You are on page 1of 13

O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE I)

Eunice Ferreira Neves – Escola Básica e Secundária de Ourém


Domínio C
Tendo em conta a situação em que a Escola Sede do Agrupamento de Escolas Ourém, na qual a BE que Coordeno
está integrada, se encontra a atravessar, sofrendo obras muito profundas de remodelação e ampliação, que colocaram
a BE a funcionar fora do recinto escolar, num espaço tripartido e mínimo, onde não foi possível colocar à disposição dos
alunos a maioria do fundo documental de que dispomos e onde apenas a meados do mês de Novembro os
computadores começaram a funcionar normalmente e a ter acesso à Internet (nomeadamente o da funcionária e o dos
professores) e onde, neste momento, apenas um computador serve para imprimir (e não está ligado à Internet),
entendeu a Equipa da BE, em concordância com a Directora do Agrupamento, propor em Conselho Pedagógico a
escolha do domínio C para iniciar o processo de auto-avaliação da BE da Escola Sede.

Este domínio, além de ser, possivelmente, o menos afectado pela situação da Escola e da BE no ano lectivo
presente, tem sido um dos pontos fortes da intervenção da BE na vida do Agrupamento. O projecto “aLer+”, que abraça
desde o ano lectivo passado, e que teve como tema “aLer+ no mundo da animação” impulsionou a criação de um
conjunto de parcerias entre algumas associações culturais e desportivas do concelho e o Agrupamento que,
conjuntamente com a criação do Clube de Cultura e Artes da BE/CRE da Escola (CCA), conduziram à produção de
espectáculos de promoção da leitura e da cultura musical, teatral e da arte da dança e da patinagem artística com
grande qualidade e adesão por parte da comunidade escolar e envolvente.

Assim, continuamos a ser uma “Escola Leitora” que envolve todo o Agrupamento no mesmo compromisso de
leitura, desta feita com o tema “aLer++aLer”, tencionamos manter as parcerias criadas no ano lectivo anterior,
acolher mais alguns parceiros e continuar a investir na dinamização de eventos de leitura e cultura com a intervenção
dos alunos do CCA; além disso contamos com uma forte componente de apoio aos alunos na pesquisa de informação e
produção de trabalhos por parte da Equipa da BE (apesar das dificuldades); pelo exposto, escolheu-se (Equipa, Direcção
e Conselho Pedagógico), este ano lectivo, o domínio C do modelo de auto-avaliação das BE, na certeza de que ainda se
poderá fazer melhor numa área se acredita ser muito importante na vida escolar dos alunos.
Como indicador de processo, escolhi o subdomínio C.1.1., uma vez que o seu desenvolvimento pressupõe,
essencialmente, a transmissão de competências no âmbito da literacia da informação, do apoio individualizado com o
objectivo de proporcionar aos alunos a prática e conhecimentos suficientes para a sua progressiva autonomia nesta
área.

Como indicador de impacto/outcomes, escolhi o subdomínio C.1.2. por ser o que compreende a área onde,
possivelmente, o impacto será maior e mais abrangente e por ser a área em que os alunos mais trabalham por devoção
e gosto e não por obrigação, e na qual são mais responsabilizados pelos produtos finais obtidos: os bons impactos
resultam do “trabalho de bastidores” de quem os orienta mas também, e muito, da sua grande qualidade no
desempenho das tarefas a que se propõem. É ainda uma área onde alunos do 5.º ao 12.º ano trabalham e convivem
juntos, num respeito mútuo admirável, e se disponibilizam para desenvolver actividades para os alunos de outros ciclos
de ensino, outras escolas ou para a comunidade com igual prazer.

No entanto, considero que nenhum dos subdomínios é exclusivamente de processo ou exclusivamente de


outcomes: em todos eles se aprendem processos, em todos eles se obtêm impactos, mais ou menos “vistosos”, mas
possivelmente de igual importância individual, logo, com igual importância para o agente orientador. Considero ainda
que, em todos eles, não é apenas o aluno que aprende: todos estamos sempre a aprender e a usufruir de oportunidades
de melhorarmos as nossas próprias competências, para podermos fazer cada vez melhor.
Domínio C – Subdomínio C.1.1
C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade
C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimentos curricular
Indicadores: C.1.1 Apoio à aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos.
▪ Formação da funcionária na área da catalogação;
▪ Experiência da Coordenadora da BE na área da formação de alunos em literacia da informação e
produção de trabalhos;
▪ Pluridisciplinaridade da Equipa (no ano corrente: Matemática, Física/Química, Português/Comunicação,
1.º Ciclo);
▪ Disponibilidade da Equipa para colaborar com os professores na iniciação às técnicas de pesquisa e
produção de trabalhos em ambiente de sala de aula (nomeadamente nas aulas de Área de Projecto) e
para posterior acompanhamento individualizado aos alunos que assim o desejarem;
▪ Conhecimentos dos elementos da Equipa na área das TIC;
Diagnóstico – pontos
▪ Disponibilização de um conjunto de documentos online orientadores do trabalho de pesquisa e da
fortes
elaboração de trabalhos (guiões de pesquisa, produção de trabalhos, avaliação de páginas Web e
avaliação do trabalho produzido), apresentações de PowerPoint que constituem o suporte das indicações
dadas nas aulas de Área de Projecto e nos Cursos de Pesquisa e Produção de Trabalhos ministrados pela
Coordenadora da BE sempre que há condições para tal e que os alunos se inscrevem, em horário extra-
lectivo;
▪ Boa relação dos elementos da Equipa com o corpo docente, não docente e alunos do Agrupamento e,
em particular, da Escola;
▪ Sinais de abertura da BM da Sede de Concelho à colaboração com a BE sob diversas formas;
▪ Colaboração da Biblioteca da Junta de Freguesia de Fátima sob diversas formas;
Diagnóstico – pontos ▪ Espaço e condições de funcionamento da BE/CRE: fora do recinto escolar, em espaço muito reduzido,
fracos dividido em três partes, com pouco fundo documental de referência disponível, devido à intervenção da
“Parque Escolar” na Escola Sede do Agrupamento;
▪ Horário de funcionamento não abrange, ao contrário do que era prática, o período nocturno (por falta de
funcionários);
▪ Equipa reduzida em número de professores, tempo de permanência na BE de cada professor e número
de funcionários;
▪ Fraco acompanhamento, por uma parte significativa dos Pais/Encarregados de Educação, das
actividades escolares dos seus educandos;
▪ Fraca noção, por parte de alguns docentes e da maioria dos alunos, da importância da aquisição e
aplicação de conhecimentos na área da literacia da informação;
▪ Poucas indicações, por parte de alguns docentes, no que respeita à orientação e bibliografia referente
aos trabalhos que solicitam aos alunos;
▪ Desconhecimento e/ou desrespeito pelas regras instituídas no Regulamento Interno da BE/CRE por parte
de alguns docentes, nomeadamente no que respeita às normas de utilização do espaço e situação de
aula.
▪ A BE apoia as actividades livres de leitura, pesquisa, estudo e execução de trabalhos escolares,
realizadas pelos alunos, fora do horário lectivo e dos contextos formais de aprendizagem;
▪ Os alunos praticam técnicas de estudo variadas: exploram informação de diferentes tipos de
Factores críticos de documentos, tomam notas, elaboram fichas de leitura ou resumos, identificam palavras-chave,
sucesso sublinham, executam esquemas, produzem e editam trabalhos escritos recorrendo sempre que
necessário ao uso do computador e da Internet.
▪ Os alunos desenvolvem hábitos de trabalho e aprendem a organizar a sua própria aprendizagem,
revelando uma progressiva autonomia na execução das tarefas escolares.
Actividades a ▪ Dinamização do concurso: “À Procura do Livro Perdido” – Actividade a desenvolver em parceria com a
implementar Biblioteca Municipal de Ourém e com a Biblioteca da Junta de Freguesia de Fátima, com o objectivo de
formar utilizadores;
▪ Elaboração e distribuição de guias de utilizador da B.E;
▪ Construção de cartazes informativos;
▪ Manutenção de uma caixa de sugestões;
▪ Divulgação do regulamento da BE/CRE;
▪ Sensibilização e apoio a alunos e educadores/professores para a utilização das novas tecnologias.
▪ Incentivo e apoio à utilização do material didáctico existente.
▪ Organização de actividades de apoio ao Plano Anual de Actividades e ao desenvolvimento do PCT das
escolas/jardins de infância.
▪ Apoio à pesquisa de informação e produção gráfica de materiais:
▪ Exploração de CD’s ou sites na Internet para motivação, explicitação ou consolidação de conteúdos
programáticos em estudo;
▪ Pesquisas nos diversos suportes;
▪ Colaboração em actividades de concretização de objectivos curriculares;
▪ Orientação da participação dos alunos em projectos que venham a surgir e nos quais se revele
importante a colaboração da Equipa da BE/CRE, seja na selecção de bibliografia, na disponibilização de
materiais, computadores e outros recursos ou na ajuda na estruturação de trabalhos e sua apresentação
gráfica (trabalhos escritos aproveitando as potencialidades dos processamentos de texto, suportes
gráficos, digitais ou não);
▪ Elaboração da “Pastinha Virtual de Materiais”: disponibilização da disciplina “Biblioteca” da página
Moodle do Agrupamento uma pasta de materiais, essencialmente constituída por ligações seleccionadas
para páginas de interesse lúdico/didáctico, acompanhadas de um pequeno comentário/sugestões;
▪ Elaboração/actualização regular do painel para divulgação sugestiva de concursos de índole cultural
e/ou científica (a nível de escola, regionais, nacionais ou internacionais) e acompanhamento dos alunos
que queiram participar e solicitem orientação;
▪ Manutenção do blogue e das páginas da BE/CRE na Internet e na Disciplina “Biblioteca” da página
moodle do Agrupamento;
▪ Concurso “Os Países da Europa em Jogo” – Destinado aos alunos dos 2º e 3º ciclos e do Secundário;
consiste em idealizar/construir um jogo que evidencie as características sociais/culturais/turísticas… de
um país da Europa à escolha. Os alunos participam individualmente ou em grupos de, no máximo, 3
alunos;
▪ Intervenção nas aulas de Área de Projecto, mediante solicitação do respectivo professor, para realizar
sessões de informação/iniciação sobre métodos de pesquisa e produção de trabalhos em diversos
suportes;
▪ Disponibilização de guiões de pesquisa e da respectiva avaliação (em papel e na página moodle do
Agrupamento – disciplina “Biblioteca”);
▪ Apoio individualizado na pesquisa e produção de trabalhos (estrutura e questões gráficas e de utilização
das TIC);
▪ Alunos da Escola Sede (2.º e 3.º Ciclos, Secundário e nocturno) que o desejarem e alunos do 1.º Ciclo,
Intervenientes
quando solicitado pelo respectivo professor.
Evidências: Métodos e ▪ Horário da BE;
Instrumentos a utilizar ▪ Questionário aos alunos (QA3) – a aplicar no início do 2.º período e no final do mês de Maio a
uma mesma amostra de 100 alunos do ensino diurno, a seleccionar por amostragem aleatória
estratificada, de modo a abranger de forma representativa a população escolar da Escola Sede – ensino
diurno (por a BE não funcionar em período nocturno em 2009/2010);
▪ Observação de utilização da BE (O5) – a aplicar a grupos de alunos que estejam a trabalhar
na BE/CRE, escolhidos aleatoriamente (uma vez por semana, em dias/turnos alternados, cinco por dia, a
iniciar no início do 2.º período devido ao facto de o CRE não ter funcionado na maioria do 1.º período,
até ao final de Maio, o que dará cerca de 90 registos de observação O5);
▪ Sumários da aulas de Área de Projecto onde houve intervenção da BE;
▪ Documentos disponibilizados online;
▪ PAA da BE;
▪ PCT das Turmas que solicitam colaboração;
▪ Documentos de recolha de pedidos de colaboração da BE por parte dos CT;
▪ Diário de Bordo da BE;
▪ Actas do Conselho Pedagógico;
▪ Actas das reuniões trimestrais da Equipa da BE;
▪ Tópicos das reuniões semanais da Equipa da BE;
▪ Alguns dos trabalhos produzidos pelos alunos;
▪ Livro de Presenças da BE/CRE;
▪ Estatísticas de utilização da BE/CRE para pesquisa e produção de trabalhos;
▪ Estatística de utilização de determinados tipos de documentos (de apoio à produção de
trabalhos);
▪ Estatística de utilização dos computadores do CRE;
▪ Outros registos que venham a revelar-se importantes para a análise de resultados.
▪ Orientação em técnicas de pesquisa e produção de trabalhos: formação de grupo – 1.º
Calendarização período; acompanhamento individualizado – todo o ano;
▪ Outras actividades – conforme calendarizado no PAA da BE.
▪ Distribuir o horário da equipa da BE de modo a assegurar o mais possível a presença permanente de um
elemento da equipa na BE;
▪ Colmatar a falta de funcionários com uma maior parcela dedicada ao atendimento ao público no horário
do PB, de modo a garantir que a BE tenha um horário que coincida com a permanência de alunos na
Melhoramentos a escola, pelo menos no período diurno;
implementar durante ▪ Melhorar a oferta de espaços, tempos e oportunidades para o desenvolvimento de actividades de
o presente ano leitura, investigação e estudo com alunos ou grupos (mudança para as novas instalações prevista para o
3.º período).
▪ Reforçar a articulação com as áreas de estudo acompanhado/apoio ao Estudo;
▪ Formar/apoiar os docentes que o desejarem na área da literacia da informação;
▪ Criar hábitos de aproveitamento das potencialidades da BE/CRE nos docentes e alunos;
▪ Falta de funcionários na BE e na Escola em geral;
▪ Constrangimentos referidos inerentes ao período de realização das obras;
Limitações
▪ Pequena dimensão da Equipa;
▪ Sobrecarga de trabalho do Coordenador da BE durante todo o 1.º período.
▪ Um(a) funcionário com formação e/ou prática no trabalho na BE;
Levantamento de ▪ Quatro computadores portáteis para utilização na sala de estudo em situações de aula de Área de
necessidades Projecto ou outra disciplina que deles necessite, de modo a evitar a ocupação de todos os computadores
do CRE por parte de uma só turma num bloco de 90 minutos.
Domínio C – Subdomínio C.1.2
C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade
C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimentos curricular
Indicadores: C.1.2 Dinamização de actividades livres, de carácter lúdico e cultural na escola/agrupamento.
▪ Formação da funcionária na área da catalogação (liberta os elementos docentes da Equipa para a
realização de outro tipo de actividades);
▪ Pluridisciplinaridade da Equipa (no ano corrente: Matemática, Física/Química, Português/Comunicação,
1.º Ciclo);
▪ Conhecimentos dos elementos da Equipa na área das TIC;
▪ Competências transversais dos elementos da Equipa (música, teatro, produção de espectáculos,
envolvimento em associações de cariz diverso das comunidades a que pertencem);
▪ Boa relação dos elementos da Equipa com o corpo docente, não docente e alunos do Agrupamento e,
Diagnóstico – pontos
em particular, da Escola;
fortes
▪ Boa colaboração da parte de grande parte dos docentes, não docentes e alunos nas actividades (quando
solicitados/muito incentivados);
▪ Integração no projecto “aLer+” desde 2008/2009 (BE da Escola Sede, com projectos anuais abrangendo
todas as escolas do Agrupamento);
▪ Existência de um conjunto de parcerias com entidades, empresas e associações culturais e desportivas
locais;
▪ Sinais de abertura da BM da Sede de Concelho à colaboração com a BE sob diversas formas;
▪ Colaboração da Biblioteca da Junta de Freguesia de Fátima sob diversas formas;
▪ Espaço de funcionamento da BE/CRE reduzido e fora do recinto escolar devido à intervenção da “Parque
Escolar” na Escola Sede do Agrupamento;
▪ Horário de funcionamento não abrange, ao contrário do que era prática, o período nocturno (por falta de
funcionários);
Diagnóstico – pontos ▪ Equipa reduzida em número de professores, tempo de permanência na BE de cada professor e número
fracos de funcionários;
▪ Falta de continuidade, até à data, dos elementos da Equipa;
▪ Fraco envolvimento da maioria dos Pais/Encarregados de Educação nas actividades/projectos;
▪ Fraca apresentação de sugestões e/ou colaboração por parte da generalidade dos docentes e alunos
nas actividades e/ou projectos por iniciativa própria;
Factores críticos de ▪ Os alunos encontram na BE um conjunto de propostas de actividades visando a utilização criativa dos
sucesso seus tempos livres, que lhes permitem desenvolver a sensibilidade estética e o gosto e interesse pela
artes, ciências e humanidades.
▪ Os alunos usufruem de um programa de animação cultural, regular e consistente, traduzido num
conjunto de iniciativas, de que são exemplo: exposições, espectáculos de música e de teatro,
palestras/colóquios, debates, sessões de poesia/contos, teatro, concursos, jogos, celebração de
efemérides, outros.
Actividades a ▪ Dinamização do Clube de Cultura e Artes da BE/CRE da EBSO (CCA) com alunos de todos os ciclos de
implementar ensino. O Clube realizará actividades de canto, representação, construção de cenários/guarda-roupa,
pintura facial, etc. Os alunos do Clube irão colaborar nas actividades previstas no projecto
“aLer++aLer” e no festival de Teatro Amador do Concelho de Ourém (CENOURÉM). Participarão
igualmente em sessões que venham a realizar-se na escola em que tal se revele pertinente,
nomeadamente em actividades de apoio ao desenvolvimento dos PCT (conforme plano de actividades
específico do Clube);
▪ Dinamização da actividade “Está à espera?... Leia uma História!” – distribuição de pequenas histórias
escolhidas pelos alunos do CCA em locais públicos onde habitualmente seja necessário esperar algum
tempo para ser atendido;
▪ “Histórias na Língua dos nossos colegas” – Dinamização do conto de histórias por alunos do 1.º Ciclo
imigrantes cujo português seja língua não materna;
▪ Comemoração de efemérides;
▪ Cooperação em projectos que envolvam toda a escola, nomeadamente nos que forem propostos no
âmbito do Grupo de Trabalho Concelhio, no PTE e noutros que venham a surgir e nos quais se revele
oportuno e importante a colaboração/participação da BE/CRE;
▪ Elaboração/actualização regular do painel para divulgação sugestiva das actividades promovidas pela
BE/CRE, de concursos de índole cultural e/ou científica (a nível de escola, regionais, nacionais ou
internacionais);
▪ Elaboração de cartazes para exposição nos locais de maior visibilidade;
▪ Manutenção do blogue e das páginas da BE/CRE na Internet e na Disciplina “Biblioteca” da página
moodle do Agrupamento;
▪ Organização da participação da Escola no programa “Parlamento dos Jovens” – Ensino Básico;
▪ Actividades de comemoração do Mês das Bibliotecas Escolares – Outubro: concurso “Comento um Livro
na Nuvem” + “Histórias e Canções no Sótão da BE” (serão e noite de 30 para 31 de Outubro) –
actividade com e para alunos, pais, docentes, não docentes e comunidade local em geral;
▪ Actividades de comemoração/dinamização da Semana da Leitura (1ª semana de Março);
▪ Autores na Escola” – sempre que possível, será destacada a obra de um autor que será convidado para
vir à Escola;
▪ Organização do colóquio “Como se faz um programa de rádio?” (a realizar, possivelmente, na rádio
local);
▪ Recolha de inscrições para participação nas diversas sessões e posterior declaração de presença;
▪ Organização de “horas do Conto”/pequenas representações/sessões de declamação de poesia;
▪ Organização de Feira(s) do Livro por ocasião da vinda de escritores à Escola;
▪ Sacola TAL (Turma A Ler)*;
▪ Concurso Nacional da Leitura*;
▪ Concurso de Caligrafia/Ortografia para os 2.º e 3.º Ciclos*;
▪ Concurso de Escrita Criativa*;
▪ Hora do Conto em várias línguas – leitura dramatizada de histórias em Português, Inglês e Francês no
espaço aula por parte da Equipa da BE/CRE e/ou de elementos do CCA.
▪ Histórias na Parede (concurso de escrita e ilustração).
▪ “Top 5 + 5” – votação mensal no blogue da BE/CRE no “livro preferido”.
▪ Pais Leitores – abertura da BE/CRE à requisição domiciliária por parte dos Pais/Encarregados de
Educação de livros e documentos audiovisuais;
▪ Quadro dos Motivos… Para LER – a preencher diariamente na Biblioteca pelos utilizadores;
▪ Clube Virtual de Leitura (CVL) – Fórum na disciplina “Biblioteca” da página Moodle do Agrupamento, com
inscrição mediante pedido devidamente identificado e respectiva autorização;
▪ Histórias e Canções no Sótão da BE – serões/tertúlias e noites em pijama no sótão da BE/CRE da EB1 de
Olival;
▪ “+aLer na Rádio Local” – actividade de leitura semanal na estação de rádio local;
▪ Incentivar a comunidade escolar à recolha de pilhas, tampas e rolhas para reciclar e encaminhar
(elaboração de cartazes informativos e motivadores e recolha das pilhas, rolhas e tampinhas);
▪ Divulgação das actividades realizadas e a realizar através da disciplina “Biblioteca” da Página Moodle do
Agrupamento, da qual todos os inscritos no Moodle são “alunos” e está acessível a visitantes, do blogue
da BE, da página Web da BE (inserida na página Web do Agrupamento – em fase de construção) do
“Boletim das BE” do Agrupamento (mensal, digital, com distribuição impressa na razão de um por escola
nos jardins de infância, um por sala no 1.ºCiclo e na forma de jornal de parede na escola sede), do
Boletim Municipal, dos jornais locais e da rádio local.
*Colaboração com o Departamento de Línguas e Literaturas.
▪ Comunidade Escolar e local, com especial enfoque nos alunos, suas famílias, docentes e entidades
Intervenientes
parceiras.
Evidências: Métodos e ▪ Plano e relatório de actividades da BE;
Instrumentos a utilizar ▪ Plano e relatório de Actividades do Clube de Cultura e Artes da BE/CRE da EBSO;
▪ Projecto “aLer+” – Subtema: “aLer++aLer”.
▪ Registos sobre a preparação, o desenvolvimento e a avaliação das actividades;
▪ Diário de Bordo da BE e do CCA;
▪ Entrevistas aos alunos do CCA;
▪ Questionário aos Pais/Encarregados de Educação dos alunos do CCA (possivelmente o QEE1);
▪ Entrevista directores da Associação de Pais da EBSO;
▪ Questionário aos alunos (QA3) – nas condições referidas no quadro anterior;
▪ PCT das Turmas que solicitam colaboração;
▪ Documentos de recolha de pedidos de colaboração da BE por parte dos CT;
▪ Actas do Conselho Pedagógico;
▪ Actas das reuniões trimestrais da Equipa da BE;
▪ Tópicos das reuniões semanais da Equipa da BE;
▪ Prospectos, fotos, filmes e notícias das/sobre as actividades;
▪ Gravações dos programas emitidos na rádio local (programas semanais e entrevistas de
divulgação);
▪ Comentários às actividades colocados no blogue da BE;
▪ Grau de participação nas actividades propostas (n.º de presenças, n.º de visitantes do blogue,
n.º de votantes no “Top 5+5”, n.º de membros do Clube Virtual de Leitura e de comentários colocados
no respectivo fórum, n.º de participantes nos concursos,…)
▪ Outros registos que venham a revelar-se importantes para a análise de resultados.
▪ Ao longo do ano, de acordo com a calendarização apresentada no PAA das BE do
Calendarização
Agrupamento, no PA do Clube e com as solicitações dos CT e/ou Departamentos Curriculares.
▪ Falta de funcionários na BE e na Escola em geral;
▪ Constrangimentos referidos inerentes ao período de realização das obras;
Limitações
▪ Pequena dimensão da Equipa;
▪ Sobrecarga de trabalho do Coordenador da BE, pelo menos durante todo o 1.º período.
Levantamento de ▪ Verba para guarda-roupa, cenários, pagamento de direitos de autor;
necessidades ▪ Fotocópias de textos para os espectáculos (teatro e letras de músicas), prospectos e outras;
▪ Câmara de filmar;
▪ Máquina fotográfica com qualidade suficiente para tirar boas fotos com pouca luz e a pessoas em
movimento;
▪ Software de tratamento de imagem;
▪ Verba para impressões tipográficas;
▪ Transporte para deslocações de alunos do Agrupamento para dinamizar/participar em actividades;
▪ Fantocheiro;
▪ Material de pintura e desenho;
▪ Tintas para pintura facial;
▪ Outros materiais que se venha a verificar serem necessários para a realização das actividades.
▪ Aumentar/manter a participação da BE na dinamização de actividades culturais.
▪ Rentabilizar as iniciativas programadas, partilhando-as com outras escolas e BE.
Melhoramentos a
▪ Melhorar os mecanismos de promoção e marketing da BE, valorizando e divulgando junto da
implementar durante
comunidade educativa e local o seu programa de animação cultural.
o presente ano
▪ Motivar os pais/EE e a comunidade a colaborar, de forma mais activa e frequente, na
organização e financiamento dos eventos.