FILHOS SEGUROS, PAIS TRANQUILOS

Entendendo o potencial da Internet e garantindo a integridade dos nativos digitais

Livro colaborativo Organização: Volney Faustini Autores: André Valle – Daniel Sincorá – Elci Con’Je – João Paulo Rosman – Luis Fernando Batista – Patrícia Valim – Paula Regina Adriani – Paulo Cassiano – Raphael Santos Lapa – Tatiana Tosi – Thiago Bomfim – Thiago Mendanha – Volney Faustini Capa: Thiago Mendanha

Novembro de 2009

1

FILHOS SEGUROS, PAIS TRANQUILOS ÍNDICE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 O PONTO DE PARTIDA MEU FILHO DIGITAL AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS O DESAFIO UMA VISÃO GERAL DA INTERNET VERBOS PARA TODOS OS PAIS CONHECENDO O BÁSICO COMPONENTES ADICIONAIS RECOMENDAÇÕES PARA PAIS COMPREENSÃO DE FILHOS TÓPICOS DE RISCO CUIDADOS ADICIONAIS DICAS PARA FILHOS E PAIS Apêndice GLOSSÁRIO BÁSICO 20 3 5 6 7 9 10 12 13 14 15 16 18 19

Esta obra é licenciada sob:
Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de obras Derivadas 2.5 Brasil License.
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.5/br/

2

1 - O PONTO DE PARTIDA O grande desafio para pais e educadores é diminuir o abismo entre as gerações. Isso porque nunca antes na história da humanidade a geração sucessora detém mais conhecimentos que sua antecessora. Em alguns temas e tópicos – principalmente naqueles vinculados ao mundo digital – a geração sucessora já é autoridade! O que fazer então? Deixar solto ou fazer a lição de casa? Nossa chamada inicial, como somos pais, professores e educadores - e em última instância responsáveis – nos obriga a ser proativos e diminuir esse ‘gap’. Nosso ponto de partidad é exatamente este: tomar a iniciativa. Nossa atuação deve ser positiva, voltada a dar a melhor condição às crianças e jovens para que de maneira segura, possam navegar na internet. E sabemos que esse tempo não é pouco. A internet, bem sabemos, é neutra. E exatamente por isso, é um retrato do nosso mundo real – com seus problemas e mazelas, com suas oportunidades e benefícios. Há cuidados a serem abraçados – e por todos – pais e filhos igualmente. Esta nossa iniciativa trata exatamente disso. Nas páginas a seguir queremos explicar em mais detalhes o que significa essa nova geração, também chamada de Nativos Digitais. Queremos dar um roteiro mínimo, mas ao mesmo tempo abrangente que permita que se experimente um pouco mais e cada vez mais do que é estar incluído digitalmente. É trazer para o adulto um pouco do chamado do jovem escoteiro: sempre alerta! A travessia é chegarmos mais perto (e com mais propriedade) de nossas crianças e assim influenciarmos de maneira positiva para atuarmos como verdadeiros educadores. Mais do que proteger, o desafio é o de prepararmos nossos filhos e alunos para a vida e o futuro. Ou melhor, para o presente. Dada a velocidade das coisas, ele sempre chega mais cedo! Nossa proposta é dar uma visão abrangente visão do que é a internet com suas múltiplas possibilidades. Não é exaustivo e nem final. É preliminar tão somente. Mas tocamos em áreas de risco e fragilidade, e em seu anexo incluímos um rol de termos que fortalece a compreensão deste novo mundo. E exatamente por ser impossível de responder todas as questões, abraçando o que é permanentemente mutável, foi que escolhemos o nosso blog: meufilhodigital, para continuarmos o diálogo. Nossa meta é de coletarmos uma centena de perguntas, vindas de todo o Brasil e além mares, e com isso mantermos um fórum permanente.

3

Ressalta-se que contamos para a autoria final deste texto, com a contribuição de mais de uma dezena de colaboradores. A soma de conhecimentos e experiências, num esforço voluntário, convergiu para esta singela obra e seu companheiro de blogosfera. É nosso desejo e esperança que esta leitura seja uma efetiva contribuição para você, para sua família e para a sociedade brasileira.

Observações importantes: Favor considerar o uso de filho, assim como pai – no singular e no masculino, apenas como uma liberdade, quando nos referimos na verdade de maneira geral. Os termos sublinhados foram incluídos no glossário.

Continue a discussão conosco. Separamos as mais freqüentes perguntas feitas por pais, e acrescentamos um outro tanto de não tão freqüentes, com dicas adicionais e informações relevantes. Acesse o nosso blog e se mantenha atualizado: http://meufilhodigital.blogspot.com

4

2 - MEU FILHO DIGITAL Há um novo personagem no pedaço. Ele nasceu após 1980. E quanto mais novo ele é, mais banhado em bits. Para ele o mundo digital é tão natural como o ar que respiramos. Assim, não tendo conhecido o mundo antes de todas essas transformações, a tecnologia e a modernidade já moldaram seu comportamento e hábitos. Esse novo ser no pedaço pode ser o meu ou seu filho. Eles são os Nativos Digitais! De outro lado, nós – os Imigrantes Digitais – viemos de uma época em que as máquinas não continham chips ou componentes que lhes davam certa inteligência. Somos da época das válvulas, das máquinas de escrever (mesmo as elétricas), dos telefones de disco. Somos de uma época pré internet: sem e-mail, terminais de mão, celulares 3G, Google, ou ecommerce! Não é exagero chamar nossos jovens de meu filho digital. Mas há um lado sinistro em todo esse progresso e inovação. O homem continua sendo homem. A humanidade não perdeu nem o seu lado bom, nem o seu lado perverso. Junto com todo esse admirável mundo novo, as mazelas ainda acompanham o homem. Há, portanto, ameaças e perigos, a acompanhar esses incríveis progressos. Cremos que, para auxiliar pais e mães, professores e educadores, e todo adulto no caminho de melhor cuidar de filhos, alunos e crianças, devamos promover a postura da responsabilidade pessoal e individual. Cada um de nós tem que fazer a sua parte. Ou seja, a omissão é danosa. Para que realmente promovamos um mundo melhor para os mais jovens, é necessária a participação ativa de todos. Ao disponibilizarmos este texto como um livro eletrônico em arquivo PDF – de fácil leitura na tela ou para uma rápida impressão, queremos deixar nossa contribuição inicial. E dentro do espírito de colaboração e com o objetivo de promover a melhor relevância, é que a autoria recai sobre um grupo de ativistas e educadores realmente preocupado com encaminhamento de nossos jovens. A presente versão está identificada em sua capa e é de novembro de 2009.

5

3 - AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS Já foi observado, e constatado que há diferenças brutais nos comportamentos dos mais jovens, o que permitiu inclusive denominá-los de geração net ou nativos digitais. Entre os procedimentos ditos comuns e normais desta nova geração, há sem sombra de dúvida a leitura em hipertexto e a multifunção. Estudos mais recentes identificaram que o cérebro se comporta de modo diferente quando o indivíduo permanece certo tempo diante da tela do computador. Há na verdade uma mudança na plasticidade cerebral dessas crianças e jovens, que são continuamente estimulados a responder em fração de segundos. Seja na interação em jogos e games, de toda a sorte – quer de guerras, terror, ataque e defesa, música ou entretenimento trivial. Seja no uso de componentes e terminais que envia e recebe textos. Seja na interação diluída e instantânea de mensagens. Seja na busca e escolha de músicas, identificando tipos de arquivos, tamanhos, origens, autorias, formatos, tempos e procedimentos. Tudo isso contribui de maneira profunda e inexorável para a criação efetiva de um novo ser: o Nativo Digital.
Quadro 1 – Principais diferenças entre as gerações (abrangente) OS NATIVOS DIGITAIS OS IMIGRANTES DIGITAIS Nasceram em 1980 e + Nasceram antes de 1980 Se estiver online merece credibilidade Se estiver impresso em papel merece credibilidade Fazem várias coisas ao mesmo tempo – são Fazem uma coisa de cada vez - são lineares e multitarefas sequenciais O mundo do conhecimento é público O mundo do conhecimento é particular Lêem e ouvem – se gostam compram Compram para ler ou ouvir – sem saber se vão gostar Socialmente liberais – acessam-se Socialmente conservadores – conhecem mutuamente para depois conhecer pessoalmente para depois compartilhar acessos pessoalmente (o mundo é sua vizinhança) (são extremamente bairristas) Desconfiam das autoridades, percebem a falta Acreditam nas autoridades e lhes dão segunda de autenticidade e fogem da farsa chance quando erram Confiam primeiro em seus pares – subvertem Respeitam e se submetem às hierarquias formais hierarquias Adoram a idéia de pout-pourri de Elegem cada aparelho para uma única finalidade funcionalidades num mesmo aparelho - - tem resistência a novidades e aplicativos experimentam aplicativos e abraçam complementares novidades Apreciam o lúdico para aprender e se Reservam o lúdico para o lazer e a recreação sociabilizar Facilidade em blogar, twittar e linkar O que é isso?

6

4 - O DESAFIO Um dos temas mais importantes a nos desafiar no futuro próximo está no âmbito sociológico e não no tecnológico. O censo brasileiro dá conta que 54% de nossa população têm idade abaixo de 29 anos. Para os estudiosos, os jovens e crianças nascidos após 1980 constituem a geração dos Nativos Digitais, por terem nascidos banhados em bits. Isso significa que o Brasil já tem mais da metade de sua população como Nativos Digitais. O mundo analógico não os alcançou. Isso significa que todas as repercussões da tecnologia ajudaram a moldar novos comportamentos e hábitos. Algumas das palavras chaves que trazem profundo significado para os Nativos Digitais descrevem o mundo a que todos temos acesso: · Ubiqüidade – também conhecido como em qualquer lugar a qualquer tempo. Podemos acessar a internet em casa, na rua, no escritório, na festa. E podemos estar conectados 7/24 – os sete dias da semana e as vinte e quatro horas do dia. · Conectividade – podemos nos manter conectados e interagindo. Utilizamos sites para sabermos do resultado do jogo de futebol e das notícias do dia. Abrimos email e respondemos de imediato. Baixamos fotos e subimos vídeos, disponibilizando para familiares ou para o publico em geral. Estamos ligados ao mundo. Não há mais distância entre os pontos do globo – há tão somente um clique a nos separar. · A read and write web (a rede de ler e escrever) – foi inaugurada muito recentemente um novo tipo de internet, também chamada de Web 2.0 onde todos participam com igual força e disposição. Podemos não somente ler, mas escrever também. A participação é de todos de maneira indiscriminada. Somos todos protagonistas – muito mais do que consumidores passivos, agora temos voz! · Força social – a coletividade pode ser rapidamente articulada para votar, doar valores, se tornar voluntária, opinar, brigar, tomar partido, e ao se juntar aos outros, criar uma verdadeira força social. A massa silenciosa aparentemente não mais existe. Ela atua de maneira quase caótica, barulhenta e com muita determinação. Sabem o que querem! Essas características se somam a outras que dão uma descrição mais realista e pertinente do que é o nosso presente. Presente este em que os Nativos Digitais dominam! E em contra posição a eles, temos os Imigrantes Digitais. Estes conhecem e se situam razoavelmente bem diante do mundo digital, porém a fluência não é perfeita pois suas vidas foram carimbadas pela experiência analógica. Esse processo de esquecimento poderá levar uma vida toda. Por isso eles carregam uma espécie de sotaque sociológico que revela nas entrelinhas que vieram de um mundo antes dessa revolução digital!

7

Circula na internet uma lista contendo cem invenções que os nativos digitais não tiveram acesso. Esses avanços tecnológicos se tornaram obsoletos muito rapidamente. É provável que só venham a conhecer essas invenções um dia, ao visitarem um museu! Há todo um conjunto de novos paradigmas. E o Nativo Digital, ao mergulhar nesse novo mundo, se torna efetivamente um novo ser social. Ele age, pensa, pesquisa, aprende, interage e atua no mundo real, de maneira bem distinta que os mais velhos. Podemos concluir de maneira categórica que descortina-se um mundo de oportunidades: na escola, no lar, no mercado, no ambiente de trabalho, na sociedade. Toda uma nova categoria de agentes está sendo demandada para trazer ao mundo dividido e em transição essa síntese – da maturidade e da sabedoria dos mais velhos, juntando com a tenacidade rápida e fluida dos mais novos. É esse o desafio que se nos apresenta! Antecipar o futuro – ou melhor, fazer o futuro chegar ao presente, para os mais jovens. Ao realizar essa síntese, significa dar vida a uma constelação de oportunidades que de outra forma eles poderiam estar privados. E também ao realizar a síntese significa para os mais velhos, participar do lado positivo desse mundo que eles estão criando para si. A chave está na linguagem. Atuar com essa nova linguagem é o grande desafio para as lideranças, sejam elas corporativas, educacionais, políticas ou religiosas. E, sem sombra de dúvida, para os pais e mães de nossas crianças!

8

5 - UMA VISÃO GERAL DA INTERNET Tudo começou como uma estratégia militar de defesa dos Estados Unidos. Em plena guerra fria, temia-se que um eventual ataque nuclear poderia isolar o centro nervoso de comando operacional das Forças Armadas americanas, impossibilitando uma contra ofensiva inteligente e coordenada. Para tanto, elaborou-se uma solução em desenho de rede. Assim, na perda de algumas das pontas, não se correria o risco de paralisar o fluxo de informação e de comunicação entre as bases e os centros decisores (vide Quadro 2).
Quadro 2 – Arpanet e a rede de servidores

Foi com base no modelo de estrutura dos computadores da Defesa americana (chamada de backbone ou espinha dorsal) que nascia a internet, e que em seguida com a facilitação do reconhecimento e da leitura das portas de acesso – o chamado Internet Protocol (IP) que nascia a padronização da World Wide Web – ou www (a Rede Mundial de Computadores), pelas mãos de Tim Berners-Lee. Foi ele quem desenvolveu a primeira experiência dos hipertextos baseados nessa rede, permitindo acesso, leitura e finalmente interação. Para acessar a Rede (Web) seria necessário um browser – um sistema que realizasse a interface para acesso aos hipertextos e assim navegar à vontade. Com as máquinas se interligando e a possibilidade de visualização de textos e gráficos, o passo seguinte – e que realmente caiu no agrado de todos – foram as ferramentas ditas sociais. A característica humana de estar próximo de seus assemelhados e de não se viver isoladamente facilitou o crescimento das chamadas redes sociais. Assim, o uso da internet não permanece estático e sim dinâmico, com as conversas, os relacionamentos e a interatividade como seu principal atributo.

9

6 - VERBOS PARA TODOS OS PAIS Papais e Mamães! Eu vos conclamo a ação. São sete verbos a serem continuamente conjugados, em grande cumplicidade e com forte compaixão por seus filhos. Neste conjunto reside mais que nossa recomendação: é o segredo de um lar feliz! 1. DIALOGAR – Sem dúvida, vamos começar pelo começo! Qualquer educação, no sentido de formação da criança e da boa criação de filhos, tem sua atuação pautada em cima do diálogo. Portanto, conversar com seus filhos e ouvi-los pacientemente, procurando entender motivos e razões. Conversar para perceber nas respostas as intenções e carências. Conversar para receber e aprender. Conversar para que a comunicação flua nos dois sentidos. Bater papo. Gastar tempo. Jogar conversa fora. Brincar, estimular, mostrar-se presente. Mostrar-se dedicado. Mostrar-se parceiro. Nas duas vias: ouvindo e falando. E, falando e ouvindo.

2. MERGULHAR – Não importa qual seja sua profissão, seus afazeres diários, sua condição escolar, social ou mesmo financeira. Hoje qualquer cidadão do século presente tem que ter uma presença na internet. Portanto mergulhe nesse novo mundo – com as limitações e as imposições da situação. Mas mergulhe! Comece aos poucos, sinta a temperatura da água e vá cada vez mais fundo. Com certeza os pais que estiverem mais afinados com o mundo digital terão mais discernimento e conhecimento para ajudar e criar seus filhos. O mundo digital é tão abrangente, que qualquer que seja a sua porta de entrada – escolha entre as muitas – já vai fazer uma grande diferença. Não tenha receio. Mergulhe e desfrute, antes de mais nada, para você mesmo. Tenha essa experiência pessoal e veja como você será um pai ou uma mãe mais preparada e mais feliz!

3. ACOMPANHAR – Começando pelos mais novos, faça o seu acompanhamento com mais intensidade. Seja ainda mais presente. Mostre o que deve ser feito, e como deve ser feito ao navegar e ao desfrutar do mundo digital. À medida que cresce, em idade e em fluência no dia a dia digital – acompanhe o que seus filhos fazem. Não há necessidade de imitar ou mesmo de saber usar os instrumentos ou aplicativos. O mais importante é saber o que eles estão fazendo. Se puder acompanhar na prática, melhor. Mas entenda, nesse acompanhamento, as categorias em que eles se envolvem: se é no envolvimento social, se são games, se é divertimento e lazer, se é estudo e exploração, se é uma tendência de um hobby ou de uma nova área de
10

pesquisa ... enfim participe direta ou indiretamente da vida de seus filhos acompanhando no dia a dia.

4. COMPARTILHAR – Primeiramente compartilhar como casal. Pai e mãe entrosados podem muito pela educação de seus filhos. Então compartilhem e troquem idéias do que têm visto, acompanhando e dialogado com seus filhos. Compartilhem entre si do que têm aprendido ao navegar. E compartilhem com outros pais: via escola, comunidades de interesse, fóruns de discussão, grupos na internet, classes da igreja, e outros meios possíveis. E daí, traga de volta para casa as boas lições e as novas sacadas. Crie um círculo virtuoso de aprendizado e de cumplicidade entre si e com a participação de outros pais e educadores.

5. COLABORAR – Colabore um com o outro – primeiramente como casal. Colabore com seus filhos – no sentido de aplainar o caminho para que eles possam andar mais seguros e firmes. Colabore com outros pais. Colabore com os professores e com a escola. Colabore com a comunidade de maneira geral. A máxima: ‘é dando que se recebe’ é aqui aplicada em todos os sentidos. Ao colaborar você estará contribuindo para o círculo virtuoso que mencionamos acima.

6. RESPEITAR – Respeitar o crescimento e o desenvolvimento de seu filho. Manter-se à distância, de forma carinhosa, equilibrada e respeitosa. Respeitar o limite da privacidade e da autonomia que seus filhos querem e precisam ter. Respeitar seus desejos e interesses. Respeitar em cada um deles, seu desenvolvimento pessoal, sua individualidade – o seu ser! Ao respeitá-los, perceba como em troca e em retorno vocês também ganharão respeito e consideração de volta. Há uma medida – que com discernimento e bom senso os pais irão perceber, que gera um saudável equilíbrio, e cria em seus filhos responsabilidade e maturidade.

7. AMAR – Neste verbo, não se tem o que explicar. Talvez mesmo, nem recomendar. Mas esta é a chave para um futuro feliz de qualquer filho! Se sete é um número perfeito, este é o verbo perfeito: amar! Ame seus filhos com muita força, carinho e dedicação!

11

7 – CONHECENDO O BÁSICO Acesso - Ligar e se conectar – uma vez o computador conectado à Internet, através do browser pode-se navegar por todos os sites do mundo – de todos os tipos, de todas as línguas. Cabe aos pais entender o que é a Internet e como tirar proveito do seu alcance para seus filhos. Senhas - Quase a totalidade de acessos – sendo a porta principal, aquela de uso do computador, são representados por chaves que exigem LOGIN e em seguida SENHA. Os acessos secundários igualmente – abrangendo desde o simples acesso à Internet e incluindo os sites de afiliação. E Mail - É umas das mais importantes ferramentas em uso na atualidade – é denominada também de Correio Eletrônico pois tem funcionamento semelhante ao de receber cartas e comunicados pelo Correio. O usuário pode ter um endereço de email, e pode receber e enviar as suas mensagens tanto através do site provedor, como também através de aplicativo da próprio computador, sendo o mais comum o Outlook (tanto o normal como o Express). Navegação - Ao se abrir o browser para navegação, quando o computador estiver conectado à Internet, imediatamente pode-se visitar diferentes sites – tanto do Brasil (normalmente identificados com a terminação .br) como do restante do mundo. Buscas - Uma das práticas mais comuns na Internet é o uso de sites de busca, onde o usuário pode pesquisar e procurar temas, assuntos, e áreas de interesse. Os sites mais comuns de busca são Google e Yahoo. IM - A sigla que representa a vitrine da Microsoft (MSN) – por ser a mais importante empresa de software e sistemas do nosso cotidiano, promove algumas facilidades, entre elas o IM (Instant Messenger) que é o Mensageiro Instantâneo. Este é o aplicativo que permite conversar e interagir de modo imediato (em tempo real) com outros usuários – independente de localidade. Essa interação pode ser por mensagens digitadas, pode ser por áudio (conversas verbais) e mesmo por câmeras com som. Redes - Também identificadas como Redes Sociais ou sites de afiliação - são ambientes onde outras pessoas cadastradas utilizam para realizar interações sociais. Nesses sites é possível descobrir antigos amigos e conhecidos. Na maioria dessas redes é necessário que haja um consentimento mútuo para que a interação aconteça sem barreiras ou filtros. Assim, o usuário A para se relacionar com usuário B, deverá solicitar e obter o seu consentimento para iniciar uma ‘amizade’. À medida que se solicita o consentimento, está se dando também autorização recíproca.

12

8 – COMPONENTES ADICIONAIS Fotos e Vídeos - É possível realizar o arquivamento de fotos e vídeos em sites específicos que fazem também a sua classificação. Os mais comuns são o Flickr e o Picasa para fotos. Para vídeos o mais comum é o Youtube. Ao subir arquivos (fazer o upload) dá-se visibilidade de imediato, podendo em alguns sites graduar o acesso de visitantes ou simplesmente torná-lo publico. É comum nesses sites a possibilidade de comentários abaixo das áreas de visualização. Lembre-se que uma vez o arquivo (de imagem ou texto) é colocado na Internet – perde-se o controle sobre o mesmo! Jogos - Os games eletrônicos e os jogos inovadores compõem a mais forte aplicação fornecida pela Internet. Há jogos de todos os tipos – pagos, gratuitos, para se jogar contra o computador, para se jogar contra um ou mais adversários, para se jogar individualmente ou em grupo, e mesmo formar um time e jogar contra outro time. Em função do grande progresso tecnológico há jogos que traduzem no visual um grande realismo gerando um impacto emocional e envolvente no usuário. É comum – dado ao caráter desafiador e competitivo – que o usuário se deixe envolver e se viciar. Pode acontecer na atividade em si (de competitividade) ou num jogo específico, gerando dependência psicológica. Aparelhos - Hoje é comum que diferentes aparelhos realizem atividades que inicialmente só seriam atributos de um computador. Essa convergência é verdadeira também para o acesso à Internet. Hoje há além dos computadores, aparelhos celulares, jogos de mão e de console que também acessam a Internet. Celular - O aparelho celular também tem abrangências múltiplas e usos diferenciados. É quase que natural que os aparelhos mais modernos já cheguem ao mercado com recursos mais avançados – do tipo 3G com acesso à Internet – promovendo mobilidade e facilidade em escala nunca antes vista. Lan House - Para se acessar a Internet é possível locar em tempo fracionado uma posição de computador em uma Lan House. Os freqüentadores utilizam a Lan House por causa de sua infraestrutura e velocidade de conexão. Outro fator que promove os jovens à Lan House, é a facilidade para os jogos – quer individual como em grupo. As mais de 120.000 Lan Houses espalhadas pelo país respondem por mais da metade do tempo de acesso e navegação nas estatísticas da internet do Brasil. Amigos - Como a Internet quebrou a barreira da distância, eliminou a necessidade de intermediários e formou no espaço cibernético uma grande praça – as amizades e o âmbito social ganham força. Mesmo que se exerça maior controle sobre o nosso filho, nem sempre isso acontece com os filhos de outros. Assim a amizade pode também ser uma porta para o distanciamento e a diluição dos padrões e valores da sua família. Avalie através dos novos hábitos a força e o tipo de influência que ele está adquirindo através desses amigos.

13

9 - RECOMENDAÇÕES PARA OS PAIS Algumas recomendações gerais: Defina de maneira bem explícita e se necessário até através de meios digitais, como são as regras e princípios da sua família. Ou seja - antes de falar no pontual e específico, atue nos valores estruturados da família. Enfatize os aspectos que são mais importantes, como por exemplo: · · · · Verdade Transparência Espírito de família – união e ajuda mútua Dialogar sempre – estar sempre aberto para questões e explicações

Atue de seu lado com muita autenticidade e transparência também. Este ponto é extremamente importante e delicado. Ganha-se e perde-se autoridade à medida em que o pai não é autentico e coerente. Não se trata de nivelar as relações, mas sim de que aos adultos – e exatamente por serem adultos - é requisitado um maior compromisso com o exemplo e a consistência moral de seus atos e comportamentos. O ensino dos princípios, valores e da filosofia de vida em família, deve ser feito à medida em que os filhos crescem. Quanto mais esclarecidos e prontos para o diálogo, mais profunda deve ser a explicação desses valores. A conscientização deve acontecer de maneira natural e espontânea. Em ocasiões especiais – sem tornar disso um ritual, pode-se promover uma conversa mais séria e objetiva. Mas sempre permeada e promovida em amor, compreensão e paciência. É importante definir as regras de acesso, tanto em casa como nos ambiente públicos e distantes do olhar dos pais. Antecipe as suas expectativas com relação às facilidades que seu filho terá para acessar num mundo plena e continuamente conectado. Alguns dos pontos a abordar e a definir: · · · · · · Tempo de uso (semanal ou diário) Aparelhos em uso Política de compartilhar (divisão de uso para membros da família) Como usar – ativação de botões de filtro e manutenção de histórico Política de conversa e diálogo – sempre que houver algo diferente ou estranho Acessos fora de casa o Se o acesso é pago – o quanto pode ser gasto o Se o acesso é liberado – quais as políticas a obedecer o Se o acesso não é monitorado – definir limites
14

10 – COMPREENSÃO DE FILHOS 4 a 5 anos - Acompanhamento total. Uso de jogos e desenhos animados. Alguns filmes. Navegação por fotos de conhecidos e parentes 6 a 7 anos - Acompanhamento. Verifique a leitura e interpretação do que está lendo. As descobertas: incentive mediante relatórios verbais, crie o hábito de relatar e compartilhar. Libere o email pessoal. Acompanhe. Veja se ele está sabendo usar o seu próprio email. Libere a Mensagem Instantânea – veja como e o que ele digita, com quem se relaciona e o que recebe de mensagens. 8 a 9 anos - Libere apenas a certa distância. Mantenha o foco no diálogo – prática de relatório verbal. Insista no aprendizado mútuo – você também quer aprender com ele. Reforce quando isso acontecer (o que ele compartilha e que você reconhece como novidades). Checar quem são os amigos – como está usando as mensagens instantâneas. 10 anos - Acompanhe quem são os novos amigos na internet. Veja se além dos amigos da escola, da vizinhança, do clube e da igreja – quem mais se agregou. Incentive-o a criar categorias (grupos) para que no IM ele classifique e assim também facilite o seu acompanhamento. Verifique a intersecção entre faixas etárias – tenha um parâmetro pela Série em que estuda esses amigos. Pergunte sempre pela idade. Ensine a se interessar por informações importantes com muita naturalidade e espontaneidade – assim ele vai incorporando esse procedimento no comportamento. 11 anos ou mais – O acompanhamento mais de perto vai se tornar mais difícil. Converse sobre novos temas – que serão importantes como: namoro, amizades do outro sexo, e curiosidades referentes à descoberta da própria sexualidade da criança. Continue a prestar atenção na questão das idades, e dos círculos mais próximos. Estabeleça o compromisso de cada novo amigo que não seja do mundo cotidiano (que ele conhece pessoalmente) que seja relatado. Fortaleça os aspectos de laços familiares e abertura do diálogo. Acompanhe mais de perto quando acontecer de, imediatamente após o uso da internet você notar que seu comportamento ou estado de espírito tenha se alterado. Atenção - Avalie os sites e os motivos que levam seu filho a navegar. Quais são os sites e a permanência neles. Dê liberdade – não faça desse momento uma obrigação nem estrague o momento de lazer. É importante que ele se sinta à vontade. Qualquer novidade, é importante que você anote e pesquise depois. Faça a lição de casa. É importante que ele perceba nos pais o interesse por aquilo que ele valoriza e ao mesmo tempo que você demonstre pelo exemplo que sua preocupação é acompanhada de ações válidas.

15

11 – TÓPICOS DE RISCO: Pedofilia - O risco evidente é quando a criança se isola e permite que um estranho tenha ascensão sobre ela. Por isso a ênfase das regras e o diálogo sempre aberto são imprescindíveis. Pornografia - O risco maior é pela iniciativa da criança acessar sites que deveriam estar bloqueados pelos filtros. Aqui também deve-se combinar as regras e enfatizar o diálogo. Bullying - Aqui são dois tipos de risco – o primeiro é o de ser participante junto com o grupo na atividade hostil contra alguma outra criança. O outro lado é o da criança na escola estar sendo perseguida e não revelar isso em casa – em função de algum constrangimento. Por isso é que se deve criar um clima aberto e facilitado para que a criança converse e compartilhe eventuais dificuldades encontradas na escola. Cyberbullying - É importante que a criança revele se algum tipo de atividade estranha está sendo perpetuada contra um amigo ou colega. Os pais mais esclarecidos precisam avisar a escola acerca desse risco. Se por alguma eventualidade é o seu filho que está sendo a vítima – é muito importante que ele perceba que tem a liberdade para trazer para casa sem nenhum constrangimento adicional a revelação dos problemas que enfrenta. Assédio - O diálogo é sempre importante para que os pais realizem uma checagem periódica no estado emocional da criança. Ao mesmo tempo deve-se enfatizar sobre o risco de se ter estranhos como amigos. A chave é criar na criança bases de sabedoria para discernimento. Trata-se de uma característica de amadurecimento, mas que pode ser desenvolvido de maneira natural e espontânea. Falsidade - Aqui também se demanda o desenvolvimento na criança de um discernimento com uma percepção pela realidade um pouco mais aguçada. A questão nesses casos é de se ajudar a compreender quando há mentiras e que pessoas em alguns casos não ser verdadeiras. Ódio e Preconceito - Na seqüência do que acontece no bullying e ciberbullying, é imperioso o diálogo. Não deixar que a criança participe direta ou indiretamente de movimentos que via grupo ou por mote próprio, se perpetue algum tipo de preconceito ou ódio. Isso pode acontecer com bolsista da escola, com pessoas diferentes ou de classes sócio-econômica inferior. Encontro Pessoal - Até para os maiores de 18 – não entrar nessa! Ou os caminhos se cruzam – quase que naturalmente do tipo um evento maior ou uma ocasião social – ou nada feito!

16

Mentiras - Quase tudo que se lê na Internet tem que ser verificado e checado. Muito do que é postado não tem filtros e nem tampouco qualidade jornalística de editoração. Há, no entanto muita colaboração. Aproveite do fato de que algumas pessoas realmente valorizam a verdade – e por isso são muita ativas na Internet. Através dessas referências, é possível checar informações e também tê-las como fontes confiáveis.

17

12 - CUIDADOS ADICIONAIS Exageros - É comum, tanto para se entrosar num grupo ou para conquistar respeito, que a criança exagere em tópicos do cotidiano. Daí que se deve ensinar a criança a valorizar o que de fato ela é e tem. Há o aspecto de ensinar a criança a não reagir exageradamente na base da emoção (do tipo ‘odeio’) e também de não aumentar (do tipo ‘assisti a todos os shows’) com o intuito de chamar atenção ou de se contar vantagem. Esses deslizes são até normais e fazem parte do jeito de ser do adolescente em sua fase de crescimento e amadurecimento. Na contrapartida, não exagere você também na sua reação. Privacidade - Cuidado com o que se divulga a respeito da criança e os itens adicionais que se publica a respeito de si e de sua família. Parte do que achamos que deve ser colocado – os seus amigos já conhecem e sabem. Dependendo do jeito de ser e do estilo familiar e pessoal, dar espaço para brincadeiras a respeito de si mesmo. Utilize de muita sabedoria e critério para não ter uma exposição exagerada. Netiqueta - Palavras são tão ou mais fortes se escritas. Dependendo da situação e do momento, ao serem lidas por outras pessoas, podem até ganhar novas dimensões. É importante ressaltar que a Internet NÃO deve ser usada para brigar ou se envolver em confusão. Tudo deve ser feito para esvaziar ou diminuir qualquer princípio de fogo. A temperatura no ambiente público pode ganhar dimensões de descontrole. Recomende a não revidar. Se necessário intervenha você mesmo, como pai. Utilize outros parceiros da educação (via Escola ou pais de amigos). Perfis Fakes - Perfis falsos é a tradução do termo e podem ser mais do que caricaturas. Por trás de um perfil falso pode haver uma pessoa má intencionada. Como antecipar julgamento não é recomendável – o que devemos sempre fazer é manter o nível de alerta. Tomar cuidado com pessoas que desenvolvem esses perfis falsos – procurando identificar os motivos e as verdadeiras personalidades por trás dessas máscaras. É importante que seu filho identifique com absoluta certeza se a pessoa por trás do perfil falso é alguém de seu relacionamento pessoal. Monitore as atividades e o tipo de relacionamento. Na dúvida é preferível evitar e bloquear aqueles que efetivamente não se pode identificar. Perfis Caricatos – É comum também que existam perfis caricatos que ficam numa zona cinzenta, entre o falso e o verdadeiro, por fazerem alusão a um apelido ou ao desejo de assumir um alter ego em um mito publico – seja um ator, músico ou mesmo um personagem protagonizado em filme, novela ou seriado de Televisão. É natural certa resistência por parte do verdadeiro ‘eu’ em se manter escondido por trás dessa máscara caricata. Há no entanto risco adicional ao aceitar com simpatia e humor – sem saber ao certo quem está por trás da caricatura. Recomenda-se portanto muita cautela e atenção.
18

13 – DICAS PARA FILHOS E PAIS As boas dicas para os adolescentes e jovens – · Dê uma distorcida ou maquiada na sua foto para dificultar a sua utilização – assim mesmo parecendo com a pessoa original, impede seu uso dcomo sendo natural · Muito cuidado com a postagem ou escrita – é quase certo que ficará para sempre na web · Fique atento também ao que os outros postam a respeito de sua pessoa. Acompanhe o que os outros estão dizendo de você. Se algo sair do controle, peça ajuda a um adulto imediatamente. Avise seus pais e os professores de sua confiança quando algo estiver lhe incomodando e que afeta diretamente o seu nome ou sua pessoa! · Aquela foto pode não ser verdadeira. · Aquela menina pode não ser na verdade uma menina · E a idade que ela disse ter, pode ser uma grande mentira · O mesmo se aplica para aquele menino, com aquela foto, e com aquela idade ... Pode ser tudo mentira, meninas!!

As boas dicas complementares aos pais – · Mantenha sempre o diálogo · Seja firme nas suas decisões – mas certifique-se com outros pais e professores se você não está exagerando! · Acompanhe a certa distancia, mas acompanhe. · Participe de uma comunidade de pais para trocar experiências, idéias e comentar na prática as situações mais delicadas e difíceis. · Não exagere e não faça nada que seja uma tormenta na vida de seu filho, com motivo para gozações e piadas na escola ou na roda de amigos. Certifique-se com aqueles de sua comunidade de pais que há equilíbrio na sua intenção o que você está intencionando. Nesses casos seus pares podem ser fonte de sabedoria · Lembre-se que um dia você também foi adolescente – que um dia você fez coisas que seus pais teriam extrema vergonha. Ter sido criança e voltar no tempo é também uma forma de se ganhar sabedoria · Fique tranqüilo – na grande maioria das vezes, o uso da Rede Social é exatamente para isso: se relacionar socialmente! · Seja mais do que sábio. Não precisa (e não deve acreditar) em tudo que você lê! · Lembre-se que definir limites é sempre positivo. Mesmo que você saiba que ele tem outros meios de contornar o jejum de computador e internet imposto pelos pais. Essa restrição se não for exagerada ajuda na reflexão pessoal. Mas não pense que ele não vai usar atalhos para contornar o seu castigo!
19

APÊNDICE – PEQUENO GLOSSÁRIO Afiliação – Alguns sites (principalmente os de relacionamento) exigem afiliação, onde o usuário para ter acesso aos seus ambientes, terá que concordar com os termos do site (normalmente uma extensa lista de compromissos e que raramente é lida pelo usuário), criar um login (normalmente é o seu nome ou seu email) e em seguida uma senha. A senha tem finalidade dupla. Dá segurança ao usuário, mas tem exime o site de tudo que é feito com o seu login – onde os dados e as manifestações são de sua inteira responsabilidade. Avatar – Trata-se da figura ou representação que se utiliza em um jogo da internet para representar um dos jogadores ou para dissimular o verdadeiro protagonista. Pode ser utilizado como uma segunda pessoa ou mesmo para dissimular o internauta. Blog – É o diminutivo de Weblog, que se caracteriza pelo espaço pessoal de postagens e relatos do cotidiano do indivíduo. É na atualidade a mais popular forma de expressão da internet, onde milhares de textos são postados (publicados) ao redor do mundo a cada minuto. Diz-se blogar quando se posta e se mantém um blog em atividade na internet. Tem inspiração no diário pessoal mas que a pessoa escreve e torna seus escritos público. Blogosfera – Trata-se do ambiente digital, em contínuo dinamismo, composto por blogs, comentários e recursos adicionais de acompanhamento de atualizações e de temas chaves. Browser – É a ferramenta de acesso à internet, configurada por sua pequena janela onde se digita o endereço de um site (URL) e daí se processa a navegação. Normalmente o browser pode ser fornecido pela Microsoft - o Internet Explorer, pelo Google - o Google Chrome, ou pelo chamado sistema código aberto e gratuito - o Mozila Firefox, entre outros. Bullying – É o termo em Inglês para assédio moral, normalmente perpetuado por um grupo que na escola, alija, diminui e prejudica um indivíduo, com a finalidade de humilhação pública. Normalmente quando não identificado a tempo, cria profundas cicatrizes psicológicas. Veja também cyberbullying – que é a mesma prática realizada remotamente. Campus Party – Trata-se do mais importante evento realizado no Brasil que congrega aficionados da internet, oriundos das mais diferentes localidades do país, que trazem suas máquinas e passam uma semana num mesmo local. Equipado com uma conexão à internet de altíssima velocidade o evento é um tipo de festa e congraçamento de tecnólogos e usuários – na sua maioria muito jovens (idade média de 19 anos). Cyberbullying – É configurado pelo assédio e comportamentos hostis – geralmente de um grupo contra uma vítima, realizado através da internet, com a intenção de ferir, machucar e denegrir o indivíduo – normalmente perpetuado em níveis psicológicos e sociais (isolamento e distanciamento. Veja também bullying. Chat – Significa conversa ou bate-papo. São configurados por salas, ou segmentos de sites em que o individuo ao acessar, pode interagir com mais de uma pessoa. As mensagens são trocadas via textos digitados.
20

Cibercrime – Apesar das leis brasileiras estarem ainda restritas ao meio não virtual, há leis que podem ser aplicadas às infrações cometidas no meio digital ou cibernético, geralmente nas categorias de fraude, pornografia (inclusive infantil), direitos de imagem, direitos autorais, difamação e falsidade ideológica. DNS – Significa Domain Name Registry – tirado de Network Information Center (NIC) onde se centralizou as atribuições de siglas e nomes de domínios, através do Sistema de Nomes de Domínios. No Brasil temos o NIC.br que cuida da administração dos registros de nomes brasileiros – e que vão receber a finalização .br. Down Load – Refere-se à atividade de se baixar (down load) um arquivo de um site ou de um email para a nossa máquina. O ideal é que se mantenha um sistema de anti vírus na sua máquina para que arquivos nocivos sejam bloqueados. Facebook – É um dos mais populares sites de Redes Sociais, juntamente como Orkut, permitindo que se desenvolva um perfil pessoal, se publique fotos e atualize informações a respeito do seu cotidiano. Apresenta recursos que auxiliam na manutenção da privacidade. Filtro – É um recurso que pode ser ativado via seu browser (seja ele o Internet Explorer, Firefox Mozila, ou Google Chrome) para limitar ou restringir o acesso a determinados sites previamente identificados como impróprio para menores de 18 anos. Flickr – É um dos mais populares sites que atua como um expositor de fotos. Tem excepcional capacidade de estocagem. Fotolog – Site para subir fotos. Quando as fotos ficam expostas ao público em geral é recomendável que não se inclua fotos pessoais, da família e de amigos. Histórico de urls – refere-se à seqüência de endereços e sites que se navegou. Normalmente o browser (seja ele o Internet Explorer, Firefox Mozila, ou Google Chrome) tem esse recurso ativo de maneira padrão. É possível desativá-lo. Defina o nível de liberdade e autonomia para seu filho. Somente a partir daí é que desativar o histórico poderá significar responsabilidade. Hospedeiro – Trata-se do servidor que hospeda um site. Sendo um hospedeiro nacional, é regido pelas leis brasileiras. Internet – É a rede internacional de computadores, também conhecida como a WWW ou Wide World Web (rede mundial de computadores) onde as máquinas podem interagir. IM – Refere-se a Instant Messaging ou Mensagem Instantanea. É quando duas ou mais pessoas trocam mensagens em tempo real, normalmente ‘conversando’ pelo teclado – à medida que digitam o texto e enviam, estão ‘falando’ e à medida que lêem o que lhes é enviado, estão ‘ouvindo’. IP – Também conhecido como Internet Protocol ou protocolo da Internet. É através do IP que as máquinas se conectam em rede.
21

ISP – Também conhecido como Internet Service Provider (Provedor de Acesso a Internet) é a empresa que abre as portas para a conexão de seu computador à Internet. Normalmente o seu provedor lhe fornece outros serviços, como por exemplo email pessoal. Link – É o botão ou um elemento representado ao longo do texto, onde o cursor do mouse reage ao passar por cima, indicando que pode-se navegar para novo endereço uma vez clicando. Normalmente o link é expresso no meio de uma frase, por uma ou mais palavras, em cor diferente ao texto todo. O link é o ‘elo de ligação’ que leva para um outro texto. Assemelha-se assim a uma referência a outro texto existente em novo endereço, mas que pode ser imediatamente acessado, pela facilidade promovida pela internet. Faz parte de derivativos do termo: hyperlink, hiperligação, e liame. Login – É o nome ou email de identificação do usuário, quando do acesso a uma área restrita. Normalmente atribui-se ao login uma senha, com o intuito de validar o acesso e assim atrelar as atividades ao usuário registrado e identificado. Malware – trata-se de uma espécie de vírus que aparece disfarçado como aplicativo que é malicioso por natureza e pode permanecer instalado no computador como um software que rouba e danifica dados. Mashup – é um tipo de mixagem que aproveita sobras ou partes de outras expressões para criar uma nova obra ou fazer da original uma obra derivada. Microblogging – É a forma de se blogar através da postagens de textos curtos. O mais popular site na atualidade para esse tipo de atividade é o Twitter, que limita em 140 caracteres a janela da expressão individual. MP3 – É o mais popular formato de compressão de arquivos de áudio, desenvolvido por especialistas que descobriram uma forma de eliminar itens do arquivo para torna-lo mais leve, ao mesmo tempo sem afetar substancialmente o resultado final da sonoridade na percepção humana. É nesse formato que músicas e outras gravações e capturas de áudio ganham em até dez vezes de espaço para serem reproduzidas (um cd de áudio normal pode comportar até dez vezes a sua capacidade sem perda significativa de qualidade). MSN – Trata-se da rede debaixo do sistema da Miscrosoft que fornece diferentes serviços para quem a acessa. Em Inglês significa Microsoft Service Network. Como sub produto encontramos o MSN Messenger, também conhecido como o programa de Mensagens Instantâneas da Microsoft. Myspace – Trata-se de uma rede social bastante popular, que tem perdido adesão por estar mais voltada para as manifestações de música e de troca de arquivos de áudio. Perfil – Descritivo que identifica a pessoa na internet, ao descrever as suas características pessoais. O usuário define o grau de intensidade de abertura de suas informações pessoais. A recomendação é de sempre optar pelo mínimo de exposição. Perfil Falso – Trata-se de subterfúgio onde o usuário para não ter sua identidade revelada faz uma descrição falsa e dissimulada de sua identidade pessoal.
22

Phishing – é uma forma sofisticada de se quebrar a segurança de um computador conectado à internet, e assim extrair dados confidenciais, com o intuito de realizar uma fraude eletrônica. Podcast – Trata-se da expressão em áudio disponibilizada em arquivo na internet que pode ser facilmente transferida, baixada ou recebida por email ou mesmo sinalizada a sua disponibilidade. Pop up – são as janelas que aparecem por cima do site, normalmente em formato de anúncios. Hoje a maioria dos sites filtra os pop ups, através do acionamento de uma chave que impede o seu aparecimento. Provedor – É o mesmo que o ISP – ou seja um Provedor de Acesso à Internet. Redes Sociais – São sites de relacionamento que permite ao usuário uma página que ele mesmo personaliza com informações, dados e fotos. Cria-se dessa forma uma comunidade de amigos, conhecidos e internautas que se sociabilizam pela internet, trocando informações, mensagens, felicitações, fotos e novidades. Remix – É o sinônimo de remisturar, e ganha prática em função de ser uma forma e mashup em músicas e vídeos, normalmente encontradas e baixadas na Internet. Retwitte (RT) – É quando uma postagem no twitter é retransmitida por outra pessoa. Normalmente dá-se o crédito a quem divulga a mensagem, colocando a abreviação à frente do nome do transmissor, para configurar a sua origem. Seguidores – São os usuários (no caso do Twitter) que seguem um usuário específico. Normalmente considera-se o número de seguidores para se medir a popularidade ou celebridade do usuário. São os muitos para um. Seguindo – São os da categoria ‘following’ ou aqueles usuários sendo seguindo por um terceiro. Neste caso é um para muitos. Senha – Código confidencial e individual que serve como chave para acessar uma conta ou realizar um login. Recomenda-se que seja uma mistura de letras e números e que não seja baseado em datas ou números de telefone. Skype – Trata-se do mais popular sistema para conversas em áudio ou em vídeo com outra pessoa – permitindo ao mesmo tempo a troca de mensagens. É o mais popular sistema que permite o acoplamento de uma linha telefônica ou a conexão via servidor com outra linha telefônica em qualquer lugar do planeta. Spam – Refere-se ao uso indiscriminado e massificado de endereços de email para se enviar uma mensagem no estilo tradicional de pulverizar ao máximo para se obter algum tipo de resposta. As empresas que perpetuam essas práticas chegam a utilizar de técnicas sofisticadas de mensuração, como uma forma para justificar seu procedimento invasivo e não aceito pela grande maioria dos internautas, na busca por uma viabilidade financeira imediata – sem medir as conseqüências no médio prazo.
23

Spyware – é uma forma de invasão e de fraude, como o malware ou o phishing que procura espionar o comportamento online de um usuário e assim roubar-lhe dados confidenciais como números de contas bancárias e senhas. Tags – São as referências em palavras ou termos que auxiliam a classificar em categorias os assuntos ou temas pesquisados ou postados na internet. Através de técnicas de taxonomia procura-se sistematizar o conhecimento num paralelo atribuído à forma como a mente humana também classifica determinados assuntos e temas. Twitter – Trata-se do mais popular sistema de microbloging onde as pessoas podem seguir ou ser seguidas sem reciprocidade (A segue B, sem necessariamente B seguir A), e que as manifestações (as postagens) são limitadas a 140 caracteres. Boa parte de sua popularidade deve-se ao fato de ser um dos primeiros sistemas de forte convergência, pois pode-se usar os terminais de mão (celulares) para enviar as mensagens e monitorar as postagens de terceiros. URL – Significa o endereço de um servidor, de uma máquina ou até mesmo de uma impressora. É mais comum de ser atribuído como o endereço de um site. É a abreviação em Inglês para Uniform Resource Locator, o que permitiu uma padronização global para que em se tratando da internet, cada endereço único e exclusivo, através da expressão da DNS individual. Video Streaming – Trata-se do recurso de enviar as imagens sendo captadas pela câmera de um computador, que por sua vez está conectado à Internet, para um site definido, em tempo real e ao vivo – sem cortes ou censura. Vírus – Trata-se de arquivos do tipo auto executáveis (ou seja, automaticamente e sem a interferência do usuário, abrir e se tornar ativo). São configurados para auto executar tarefas que são nocivas à sua máquina e que pode inclusive criar novos filhotes com igual poder – e que poderão ser espalhados ou transmitidos à outras máquinas. Web 1.0 – Trata-se pela definição dos especialistas da primeira fase da internet onde o mais importante eram as máquinas se interligarem. É a fase onde se procurou levar à Internet os mesmos paradigmas do mundo da comunicação – com forte viés do chamado ‘broadcast’ – ou seja um transmitindo para muitos. Web 2.0 – Trata-se da fase atual da Internet onde por trás das máquinas interligadas em rede, existem pessoas que conversam, se expressam e emitem opiniões. Através da poderosa força das conversas humanas, tem-se construído um movimento global voltado basicamente para a sustentabilidade e a democracia – uma vez que individualmente cada internauta pode se expressar. Youtube – Trata-se do mais popular sistema de divulgação de vídeos onde os milhares de usuários cadastrados ‘sobem’ arquivos de vídeos considerados obras de expressão (originais ou mixadas por derivação de outras obras) com pequenos trechos em seqüência ou pontuais. Através do site é possível que se avalie e se comente os vídeos postados.

24

Master your semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Cancel anytime.