You are on page 1of 2

Despertar pra vida

jornal do povo da rua de campo grande


Moradores de rua lançam jornal
Integrantes do grupo “Conversando é O primeiro a participar foi o Centro
que a gente se entende”, projeto da Público de Emprego, Trabalho e Renda,
Secretaria Municipal de Assistência que apresentou os cursos disponíveis,
Social para atender moradores de rua como funciona o cadastramento para
em Campo Grande, decidiram fazer um empregos e outros serviços. Também
jornal intitulado “Despertar pra vida” se comprometeu a tentar a organização
para mostrar do que são capazes. de um curso de qualificação apenas
para os participantes do grupo, que
Alguns fundadores do “Despertar pra Vida” O grupo se reúne toda quinta-feira, às
neste dia reuniu quase 50 pessoas.
10:00h, nas dependências da Igreja
Serviços Públicos Nossa Senhora do Desterro. A idéia O próximo a participar será a
surgiu após alguns encontros onde se Fundação Leão XIII, que apresentará
• CRAS Cecília Meireles, Rua Tendi, debateu sobre preconceito e seus trabalhos na área de
54 Campo Grande, tel.: 3403-5963. discriminação. Esses são alguns dos documentação civil.

• Centro Público de Emprego, temas que mais preocupam quem vive


Uma das inspirações do jornal
Trabalho e Renda, Rua Barcelos na rua. A melhor forma de vencer o
“Despertar pra vida” foi uma outra
Domingos, 162 Campo Grande, tel.: preconceito é se tornando conhecido. publicação sobre moradores de rua de
2413-1955 Além de usar o jornal como estratégia São Paulo: “O Trecheiro”. Disponível no
para sair do isolamento o grupo decidiu site www.rederua.org.br, o jornal
• Fundação Leão XIII, Estrada do convidar representantes de serviços paulista é publicado há 19 anos e já
Encanamento, s/no Santa públicos para participarem dos encontros está na edição no 175. Um bom exemplo
Margarida, tel.: 3394-4695 do grupo. para o “Despertar pra vida”.

E n t r e v i s t a
Os entrevistados desta edição são o
Prefeitura poderá pagar aluguel
Reverendo Paulo Cesar Assumpção e
Edgar Luiz Duque Estrada, mais
de quem estiver em abrigos
conhecido como Didi. Ambos são da Benefício será de seis meses, podendo ser renovado para até 1 ano.
Igreja Congregacional Campograndense.
As secretarias municipais de de pessoas oriundas de áreas de risco e
assistência social e de habitação
Despertar pra vida – Qual o trabalho daquelas que necessitam de moradia em
realizado aqui na igreja? assinaram termo de compromisso que decorrência da desocupação de suas
concederá bolsa-auxílio para pagamento
Rev. Paulo – Toda terça-feira à tarde casas em áreas irregulares. O período
de aluguel de pessoas que hoje se
recepcionamos a todos e damos roupa, máximo para a locação social será de
calçado, corte de cabelo, banho, encontram nos abrigos da prefeitura. O seis meses, podendo ser renovado por
projeto já está beneficiando, inicialmente,
higiene e almoço. Também realizamos mais seis. O valor do aluguel será de no
um culto, uma parte espiritual. 16 famílias que foram contempladas após máximo R$ 250,00.
avaliação técnica e que estão em Quem vive nas ruas de Campo Grande
DPV – Há quanto tempo fazem esse condições de retornar ao convívio social. elogiou muito a iniciativa, mas
trabalho? O projeto prevê ainda garantia de reivindicam que pessoas que não estão
Edgard – Oito anos. acolhimento às vítimas de calamidades, nos abrigos também possam ser
contempladas.
DPV– Como esse trabalho começou?
Edgard – Eu era diretor do
departamento de ação social da igreja.
Muitas pessoas vinham nos pedir
24 de março: dia mundial de
ajuda. Percebi que era preciso
organizar melhor isso. Com a
autorização do pastor começamos
luta contra a tuberculose
com uns poucos frequentando e pouca Apesar de ser muito demorado, mas vale a pena. Os
gente ajudando. Dávamos sanduíche. antiga a tuberculose é uma medicamentos são distribuídos de graça
Agora podemos servir almoço. doença que ainda é nos postos de saúde.
realidade entre nós. É uma
DPV– E qual é a frequência agora? doença grave, mas tem Se tossir por mais de três semanas,
Rev. Paulo – Hoje temos uma média de cura. Basta tomar os você pode estar com tuberculose.
40 pessoas toda semana. E mais cerca remédios e não interromper Procure logo um posto de saúde.
de 20 pessoas ajudando. o tratamento. Ele é

Ano 1, No 1 Março 2009 Página 1


Reserva de vagas de trabalho entusiasma moradores de rua
10% da mão-de-obra terceirizada da Prefeitura, como limpeza, seriam reservadas a pessoas abrigadas.
A notícia publicada em 11 de fevereiro Segundo o jornal a medida valerá para na Política nacional para inclusão social
de 2009 pelo jornal O Globo de que a empresas que prestam serviços como da população em situação de rua
prefeitura planeja obrigar prestadoras de limpeza, jardinagem e serviços gerais. prevista para ser lançada em abril pelo
serviço a reservar pelo menos 10% das Apesar de criticada por empresários, a governo federal.
vagas de trabalho temporário a reserva de vagas para moradores de rua A medida também atenderia pessoas
moradores de abrigos públicos é uma reivindicação antiga do em vulnerabilidade social dentro de
entusiasmou os que vivem nas ruas de Movimento Nacional de População em comunidades, ou seja, correndo o risco
Campo Grande. Situação de Rua. Também está prevista de ir para as ruas.

“Conversando é que a gente se entende”


Cerca de quatro em cada cinco Se lembrarmos que nossa sociedade vivem nas ruas.
moradores de rua são homens. Mais da ainda espera que os homens sejam os Nos encontros do "Conversando..."
metade tem entre 25 e 44 anos. A provedores de suas famílias, vamos todos têm voz e falam com total
grande maioria exerce alguma atividade entender que para um homem com liberdade sobre o que fazem para sair da
remunerada. Desemprego e conflitos idade para trabalhar não ter condições rua, bem como sobre os dilemas de
familiares são os principais motivos que de prover o sustento de sua família viver na rua. Essa possibilidade de se
levam as pessoas a morar na rua. Essas representa uma “tragédia”. Esse homem expressar é única na vida da maioria das
informações são do Levantamento da cai na rua e fica isolado. Romper esse pessoas que frequentam o grupo. A
população em situação de rua do Rio de isolamento, ter voz novamente são os relação que se estabelece entre os que
Janeiro, publicado pela Prefeitura em primeiros passos para alguém sair da participam do grupo encoraja cada um a
novembro de 2008 e da Pesquisa rua. “Conversando é que a gente se buscar seu caminho de saída das ruas.
nacional sobre população em situação entende é uma estratégia da Secretaria Os vínculos afetivos criados entre todos
de rua, do Ministério do municipal de Assistência Social de apoio os que participam dos grupos é a chave
Desenvolvimento Social, também de a famílias em situação de fundamental para que cada um construa
2008. vulnerabilidade social. Em Campo seu caminho de saída das ruas com
Essas informações nos ajudam a Grande, através do CRAS Cecília dignidade.
traçar um perfil de quem mora na rua. Meireles, esse projeto atende aos que Marcelo Jaccoud da Costa,
assistente social
Depoimento
Mensagem André Marques Pires, 32 anos.
O despertar e subestimamos nossa força;
de Daniela Rissato Simões Quando tudo se perde e se torna difuso, “Comecei a me acostumar com a vida na
a vida perde o sentido, e buscamos rua há 20 anos. Tomava conta de carro
Quando de repente acordamos e vemos alguma salvação na morte, mas vemos em um estacionamento no centro de
que o mundo é cruel, que a vida é dura e que a tememos ainda mais do que Campo Grande. Dividia o dinheiro com o
fria, que o destino nem sempre nos tememos a vida; meu pai. Também ficava na rua jogando
favorece, que nosso caminho depende Quando de repente vemos que a única flipper. Com 15, 16 anos passei a dormir
de nossas escolhas e nosso sucesso saída é manter a calma e pensar, na rua às vezes. Há cinco anos fiquei
depende do que fazemos; repensar a vida, agir como o mundo nos direto na rua. Fiquei 3 anos e 2 meses
Quando os olhos se acham perdidos, de obriga; quando vemos que se o mundo é na rua. Em fevereiro de 2008, consegui
dúvidas se enche o coração; quando a cruel, seremos nós também cruéis, pois sair da rua trabalhando como caseiro.
face real do mundo se mostra e somos só nos armando como os inimigos é que Em janeiro de 2008 comecei a receber o
desiludidos, pois pensávamos que tudo poderemos vencê-los; Bolsa Família. Despertei pra vida
era diferente; quando levamos uma quando me senti frustado por não ter
Quando começamos a enxergar tudo
pancada na alma, pois vemos que casa própria. Comecei a agir. Me
como realmente é, é que nos damos
estamos sós, e pensávamos que ajudaram muito: a Igreja Congregacional
conta de que podemos ser tão fortes que
éramos cercados de proteção; Campograndense, a Bolsa Família e as
moveríamos montanhas com nossa
reuniões do grupo [Conversando é que
Quando vemos que a confiança é algo vontade. Que o medo na maioria das
agente se entende.] A Bolsa Família não
incerto, que as pessoas não são o que vezes é infundado, que a vida é mais
adianta nada se não tiver os conselhos
parecem, que não podemos confiar nos simples se a encaramos com olhos
do grupo. Isso também é um benefício.”
nossos olhos porque a visão pode sábios e espertos, daqueles que
enganar, e que até nossa própria seguem seus sonhos e conseguem o
Expediente:
sombra pode nos confundir; que querem porque acreditam em sua
Adriana Fernandes, André
Quando vemos que somos ignorantes e capacidade, que o mundo muda de
Marques Pires, Jair da Conceição
muitas vezes não conhecemos a nós acordo com a forma que o vemos, e que
Corrêa, José Francisco Martins,
mesmos; quando nos sentimos fracos, só depende de nós dizer se seremos
José Henrique Cunha Bahia,
quando duvidamos da nossa capacidade vencidos ou se iremos vencer.
Luzenete da Silva, Marcelo
Jaccoud da Costa, Marinalva
Hermínio da Silva, Maurílio
Almeida Neto.

Ano 1, No 1 Março 2009 Página 2