ob.eto de registro' individuali)ação e controle contábil.
Conforme se o!serva, não é o!(etivo do <istema de Conta!ilidade
Dederal evidenciar as receitas o!tidas pelas unidades da Dedera$ão e os
recursos aplicados.
Caso essa situa$ão fosse o!(etivo do <istema de Conta!ilidade Dederal,
certamente estaria *avendo #que!ra' do princípio federativo, *a(a vista
que todas as unidades da federa$ão possuem compet,ncia
constitucional para organiGar suas próprias finan$as.
+p$ão 7.

=. O7<D I DCQ<W2Q>008P + <istema de Plane(amento e de +r$amento
Dederal tem como órgão central aOoP8
aP dvocacia5Jeral da 0nião.
!P <ecretaria da Keceita Dederal do Arasil.
cP 1inistério da DaGenda.
dP 1inistério do Plane(amento, +r$amento e Jestão.
eP Wri!unal de Contas da 0nião.

Resolução
dvocacia5Jeral da 0nião não faG parte do sistema de plane(amento,
mas sim realiGa defesa (udicial e e6tra(udicial da 0nião.
<ecretaria da Keceita Dederal do Arasil é vinculada ao 1inistério da
DaGenda e tem por fun$ão a fiscaliGa$ão, lan$amento e arrecada$ão das
receitas federais.
+ Wri!unal de Contas da 0nião tem por fun$ão principal #au6iliar' o
Congresso 2acional no controle e6terno das contas pú!licas.

Conforme previsto na /ei nU 10.180Q>001, o <istema de Plane(amento e
de +r$amento Dederal compreende as atividades de ela!ora$ão,
acompan*amento e avalia$ão de planos, programas e or$amentos, e de
realiGa$ão de estudos e pesquisas sócio5econFmicas.
<ão órgãos integrantes do <istema de Plane(amento e de +r$amento
Dederal8
. 5 o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, como
órgão central;
.. 5 órgãos setoriaisE
... 5 órgãos específicos.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
=1

+s órgãos setoriais são as unidades de plane(amento e or$amento dos
1inistérios, da dvocacia5Jeral da 0nião, da Hice5Presid,ncia e da Casa
Civil da Presid,ncia da Kepú!lica.
+s órgãos específicos são aqueles vinculados ou su!ordinados ao órgão
central do <istema, cu(a missão est& voltada para as atividades de
plane(amento e or$amento.
+p$ão 3.

C. O7<D I DCQ<W2Q>008P .dentifique o órgão central do <istema de
Conta!ilidade Dederal, nos termos da legisla$ão aplic&vel.
aP <ecretaria Dederal de Controle .nterno.
!P Comissão de Coordena$ão de Controle .nterno.
cP <ecretaria do Wesouro 2acional.
dP Consel*o Dederal de Conta!ilidade.
eP Consel*o Jestor do Plano de Contas [nico da 0nião.

Resolução
-uestão muito simples)
+ órgão central do <istema de Conta!ilidade e respons&vel pela
descentraliGa$ão de créditos e movimenta$ão financeira é a <ecretaria
do Wesouro nacional I <W2.
<ecretaria Dederal de Controle .nterno, atual CJ0, é respons&vel pelo
Controle .nterno da 0nião, atualmente encontra5se su!ordinada L
Presid,ncia da Kepú!lica.
+ Consel*o Dederal de Conta!ilidade I CDC é o órgão de classe
regulamentador dos Contadores e Wécnicos.
+ Consel*o Jestor do Plano de Contas [nico da 0nião é órgão vinculado
e su!ordinado L <W2.
+p$ão C.

M. O7<D I DCQ<W2Q>008P 5 2os termos da /ei n. 10.180, de C de
fevereiro de >001, as unidades de gestão interna da dvocacia5Jeral da
0nião integram o <istema de Conta!ilidade Dederal na qualidade de
aP unidades intervenientes de representa$ão (udicial.
!P unidades de apoio de representa$ão e6tra(udicial.
cP unidades gestoras de representa$ão (udicial de órgão central.
dP órgão central.
eP órgão setorial.

Resolução
-uestão simples, !astante f&cil)
<ão Xrgãos integrantes do <istema de Conta!ilidade Dederal8
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
=>

. 5 <ecretaria do Wesouro 2acional 5 <W2, como órgão centralE
.. 5 Xrgãos setoriais.
+s órgãos setoriais são as unidades de gestão interna dos 1inistérios
e da dvocacia5Jeral da 0nião.
ten$ão) + órgão de controle interno da Casa Civil e6ercer& tam!ém
as atividades de órgão setorial contábil de todos os órgãos integrantes
da Presid,ncia da Kepú!lica, da Hice5Presid,ncia da Kepú!lica, além de
outros determinados em legisla$ão específica.

+s órgãos setoriais ficam su(eitos L orienta$ão normativa e L supervisão
técnica do órgão central do <istema O<W2P, sem pre(uíGo da
su!ordina$ão ao órgão em cu(a estrutura administrativa estiverem
integrados.
+p$ão 7.
LISTA DAS QUESTÕES
1. O7<D I P+Q>010P /ei n. 10.180, de 0C de fevereiro de >001,
organiGou e disciplinou o <istema de Plane(amento e +r$amento
Dederal. .dentifique qual o!(etivo faG parte desse <istema, segundo a
referida /ei.
aP Dormular planos nacionais, setoriais e regionais de desenvolvimento
econFmico e social.
!P dministrar as opera$%es de crédito so! a responsa!ilidade do
Wesouro 2acional.
cP Jerir a dívida pú!lica mo!ili&ria federal e a dívida e6terna de
responsa!ilidade do Wesouro 2acional.
dP 1anter controle dos compromissos que onerem, direta ou
indiretamente, a 0nião (unto a entidades ou organismos internacionais.
eP 7ditar normas so!re a programa$ão financeira e a e6ecu$ão
or$ament&ria e financeira, !em como promover o acompan*amento, a
sistematiGa$ão e a padroniGa$ão da e6ecu$ão da despesa pú!lica.

>. O7<D I DCQCJ0 I >008P 5 3e acordo com a /ei n. 10.180Q01, são
de compet,ncia dos órgãos e unidades do <istema de Controle .nterno
do Poder 76ecutivo Dederal as seguintes a$%es, e6ceto8
aP realiGar auditorias nos sistemas cont&!il, financeiro, or$ament&rio e
de pessoal das entidades privadas que guardem ou gerenciem recursos
pú!licos federais.
!P avaliar a e6ecu$ão dos or$amentos da 0nião.
cP avaliar o cumprimento das metas esta!elecidas no plano plurianual.
dP realiGar auditoria so!re a gestão dos recursos pú!licos federais so! a
responsa!ilidade de órgãos e entidades pú!licos e privados.
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
=:

eP avaliar o desempen*o da auditoria interna das entidades da
administra$ão indireta federal.

:. OC7<P7 I C7QWC0 I >00MP + <istema de Conta!ilidade Dederal
compreende as atividades de registro, de tratamento e de controle das
opera$%es relativas L administra$ão or$ament&ria, financeira e
patrimonial da 0nião, com vistas L ela!ora$ão das demonstra$%es
cont&!eis.
+s órgãos setoriais desse sistema su(eitam5se L orienta$ão normativa e
L supervisão técnica do 1inistério do Plane(amento, +r$amento e
Jestão, que é o órgão central do sistema.

;. O7<D I Contador 1inistério do Plane(amentoQ72P I >00CP +
<istema de Conta!ilidade Dederal não tem como o!(etivo evidenciar
aP os créditos adicionais aos or$amentos vigentes da 0nião.
!P os custos dos programas e das unidades da dministra$ão Pú!lica
Dederal.
cP a aplica$ão dos recursos da 0nião pelas unidades da Dedera$ão
!eneficiadas.
dP a renúncia de receitas de órgãos e entidades federais.
eP as receitas o!tidas pelas unidades da Dedera$ão e os recursos
aplicados.

=. O7<D I DCQ<W2Q>008P + <istema de Plane(amento e de +r$amento
Dederal tem como órgão central aOoP8
aP dvocacia5Jeral da 0nião.
!P <ecretaria da Keceita Dederal do Arasil.
cP 1inistério da DaGenda.
dP 1inistério do Plane(amento, +r$amento e Jestão.
eP Wri!unal de Contas da 0nião.

C. O7<D I DCQ<W2Q>008P .dentifique o órgão central do <istema de
Conta!ilidade Dederal, nos termos da legisla$ão aplic&vel.
aP <ecretaria Dederal de Controle .nterno.
!P Comissão de Coordena$ão de Controle .nterno.
cP <ecretaria do Wesouro 2acional.
dP Consel*o Dederal de Conta!ilidade.
eP Consel*o Jestor do Plano de Contas [nico da 0nião.

M. O7<D I DCQ<W2Q>008P 5 2os termos da /ei n. 10.180, de C de
fevereiro de >001, as unidades de gestão interna da dvocacia5Jeral da
0nião integram o <istema de Conta!ilidade Dederal na qualidade de
PACOTE – TEORIA E EXERCÍCIOS – ANAL. JUD. ÁREA
ADMINISTRATIVA.
PROF.: DEUSVALDO CARVALHO

Prof. Deusvaldo Carvalho - www.pontodosconcursos.com.br
=;

aP unidades intervenientes de representa$ão (udicial.
!P unidades de apoio de representa$ão e6tra(udicial.
cP unidades gestoras de representa$ão (udicial de órgão central.
dP órgão central.
eP órgão setorial.

GABARITO
1 > :7 ;7 =3 CC M7

Aoa sorte)