You are on page 1of 76

SEITAS – Pr. Tomé C.

Faria 1

Introdução

• Existem milhares de religiões neste mundo, e obviamente nem todas são certas. O próprio Jesus
advertiu seus discípulos de que viriam falsos profetas usando Seu nome, e ensinando mentiras,
para desviar as pessoas da verdade (Mateus 24.24).

• O apóstolo Paulo também falou que existem pessoas de consciência cauterizada, que falam
mentiras, e que são inspirados por espíritos enganadores (1 Tm 4.1-2).

• Nós chamamos essas religiões de seitas. Não estamos dizendo que todos os que pertencem a
uma seita são desonestos ou mal intencionados, existem muitas pessoas sinceras que caíram
vítimas de falsos profetas. Para evitar que isto ocorra conosco, devemos ser capazes de distinguir
os sinais característicos das seitas.

• Em Judas somos convocados a se engajar numa batalha para proteger a fé que nos foi entregue.
Que fé é esta? Esta é fé é a verdade do Evangelho que nos foi confiada, é o conjunto de verdades
relacionadas à nossa salvação. O inimigo tem feito de tudo para perverter esta preciosa
mensagem, e tem com certeza alcançado inúmeras vitórias. Quando a mensagem do Evangelho é
pervertida, perde seu efeito de salvar, e é justamente esta nulidade que satanás deseja. Por isto
somos, como crentes, convocados a defender nossa fé.
• Também podemos e devemos ajudar as pessoas que caíram vítimas de alguma seita. Na carta de
Tiago está escrito que devemos procurar ganhar aqueles que se desviaram da verdade (Tiago
5.19-20). Para isto, entretanto, é preciso que nós mesmos conheçamos profundamente nossa
Bíblia bem como as doutrinas centrais do Cristianismo. Mais que isto, devemos ter uma vida de
oração, em comunhão com Cristo, para recebermos dEle poder e amor e moderação.

Como está a situação do planeta?

Hoje temos no planeta terra em torno de 6.000.000.000 de habitantes. Destes 2.000.000.000 são
cristãos de um modo geral. No entanto, destes, 1.3 bilhões são católicos ou ortodoxos, que seguem o
papa. Temos então 700.000.000 de protestantes, dos quais 400.000.000 são reconhecidos como
evangélicos de modo geral.

Definições de Seita

1. Na linguagem religiosa tradicional este termo tem um sentido pejorativo.

2. No sentido literal, palavra seita designa um pequeno grupo fracionário reunido sob a liderança de
um mestre, ou um grupo religioso que se separa de um corpo maior.

3. No sentido gramatical da língua portuguesa define seita como:
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 2

a. Doutrina que se afasta da opinião geral.
b. Conjunto dos indivíduos que a seguem.
c. Comunidade fechada, de cunho radical.
d. Facção, partido.

4. No sentido bíblico o termo “seita” é comumente usado em associação com o termo “heresia”. Na
verdade podemos dizer uma complementa o outro. Podemos dizer que:
Heresia – É um desvio doutrinário.
Seita – quem segue este desvio doutrinário.

5. Etimologicamente, o termo vem do verbo “secare” (cortar) ou do verbo “sequor” (seguir). No
gregz,o termo traduzido por seita é “hairesis”: um grupo de homens escolhendo seus próprios
princípios (seita ou partido. Ex - Seita dos Saduceus; dos fariseus). Dissensões originadas da
diversidade de opiniões e objetivos. O termo “hairesis” aparece nos textos de At 5.17; 15.5; 24.5;
26.5; 28.22.

6. No sentido sociológico esta palavra perde sua carga de desprezo para designar um grupo de
pessoas que voluntariamente participam de uma mesma crença.

7. No sentido cristão, podemos definir seita como sendo uma entidade com um grupo de Carter
religioso ou filantrópico que tem o objetivo de cultuar a Deus, mas que o sacrifício de Cristo não é
suficiente para salvar o homem da perdição eterna.

Como se reconhece uma seita?

Podemos observar que todas as seitas possuem características peculiares:

1. Tem um líder forte com muita personalidade, capacidade de liderança e escrita.
a. Testemunhas de Jeová – Charles Russel
b. Mórmons – Josef Smith, Bryan Yong.
c. Adventistas do Sétimo dia – William Miller e Ellem G. Wihte.
d. Islamismo – Maomé.
e. Espiritismo (moderno) Allan Kardeck
f. Legião da Boa Vontade – Alziro Zarur.
g. Universal do Reino de Deus – Edir Macedo.

2. Elas diminuem a pessoa de Cristo. Embora muitas seitas falem bem de Jesus Cristo, não o
consideram como sendo verdadeiro Deus e verdadeiro homem, nem como sendo o único Salvador
da humanidade. Reduzem-no a um homem bom, a um homem divinizado, a um espírito
aperfeiçoado através de muitas encarnações, ou à mais uma manifestação diferente de Deus, igual
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 3

a outros líderes religiosos como Buda ou Maomé. Freqüentemente, as seitas colocam outras
pessoas no lugar de Cristo, a quem adora e em quem confiam.

3. As seitas são exclusivistas quanto à salvação. Insistem que a verdade está com eles, e que são
a única igreja ou religião verdadeira. Pregam que somente os membros do seu grupo religioso
poderão se salvar. Enquanto que os cristãos reconhecem que a salvação é dada a qualquer um
que arrependa-se dos seus pecados e creia em Jesus Cristo como Salvador (não importa a
denominação religiosa), as seitas ensinam que não há salvação fora de sua comunidade.

4. As seitas ensinam a salvação pelas obras. Essa é uma característica universal de todas as seitas.
Por acreditarem que o homem é intrinsecamente bom, pregam que ele pode acumular méritos e vir
a merecer o perdão de Deus, através de suas boas obras praticadas neste mundo. Embora as
seitas sejam muito diferentes em sua aparência externa, são iguais neste ponto. Algumas falam em
fé, mas sempre entendem a fé como sendo um ato humano meritório. E nisto diferem radicalmente
do ensino bíblico da salvação pela graça mediante a fé.

5. Elas têm outra fonte de autoridade além da Bíblia. Enquanto que os cristãos admitem apenas a
Bíblia como fonte de conhecimento verdadeiro de Deus, as seitas adotam outras fontes. Algumas
forjaram seus próprios livros; outras aceitam revelações diretas da parte de Deus; outras aceitam a
palavra de seus líderes como tendo autoridade divina. Outras falam ainda de novas revelações
dadas por anjos, ou pelo próprio Jesus. E mesmo que ainda citem a Bíblia, ela tem autoridade
inferior a estas revelações. Crêem na Bíblia, mas, tem seus próprios livros que os consideram
inspirados. (autoridade extra-bíblia)
a. Testemunhas de Jeová – Tradução Novo mundo das Escrituras, Sentinela e Despertai.
b. Adventistas do Sétimo dia – Revelações a Ellen White.
c. Mórmons – O livro de Mórmon.
d. Islamismo – Alcorão.

6. As seitas se consideram o grupo fiel dos últimos tempos. Desenvolvem um pensamento
escatológico que lhes é central. Acreditam que seu grupo é o cumprimento das profecias
concernentes aos tempos do fim. Elas ensinam que receberam algum tipo de ensino secreto que
Deus havia guardado para os seus fiéis, perto do fim do mundo. É interessante que ao nos
aproximarmos do fim do milênio, cresce o número de seitas afirmando que são o grupo fiel que
Deus reservou para os últimos dias da humanidade.

Aprendendo a identificar uma seita através da matemática.

1. Adição. As seitas sempre adicionam algo a Palavra de Deus. (2Tm 3.15). Podemos ver que
adicionar algo a Palavra é uma característica comum a todas as seitas, pois não tem a Bíblia como
única fonte de ensino, de fé e pratica.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 4

2. Subtração. As seitas tiram a divindade do Senhor Jesus Cristo e a eficácia do sacrifício feito na
cruz.
a. Para Nova Era Jesus é tão somente um “iluminado”.
b. Para o Islã Jesus é um grande profeta, porem menor do que Maomé.
c. Para as Testemunhas de Jeová Jesus é um “deus” mas não é como Jeová.
d. Para os Mórmons Jesus é irmão do diabo.
e. Para a LBV Jesus nunca foi humano, que não é Deus e que nunca jamais afirmou que
fosse Deus (Zarur, Alziro – doutrina do céu da LBV p.108,112)
3. Multiplicação. As seitas multiplicam a salvação de Deus com as obras humanas. A salvação já não
é unicamente pela graça, é pelo esforço e mérito humano. Por exemplo. as Testemunhas de Jeová
pretendem ganhar a salvação através do trabalho que fase indo de porta em porta.

4. Divisão. As seitas dividem o mérito da salvação entre cristo e sua organização religiosa.
a. Os católicos afirmam: fora da igreja católica Romana não há salvação. (Catecismo da Igreja
Católica. Editora Vozes. 1999 p. 243).
b. A Congregação Cristã do Brasil afirma que a salvação somente pode ser obtida através do
batismo da Congregação, na sua concepção a igreja tem poder para salvar como também
para condenar.

Possíveis motivos para a multiplicação das seitas.

1. Jo 3.19 – Amam mais as trevas.
2. At 17.21 – O povo tem uma curiosidade natural por novidades.
3. O declínio espiritual das igrejas fundamentalistas.
a. Frieza espiritual nos cultos.
b. Indiferença e formalismo na maneira com que serve a Deus.
c. Abandono do trabalho da Evangelização e discipulado. E a falta de se pregar o
Evangelho completo.
d. A falsa hermenêutica, ou a Hermenêutica equivocada.
e. A falta de ensino, e conseqüentemente a falta de conhecimento da Bíblia.
f. A falta de maturidade espiritual. Dentro deste quadro a seita acaba sendo a opção para
quem esta procurando uma religião.
4. As divisões internas das igrejas fundamentalistas. (somente as três mais conhecidas)
a. Batista: Convenção Batista, Batista Bíblica, Batistas Regulares, Batista Independente,
Batista Livre, Batista Renovada... Etc
b. Presbiteriana: Independente, Do Brasil, Conservadora, Renovada... Etc
c. Assembléia de Deus: Ministério do Belém, Ministério Madureira... Etc
Isto sem contar as inúmeras ramificações que saíram das divisões que foram citadas acima.

5. A ascensão do sobrenatural.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 5

Há um crescente interesse do publico em geral pelo oculto: magia negra, astrologia, telepatia, e
tudo o que se refere à parapsicologia.
O sucesso de filmes que abordam o assunto é uma prova de que de fato há grande interesse
pelo sobrenatural. Desta forma, as seitas alcançam também grande sucesso junto ao publico
pelo fato de abordarem com tanta ênfase este tema. Muitas seitas são também povoadas por
jovens, os quais já têm um interesse maior pelo sobrenatural.

6. Uma sociedade construída sobre o materialismo.
A riqueza, o lucro, o prazer faz com que o homem desconsidere o valor humano de seu
semelhante. Mais recentemente temos presenciado constantes apelos ao materialismo humano
por parte da “Igreja Universal do Reino de Deus”, que se usa descaradamente deste recurso.
Olhando por este ângulo, encontramos explicações para a rápida expansão de certas seitas.

A explicação Bíblica para o surgimento e proliferação das seitas.

1. O apostolo Paulo escreveu em 1Tm 4.1-2 “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos
últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a
ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria
consciência, que proíbem o casamento e exigem abstinência de alimentos que Deus criou para
serem recebidos, com ações de graças, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a
verdade;”
2. Pedro também escreveu (2Pe 2.1-3) “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas,
assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente,
heresias destruidoras, até a ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo
sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por
causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão
comércio de vós, com palavras fictícias”.

Conclusão da introdução

Em Gl 1.8-9 somos advertidos que não devemos de forma alguma aceitar outro Evangelho além do
Evangelho da graça.
Estudaremos algumas seitas de maior influencia em nosso país, considerando a necessidade de como
crentes e pregadores da palavra de Deus, conhecemos, ainda que sem fanática profundidade, este
grande mal que tem procurado desvalorizar a palavra de Deus, desequilibrando a família e dificultar a
pregação do evangelho.
O alvo deste estudo não é para levantarmos nossos punhos cerrados contra os sectaristas, mas nossa
mão estendida e o coração cheio de amor e compaixão por eles, tendo vista que somos portadores da
verdadeira mensagem de Deus que é Jesus Cristo (Jo 6.68).
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 6

CARACTERIZANDO OS FALSOS PROFETAS

Em Mateus 7.15-23 Jesus faz uma severa advertência contra os falsos profetas. Além de Cristo, quase
todos os escritores do NT, e também do VT nos adverte sobre este mesmo problema. Além do texto de
Mateus 7, temos também 2 Pe 2; Jr 23, At 20, Mt 23 e 2Co 11.
Se fizer um exercício de alistar as características dos falsos profetas citadas nestes textos, você vai
ficar surpreso com uma imensa lista de atitudes e caráter duvidosos inerentes aos falsos profetas.
Sem se preocupar em minuciosas definições, eu procurei apenas alistar tais características. Vamos
seguir os textos na seqüência:

Características de falsos profetas encontradas em 2Pedro 2

1. Os falsos profetas atuam nas sombras. Agem sorrateiramente e introduzem heresias secretamente.
2. Pela vida que levam difamam o Evangelho do Senhor Jesus Cristo.
3. São pessoas cheias de cobiça e de ganância.
4. Exploram o fraco o débil e o ignorante.
5. São fantasiosos, inventam historias, forjam testemunhos, criam milagres que não existem.
6. São carnais.
7. São imorais e libertinos. Guiados pelos seus próprios instintos,
8. São irracionais. Vivem de apetites de sua própria carne.
9. São insolentes, arrogante, vaidosos, difamadores,
10. Não reconhecem autoridade sobre eles. Nem mesmo a autoridade espiritual.
11. Acreditam que estão em pé de igualdade com Deus
12. São causadores de injustiças.
13. Atropelam o direito.
14. São descarados.
15. Promovem a devassidão em plena luz do dia. Já não se preocupam em esconder ou mascarar o
seu pecado.
16. Tem olhos cheios de adultérios.
17. Tem o pecado como estilo de vida. Não apenas pecam, mas vivem no pecado,.
18. Iludem os instáveis.
19. Despertam os desejos carnais.
20. São lavados superficialmente. Tomam um pequeno banho, e, aparentemente estão limpo. E por um
breve período de tempo vivem trazendo para nos a ilusão de que são cristãos, mas, que com o
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 7

passar do tempo são como um cão que volta ao seu próprio vomito e como uma porca lavada que
volta a se revolver na lama.
21. São mercenários, fazem o que fazem pelo dinheiro. Por isso são denominados filhos de Balaão.

Características de falsos profetas encontradas em Jeremias 23

1. São destruidores e dispersadores, são negligentes, não cuidam do rebanho, deixam que as ovelhas
se espalhem feridas negligenciando o seu dever.
2. Profanam o que é sagrado. Praticam o pecado mesmo dentro do santuário. (mesmo tendo o nome
de sacerdote, mesmo com a Bíblia na mão)
3. São entregues a toda sorte de imoralidade.
4. São traidores.
5. Profetizam guiados por Baal. E por assim dizer servem ao diabo.Na sua boca não está à palavra de
Deus, mas a palavra de Satanás. Profetizam palavra que não procedem de Deus, mas que
procedem do inferno. (Paulo fala em 2Co 11.14 que o próprio Satanás se transforma em anjo de
luz. E, aqueles que seguem satanás também se vestem como se fossem justos)
6. São adúlteros.
7. São complacentes. não encorajam o arrependimento. Não confrontam o pecador no seu pecado.
Passam à mão na cabeça do rebelde.
8. Adulam e bajulam.
9. Iludem com falsas esperanças. Dizem: “paz! Paz! Não haverá condenação”, mas Deus se levanta
do seu trono e diz: “Não há paz, esta paz profetizada é falsa”.
10. São fantasiosos. Falam visões inventadas. Compartilhas os seus sonhos como se fosse palavra de
Deus.
11. Pronunciam suas próprias verdades como se fossem verdades divinas.
12. Confundem opiniões com revelação. Confundem raciocínios com Palavra de Deus.
13. são auto-proclamados. Auto comissionados. Auto intitulados. O profeta Geremias diz que Deus
reclama dos falsos profetas dizendo: “Eu não os comissionei, Eu não os enviei, Eu não lhes dei
uma mensagem, mas eles foram em meu nome como se fossem enviados por mim, falaram em
meu nome com se tivessem uma palavra minha, mas Eu nunca pus palavras em sua boca”.

Características de falsos profetas encontradas em At 20

Neste texto temos apenas uma: Torcem a verdade a fim de atrair os discípulos. Ou seja, negociam o
Evangelho a fim de ter a igreja cheia.

Características de falsos profetas encontradas em Mt 23

1. Não praticam o que pregam. É o “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 8

2. Tudo o que fazem é para serem vistos pelos homens. São vaidosos, gostam dos títulos, gostam de
ser chamados de mestres.
3. Não entram no reino e não deixam ninguém entrar.
4. Convivem superficialmente com a fé e com os objetos da fé.
5. Enganam e usurpam os indefesos. Entram nas casas das viúvas, e, em vez de cuidar usurpam os
seus bens.
6. Vendem a mentira como se fosse verdade.
7. Sua piedade é falsa, apenas aparência.
8. São ignorantes com relação às coisas sagradas. Agem como se nunca fosse um dia serem trazidos
a juízo.
9. Impressionam pelos detalhes. Dão o dizimo até a hortelã e do cominho, mas não praticam a
misericórdia e nem a justiça.
10. Vivem de aparência. Lavam o que está sujo do lado de fora do copo e deixam o que está sujo por
dentro. São sepulcros caiados, bonitos por fora, mas podres por dentro.
11. São aproveitadores da reputação alheia. Bajulam os verdadeiros profetas, gostam de estar ao lado
e de serem alistados junto com aqueles que são sérios com Deus.

Quatro características comuns aos falsos profetas em todos os textos bíblicos

1. VIVEM DE APARÊNCIA.
Mt 7.15 – “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas
por dentro são lobos roubadores”.
• São parecidos com a ovelha, agem como ovelha, se veste como ovelha, falam como ovelha,
mas, não são ovelhas. Os falsos profetas são perigos porque sua falsidade não é explicita,
mas, justamente porque é uma falsidade sutil.
• São caracterizados muito mais pelo que não falam do que pelo que falam. Falam muitas
verdades, mas não falam toda a verdade. Uma meia verdade é muito mais perigosa do que
uma mentira. Por isso muitos olham para eles e dizem é ovelha, pois tudo o que fala está de
fato na Bíblia e tem versículo e referencia para tudo o que fala. Mas, e o que ele não fala?
Desta forma alimenta no coração do rebanho um caminho próprio de rejeição a verdade de
Deus. É sempre o caminho largo, e nunca seguem pelo caminho estreito do compromisso, da
renuncia e do arrependimento, do abandono do pecado, da vida sacrificial. É sempre o
caminho largo, é sempre um Deus abençoador, que vai abençoar a tudo e a todos
indistintamente. A mentira mais perigosa à medida que se parece com a verdade. Uma
mentira explicita é logo assimilada pelo povo de Deus, mas, uma meia verdade logo é tida
como uma verdade inteira.

2. VIVEM DA MENTIRA.
• Vivem de falar o que Deus não falou. Vivem de garantir o que Deus não garantiu. Vivem de
distorcer a Palavra de Deus.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 9

• Quando a Palavra de Deus é proferida com um sentido inverso daquele que é pretendido, não
é palavra de Deus e sim palavra do diabo. O diabo cita o salmo para Jesus, mas com um
sentido diferente do que é de fato, e pretendia com isto conseguir um efeito completamente
diferente, ou seja, fazer com que Cristo se jogasse do alto do pináculo do templo em
Jerusalém.
• Quem prega meio Evangelho, não está pregando a palavra de Deus, está usando a Palavra
de Deus para fazer a vontade do diabo.
• A Palavra de Deus é um todo coerente. Vocês que estão aprendendo a pregar. Devem
aprender uma importante lição: um sermão se faz com um monte de textos bíblicos, mas um
monte de textos bíblicos não é um sermão.

3. VIVEM DA MANIPULAÇÃO.
• De trouxa o mundo está cheio, gente que se deixa manipular facilmente. (Como no programa
do fantástico da Rede Globo, onde se contratou um ator para fazer o papel de um adivinho, e,
mesmo após o próprio se revelar havia uma mulher que ainda insistia em acreditar nele!)
• Fazem todo artifício para manipular as pessoas. (tenho que falar mais uma vez da universal.
Fazem todo tipo de artifício para manipular seus seguidores).

4. VIVEM MOVIDOS PELA SUA GANÂNCIA E COBIÇA.
• É relativamente fácil arrancar dinheiro dos que estão cheios de “fé” e “boas intenções”!
• Não existem limites para a ganância da humanidade. Não é de se admirar o que o ser humano
pode fazer para saciar sua cobiça.

• 1Tm 6.10 – “Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se
desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores”.

RAZOES PORQUE OS AUDITÓRIOS ESTÃO SEMPRE CHEIOS

• Porque os falsos profetas têm tantos seguidores? Não existe fofoqueiro se não existisse o que
gosta da fofoca, não existiria o corruptor se não existisse o corrupto. Assim não existiria falso
profeta se não houvesse quem apreciasse as falsas profecias
• É verdade que pra cada experto existe um trouxa. Se todos fossem expertos, não existiriam
trouxas, se todos fossem trouxas, ninguém saberia o que era.

1. Ignorância.

• É muito fácil manipular gente ignorante. Mt 22.29 – “Respondeu-lhes Jesus: Errais, não
conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus”.
• O povo de Deus está pagando um preço alto por ter abandonado a interpretação Bíblica
apenas aos pastores. (Vemos que a palavra do pastor é lei, e a palavra de apostolo?)
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 10

• Veja o lamento do autor de Hebreus: 5.11 – “A esse respeito temos muitas coisas que dizer e
difíceis de explicar, porquanto vos tendes tornado tardios em ouvir.”

2. Culpa.
• Gente com sentimento de culpa faz qualquer coisa para se livrar da culpa. Vai e ouve uma
palavra açucarada e sai satisfeita como se o problema tivesse sido resolvido. Ou então vai e
cumpre com um ritual e acha que está tudo resolvido.
• A Bíblia afirma que para se livrar da culpa é preciso se arrepender e confessar e viver uma
vida nova. Implica em arrancar pedaços. E, quando praticamos algum pecado e por
conseqüência estamos com sentimento de culpa, temos que admitir que, se praticamos o
pecado é porque gostamos de praticar, é porque fizemos a nossa própria vontade. Temos que
entender que ferimos o caráter de Cristo e por isso temos de dar meia volta e abandonar a
prática de pecado.
• A palavra de Cristo é: vai em paz, e não peques mais. Quer ir em paz? Não peques mais!!
Mas, os falsos profetas dizem: quer ter paz sem ter que se arrepender, sem ter que confessar
e abandonar pecado? Venha aqui, e cumpra com um ritual e preencha o cheque. Não precisa
mudar de vida, basta viver uma pratica religiosa.

3. Cobiça.
• Existe uma diferença entre ganância, cobiça e ambição.
- Ambição. É querer mais.
- Ganância. É querer mais só para si mesmo.
- Cobiça. É querer mais só para si mesmo, e este mais é o que é do outro.
• A ambição pode ser saudável. Gente que não tem ambição não anda, não progride. A
ganância é perniciosa. Por que a ganância é nunca estar satisfeito. O ganancioso nunca
focaliza o que tem, sempre tem foco no que não tem. Nunca agradece e sempre está
insatisfeito com o que ainda não conseguiu.
• O que Deus procura? Verdadeiros adoradores!
• Do que os templos estão abarrotados hoje em dia? Gente pidona e gananciosa que não
querem pagar o preço para ter uma vida abençoada. O cara quer que Deus resolva seu
conflito matrimonial sem ter que pagar o preço. Sem ter que pedir perdão e se esforçar para
mudar de vida.
• A cobiça é a pior de todas, é prima irmã da inveja. Sempre que houver um discurso.

4. Desespero.
• Gente desesperada faz qualquer coisa para se livrar do desespero.
• E o discurso que tem por aí é exatamente este. “Você que está desesperado, venha na minha
igreja”!
• Conheci um homem que chamou todo tipo de religioso para orar por sua filha com leucemia.
• Veja o teor, “nesta oração agora todo mal vai sair”, “neste culto você vai ter de volta tudo o que
o diabo levou de você”.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 11

Como lidar com os falsos profetas

Três sugestões dadas pelo Senhor Jesus Cristo em Mateus 7 para se lidar com os falsos profetas.

1. Não confunda julgamento com discernimento. (v.15)
• Nós temos que praticar o discernimento. A nós é proibido o julgamento. Mt 7:1 – “Não julgueis,
para que não sejais julgados”.
• Mas, a partir do verso 15 o Senhor Jesus Cristo nos instrui como praticar o discernimento.
Para isto é que a Palavra de Deus caracteriza os falsos mestres.
• Discernir é identificar e não julgar.

2. Preste atenção nas evidências do ser e não nos resultados do fazer.
(v.16) “Pelos seus frutos os conhecereis”.
Que tipo de fruto (resultado) estamos procurando no cristão? Que tipo de fruto estamos procurando
no crente cheio do Espírito Santo?

3. Avalie uma historia e não apenas um momento.
(v.17) “Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus”.
• Não se impressione com fenômenos, espere para ver os frutos. Estes frutos virão na estação
própria. O fruto não engana. Então de tempo ao tempo. Não se impressione com uma única
experiência, deixe frutificar.

• Hb 13.7 – “Lembrem-se dos seus líderes, que lhes falaram a palavra de Deus. Observem bem
o resultado da vida que tiveram e imitem a sua fé”.
• Não podemos avaliar ninguém por um momento. Se avaliássemos Davi por um momento,
iríamos reprová-lo. Mas ao avaliar sua historia poderemos ter-lo como um grande homem de
Deus. Não podemos avaliar um homem por uma grande virtude de um momento. Temos de
avaliar sua historia.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 12

ESPIRITISMO

• O Espiritismo é uma doutrina baseada na crença da existência de um espírito (alma) que não
necessita do corpo para existir, e retorna a Terra em sucessivas reencarnações, até atingir a
perfeição. O espiritismo considera o homem o único responsável por sua felicidade, pois tudo
depende de seus atos. Prega o amor ao próximo como meio de chegar à maturidade espiritual
(perfeição).

• Afirma que as reencarnações permitem a evolução gradativa do espírito para se redimir de erros
passados e que todas as faltas podem ser reparadas. Como o corpo é apenas um instrumento para
a volta a Terra, quando atinge a perfeição o espírito não precisa mais reencarnar.
• Os espíritos interferem na vida terrena por meio dos médiuns, pessoas a quem recorrem para contar
aos vivos como estão, fazer revelações e dar conselhos. A comunicação acontece pela psicografia
(o médium escreve como se o próprio espírito escrevesse) ou pela incorporação (o espírito apodera-
se do corpo do médium para falar aos vivos). Os espíritos superiores promovem o bem e os
inferiores dão más orientações.
• Os praticantes do espiritismo reúnem-se em centros, que não possuem altares nem rituais.

AS ORIGENS DO ESPIRITISMO

1. NA ANTIGUIDADE.

Já foi dito que o Espiritismo é tão antigo quanto à queda de Satanás, que, sem duvida é o
orientador de todo o sistema. Ele é o pai da mentira e seus agentes demoníacos tentam seduzir a
humanidade (Jesus 8.44; 1Tm 4.1-2).

Desde a antiguidade lemos de praticas Espíritas de magia, adivinhações, necromancia, ocultismo,
astrologia, encantamentos, feitiçarias e bruxarias.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 13

As religiões da índia, pérsia, Babilônia e Egito influenciaram grandemente outras crenças e culturas
como os gregos, cananeus, africanos e, até o Espiritismo moderno. Dentro desta linha antiga de
espiritismo, acreditava-se que forças espirituais e astrais tinham influencia externa que tinham o
poder para provocar desastres naturais, doenças, e até modificar o futuro.

O Hinduísmo da índia tem influenciado muito as religiões com a crença da reencarnação. Diz o
Hinduismo que o espírito do individuo é reencarnado numa pessoa, animal ou vegetal, conforme o
“KARMA” dela (a Karma é a lei mestra do universo onde se acumula méritos ou deméritos. Cada
ato, pensamento, atitude ou aspiração influenciam e determinam o processo de transmigração. As
reencarnações continuarão até que o espírito da pessoa esteja completamente desenvolvido e
identificado com “BRAHMA” o espírito universal supremo, e desta forma absorvida na fonte divina).

Pitágoras (580-500 a.c) um filosofo grego, cria que os astros são deuses e o principal deus é o fogo
no centro da terra. Deste fogo procede a alma. A alma é a responsável pela expiação que se dá por
meio de sucessivas reencarnações.

2. A BÍBLIA SAGRADA.

A lei mosaica condena em termos fortes o espiritismo como todas as atuações de médiuns,
adivinhadores e a comunicações com os mortos. De modo especifico, condenando as abominações
dos moradores de Canaã. O trecho mais forte, e a proibição mais clara se encontra em Dt 18.9-14.

Podemos também ler os seguintes trechos. Ex 22.18; Lv 19.31; Dt 32.16-17; 1Cr 10-13; 2Cr 33-5-6;
Is 8.19-20)

Uma leitura superficial dos Evangelhos nos dará uma nítida visão da operação de demônios nos
tempos de Cristo.

Tanto Paulo como os demais escritores do NT escreveram sobre o espiritismo e revelaram seu
caráter satânico e identificando-o com a idolatria, a impiedade, a impureza, a fornicação...etc (1Co
10.19-22; Gl 5,20; Ef 6.10-12; 1Tm 4.1; 1Jo 4.1-4; Ap 21.8)

3. A IDADE MÉDIA.

Durante o período da “idade média”, conhecido também como a “era das trevas” havia um grande
surto de feitiçaria na Europa. A religião era dominada pelo medo e superstição e as bruxas eram
culpadas pelas pragas de cólera e peste negra que ceifaram multidões, e também pelos fogos que
destruíram Londres e outras cidades. Muitas vezes moças inocentes eram acusadas de serem
bruxas e acabaram afogadas ou queimadas.

O ESPIRITISMO MODERNO

Nos últimos 150 anos tem havido um ressurgimento crescente no Espiritismo em todo o mundo.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 14

1. Os principais pais do movimento Espírita no mundo:

a. Emanuel Swedenborg (1689-1772) um filósofo sueco que teve sessões em que se
“comunicava” com espíritos de outro mundo.
b. Friedrich Anton Mesmer (1733-1815) um medico alemão que cria na existência de um
fluido astral que transmite doenças de um médium ao outro. Ele usava hipnotismo e imposição
de mãos e entrava em coma, êxtase e transe com convulsões, para efetuar “curas”.
c. Andrew Jacson Davis (- 1826) um americano que, quando hipnotizado transmitia
mensagens espíritas.
d. Margaret e Katherine Fox. Duas irmãs de Hydesvile, N.I. que em 1848 (uma com 12 e
outra com 9 anos de idade) começaram seções espíritas em sua casa. Sua fama chegou a se
espalhar pelo mundo inteiro. Mais tarde, já velhas, confessaram que tudo era fraude e
repudiaram o movimento que ajudaram a criar.
e. Hippolyte Léon Denizard Rivail. Um médico francês
que adotou o nome de “Allen Kardec” (nome de um
sacerdote druida) e que edificou as crenças espíritas numa
filosofia chamada de “Cristianismo científico”.
Allan Kardec nasceu na França, no dia 03 de outubro de
1804, de pais católicos. Quando estava próximo dos seus
cinqüenta anos (1854), ouviu falar pela primeira vez do
fenômeno das "mesas girantes", bastante difundido à época,
através do seu amigo Fortier, um magnetizador de longa
data. Sem dar muita atenção ao relato naquele momento, atribuindo-o somente ao chamado
magnetismo animal de que era estudioso, só em maio de 1855 sua curiosidade se volta
efetivamente para as mesas, quando começa a freqüentar reuniões em que tais fenômenos se
produziam. Convencendo-se de que o movimento e as respostas complexas das mesas
deviam-se à intervenção de espíritos, Rivail dedicou-se à estruturação de uma proposta de
compreensão da realidade baseada na necessidade de integração entre os conhecimentos
científico, filosófico e religioso, com o objetivo de lançar sobre o real um olhar amplo e que não
negligenciasse nem o imperativo da investigação empírica na construção do conhecimento,
nem a dimensão espiritual e interior do homem. Deste pensamento e estudo nasceu entao o
Espiritismo.
Ele escreveu muitos livros. Entre eles se destacam as obras que formam a base da Doutrina
Espírita: O Livro dos Médiuns (1861), O Evangelho segundo o Espiritismo (1864), O Céu e o
Inferno (1865), A Gênese (1865). Em 1858, fundou a "Sociedade Parisiense de Estudos
Espíritas", atendendo à necessidade que havia de ampliar o espaço destinado às reuniões de
estudos. Ao mesmo tempo, começou a publicação de um periódico, a "Revista Espírita – Jornal
de Estudos Psicológicos", com o propósito de manter os espíritas informados sobre as
questões doutrinárias. Dentre as suas obras, destaca-se, também, a "Viagem Espírita em
1862".
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 15

Faleceu no dia 31 de março de 1869, vítima do rompimento de um aneurisma.

2. O Espiritismo no Brasil.

a. A data oficial da fundação do Espiritismo no Brasil é 1864. E a data da primeira seção
espírita no Brasil é 07 de setembro 1865.
b. A primeira seção espírita realizada no Brasil ocorreu em Salvador Bahia no dia 17 de
setembro de 1865, sob a direção de Luiz Olímpio de Menezes. Este fundou também no
mesmo ano o primeiro centro espírita com o nome de “Grupo Familiar de Espiritismo”.
c. O Brasil é hoje o maior país espírita Kardecista do mundo. Só no Brasil, distribui-se mais
literatura Espírita do que em todos os outros países do mundo juntos.
Em torno de 50% dos brasileiros praticam o espiritismo de uma forma ou de outra. Tanto
porque o Catolicismo Romano tem muita coisa em comum com o Espiritismo. O brasileiro é
um povo que tem tendência natural para a pratica do Espiritismo.

d. Um dos principais líderes do Espiritismo no Brasil foi o
Francisco Candido Xavier (o Chico Xavier)
Nascido no dia 02 de abril de 1910, em Pedro Leopoldo (MG).
Em 5 de janeiro de 1959 mudou-se para Uberaba, sob a
“orientação dos Benfeitores Espirituais”, iniciando nessa
mesma data, as atividades mediúnicas, em reunião pública da
“Comunhão Espírita Cristã”.
Falecido no dia 30 de junho de 2002, em Uberada, Minas
Gerais.

PRINCIPAIS DIVISÕES DO ESPIRITISMO NO BRASIL

1. Espiritismo Kardecista. Pode ser chamado de espiritismo ortodoxo. Aquele que está filiado a
“Federação Espírita Brasileira”, e para quem Allan Kardec é considerado o “Mestre divino”. Este é o
grupo maior.
2. A Legião da Boa Vontade. O nome completo do fundador é Alziro Elias Davi Abraão Zarur e nasceu
no dia 25 de dezembro de 1914. Ele se considerava a reencarnação de Allan Kardec (Livro, Jesus
– A Saga de Alziro Zarur).
3. Racionalismo Cristão. Fundado em 1910 por José Luiz de Mattos que nasceu em Portugal em 3 de
Janeiro de 1860. É Panteísta e fala de Deus como ”O grande foco, inteligência universal”. Possui
templos suntuosos em várias regiões de São Paulo.
4. Cultura Racional. Fundada por Manoel Jacintho Coelho em 1935, no Rio de Janeiro. Alcançou fana
nacional na década de 70, quando o cantor Tim Maia aderiu o movimento e até agravou dois LPs
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 16

incentivando a doutrina da Cultura Racional, um destes LPs foi o “Tim Maia Racional (1974)” .
Aceitam o “Metempsicose” que é o retorno do Espírito do morto a seres inferiores.
5. Círculo Esotérico da comunhão do Pensamento. Fundado em 1910 por Antonio Olívio Rodrigues. É
uma seita que também ensina a Reencarnação.
6. Ordem Rosacruz. Uma fraternidade que segue uma tradição mística Egípcia. Alega ser originária
do reinado de Amenhotep IV (ou Akhenaton) imperador Egípcio no ano 1353 A.C.
Existem muitas outras seitas que são adeptas da doutrina da Reencarnação, e que poderiam ser
citadas como doutrina Espírita.

DOUTRINAS DO ESPIRITISMO.

Define-se como doutrina espírita o conjunto de princípios básicos, codificados por Allan Kardec, que
constituem o espiritismo.

Veja as doutrinas Bíblicas que o espiritismo nega ou distorce.

1. Negam a inspiração da Bíblia.
“Asseverar que a Bíblia é o livro santo de divino, e que Deus inspirou os escritores a fazerem
conhecida a sua vontade divina, é um grosso ultraje ao publico... livro tão cheio de erros deve ser
lido com bastante cuidado” (Esboço do Espiritismo para Mocidade).
Resposta: A frase “assim diz O Senhor” aparece mais de 2000 vezes somente no VT. O Senhor
Jesus Cristo aceitou o VT como Escritura. Mt 1.22, 5.17). Outros textos para serem examinados
sobre a inspiração divina das Escrituras (1Pe 1.10-12, 25; 2Pe 1.20-21; At 1.16; 3.21; 2Tm 3.16)
2. Nega a eficácia da oração bíblica.
Resposta: 1Tm 2.5; 2Co 1.20. Não existe nenhum ensinamento bíblico sobre a ajuda de espíritos
desencarnados para se ter respostas de nossas orações.
3. Negam a divindade de Jesus Cristo.
Resposta: Jo 1.1,14-15, 32-34; 8.58; 10.30; 14.1,7; Gl 1.1; Lc 22.70;is 9.6; Hb 1.3, 15.8. além
destas referencias, temos também as próprias declarações do Senhor Jesus Cristo sobre a sua
divindade: Mt 26.62-63; Jo 10.30. Temos também a declaração de Tomé: Jo 20.28.
4. Negam a existência do inferno.
Resposta: Lc 16.23-24; 2Pe 2.9; Jd 6-7; Mt 25.41; Dn 12.12; Mc 9.42-48.
5. Negam a existência de Satanás.
Resposta: At 5.3; Ap 12.9; Jo 2.2... Etc
6. Negam a existência dos Anjos.
Resposta: Lc 1.13; Mt 4.6,11; Ex 3.12; At 10.3; Hb 1.6-7.
7. Negam a existência do céu.
Resposta: At 1.11, 3.19-21; Mt 6.9.
8. Negam a salvação por meio de Cristo e apregoam a salvação pelas obras.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 17

Resposta: Rm 4.6; Ef 2.8-9; Tt 3.5
9. Negam a doutrina Bíblica do Além-Túmulo.
Resposta: O espiritismo ensina que depois da morte existem sete esferas de existência espiritual;
que os ímpios vão para a esfera mais baixa, aonde os mesmos irão se purificando até chegar a
esfera dos espíritos purificados, sendo este processo efetuado através da reencarnação. No
entanto, devemos notar o seguinte:

• Quando um crente morre, ele vai imediatamente morar com o Senhor: 2Co 5.8-10; Fp 1.23;
Lc 23.43.
• Ao homem está ordenado morrer uma única vez, vindo após isto o juízo de Deus. Hb 9.27
• A Regeneração se dá de uma vez, pela graça mediante a fé, e não por meio de um
processo. Jo 3.3-7
10. Negam a Doutrina do Espírito Santo.
O espiritismo ensina que, “outro consolador” não nada mais do que o Espírito de um querido que
volta a terra a fim de confortar os entristecidos.
Resposta: Jo 14.16-18; 16.7-14; 1Co 2.10-11.

CONCLUSÃO

O espiritismo é um sistema religioso baseado na mentira e inspirado pelo pai da mentira, o diabo. O
espiritismo adultera a verdade, destrói a alma e é hoje a principal causa de loucura no Brasil; pior ainda,
o espiritismo blasfema vergonhosamente contra o caráter, a pessoa e a obra redentora de nosso
Senhor Jesus Cristo. Diz o espírita: “o pecado só pode ser remediado por expiação e reparação
pessoal através do sofrimento e vergonha e não por quaisquer apelos covardes a misericórdia...”,
entanto, a Palavra de Deus afirma que ninguém pode ser salvo a não ser por Jesus Cristo (Hb 9.22; At
4.12; Hb 7.27; 9.36).
O espiritismo, portanto está em plena contradição com a Palavra de Deus, atacando-a justamente nos
pontos mais fundamentais.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 18

ADVENTISMO DO SÉTIMO DIA

Esta é uma seita às vezes chamada de evangélica, que teve seu começo em um ato de desobediência
especificamente proibida nas escrituras, que foi marcar a data da volta de Cristo (Mt 24.36, 42-44;
25.13; At 1.7)

A HISTÓRIA DO ADVENTISMO DO SÉTIMO DIA

1. O fundador do Adventismo foi Guilherme Miller (ou William Miller) (1782-1849) um fazendeiro dos
EUA. O seu erro inicial foi à presunção, tomou Dn 8.14 como base para calcular o dia da volta de
Jesus Cristo, a data caiu para o dia 22 de outubro de 1843, calculando que cada um dos 2.300 dias
da profecia de Daniel representava um ano, Miller tomou o regresso de Esdras do cativeiro no ano
457 a.C como ponto de partida para o calculo de que Cristo voltaria a terra na sua data
estabelecida.
Grande foi o impacto causado por esta revelação de Miller, que muitos crentes, vindos de diferentes
igrejas, doaram suas propriedades, abandonaram os seus afazeres, e se preparam para receber o
Senhor no dia marcado. Mas, o dia marcado chegou e Cristo não veio! Revisando seu calculo,
Miller concluiu que havia errado por um ano e remarcou a data para um ano mais tarde, 21 de
março 1844, e, novamente, Cristo não veio! Após o vexame, Miller reconheceu o seu erro,
confessando que houve falha na sua interpretação bíblica.

2. Apesar de Miller ter admitido seu erro e abandonado suas idéias, nem todos os seus seguidores
estavam dispostos a abandonar a idéia iniciada por ele. Um novo grupo surgiu da continuação da
revelação de Miller. Hiram Edson, um fervoroso discípulo e amigo de Miller afirmou que este não se
equivocara quanto à data da volta de Cristo, mas se equivocara quanto ao lugar em que Ele
voltaria, e, afirmou então que Cristo havia de fato voltado no dia marcado por Miller, mas que Cristo
havia entrado no santuário celestial, não no terreal, para fazer uma obra de purificação ali. Miller
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 19

não aceitou essa interpretação e decidiu não seguir o novo movimento. Miller faleceu no dia 20 de
setembro de 1849, com 68 anos.

3. Dos grupos que apoiaram Hiram Edson, dois deles contribuíram substancialmente para a formação
da seita conhecida como Adventistas do Sétimo dia.
a. O primeiro grupo era dirigido por Joseph Bates, que observava o sábado em vez do
domingo.
b. O segundo grupo dava grande ênfase nos dons espirituais, especialmente no dom da
profecia. Neste grupo estava à senhora Helen White, que mais tarde diz ter o dom da
profecia.
Cada um dos grupos deu a sua contribuição para a formação da nova igreja.
4. Helen White, uma mulher neurastênica e emocional, porem talentosa, que se tornou a profetiza e
papisa dos sabatistas. Ela dizia receber revelações para a vinda de Cristo para 1847, 1850, 1852,
1854, 1855, 1863, 1866, 1868, 1877... etc. Cristo obviamente não veio nas datas marcadas pela
senhor White, daí podemos julgar o valor de suas revelações em que está baseado sabatismo.

5. Os adventistas procuram negar de várias formas sua origem com Miller e Helen White, seja pelas
decepções que tiveram ou pelos enganos que estes causaram. No entanto, se contradizem porque
em certos escritos negam vinculo com Miller, e em outros (como no livro “Fundadores da
mensagem”) Miller é tratado como o “pai do movimento Adventista”.
Helen White é muito respeitada como profetiza. Escreveu muito durante seus 88 anos, e sua
autoridade é inquestionável segundo a “Revista Adventista” de fevereiro de 1984, p.37:
a. Cremos que: Ellen White foi inspirada pelo Espírito Santo, e seus escritos, o produto desta
inspiração e autoridade especial para os adventistas do sétimo dia.
b. Negamos que: a qualidade ou grau de inspiração dos escritos de Ellen White sejam
diferentes dos encontrados nas Escrituras Sagradas.
c. Sem quaisquer constrangimentos afirmam: ao passo que, apesar de nós desprezarmos o
pensamento dos pioneiros, nós aceitamos como regra de fé a revelação, Velho e Novo
Testamento e Espírito de profecia (“a sacudidura e os 144.000” p.117). Segundo Ellen
White é vedado a todos o direito de examinar e duvidar de sua profecias. Ela afirmou no
livro “primeiros Escritos”: disse o anjo assistente – ai de quem mover um bloco ou mexer
um alfinete dessas mensagens (Primeiros escritos Ellen Gould White. CPB publicadora
Brasileira, 1967. p.258).

AS DOUTRINAS DO ADVENTISMO DO SÉTIMO DIA

1. A vinda de Cristo para o santuário.
• Quando Cristo não apareceu conforme a sua visão, Ellen White passou a ensinar que o
santuário de fala Dn 8.14 está de fato no céu, e que Cristo já veio a este santuário celeste onde
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 20

está examinando os pecados do seu povo. Ao terminar sua investigação lançará todos estes
pecados sobre satanás e este agora, como bode emissário, os levará para a aniquilação.
• A blasfêmia desta doutrina, veremos a seguir quando estudarmos sobre o “bode emissário”. Por
enquanto basta lembrar que Hb 8.1 nos ensina que Cristo, como sacerdote, já está assentado
nos céus, e isto, desde a sua ascensão. (Hb 1.3; 6.19-20; 9.23-28).

2. O bode emissário.
• Esta é a doutrina da Expiação dos Adventistas. Em Lv 16.5-10, 20-22 lemos que no dia da
expiação os israelitas tomavam dois bodes, e depois de lançarem sorte sobre eles, um era
sacrificado para a expiação do pecado do povo, e o outro era enviado ao deserto como o “bode
emissário”.

• Entendem os Adventistas que o bode sacrificado representa Cristo e que o bode emissário
representa Satanás.

• Resposta:
O Espírito Santo não empregaria como tipologia de Satanás um animal tido como limpo. Muito
pior é a idéia de Satanás levar sobre si os pecados dos salvos, sendo assim o co-salvador de
Jesus. Os v.5 e 10 de Lv 16 dizem claramente que os dois bodes seriam tomados para “fazer a
expiação”; no entanto, satanás não pode expiar os pecados de ninguém perante um Deus justo.
Os dois bodes de fato tipificam duas fases da expiação de Cristo.
1) A expiação pela sua morte.
2) A remoção do pecado pelo perdão de Deus.

• Esta doutrina é uma grande blasfêmia e afronta contra o sacrifício que cristo realizou na cruz do
calvário. A bíblia é clara que foi o Senhor Jesus Cristo que levou nossos pecados sobre si. (Is
53:4, Gl 3:13, 1Pe 2:24).
• A outra heresia nesta doutrina é que satanás será finalmente aniquilado, enquanto que Ap 20.10
ensina que satanás com os seus serão lançados no lago de fogo, e onde serão atormentados
para todo sempre. O castigo não terá fim.

3. A doutrina do "sono da alma".
Diz o adventismo: "o estado que a morte é um estado de silêncio, inatividade e existência
inconsciente". no livro "Sutileza do Erro", página 217 CPB lemos: O que o homem possui é o fôlego
da vida (o que dá animação ao corpo) que lhe é retirado por Deus quando este expira. E o fôlego é
reintegrado ao ar, por Deus. Mas não é entidade consciente ou homem real como querem os
imortalistas.

Resposta:
• Hb 12.22-23. Será que estes "espíritos dos justos aperfeiçoados" estejam dormindo,
inconscientes?

• Fp 1.23-24; 2Co 5.1-8. Será que Paulo estava ansioso para ficar inconsciente?
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 21

• Lc 23.43. O ladrão penitente caiu no sono espiritual, ou foi, como Jesus prometera, para o
paraíso?

• A Bíblia ao falar da morte como sono, sempre trata do corpo e nunca do Espírito. (Jo 11.39;
5.28-29; At 11.39; 2.34)

• Será que o rico ficou inconsciente no inferno? (Lc 16.23-24)
• O trecho empregado pelos adventistas para esta doutrina se encontra em Ec 9.4, 5, 10. O
ponto de vista deste livro se acha nas palavras "debaixo do sol". Portanto, Salomão está
falando das atividades físicas do homem e não de seu espírito. Quando o homem morre,
cessam todas suas atividades relacionadas ao seu corpo físico.

4. A doutrina da "aniquilação dos ímpios".
• Como esta doutrina desaparece as penas eternas. Assim, Satanás fica satisfeito e a cruz do
Calvário se torna uma caricatura e um escárnio. Se os ímpios irão ser aniquilados, como pode
ser dada a cada um a recompensa segundo as suas obras? (Rm 2.6-9; Ap 20.11-13)
• Crer na aniquilação dos ímpios é discordar com Jesus que cria plenamente no sofrimento
eterno. (Mt 25.41-46; Mc 9.44-48). E também discorda com Paulo (2Ts 1.8-9) e com João (Ap
14.10-11; 20.10) com Daniel (Dn 12.2).

• A alma do homem é imortal e não desaparece como um fôlego como ensinam os adventistas.
Jesus disse: "Não temeis os que matam o corpo e não podem matar a alma" (Mt 10.28), se não
podemos matar a alma, logo ela é imortal.

5. A aniquilação de Satanás e dos maus:
• Os adventistas ensinam que Satanás seus demônios, e todos os maus serão aniquilados,
completamente destruídos. A Senhora White diz que a teoria do castigo eterno é "uma das
doutrinas falsas que constituem o vinho das abominações da Babilônia".

• Jesus Cristo usou a mesma palavra para referir-se à duração das bênçãos dos salvos e os
tormentos Eternos dos perdidos em Mt 25.46. Além disso, ele não disse aniquilação eterna, mas
castigo eterno.

• Veja Também Mc 9.43,44. Em Ap 14.10,11, vemos que os adoradores do Anticristo serão
atormentados "e o fumo de seu tormento sobe pelos séculos dos séculos". Isto não parece com
aniquilação. Confira ainda: Ap 19.20; 20.2,7,10,15 etc.

6. A guarda do sétimo dia.

• Ellen Whit escreveu em seu livro "O conflito dos Séculos": O sábado será a pedra de toque da
lealdade: pois é o ponto da verdade especialmente controvertido. Quando sobrevier aos
homens a prova final, traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não O
servem. (p.611, Ellen Goud Whit. CPB.1971).

• Os Sabatistas pregam que aquele que não guardar o sábado não pode salvar-se, e que o "sinal
da besta" está o mesmo. Afirmam que foi o imperador Romano Constantino que decretou a
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 22

mudança em todo o império. Chegam até indicar o concílio de Laodiceia (364) como o lugar e
data em que ocorreu a mudança do sábado para o domingo.

Resposta:

• Como é que poderia ser o imperador Constantino o responsável pela adoração feita aos
domingos se muito antes dele nascer à adoração já era realizada aos domingos? por exemplo:
Inácio (100 D.C), Barnabé (120 D.C), Justino o mártir (140 D.C), Clemente de Alexandria (190
D.C) e muitos outros pais da igreja que escreveram sobre a adoração feita no domingo. O
imperador Constantino apenas deu sanção e autoridade a um costume cristão já existente
desde os dias dos apóstolos.

• Não é possível, devido ao fuso horário, todas as nações guardarem juntas ao mesmo tempo, o
mesmo sábado do Judeu.

• Um argumento contra a guarda do sábado como lei imutável se encontra em Mt 12.1-8, quando
davi e os sacerdotes volaram o sábado e ficaram sem culpa. Pergunta-se então, teria o Senhor
Jesus a mesma opinião sobre outra lei do decálogo, como "nao matarás" ou "não adulterarás"?
O ponto de vista é bem claro também em Cl 2.16-17.

• O Sábado foi abolido: A palavra profética previa a chegada do Novo Concerto (Jr 31.31-33) e o
fim do Sábado (Os 2.11), que se cumpriu em Jesus (Cl 2.14-17). Por essa razão, o Sábado não
aparece nos quatro preceitos de Atos 15.20,29. O texto de Colossenses 2.16,17 deita por terra
todas as teses dos adventistas. Paulo parece que está escrevendo aos adventistas quando
escreve aos Gálatas e trata de livrá-los dos enganos dos judaizantes que queriam fazê-los
guardar a lei. O livro inteiro ressalta que a salvação não é pelas obras da lei, mas pela fé em
Cristo. Faz menção da observância de certos dias como uma parte da escravidão da lei (Gl 4.3-
11)./ Cristo é o fim da lei ( Rm 6.14; 10.4).
• Sobre o uso do domingo para a adoração e descanso.

 Não temos no NT um dia estabelecido para adoração e descanso. (Rm 1.5; Cl 2.16).
 A Ressurreição de Cristo foi num domingo. (Mc 16.9-13; Lc 24.1-6)
 Cristo aparece cinco vezes aos discípulos no domingo. (Jo 20.19,26; Mt 28.1,8,10; Lc
24.13-15; Mc 16.9-13; Jo 20.1,11-18)
 O Evangelho de Cristo foi anunciado pela primeira vez num domingo. (Lc 24.34)
 Foi num domingo que desceu o Espírito Santo. (At 2.1-2)
 Os Cristãos primitivos se reuniam no primeiro dia da semana. (At 20.7; 1Co 16.2)

7. A guarda da lei.
Não convém discutir com os adeptos do Adventismo (2Tm 2.16) basta mostrar que:
 Findou-se a dispensação da lei em Cristo. (Jo 1.17, Rm 10.4; Gl 3.10-29)

 O crente está debaixo da lei de Cristo. (Gl 5.16-18; Rm 6.4,15; 7.4-6... Etc.)
 Contra as proibições de certas comidas. (Mt 15.11-20; Lc 10.8; Rm 14.1-4,13-23; 1Co 25-
31; 1Tm 4.1-6; Tt 1.5; Mt 11.19).
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 23

PORQUE O ADVENTISMO DO SÉTIMO DIA É UMA SEITA?

O Adeventismo do Sétimo dia não é chamado de seita por alguns por acreditar que existam pessoas
salvas no meio deles. Mas, porque é considerado uma seita?
Já aprendemos que existem características gerais que marcam uma seita, podemos então avaliar se a
doutrina e prática dos Adventistas são marcadas por estas características.

Podemos também avaliar as doutrinas e prática dos Adventistas sob a orientação das quatro
operações fundamentais da aritmética.

Adição – A IASD dão aos escritos de Ellen White a mesma autoridade dos Escritos Bíblicos.

Subtração – Subtraem da pessoa de Jesus Cristo a sua natureza humana imaculada, ensinando que
Ele tem natureza pecaminosa e o declaram, com relação á sua natureza divina, a posição rebaixada do
Arcanjo Miguel.

Multiplicação. Afirmam crer na obra da Redenção efetuada por Cristo, mas a declaram incompleta e
ensinam que a guarda do sábado implica também na salvação. E que os benefícios da obra de Cristo
somente serão imputados caso estejamos vivendo em harmonia com a lei.

Divisão – Afirmam que a IASD é o remanescente fiel de Deus.

CONCLUSÃO

Vemos que o Adeventismo do Sétimo dia é um sistema de legalismo baseado em primeiro lugar no erro
de um fazendeiro inculto (que mais tarde confessou seu erro) e nas obras de uma mulher neurastênica
e doentia.
O Adventismo diz: “faça isto e viva”, mas a Bíblia nos ensina que “o homem é justificado pela fé sem as
obras da lei” (Rm 3.28). No trecho da carta de Paulo aos Romanos (3.21-31) aprendemos que a justiça
é um dom de Deus, dado inteiramente gratuito pela redenção que há em Cristo Jesus. Jamais
poderemos acrescentar coisa alguma para “completar” esta justificação.

Alguns versículos importantes para se lidar com um adventista. (Gl 5.18; 2Co 3.14; Hb 8.7-13; Cl 2.16-
23; Rm 13.8-10)
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 24

AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

INTRODUÇÃO

Eles sempre batem à nossa porta nas piores horas possíveis - quando você ainda está deitado numa
manhã de sábado, quando a família acabou de assentar-se para o almoço de domingo, quando você
está dando banho no bebê - e continuam voltando com uma persistência comparável apenas à de uma
mosca faminta em um dia quente de verão. Se você as recebe, elas o deixam frustrado e confuso.
Manipulam suas Bíblias com surpreendente velocidade citando capítulo e versículo para "provar" que
Jesus Cristo é apenas um anjo, e que morreu em uma estaca e não numa cruz, que a aceitação de
uma transfusão de sangue é um ato tão pecaminoso quanto o adultério, e que a Sociedade Torre de
Vigia no Brooklyn, em Nova York, é o "profeta de Deus dos tempos modernos", seu, "canal de
comunicação".

Por que continuam insistindo? Por uma razão, acreditam que você será destruído na iminente batalha
do Armagedom, a menos que "venha para a organização de Jeová, para a salvação" (A Sentinela,
edição norte-americana, 15/11/81, p. 21). Eles estão tentando salvar sua vida. Além disso, a motivação
que os impele é a convicção de que não sobreviverão ao Armagedom a menos que se empenhem
nesse trabalho de pregação de porta em porta sob a direção da "organização de Deus".
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 25

A maior parte das Testemunhas de Jeová está, com toda a sinceridade, fazendo o melhor que pode
para servir a Deus. São como os judeus incrédulos a respeito de quem Paulo escreveu: "... de que têm
zelo por Deus, mas não com entendimento. Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e
procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à justiça de Deus" (Rom.10:2,3).

HISTÓRIA

O fundador da seita que conhecemos hoje como Testemunhas de
Jeová, foi Charles Taze Russel.

Russel nasceu em 1852, e teve ensinamento religioso em uma
Igreja Congregacional. Russel, porém, ainda bem jovem, rejeitou a
doutrina do castigo eterno, e talvez por esse motivo sentiu-se atraído
pelas doutrinas adventistas. Russel mais tarde também abandonou
o adventismo, e em 1870 fundou uma classe de estudos bíblicos,
em Pittsburgh, Pensilvânia, EUA, da qual, em 1876, elegeu-se
"pastor".

Russel foi um grande comerciante e usou todas as suas habilidades financeiras para levantar fundos
para a propagação de sua doutrina. Usando muitas vezes de métodos suspeitos e em outras vezes
mesmo de negócios abertamente fraudulento. Por exemplo, vendia um “trigo milagroso” a sessenta
vezes a mais do seu real valor. Tinha também o seu “feijão do milênio” e uma “semente maravilhosa”
de algodão e mesmo um remédio para apêndice e uma cura para câncer, e que as vendia apenas para
os que estavam “na verdade”. Russel de divorciou a pedido de sua esposa que o acusou de conduta
imprópria com outras mulheres. Vemos, portanto o caráter do fundador da Sociedade da Torre de Vigia.

Russel passou a fazer discípulos e a publicar, em julho de 1879, uma revista chamada A Torre de Vigia
de Sião e Arauto da Presença de Cristo, com uma tiragem de 6.000 exemplares. Em 1884, Russel
registrou a organização Zion´s Watch Tower Tract Society, que em 1886 publicou o primeiro de uma
série de livros, cujo autor dos primeiros seis foi o próprio Russel.

Os livros de Russel são postos acima da Bíblia. Hoje em dia não é muito diferente, pois as
Testemunhas de Jeová (todas elas) lêem A Sentinela, e Despertai! E aqueles que não fazem parte da
Organização de Deus, segundo ela própria, serão destruídos. Esta é uma característica típica de seita
exclusivista. Neste contexto, surgiu o mito de 1914.

A CRONOLOGIA

Sociedade Torre de Vigia reivindica ser o canal exclusivo de informação entre Deus e a humanidade.
Eles fundamentam esta reivindicação em uma cronologia complicada, inventada pelo adventista N.H.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 26

Barbour em 1875. O fundador das Testemunhas de Jeová, Charles Taze Russell, obteve muitas das
idéias de Barbour, e outros que especularam sobre profecias da Bíblia. Em 1884, Russell fundou a
Sociedade Torre de Vigia que se tornou a corporação legal usada pelos Estudantes Internacionais da
Bíblia, o nome anterior das Testemunhas de Jeová.
A cronologia afirmava que Jesus tinha invisivelmente voltado a terra em 1874 para preparar o reino
dele, e que em 1914, ao término do "Tempos dos Gentios", o senhor Jesus viria julgar a terra e
aniquilar o mal.

Quando nada de sobrenatural aconteceu em 1914, a Sociedade Torre de Vigia começou a transferir
todas as doutrinas de 1874 para o ano de 1914. Eles explicaram que o reino de Cristo tinha sido
estabelecido invisivelmente em 1914, e que embora os governos seculares ainda estivessem de pé,
suas regras não eram mais válidas. Baseado nos escritos da Sociedade, as Testemunhas de Jeová
olhavam adiante para os eventos momentosos no ano de 1918.
Quando nada de sobrenatural aconteceu em 1918, a Sociedade esperou por eventos momentosos em
1925. Quando nada de sobrenatural aconteceu em 1925, a Sociedade perdeu três quartos de seus
membros.

Russell estava seguro de ser o "Servo Fiel" e Sábio de Mateus 24:45-47, mas próximo a 1928, a
Sociedade aplicou isso a seus líderes. Eles ensinaram que a escritura era uma profecia, e que em 1918
eles tinham sido escolhidos por Jesus "acima de todas as "cabeças". Desde que eles acreditaram que
Jesus estava regendo o mundo invisivelmente, eles reivindicaram para si, a posição do canal de
comunicação entre Deus e o gênero humano.

A Sociedade conferiu suas predições e explicou que todas as profecias em Mateus 24 e 25
aconteceriam dentro de uma "única geração" (Mateus 24:34), assim o tempo do " fim do mundo"
(Mateus 24:3) poderia demorar de 30 a 40 anos. Em 1929, a Sociedade construiu uma mansão ("Beth
Sarim") para abrigar os profetas ressuscitados que eram esperados para breve. A nova definição de
"geração" prometeu eventos momentosos para a década de 1940.

Quando nada de sobrenatural aconteceu próximo a 1945, a Sociedade estendeu o significado de
"geração" para 80 anos (o período máximo de vida típico de um Homem, como explicado em Salmos
90:10). "Beth Sarim" foi eventualmente vendida.

Embora 1914 mais 80 resultem em 1994, em 1966 a Sociedade Torre de Vigia decidiu que o ano de
1975 era "significante", porque eles tinham calculado que marcaria o fim de seis mil anos da criação de
Adão e Eva. Publicações da Sociedade indicaram fortemente que "o fim" entraria porta adentro em
1975. Quando nada de sobrenatural aconteceu em 1975, a Sociedade Torre de Vigia perdeu muitos
membros. Eles explicaram que o tempo entre a criação de Adão e criação de Eva era desconhecido,
assim, a data de 1975, era apenas especulativa.

Em 1980, a Sociedade sugeriu que as Testemunhas e o pessoal das publicações tinham sido por
demais entusiásticos sobre a "possibilidade" do Armagedon em 1975. Isto não atraiu de volta os
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 27

milhares que tinham saído, mas a habitual pregação de porta em porta restabeleceu o rápido
crescimento que as Testemunhas tinham desfrutado com a impactante profecia de 1975.
Quando o ano de 1994 chegou (1914 mais 80 anos), nada de sobrenatural aconteceu. A Sociedade
não tinha dado uma significação Especial para 1994, mas o assunto da "geração" estava ficando
desconfortável. Os membros especiais da Sociedade (os 144.000 que foram ungidos, baseado em uma
interpretação de Revelação) estavam desaparecendo. A reivindicação de que Jesus havia designado a
Sociedade Torre de Vigia como servo especial em 1918, estava ficando difícil de defender.

Em 1995, A Sociedade Torre de Vigia decidiu que "geração" não significava uma geração física (i.e. 80
anos), mas significava "idade", como em "era". Isto estendeu o "tempo do fim" indefinidamente. Ainda
quando o último dos membros especiais dos 144.000 desaparecer, a Sociedade terá que ser dirigida
por membros regulares.

AS CRENÇAS DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

(Estraído do livro As Testemunhas de Jeová refutadas versículo por versículo/ David A. Reed; trad. de
Marcelus Virgílius Oliveira e Valéria Oliveira. - 2. ed. Rio de janeiro. JUERP, 1990)

1. Armagedom: Deus vai em breve travar guerra contra a humanidade, destruindo todos sobre a
terra, exceto as testemunhas de Jeová. As igrejas cristãs, dizem, serão as primeiras a sofrer
destruição.

2. Aniversários: Celebrar o dia do nascimento, de qualquer forma, é expressamente proibido. Até
mesmo enviar um cartão de aniversário pode provocar uma ação imediata contra o ofensor
determinada por um "Comitê Judicial" oficial. A punição é a "desassociação" (veja abaixo).

3. Transfusão de sangue: Na prática, do ponto de vista das testemunhas de Jeová, aceitar
transfusão de sangue é um pecado mais sério do que o roubo ou o adultério. Ladrões e adúlteros
são mais rapidamente perdoados pelos comitês judiciais da Torre de Vigia do que aqueles
culpados de aceitar sangue. Uma testemunha de Jeová deve recusar sangue em toda e
qualquer circunstância, mesmo quando esteja certa de que esta recusa resultará na morte. A
organização também requer que os adultos recusem transfusões para seus filhos menores.

4. Cristianismo: Exceto por poucos e esparsos indivíduos que mantiveram a fé, o verdadeiro
cristianismo desapareceu da terra logo após a morte dos doze apóstolos - de acordo com as
testemunhas de Jeová. E não foi restaurado até que Charles Taze Russell fundou a sociedade
Torre de Vigia no final da década de 1870. Quando Cristo voltou invisivelmente em 1914, encontrou
o grupo de Russell fazendo o trabalho dos "servos sábios e fiéis" (Mat. 24:45) e os nomeou sobre
todas as suas posses. Todas as outras igrejas e cristãos professos são, na verdade, instrumentos
do diabo.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 28

5. A Volta de Cristo: 0 Senhor voltou invisivelmente no ano de 1914 e tem estado presente desde
então, governando como Rei através da Sociedade Torre de Vigia. Referências à segunda "volta"
são traduzidas como "presença" na Bíblia das Testemunhas de Jeová. A geração daqueles que
testemunharam a volta invisível de Cristo em 1914 não vai morrer antes que venha o Armagedom
(veja Mat. 24:34).

6. Cronologia: As testemunhas de Jeová acreditam que Deus tem um preciso cronograma para todos
os acontecimentos passados e futuros, que estão unidos por simples fórmula matemática e são
revelados à humanidade através da Sociedade Torre de Vigia. Os sete "dias" da criação em
Gênesis tiveram a extensão de sete mil anos cada um, totalizando uma semana de quarenta e nove
mil anos. Deus criou Adão no ano 4026 a.C. A criação de Eva pouco tempo depois marcou o fim do
sexto dia da criação e o início do sétimo. Dessa forma, nós estamos agora aproximadamente no
ano seis mil de um período de sete mil anos - o que significa que o Armagedom logo colocará um
fim no governo humano que durou seis mil anos, abrindo o caminho para uma espécie de sábado -
um período de mil anos de reinado de Cristo. Baseados nessa cronologia a organização das
Testemunhas de Jeová promulgou um número de profecias específicas do final dos tempos.

7. Cruz: Segundo as testemunhas de Jeová, a cruz é um símbolo religioso pagão adotado pela igreja
quando Satanás, o demônio, assumiu o controle da autoridade eclesiástica. A cruz não teve nada a
ver com a morte de Jesus, já que as testemunhas de Jeová sustentam que ele foi pregado em um
poste ereto e sem trave horizontal. As testemunhas de Jeová abominam a cruz e espera-se que os
novos convertidos destruam quaisquer cruzes que possam ter, ao invés de simplesmente se
disporem delas.

8. Deidade: Somente o Pai é Deus, e seus verdadeiros adoradores devem chamá-lo pelo nome de
Jeová. As testemunhas de Jeová aprendem que Jesus Cristo foi meramente a manifestação do
arcanjo Miguel em forma humana - não Deus, mas um mero ser criado. O Espírito Santo é
apresentado não como Deus nem como uma pessoa, mas como uma "força ativa".

9. Dissociação: Esta é a punição para qualquer infração aos regulamentos da Sociedade Torre de
Vigia. Ela consiste num decreto público, anunciado em audiência em um Salão do Reino e
proibindo toda associação ou comunhão com o ofensor. As outras testemunhas de Jeová são
proibidas até mesmo de cumprimentá-lo caso se encontrem com o ofensor na rua. As únicas
exceções dizem respeito aos membros da família do ofensor. Eles podem conduzir "negócios
necessários" com a pessoa desassociada, e aos anciãos que podem falar com ela, caso esta os
aborde penitentemente em busca de reconciliação.

10. Céu: Apenas 144 mil indivíduos vão para o céu. Esse "pequeno rebanho" começou com os doze
apóstolos, o número foi completado no ano de 1935. Aproximadamente nove mil anciãos das
Testemunhas de Jeová são o remanescente na terra hoje, dos que irão para o céu. O restante das
testemunhas de Jeová espera viver na terra para sempre.

11. Inferno: Segundo a diretriz de seu fundador, Charles T. Russell, a Sociedade Torre de Vigia ainda
ensina que o hades é meramente a sepultura, que o fogo do Geena desintegra instantaneamente
suas vítimas, transformando-as em nada, e que não há existência consciente para os mortos até o
tempo de sua ressurreição corpórea.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 29

12. Dias Santos: A celebração de qualquer "dia santo mundano" é expressamente proibida para as
testemunhas de Jeová. Essa proibição se aplica aos dias patrióticos, Dia dos Namorados, Dia dos
Mortos, Natal, Páscoa, Ano-Novo, Dia de Ação de Graças, Sexta Feira Santa e assim por diante -
até mesmo o Dia das Mães e o Dia dos Pais são proibidos! Mesmo que uma "origem pagã" não
possa ser descoberta como base para banir a observância de certa data comemorativa, o simples
fato de que as "pessoas do mundo" celebram essas datas é razão suficiente para que as
testemunhas de Jeová não as celebrem.

13. Espírito Santo: O Espírito Santo não é nem Deus nem uma pessoa, segundo os ensinamentos da
Torre de Vigia. É simplesmente uma "força atuante" impessoal que Deus usa para fazer a sua
vontade.

14. Esperança: As testemunhas de Jeová acreditam que Deus parou de chamar cristãos para a
esperança celestial em 1935. Desde então, ele tem oferecido às pessoas a oportunidade de viver
eternamente na terra. ("Milhões que agora vivem jamais morrerão" - é um slogan familiar das
testemunhas de Jeová.) Deus vai destruir todas as outras pessoas no planeta, deixando apenas as
testemunhas de Jeová, e ele vai restaurar o paraíso do Jardim do Éden em todo o mundo.

15. Jesus Cristo: Na teologia da Torre de Vigia, Jesus Cristo é um mero anjo - o primeiro criado por
Deus, quando começou a criar os anjos. As testemunhas de Jeová identificam Cristo como Miguel,
o arcanjo, embora elas chamem Jesus "o Filho do Homem" - "porque a primeira pessoa espiritual
criada por Deus era para ele como um filho primogênito". (Livrete da Torre de Vigia, Enjoy Life on
Earth Forever! [Goze a Vida na Terra Para Sempre!], p. 14, 1982). Elas também o chamam de "o
deus", e traduzem João 1:1 de acordo com essa idéia em suas Bíblias.

16. A Organização: As testemunhas de Jeová acreditam que Deus estabeleceu a sociedade Torre de
Vigia como seu canal de comunicação para reunir aqueles, dentre toda a humanidade, que serão
salvos. Como agência visível do reino de Deus na terra, essa organização exerce plena autoridade
governamental sobre seus seguidores - ela promulga leis, julga os violadores, dirige as escolas do
reino e assim por diante - paralelamente ao governo secular. Se existir qualquer conflito entre a
organização e o governo secular, é a organização que deve ser obedecida. (Na mente das
testemunhas de Jeová, "Importa antes obedecer a Deus que aos homens" At.5:29.)

17. Ressurreição: A respeito de Cristo, as testemunhas de Jeová acreditam que ele se tornou não
existentes quando morreu, e que foram levantados três dias depois como um "espírito" - um anjo.
Elas negam a sua ressurreição carnal. Segundo seus ensinamentos de que Cristo retornou
invisivelmente em 1914, as testemunhas de Jeová acreditam que ele levantou os cristãos já mortos
para a vida espiritual logo após, e que o resto dos mortos vai ressuscitar corporeamente durante o
milênio - período de mil anos de reinado de Deus.

18. Salvação: Embora da boca para fora elas preguem a salvação pela fé em Cristo, as testemunhas
de Jeová, na verdade, acredita que a salvação é impossível de ser conseguida sem a completa
obediência à Sociedade Torre de Vigia e a participação vigorosa em seus programas de trabalho.
Cada testemunha de Jeová que não é suficientemente zelosa pela organização pode não
sobreviver ao Armagedom, e aqueles que não abrem seu próprio caminho para o paraíso terrestre
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 30

devem manter as boas obras durante todo o reinado milenar de Cristo antes que sejam selados
para a vida.

A VERSÃO NOVO MUNDO DAS ESCRITURAS SAGRADAS

O apóstolo Pedro disse a respeito das cartas inspiradas de Paulo que "nas quais há pontos difíceis de
entender, que os incultos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras..."
(2Pe 3:16). Freqüentemente, tal torcer das Escrituras é limitado à sua interpretação e isso foi feito pela
Sociedade Torre de Vigia por três quartos de século. E, na década de 50, os líderes da Torre de Vigia
foram além da interpretação, produzindo sua própria versão da Bíblia, com centenas de versos
modificados para se ajustarem às doutrinas da Torre de Vigia. E a sua Tradução do Novo Mundo das
Escrituras Sagradas continua a ser modificada com o passar dos anos, com as mudanças feitas para
trazer a palavra de Deus a uma conformidade maior com o que a organização ensina. Por exemplo:

1. Ao invés de "cruz", a Tradução do Novo Mundo usa a expressão "estaca de tortura" - para apoiar o
ensinamento das testemunhas de Jeová de que Jesus foi pregado em um poste ereto sem trave
horizontal.

2. Como não crêem que alguém possa morrer e ir para o céu, então traduziram o texto de Lc 23:43
(onde o Senhor Jesus Cristo disse: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” -
ERA) E ele lhe disse: “Deveras, eu te digo hoje: Estarás comigo no Paraíso.”

3. Ao invés de "Espírito Santo", nós achamos referências ao "espírito santo" ou "força ativa",
reforçando a negação da deidade e personalidade do Espírito Santo feita pelas testemunhas de
Jeová.

4. Cristo fala não da sua segunda volta, mas de sua "presença" (que as testemunhas de Jeová
acreditam ser invisível).

5. A Tradução do Novo Mundo sistematicamente se dispõe a eliminar a evidência da divindade de
Cristo. Ao invés de "cair aos pés de Jesus para adorá-lo" as pessoas faziam "reverência" a ele.
João 1:1 não mais afirma que "o Verbo era Deus", mas que "o verbo era deus". Jesus não disse:
"Antes que Abraão existisse, eu sou". Mas, para evitar a associação com "EU SOU" de Êxodo 3:14,
a declaração de Jesus se torna: "Antes de Abraão vir à existência, eu tenho sido".

6. A mudança mais difundida na Bíblia da Torre de Vigia é a inserção do nome Jeová 237 vezes no
Novo Testamento. É contestado pelos estudiosos da língua hebraica de é apropriado o uso de
Jeová ou Yahweh no Antigo Testamento onde o tetragrama YHWH realmente aparece no texto
hebraico, porque não existe uma tradução transliteração que possa ser exata para esta expressão.
As traduções mais modernas traduzem o tetragrama por SENHOR, escrevendo todas as letras em
maiúsculo. Mas a Torre de Vigia foi além inserindo o nome Jeová no Novo Testamento, onde ele
não consta nos manuscritos gregos. Basta verificar uma tradução do original dos textos gregos da
Bíblia para notar que o nome Jeová não aparece ali.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 31

CONCLUSÃO

Esta seita já mudou várias vezes de nome, desde o princípio quando começou a ser chamada de
Russelismo e aí passou para “Aurora do Milênio”, “Associação Internacional da Bíblia”, “Torre de vigia”
e “Testemunhas de Jeová”. Tantos nomes indicam o numero de vezes que o movimento já foi abalado
e desacreditado. Não é para menos, pois com tantas contradições e interpretações equivocadas das
Escrituras não era para se ter muito crédito.
Ao ter estudado um pouco sobre As Testemunhas de Jeová temos de chegar à conclusão que se trata
de uma seita herética, perniciosa e anti-bíblica. Outra conclusão óbvia que chegamos é que este grupo
não se trata de verdadeiros “Testemunhas de Jeová”!

MORMONISMO

Introdução

Embora os Mórmons sejam um povo aparentemente simpático e tenham um programa de beneficência
social igual aos melhores do mundo, o mormonismo é uma das piores seitas falsas de que se tem
conhecimento. São verdadeiros lobos vestidos de cordeiros. Os missionários dos Mórmons são bem
treinados em seus métodos, e quem é crente só de nome é presa fácil para seus argumentos.
Entretanto, uma pessoa que realmente nasceu de novo não cairá em suas presas doutrinárias, porque
sua regra de fé e prática é a Bíblia sagrada.

Histórico

• O mormonismo, como todas as religiões, teve também seu
fundador, Joseph Smith Jr. que nasceu em 23 de dezembro de
1805 no estado de Vermont, nos Estados Unidos, filho de Joseph e
Lucy Smith, viveu de 1805 a 1844 (39 anos). Sua criação deu-se
em meio às superstições, pois sua mãe era mística e seu pai
obcecado por procurar tesouros perdidos.

• Smith era um moço pobre, supersticioso e sem preparo que
afirmou que em 1820 (com 15 anos) “Deus” - o Pai, e “Jesus Cristo”
lhe apareceram. Nessa visão que teve Smith viu dois seres em pé,
acima dele, os quais brilhavam mais que o sol. Um dos seres chamou Joseph pelo nome e
apontando para o outro disse: “Este é o meu filho amado, ouve-o”. O próprio Smith é que identificou
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 32

os seres como sendo Deus e Jesus. E Smith perguntou-lhes “Qual de todas as Igrejas era a
verdadeira, a fim de saber a qual deveria unir-se, foi lhe respondido que não me unisse a nenhuma
delas, porque todas estavam erradas e o personagem que se dirigiu a ele disse que todos os seus
credos eram uma abominação à Sua vista”. Assim, ficou sabendo que nenhuma das igrejas da
Terra era verdadeira (Apêndice do Livro de Mórmon, pág.202 – Edição de 1995 – impresso em
1998).

• Posteriormente foi visitado pelo anjo Morôni (que era, supostamente, uma pessoa que viveu no
passado) que lhe falou sobre um livro com lâminas de ouro enterrado na colina de Cumorah, no
qual estaria registrada a “história” dos antigos habitantes do continente Americano e a “plenitude do
evangelho Eterno”. No dia 22 de setembro de 1827, Smith diz ter encontrado o tal livro bem como
dois aros de prata presos a um peitoral, aos quais denominou Urim e Tumim (como se fossem um
par de óculos que lhe daria a tradução das placas). Com a ajuda desses dois aros começou a
tradução das lâminas de ouro, e, após ter traduzido as placas, ele as devolveu para o anjo e, assim
ninguém nunca mais viu as tais placas, de forma que todos os seus seguidores têm de acreditar em
sua palavra por não haver nenhuma prova do acontecido. Assim, em 1830, publicou o livro com o
título de Livro de Mórmon. O volume traduzido, que leva o nome de um dos antigos profetas e
historiadores que havia guardado os registros, foi publicado como o Livro de Mórmon. O apelido
da Igreja "Mórmon" vem do título deste livro sagrado. O Livro de Mórmon contém a história de
várias civilizações da América antiga, entre cerca de 2200 a.C e 420 d.C. O volume inclui um relato
do ministério de Jesus Cristo no continente americano, depois de sua ressurreição.

• Em 1830 Smith já havia oficialmente fundado a Igreja SUD e já tinha seguidores. Nos dez anos
seguintes, a sede da igreja mudaria sucessivamente. Após ter adotado a doutrina anti-bíblica da
poligamia, Smith fundou em 1805 uma colônia no Estado de Vermont (EUA) onde, devido a falência
de um banco Mórmon, o governador do estado o expulsou com seus adeptos e as suas 48
esposas. Foram se estabelecer no estado de Illininois onde, pela sua insistência na poligamia, além
de outros crimes, foi preso e morto por pessoas inimigas. Assim Smith para seus seguidores foi
feito um mártir.
• Após o assassinato de Joseph Smith, vários líderes Mórmons buscaram tomar controle da Igreja.
Todos afirmaram ter autoridade para liderar a Igreja, e alguns até alegaram que Joseph Smith os
tinham escolhido como seus sucessores. Tais divisões na igreja eventualmente deram início a
Mais de 100 grupos separatistas em sua história. O maior desses grupos é a Comunidade de Cristo
(conhecida até 2001 pelo nome de Igreja Reorganizada de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos
Dias).

• A maioria dos Mórmons seguiram Brigham Young (1801–1877), que por
sua vez introduziu várias doutrinas estranhas e únicas à coleção da
Igreja SUD (Santos do Último Dia), após sua chegada no Vale de Salt
Lake. Hoje a igreja é sediada na cidade de Salt Lake City, no estado de
Utah, com uma rede de organizações pelo mundo
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 33

Doutrinas dos Mórmons

1. Bíblia
Segundo o Mormonismo, a Bíblia é a “Palavra de Deus escrita pelos homens”. No entanto, segundo
os Mórmons, muitos erros foram introduzidos nesta obra, na forma em que ela chegou até nós,
tornando-a indigna de confiança e incompleta como o guia da igreja, se fazendo desta forma são
necessários vários suplementos. Os Mórmons possuem três outros livros, que, como a Bíblia
servem como “obras-padrão” da igreja. São conhecidos como: O Livro de Mórmon, Doutrinas e
Pactos e A Perola de Grande Valor.

2. Deus.
“Adão é o nosso pai e nosso deus, é o único com temos de tratar”. A Igreja Mórmon ensina que
Deus Pai foi um homem como nós, que progrediu até tornar-se um Deus e, mesmo nessa condição,
continua a possuir um corpo de carne e osso. ("O próprio Deus já foi como nós somos agora — ele
é um homem exaltado, entronizado em céus distantes!" Ensinamentos do Profeta Joseph Smith,
compilado por Joseph Fielding Smith, pp. 336). Em Doutrina e Convênios (D&C) 130:22 é dito que
"o Pai tem um corpo de carne e ossos, tangível, como o do homem"; também a citação famosa de
Lorenzo Snow, "Como o homem é, Deus foi; como Deus é o homem poderá vir a ser" (Regras de
Fé de James Talmage, p. 389). Para completar, o mormonismo ensina que Deus tem um pai, um
avô, e assim sucessivamente (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p. 365). Desta forma, Deus
Pai é casado, e existe uma Mãe Celestial.

3. Jesus Cristo
“Jesus Cristo é filho de adão (deus) e de Maria por geração humana”. Segundo o Mormons, Jesus
Cristo também polígamo, casou-se em Caná com as Marias com Marta para que pudesse
perpetuar a sua semente antes de ser crucificado. Segundo os Mórmons o Senhor Jesus Cristo foi
descendente de Davi com Bate-Seba, e que se Davi não fosse polígamo, Cristo não nasceria.
Afirmam também que o “profeta Joseph Smith” é descendente de Cristo... E assim por diante,
blasfêmias após blasfêmias! a Igreja Mórmon também ensina que Jesus Cristo é nosso irmão mais
velho, e que progrediu até chegar a ser um deus, havendo primeiro sido gerado como um "filho
espiritual" por meio do Pai e de uma mãe celestial, e depois concebido fisicamente pelo Pai e pela
virgem Maria. A doutrina mórmon afirma que Jesus e Lúcifer são irmãos (Princípios do Evangelho,
pp. 9, 15, 16, 54, 57).

4. Trindade
Mormonismo é uma religião politeísta. “Joseph Smith declara: que Deus é um personagem distinto,
Jesus Cristo é um personagem separado e distinto do Deus, o Pai, e que o Espírito Santo é outro
personagem distinto, e é Espírito; são três personagens distintos e três Deuses”. O apóstolo
mórmon Bruce R. McConkie fala sobre a Deidade da seguinte forma: “Pluralidade de deuses: três
personagens separados: Pai, Filho, e Espírito Santo, compõem a divindade. Sendo que cada uma
desses pessoas é um deus, é evidente, nesse ponto de vista, que existe uma pluralidade de
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 34

deuses. Para nós, falando no sentido propriamente finito, esses são os únicos três deuses que
adoramos. Mas há também um número infinito de personagens santos, em inúmeros mundos, que
hão obtido exaltação e são por isso deuses”.

5. Espírito Santo
No mormonismo, uma distinção é feita entre o Espírito Santo (inglês “Holy Ghost”) e o “espírito
santo” (letra minúscula). O apóstolo mórmon Marion G. Romney diz, “O Espírito Santo é uma
pessoa, um espírito, o terceiro membro da Deidade”. O sexto profeta da igreja mórmon, Joseph F.
Smith, explica que o “espírito santo” não é uma pessoa, mas sim uma força impessoal. “Você pode
chamar isso de o Espírito de Deus, ou a influência da inteligência de Deus, ou a substância do seu
poder; não importa como isso é chamado, isso é o espírito da inteligência que permeia o universo”.

6. O destino do homem
O quinto profeta da igreja mórmon, Lorenzo Snow, diz que “Como o homem é, Deus foi; como Deus
é o homem poderá vir a ser”. Isso significa que, de acordo com a doutrina mórmon, todo homem, se
for digno, pode se tornar um deus e reinar sobre seu próprio planeta. Mas e quanto às mulheres? O
décimo profeta da igreja, Joseph Fielding Smith, ao comentar sobre a salvação do homem (ou
“exaltação”, como é chamada no mormonismo), responde: “O Pai prometeu-nos que, por nossa
fidelidade, seremos abençoados com a plenitude de seu reino. Em outras palavras, teremos
privilégio de nos tornar como ele é. Para nos tornarmos como ele, devemos ter todos os poderes
de divindade; assim, pois quando um homem e sua esposa são glorificados, terão filhos espirituais,
que eventualmente irão para uma terra como esta, na qual estamos, e passarão pelo mesmo tipo
de experiência, estando sujeitos a condições mortais e, se forem fiéis, então eles também hão de
receber a plenitude de exaltação e participar das mesmas bênçãos. Não há fim para este
desenvolvimento; ele prosseguirá para sempre. Nós nos tornaremos deuses e teremos jurisdição
sobre mundos, e estes mundos serão povoados pela nossa própria progênie. Para isto, teremos
uma eternidade sem fim.”

7. O pecado
A Igreja Mórmon ensina que o pecado de Adão era "um passo necessário no plano da vida e uma
grande bênção para toda a humanidade" (Princípios do Evangelho, p. 31; Doutrinas de Salvação,
Vol. 1, pp. 114, 11; Livro de Mórmon, 2 Néfi 2:25). A Bíblia ensina que a queda do homem foi um
grande mal, e que através disso o pecado entrou no mundo, pondo todos os seres humanos
debaixo da condenação e da morte. Assim, todos os seres humanos nascem com uma natureza
pecaminosa, e serão julgados pelos pecados que cometem, individualmente (Ezequiel 18:1-20;
Romanos 5.12-21).

8. A morte expiatória de Cristo
A Igreja Mórmon ensina que a obra redentora de Cristo apenas garante o que ela chama de
"salvação geral", que consiste no fato das pessoas serem ressuscitadas — acontecendo para
todos, indiferente de terem aceitado Jesus Cristo pela fé. Para eles, a obra redentora não é
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 35

suficiente em si mesma para dar a vida eterna. Em vez disso, seria preciso acrescentar as nossas
boas obras (Princípios do Evangelho, pp. 69, 291-292; Regras de Fé; pp. 86, 88-89). A Bíblia
ensina, e os cristãos evangélicos têm crido através dos tempos, que a obra redentora de Cristo é,
antes de mais nada, a solução provida por Deus para o problema do pecado da humanidade. Por
haver tomado os pecados pessoais de todos os homens, no passado, presente e futuro — em Seu
próprio corpo na cruz (1 Pedro 2:24), Cristo, como o prometido Cordeiro de Deus sem mancha,
cumpriu totalmente as exigências da Justiça Divina, para que todos aqueles que pela fé O
receberem possam ser perdoados, restaurados à comunhão com Deus e desfrutar de vida eterna
com Ele para todo sempre (2 Coríntios 5.21; Apocalipse 21.1-4).

9. A igreja primitiva
A Bíblia ensina, e os cristãos evangélicos têm crido através dos tempos, que a Igreja verdadeira foi
divinamente estabelecida por Jesus e por isso nunca pôde, nem jamais poderá desaparecer da
terra (Mateus 16:18; João 17:11; 1 Coríntios 3:11). Os cristãos genuínos admitem que têm havido
tempos de corrupção e apostasia dentro da Igreja, mas crêem também que sempre tem existido,
pela vontade de Deus, um remanescente de pessoas que guardam e propagam os princípios
fundamentais da verdadeira doutrina de Cristo contida no Evangelho. Ao contrário, a Igreja Mórmon
ensina que houve uma grande e total apostasia na igreja estabelecida por Jesus Cristo; este estado
de apostasia "ainda prevalece, exceto para aqueles que se voltar para um conhecimento do
'evangelho restaurado' pela Igreja Mórmon" (Mórmon Doctrine, p. 44; Princípios do Evangelho, pp.
100-101; Doutrinas de Salvação, Vol. 3, pp. 269-275).

10. profeta
Uma pessoa por meio de quem Deus supostamente fala com o mundo. Os mórmons acreditam que
Deus inspirou os profetas com suas mensagens todas as vezes, em todos as dispensações. Os
mórmons acreditam que o fundador da igreja Mórmon, Joseph Smith, Jr. foi um profeta do mesmo
nível dos profetas bíblicos, e que cada um dos seus sucessores como presidente da igreja Mórmon
era também um profeta, como o presidente atual é chamado de " o profeta vivo". Embora Joseph
Smith ter feito muitas profecias (predições de eventos futuros), alguns profetas mórmons nos
últimos cem anos também fizeram. Mas hoje eles se restringem a dar conselhos e falar de assuntos
doutrinais. Os apóstolos modernos também são considerados profetas. Até os anos sessenta,
quando os mórmons usaram o termo " o Profeta ", eles geralmente estavam se referindo a Joseph
Smith. Hoje em dia, o termo é também usado para significar " o profeta vivo ", e o presidente atual
da igreja. As Crianças da escola primaria aprendem uma canção chamada " Siga o Profeta - ele
conhece o caminho ", querendo dizer que o presidente da igreja diz o que você tem que fazer.

11. Matrimônio celestial e matrimônio plural.
O matrimônio de um homem e mulher mórmons dignosé realizado no templo em uma cerimônia
que os sela "para toda a eternidade". Também chamado de "matrimônio do templo", "matrimônio
eterno" e "a nova e eterna aliança [do matrimônio]".
Até o Manifesto (1890) o termo significava matrimônio plural (poligamia). (D&C 132). O termo
mórmon mais comum para poligamia, a prática de um marido que tem mais de uma esposa ao
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 36

mesmo tempo. Foi praticado secretamente por Joseph Smith em 1830. Ele apresentou
secretamente a prática a seus mais fiéis seguidores em 1840 e produziu uma revelação em 1843
na qual Deus ensinou esta prática como a "a nova e aterna aliança do matrimônio" (D&C 132). A
doutrina foi mantida em segredo dos membros da igreja até 1852, quando todos os Mórmon fiéis
tiveram autorização para fazer esta prática. A prática caiu no desagrado dos americanos, o que fez
com que o governo intervisse com leis rígidas para acabar com esta prática. Finalmente, a igreja
relutantemente a abandonou em 1890, embora a própria doutrina ainda continue na igreja. O
Matrimônio plural ainda é praticado por muitos fundamentalistas.

12. Negros
Os negros são negros como resultado de seus erros na pré-existência. “Porque eis que o Senhor
amaldiçoará a terra. E veio uma cor negra a todos os filhos de Canaã, de modo que foram
depreciados entre todos os povos” “...porque a semente de Caim era negra, e não tinha lugar entre
eles”.
Alguns termos e práticas peculiares dos mormons.

1. Cerimônia de investidura.
O mais importante dos rituais realizados no templo, só para os adultos dignos. Envolve rituais de
lavagem e consagrações com uma representação teatral da idéia mórmon do plano de salvação de
Deus, com vários cumprimentos e senhas secretas, todos vestidos com túnicas especiais
(chamadas "vestes do templo" ou "túnica do templo"). Receber sua investidura (ou "tomar sua
investura") é um requisito prévio ao matrimônio do templo. Os mórmons são proibidos de revelar
ou discutir a investidura fora do templo. Depois de serem investidos, os mórmons são convidados
a participarem o máximo que puderem dos rituais, como procuração para os mortos, que assim
podem ascender ao reino celestial.

2. Desassociação.
Uma forma de disciplina da igreja menos rigorosa que a excomunhão. Imposto por um tribunal da
igreja ("tribunal de amor") para transgressões como adultério. Normalmente por um a curto
prazo, como um ano. Os membros desassociados não podem exercer seu sacerdócio, não
podem entrar no templo ou participar do sacramento. Se o membro não mostrar arrependimento
durante sua desassociação, pode ser excomungado.

3. Estaca. Uma estaca consiste de várias alas vizinhas, normalmente cinco a dez. Equivalente a uma
diocese católica.

4. Missão, missionários
Os Mórmon são ávidos missionários. A maioria dos jovens mórmons (especialmente homens) são
chamados quando completam 19 anos a servir em uma missão de tempo integral durante dois
anos. Os missionários tem que prover seu próprio sustento. Seu único treinamento é ficar várias
semanas em um Centro de Treinamento Missionário (CTM) que também pode ter aulas de língua
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 37

estrangeira. Os missionários são designados a uma área (também chamada "missão") dirigida por
um presidente de missão, com sede em uma "casa de missão". Atualmente (2003) há cerca de
60.000 missionários em tempo integral servindo em 330 missões no mundo inteiro. Ao contrário de
missionários de algumas outras denominações que são médicos ou professores e cujo objetivo
primário é aliviar sofrimento humano em áreas subdesenvolvidas, os missionários mórmons (pelo
menos até recentemente) só eram enviados para países industrializados e cristãos, com o
exclusivo propósito de fazer proselitismo. Além dos missionários de tempo integral, muitos
mórmons são chamados para servir em missões de meio período em suas próprias comunidades
(os missionários de ala, antigamente chamados de missionários de estaca.

5. Élder.
o mais baixo grau do sacerdócio de Melquisedeque para o qual todos os homens mórmons
dignos são ordenados antes dos 18 anos ou logo depois; missionário mórmon homem.um título
usado com sobrenome para enviar um missionário ou uma autoridade geral.

6. Nefita.
Substantivo e adjetivo. No Livro de Mórmon, um descendente ou seguidor de Néfi, um dos filhos
de Lehi que levou sua família de Jerusalém para a América em 590 a.C. Os nefitas geralmente
eram mais justos que seus primos lamanitas, mas foram todos exterminados por eles no monte
Cumorah em 421 d.C.

7. Sacerdócio.
A autoridade para agir no nome de Deus realizando os rituais (ordenanças) e outros ofícios
religiosos. Só pode ser obtido através da ordinação da imposição das mãos por um que já celebre
o sacerdócio. Os mórmons acreditam que só os mórmons celebram o verdadeiro sacerdócio. Os
rapazes dignos de 12 anos para cima são ordenados para algum ofício (grau) no sacerdócio. O
primeiro (mais baixo) é o sacerdócio Aarônico, o mais alto é o sacerdócio de Melquisedeque. Cada
ofício inclui toda a autoridade dos ofícios mais baixos. As mulheres não podem celebrar o
sacerdócio. Negros, homens ou mulheres, eram proibidos de ter o sacerdócio até 1978. Os três
ofícios do Sacerdócio Aarônico são, em ordem de ordinação, diácono (12 anos), mestre (14 anos)
e sacerdote (16 anos). Seus direitos e deveres são simples: os diáconos distribuem o sacramento
nas reuniões; os mestres acompanham os professores adultos, os sacerdotes abençoam o
sacramento nas reuniões. Sumo Sacerdote. O mais alto grau no sacerdócio de Melquisedeque,
para o qual a maioria dos homens mórmons podem ser ordenados (o cargo de apóstolo é o mais
alto). A maioria dos mórmons dignos de 35 são sumos sacerdotes.

8. Três Degraus da Glória.
O Céu, que tem três níveis ou graus: o celestial (mais alto), o terrestre, e o telestial (mais baixo).
Veja D&C 76.

Conclusão
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 38

Vimos pelas doutrinas acima citadas, quão longe estão os Mórmons da fé cristã. O Mormonismo não é
uma relação de “gente muito boa”, mas uma seita herética e perniciosa tanto no seu início como nas
suas falsas doutrinas. No entanto, como explicar o fato que em pouco mais de um século os Mórmons
tem-se estabelecido em numero impressionante, seus missionários se encontram em todos os países e
agora são prezados como “gente boa”?
No livro de Joseph H. Weston “Estes Mórmons extraordinários” está cheio das proezas deste grupo.
Pelos esforços dos seus pioneiros, pela sua grande organização e acúmem comercial fundando
enormes empresas, os Mórmons consguiram apagar o seu triaste começo e cegar muitos quanto ao
perigo de suas soutrinas hereticas. O perigo do Mórmons está justamente aí. Enquanto nao mais
praticam a pokigamia, é no entanto doutrina básica de fé dos Mórmons e faz parte integral de todo o
sistema. Eles fazem do próprio Deus um poligamista! Podemos entao afirmar que o Mormonismo nem é
realmente uma seita do Cristianismo, pois suas doutrinas os levam a um pliteísmo grosseiro.

O ISLAMISMO
O Islamismo é uma religião e um projeto de organização da sociedade expresso na palavra árabe islã,
a submissão confiante a Alá (Allah, em árabe – Deus, ou "a divindade", em abstrato). Seus seguidores
chamam-se muçulmanos (muslimun, em árabe - os que se submetem a Deus para render-lhe a honra e
a glória que lhe são devidas como Deus único). O islamismo reúne hoje cerca de 850 milhões de fiéis e
é a religião que mais cresce em todo o mundo.

Histórico

• O Islamismo foi a ultima das três religiões monoteístas do
mundo. Surgiu na península Árabe através de Maomé (570-
632 d.C.) que foi o seu grande líder.

• O Islã foi fundado em 622 d.C. na cidade de Medina, Arábia.
Seu fundador, Maomé (Mohamed, em árabe), nasceu na
cidade de Meca, em 570 d.C, num contexto religioso que
mesclava animismo, politeísmo, monoteísmo etc. Cristãos e
judeus vivam nas imediações. Havia em Meca um santuário
chamado Caaba, que conserva até hoje uma pedra negra,
considerada sagrada pelos árabes. Alguns desses praticavam
a adoração a "Allah", porém, este era visto como um deus
tribal, sem caráter universal.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 39

• Em 610 d.C. aos quarenta anos, Mohamed, enquanto meditava numa caverna, teria recebido a
visita do anjo Gabriel (Jibril, em árabe), que lhe revelou o que hoje é conhecido como o Alcorão.
Começou a pregar que só havia um único Deus, o Juízo Final, e que ele era o derradeiro
mensageiro de Deus, o restaurador da religião verdadeira que há muito havia desaparecido. Essa
pregação trouxe forte oposição de seus contemporâneos. Isso levou Mohamed a fugir para
Medina, em 16 de julho de 622. Esse acontecimento, conhecido como Hégira (migração), marcou
o início do calendário muçulmano.

• Nessa cidade ele estabeleceu sua doutrina, recrutou adeptos e construiu a primeira mesquita. Em
630, com seus seguidores, entrou em Meca, submetendo-a, sem combate, à nova fé. Sua primeira
atitude foi destruir os ídolos da Caaba. Morreu dois anos depois, aos 63 anos. Antes disso, a maior
parte da Arábia já era muçulmana.

• Atualmente o Islã é a segunda maior religião do mundo – depois do Cristianismo – contando com
cerca de 1 bilhão de adeptos. A sede no Brasil fica em São Bernardo do Campo, SP. Sua
população não passa dos 50 mil adeptos, segundo os últimos dados fornecidos pelo IBGE -
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Censo Demográfico de 1991).

O AVANÇO DO ISLAMISMO

Durante a idade média, a igreja cristã estava dividida em duas partes, a igreja oriental e a igreja
ocidental. A igreja ocidental começava a ser comandada pelo papado enquanto que a igreja oriental
não estava bem com sua liderança sediada em Constantinopla.
Ao contrário da igreja ocidental que ganhou força com a ascensão de Gregório Magno e a liderança do
papado, a igreja oriental sofreu grandes perdas, principalmente diante do impacto e expansão do
islamismo.
Por se opor à idolatria, em 622 foi obrigado a fugir de Meca para Medina. Este ano marca o início da
era Islâmica. A partir daí o poder de Maomé aumenta tanto que em 630 ele consegue conquistar Meca,
tornando-se assim Senhor de quase toda a Arábia.
• 635 – A Síria tornou-se Mulçumana.
• 638 – Foi à vez da Palestina ser conquistada.
• 642 – O Egito caiu sob os mulçumanos.
• 652 – A Pérsia também se rende.
• 695 – Foi à vez de Cartago.
• 711 – Os mulçumanos passaram a dominar a península Ibérica, próxima à França.

Leão, imperador romano em Constantinopla impediu que o islamismo invadisse a região oriental do
continente (o império Bizantino).
Os exércitos de Carlos Martelo derrotaram os mulçumanos em Tours, na batalha de Poitiers, no ano de
732, impedindo assim o avanço islâmico na parte ocidental do continente.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 40

O ALCORÃO

• O Alcorão (literalmente: recitação) é a autoridade primeira do Islã, que ensina ter Deus revelado ao
longo dos cerca de 20 anos de sua pregação, cada palavra através do anjo Gabriel a Mohamed,
que era analfabeto. Este teve de memorizar todas as palavras, ditando-as aos seus discípulos.
Depois de sua morte, um grupo de escribas começou a assentar tudo por escrito.

• O resultado final é uma obra contendo 114 suratas (capítulos). Há extensa citação (indireta) tanto
do Antigo quanto do Novo Testamento (embora apregoe que estas obras literárias tenham sido
corrompidas através dos séculos).

• A segunda fonte de autoridade para os muçulmanos é a Sunna, a coleção da tradição das
declarações e dos feitos de Mohamed, apresentados em forma de hadis (breves narrativas). São
6.226 versos em 114 suras (capítulos). Traz o mistério do Deus-Uno e a história de suas
revelações de Adão a Maomé, passando por Abraão, Moisés e Jesus, e também as prescrições
culturais, sociais, jurídicas, estéticas e morais que dirigem a vida individual e social dos
muçulmanos.
• O Alcorão é a principal fonte da religião mulçumana.

DEVERES DOS MUÇULMANOS

1. Todo muçulmano deve prestar o testemunho (chahada), ou seja, professar publicamente que Alá é
o único deus e Maomé é seu profeta.

2. Fazer a oração ritual (salat) cinco vezes por dia (ao nascer do Sol, ao meio-dia, no meio da tarde,
ao pôr-do-sol e à noite), voltado para Meca e prostrado com a fronte por terra.

3. Dar a esmola legal (zakat) para a purificação das riquezas e a solidariedade entre os fiéis.

4. Jejuar do nascer ao pôr-do-sol, durante o nono mês do calendário muçulmano (Ramadan).

5. Fazer uma peregrinação (hadjdj) a Meca ao menos uma vez na vida, pessoalmente, se tiver
recursos, ou se não tiver pode ser por meio de procurador.

AS CONSEQÜÊNCIAS DO ISLAMISMO NA HISTÓRIA DO CRISTIANISMO

1. O Islã deixou marcas culturais e religiosas na Europa ocidental, o que levou a perda de muitas
igrejas e cristãos do oriente.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 41

2. As igrejas do norte da África e da terra santa deixaram de pertencer ao cristianismo (Jerusalém,
Antioquia, Alexandria e Cartago). Algumas regiões que, no início do Cristianismo eram fortes, hoje
contam com uma porcentagem baixíssima de cristãos.

Os cinco "pilares" do islamismo

A vida religiosa do muçulmano tem práticas bastante rigorosas. Ele deve cumprir os chamados pilares
da religião.

1. O primeiro é a shadada ou profissão de fé: Não há deus e sim Deus. Maomé é o profeta de Deus.
Ela deve ser recitada pelo menos uma vez na vida, em voz alta, com pleno entendimento de seu
significado.

2. O segundo pilar são as cinco orações diárias comunitárias (slãts), durante as quais o fiel deve ficar
ajoelhado e curvado em direção a Meca. Às sextas-feiras realiza-se um sermão a partir de um
verso do Alcorão, de conteúdo moral, social ou político.

3. O terceiro pilar é uma taxa chamada zakat. Único tributo permanente ditado pelo Alcorão, é pago
anualmente em grãos, gado ou dinheiro. Deve ser empregado para auxiliar os pobres, mas também
para o pagamento de resgate de muçulmanos presos em guerras.

4. O quarto pilar consiste no jejum completo feito durante todo o mês do Ramadã, do amanhecer ao
pôr-do-sol. Nesse período, em que se celebra a revelação do Alcorão a Maomé, o fiel não pode
comer, beber, fumar ou manter relações sexuais.

5. O quinto pilar é o hajj ou a peregrinação a Meca, que precisa ser feita pelo menos uma vez na vida
por todo muçulmano com condições físicas e econômicas para tal.

A esses cinco pilares, a seita khawarij adicionou o jihad. Traduzido comumente como guerra santa,
significa batalha com a qual se atinge um dos objetivos do islamismo: reformar o mundo. É permitido o
uso dos Exércitos nacionais como meio de difundir os princípios do islã. Segundo a doutrina
muçulmana, as guerras, porém, não podem visar a expansão territorial nem a conversão forçada de
pessoas. Por isso, o jihad não é aceito por toda a comunidade islâmica.

Algumas crenças do Islamismo

1. Jesus Cristo.
Jesus é respeitado e reverenciado no Islamismo como um dos maiores mensageiros de Deus para
a humanidade (Mohamed é o maior e o último deles). Crêem que nasceu da virgem Maria, contudo,
ele não pode ser considerado "Filho" de Deus num sentido especial como o Cristianismo atribui.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 42

Negam também sua divindade, bem como sua morte na cruz, e assim, conseqüentemente, negam
seu sacrifício vicário e a redenção do gênero humano por meio de sua morte, que são
sustentáculos do Cristianismo. Isso se dá devido ao fato de que o retrato feito de Jesus no Alcorão
é baseando nos evangelhos apócrifos – que foram rejeitados pelo Cristianismo – e não nos
canônicos (Mateus, Marcos, Lucas e João). A idéia da Encarnação parece aos olhos dos
muçulmanos como algo degradante, diminuindo a transcendência de Deus.

2. Espírito Santo.
Os eruditos muçulmanos dizem tratar-se do anjo Gabriel. Crêem também que as palavras de Jesus
referentes ao Espírito Santo sejam aplicadas a Mohamed. Este seria o Consolador, o Espírito da
verdade, que Jesus havia profetizado no Evangelho de João, cap. 16, vv. 12 e 13.

3. Salvação.
A salvação no Islã depende da aplicação dos cinco pilares sobre os quais o Islam está
fundamentado, a saber: a fé (chahada), a oração (salat), a caridade (zakat), jejum (siyam) e a
peregrinação à Makka (hajj).

4. Vida após a morte.
O Islã prega a sobrevivência da alma após a morte física e o Dia do Juízo Final. Antes do Juízo,
porém, os mortos vão para um lugar ou estado intermediário, conhecido como Barzakh, onde os
justos vivem períodos de felicidade e os ímpios de sofrimento. Ambos aguardam a ressurreição no
Juízo Final. Aquele que reconhecer que "não há outra divindade além de Deus, e que Mohamed é
seu mensageiro" (Este é o resumo de tudo o que o muçulmano deve crer) receberão as alegrias do
Paraíso eternamente e contemplarão a Deus. Os que não viveram de acordo com essa profissão
de fé serão lançados no inferno. Quanto ao inferno, os peritos muçulmanos divergem em relação à
durabilidade do castigo: para alguns, Deus poderá perdoar todos os pecados dos infiéis, com
exceção da descrença em Deus; para outros, contudo, haverá a salvação universal, ou seja, todos
serão perdoados, até mesmo o que cometeram o pecado da descrença em Deus.

Vocabulário

1. Caaba – sagrada mesquita muçulmana em Meca; também designa a pedra negra sagrada que se
encontra no interior dessa mesquita.
2. Califa – nome dado aos sucessores de Mohamed.
3. Chahada – literalmente: "testemunho"; é o primeiro dos cinco pilares do Islã (sua profissão de fé):
"Não há divindade além de Deus e Mohamed é seu mensageiro".
4. Hajj – O quinto pilar do Islã, que consiste numa peregrinação anual à cidade sagrada de Meca
(para quem tiver condições físicas e econômicas para isso) ou pelo menos uma vez na vida.
5. Islam – palavra árabe que significa "submissão"; no contexto muçulmano, significa "submissão ou
entrega total a Deus"; no contexto histórico, refere-se à religião iniciada por Mohamed.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 43

6. Jibril – nome árabe para o anjo Gabriel, que supostamente forneceu a Mohamed a "revelação"
(Alcorão).
7. Mesquita – local de adoração dos muçulmanos (masjid, em árabe).
8. Ramadan – mês do calendário Islã em que os adeptos devem jejuar, pois nesse mês Mohamed
teria recebido a "revelação".
9. Salat – orações obrigatórias que os muçulmanos devem praticar cinco vezes ao dia; são recitadas
em árabe, contendo versículos do Alcorão. É o segundo pilar do Islã.
10. Siyam – é o quarto pilar do Islã, o jejum, que deve ser observado durante todo o mês de Ramadan,
do nascer ao pôr-do-sol, seguido da abstenção de comida, bebida e dos relacionamentos sexuais.
11. Surata – cada capítulo do Alcorão.
12. Zakat – literalmente: "purificação"; é o terceiro pilar do Islã, consistindo na prática obrigatória se de
dar uma porcentagem do que se ganha ao Islã para sua propagação e outros fins.

BUDISMO

Introdução
Sistema ético, religioso e filosófico fundado pelo príncipe hindu Sidarta Gautama (563-483 a.C.), ou
Buda, por volta do século VI. O relato da vida de Buda está cheia de fatos reais e lendas, as quais são
difíceis de serem distinguidas historicamente entre si.
O príncipe Sidarta nasceu na cidade de Lumbini, em um clã de nobres e viveu nas montanhas do
Himalaia, entre Índia e Nepal. Seu pai, era um regente e sua mãe, Maya, morreu quando este tinha
uma semana de vida. Apesar de viver confinado dentro de um palácio, Sidarta se casou aos 16 anos
com a princesa Yasodharma e teve um filho, o qual chamou-o de Rahula.

História do Budismo
Aos 29 anos, resolveu sair de casa, e chocado com a doença, com a velhice e a com morte, partiu em
busca de uma resposta para o sofrimento humano. Juntou-se a um grupo de ascetas e passou seis
anos jejuando e meditando. Durante muitos dias, sua única refeição era um grão de arroz por dia. Após
esse período, cansado dos ensinos do Hinduísmo e sem encontrar as respostas que procurava,
separou-se do grupo. Depois de sete dias sentado debaixo de uma figueira, diz ele ter conseguido a
iluminação, a revelação das Quatro Verdades. Ao relatar sua experiência, seus cinco amigos o
denominaram de Buda (iluminado, em sânscrito) e assim passou a pregar sua doutrina pela Índia.
Todos aqueles que estavam desilusionados pela crença hindu, principalmente os da casta baixa, deram
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 44

ouvido a esta nova faceta de Satanás. Como todos os outros fundadores religiosos, Buda foi deificado
pelos seus discípulos, após sua morte com 80 anos.

Prática de Fé do Budismo
O Budismo consiste no ensinamento de como superar o sofrimento e atingir o nirvana (estado total de
paz e plenitude) por meio da disciplina mental e de uma forma correta de vida. Também crêem na lei do
carma, segundo a qual, as ações de uma pessoa determinam sua condição na vida futura. A doutrina é
baseada nas Quatro Grandes Verdades de Buda:
1. A existência implica a dor -- O nascimento, a idade, a morte e os desejos são sofrimentos.
2. A origem da dor é o desejo e o afeto -- As pessoas buscam prazeres que não dura muito tempo e
buscam alegria que leva a mais sofrimento.
3. O fim da dor -- só é possível com o fim do desejo.
4. A Quarta Verdade -- se prega que a superação da dor só pode ser alcançada através de oito
passos:
a. Compreensão correta: a pessoa deve aceitar as Quatro Verdades e os oito passos de
Buda.
b. Pensamento correto: A pessoa deve renunciar todo prazer através dos sentidos e o
pensamento mal.
c. Linguagem correta: A pessoa não deve mentir enganar ou abusar de ninguém.
d. Comportamento correto: A pessoa não deve destruir nenhuma criatura, ou cometer atos
ilegais.
e. Modo de vida correto: O modo de vida não deve trazer prejuízo a nada ou a ninguém.
f. Esforço correto: A pessoa deve evitar qualquer mal hábito e desfazer de qualquer um que
o possua.
g. Desígnio correto: A pessoa deve observar estar alerta, livre de desejo e da dor.
h. Meditação correta: Ao abandonar todos os prazeres sensuais, as más qualidades,
alegrias e dores, a pessoa deve entrar nos quatro graus da meditação, que são produzidos
pela concentração.

Missões do Budismo

Um dos grandes generais hindus, Asoka, depois do ano 273 a.C., ficou tão impressionado com os
ensinos de Buda, que enviou missionários para todo o subcontinente indiano, espalhando essa religião
também na China, Afeganistão, Tibete, Nepal, Coréia, Japão e até a Síria. Essa facção do Budismo
tornou-se popular e conhecida como Mahayana. A tradicional, ensinado na India, é chamado de
Teravada.
O Budismo Teravada possui três grupos de escrituras consideradas sagradas, conhecidas como “Os
Três Cestos” ou Tripitaka:
1. O primeiro, Vinaya Pitaka (Cesto da Disciplina), contêm regras para a alta classe.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 45

2. O segundo, Sutta Pitaka (Cesto do Ensino), contêm os ensinos de Buda.
3. O terceiro, Abidhamma Pitaka (Cesto da Metafísica), contêm a Teologia Budista.
O Budismo começou a ter menos predominância na Índia desde a invasão muçulmana no século XIII.
Hoje, existem mais de 300 milhões de adeptos em todo o mundo, principalmente no Sri Lanka, Mianmá,
Laos, Tailândia, Camboja, Tibete, Nepal, Japão e China. Ramifica-se em várias escolas, sendo as mais
antigas o Budismo Tibetano e o Zen-Budismo. O maior templo budista se encontra na cidade de
Rangoon, em Burma, o qual possui 3,500 imagens de Buda.

Teologia do Budismo

1. A divindade: não existe nenhum Deus absoluto ou pessoal. A existência do mal e do sofrimento é
uma refutação da crença em Deus. Os que querem ser iluminados necessitam seguir seus próprios
caminhos espirituais e transcendentais.
2. Antropologia: o homem não tem nenhum valor e sua existência é temporária.
3. Salvação: as forças do universo procurarão meios para que todos os homens sejam iluminados
(salvos).
4. A alma do homem: a reencarnação é um ciclo doloroso, porque a vida se caracteriza em
transições. Todas as criaturas são ficções.
5. O caminho: o impedimento para a iluminação é a ignorância. Deve-se combater a ignorância lendo
e estudando.

Posição ética

Existem cinco preceitos a serem seguidos no Budismo:
1. Proibição de matar
2. Proibição de roubar
3. Proibição de ter relações sexuais ilícitas
4. Proibição do falso testemunho
5. Proibição do uso de drogas e álcool
No Budismo a pessoa pode meditar em sua respiração, nas suas atitudes ou em um objeto qualquer.
Em todos os casos, o propósito é se livrar dos desejos e da consciência do seu interior.

Verdades Bíblicas

Deus: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas, o Pai, o Filho e o
Espírito Santos, Dt 6.24; Mt 28.19; Mc 12.29.
Jesus: Cremos no nascimento virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua
ressurreição corporal de entre os mortos, e em sua ascensão gloriosa aos céus, Is 7.14; Lc 1.26-31;
24.4-7; At 1.9.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 46

Espírito Santo: Cremos no Espírito Santo como terceira pessoa da Trindade, como Consolador e o
que convence o homem do pecado, justiça e do juízo vindouro. Cremos no batismo no Espírito Santo,
que nos é ministrado por Jesus, com a evidência de falar em outras línguas, e na atualidade dos nove
dons espirituais, Jl 2.28; At 2.4; 1.8; Mt 3.11; I Co 12.1-12.
Homem: Cremos na na criação do ser humano, iguais em méritos e opostos em sexo; perfeitos na sua
natureza física, psíquica e espiritual; que responde ao mundo em que vive e ao seu criador através dos
seus atributos fisiológicos, naturais e morais, inerentes a sua própria pessoa; e que o pecado o destituiu
da posição primática diante de Deus, tornando-o depravado moralmente, morto espiritualmente e
condenado a perdição eterna, Gn 1.27; 2.20,24; 3.6; Is 59.2; Rm 5.12; Ef 2.1-3.
Bíblia: Cremos na inspiração verbal e divina da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé para a vida e
o caráter do cristão, II Tm 3.14-17; II Pe 1.21.
Pecado: Cremos na pecaminosidade do homem, que o destituiu da glória de Deus, e que somente
através do arrependimento dos seus pecados e a fé na obra expiatória de Jesus o pode restaurar a
Deus, Rm 3.23; At 3.19; Rm 10.9.
Céu e Inferno: Cremos no juízo vindouro, que condenará os infiéis e terminará a dispensação física do
ser humano. Cremos no novo céu, na nova terra, na vida eterna de gozo para os fiéis e na condenação
eterna para os infiéis, Mt 25.46; II Pe 3.13; Ap 21.22; 19.20; Dn 12.2; Mc 9.43-48.
Salvação: Cremos no perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita, e na eterna justificação da
alma, recebida gratutitamente, de Deus, através de Jesus, At 10.43; Rm 10.13; Hb 7.25; 5.9; Jo 3.16.

CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL
Material cedido por - Centro Apologético Cristão de Pesquisas – CACP
Pr. João Flavio Martinez e Presb. Paulo Cristiano da Silva

OBS. Este material expressa a opinião dos autores, podendo não ser a mesma opinião do autor da apostila.

INTRODUÇÃO

• A Congregação Cristã no Brasil (daqui pra frente CCB), é uma organização religiosa quase
evangélica, dizemos quase devido as suas inúmeras doutrinas contraditórias que mais se
modelam com heresias de inúmeras seitas pseudocristãs. A bem da verdade, uma grande
porcentagem delas o é!
• Muitas das características encontradas nas seitas que lhes fazem ser identificadas são também
encontradas na CCB, exemplo disso é a crença (não de todos) de que salvação só na CCB.
• Mas por outro lado a CCB a primeira vista parece ser uma denominação cristã normal como todas
as outras, possuem os mesmos hinos, defende o uso da Bíblia, apesar de não incentivar seus
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 47

membros ao estudo da mesma, possuem usos e costumes nas vestimentas, seu credo doutrinário
é impecável (se bem que na prática o negócio é diferente), etc...
• Tudo isso ao invés de ser louvável é apenas um laço para os evangélicos menos esclarecidos que
pensam poder ter comunhão e considerar-se irmãos junto com os membros da CCB. Entre eles
existe até uma expressão que se tornou conhecida entre muitos; para eles nós somos "os primos"
e estamos, "à beira do caminho" da salvação, por que o caminho na verdade, só se encontra na
CCB! Você precisa fazer parte da "irmandade"! Com essa aparência de "cristã" eles conseguem
angariar através de um proselitismo desonesto (pois são contra o evangelismo), membros de
outras denominações evangélicas.

• Os métodos são variados, mas o mais usado é o método do sonho e da profecia. Chegam a
ponto de profetizar e sonhar falsamente como se fosse Deus chamando as pessoas para sair do
que eles chamam de "seitários", para encontrar a "graça" na Congregação.
• É claro que um neófito na fé que não sabe distinguir entre uma revelação falsa e verdadeira, é
presa fácil. Geralmente quando percebem um novo convertido de outra denominação o primeiro
passo é lançar dúvidas sobre sua igreja, alertando que lá os pastores cobram dízimos e que modo
de saudação está errado, após isso tratam logo de lançar-lhe um convite para uma visita em sua
igreja, daí é só um passo para o re-batismo. Após a pessoa se tornar um "congregado" e entrar
para a "irmandade", ele já se sente superior aos demais crentes, é o primeiro sintoma de quem se
filia a CCB! Por isso, fazem jus ao apelido que lhes dão de, "pescadores de aquário”.

ORGANIZAÇÃO

1. Existe uniformidade doutrinária que é mantida através de assembléias anuais, onde é reunido o
corpo sacerdotal (anciãos, cooperadores e diáconos) por três dias. A princípio estas eram
realizadas apenas na cidade de São Paulo, porém o número de pessoas fez como que tivessem
que ser regionalizadas. Atualmente acontecem em cinco locais diferentes do país (norte, nordeste,
centro-oeste, sudeste e sul).
2. Mantém uma cultural oral, não tem publicações (só o relatório anual), não recomenda a leitura de
literatura específica, somente a Bíblia.
3. Não existe cobrança de dízimo e nenhum cargo é remunerado. O resultado das coletas realizadas
mensalmente é dirigido para construção de templos, obras de caridades e viagens missionárias.
Entretanto não é a direção da igreja que decide o percentual de valores a ser empregado em cada
um dos itens, mas o próprio fiel que, querendo dá sua oferta, indica onde quer que seja empregado.
4. A Congregação não participa de atividades políticas e não indica candidatos.
5. A administração material é centralizada, em grandes pólos regionais e praticamente inexiste
autonomia das congregações locais. Não se sabe o número de membros, pois não há estatística a
respeito. Seu crescimento pode ser dimensionado através do número de construção de templos,
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 48

que na cidade de São Paulo tem correspondido a uma média de 1.3 por mês. Desde sua fundação
até o momento, onde nós sabemos, há duas dissidências, a "Cristã Universal Independente" e a
"Congregação Cristã do Brasil Renovada".

HISTÓRICO

• O fundador da "Congregação Cristã no Brasil, Louis Francescon, nasceu em Cavasso Nuovo,
província de Udine, Itália, em 29 de Março de 1866. Ainda jovem imigrou-se para os Estados
Unidos da América onde teve seu primeiro contato com o evangelho de Cristo através da igreja
Valdense. Logo após, fundou com a ajuda de alguns crentes a igreja Presbiteriana Italiana, no
entanto seu questionamento sobre o batismo por aspersão não permitiu tão pouco sua
permanência nessa denominação, desligando-se dela algum tempo depois.
• Em 1907 quando florescia no E.U.A o movimento pentecostal, Francescon tomou conhecimento
dele através do pastor batista Willian H. Durham um dos pioneiros do movimento pentecostal
sendo batizado no Espírito Santo nesse mesmo ano. Em 1909, Louis Francescon e seu
companheiro Giacomo, também pioneiro do movimento pentecostal na Itália, por “mandamento
divino”, chegam a Argentina e posteriormente ao Brasil em 8 de Março de 1910. Tendo começado
em São Paulo e no Paraná.
• Fundaram de inicio uma igreja com vinte pessoas re-batizadas, oriundas de diversas
denominações evangélicas tais como: Batistas, Presbiterianas, Metodistas e curiosamente apenas
um católico. Seu campo de pregação se deu principalmente entre colônias italianas, o movimento
se espalhou depois por todo o território nacional.
• A CCB tem aversão a todas as denominações evangélicas que não rezam pela sua cartilha

DOUTRINAS

O credo doutrinário da CCB é igual a todos os credos das igrejas evangélicas e pentecostais. Acontece
que na prática a CCB fica à margem das igrejas evangélicas, não possui o caráter de denominação
evangélica. Vejamos algumas doutrinas estranhas praticadas e professadas pela CCB.

1. SALVAÇÃO SÓ NA CCB.

• A "maioria" dos adeptos da Congregação Cristã no Brasil (CCB) defende a idéia errônea de
que salvação só é possível na sua própria Igreja: a "Gloriosa Congregação". Desenvolveram a
doutrina de auto salvação, ou seja, salvação só entre a irmandade! Essa doutrina, estranha às
Escrituras Sagradas, faz com que os seus adeptos pratiquem um proselitismo agressivo com
os outros evangélicos. Isso é herança herdada de sua origem Presbiteriana que possuía
pontos calvinistas extremos.
• A Bíblia deixa claro que para sermos salvos não precisamos da CCB. O que diríamos então
das outras igrejas que existiam antes da CCB, não estavam salvos? Ou Jesus precisaria
esperar a vinda de Francescon em 1910 para ai então poder começar a salvar as pessoas?!
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 49

Mas a Bíblia discorda disso e afirma que: "E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do
céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos" (At.4:12)
• Admitir que só certa denominação pudesse salvar o homem é um pecado terrível, visto que
quando a CCB se coloca como a única igreja verdadeira está tomando o lugar do único
Salvador. A Bíblia é clara que só Jesus é o caminho e não há mediador entre Deus e o homem
a não ser Jesus Cristo. As Igrejas são apenas o meio que leva o homem ao fim, que é a
salvação através de Jesus Cristo. Portanto segundo o resquício da doutrina da predestinação
todos que porventura um dia terão que ser salvo, virão mais cedo ou mais tarde, à
Congregação.

2. A CCB É CONTRA O ESTUDO DA BÍBLIA.

• Não é raro ouvir um membro de a CCB dizer que “a comida servida na igreja dele é melhor por
que sai na hora”, pois Deus fala na boca do ancião, enquanto que a do outro é comida fria,
pois seu pastor precisa ficar estudando a Bíblia para poder lhes falar eu mesmo já recebi tal
resposta”!
• O culto na CCB parece mais uma reunião de adivinhos do que um culto de louvor e adoração
a Deus. Seus membros ficam esperando que Deus abra a boca do ancião e fale através dele.
Dessa maneira ficam esperando soluções imediatistas de seus lideres. Abrem a Bíblia
aleatoriamente e onde cair o texto é feito um breve comentário. São os profetas do óbvio!
Profetizam e pregam aquilo que é patente aos olhos de todos. Por exemplo, na hora das
revelações é dito pelo ancião que, "Aqui existe irmãos que estão passando por grandes lutas,
mas Deus manda lhe dizer que vai te dar vitória!". Assim o adepto sai com a impressão de que
"Deus falou" com ele.
• Entendemos agora por que os membros da CCB entre outros motivos, não estudam a Bíblia,
pois é mais fácil ouvir instantaneamente o que já se deseja ouvir do que ir meditar e estudar na
lei do Senhor e extrair dela os sábios conselhos para os problemas do dia-a-dia. Alegam que
para qualquer coisa que vão fazer precisam ser "iluminados" pelo Espírito Santo! Sem dúvida
o Espírito Santo opera poderosamente na vida de sua Igreja. Contudo a fé nos ensina a crer
no Espírito Santo e nos submeter à sua direção, e é essa crença que nos leva a preparar-nos
pelo exame das Sagradas Escrituras, que é a Palavra de Deus. Diz a Bíblia:
 "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão
testemunho de mim" (Jo.5.39).
 "Até que eu vá, aplica-te à leitura, à exortação, e ao ensino" (1Tm 4.13).
 "Quando vieres traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros,
especialmente os pergaminhos" (2Tm 4.13).
 "Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que
se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade" (2Tm.2.15).
 "antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei (a Bíblia) medita (estuda, lê) de
dia e noite" (Sl.1.2). {grifo meu}
 "Buscai no livro do Senhor, e lede" (Is.34:16).
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 50

 "Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita (leia, estude) nele dia e
noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito;
porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido" (Jos.1:8).
• A CCB não valoriza e nem incentiva o estudo sistemático da Palavra de Deus, pelo contrário
dizem que o cristão não precisa estudar a Bíblia, pois na hora o Espírito Santo falará
instantaneamente pelo crente. Os textos acima falam por si e deixa bem claro que devemos
estudar a Bíblia e até lermos bons livros cristãos. O que a CCB se esquece é que o Espírito só
usa um cristão que tem prazer na Palavra do Senhor e que nela medita dia e noite. Jesus
disse: "Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos
ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito" (Jo.14:26).
• Responda-me: O que o Espírito lembrará? A resposta é o que Jesus falou. E onde está
relatado o que Jesus Falou? É lógico, na Bíblia, ou seja, quem não estuda a Palavra de Deus
e livros afins, não têm como ser usado pelo Espírito de Deus eficazmente. O Espírito Santo
não tem como lembrar algo que nós não conhecemos!

• Geralmente quando estamos dialogando com um adepto da CCB não é raro recebermos como
respostas textos bíblicos como o de Lucas 12.12 e João 14.16,17. Fazem isso para
demonstrarem que seus ensinamentos estão baseados na Bíblia. Entretanto, tais argumentos
não resistem a um exame minucioso do texto bíblico, pois foram tirados fora de seu contexto.
Vejamos o primeiro: "Porque o Espírito Santo vos ensinará na mesma hora o que deveis
dizer." RESPOSTA: Este versículo de maneira alguma está ensinando o crente não estudar a
Bíblia. Ele está dentro de um contexto onde Jesus incentiva seus discípulos a confiarem em
Deus nas horas de tribulação que viria nos tribunais perante os homens. É só ler os versos
acima começando pelo versículo 4. Isto se cumpriu integralmente na vida dos apóstolos, por
exemplo, em Atos capítulo 4 ; 5:27 em diante; 22:30 capítulo 23 em diante; capítulo 24 em
diante. Nota-se em todos esses textos que a sabedoria com que falavam provinha é claro do
Espírito Santo, no entanto eles fazem citações de profecias do Velho Testamento que para
uma pessoa que não estudasse as escrituras era impossível fazer devido ao manuseio do livro
da lei que era bem diferente de nossas Bíblias de hoje dividida em capítulos e versículos
inclusive com tópicos. Mas naquela época não havia nada disso!
• Costumam citar ainda o velho e costumeiro jargão: "A letra mata mas o espírito vivifica",
baseam-se para isso em 2Co. 3.6. RESPOSTA: Novamente os adeptos da CCB incorrem em
grave erro por não conhecerem as escrituras. O apóstolo está discutindo neste capítulo sobre
as duas alianças, os dois ministérios, o da graça, e o da lei dada por Moisés. Ele diz realmente
que a letra mata, mas qual letra? Estaria o apóstolo ensinando com isso que não se deve
estudar a Bíblia? Não. O verso 7 responde: "Ora, se o ministério da morte, gravado com letras
em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fixar os olhos no
rosto de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual se estava desvanecendo". O que foi
gravado com letras em pedras? Êxodo 32:16 e 34:1 responde: "E virou-se Moisés, e desceu
do monte com as duas tábuas do testemunho na mão, tábuas escritas de ambos os lados; de
um e de outro lado estavam escritas." "E aquelas tábuas eram obra de Deus; também a
escritura era a mesma escritura de Deus, esculpida nas tábuas" e "Então disse o Senhor a
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 51

Moisés: Lavra duas tábuas de pedra, como as primeiras; e eu escreverei nelas as palavras
que estavam nas primeiras tábuas, que tu quebraste." O Espírito o qual o apóstolo diz que
vivifica é o espírito da nova aliança dentro da dispensação da graça. Pois na lei de Moisés
qualquer um que a infringisse morreria, ou seja, a letra da lei matava, condenava, julgava,
todavia na dispensação da graça ou do Espírito, não há morte, mas vida, Ele nos dá poder
para vencer, o que a lei de Moisés não podia fazer. Se não podemos estudar a palavra de
Deus (a letra), por que isso, segundo eles, seria lançar mão de obras da carne, então por que
os músicos estudam a letra da música? Não é o Espírito que ilumina na hora certa? Por que
estudar então? Na verdade os membros da CCB conhecem muito mais seu hinário do que a
Bíblia!

• Vejamos ainda outro: "Além disso, filho meu, sê avisado. De fazer muitos livros não há fim; e o
muito estudar é enfado da carne." Eclesiastes 12.12. RESPOSTA: O escritor de Eclesiastes
não diz que estudar a lei de Deus que naquele tempo constituía a palavra de Deus ou a Bíblia
dos Hebreus era enfado da carne. Mas o estudar as coisas seculares do mundo! No capítulo
1.18 ele diz: "Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta o conhecimento
aumenta a tristeza." Mas qual conhecimento ele esta a falar? É claro que é somente ao
conhecimento do mundo da carne como ele deixa bem transparecer nos versos a seguir:
 "(12) Eu, o pregador, fui rei sobre Israel em Jerusalém.
 (13) E apliquei o meu coração a inquirir e a investigar com sabedoria a respeito de
tudo quanto se faz debaixo do céu; essa enfadonha ocupação deu Deus aos filhos
dos homens para nela se exercitarem.
 (14) Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol; e eis que tudo era
vaidade e desejo vão.
 (15) O que é torto não se pode endireitar; o que falta não se pode enumerar.
 (16) Falei comigo mesmo, dizendo: Eis que eu me engrandeci, e sobrepujei em
sabedoria a todos os que houveram antes de mim em Jerusalém; na verdade,
tenho tido larga experiência da sabedoria e do conhecimento.
 (“17) E apliquei o coração a conhecer a sabedoria e a conhecer os desvarios e as
loucuras; e vim, a saber, que também isso era desejo vão.”

• Porque devemos estudar a Bíblia.

 Ela é o manual do crente na vida cristã e no trabalho do Senhor. O crente foi salvo
para servir ao Senhor (IPe.2:9; Ef.2:10). Sendo a Bíblia o livro texto do cristão, é
importantíssimo que este a maneje bem para o eficiente desempenho na missão de
pregar o evangelho, pois todos somos chamados para isso. Todo bom profissional
sabe usar bem a sua ferramenta, e poderíamos dizer que todo bom crente sabe
manejar bem a sua Bíblia.
 A Palavra de Deus Alimenta a nossa Alma. Disse Jesus: "Mas Jesus lhe
respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que
sai da boca de Deus" (Mt.4:4).
 A Palavra de Deus é a espada que o Espírito Santo usa. "e a espada do Espírito,
que é a palavra de Deus" (Ef.6:17).
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 52

 Só através do estudo da Bíblia é que iremos conhecer a vontade de Deus para
nossas vidas. Quem não estuda a Bíblia não sabe o que Deus quer para sua vida,
pois só na Palavra encontramos a verdade. Leiamos: "Se vós permanecerdes em
mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos
será feito" (Jo. 15:7).

3. O USO DO VÉU E DO CABELO.

• Os legalistas da CCB dizem que a mulher que corta os seus cabelos vai para o inferno e
outros ainda acrescentam que é importante e necessário o uso do véu no culto. Alguns
chegam a afirmar que o cabelo pela sua importância é misteriosamente guardado em uma
caixa de ouro celestial depois de cortado. Veja que absurdo, chegam a inventar lendas para
provarem uma doutrina espúria, como essa! O texto, do qual a CCB tirou essa aberração
doutrinária é 1Cor.11.1-16. Logo abaixo iremos mostrar que o cabelo e o véu, ou qualquer
doutrina que o homem possa inventar, jamais poderá substituir a graça de Deus.
• Todavia para extrairmos uma interpretação correta do referido texto, iremos analisar a opinião
de alguns teólogos e historiadores, que com toda segurança e sinceridade escreveram sobre o
assunto. Segue abaixo o comentário do livro do - Dr. OPINAM C. Stamps: "Paulo sustenta que
o homem é a cabeça da mulher. Este fato subentende a subordinação da mulher. Deste modo,
estabelece-se uma cadeia de comando: Deus, Cristo, o homem, a mulher. A partir desta
proposição deduzem-se decorrências práticas. As mulheres estão erradas, se de qualquer
forma, modificam suas diferenças em relação aos homens. Esta admoestação é verdadeira em
qualquer circunstância. Paulo dá o exemplo da diferença no vestir. Uma das maneiras de se
ver esta diferença estava na maneira dessas mulheres manterem o cabelo. Este devia
permanecer de tal maneira que distinguissem os homens das mulheres. O cabelo da mulher
simbolizava sua submissão e lealdade a seu marido (por causa do costume da época). Paulo
também declara que o cabelo longo é uma vergonha para o homem."

• O Comentário da Bíblia Explicada: "A mulher cobria a cabeça nos dias de Paulo, como sinal de
modéstia e subordinação ao marido, e para demonstrar a sua dignidade. O véu significava que
ela devia ser respeitada e honrada como mulher casada. Sem véu, ela não tinha dignidade; os
homens não respeitavam mulheres sem véu, pois deste modo elas se exibiam pública e
indecorosamente. Sendo assim, o véu era um sinal do valor, da dignidade e da importância da
mulher conforme Deus a criou (conceito da época). O princípio subjacente no caso do véu,
ainda é necessário hoje. A mulher cristã deve vestir-se de modo modesto e cuidadoso,
honroso e digno, para sua segurança e seu devido respeito aonde quer que for. A mulher , ao
vestir-se de modo modesto e apropriado para a glória de Deus, ressalta a sua própria
dignidade, valor e honra que Deus lhe deu. Era costume oriental, no tempo dos apóstolos, a
mulher cobrir o rosto com o véu quando andava nas ruas , porém podia dar-se o caso,
enquanto ela lavava roupa no córrego, passar algum homem, e encará-la. Mesmo assim, no
caso de não ter o véu disponível, teria um recurso: cobrir o rosto, com o seu cabelo comprido.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 53

Assim ela ter cabelo comprido lhe era "honroso", mostrando que não era mulher destituída de
pudor."

• Manual Bíblico do Dr. Halley: "Era costume nas cidades gregas e orientais as mulheres
cobrirem a cabeça, em público, salvo as mulheres devassas (prostitutas). Corinto estava cheia
de prostitutas, que funcionavam nos templos (de Afrodite). Algumas mulheres cristãs,
prevalecendo-se da liberdade recém achada em cristo, afoitavam-se em pôr de lado o véu nas
reuniões da igreja, o que horrorizava as outras mais modestas. Diz-lhes o apóstolo que não
afrontem a opinião pública com relação ao que é considerado conveniente à decência feminil.
Homens e mulheres têm o mesmo valor a vista de Deus. Há, porém, certas distinções naturais
entre homens e mulheres, sem as quais a sociedade humana não poderia existir. Mulheres
cristãs vivendo em sociedade pagã (pessoas que não conhecem a Deus), devem ser
cautelosos sem suas inovações, para não trazer descrédito à sua religião. Geralmente vai mal
quando as mulheres querem parecer homens."

• NÃO DEVEMOS DAR VALOR AO QUE NÃO É VALORIZADO. A verdade é que o uso do véu
era algo peculiar da igreja dos Coríntios, era um problema local. Não podemos transforma-lo
em doutrina universal para a igreja! Mesmo porque, o apóstolo nunca jamais ensinou sobre o
uso do cabelo e do véu para outras igrejas. Em nenhuma outra epístola iremos encontrar tal
ensinamento. Contudo se as mulheres da CCB fossem praticar realmente o versículo, teriam
que usa-lo fora da igreja também como fazia as mulheres da época, e não somente durante o
culto! Tudo isso mostra a incoerência da CCB em sustentar uma doutrina extra bíblica. É
oportuno chamar a atenção para dois textos do V.T sobre esse tema: "Então, se rapará;" (aqui
está se referindo a purificação do leproso, independentemente do sexo)- Levítico 13:33.
"Então, a trarás para a tua casa, e ela (a mulher) rapará a cabeça."(lei acerca da mulher
prisioneira) - Deuteronômio 21:12. Nestes dois textos vemos a Lei de Deus determinar que o
cabelo da mulher fosse rapado. No primeiro caso temos a purificação da mulher leprosa, que
quando curada da lepra tinha que rapar totalmente a sua cabeça. Depois, o caso da mulher
que era presa nas guerras e trazida para o meio do povo de Deus, esta para ser recebida
entre o povo, deveria rapar a cabeça. Veja que Deus poderia curar a mulher leprosa sem ser
necessário determinar que sua cabeça fosse rapada. Creio que a mulher capturada na guerra
poderia ser recebida entre o povo judeu sem precisar mexer no seu cabelo, mas acredito que
nesses textos Deus quer nos ensinar algo maravilhoso. Pense nisso: "Se o cabelo fosse tão
importante, como muitas vezes é pregado na CCB, será que nesses dois textos Deus
ordenaria o seu corte a ponto de que essas mulheres ficassem rapadas?" A interpretação
correta, do referido texto (1Co 11.1-16), ocorre pela comparação com Gênesis 38:14-15.
Lendo bem os dois textos chega-se a conclusão que o que é pregado sobre o cabelo e o véu é
um tanto, falta de informação e conhecimento de cultura e costumes bíblicos. Para os coríntios
o cabelo (que era dado em lugar do véu), é sinônimo de santidade e honra, mas o mesmo véu
em Gênesis é usado como disfarce para Tamar (nora de Judá) passar-se por uma prostituta.
Não podemos entender isso se não levarmos em conta os costumes da época e seus valores
históricos. Endossamos plenamente o que Paulo disse: "Mas, se alguém quiser ser
contencioso, nós não temos tal costume, nem tampouco as igrejas de Deus" (1Co 11.16). Mas
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 54

parece que a CCB passa por cima deste versículo e continua criando contendas com outras
igrejas por causa do uso do véu!

4. A CCB É CONTRA O MINISTÉRIO PASTORAL.

• Os membros da CCB costumam dizer que em sua igreja não existe pastor, pois o único pastor
deles é Jesus. Costumam chamar o líder ou dirigente da igreja de "ancião". A palavra pastor
tomou um tom pejorativo entre eles. Costumam falar sobre como devemos tomar cuidado com
os falsos pastores e como eles enganam as pessoas!
• Mas se há o falso é notório que há também o verdadeiro. Não podemos desprezar uma nota
verdadeira por que no mercado está correndo dinheiro falsificado!!! Embora a CCB não aceite
o Ministério pastoral a Bíblia, contudo é clara sobre o assunto: "e vos darei pastores segundo o
meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência" (Jr.3:15). "E
levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e nunca mais temerão, nem se
assombrarão, e nem uma delas faltará, diz o Senhor" (Jr.23:4). "E ele (Jesus) deu uns como
apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e
mestres" (Ef.4:11). "Lembrai-vos dos vossos pastores, os quais vos falaram a palavra de Deus,
e, atentando para o êxito da sua carreira, imitai-lhes a fé" (Hb.13:7). "Obedecei a vossos
pastores, sendo-lhes submissos; porque velam por vossas almas como quem há de prestar
contas delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil"
(Hb.13:17). Na CCB não é possível obedecer aos textos acima, pois eles não aceitam o
ministério pastoral. Isto é apenas uma questão de lógica: "Cristãos são ovelhas e ovelhas são
submissas a um pastor humano levantado por Cristo" (Leia: Ef.4:11; Hb.13:7 e 17). A
verdadeira Igreja de Jesus Cristo têm pastor, sendo assim a CCB está fora dos parâmetros
dessa realidade. Dizem que um homem não pode ser pastor de uma igreja, mas quem afirmou
que nos daria pastores, foi o próprio Deus! Desobedecer a isso é afrontar o que Ele
determinou; é insurgir contra sua autoridade e Palavra. As alegações da CCB são no mínimo
infantis e de uma pobreza franciscana! O texto mais usado por eles é João cap.10 que diz: "Eu
sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem", mas mesmo este texto
não representa nenhum obstáculo ao ministério pastoral, muito pelo contrário - o confirma.
Outro texto muito usado é o Sl.23 - "O Senhor é o meu pastor" e realmente o Senhor é o Sumo
Pastor (I Pe.5:4) e se há sumo pastor é claro que há também subpastores ou pastores apenas,
assim como no antigo Israel havia Sumo Sacerdote e também os sacerdotes auxiliares. Ora, a
Bíblia diz que Jesus é nosso Sumo Sacerdote (Hebreus 8:1) mas também diz que nós somos
sacerdotes igualmente (Apocalipse 1:6). Veja que um não exclui o outro, da mesma maneira
acontece com o cargo de pastor. Para encerrar gostaríamos de fazer a seguinte pergunta: Os
anciãos da CCB não apascentam as ovelhas; com conselho, instrução e pregações? É claro
que sim.Tenho para mim que os anciãos da CCB fazem o papel de pastor porém sem usar o
rótulo. E o próprio Jesus ordenou isso a Pedro: "Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas
ovelhas”.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 55

5. SÃO CONTRA O SUSTENTO DO OBREIRO.

"Outras igrejas despojei, recebendo delas salário, para vos servir" (II Cor.11:8). Paulo recebeu
salário de certas igrejas em seus dias para servir aos crentes de Corinto. A CCB, porém, afirmam
que o pastor ou obreiro que recebe salário é mercenário e ladrão. Prefiro ficar com a Bíblia a ficar
com as opiniões da CCB. A respeito do salário e sustento do pastor ou obreiro a Bíblia diz ainda,
entre outras coisas, o seguinte:
a. O pastor ou obreiro que se dedica à obra ministerial é digno do seu salário (I Tm.5:18).
b. Paulo ensinou a Igreja de Corinto a sustentar os obreiros do evangelho (I Cor.9:4-14).
c. O mesmo apóstolo Paulo advertiu ao pastor Timóteo a não cuidar de negócios terrenos
com o fim de sustentar-se , dedicando-se somente a pregação do evangelho (II Tm.2:4).
d. O apóstolo Pedro disse que a única ocupação dele e de seus companheiros de ministério
eram a oração e a pregação do evangelho (At.6:4).
e. Simão e André abandonaram a profissão que exerceram por anos para se dedicarem
unicamente ao ministério da Palavra (Mc.1:18).
f. Os apóstolos e Jesus viviam das ofertas que recebiam. Em João 12:6 lemos que havia uma
bolsa para receber as ofertas, bolsa essa que Judas tirava o que podia, mas que mesmo
assim mantinha dinheiro para comprar pão que sustentasse uma multidão (Jo.6:5-7).
Diante disto, quem se opõe ao sustento dos pastores e obreiros opõe-se à própria Palavra
de Deus.

6. A CCB É CONTRA O DÍZIMO.

O dízimo é o principal cavalo de batalha da CCB contra as igrejas evangélicas. Quem escuta um
membro da CCB atacar o sistema de contribuição nas igrejas evangélicas tem a impressão que na
CCB não existe nenhuma forma de arrecadação de dinheiro. Contudo, ledo engano! Ensinam os
anciãos da CCB, e seus adeptos vivem alardeando que o dízimo faz parte dos preceitos da lei e
como esta foi abolido por Cristo, o dízimo também o foi juntamente. Como será então que eles
mantêm a estrutura econômica de sua organização? Resposta: O sistema de ofertas na CCB
funciona da seguinte maneira:
a. Oferta da Piedade.
b. Oferta para compra de terreno.
c. Oferta para fins de viagem.
d. Oferta para conservação de prédios.
A Bíblia ensina e nós cristãos evangélicos acreditamos que o dízimo é santo (Lv.27:30); a CCB diz
que o dízimo é para ladrões, a Bíblia diz que é para o Senhor (Ml.3:8-11). A CCB diz que o dízimo é
coisa da lei; mas a Bíblia afirma que o dízimo é antes da lei e que a Igreja apostólica praticava o
dízimo (Gn. 14:18-29; Hb. 7:8-9). Quem começou a dar o dízimo foi o pai dos crentes, Abraão e
para que essa benção continue a fluir em nossas vidas devemos imitá-lo (Gl. 3:14). Embora o
cristão deva sempre procurar ser mais que dizimista, pois Deus, nesta dispensação, nos chamou
para excedermos os escribas e fariseus (Mt. 23:23; Mt. 55:20).
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 56

A CCB diz que dá a César o que é de César (Lc. 20:25), mas quando é para dar a Deus inventa
muitos argumentos e obstáculos. Assim eles demonstram ser mais fiéis a César (o governo) do que
a Deus, mas o nosso Senhor os qualifica como ladrões. leiamos: "Roubará o homem a Deus?
Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas" (Ml.
3:8). Acredito que a única pessoa que quer que os filhos de Deus fiquem na miséria é o diabo (Jo.
10:10) e para isso ele se transfigura em anjo de luz (II Cor. 11:14) e tenta fechar o meio de Deus
abençoar o seu povo - que é dando os dízimos e as ofertas. Que nunca nos deixemos contaminar
pela avareza (Cl.3:5) e devolvamos a Deus o que lhe pertence: "Trazei todos os dízimos à casa do
tesouro (atualmente a igreja), para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de
mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós
tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança" (Ml.3:10).

7. A CCB ACEITA A BEBIDA ALCOÓLICA.

A embriagues devido ao uso de bebidas alcoólicas entre os membros da CCB já lhes valeram o
apelido de "Congregação Cristã do Barril". Isto porque, em suas festas sociais como as de
casamento e outras, não se intimidam em se embriagarem perante crentes e incrédulos. Há casos
reais de membros da CCB que foram flagrados ensaiando seus hinos para o culto à noite
totalmente embriagados. Mas isto é o de menos, em comparação com o caso de um ancião que
teve de ser carregado para cima do púlpito, pois estava cambaleando de bêbado!
Os membros da CCB desde os jovens até os adultos dão um verdadeiro show de mau testemunho
para com os que estão de fora. Para esses, cai como uma luva as palavras do apóstolo Paulo:
"Assim pois, por vossa causa, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios..." (Romanos 2:24)
A CCB alega que beber socialmente, ou seja, sem se embriagar não é pecado. Entretanto não é
isso o que a Palavra de Deus nos afirma. O beber socialmente tem sido o argumento que tem
levado a muitos á beira da escravidão alcoólica. Haja vista que alguns começaram com uma
simples bala de licor para hoje estarem viciados na bebida. Os centros de recuperação de
"alcoólicos anônimos" continuam lotados enquanto que sistemas religiosos como o da CCB, tem se
escondido atrás da alegação do diabo, de que os irmãos podem beber, é só tomarem cuidado para
não se embriagarem! Mas voltemos à palavra de Deus, vejamos o que ela tem a nos dizer quanto a
isso:
• "Ai daquele que dá de beber ao seu próximo, adicionando à bebida o seu furor, e que o
embebeda para ver a sua nudez! Serás farto de ignomínia em lugar de honra; bebe tu
também, e sê como um incircunciso; o cálice da mão direita do Senhor se chegará a ti, e
ignomínia cairá sobre a tua glória" (Hb.2:15-16).
• "Mas também estes cambaleiam por causa do vinho, e com a bebida forte se
desencaminham; até o sacerdote e o profeta cambaleiam por causa da bebida forte, estão
tontos do vinho, desencaminham-se por causa da bebida forte; erram na visão, e tropeçam
no juízo" (Is.28:7).
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 57

• "Não é dos reis, ó Lemuel, não é dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida
forte; para que não bebam, e se esqueçam da lei, e pervertam o direito de quem anda
aflito"(Pv.31:4-5).
• "O vinho é escarnecedor, e a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar não
e sábio" (Pv.20:1).
• "Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho (fermentado), quando resplandece no
copo e se escoa suavemente" (Pv.23:31).
• "Beberão, e cambalearão, e enlouquecerão, por causa da espada, que eu (o Senhor)
enviarei entre eles" (Jr.25:16).
Os textos acima falam por si e não deixa dúvidas quanto à vontade de Deus em relação a
bebida alcoólica. Entretanto vamos ainda falar do sacerdócio cristão.
Falou também o Senhor a Arão, dizendo: Não bebereis vinho nem bebida forte, nem tu nem
teus filhos contigo, quando entrardes na tenda da revelação, para que não morrais; estatuto
perpétuo será isso pelas vossas gerações, não somente para fazer separação entre o santo e o
profano, e entre o imundo e o limpo,(Lv.10:8-10). De acordo com o texto de Levítico nenhum
sacerdote deveria beber bebida alcoólica, a fim de desempenhar suas funções sacerdotais
diante de Deus. A pergunta é: Isso é também para a Igreja de Jesus? Leiamos: Mas vós sois a
geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as
grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (IPe.2:9). O
apóstolo Pedro está falando a respeito da Igreja de Jesus e notem que ela é chamada de
"sacerdócio real". Deus levantou uma Igreja sacerdotal, ou seja, intercessora que ora em favor
do mundo. E é claro que o nosso Deus que da Lei trouxe a graça não mudou seus padrões de
santidade e requerem de nós as mesmas coisas. Vejamos ainda: “... e nos fez reino,
sacerdotes para Deus, seu Pai, a ele seja glória e domínio pelos séculos dos séculos. Amém"
(Ap.1:6). “... e para o nosso Deus os fizeste reino, e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra"
(Ap.5:10). Quando aceitamos o Senhor Jesus como sendo nosso único salvador nos torna
sacerdotes de Deus. E como tais devemos cumprir a Palavra que diz: "Não bebereis vinho nem
bebida forte"(Lv.10:8). Em nossa cidade temos várias casas de recuperação de alcoólatras e
muitas delas não são religiosas. Em conversa com alguns que lideram essas casas fiquei
surpreso com as suas convicções. Disseram-me que uma das maiores hipocrisias da sociedade
é o "beber socialmente". Continuou dizendo-me que todo alcoólatra começou com uma
pequena dose de cerveja, por exemplo. Alguns até gostariam que fosse crime o consumo
dessas bebidas, visto que fazem mais mal que outras drogas proibidas. Veja o depoimento de
José M. de Melo, ex-alcoólatra, hoje ministro do evangelho: A incontestável realidade é que o
beber apenas um aperitivozinho diariamente não nos outorga nenhum privilégio. Preferível lhe
seria... “Sofrer uma terrível e nauseante “ressaca”, por embriagar-se desenfreadamente uma
única vez na vida, que paulatinamente ir sendo envolvido pelo álcool...” ( Da Escravidão
Alcoólica à Libertação Cristã; pág. 21 ed. 1982 - itálico do original) Como cristão, ao ouvir esses
depoimentos, fiquei mais convicto que devemos nos abster desse veneno que é a bebida.
Como sacerdote de Deus não tenho dúvidas quanto ao álcool. Meu ministério sacerdotal não
pode ser quebrado por esse repugnante vício. Você que é servo de Deus não deve se envolver
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 58

com esse mal e sim tirar os que nele estão envolvidos. Imagina como alguém que bebe poderá
pregar e dar bom testemunho à um viciado que se encontra possuído pelo álcool ? Dizer que
Jesus liberta ? Isto seria bater de frente com Romanos cap.2 que afirma o seguinte: "tu, pois,
que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar,
furtas? 22 Tu, que dizes que não se deve cometer adultério, adulteras? Tu, que abominas os
ídolos, roubas os templos? 23 Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da
lei?" Ainda que a doutrina de sua "Igreja" permita tal coisa, a Palavra de Deus contudo é mais
forte que todas as doutrinas humanas. E digo mais, se a sua igreja aceita o "beber
socialmente", isto não é um bom sinal de saúde espiritual!!!

8. A CCB ALEGA QUE SÓ O SEU BATISMO É CORRETO.

• A CCB não reconhece o batismo efetuado por ministros do Evangelho de outras
denominações, mesmo que seja por imersão, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo
(Mt.28:19). Não condenamos a fórmula adotada pela CCB para batizar os seus adeptos. É
verdade que não concordamos com a maneira pela qual ela ministra o batismo nas águas, ou
seja, o candidato ao batismo não recebe nenhum devido preparo ao se batizar, há pessoas
que se batizam ainda com vícios e que não teve uma experiência do novo nascimento, ficando
à mercê do sentimentalismo, pois acreditam que se Deus tocar na pessoa na hora do batismo,
ela pode naquele momento ser batizada e ser salva, fazem isso devido a uma má
compreensão do texto bíblico de Atos 2:38, acreditam que as águas purificam pecados.

• A problemática toda recai nos argumentos levantados pela CCB, para não reconhecer o
batismo de outras denominações. Analisemos os principais: O batismo de outras
comunidades cristãs evangélicas está errado, porque utilizam a expressão "eu te batizo". A
CCB entende que ao dizer "eu te batizo" é a carne que opera o homem, colocando-se na
frente de Deus. O batismo só é valido se efetuado com está formula: "Em nome do Senhor
Jesus te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".

• O batismo da CCB purifica o homem do pecado.

 O primeiro argumento da CCB é de uma pobreza descomunal: Ora, qual a diferença entre
a expressão, "eu te batizo", e a da CCB, "te batizo"? Na primeira expressão o sujeito está
explícito; na segunda o sujeito está oculto. Das duas, uma: Ou a CCB pensa que no ato
batismal não é o homem que batiza, mas Deus, ou eles não conhecem a língua
portuguesa! É claro que é o homem que efetua o batismo, pois Jesus mandou que os
discípulos assim o fizessem. Além disso, se, pelo fato de utilizar a expressão "eu te
batizo", estivéssemos errados e ofendendo a Deus, então João Batista não estaria certo
tão pouco quando batizou Jesus, pois naquela ocasião usou a seguinte expressão: "Eu
vos batizei em água; ele, porém, vos batizará no Espírito Santo" (Mc.1:8) e "Eu, na
verdade, vos batizo em água" (Mt.3:11). Será que a CCB acha que João Batista estava
errado também?
 O segundo argumento da CCB acerca da fórmula batismal é uma prova da falta de
conhecimento Bíblico e teológico. Eles criaram uma fórmula que não existe nas escrituras.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 59

A menção do batismo em nome de Jesus (Atos 2:28; 8:16; 10:48 e 19:5) encontra-se em
passagens que não tratam da fórmula batismal, e, sim, de atos ou eventos feitos em nome
de Jesus, pois tudo o que é feito em nossas vidas é em nome de Jesus. Veja o que diz o
apóstolo Paulo em Colossenses 3:17: "E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras,
fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai". O cristão quando se
reúne, se reúne em nome de Jesus; Quando louva a Deus com cânticos, louva em nome
de Jesus; Quando apresentamos uma criança, apresentamos em nome de Jesus;... E
quando realizamos um batismo, realizamos em nome de Jesus, mas de acordo com a
fórmula dada por Cristo: "Em nome do Pai, Filho e Espírito Santo" (Mt.28:19). Os textos do
livro de Atos só nos mostram essa realidade e não uma fórmula batismal. veja: Atos 2:38 -
"Em nome de Jesus Cristo"; Atos 8:16 - "em nome do Senhor Jesus". Se essas
passagens revelassem a fórmula batismal, seriam iguais, pois qualquer fórmula é
padronizada. O que a Palavra está dizendo é que as pessoas eram batizadas na
autoridade do nome do Senhor Jesus, mesmo porque não é possível que Pedro, pouco
tempo depois da ordem de Jesus, em Mateus 28:19, agisse de modo tão diferente,
alterando a fórmula batismal.
 O terceiro argumento é de que o batismo, na CCB, purifica o homem do pecado. Tal
afirmação é desqualificada, sem base bíblica, basta somente um pequeno versículo
bíblico como o de I João 1:7 para lançar por terra essa heresia medieval: "...e o sangue de
Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado". A Bíblia deixa bem clara essa questão. O
que nos purifica é somente "O SANGUE DE JESUS CRISTO". Em Marcos 16:16 é dito
que: "Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado". Não é
dito que quem não crer e não for batizado será condenado, mas apenas quem não crer. O
ladrão da cruz não teve tempo para se batizar, mas creu no Senhor , recebeu a remissão
dos seus pecados pelo seu sangue e foi salvo (`Lc.23:43).

9. A CCB ALEGA QUE SÓ SE PODE ORAR DE JOELHOS

A Bíblia diz: "Orai sem cessar" (I Ts.5:17). Na CCB os crentes são obrigados a orar somente
ajoelhado. Não podem obedecer ao texto citado, pois para obedecê-lo teriam de permanecer
ajoelhados sem cessar. Tentam os líderes da CCB provar com Filipenses 2:10 que somos
obrigados a orar somente ajoelhados. Esse texto refere-se ao fim, quando todos, crentes e ímpios,
terão de reconhecer Jesus como Senhor e terão de dobrar seus joelhos em sua presença. A
respeito da oração e sobre a posição que se deve orar citaremos alguns textos:
a. Jesus orou em pé, diante do túmulo de Lázaro, e sua oração foi ouvida (Jo.11:41,42).
Portanto orar em pé não é pecado.
b. Jesus orou na cruz (Lc.23:34-46).
c. O profeta Jonas orou no ventre de um grande peixe (Jn.2).
d. O rei Ezequias orou deitado e Deus ouviu-lhe o clamor (II Rs.20:1-5), provando assim que
Deus não olha para a posição do corpo, mas para o coração.
e. O publicano orou em pé e desceu justificado para casa (Lc.18:13-14).
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 60

f. O cego de Jericó orou assentado à beira do caminho e recebeu o milagre(Mc.10:46-52).
Observando tudo isto, chegamos à conclusão lógica: NÃO É A POSIÇÃO DO CORPO QUE
INTERESSA PARA DEUS; É A ATITUDE INTERNA QUE IMPORTA" Todos oramos
ajoelhados, porém, não somos como a CCB que só podem orar ajoelhados. Somos livres
para orar da maneira mais favorável, sem cessar, em qualquer lugar.

10. A CCB PRATICA O ÓSCULO SANTO.

A Bíblia mostra, em algumas epístolas, que os irmãos se saudavam com um beijo no rosto em sinal
de cordialidade e cumprimento (Rm.16:16).
Era um costume da época, como o nosso hoje, de saudar uns aos outros com um aperto de mão. O
ósculo não é colocado como uma doutrina ou ensinamento, mas apenas como um gesto de
cordialidade que deveria e deve haver entre os irmãos.
Em nossas igrejas o povo é livre para saudar, não frisamos o ósculo pelo fato da inconveniência. A
Bíblia nos ensina a evitar a aparência do mal (I Ts.5:22). Na nossa sociedade, homem beijando
homem é um tanto escandaloso, sendo uma prática homossexual. Não queremos causar
escândalos a ninguém (Rm.14:13) e por isso evitamos a prática do ósculo.
Também é mostrado na Bíblia que essa prática do ósculo não era prática somente entre homens e
homens e mulheres com mulheres, mas sim entre todos os irmãos independentemente do sexo.
"Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo."(Rm.16:16). Para o apóstolo Paulo todos eram
iguais perante Deus não havendo homem ou mulher (Gl.3:27-28).
Ademais disso os membros da CCB para serem coerentes deveriam saudar-se nas ruas com
osculo santo pois assim faziam os primeiros cristão. Mas não o fazem porque o consideram
inconveniente. A bem da verdade, essa prática está sujeita à malicias se tornando indiscreta para o
povo de Deus hoje em dia!

11. A CCB E O PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO.

Entendem que o adultério é o pecado contra o Espírito Santo de que fala a Bíblia. Grande
porcentagem de desviados e até andarilhos e mendigos que já conheci, são desviados
principalmente da CCB por ter achado que não têm mais perdão, pois pecaram contra o Espírito
Santo. O que é blasfêmia contra o Espírito Santo? Conforme a popularidade de Jesus crescia, seus
inimigos procuravam, desesperadamente, meios para explicar seus maravilhosos poderes.
Finalmente, decidiram alegar que ele expulsava demônios pelo poder do próprio Satanás (Mateus
12:22-32; Marcos 3:22-30; Lucas 11:14-23). Jesus respondeu com três argumentos e uma
advertência. Seus argumentos foram os seguintes:
a. Satanás não atacaria a si mesmo, pois ninguém luta contra si mesmo.
b. Se eu expulso demônios por Satanás, como seus filhos os expelem?
c. Para roubar a casa de um homem forte, tem-se primeiro que amarrá-lo. Expulsando
demônios, estou amarrando Satanás, de modo que eu possa cumprir minha missão de
resgatar àqueles que Satanás mantém cativos. Sua advertência foi: "Em verdade vos digo
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 61

que tudo será perdoado aos filhos dos homens: os pecados e as blasfêmias que proferirem.
Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão para sempre, visto que é
réu de pecado eterno." (Marcos 3:28-30). O que é este pecado imperdoável? Muitos
trechos ensinam que é possível ir tão longe de Deus que não se pode retornar. Paulo
adverte sobre consciências insensíveis (1 Timóteo 4:2). Hebreus fala de corações
endurecidos (capítulo 3) e daqueles que não podem ser trazidos de volta ao
arrependimento (capítulo 6). João fala daqueles cujos pecados levam à morte, uma vez que
eles se recusam a se arrependerem e a confessá-los (1 João 5:16-17). O próprio Jesus fala
do solo que foi pisoteado e compactado ao ponto em que nenhuma semente pode germinar
(Lucas 8:5). Cada passo que damos afastando-nos de Deus aproxima-nos do ponto sem
retorno. Podemos perder o poder moral para mudar e voltar ao Senhor. O problema,
naturalmente, não está na vontade de Deus de perdoar o pecador (Lucas 15; 2 Pedro 3:9).
Deus alegremente aceita e perdoa a todos que se arrependem. O problema está em que
alguns rejeitam cada tentativa de Deus para motivar o arrependimento. Depois que Jesus
deixou a terra, o Espírito Santo veio para revelar a mensagem final da salvação. Para
aqueles que a recusam e se voltam contra o Espírito Santo, Deus não tem nenhum outro
plano. Não há outro sacrifício pelo pecado (Hebreus 10:26-31). Aqueles cujo estado
endurecido faz com que recusem o rogo final de Deus, nunca serão perdoados. Esta é a
blasfêmia contra o Espírito Santo. Queira Deus conceder-nos corações tenros para
prontamente responder à sua palavra.

12. A CCB ALEGA QUE A SUA SAUDAÇÃO É A ÚNICA CERTA.

"A paz de Deus irmão! - Amém!" O diálogo acima é um exemplo corriqueiro de quem quer ter
comunhão com um membro da CCB. Repare que eles não devolvem a paz (Lc 10. 5,6), mas um
amém, por que acreditam que nossa saudação está incorreta. Se formos seguir a atitude
preconceituosa dos adeptos da CCB, a saudação adotada por eles seria passível de
questionamento, o que não ocorre pelo fato de os evangélicos, de maneira geral, respeitar os
costumes de outras igrejas. A CCB nos acusa e critica por usarmos a forma de saudar com a "Paz
do Senhor" em hebraico "Shallon Adonay". Citam para justificar esse conceito a seguinte
expressão: "Devemos saudar com a paz de Deus, e nunca com a paz do Senhor, porque existem
muitos senhores, mas Deus é um só". Essa acusação da CCB se desfaz em pó com somente um
versículo que Paulo escreveu na primeira carta aos coríntios 8:5 e 6, que diz: "Pois, ainda que haja
também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e
muitos senhores), todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para
quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por ele nós
também". Esse conceito da CCB não procedee é no mínimo perigoso, pois a saudação deles de
"Shallon El" é um termo genérico "El" em hebraico significa pode se referir a qualquer Deus
enquanto que "Adonay" não, só se refere ao Deus dos Israelitas. Não discordamos da CCB por ter
adotado a forma "paz de Deus" para cumprimentar, mesmo porque é bíblica. O que não podemos
de maneira alguma aceitar é a atitude discriminatória de seus adeptos, que pensam que por
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 62

saudarem com a forma que eles adotaram, estarão num patamar espiritual mais elevado,
condenando todas as demais saudações. Para seguirmos a risca os preceitos bíblicos teríamos que
saudar com "graça e paz" pois foi a saudação mais usada nas epistolas!

13. FLAGRANTE ANALOGIA.

Não podemos deixar passar despercebido a incrível semelhança entre a Congregação Cristã no
Brasil e a congregação de Coríntios. Não seria nada injusto taxa-la de neocorintiana, visto que os
mesmos problemas que existia na igreja dos Coríntios existe atualmente na CCB. Suas práticas e
doutrinas e costumes são idênticos. O apóstolo escreveu suas duas epístolas justamente para
corrigir equívocos e desvios doutrinários dentro da novel igreja. Analisemos agora a comparação.
a. Paulo tinha problemas com aquela igreja no tocante ao orgulho espiritual de possuir muitos
dons, mas, no entanto permaneciam carnais, dando mau testemunho aos de fora 1:7; 3:1.
b. Eles ultrapassavam os ensinamentos bíblicos 4:6.
c. Possivelmente tinha o batismo como primazia, daí a advertência do apóstolo 1:14,17.
d. Não possuíam pastor foi preciso o apostolo enviar-lhes um 16:10.
e. Eram contra o salário do pastor 9:6-14.
f. Eram contra o preparo intelectual e o estudo tendo Paulo que alertar sobre isso II Co 8:7;
11:6.

g. O uso do véu 11:1
Esses são apenas alguns dos pontos em que a CCB clonou da igreja de Corinto! É bom
frisarmos que aquela igreja era uma igreja deficiente devido a inúmeros erros doutrinários, e
não era de forma alguma, uma igreja que pudesse servir de exemplo para as demais!

PECULIARIDADES DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

A CCB possui ainda outras práticas particulares além das que já foram expostas acima, que a distancia
ainda mais das igrejas evangélicas. Vejamos:
• A ceia do Senhor é celebrada anualmente com um só pão sempre partido com a mão e também
com um só cálice, enterrando as sobras posteriromente.
• Não comemoram o Natal
• Há uma espécie de bancos separados para os que pecaram, chamado de "banco dos pecadores"
• Cerimônias de casamento não se realizam no templo. O crente da CCB não deve participar de
casamentos de pessoas não pertencentes a CCB, isso seria participar de coisas sacrificadas aos
ídolos (na Igreja Católica).
• Cerimônias fúnebres são proibidas nos templos.
• Acreditam na doutrina anti-biblica do sono da alma no intervalo entre a morte e a ressurreição.
• Mulheres não podem pregar na CCB, pois acreditam que a Bíblia lhes vetou este direito, se bem
que no início do movimento as mulheres tinham esse privilégio.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 63

• Nos templos há separação entre homens e mulheres.
• Proibição de fotografarem durante os cultos.
• Proibição de os membros assistirem cultos em outras igrejas.
• Não possuem livros didáticos ou de quaisquer espécies, salvo um livreto que contêm a história e
as doutrinas da CCB.

CONCLUSÃO

Após essa análise crítico-teológica que fizemos da CCB não pense o leitor que declaramos guerra a
esta igreja. Muito pelo contrário, adotamos o conselho bíblico "Instrui ao sábio, e ele se fará mais,
sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento." (Provérbios 9:9).
Partindo dessa premissa acreditamos piamente que estamos ajudando muitos a enxergar além das
lentes da CCB e perceber os erros e desvios doutrinários que é endossado pela sua igreja.
Oramos também, para que Deus aumente o entendimento de seus membros ao procurarem a palavra
de Deus, que o orgulho carnal caia por terra e venhamos a ter comunhão como irmãos e não como
primos. Graças a Deus que essa nova geração da CCB não apresenta uma mente tão fechada como
são as dos mais antigos, devido as inúmeras crendices que são espalhadas entre seus congregados.
Muitos deles até se sentem ofendidos com os pontos expostos acima. E não lhes tiramos esse direito.
Sentem-se assim, por não serem coniventes com essas heresias. Aliás, há até e-mails de membros da
CCB criticando nossos estudos em relação à sua igreja, mas infelizmente esse percentual ainda é
minoria, uma quantidade inexpressiva, pois a maioria continua ainda praticando essas anomalias e se
achando melhores que os outros cristãos!.

Bibliografia

· DEFESA DA FÉ - Edição especial de 1998
· DEFESA DA FÉ - Edição 1998 n8
· VINTE RAZÕES POR QUE NÃO PERTENÇO A Congregação Cristã no Brasil - Justus
· CONHECENDO A CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL S.V MILTON
· ERROS DOUTRINÁRIOS DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL (apostila) Natanael Rinaldi -ICP
· LIÇÕES BIBLICAS CPAD 1995 1 trimestre 1997, 2 e 4 trimestres.
· BÍBLIA DE ESTUDO PENTECOSTAL - CPAD
· TEOLOGIA SISTEMÁTICA - STANLEY M. HORTON CPAD
· ANOTAÇÕES PARTICULARES DO AUTOR
· PENTECOSTALISMO NO BRASIL Profa. Yara Nogueira Monteiro
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 64

Religiões Comparadas
Matéria elaborada por CENTRO APOLOGÉTICO CRISTÃO DE PESQUISAS – CACP

OBS. Este material expressa a opinião do CACP, podendo não ser a mesma do autor da apostila.

CRISTIANISMO BÍBLICO

• FUNDADOR: Jesus Cristo. Fundado por volta dos anos 30-33 d.C na Judéia, região da Palestina
(atual Israel).

• ESCRITURAS: A Bíblia escrita originalmente em hebraico e aramaico (Antigo Testamento) e grego
(Novo Testamento).

• DEUS: O Deus Único é Trino (Um Deus em três Pessoas, não três deuses): Pai, Filho e Espírito
Santo. Freqüentemente o título Deus indica a primeira pessoa, Deus Pai. Deus é um Ser Espiritual
sem corpo físico. Ele é pessoal e está envolvido com a humanidade. Criou o universo do nada. É
eterno, nunca muda. É santo, amoroso e perfeito.

• JESUS: Jesus é Deus, a segunda pessoa da Trindade. Ele sempre existiu como Deus Filho e não
foi criado. É plenamente Deus e plenamente Homem (duas Naturezas Unidas e não Amalgamadas).
Como segunda pessoa da Trindade, é igual a Deus Pai e Deus Espírito Santo. Para se tornar
humano, foi gerado pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria. Jesus é o Único caminho para ir
ao Pai, a Salvação e a Vida eterna. Ele morreu numa cruz, de acordo com o plano de Deus, como
um Sacrifício Completo e expiou os nossos pecados. Ressuscitou dentre os mortos três dias após
sua morte, fisicamente imortal. Durante os 40 dias seguintes foi visto por mais de 500 testemunhas
oculares. Suas feridas foram tocadas e ele comeu diante dos discípulos. Ascendeu fisicamente aos
céus. Jesus regressará outra vez, visivelmente e fisicamente, no fim dos tempos para estabelecer o
Reino de Deus e julgar o mundo.

• ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo é Deus, a terceira Pessoa da Trindade. O Espírito Santo é uma
pessoa, não uma força ou um campo de energia. Ele consola, repreende, convence, guia, ensina e
se entristece. Ele não é o Pai, nem o Filho, Jesus Cristo.

• SALVAÇÃO: A Salvação é obtida pela Graça de Deus e não pelas obras.A Salvação é recebida pela
Fé. Basta crer no coração que Jesus morreu por nossos pecados e ressuscitou fisicamente, dentre
os mortos. Teremos, então, assegurados o perdão e a ressurreição do nosso corpo. Este é o Plano
Amoroso de Deus para perdoar os pecadores.

• MORTE: Depois da morte, todas as pessoas esperam o Juízo Final. As pessoas salvas e as
perdidas ressuscitarão. Os salvos viverão com Jesus nos céus. Os perdidos, porém, sofrerão o
tormento (inferno), a separação eterna de Deus. A ressurreição corporal de Jesus garante aos
crentes que eles também terão corpos imortais.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 65

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: A adoração em grupo, usualmente praticada nas igrejas. Não há
cerimônias secretas. O batismo e a Ceia do Senhor (comunhão). Trabalho missionário voluntário.
Ajuda aos necessitados: pobres, viúvas, órfãos e oprimidos. Os cristãos crêem que Jesus é o
Messias Judeu prometido a Israel no Antigo Testamento. Jesus disse que os seus seguidores
seriam conhecidos pelo amor fraternal.

ISLAMISMO

• PROFETA: Maomé (579-632 d.C). Surgiu por volta de 610 d.C, em Meca e Medina. A sede se
encontra em Meca, na Arábia Saudita. As divisões principais: Sunitas e Xiitas.

• ESCRITURAS: Alcorão, escrito em árabe. El Hadith (as palavras e obras de Maomé). A Lei de
Moisés, os Salmos e os Evangelhos são aceitos pelo Alcorão. Os muçulmanos, entretanto, os
consideram adulterados.

• DEUS: Alá é Deus . Ele revelou o Alcorão a Maomé por intermédio do anjo Gabriel. Alá é um juiz
severo e não é representado como amoroso.

• JESUS: Jesus é um dos 124 mil profetas enviados por Deus a diferentes culturas. Abraão, Moisés e
Maomé são alguns.Jesus nasceu de uma virgem, mas não é o Filho de Deus sem pecado. Não é
Deus. Não foi crucificado (ascendeu ao céu sem ser morto) É conhecido como Messias e Ayatollah
(Ayat Allah, sinal de Alá). Jesus regressará no futuro para viver e morrer.

• ESPÍRITO SANTO: O Alcorão se refere a Jesus como o Espírito de Deus. Os eruditos muçulmanos
vêem o anjo Gabriel como o Espírito Santo.

• SALVAÇÃO: Os homens são basicamente bons, mas falíveis e precisam de direção. O equilíbrio
entre as boas obras e as más determinam o destino eterno: paraíso ou inferno.

• MORTE: Admite a ressurreição dos corpos. Haverá um dia final para julgar e recompensar. O
paraíso eterno para aqueles que creram no Islamismo, o inferno para os infiéis que não aceitaram o
Islamismo.

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Os adeptos são chamados Muçulmanos. Vão às mesquitas
(templos) para orar, ouvir sermões e conselhos. Esforço santo para expandir o Islamismo (Jihad).
Cinco pilares do Islamismo: confessar que Alá é o único Deus verdadeiro e Maomé o seu profeta,
orar cinco vezes ao dia voltado para Meca, dar esmolas, jejuar durante o mês de Ramadã e fazer
uma peregrinação a Meca (ao menos uma vez na vida).

FÉ MUNDIAL BAHAÍ

• PROFETA: Mirzá Alí Muhammad (o Bab) e Mirzá Husayn Alí (Bahá'u'lláh). Fundada em 1844 no Irã.
A sede se encontra em Haifa, Israel.

• ESCRITURAS: As escrituras de Bahá 'u'lláh e Abdu'-I-Bahá: Kitabi-i-Aqdas e Kitab-i-Lqan. A Bíblia,
interpretada espiritualmente, para concordar com a teologia Bahá'i.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 66

• DEUS: Deus é um ser divino incognoscível que se revela através de novas manifestações (líderes
religiosos), incluindo, Moisés, Buda, Confúcio, Jesus, Maomé e Bahá'u'lláh.

• JESUS: Jesus é uma das muitas manifestações de Deus. Cada manifestação substitui a anterior,
dando novas revelações acerca de Deus. Moisés, que foi substituído por Jesus, que foi substituído
por Maomé e mais recentemente pelo melhor Bahá'u 'lláh (Glória de Deus). Jesus não é Deus e não
ressuscitou dentre os mortos. Ele não é o único caminho para ir a Deus. Jesus regressou ao mundo
na forma de Bahá'u'lláh.

• ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo é a energia divina de Deus que concede poder a cada
manifestação. O Espírito da Verdade refere-se a Bahá'u'lla'h

• SALVAÇÃO: Fé na manifestação de Deus (Bahá'u'lláh). A Salvação é obtida pelo conhecimento e
prática dos princípios ensinados por Bahá'u'lláh.

• MORTE: Imortalidade pessoal baseada nas boas obras. Haverá recompensas para os fiéis. O céu e
o inferno são condicionais.

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: A fé Bahá'í originou-se como seita islâmica e é severamente
perseguida no Irã. Sua crença é que todas as religiões têm a mesma origem, princípios e
aspirações. Enfatiza a unidade e a unificação do mundo. Suas reuniões são denominadas
assembléias espirituais.

BUDISMO

• FUNDADOR: Buda (Sidharta Gautama). Fundado em 525 a.C, na Índia. Ramo do Hinduísmo.
• ESCRITURAS: O Tupitaka (Os três cestos).
• DEUS: O Budismo de um modo geral, é ateísta. Muitos budistas não crêem num Deus e nem num
Ser Supremo. Outros acreditam que Buda seja um iluminado universal com um estado de
consciência semelhante à de Deus.

• JESUS: Jesus Cristo é indiferente para o Budismo. Os budistas do Ocidente geralmente vêem Jesus
como um homem iluminado.

• ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo não faz parte desta crença.
• SALVAÇÃO: O objetivo da vida é o Nirvana, para eliminar todos os desejos e evitar o sofrimento. O
caminho Óctuplo é um sistema para impedir que os budistas desejem qualquer coisa.

• MORTE: As pessoas não têm alma e espírito. Os desejos e sentimentos de uma pessoa podem ser
reencarnados em outra pessoa. Não há céu nem inferno. Há o Nirvana (libertação final).

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: O caminho óctuplo recomenda: conhecimento correto, intenção,
fala, conduta, esforços corretos, cuidado e meditação. Alguns grupos budistas falam acerca de um
Buda eterno (força de vida). Alguns ramos budistas incluem: Zen, Nichiren Shoshu e Budismo
Tibetano (ocultista).

HINDUÍSMO
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 67

• FUNDADOR: Não há um só fundador. Existem muitas seitas. Seus fundamentos abrangem um
período que vai de 1800 a 1000 a.C, na Índia, tendo influência da religião Bramânica.

• ESCRITURAS: Muitas escrituras, incluindo o Bhagavad-Gita (antigo), o Upanishads (mais antigo) e
os Vedas (os mais antigos, por volta de 1000 a.C.).

• DEUS: Tudo é Deus (Panteista). Todos somos parte de Deus (Brama). As pessoas adoram
manifestações de Brahma (deuses e deusas). As pessoas são deuses, mas não sabem.

• JESUS: Jesus Cristo é um mestre, um guru, o avatar (uma encarnação de Vishnu). Ele é um filho de
Deus assim como são os outros. Sua morte não expia pecados e não ressuscitou dentre os mortos.

• ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo não faz parte desta crença.
• SALVAÇÃO: Libertação do ciclo de reencarnação. Recebida através de ioga e meditação. Pode-se
ter muitas vidas. A salvação final é uma união com Brama.

• MORTE: A reencarnação a um estado melhor (Carma bom) se a pessoa se portou bem. Se portou-
se mal, pode voltar a nascer e pagar por seus pecados passados sofrendo ( Carma mau).

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Alguns discípulos usam túnicas alaranjadas e têm a cabeça
raspada. Muitos hindus adoram ídolos de pedra e madeira em seus templos.Os gurus exigem
obediência total. Os discípulos meditam numa palavra, frase ou fotografia. A ioga inclui meditação,
cantar, postura, exercícios de respiração. Fundação da Nova Era e Meditação Transcendental.

JUDAISMO

• FUNDADOR: Abraão?? (Gn 12.1-3), cerca de 2000 a.C. no Oriente Médio. Existem três ramos
principais do Judaísmo: ortodoxo, conservador e reformado, cada um com suas crenças.

• ESCRITURAS: O Tanach (Antigo Testamento), especialmente a Toráh (primeiros cinco livros do
Antigo Testamento). O Talmude (explicação do Tanach). As Escrituras dos sábios, tais como,
Maimónides, Rashi etc.

• DEUS: Deus é Espírito. Para os judeus ortodoxos, Deus é pessoal, Todo Poderoso, Eterno,
Misericordioso. Para outros judeus, Deus é impessoal, incognoscível e definido de muitas maneiras.
Não há Trindade.

• JESUS: Jesus é visto como um falso messias extremista ou como um bom rabi (mestre), que foi
martirizado. Muitos judeus desconsideram Jesus. Os judeus (exceto os judeus messiânicos) não
crêem que ele foi o Messias, o Filho de Deus que ressuscitou dentre os mortos. Os judeus ortodoxos
crêem que o Messias vai restaurar o reino judaico e governará finalmente o mundo.

• ESPÍRITO SANTO: Alguns judeus crêem que o Espírito Santo é um outro nome para a atividade de
Deus na terra. Outros dizem que é o amor de Deus.

• SALVAÇÃO: Alguns judeus crêem que a oração, o arrependimento e obediência a Lei são
necessários para salvação. Outros crêem que a salvação seja o aperfeiçoamento da sociedade.

• MORTE: Haverá ressurreição física. Os obedientes viverão para sempre com Deus e os injustos
sofrerão. Alguns judeus não crêem em vida consciente após a morte.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 68

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Reúnem-se nas sinagogas no sábado. Praticam a circuncisão.
Vários dias santos e festivos, incluindo a Páscoa, Sukot, Janucá, Rosh Roshaná, Yom Kippur,
Purim. Jerusalém é considerada a cidade santa.

CIENTOLOGIA

• FUNDADOR: Lafaregefte Ronald Hubbard (1911-1986). Fundada em 1954, na Califórnia, EUA.
Atualmente a sede está localizada em Los Angeles, Califórnia.

• ESCRITURAS: Dianética, Scientology, The Fundamentals of Thought Cerimonies of the Founding
Church of Scientology e outros livros escritos pelo fundador.

• DEUS: Deus não é um ser supremo. Não admite que Deus seja Pessoal.
• JESUS: Jesus é raramente mencionado. Jesus não foi o Criador, nem tampouco ressuscitou. Jesus
não morreu por nossos pecados.

• ESPÍRITO SANTO: Espírito Santo não é mencionado.
• SALVAÇÃO: Não há pecado e nem necessidade de arrependimento. A salvação é ficar livre.
• MORTE: O Inferno é um mito.
• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Os membros observam o dia do nascimento do sr Hubbard.

ORDEM ROSA CRUZ

• FUNDADOR: Christian Rosenkreutz .
• ESCRITURAS: Afirmam não serem uma religião.
• DEUS: Deus para a Ordem Rosa Cruz é uma entidade separada e impessoal . Os rosacruzes
acreditam que ele seja composto por sete espíritos que se apresentam com diferentes aspectos na
Trindade cristã.

• JESUS: Jesus não é Deus. Era meramente um ser humano. Jesus ocupa a posição mais elevada
entre os mestres espirituais do mundo, mas a principal diferença entre ele e a humanidade diz
respeito ao nível, e não à substância.

• ESPÍRITO SANTO: Embora retenha a individualidade duramente conquistada através de suas
jornadas incalculáveis repetidas encarnações, o aspecto do Espírito Santo da unidade trina depois
da ocupação do veículo Jesus difundiu-se através do planeta.

• SALVAÇÃO: A evolução do espírito até a divindade. Reencarnação a cada 144 anos. Se vivermos
80 anos, passaremos 60 anos no espaço, até nova reencarnação.

• MORTE: Crê na reencarnação.
• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: A divindade do homem (somos divinos como nosso Pai no céu). Crê
na existência de gnomos e fadas.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 69

MORMONISMO

• FUNDADOR: Joseph Smith Jr (1805-1844), fundou a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos
Dias (SUD) em 1830, em Nova York, nos Estados Unidos da América. A sede dos Santos dos
Últimos Dias se encontra em Salt Lake City, Utah. EUA.

• ESCRITURAS: O Livro de Mórmon, Doutrinas e Convênios, A Pérola de Grande Valor e a Bíblia .
• DEUS: Deus Pai existiu como homem para chegar a ser Deus. Teve corpo físico, assim como
também uma esposa (mãe celestial). Não há trindade. O Pai, o Filho e o Espírito Santo são três
deuses separados. Os homens dignos podem um dia chegar a ser deuses também.

• JESUS: Jesus é um Deus separado do Pai (Elohim). Ele foi criado como um filho espiritual pelo Pai
e mãe no céu. É o irmão mais velho de todos os homens e seres espirituais. Seu corpo foi criado
através da união sexual entre Elohim e Maria. Jesus foi casado. Sua morte na cruz não proveu a
expiação completa por todos os pecados, mas propiciou a ressurreição para todos.

• ESPÍRITO SANTO: É um Deus separado do Pai e do Filho. O Espírito Santo é uma substância
líquida pela qual o pai exerce sua influência.

• SALVAÇÃO: Ressuscitados pela graça, mas salvos (exaltados à divindade) pelas obras, incluindo
lealdade aos líderes, batismo por imersão, dizimar, ordenanças, matrimonio e cerimônias secretas
no templo. Só há vida eterna para aquele que for da igreja Mórmon.

• MORTE: Finalmente quase todos irão a um dos três reinos celestiais separados, alguns obtendo a
divindade. Os apóstatas e os assassinos irão para o reino das trevas.

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: O adepto do Mormonismo não pode beber álcool, tabaco, café ou
chá. Batismo em nome dos mortos. Trabalho missionário gratuito. Visitas de casa em casa.
Cerimônias secretas no templo somente para membros de boa reputação. Rede social muito
extensa. As pessoas negras não tiveram acesso ao sacerdócio Mórmon e outros privilégios até
1978. Depois dessa data, não há mais restrição ao sacerdócio de pessoas negras.

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

• FUNDADOR: Charles Taze Russel (1852-1916), depois vieram Joseph F. Rutherford, Nathan Knorr
e Fred Franzs. Começaram em Pensilvânia, Estados Unidos em 1879. A sede se encontra no
Brooklyn, Nova York, EUA.

• ESCRITURAS: A Bíblia (Tradução do Novo Mundo).Todas as publicações atuais da Torre de Vigia.
As revistas: A Sentinela e Despertai!, publicadas quinzenalmente.

• DEUS: Deus é uma pessoa, cujo nome exclusivo é Jeová. Não crêem na Trindade. Jesus foi o
primeiro ser criado por Jeová.

• JESUS: Jesus é um deus. Antes de vir ao mundo, ele era o arcanjo Miguel. Jeová criou o universo
por meio de Jesus. Quando Jesus estava na Terra, ele foi um homem que viveu perfeitamente.
Depois de haver morrido numa estaca (não numa cruz), foi ressuscitado como espírito e seu corpo
foi destruído. O homem Jesus não existe mais. Jesus não virá outra vez. Ele já veio invisivelmente
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 70

em 1914, em espírito. Em breve haverá a Batalha do Armagedon, quando todos os que não são
Testemunhas de Jeová perecerão.

• ESPÍRITO SANTO: É a força ativa invisível de Jeová. Não é pessoal.
• SALVAÇÃO: Ser batizado como Testemunha de Jeová. A maioria dos seguidores tem que ganhar a
vida eterna na Terra, trabalhando de casa em casa. A salvação no céu está limitada aos 144 mil
ungidos.

• MORTE: Os 144 mil viverão no céu como seres espirituais. O remanescente dos justos, a grande
multidão viverá na Terra e obedecerá a Deus perfeitamente por 1000 anos. Depois, deverão
suportar a prova final, quando Satanás for solto do poço do abismo.

• OUTRAS CRENÇAS: Reúnem-se aos domingos nos Salões do Reino. Os membros ativos são
instruídos a distribuir literatura de casa em casa. Uma vez por ano celebram a Refeição Noturna. Só
os ungidos podem participar. Não comemoram feriados nem aniversários. Não saúdam a bandeira,
não prestam serviço militar, não aceitam transfusões de sangue. Crêem que a guerra do Armagedon
em breve ocorrerá.

ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA

• FUNDADOR: Guilherme Miller nasceu em 1787, em Pittsfield, Massachutss, EUA. Ellen G. White
nasceu em 1827.

• ESCRITURAS: Considera os livros de Ellen White inspirados por Deus. O livro O Grande Conflito é
considerado uma obra-prima. Outras publicações são: Vida de Jesus, Patriarcas e Profetas,
Veredas de Cristo, O Desejado de Todas as Nações.

• DEUS: Crê na Trindade.
• JESUS: Jesus e o arcanjo Miguel são a mesma pessoa. Possui natureza pecaminosa, não concluiu
a obra de Redenção na cruz. Está fazendo o juízo investigativo.

• ESPÍRITO SANTO: É uma pessoa divina.
• SALVAÇÃO: Pela obra de Cristo na cruz, a qual ainda será concluída. Há pecados perdoados, mas
não extirpados. Satanás arcará com os pecados dos crentes e quando for aniquilado, os pecados
serão cancelados. Guarda do Sábado é essencial à salvação.

• MORTE: Após a morte, o espírito, que não é uma personalidade, mas apenas um fôlego de vida
desaparecerá juntamente com o corpo - o sono após a morte.

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Aniquilamento dos ímpios. Jesus, em 1844, passou do primeiro
compartimento do Santuário Celestial para o Santo dos Santos para concluir a obra de Redenção,
onde está ocorrendo o juízo investigativo.

ESPIRITISMO

• FUNDADOR: Uma crença antiga popularizada pelas irmãs Kate e Margarete Fox, em 1848, em
Hydesville, Nova Iorque, EUA: Há muitos grupos pequenos. Não têm uma sede oficial.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 71

• ESCRITURAS: O Livro dos Espíritos publicado em 1857, O que é Espiritismo publicado em1859, O
Livro dos Médiuns publicado em 1861, O Evangelho Segundo Allan kardec publicado em 1864, O
Céu e o Inferno publicado em 1865, A gênese publicado em 1868, Obras Póstumas.

• DEUS: Deus é inteligência infinita. Poder impessoal controlando o Universo.
• JESUS: Jesus foi um homem, não Deus. Quando esteve na Terra, ele foi um profeta e um médium
avançado (alguém que se comunica com o mundo dos espíritos). Agora, Jesus é um espírito com o
qual se comunica com o mundo dos espíritos.

• ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo é uma falange de espíritos. Cita Jo 14.16,26; 15.26 para apoiar
a doutrina de que o Espiritismo cumpriu a promessa de Jesus, que disse que enviaria o Consolador.

• SALVAÇÃO: O conhecimento e as boas obras possibilitam o acesso a um nível superior na vida
futura. Arrependimento, expiação e reparação são as condições básicas para obtermos um espírito
puro.

• MORTE: Depois da morte aqui na Terra, a vida continuará no mundo dos espíritos. O céu e o inferno
são estados da mente. Alguns espíritas crêem na reencarnação.

• OUTRAS PRÁTICAS: Sessões para contatar os mortos. Curas psíquicas. Serviços congregacionais
com cânticos, músicas, sermões, mensagens de espíritos mortos e profecias. Podem usar Ouija.
Atraem as pessoas enlutada pois elas têm esperança de contatar o ente querido que morreu.

LEGIÃO DA BOA VONTADE - LBV

• FUNDADOR: Alziro Elias David Abraão Zarur
• ESCRITURAS: Declara que a Bíblia está cheia de erros devido ao estado evolutivo dos seus
autores. Não crê na inspiração divina da Bíblia. Ensina que a Sagrada Escritura tem suas fábulas e
lendas.

• DEUS: Deus é inteligência infinita. Poder impessoal controlando o Universo.
• JESUS: Negam a divindade do Filho de Deus. Negam que Jesus tenha morrido na cruz para salvar
os pecadores. Negam que Jesus teve um corpo físico. Falam de corpo fluídico aparente. Negam o
nascimento virginal de Jesus.

• ESPÍRITO SANTO: Dizem que é um conjunto dos espíritos: puros, superiores, bons, a falange
sagrada. Negam a personalidade e a divindade do Espírito Santo.

• SALVAÇÃO: A fé em Jesus não propicia salvação. A reencarnação é admitida. Os pecados não
podem ser perdoados pelos méritos de Cristo.

• MORTE: Não há ressurreição. Por ocasião da morte, ocorre o desprendimento da alma, que ainda
fica algum tempo ao lado do corpo. Depois, viaja rumo ao mundo dos espíritos, onde receberá
instruções para evoluir e aguardar o tempo de reencarnar.

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Seu fundador cultua seu irmão Satanás. A LBV não admite a
existência do céu e do inferno, não crê na ressurreição dos corpos, no julgamento após a morte e na
possibilidade de perdão.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 72

SOCIEDADE INTERNACIONAL PARA CONSCIÊNCIA DE HARE-KRISHNA

• FUNDADOR: A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada (1896-1977). Fundada em 1965, em Nova
Iorque, EUA. Baseada em ensinamentos hindus, por volta de 1500 a.C.

• ESCRITURAS: A revista De volta à Divindade. As traduções e comentários das escrituras hindus por
Prabhupada, especialmente o Bhagavad-Gita.

• DEUS: Deus é o senhor Krishna. Krishna é um criador pessoal. As almas de todas as coisas
viventes são partes dele. As suas escrituras dizem que Krishna, certa vez, dividiu-se em 16308
formas para aparecer com 16308 cuidadoras de vaca.

• JESUS: Jesus não é importante. Ele usualmente é mencionado como um mestre iluminado
vegetariano que ensinou a meditação. Ele não é a encarnação de Deus. Alguns partidários de
Krishna consideram Cristo como Krishna. Outros dizem que ele é um grande Avatar (mestre).

• ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo não é mencionado.
• SALVAÇÃO: Cânticos contínuos em nome de Krishna, devoção total a Krishna, adoração de
imagens e obediência às regras da Sociedade Internacional para Consciência de Krishna. Através
de sucessivas reencarnações, o adepto é libertado do Carma Mau.

• MORTE: Aqueles que estão sem luz continuarão se reencarnando ininterruptamente (renascer na
terra), levando-se em consideração as más ações de uma pessoa em sua vida passada.

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Cânticos de mantra Hare Krishna em público, ioga, oferendas de
alimentos, solicitação de doações. Dieta vegetariana. Proibição de tóxicos e apostas. O sexo só é
permitido para procriação. A Sociedade Internacional para Consciência de Krishna atrai novos
adeptos através de festas e programas culturais hindus. Os sectários passam a ter novos nomes e,
muitas vezes, cortam seus relacionamentos com seus familiares.

MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL

• FUNDADOR: Maharishi Mahesh Yogi. Fundada em 1959, na Califórnia, EUA. Baseada no
Hinduísmo e Ioga. A sede se encontra em Washington, EUA.

• ESCRITURAS: Escrituras hindus, incluindo o Bhagavat-Gita. As Meditações de Maharishi Mahesh
Yogi: A Ciência de Ser e A Arte de Viver e outras escrituras do fundador.

• DEUS: Cada fragmento da criação é Deus (Brahma). O Ser Supremo não é pessoal. Toda criação é
divina; todos são um e tudo é deus.

• JESUS: Jesus Cristo é um mestre, um guru, um Avatar (uma encarnação de Vishnu). Ele é um filho
de Deus como os outros. Sua morte não expia pecados. Cristo não ressuscitou dentre os mortos.

• ESPÍRITO SANTO: Espírito Santo não é mencionado.
• SALVAÇÃO: Liberdade do ciclo de reencarnação, recebido através de ioga e meditação. A salvação
final é a absorção e a união com Brahma.

• MORTE: A reencarnação será um estado melhor (Carma Bom) se a pessoa agir bem. Caso
contrário, ela poderá voltar a nascer e pagará por seus pecados passados (Carma Mau) sofrendo.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 73

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Alguns discípulos usam roupas alaranjadas e têm a cabeça
raspada, deixando um birote no alto da cabeça. Muitos hindus adoram ídolos de pedra e madeira
em seus templos. Os gurus exigem obediência total. Os discípulos meditam em suas palavras,
frases e fotografia. A ioga inclui a meditação transcendental, cântico, postura, exercícios de
respiração, astrologia hindu e uso de cristais.

IGREJA DA UNIFICAÇÃO

• FUNDADOR: Sun Myung Moon (nasceu em 1920). Fundada na Coréia, em 1954. Atualmente a
sede se encontra em Nova York, EUA.

• ESCRITURAS: O Principio Divino por Sun Myung Moon, considerado o Testamento Completo. O
Principio Divino e a Bíblia.

• DEUS: Deus é positivo e negativo. Deus criou o universo a partir de si mesmo, o universo é o corpo
de Deus. Deus não conhece o futuro, sofre e necessita do homem (Sun Myung Moon) para torna-lo
feliz. Não há Trindade.

• JESUS: Jesus foi um homem perfeito, não Deus. Sua missão foi unir os judeus, encontrar uma
esposa perfeita e constituir uma família perfeita. Sua missão fracassou. Jesus não ressuscitou
fisicamente. A Segunda vinda de Cristo está cumprida em Sun Myung Moon, que é superior a Jesus
e completará a missão de Jesus, que é realizar a redenção física do homem. Jesus só realizou a
redenção espiritual.

• ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo é um espírito feminino que trabalha com Jesus no mundo dos
espíritos, a fim de dirigir as pessoas a Sun Myung Moon.

• SALVAÇÃO: A obediência e aceitação dos verdadeiros Pais, (Moon e sua esposa) elimina o pecado
e aperfeiçoa o adepto. Aqueles que são casados por Moon e sua esposa tomam um vinho que
contém 21 ingredientes (incluindo o sangue dos verdadeiros Pais).
• MORTE:Depois da morte, a pessoa vai ao mundo dos espíritos. Não há ressurreição. Os membros
sobem ao convencer a outros a seguir Sun Myung Moon. Todos serão salvos, inclusive Satanás.

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Casamentos em massa baseados em diferentes antecedentes
raciais, preparados e efetuados por Moon. Os membros crêem que Jesus se dobrará a Sun Myung
Moon. Moon é o Rei dos Reis, Senhor dos Senhores e o Cordeiro de Deus. Admite-se a prática da
consulta aos mortos.

PENTECOSTAIS UNICISTAS

• FUNDADOR: Não há um fundador. Em 1913, durante uma reunião em acampamento pentecostal,
em Arroyo Seco, perto de Los Angeles. McAlister pregava um sermão, afirmando que os apóstolos
não batizavam em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Depois disso, John G. Scheppe disse
ter recebido uma revelação da parte de Deus acerca do verdadeiro batismo em nome de Jesus
Cristo.

• ESCRITURAS: A Bíblia.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 74

• DEUS: A maioria que crê que Deus se manifestou como Pai no Antigo Testamento. Quando Jesus
nasceu em Belém, manifestou-se como Filho. Após a ascensão de Jesus, Deus se manifestou como
Espírito Santo (Modalismo). Crêem na Trindade Modal (três modos).

• JESUS: Jesus é o Pai. Ele não preexistiu como Filho. Tornou-se Filho ao nascer em Belém. Eles
interpretam João 1.1 da seguinte maneira: Jesus foi somente uma idéia ou concepção na mente de
Deus, antes do seu nascimento.

• ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo é o próprio Jesus.
• SALVAÇÃO: Pela fé em Jesus Cristo. Batismo só em nome de Jesus. Alguns grupos crêem que é
necessário falar em línguas para ser salvo.

• MORTE: Aqueles que não aceitaram Jesus como seu Salvador pessoal, não se batizam em nome
de Jesus e os que crêem na doutrina da Trindade ( três pessoas distintas) irão para o inferno.

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Este grupo geralmente vive um estilo de vida legalista. As mulheres
usam vestidos longos. Os homens devem ter cabelo curto. A mulher não pode cortar o cabelo. Em
alguns grupos as mulheres usam véus. As mulheres não podem usar maquiagem. Os grupos mais
influentes são: Árvore da Vida, Tabernáculo da Fé, Igreja a Voz da Verdade.

IGREJA VOZ DA VERDADE

• FUNDADOR: Fundada em 05/01/1984, na cidade de Santo André, São Paulo, por Carlos A. Moysés.
• ESCRITURAS: A Bíblia Sagrada.
• DEUS: Negam a Trindade. Uma só pessoa na divindade que é Jesus. Jesus é o Pai (natureza
divina), o Filho (natureza humana) e é o Espirito Santo. Três manifestações de uma só pessoa.
Quando a Bíblia se refere a Deus, está falando sobre o Espírito Santo, que é o Pai, Criador e Senhor
de todas as coisas. Manifestou-se, também, através de outras formas ou modos: como fogo, nuvem,
vento, água, pomba, pão etc...

• JESUS: Jesus tanto é o Pai, como é o Filho. Manifestou-se como Filho pelo fato de assumido a
forma humana e nascer como homem.

• ESPÍRITO SANTO: Jesus manifestou-se como o Espírito e continua a se manifestar assim, porque a
sua missão neste mundo é resgatar o nosso espírito do nosso corpo mortal.

• SALVAÇÃO: O batismo é essencial para a salvação, pois oferece perdão e remissão de pecados.
• MORTE: Haverá ressurreição.
• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Jesus não existia antes da encarnação, Batismo só em nome de
Jesus.

IGREJA LOCAL DE WITNESS LEE
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 75

• FUNDADOR: Witness Lee
• ESCRITURAS: Afirma que não é necessário pesquisar, entender ou aprender as Escrituras
Sagradas.Usam uma prática chamada orar ler a palavra. Seus membros consideram os livros de W.
Lee inspirados por Deus.

• DEUS: Deus é o Deus Triuno Processado. Um deus processado seria um deus que passa por
alterações ou mudanças: de Pai para Filho, de Filho para o Espírito Santo e deste para a Igreja.

• JESUS: Jesus é tanto Pai, como é o Filho. Manifestou-se como Filho pelo fato de ter assumido a
forma humana e nascer como homem.

• ESPÍRITO SANTO: Jesus manifestou-se como o Espírito e continua a se manifestar. Cada um deles
é um passo ou estágio sucessivo na revelação de Deus aos homens.

• SALVAÇÃO: É necessário ser membro da Igreja Local a fim de ser salvo.
• MORTE: Haverá ressurreição.
• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: O pecado é o próprio Satanás. Satanás habita no corpo, no ego, em
nós. Somos uma nova encarnação de Cristo: homem-Deus. Libera-se o espírito recitando Ó Senhor
Jesus.

MOVIMENTO NOVA ERA

• FUNDADOR: Baseada no misticismo oriental, Hinduismo, Taoísmo, Cristianismo. Em parte, foi
popularizada pela atriz Shirley MacLaine, entre 1980-1990. As crenças variam.

• ESCRITURAS: Vários livros divulgam o pensamento da Nova Era. Eis alguns: Conspiração
Aquariana, da autoria de Merilyn Fergussen, escrituras de I Ching, escritos hindus, budistas e
taoístas. Além de valorizar as crenças dos índios norte-americanos, a astrologia, o misticismo e a
magia.

• DEUS: Tudo é um e tudo é deus. Deus é uma força impessoal, não uma pessoa. Os humanos têm
poder interior sem restrições e precisam libera-los

• JESUS: Não é o Salvador. É um modelo espiritual e guru, um avatar. Ele foi um adepto da Nova Era,
pois liberou o poder divino da mesma maneira que qualquer um pode fazer. Muitos adeptos crêem
que ele foi à Índia, ao Tibé e à Grécia para aprender verdades místicas. Ele não ressuscitou
fisicamente, mas ascendeu a um reino espiritual mais evoluído.

• ESPÍRITO SANTO: Algumas vezes é uma força psíquica. O homem é divino e pode experimentar
fenômenos psíquicos tais como contatar a seres sobrenaturais.

• SALVAÇÃO: É necessário o equilíbrio entre o Carma mau e o Carma bom. Os poderes
sobrenaturais podem ser liberados através da meditação, conhecimento de si mesmo, meditação
transcendental e espíritos guias. Seus partidários usam termos, tais como: renascidos para o novo
conhecimento de si mesmo.

• MORTE: As reencarnações humanas ocorrem até que a pessoa alcance a unidade com Deus. Não
há vida eterna. Não há céu nem inferno.
SEITAS – Pr. Tomé C. Faria 76

• OUTRAS CARACTERÍSTICAS: Seus adeptos podem praticar ioga, meditação e visualização. Cada
ser humano deve se conscientizar da divindade que há em seu interior. Cristo são todas as pessoas
e todas as pessoas são cristos potenciais. Terapia através de pirâmides e cristais. Crê na
reencarnação.