A Pátria de chuteiras e a manipulação do sentimento nacional

"O patriotismo é o último refúgio dos canalhas" (Samuel Johnson)
“Infeliz a nação que precisa de heróis.” (Bertolt Brecht)


Parece que somente o futebol é capaz de unir o Brasil e colorir as ruas e as fachadas das casas e
apartamentos. Os cinco títulos mundiais enchem de orgulho a brasilidade. O futebol tem sido a
demonstração de que o Brasil é um país vencedor.
Mas vencedor no futebol não significa que seja vencedor em outros campos. O país não tem o mesmo
sucesso na educação, na saúde, na higiene, no saneamento básico, na segurança, na ciência e
tecnologia, na defesa do meio ambiente, etc.
O pior é que a manipulação ideológica que fazem do futebol é vergonhosa. Foi assim em Roma, quando
se contentava as massas com “pão e circo”. Porém, agora é pior, pois além de funcionar como “ópio do
povo” o futebol é uma máquina para legitimar os políticos espertos e para garantir os lucros das grandes
empresas, dos bancos e da mídia.

O Brasil está passando por dificuldades econômicas, mas estima-se que o custo da Copa vá ficar acima
de 30 bilhões de reais. O povo brasileiro vai ficar no prejuízo e apenas um pequeno número de
corruptos deve lucrar com o evento. Estádios (ou Arenas) foram construidas onde os times locais de
futebol não conseguem chegar na séria A do campeonato brasileiro. A megalomania predominou
juntamente com os interesses políticos. Até as manifestações de protesto diminuiram.




Em termos de desempenho nos gramados, a seleção brasileira não tem apresentado um bom
desempenho e se a Copa fosse por pontos corridos o Brasil estaria em má posição, com duas vitorias e
dois empates até hoje domingo 29 de junho. Enquanto isto a Colômbia venceu a Grécia por 3 a 0 sobre a
Grécia, a Costa do Marfim, por 2 a 1, o Japão por 4 a 1 e o Uruguai por 2 a 0. Foram 11 gols a favor e 2
contras, além do artilheiro da Copa. A Colômbia tem mostrado um futebol mais eficiente e mais bonito.
Mas apesar de não mostrar um bom jogo, a mídia e o técnico Luiz Felipe Scolari tem feito campanhas
para que a torcida brasileira cante o hino nacional e reze para Nossa Senhora e todos os santos pedindo
apoio para o escrete verde-amarelo. Ou seja, como o time não tem mostrado bom futebol, apela-se
para o patriotismo da torcida e para a religiosidade do povo.



O Brasil vai enfrentar a Colômbia no dia 04 de julho. Vai ser feriado nacional. As esperanças estão
depositadas nos pés de Neymar. Mas como disse Bertold Brecht: “Infeliz a nação que precisa de heróis”.
O futebol deveria ser um esporte saudável, simples e democrático. Mas virou uma máquina de lucro, de
alienação e de manipulação do patriotismo.
Como brasileiro, torço para a vitória do Brasil. Mas com uma visão critica e com um sentimento de
insatisfação com os gastos da Copa e a situação do Mundial de Futebol. Mas se o Brasil perder, não será
nenhuma tragédia grega. Que vença o melhor!

José Eustáquio Diniz Alves
Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População,
Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas - ENCE/IBGE;
Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br


Artigos e links relacionados:
ALVES, JED. Futebol: esporte ou ópio do povo na sociedade do espetáculo? Ecodebate, RJ, 31/01/2014
http://www.ecodebate.com.br/2014/01/31/futebol-esporte-ou-opio-do-povo-na-sociedade-do-
espetaculo-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/
ALVES, JED. As Olim-piadas do Pinicão da Guanabara. Ecodebate, RJ, 25/04/2014
http://www.ecodebate.com.br/2014/04/25/as-olim-piadas-do-pinicao-da-guanabara-artigo-de-jose-
eustaquio-diniz-alves/
Humor político http://www.humorpolitico.com.br/

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful