You are on page 1of 3

Universidade Federal de Uberlândia

Faculdade de Engenharia Química
Prof. Ubirajara Coutinho Filho
Unidade 6-reatores com reciclo e associação de reatores-versão 1-dez 2006

6.1-Introdução

Reatores em série e reciclo são formas usuais de utilização de reatores contínuos em processos
onde a conversão pretendida não é capaz de ser atingida em um único reator e quando,
principalmente no caso do reciclo, é necessário um aumento da concentração celular no interior
do reator.

Além dos casos onde a associação de reatores representa a forma com que o processo industrial
é conduzido, os modelos de reatores associados são úteis na descrição de reatores que não se
comportam como um CSTR ideal, ou seja em situações onde há regiões mistura ineficiente,
correntes de bypass e regiões estagnadas.

6.2-Reator com reciclo

O reciclo de células é usual em diversas fermentações como a fermentação alcoólica e
tratamento de resíduos. No processo de reciclo a vazão da saída do reator passa por um
separador e uma bomba, geralmente centrífuga , é utilizada no reenvio de células para o reator.
A corrente reenviada por reciclo normalmente contém concentração celular maior que a na
saída do reator e possibilita o processamento de uma maior quantidade de material, maiores
taxas de diluição do que a utilizada em um reator sem reciclo.

Na Figura 6.1 está esquematizado um processo com reciclo com reaproveitamento total das
células como corrente de reciclo. Sendo Fr e Fo as vazões do reator, Xr, X1 e X as
concentrações na saída do reator temos que Fr/Fo= α representa a razão de reciclo, Xr/X1= β
o aumento de concentração celular promovida pelo reciclo e Xr > X1 > X, condição mais
comum, ou Xr=X1=X.






Considerando D=Fo/Vr a taxa de diluição e µ a taxa de crescimento celular, tem-se o balanço de
massa para células e substrato:

FrXr+ FoXo-(Fo+Fr)X
1
+µX
1
Vr=0, com Xo=0 para os casos mais usuais. Dividindo esta
equação por FoX
1
, tem-se:
(Fr/Fo)(Xr/X1)-(1+Fr/Fo)+ µVr/Fo=0

αβ−(1+α)+µ/D=0



Fo,So
Fr, Xr, Sr
F, X, S
Fo+Fr, X
1
,S
1

µ
D=
1+α-αβ
Na maioria dos casos a concentração celular pouco influi no volume da fração líquida e assim a
aproximação Sr=S=Se é utilizada com freqüência.


Para substrato o balanço de massa fornece:

FrSr+ FoSo-(Fo+Fr)S
1
-µX
1
Vr/Y=0

FrS+ FoSo-(Fo+Fr)S-µX
1
Vr/Y=0

Assim:

Fo(So-S)= µX
1
Vr/Y D(So-S)= µ

Combinado os balanços de massa para células e substrato vem:



como µX representa a produção de células por unidade de volume e β <1 esta equação mostra
que a produção de células dentro do reator com reciclo é maior que no caso sem reciclo (β=0),
na prática a formação de células dentro do reator com reciclo pode ser maior que o valor
previsto pela teoria pelo fato do excesso de células gerados ser capaz de formar filmes e aderir a
diferentes partes do reator.

6.2-Reator CSTR em série

O uso de reatores múltiplos traz vantagens como a possibilidade de uso dos reatores a diferentes
condições operacionais de estado estacionário e o uso de maiores taxas de diluição, sendo que
esta última característica ocorre pelo fato de parte das células arrastadas do primeiro reator
serem adicionadas aos demais reatores.

Para a figura representada a baixo tem-se quatro balanços de massa (dois em cada reator):

Balanço de células no primeiro reator:
FoXo-F
1
X
1
+µX
1
Vr
1
=0 µ
1
=D para Xo=0
Balanço de células no segundo reator:
F
1
X
1
-F
2
X
2
+µX
2
Vr
2
=0 µ
2
=D(1-X
1
/X
2
)
Balanço de substrato no primeiro reator:
FoSo-F
1
S
1
-µX
1
Vr
1
/Y=0
Balanço de substrato no segundo reator:
F
1
S
1
-F
2
S
2
-µX
2
Vr
2
/Y=0



F
o
, S
o





F
2
,S
2
,X
2

F
1
,X
1
,S
1

µY(So-S)
µX=
1+α-αβ


Nas condições representadas Fo=F
1
=F
2
assim as duas equações de balanço de massa para
substrato podem ser simplificadas, sendo que para o caso particular onde Vr
1
=Vr
2
, segue:
µX
1
=Y D(So-S
1
)
µX
2
=Y D(S
1
-S
2
)

Para o uso n reatores em série as equações acima podem ser generalizadas:
µ
k
X
k
=Y D(S
k-1
-S
k
)
µ
k
=D(1-X
k-1
/X
k
)
sendo que k representa o k-ésimo reator da série de reatores CSTR.

Para vários reatores CSTR em série, ou mesmo apenas dois reatores , há casos onde é necessário
fazer uma alimentação adicional de substrato a partir do segundo reator para compensar o
consumo do substrato como mostra a figura que segue.








Nesta condição:
Balanço de células no primeiro reator:
FoXo-F
1
X
1
+µX
1
Vr
1
=0 µ
1
=D para Xo=0
Balanço de células no segundo reator:
F
1
X
1
-F
2
X
2
+µX
2
Vr
2
=0 com F
2
=Fo+Fa e F
1
=Fo
Balanço de substrato no primeiro reator:
FoSo-F
1
S
1
-µX
1
Vr
1
/Y=0
Balanço de substrato no segundo reator:
F
1
S
1
+FaSa-F
2
S
2
-µX
2
Vr
2
/Y=0 com F
2
=Fo+Fa e F
1
=Fo

Há várias outras possibilidades como, por exemplo, as representadas nas figuras que seguem
(texto a ser ampliado...)







Obs: item 6.3: Reatores não ideais


Ouça e você esquecerá
Ouça e veja e você saberá
Ouça, veja e faça e você será capaz.
(antigo provérbio chinês)
F
2
,S
2
,X
2

F
1
,X
1
,S
1

Fa, Sa
F
o
,S
o

Fe, Xe, Se
F
2
,S
2
,X
2

F
1
,X
1
,S
1

F
R
,X
R
,S
R

Fo, So