You are on page 1of 4

SISTEMA INFORMATIZADO DE APOIO AO ENSINO DE PIANO

Alexandre B. Viana
Pablo Javier Alsina
José Homero F. Cavalcanti

RESUMO

Este trabalho relata o projeto de pesquisa “Sistema Informatizado de Apoio ao Ensino de Piano”
atualmente em fase de desenvolvimento na Escola de Música da UFRN conjuntamente com o Laboratório
de Engenharia da Computação e Automação (LECA). O projeto é uma continuação da dissertação de
mestrado “Sistema Inteligente para o Ensino do Dedilhado Pianísico” desenvolvida no Laboratório de Redes
Neurais Artificiais e Automação Inteligente (NEUROLAB) na Universidade Federal da Paraíba, Campus II,
Campina Grande.

1. INTRODUÇÃO
No ensino do piano, é necessário que o aluno realize exercícios repetitivos, contando
com a presença constante do professor para mostrar o dedilhado correto e corrigir
eventuais erros de execução para que o mesmo não adquira vícios mecânicos.

A necessidade de um acompanhamento direto por parte do professor, exige uma


grande parcela do tempo de aula e limita o número de alunos que podem ser atendidos
pelo mesmo. O período dedicado pelo docente ao acompanhamento dos exercícios
repetitivos do aluno, poderia ser melhor aproveitados em outras atividades didáticas
menos monótonas e mais criativas.

Neste sentido, este projeto pretende buscar soluções para o problema acima descrito
através do desenvolvimento de um sistema informatizado de apoio ao ensino de piano,
que permita diminuir a necessidade da presença do professor durante as aulas de
exercícios.

O sistema proposto consiste de um software com interface gráfica amigável,


executado num computador pessoal (PC), que permite que o aluno insira o trecho
melódico a ser estudado, e de duas mãos robóticas que executam a melodia fornecida
pelo aluno num teclado eletrônico. Por meio deste sistema, o aluno poderá visualizar a
execução do trecho melódico e acompanhar o dedilhado correto.

Este projeto será baseado num protótipo [VIANA, 1998b] já desenvolvido pelo
coordenador do mesmo, na sua dissertação de mestrado [VIANA, 1998a], sob a
orientação do Prof. P. J. Alsina (membro da equipe) e do prof. J. H. F. Cavalcanti. Este
protótipo apresenta alguns problemas não resolvidos que limitam a sua aplicação:
• Interface não muito amigável. O usuário não dispõe de um método simples de
inserção das melodias.

• Sistema com uma única mão robótica acionando apenas as teclas brancas,
além de baixa velocidade de execução, (o que limita o tipo de melodias que
podem ser executadas).

• Problemas de interfaceamento entre vários módulos do software de controle.

O presente projeto pretende então, inspirado no protótipo já existente, desenvolver


um novo protótipo, realmente funcional, que supere as deficiências do anterior e que
possa ser efetivamente utilizado para o apoio didático. Neste sentido, o mesmo será
utilizado nas aulas do curso básico de piano da EM/UFRN e o seu desempenho didático
será avaliado.

2. METODOLOGIA.
O sistema proposto é mostrado na Figura 1. Neste sistema, um software com
interface gráfica amigável, executado num computador pessoal (PC), permite que o aluno
insira o trecho melódico a ser estudado e visualize a execução do mesmo, por meio de
duas mãos robóticas num teclado eletrônico.

Acionamento
e
Motores

Figura 1. Esquema Geral do Sistema de Apoio ao Ensino de Piano

O hardware em fase de desenvolvimento, consiste de uma placa de acionamento de


motores, a ser conectada ao PC, bem como um conjunto de duas mãos robóticas (Figura
2), acionadas por motores de passo (movimento lateral das mãos) e motores de corrente
contínua (movimento dos dedos e avanço das mãos).

O software a ser desenvolvido será estruturado em três módulos: Interface Gráfica,


Sistema Inteligente e Sistema de Controle. A interface Gráfica deverá permitir a interação
amigável do aluno com o sistema. Através da mesma, o aluno entrará com o trecho

2
melódico a ser exercitado, comandará e acompanhará a execução do mesmo pelas mãos
robóticas. O Sistema Inteligente, transparente ao usuário, deverá gerar, a partir da
melodia fornecida pelo aluno, o dedilhado ótimo para a execução da melodia em questão.
O cômputo deste dedilhado ótimo será implementado por meio de um Sistema
Especialista e um Algoritmo Genético. O Sistema de Controle se encarregará de gerar os
sinais de comando adequados para o acionamento dos motores, que serão transmitidos à
placa de acionamento através da porta paralela do PC.

Figura 2. Detalhes da mão robótica. Visão lateral de um único dedo.

Figura 3. Fotografia da antiga mão robótica.

3. CONCLUSÕES

3
Já em pleno funcionamento, a mão robótica executa num sintetizador (teclado
musical) um trecho melódico, facilitando a visualização do movimento da mão e
mostrando todas as passagens de dedos necessárias nos locais indicados pelo algoritmo,
o que torna mais prático e objetivo a prática desse instrumento que até então se coloca na
posição de um dos mais complexos de todos os instrumentos musicais.

4. REFERÊNCIAS

FIELDEN, Thomas Macmillan. The Science of Pianoforte Technique. Limited St. Martins
Street, London, 1949.

GIARRATANO, Joseph C. Gary Riley. Expert Systems: Principles and Programming.

GLANZMANN, José Honório. Expert Piano: Um Ambiente de Auxílio à Aprendizagem


Musical. Dissertação de Mestrado, COPPE/UFRN. Rio de Janeiro, 1995.

HOLLAND, John H.. Adaptation in Natural and Artificial Systems: An Introduction Analysis
with Applications to Biology, Control, and Artificial Intelligence. MIT, 1992.

KAJITANI, Makoto. Laboratory of Robotics and Mechatronics. KJ Lab. Kajitani & Ming
Laboratory. http://www.kajitani.mce.uec.ac.jp/index_e.html. Japan, 1998.

SAYEGH, Samir I., Fingering for String Instruments with the Optimum Path Paradigm.
Computer Music Journal, Vol 13. No. 3, Fall 1989.

VIANA, A. B., Sistema Inteligente para o Ensino do Dedilhado Pianístico – SIEDP.


Dissertação de Mestrado. Universidade Federal da Paraíba, 1998.

VIANA, Alexandre B.; CAVALCANTI, J.H.F; ALSINA, P.J. Uma Mão Robótica para o
Ensino do Dedilhado Pianístico. XIII Congresso Brasileiro de Automática 98. UFU –
Universidade Federal de Uberlândia - MG, 1998.