You are on page 1of 5

Sistema respiratório

Todas as células do corpo humano executam respiração celular, processo que ocorre no
interior das mitocôndrias, nesse processo substancias orgânicas reagem com gás oxigênio (O2),
liberando energia, que é utilizada pela célula em seus processos vitais. Os produtos da respiração
celular são água (H2O) e gás carbônico (CO2); a água formada é reutilizada pela célula, mas o gás
carbônico não tem utilidade para o organismo, e é eliminado do corpo.

Componentes do sistema respiratório.

O sistema respiratório humano compõem – se de um par de pulmões e de uma serie de


condutos por onde o ar circula . esses condutos, genericamente denominados vias respiratórias, são
cavidades nasais, a boca, a faringe, a laringe, a traquéia, os brônquios e os bronquíolos, que
penetram um em cada pulmão, ramificando – se em tubos cada vez mais finos, os bronquíolos. A
extremidade de cada bronquíolo termina em estruturas de paredes finas e ocas, os alvéolos
pulmonares.
Cavidades nasais, faringe e laringe

As cavidades paralelas que começam nas narinas e terminam na faringe. São separadas
por uma parede cartilaginosa, o septo nasal.

A entrada da laringe é chamada de glote. Acima da glote há uma “ lingüeta” de


cartilagem, a epiglote que funciona como válvula.

O revestimento interno da laringe tem pregas vocais, anteriormente denominadas cordas


vocais, que podem produzir sons durante a passagem do ar. Graças a ação combinada da laringe, da
boca, da língua e do nariz, podemos articular palavras e produzir diversos tipos de som.

Traquéia, brônquios e bronquíolos.

A traquéia é um tubo de aproximadamente 1,5 cm de diâmetro por 10 cm de


comprimento, com paredes reforçadas por anéis cartilaginosos.

A função dos reforços cartilaginosos é manter a traquéia sempre aberta para passagem
do ar.

Os brônquios, que conduzem o ar aos pulmões. Tanto a traquéia quanto os brônquios e


os bronquíolos são revestidos internamente por um epitélio, rico em células produtoras de muco.

Pulmões

Os pulmões humanos são dois órgãos esponjosos com aproximadamente 25 centímetros


de altura e pesando cerca de 700 g, localizados no interior da caixa torácica. O pulmão direito é
ligeiramente maior que o esquerdo e está dividido em três partes, ou lóbulo; o pulmão esquerdo tem
apenas dois lóbulos.

Os pulmões são envoltos por duas membranas denominadas pleuras. A pleura interna
esta aderida à superfície pulmonar, enquanto a pleura externa esta aderida à parede da caixa
toraxica.

Fisiologia da respiração

A entrada de ar nos pulmões, chamado de inspiração, da – se pela contração da


musculatura do diafragma e dos músculos intercostais. O diafragma desce e as costelas sobem,
aumentando o volume da caixa torácica e forçando o ar a entrar nos pulmões. Na saída de ar dos
pulmões, chamada de expiração, ocorre o oposto: a musculatura do diafragma e os músculos
intercostais relaxam – se, elevando o diafragma e abaixando as costelas

Sistema urinário

O sistema urinário é responsável pela maior parte da nossa excreção refere – se a


qualquer processo por meio do qual um organismo se livra de substancias indesejáveis produzidas
em seu metabolismo, genericamente chamada de excretas, ou excreções. Embora o gás carbônico
também seja uma excreção, o termo costuma ser mais empregado para designar as excreções que
contem nitrogênio, por isso chamadas de excretas nitrogenadas.
A degradação de outros compostos orgânicos nitrogenados, como bases nitrogenadas,
por exemplo, também gera amônia, que é transformada em uréia.

A uréia é liberada no sangue, sendo dele removida pelos rins, que a eliminam na urina.
Alem da uréia os rins também eliminam, água, sais em excesso e outras substancias potencialmente
prejudiciais ao organismo.

Componentes do sistema urinário.

Este é formado por um par de rins e pelas vias uriníferas, compostas por um par de
pelves renais, ou bacinetes, um par de ureteres, a bexiga urinaria e a uretra.

Rins

Rins são órgãos de cor marrom – avermelhada, com forma de grão de feijão e cerca de
10 centímetros de comprimento, localizado na parte posterior da cavidade abdominal, logo abaixo
do diafragma, um de cada lado da coluna vertebral. O rim direito posiciona – se um pouco mais
abaixo do que o esquerdo. Sobre os rins localizam – se as glândulas endócrinas suprarenais.

A porção renal imediatamente abaixo da camada fibrosa é chamada de córtex renal; nela
localizam – se os néfrons, unidades responsáveis pela filtração do sangue. A porção central dos rins,
situada internamente ao córtex, é denominada medula renal e apresenta varias estruturas
triangulares conhecidas como pirâmides renais.

As papilas são envolvidas por estruturas denominadas cálices menores, que se reúnem
para formar cálices maiores. A reunião destes forma a pelve renal, onde é lançada toda a urina
produzida pelo rim.

néfron

néfrons são as unidades responsáveis pela formação da urina, localizadas na córtex


renal. Um néfrom é uma estrutura tubular que possui, em uma das extremidades, uma expansão em
forma de taça, a cápsula renal (anteriormente chamada de cápsula de Bowman), no interior da qual
situa – se o glomérulo renal, ou glomérulo capilar.

Ureteres, Bexiga urinaria e uretra.

Ureteres são tubos que conduzem a urina da pelve renal à bexiga urinária. Sua parede é
formada por três camadas de tecido: uma camada mucosa interna, uma camada intermediaria de
musculatura não – estriada e uma camada externa não fibrosa.

A bexiga urinaria é uma bolsa de parede muscular localizada na cavidade pélvica, atrás
da sínfise púbica, como é chamado o local de união dos ossos púbicos. A bexiga dos homens
posiciona – se imediatamente a frente do reto; nas mulheres, entre a bexiga e o reto, localiza – se o
útero. A função da bexiga é armazenar a urina.

Uretra é o tubo que comunica a bexiga urinaria ao meio externo. No sexo masculino, a
uretra mede cerca de 18 centímetros de comprimento, e também faz parte do sistema genital.
Costuma – se distinguir três regiões na uretra masculina: uretra prostática, uretra membranosa e
uretra esponjosa.

A uretra feminina tem cerca de 3 centímetros de comprimento e, diferentemente da


uretra masculina, é exclusiva do sistema urinário. Ele abre – se para o exterior entre os lábios
menores do pudendo feminino, logo abaixo do clitóris.

Eliminação da urina.

O processo de eliminação da urina do corpo pode ser dividida em duas fases: em um


primeiro momento, a urina trazida pelos ureteres acumula-se na bexiga até enche-la. Em seguida,
ocorre a micção, ou seja, o esvaziamento completo da bexiga, com a eliminação da urina pela
uretra. A urina acumula-se na bexiga porque um anel muscular presente no ponto de união da
bexiga à uretra, o esfíncter uretral, mantém-se contraído, impedindo sua saída. Na parede da uretra
também existem músculos que se contraem e impedem a passagem da urina.

Regulação da reabsorção de água


A reabsorção de água nos rins é controlada pelo hormônio antidiurético, conhecido pela
sigla ADH ( do inglês antidiuretic hormone ) , também conhecido como vasopressina. Esse
hormônio é sintetizado no hipotálamo (uma região do encéfalo) e armazenado na parte posterior da
glândula hipófise, que libera no sangue. O ADH atua sobre os túbulos renais, provocando aumento
da reabsorção de água do filtrado glomerular. Por exemplo, quando bebemos pouca agua, o corpo se
desidrata e a concentração do sangue aumenta. Certas células do encéfalo percebem a mudança e
estimulam a hipófise a liberar ADH. Como resultado, há maior reabsorção de água pelos túbulos
renais e a quantidade de água eliminada diminui, o que torna a urina mais concentrada. A ingestão
de grande quantidade de água tem o efeito inverso: a concentração do sangue diminui, estimulando
a hipófise a liberar menos ADH. Em conseqüência, é produzido maior volume de urina mais
diluída. A presença de álcool no sangue inibe a secreção de ADH, e é por isso que a ingestão de
bebidas alcoólicas estimula a diurese.