Hugo de São Vitor

A PALAVRA DE DEUS
“Uma só vez falou Deus”. Salmo 61, 12
“Uma só vez falou Deus”, porue gerou um só Ver!o pelo ual f"z todas as #oisas. $ste
Ver!o % a sua palavra. Uma só, porta&to, % a palavra de Deus, porue um só % o Ver!o de
Deus, e verdadeirame&te um só, por ser um só de um só, &ão #o&te&do m'ltiplas se&te&(as,
mas #o&suma&do)se em uma só e simples palavra.
*ual o motivo por ue, por%m, se diz &o Salmo+ “,ara ue te ma&ifestes -usto &as tuas
palavras”. Salmo /0, 6 assim #omo tam!%m, em outro lugar+ “Vivifi#a)me, para ue eu
guarde as tuas palavras”1 Salmo 112, 13 Se, de fato, #remos verdadeirame&te ue a palavra
de Deus % uma só, #omo a Sagrada $s#ritura &os fala de suas muitas palavras1
Deve)se sa!er, por%m, ue de um modo fala Deus pela !o#a dos 4ome&s, e de outro
por si
mesmo. *ue Deus fale e&tre os 4ome&s por meio dos 4ome&s, disto &o)lo
testemu&4am
uase todas as $s#rituras do Vel4o e do 5ovo 6estame&to. Deus, porta&to, fala pelos
4ome&s e fala por si. muitas palavras pelos 4ome&s, uma só por si mesmo. 7as em
todas as
palavras ue $le proferiu pelas !o#as dos 4ome&s estava prese&te esta '&i#a palavra,
e
todas eram uma '&i#a &esta '&i#a, as uais sem esta &ão poderiam ter sido proferidas
em
&e&4um tempo ou lugar.
$8ami&emos, porta&to, este gra&de mist%rio.
9 Ver!o de Deus, revestido de #ar&e 4uma&a, apare#eu uma só vez de modo vis:vel,
e
agora, todos os dias, $le mesmo, feito voz 4uma&a, vem at% &ós. $ em!ora se fa(a
#o&4e#er
diversame&te aos 4ome&s pela #ar&e ou pela voz 4uma&a, todavia a voz do Ver!o
deve ser
e&te&dida de uma #erta forma 4o-e #omo outrora t"ve ue s")lo a #ar&e de Deus. 9s
maus e
os i&#r%dulos puderam &ão some&te ver, #omo tam!%m matar a 4uma&idade de
;risto. ai&da
4o-e ouvem e8teriorme&te todos os dias a palavra de Deus e a desprezam. $ assim
#omo
aueles &ão teriam ousado matar o 4omem se tivessem podido #o&4e#er a Deus,
assim
tam!%m estes &u&#a repeliriam as palavras divi&as ouvidas se pudessem
e8perime&tar por
1
um sa!or i&terior a virtude delas.
<= palavra de Deus< , porta&to, <% viva< >He!. ?, 12@, porue &ela estA a vida. 5o ue
possui
de e8terior ati&ge o ouvido, mas &o ue possui de i&terior vivifi#a o #ora(ão. 5auilo
ue
al#a&(a os ouvidos e&#o&tra)se algo ue i&spira o #ora(ão. 9 ue % e8terior passa,
mas o ue
% i&terior &ão re#e!e muta!ilidade. 9 ue % e8terior % e8pli#ado pela seB"&#ia das
palavras,
o ue % i&terior % ditado pela verdade i&#omutAvel. ,or #ausa disto % ue foi dito+
<9 #%u e a terra passarão,
mas mi&4as palavras &ão passarão<.
7at. 2?, C/
5ão passarão, de fato, ali o&de &ada tiverem de tra&sitório. ,ois assim #omo em
muitas
palavras a '&i#a palavra &ão fi#a dividida, assim tam!%m &a '&i#a palavra as muitas
palavras
&ão sofrem varia(ão.
$8pli#adas assim !reveme&te estas #oisas so!re a palavra de Deus, e8ami&emos
agora as
palavras da $p:stola+
<= palavra de Deus % viva,
efi#az, e mais pe&etra&te
do ue toda a espada de dois gumes.
;4ega at% D divisão da alma e do esp:rito,
das -u&turas e das medulas,
e dis#er&e os pe&same&tos
e as i&te&(Ees do #ora(ão.
Dia&te dela &ão 4A &e&4uma #riatura i&vis:vel.
todas as #oisas estão a &' e a des#o!erto
para os seus ol4os,
para uem % palavra para &ós.
6e&do &ós, pois, um gra&de po&t:fi#e,
ue pe&etrou os #e's,
Fesus, Gil4o de Deus,
rete&4amos a profissão da f%.
,orue &ão temos um po&t:fi#e ue &ão possa
#ompade#er)se de &ossas e&fermidades,
2
mas ue foi te&tado em tudo D &ossa semel4a&(a,
e8#eto &o pe#ado.
=pro8imemo)&os, porta&to,
#om #o&fia&(a do tro&o de sua gra(a,
para ue al#a&#emos miseri#órdia
e e&#o&tremos gra(a &o au8:lio oportu&o.
,ois todo po&t:fi#e promovido e&tre os 4ome&s
% #o&stitu:do a favor dos 4ome&s
&as #oisas ue são para Deus,
para ue ofere(a o!la(Ees
e sa#rif:#ios pelos pe#ados.
ue possa #ompade#er)se
por aueles ue ig&oram e erram,
porue tam!%m ele estA #er#ado de e&fermidade.
,or isso deve,
ta&to pelo povo #omo por si mesmo,
ofere#er pelos pe#ados.
5em &i&gu%m toma para si esta 4o&ra,
se&ão o ue % #4amado por Deus, #omo =arão.
=ssim tam!%m ;risto &ão se glorifi#ou a si mesmo,
para ue se fizesse po&t:fi#e,
mas =uele ue l4e disse+
H6u %s meu Gil4o,
eu 4o-e te gereiI<.
He!. ?,12 ) /,/
<= palavra de Deus % viva<, porue &ão muda. $fi#az, porue &ão fal4a. ,e&etra&te,
porue
&ão se e&ga&a. 5ão muda &o ue promete, &ão fal4a &o ue realiza, &ão se e&ga&a &o
-ulgame&to. Sua promessa &ão morre pelo esue#ime&to &em muda pela i&te&(ão.
Sua o!ra
&ão % ve&#ida pela difi#uldade. Seu -ulgame&to &ão % e&ga&ado pela am!igBidade.
,romete
#om vera#idade, age #om fortaleza, dis#er&e #om sutileza. = palavra de Deus % viva
para ue
#reiamos, efi#az para ue esperemos, pe&etra&te para ue temamos. J viva &os
pre#eitos e
&as proi!i(Ees, efi#az &as promessas e &as amea(as, pe&etra&te &os -ulgame&tos e &as
#o&de&a(Ees. ;omo, por%m, a verdade de suas promessas e a o&ipot"&#ia de suas
o!ras
C
deve ser a&tes #rida do ue dis#utida, #o&sideremos ual se-a a sutilidade dos seus
-ulgame&tos.
<= palavra de Deus<, diz o =póstolo, <% mais pe&etra&te do ue a espada de dois
gumes< .
$spada de dois gumes % auela ue #orta de am!os os lados, a ual, ao #ravar)se,
pe&etra
a!ri&do #ami&4o para si #orta&do de am!os os lados. em!ora esta &ão #orte se&ão a
#ar&e, a
palavra de Deus #orta de am!os os lados porue pode
<perder &a gee&a de fogo
ta&to a alma #omo o #orpo<.
7at. 10,22
,ode e&te&der)se tam!%m ue a palavra de Deus #orta os -ulgame&tos de am!os os
lados
porue -ulga, divide e dis#er&e a am!os.
Segue)se+
<;4ega at% a divisão
da alma e do esp:rito<.
He!. ?, 12
$m #ada 4omem 4A tr"s #oisas+ a #ar&e, o esp:rito e a me&te. K #ar&e perte&#e a
deleita(ão,
ao esp:rito o pe&same&to, D me&te o dis#er&ime&to. = deleita(ão % a serpe&te, o
pe&same&to
% $va, e o dis#er&ime&to =dão. 5a deleita(ão 4A a #o&#upis#"&#ia da
superfi#ialidade, &o
pe&same&to a provid"&#ia da &e#essidade, &o dis#er&ime&to a se&te&(a da verdade. =
deleita(ão, so! a apar"&#ia da &e#essidade, pre#ipita a provid"&#ia D superfluidade. =
provid"&#ia, pela #ompai8ão do ue % i&ferior, desvia a razão da se&te&(a da verdade.
= primeira divisão % e&tre a serpe&te e $va, isto %, e&tre a #ar&alidade, )ou
a&imalidade,
palavra ue vem do latim Ha&imaI, ue sig&ifi#a alma), e o esp:rito. e&tre a deleita(ão
e o
pe&same&to, e&tre a superfluidade e a &e#essidade. = segu&da divisão % e&tre $va e
=dão,
?
e&tre o pe&same&to e a i&te&(ão ou dis#er&ime&to, e&tre a prud"&#ia da #ar&e e a
se&te&(a
da verdade. = palavra de Deus #omo ue divide e&tre a alma e o esp:rito, ua&do o
dis#urso
sagrado &os mostra a repug&L&#ia ue 4A e&tre os dese-os #ar&ais e espirituais.
Segue)se+
<das -u&turas
e das medulas<.
He!. ?, 12
Msto %, a palavra de Deus #4ega tam!%m at% a divisão das -u&turas e das medulas. 9
ue,
por%m, devemos e&te&der por -u&turas e medulas &o)lo % e8pli#ado ua&do logo a
seguir se
a#res#e&ta+
<e dis#er&e os pe&same&tos
e as i&te&(Ees do #ora(ão<.
He!. ?, 12
=s -u&turas são os pe&same&tos, as medulas são as i&te&(Ees. $m primeiro lugar,
e8ter&ame&te, estão as o!ras, assim #omo tam!%m estA a pele. depois vem a
deleita(ão,
assim #omo a #ar&e. em seguida os pe&same&tos, #omo os ossos. fi&alme&te as
i&te&(Ees,
#omo a medula. =ssim #omo a pele #o!re a #ar&e, assim tam!%m as o!ras #o!rem a
deleita(ão. e assim #omo os ossos suste&tam a #ar&e, assim tam!%m os pe&same&tos
alime&tam os dese-os. e assim #omo as medulas são i&ter&as aos ossos, assim
tam!%m as
i&te&(Ees se es#o&dem &os pe&same&tos. 9s pe&same&tos são #4amados de -u&turas,
porue de um #erto modo os dese-os se ligam e&tre si da mesma ma&eira #omo as
-u&turas
ligam as arti#ula(Ees dos mem!ros. = -u&tura %, efetivame&te, um v:&#ulo, algo
i&termediArio
ue u&e duas e8tremidades. Semel4a&teme&te os pe&same&tos, &as#e&do dos dese-os
e de
#erto modo gera&do os dese-os, alime&ta&do u&s e gera&do outros, ligam)&os e&tre si.
;omo
/
ue u&em os segui&tes aos pre#ede&tes, porue ta&to estes produzem)se daueles
#omo
aueles produzem)se destes.
*ue os dese-os geram os pe&same&tos &ão poderA ser #oisa des#o&4e#ida por uem
uer
ue se #o&4e(a a si mesmo, porue #ertame&te dirigimos &osso pe&same&to #om
mais
freB"&#ia ao ue dese-amos #om maior amor. De o&de ue tam!%m o Se&4or &os diz
&o
$va&gel4o+
<9&de estA o teu tesouro,
ali estA tam!%m o teu #ora(ão<,
7at. 6, 21
#omo se dissesse+ <9&de estA o teu dese-o, ali estA tam!%m o teu #ora(ão<, isto %,
<o&de estA o
teu dese-o, ali tam!%m estA o teu pe&same&to<.
,or outro lado, ue os pe&same&tos gerem os dese-os, % algo ue &o)lo % mostrado
pelo
salmista, ua&do diz+
<$m mi&4a medita(ão
a#e&deu)se o fogo<,
Salmo C2,?
porue o pe&same&to da #oisa ue a alma #o&sidera #om freB"&#ia i&flama mais
forteme&te
o #ora(ão ao seu amor. ;o&ve&ie&teme&te, porta&to, pelas medulas, ue são as #oisas
mais
se#retas e es#o&didas &o #orpo, e&te&demos as i&te&(Ees, as uais são #omo ue as
medulas
dos &ossos pe&same&tos, porue &o pe&same&to do #ora(ão o#ulta)se a i&te&(ão do
pe&same&to. = ual, ua&do a dis#utimos #om sutileza, #omo ue pe&etramos ao
i&terior dos
ossos. J ma&ifesto, porta&to, ue #orretame&te os pe&same&tos são ditos -u&turas e as
i&te&(Ees são ditas medulas. Galta i&vestigar #omo a palavra de Deus #4ega at% a
divisão das
mesmas.
6
= primeira divisão % e&tre a alma e o esp:rito, isto %, e&tre os prazeres #ar&ais e
espirituais.
= segu&da divisão % e&tre as -u&turas, isto %, os pe&same&tos #ar&ais e espirituais.
,rimeirame&te, de fato, disti&guem)se os prazeres, isto %, se a alma % movida pelo
!om ou
mau dese-o. $sta disti&(ão % a primeira porue mais fa#ilme&te -ulgamos os &ossos
dese-os.
$m seguida temos o dis#er&ime&to dos pe&same&tos, ue são mais o#ultos e são
#ompree&didos #om mais difi#uldade. De fato, #omo dos maus dese-os Ds vezes se
origi&am
!o&s pe&same&tos e, por outro lado, de !o&s dese-os Ds vezes se produzem maus
pe&same&tos, &ão % fA#il disti&guir ou dis#utir a ualidade dos pe&same&tos, porue %
pre#iso -ulgA)los &ão ape&as a partir dos dese-os pre#ede&tes dos uais se origi&aram,
#omo
tam!%m a partir dos su!seBe&tes ue estes geraram.
7as, para ue se e&te&da mais a!ertame&te #omo dos maus dese-os &as#em os !o&s
pe&same&tos, e #omo dos !o&s dese-os os maus pe&same&tos, utilizemo)&os de
e8emplo.
5ão 4A &i&gu%m ue ig&ore ue se-a mau o dese-o de rou!ar. 7as Ds vezes do dese-o
de
rou!ar &as#e o dese-o de matar, e freBe&teme&te do dese-o de matar &as#e o 4orror
do
4omi#:dio. *ua&do, porta&to, do mau dese-o surge um pe&same&to ue produz um
!om afeto,
% #omo se em uma mA raiz o e&8erto de um re&ovo !om produzisse um fruto do#e.
Semel4a&teme&te, do !om dese-o Ds vezes &as#e o mau pe&same&to, #omo ua&do ao
a!omi&armos a mA i&#li&a(ão da #ar&e pode a#o&te#er ue #ome#emos a pe&sar &a
torpeza
da #o&#upis#"&#ia #ar&al e deste mesmo &osso pe&same&to &os i&flamemos D
deleita(ão
il:#ita, #omo se uma Agua, -orra&do i&i#ialme&te de uma fo&te pura, tivesse #orrido
gradativame&te para uma torpeza desprez:vel.
Ks vezes, por%m, os pe&same&tos ta&to são produzidos de !o&s dese-os #omo
tam!%m
geram !o&s dese-os, ou, te&do tido origem &os maus, semel4a&teme&te produzem
outros
maus.
5esta am!igBidade, por ser mais dif:#il dis#er&ir a verdade, #olo#a)se #orretame&te a
divisão
das -u&turas, isto %, dos pe&same&tos !o&s e maus, #omo #oisa de maior perple8idade
e
3
difi#uldade, depois da divisão da alma e do esp:rito, isto %, das vo&tades #ar&ais e
espirituais.
Gi&alme&te, sa!e&do)se ue o dis#er&ime&to das i&te&(Ees % mais se#reto do ue
todas
estas #oisas, mere#idame&te a#res#e&ta)se &o fi&al tam!%m a divisão das medulas.
$m todas estas #oisas a palavra de Deus pe&etra pelo seu -ulgame&to, porue auele
ue
pela sua sa!edoria dis#er&e i&teligi&do sutilme&te a i&terioridade de &ossos segredos,
ilumi&a&do)&os e8ter&ame&te pela sua doutri&a &o)las faz #ompree&der para &ossa
utilidade.
,orue, porta&to, <a palavra de Deus % viva<, #reiamos ue ela &os promete o ue %
verdadeiro. porue % <efi#az<, esperemos ue #umpra as suas promessas. por ser
pe&etra&te e &ão poder e&ga&ar)se, arrepe&damo)&os de t")la ofe&dido e daui para a
fre&te
temamos tor&ar a ofe&d")la. $la, efetivame&te, i&telige as &ossas vo&tades, v" &ossos
pe&same&tos, e #ompree&de &ossas i&te&(Ees.
Segue)se+
<Dia&te dela &ão 4A
&e&4uma #riatura i&vis:vel<.
He!. ?, 1C
9 ol4o de Deus apree&de o ue % dista&te, por estar prese&te em todo lugar. o ue %
i&terior, por estar em todas as #oisas. o ue % sutil, por ser perspi#az, e o ue 4A de
maior,
porue &$le estão todas as #oisas. Segue ai&da, dize&do+
<6odas as #oisas estão a &'
para seus ol4os<,
He!. ?, 1C
porue &$le estão todas as #oisas, e
<a des#o!erto<,
He!. ?, 1C
2
porue $le estA em todas as #oisas. <5e&4uma #riatura<, isto %, &e&4uma a(ão,
pe&same&to
ou i&te&(ão 4uma&a.
HA um ol4o ue % e8terior e &ão i&terior, #omo o ol4o da #ar&e. outro ue, em rela(ão
a
#ertas #oisas, % i&terior e, em rela(ão a outras, % e8terior, #omo o ol4o do #ora(ão. e
outro
ai&da ue % some&te i&terior e &ão e8terior, #omo o ol4o de Deus. 9 ol4o da #ar&e v"
some&te o ue 4A de e8terior &os #orpos, e o ol4o da me&te o ue 4A de e8terior &o
#ora(ão.
o ol4o de Deus v" o i&terior. ,ara o ol4o da #ar&e o ol4o do #ora(ão % i&terior, para o
ol4o de
Deus % e8terior. $ assim #omo o ol4o da #ar&e &ão apree&de o ue apree&de o ol4o
do
#ora(ão, assim tam!%m o ol4o do #ora(ão &ão apree&de o ue apree&de o ol4o de
Deus. 7as
o ol4o de Deus apree&de o ue apree&de o ol4o do #ora(ão. ,orta&to o ol4o da #ar&e
some&te apree&de o ue 4A de e8terior &os #orpos. o ol4o do #ora(ão o e8terior e o
i&terior
dos #orpos, mas some&te o e8terior dos #ora(Ees. e&ua&to ue o ol4o de Deus
apree&de
simulta&eame&te o e8terior e o i&terior, &ão some&te dos #orpos, mas tam!%m dos
#ora(Ees.
,orta&to,
<Dia&te dela &ão 4A
&e&4uma #riatura i&vis:vel.
todas as #oisas estão
a &' e a des#o!erto
para os seus ol4os<.
He!. ?, 1C
De &ossos ol4os se o#ultam freBe&teme&te at% mesmo as #oisas ue são vis:veis. as
ue
são i&vis:veis estão fe#4adas. = a(ão % vis:vel, a i&te&(ão % i&vis:vel. 7as as a(Ees
dos
4ome&s, ai&da ue em sua &atureza se-am vis:veis, de muitos modos se o#ultam aos
&ossos
ol4os para ue &ão se-am vistas. = i&te&(ão, por%m, &ão pode ser vista, mesmo ue a
própria
N
a(ão se-a vista. ,orta&to, aos ol4os de Deus todas as #oisas estão a &', porue $le v"
todas
as a(Ees dos 4ome&s, o&de uer ue se-am feitas. pois &ão 4A trevas, e &ão 4A som!ra
de
morte &em o&de se possam es#o&der aueles ue operam o mal. #omo tampou#o &ão
4A
#o!ertura ue &os o#ulte, &em v%u ue &os prote-a, &em paredes ue &os fe#4em,
&em
es#uridão ue &os es#o&da de seus ol4os. ,orta&to,
<todas as #oisas
estão a &' para seus ol4os<,
porue $le v" tudo o ue se faz.
<e a des#o!erto<,
porue $le v" #om ue i&te&(ão são feitas.
Segue)se+
<,ara uem %
palavra para &ós<.
He!. ?, 1C
<6odas as #oisas estão a &' e a des#o!erto para seus ol4os, para uem % palavra para
&ós<,
isto %, para Deus ou para sua palavra, ue <%<, <serA<, ou <deve ser< palavra para &ós.
,rimeiro a palavra de Deus se faz para &ós. depois, a &ossa palavra para Deus. De
duas
ma&eiras se faz a palavra de Deus para &ós, i&teriorme&te e e8teriorme&te.
M&teriorme&te
pela aspira(ão, e8teriorme&te pela prega(ão. Gaz)se por sua vez, de duas ma&eiras
por
aspira(ão+ pela &atureza e pela gra(a. ,ela &atureza, ua&do Ds #riaturas aspira o
#o&4e#ime&to do !em. pela gra(a, ua&do aos restaurados sugere o amor do !em. De
duas
ma&eiras tam!%m faz)se a &ossa palavra para $le+ ou #o&sulta&do a razão, ou dela
presta&do
#o&tas. Se agora &ão uisermos volu&tariame&te #o&sultar a razão para o ue
fizermos, mais
tarde &e#essariame&te dela prestaremos #o&tas, #o&forme se diz &o =po#alipse ue
10
<Goram a!ertos os livros,
e foi a!erto outro livro,
ue % o da vida,
e foram -ulgados os mortos
pelas #oisas ue estavam es#ritas
&os livros<.
=po#. 20, 12
9s livros são os #ora(Ees dos 4ome&s, o livro da vida % a sa!edoria de Deus. 9s
livros são
a!ertos ua&do são ma&ifestados os segredos dos #ora(Ees. o livro da vida % a!erto
ua&do,
por uma luz i&terior, tor&a)se evide&te para #ada um tudo o ue deve ser feito. $ os
mortos
são -ulgados pelas #oisas ue estão &estes livros, &ão pelas ue estão &o livro, porue
os
pe#adores serão -ulgados pelas suas o!ras. 5ossos livros foram es#ritos #o&forme o
livro de
Deus, porue &ossos #ora(Ees foram #riados D semel4a&(a da sa!edoria de Deus,
#o&forme
dizem as $s#rituras+
<=ssi&alada estA so!re &ós
a luz do teu rosto, ó Se&4or<.
Salmo ?, 3
5ossos livros devem ai&da ser es#ritos segu&do o e8emplar do livro da vida,
#o&forme diz o
=póstolo+
<=dmoesto)vos,
#omo a meus fil4os #ar:ssimos,
sede imitadores de ;risto<.
M ;or. ?, 1?)16
=i&da ue &ão te&4am sido assim es#ritos, devem, pelo me&os, assim ser #orrigidos.
;omparemos, pois, &ossos livros #om este livro para ue, se algu%m os possuir
11
diversame&te, se-am #orrigidos, para ue &ão a#o&te(a ue &auela 'ltima
averigua(ão, se
algu&s forem e&#o&trados possui&do)os difere&tes, se-am reprovados. = e8pressão
<,ara uem
% palavra para &ós<
pode, porta&to, assim e&te&der)se+ <para uem<, isto %, <para a palavra<, ue %
<palavra
para &ós<.
,ode)se e&te&der tam!%m, pela e8pressão
<para uem
% palavra para &ós<,
ue falamos a ;risto de &ós para ue $le fale ao ,ai por &ós, porue $le % <po&t:fi#e<
>He!.
?, 1?@ para ue ofere(a a Deus os votos do povo, e % <gra&de po&t:fi#e< >He!. ?, 1?@,
gra&de
segu&do a divi&dade, porue % <Gil4o de Deus< >He!. ?, 1?@, e gra&de segu&do a
4uma&idade, porue <pe&etra os #%us< >He!. ?, 1?@.
<=pro8imemo)&os, porta&to,
#om #o&fia&(a do tro&o de sua gra(a<,
He!. ?, 16
isto %, do tro&o em ue ;risto rei&a pela gra(a. Oei&a de dois modos, porue &$le
&ão 4A
mal:#ia ue possa impedir o efeito da gra(a ue $le dese-a, #omo tam!%m &em em
&ós 4A
mis%ria ue o possa. <=pro8imemo)&os, porta&to, #om #o&fia&(a< , porue, se&do
#o&stitu:do
po&t:fi#e, perte&#e ao seu of:#io ue ore por &ós. se&do -usto, perte&#e ao seu m%rito
ue
impetre. e porue, fi&alme&te, te&do sido por &ossa #ausa
<#er#ado de e&fermidade<,
He!. /, 2
12
#ompade#e)se #om li!eralidade.
Goi #o&stitu:do, porue o foi por Deus. De fato, &ão foi $le ue se #o&stitu:u, mas
Deus ue o
glorifi#ou, dize&do+
<6u %s o meu Gil4o,
4o-e te gerei<.
Salmo 2, 3
*ua&do &o Patismo isto foi dito so!re ;risto >Qu#. C, 22@, $le foi #omo ue eleito ao
po&tifi#ado. ua&do isto foi dito &o mo&te >Qu#. N, C/@, $le foi #omo ue orde&ado
po&t:fi#e e
revestido de glória. Uma ter#eira vez ai&da uma voz do #%u veio at% $le, dize&do
<$u o glorifiuei,
e o glorifi#arei &ovame&te<,
Fo. 12,22
aprova&do)9 e #o&firma&do)9 em sua dig&idade, assim #omo tam!%m =arão foi
provado e
#o&firmado por Deus após a sua orde&a(ão, por 4aver algu&s i&ve-osos ue
desprezavam o
seu sa#erdó#io. 5o mo&te re#e!eu as vestes da glória #omo orde&a(ão. &a
ressurrei(ão
revestiu)se delas para ofere#er por &ós pre#es a Deus.
<,ois todo po&t:fi#e
promovido e&tre os 4ome&s
% #o&stitu:do a favor dos 4ome&s
&as #oisas ue são para Deus,
para ue ofere(a o!la(Ees
e sa#rif:#ios pelos pe#ados<.
He!. /, 1
Dupla deve ser a promo(ão daueles ue são #o&stitu:dos, a sa!er, ue se-am
primeiro
1C
promovidos i&teriorme&te pela gra(a D e8#el"&#ia da virtude, para ue depois se-am
e8teriorme&te #4amados D e8#el"&#ia da dig&idade. =lgu&s são promovidos
i&teriorme&te,
mas &ão e8teriorme&te, #omo o#orre #om os !o&s s'ditos. outros são promovidos
e8teriorme&te sem t")los sido i&teriorme&te, #omo o#orre #om os maus prelados.
outros
ai&da ta&to e8ter&a ua&to i&ter&ame&te, #omo os !o&s prelados. e&ua&to ue outros
&em
e8ter&a &em i&ter&ame&te, #omo os maus s'ditos.
Segue)se+
<J #o&stitu:do a favor dos 4ome&s
&as #oisas ue são para Deus<.
He!. /, 1
$stA es#rito &o $va&gel4o+
<Dai a ;%sar
as #oisas ue são de ;%sar,
e a Deus
as ue são de Deus<.
7at. 22, 21
=ssim #omo ;%sar tem os seus prefeitos -u&to ao povo para e8igir as #oisas ue são
de
;%sar, assim tam!%m Deus tem os seus prefeitos -u&to ao seu povo, ue l4e reuerem
as
#oisas ue são de Deus. $ assim #omo os prefeitos de ;%sar gozam da lega(ão do
povo para
i&ter#eder -u&to a ;%sar, e da lega(ão de ;%sar para ue orde&em ao povo, assim
tam!%m os
prefeitos de Deus, isto %, as prelados da Mgre-a, gozam da lega(ão do povo para ue
roguem a
Deus, ou da lega(ão de Deus para ue orde&em ao povo. Uma #oisa, de fato, % o
of:#io do
prelado &a medida em ue % legado do povo para Deus e outra &a medida em ue %
legado de
Deus para o povo. 5auele of:#io pelo ual % legado do povo dia&te de Deus, deve
mostrar
1?
devo(ão para ue possa apla#A)lo pelas o!la(Ees, pelo sa#rif:#io espiritual e pelas
pre#es.
5este of:#io pelo ual % legado de Deus para o povo, perte&#e)l4e e&si&ar os
ig&ora&tes e
#orrigir os pe#adores. Do of:#io pelo ual % legado do povo para Deus, estA es#rito
ue
<ofere#e o!la(Ees
e sa#rif:#ios pelos pe#ados<.
He!. /, 1
Do of:#io pelo ual % legado de Deus para o povo, estA es#rito ue
<pode #ompade#er)se
por aueles ue ig&oram e erram,
porue tam!%m ele
estA #er#ado de e&fermidade<.
He!. /, 2
HA algu&s ue se #o&4e#em estar &a e&fermidade, mas &ão se #o&sideram #er#ados
pela
e&fermidade, ue são, a sa!er, aueles ue #o&sideram)se fortes em algumas de suas
a(Ees.
=ueles, por%m, ue se v"em e&fermos em todas as suas #oisas estão, ua&to D sua
reputa(ão, #er#ados de e&fermidade por todos os lados.
1/

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful