You are on page 1of 11

GRUPO CABO FREE DE CONSCIENTIZAÇÃO HOMOSSEXUAL

E COMBATE A HOMOFOBIA

ESTATUTO SOCIAL

CAPÍTULO I – DA DENOMINAÇÃO, FORO E DURAÇÃO

Art.1º- O GRUPO CABO FREE DE CONSCIENTIZAÇÃO HOMOSSEXUAL E
COMBATE A HOMOFOBIA (GLBT-LAGOS) é uma Associação civil de fins
não econômicos, com sede e foro no Estado do Rio de Janeiro, na
Rua Natal n° 36,Cobertura, Palmeiras, município de Cabo Frio,
que tem como objetivo a promoção da cultura, do esporte, do
turismo, do voluntariado, de promoção de direitos estabelecidos,
construção de novos direitos e assessoria jurídica gratuita de
interesse suplementar, de promoção da ética, de paz, da
cidadania, dos direitos humanos, da democracia e de outros
valores universais. Reger-se-á pelo presente estatuto e pelos
dispositivos legais ou regulamentados que lhe forem aplicados.
Parágrafo Único: A associação poderá, mediante deliberação da
diretoria, criar sub-sedes em qualquer parte do território
nacional.

Art.2º- O GLBT-LAGOS é pessoa jurídica de direito privado,
regido pelos princípios da legalidade, impessoalidade,
moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência, não
tendo vinculação a nenhum partido político, grupo religioso ou
qualquer organismo ou entidade cujos fins específicos não digam
respeito aos do objetivo social. O GLBT-LAGOS adotará práticas
de gestão administrativa necessárias e suficientes a coibir a
obtenção, de forma individual ou coletiva, de benefícios ou
vantagens pessoais, em decorrência da participação no respectivo
processo decisório.

Art.3º- A denominação GRUPO CABO FREE DE CONSCIENTIZAÇÃO
HOMOSSEXUAL E COMBATE A HOMOFOBIA foi aprovada na primeira
reunião da comissão provisória em 10 de julho de 2004 e
referendada na mesma data. Referindo-se à crença na pluralidade,
ou seja, aceitando as diferenças entre os seres humanos, suas
idéias, sentimentos e credos, o GLBT-LAGOS acredita que se pode
caminhar todos juntos na construção de um mundo sem preconceito
e discriminação em relação à orientação sexual de QUALQUER
PESSOA, sobretudo à orientação homossexual.

CAPÍTULO II – DAS FINALIDADES

Art. 4º- Constitui finalidade fundamental do GLBT-LAGOS
organizar, sem qualquer forma de discriminação, o maior número
possível de pessoas, em defender a liberdade de orientação
sexual de TODO E QUALQUER INDIVÍDUO, sobretudo de orientação
homossexual.

3. 5. sobretudo com relação à homossexualidade. b) Promover a prevenção e a assistência a AIDS e outras DST: 1 – Participar de campanhas de prevenção à AIDS/DST.Art. Lésbicas. 9. 2 – Participar de Fóruns relativos à saúde (Comissões Municipal e Estadual de Prevenção e Controle de DST/AIDS. encontros e entrevistas às quais beneficiem à prevenção à DST/AIDS. principalmente. objetivos. respeitando o Artigo 2º do presente Estatuto. 2. .Auxiliar na formação de novos grupos de conscientização e emancipação homossexual em todo o território nacional e no exterior. artísticos. de sua liberdade de orientação homossexual. sobretudo homossexual. 3 – Participar em debates.Divulgar para a sociedade as finalidades. 8. 7.Contribuir para coleta. 5º. 4. Conselhos de Saúde e outros afins). 6.Constituem finalidades específicas do GLBT-LAGOS: A)Promover e defender os direitos humanos de Gays. objetivando uma melhoria na qualidade de vida. bem como com entidades de defesa de outros grupos minoritários ou entidades empenhadas na defesa dos direitos humanos. 5 – Desenvolver Projetos/Programas de prevenção e assistência à AIDS/DST dirigido a toda comunidade conforme as possibilidades do GLBT-LAGOS. em nível nacional e internacional. podendo esses projetos/programa serem em conjunto com outras organizações. 7 – Assessorar outros Grupos afins no sentido de formação.Conscientizar as pessoas com orientação homossexual de sua importância como seres humanos. cívicos turísticos e desportivos ou quaisquer outros sobre a sexualidade humana. apoiar e divulgar trabalhos e eventos culturais.Conscientizar a sociedade do direito à liberdade de orientação sexual.Promover intercâmbio com outras organizações afins. aquisição de recursos e elaboração de Projetos de prevenção às DST/AIDS. literários. inclusive a homossexual. promoções e realizações do GLBT-LAGOS. 4 – Acompanhar as ações governamentais não governamentais sempre com senso crítico tanto a nível federal. de seus direitos e. 6 – Apoiar outras organizações assistenciais que ajudem pessoas com AIDS/DST. estadual e municipal. organização e difusão de informações e a produção de conhecimentos sobre a sexualidade humana. bissexuais e transgêneros: 1. individualmente ou em parceria com outras instituições. sobretudo com relação à homossexualidade.Participar.Combater qualquer discriminação por orientação sexual.Promover a auto-estima dentro da comunidade homossexual.

contribuindo mensalmente com uma quantia voluntária. nunca inferior à contribuição mínima mensal. Seu valor poderá ser alterado em qualquer período pela Diretoria. sem restrição. Parágrafo 5º. o direito à inviolabilidade das informações.A CONTRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL inicial está estipulada pelo presente Estatuto em R$ 5.MEMBROS COLABORADORES são aqueles que tenham participado de cinco reuniões regulares consecutivas. ou de pelo menos oito das últimas dez anteriores à sua inscrição.MEMBROS FUNDADORES são aqueles que participaram da fundação. contribuindo assim para o desenvolvimento do GLBT-LAGOS. constando na Ata.8 – Discutir e levar à comunidade GLBT informações relacionadas principalmente às doenças transmissíveis. Parágrafo 2º. . Art. Parágrafo Único: Em quaisquer circunstâncias. Parágrafo Único: Cabe à Diretoria a responsabilidade pelas informações.00 (cinco reais). participam regularmente das atividades da Entidade. Parágrafo 3º.7º. dão apoio financeiro. dando prioridade à AIDS/DST.O quadro social é composto de: 1-MEMBROS COLABORADORES 2-MEMBROS FUNDADORES 3-MEMBROS HONORÁRIOS Parágrafo 1º. somente terão acesso às fichas de inscrição os membros da Diretoria do GLBT- LAGOS. que aceitem o presente estatuto e tenham formalizado a sua inscrição junto ao GLBT-LAGOS.6º.MEMBROS HONORÁRIOS são pessoas físicas ou jurídicas que sem participar das atividades internas da Entidade. 9 – Promover o marketing social do preservativo. CAPÍTULO III – DA ORGANIZAÇÃO Seção I – DOS MEMBROS Art. resguardado. assim como a forma como tais serão veiculadas. São membros do GLBT-LAGOS pessoas físicas. logístico ou de outro tipo. contribuem para o seu desenvolvimento. Parágrafo 4º. assim.REUNIÕES REGULARES são definidas como aquelas em que são realizadas discussões dinâmicas sobre temas relacionados com a auto-estima e a orientação sexual.

que serão aprovadas por 2/3 dos votos válidos. 2. exceto as que modifiquem o Estatuto. Parágrafo 2º.Propor e discutir na Assembléia Geral.Respeitar e fazer respeitar o presente Estatuto. se for MEMBRO COLABORADOR.Tem o direito de voto apenas os MEMBROS FUNDADORES e MEMBROS DA DIRETORIA e dos CONSELHOS DE ÉTICA E CONSULTIVO do GLBT-LAGOS. SEÇÃO III – DA ASSEMBLÉIA GERAL Art.Os MEMBROS não respondem nem conjunta e nem subsidiariamente pelas dívidas e obrigações do GLBT-LAGOS. 3. . Parágrafo 3º.Participar de qualquer evento promovido pelo GLBT-LAGOS. Parágrafo 1º.Art. 9º.Poderão ser aplicadas sanções aos MEMBROS do GLBT-LAGOS que firam os interesses do mesmo e o presente Estatuto.A admissão de MEMBROS previstos no artigo 7º está sujeita à aprovação da Diretoria. Art.A Assembléia Geral é o órgão máximo soberano e deliberativo do GLBT-LAGOS. 3-Coordenações.O GLBT-LAGOS é constituído dos seguintes órgãos: 1-Assembléia Geral. Art.É vedado o voto por procuração.12. Art.13.Efetuar pontualmente o pagamento das contribuições mensais. Art. 2-Diretoria. 14.Constituem direitos dos MEMBROS do GLBT-LAGOS: 1. 3-Conselho Consultivo. observando-se os demais dispositivos do presente Estatuto.Constituem deveres dos MEMBROS do GLBT-LAGOS: 1.11. MEMBROS DA DIRETORIA e dos CONSELHOS CONSULTIVO e DE ÉTICA do GLBT-LAGOS. 10º. SEÇÃO II – DA ADMINISTRAÇÃO Art. 3. 4-Conselho de Ética. se for MEMBRO DA ASSEMBLÉIA GERAL.As deliberações da Assembléia Geral serão aprovadas por metade mais um dos votos válidos.Votar na Assembléia Geral. sendo constituída de todos os MEMBROS FUNDADORES. 8º. 2.Participar das atividades do GLBT-LAGOS.

para que elabore o Edital e o divulgue com antecedência mínima de 7(sete) dias. ou quando solicitado por 1/3 (um terço) de seus MEMBROS FUNDADORES. 2. os convocadores deverão notificar ao Diretor Sócio-Cultural. com antecedência mínima de 15 (quinze) dias. Art.A Assembléia Geral reunir-se-á ordinariamente a cada ano por convocação da Diretoria.Deliberar sobre a dissolução do GLBT-LAGOS. Parágrafo único: Em primeira chamada a Assembléia Geral deliberará com a presença de pelos menos 1/3 de seus MEMBROS FUNDADORES e após trinta minutos.Deliberar sobre assuntos gerais de interesse do GLBT-LAGOS constantes do Edital de Convocação.Convocada a Assembléia Geral Extraordinária. 17. .As Assembléias Gerais Extraordinárias tratarão exclusivamente dos assuntos que deram motivo à sua convocação.Alterar total ou parcialmente o Estatuto. 15.Aos MEMBROS que não têm voto válido não será garantido o direito de voz. Parágrafo 2º. 3. Art. com antecedência de 15 (quinze) dias.Apreciar e julgar sobre as contas da Diretoria.Eleger a Diretoria respeitando o disposto nas Seções V do presente Estatuto. em segunda chamada com qualquer número. através de seu Diretor Sócio- Cultural.Parágrafo 4º.Compete à Assembléia Geral Extraordinária: 1.A Assembléia Geral reunir-se-á extraordinariamente por convocação da Diretoria. discutir e aprovar o plano anual de ações do GLBT-LAGOS. através de correspondências dirigidas a seus MEMBROS e de Edital afixado na Sede do GLBT-LAGOS e no local da realização das reuniões regulares.Conhecer e julgar os relatórios anuais e ações da Diretoria e das Coordenações.Deliberar sobre a destituição de membros da Diretoria. Art. 18. mediante aprovação de metade mais um dos votos válidos. Parágrafo 1º.Deliberar sobre os assuntos motivadores da convocação. 3. 16. 4. 4.Compete à Assembléia Geral Ordinária: 1. assim como. Art. 2.

com mandato de 8 (oito) anos. Parágrafo 2º. Presidente. 5.SEÇÃO IV – DA DIRETORIA Art. por maioria simples.Para concorrer à Diretoria devem ser formadas chapas somente entre os MEMBROS DA ASSEMBLÉIA GERAL (DIRETORIA. Cumprir as determinações deliberadas por este órgão. 2. 1º Secretário. 5.19. Art.. 4. Parágrafo 2º. Vice-Presidente.A convocação da Assembléia Geral Ordinária deverá ser realizada na última quinzena de agosto de cada ano. Criar coordenações de trabalho sempre que julgar necessário. Convocar a Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária.Em caso de impedimento ou vacância de algum cargo da Diretoria. MEMBROS FUNDADORES E CONSELHOS CONSULTIVO E DE ÉTICA) as quais deverão inscrever-se até cinco dias antes da Assembléia que elegerá a nova Diretoria. Diretor Cultural. quando agirem dentro dos poderes que lhes são atribuídos neste Estatuto.Os membros da Diretoria serão eleitos por aclamação e por voto dos membros fundadores. 2º Secretário. Parágrafo 1º. 2. 20. 3. 6. 3. será convocada uma Assembléia Geral Extraordinária para eleger um substituto.Os membros da Diretoria não respondem solidária ou subsidiariamente pelas obrigações contraídas em nome da GLBT- LAGOS. Art. Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto. 21. 4. Parágrafo 4º. Executar e fazer cumprir as decisões da Assembléia Geral.A Diretoria será composta de 6 (quatro) MEMBROS: 1. Parágrafo 3º. vencendo o mandato a cada dia 30 de setembro de cada oito anos. Parágrafo 1º.A renúncia de qualquer membro da Diretoria deverá ser comunicada ao Presidente por escrito. Diretor Financeiro.Compete à Diretoria: 1.A Diretoria será eleita pela Assembléia Geral Ordinária. .

assinar e endossar cheques. aprovando e assinando os documentos referentes à gestão financeira. 6. objetivando a sua difusão comunitária e científica. Parágrafo Único: Na falta do Diretor Financeiro.Preparar o relatório anual sobre as atividades do GLBT- LAGOS.Gerenciar as coordenações de projetos do GLBT-LAGOS. 24.Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto.Representar o GLBT-LAGOS em Juízo ou extra-judicialmente e receber citação e intimação em nome do GLBT-LAGOS. Art. Lésbicas e Travestis e do movimento homossexual brasileiro. Art. 5.Compete ao Vice-Presidente do GLBT-LAGOS: 1. ordens de pagamento.Compete ao Presidente do GLBT-LAGOS: 1.22. 6.Crias e dissolver as Coordenações do GLBT-LAGOS.Compete ao Diretor Cultural: 1. respeitando o Art.Assinar toda a correspondência e documentos emitidos pelo GLBT-LAGOS. 7.Organizar o acervo do GLBT-LAGOS de forma a preservar a história da entidade.Representar o GLBT-LAGOS perante bancos e outras instituições financeiras. 2. Parágrafo Único: A Diretoria reunir-se-á quinzenalmente e extraordinariamente sempre que julgar necessário.Monitorar as atividades do GLBT-LAGOS relacionadas à sua pasta. 8. a Diretoria se fará representar sempre com duas assinaturas.Delegar poderes a outros membros da Diretoria. 8. 26 do Presente Estatuto. qualquer outro membro da Diretoria poderá substituí-lo em suas funções. 4. Art. 3. . 2. Nesta capacidade. 2. 3. 7. aceitar cheques e duplicatas e ainda assinar correspondência de autorização de débito em conta corrente.Gerir com o Diretor Financeiro os recursos do GLBT-LAGOS. 3. com poderes específicos para emitir. sendo uma obrigatoriamente do Presidente e a outra do Diretor Financeiro. Elaborar as correspondências do GLBT-LAGOS. Auxiliar o Presidente e substituí-lo em seus impedimentos.Convocar a Diretoria para reuniões Ordinárias e Extraordinárias. 23.Substituir o Presidente e o Vice-Presidente em suas faltas e impedimentos.Presidir e coordenar as reuniões da Diretoria e das Assembléias Gerais. Elaborar os relatórios do GLBT-LAGOS. da Associação Brasileira de Gays. desde que seja aprovado pela maioria de seus membros.

c) Apreciar os balanços e relatórios anuais apresentados pela Diretoria.Em caso de vacância. e) Opinar sobre decisões de ordem administrativa. h) O Conselho de ética elaborará seu próprio Regimento Interno. eleitos pela Assembléia Geral. 4. far-se-á uma nova eleição em Assembléia Extraordinária convocada para esse fim. 25.O mandato dos Conselhos de Ética e Consultivo serão coincidentes com o mandato da Diretoria. quando consultados. g) O Conselho de ética reunir-se-á sempre que necessário. mantendo em ordem e em dia o livro-caixa.Substituir o Presidente em suas ausências ou impedimentos relativos às funções do ítem 3 do Artigo 22. cobrar e receber as mensalidades.Conselho de Ética: a) Examinar os livros de escrituração da entidade. b) Examinar o balancete semestral apresentado pelo Diretor Financeiro.Art. opinando à respeito. ART. ouvindo sempre as partes envolvidas. o qual será aprovado em Assembléia.Elaborar planos de arrecadação dos recursos financeiros do GLBT-LAGOS. contribuições e doações.Publicar todas as notícias das atividades da entidade. j) Colaborar mensalmente com a contribuição mínima. Parágrafo 1ª . 28 – Compete aos Conselhos: Parágrafo 1º . Parágrafo 2º .27 – Os Conselhos de Ética e Consultivo serão compostos por 6 membros cada. ART. .26 – Compete aos 1º e 2º Secretários do GLBT-LAGOS: 1 .Submeter à aprovação da Diretoria os documentos relativos à gestão financeira.Compete ao Diretor Financeiro do GLBT-LAGOS: 1. 3. 2. . f) Julgar questões de ética na GLBT-LAGOS.Secretariar as reuniões da Diretoria e Assembléia Geral e redigir as competentes atas.Exercer as funções de Diretor Financeiro. d) Opinar sobre a aquisição e alienação de bens. i) Os Membros do Conselho de ética tomarão posse na mesma data de sua eleição.Outras julgadas necessárias SEÇAO V – DOS CONSELHOS: ART. 2 .

5. campanhas e projetos.Será dada a publicidade. . 3. SEÇÃO VI – DAS COORDENAÇÕES: ART. 4.As coordenações serão constituídas e terão funções determinadas pela Diretoria e poderão ser modificados pela mesma conforme a necessidade do GLBT-LAGOS. doação. legado ou outra forma legal. Parágrafo único: Ainda que sem fins lucrativos. Art. e principalmente na elaboração.Doações espontâneas. os membros da Diretoria Executiva indicarão pessoas de reconhecimento saber e idoneidade. c) Deliberarão sobre questões colocadas pela Diretoria. colocando-se à disposição para exame de qualquer cidadão.Conselho Consultivo: a) . o GLBT-LAGOS poderá constituir renda visando à sua aplicação na seqüência de seus objetivos. Parágrafo 1º. imóveis.Contribuições de outras pessoas físicas ou jurídicas. 30.Parágrafo 2ª .O Patrimônio do GLBT-LAGOS será constituído de: 1.31. 2. sendo necessário o registro no livro-caixa. no encerramento do exercício fiscal ao relatório de atividades e de demonstrações financeiras da entidade. CAPÍTULO IV – DOS RECURSOS E DO PATRIMÔNIO DO GLBT-LAGOS Art. k) Colaborarão mensalmente com a contribuição mínima.Bens móveis. obras de arte que possui ou venha a possuir por compra.Rendas provenientes de quaisquer atividades promovidas pelo GLBT-LAGOS.Mensalidades dos MEMBROS COLABOREADORES. nos campos de conhecimento afins com suas atividades.Com o objetivo de assessorar os membros da GLBT- LAGOS na consecução de seus objetivos estatutários.29 . incluindo-se aí as certidões negativas de débitos junto ao INSS e ao FGTS.Todas as despesas e receitas do GLBT-LAGOS serão escrituradas em livros revestidos das formalidades legais e respeitando-se a observância dos princípios fundamentais de contabilidade e das Normas Brasileiras de Contabilidade. para comporem o Conselho Consultivo. por qualquer meio eficaz. b) Os membros do Conselho Consultivo participarão efetivamente das atividades do Grupo. condução e implementação de suas ações.

etc) serão doados juntamente com todos os demais bens. o eventual patrimônio líquido remanescente será transferido a outra pessoa jurídica. .Os cargos da Diretoria poderão ser remunerados. adquirido com recursos públicos durante o período em que perdurou esta qualificação. de 23 de março de 1999. qualificada nos termos da Lei 9790. Parágrafo único: Os recursos obtidos com a venda de bens do GLBT-LAGOS deverão sr imediatamente reaplicados no interesse do GLBT-LAGOS.Em caso de dissolução ou extinção do GLBT-LAGOS. Parágrafo 3º. Art.33. na região correspondente à sua área de atuação. da aplicação dos eventuais recursos objeto do Termo de parceria.Parágrafo 2º. 32. Parágrafo 3º. o respectivo patrimônio disponível. conforme previsto em regulamento.Qualquer trabalho pago por consultoria ou assessoria a ser realizado por um membro do GLBT-LAGOS. Parágrafo 2º. conforme determina o parágrafo único do artigo 70 da Constituição Federal. 34.Na hipótese do GLBT-LAGOS perder a qualificação instituída pela Lei 9. respeitando-se os valores pagos praticados pelo mercado. Parágrafo 1º. revistas. preferencialmente que tenha o mesmo objetivo social. que esteja registrada no Conselho Nacional de Assistência Social e que preferencialmente tenha o mesmo objetivo do GLBT-LAGOS. Art. de 23 de março de 1999.Realizar auditoria. Art. Art. de 23 de março de 1999.790. 35.Os bens patrimoniais não provenientes de recursos públicos. O acervo constituinte (livros. deverá prever a quantia para doação de um mínimo de 10% (dez por cento) do recebido. será transferido a outra pessoa jurídica qualificada nos termos da Lei 9. documentos avulsos. só poderão ser alienados por decisão de 2/3 (dois terços) de seus MEMBROS COLABORADORES em Assembléia Geral Extraordinária convocada para tal fim. O GLBT- LAGOS poderá reembolsar despesas de seus MEMBROS quando estes estiverem representando o GLBT-LAGOS em quaisquer situações.Realizar a prestação de contas de todos os recursos e bens de origem pública recebidos. inclusive pro auditores externos independentes se for o caso.As entidades a serem beneficiadas do patrimônio do GLBT-LAGOS serão definidas na Assembléia Geral Extraordinária convocada para discutir a dissolução do GLBT-LAGOS. mediante comprovação e sujeito à aprovação pela Diretoria.790.

O GLBT-LAGOS não concede vantagens ou benefícios de qualquer forma ou título.Art.Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria e referendados pela Assembléia Geral Extraordinária. 10 de Julho de 2004. 39.O GLBT-LAGOS aplica integralmente suas rendas.38. Benfeitores ou equivalentes. Cabo Frio. Conselheiros. . 37. Art. Art. Membros.O GLBT-LAGOS somente poderá ser dissolvido por decisão de ¾ (três quartos) dos MEMBROS da Assembléia Geral convocada para tal fim. a seus Diretores.36. recursos e eventual resultado operacional na manutenção e desenvolvimento dos objetivos institucionais no território nacional. CAPÍTULO V – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS Art.