You are on page 1of 7

Aula 10 Gênesis 10 e 11

Autor: Tom Bradford


Tradutor: Christiano Lopes

LEIA TODO O CAP. 10 DE GÊNESIS

Os capítulos 10 e 11 de Gênesis sáo a ponte entre o começo do novo mundo e o maior dos patriarcas bíblicos, Abraão.

A importância dos capítulos 10 e 11 de Gênesis é que são a ponte entre o começo do mundo novo,
após o Dilúvio, e o maior dos patriarcas bíblicos, Abraão. Tão breve quanto estes dois capítulos, nós
encontramos um enlace da árvore genealógica entre Shem e Abraão.....assim como as linhas de
descendência da mais alta importância que agora estão divididas e separadas em 3 grupos distintos,
cada um com seu próprio destino. E, este destino estava contido nas bênçãos - e para um filho, uma
maldição - que Noach pronunciou sobre seus 3 filhos.
Deixe-me tornar algo claro: Shem, Ham, e Yefet não foram os únicos
filhos que Noach teve. Eram os filhos selecionados por razões
desconhecidas para serem incluídos no grupo do tzaddik.....o
íntegro.....aqueles 8 povos foram permitidos viver através do Dilúvio,
com a finalidade de repovoar a terra. Noach teve muitos filhos e filhas
ao longo dos 600 anos de vida que tinha alcançado no momento em
que o Dilúvio começou. E, eu suspeito, gerou mais APÓS o dilúvio.
Eram aparentemente sem importância à finalidade da história, assim
não houve relato deles. Naturalmente, Shem, Ham e Yefet ERAM os
únicos filhos sobreviventes de Noach. Todo o resto.....as filhas, as
netas, os netos, os bisnetos, e “todos os demais”, foram julgados maus
por Yahweh e todos foram destruídos juntamente com todos os outros
no dilúvio.
No vs. 6, nós seguimos a linha de Ham.....a linha amaldiçoada de Ham. E, nós precisamos prestar muita
atenção a estes nomes, porque desempenharão um papel de destaque na Bíblia. Cush é Etiópia.
Mizraim é Egito. Put é Líbia, e Canaã é o fundador da terra de Canaã, conquistada por Josué, a qual se
transformou em Israel; aqueles descendentes de Canaã formaram muitos dos povos do Oriente Médio
e do Oriente, alguns dos quais são frequentemente, equivocadamente, chamados Árabes. Os árabes
são da linha de Shem, não da de Ham.
Lemos que Cush foi o pai do infame Nimrod . Agora, pode ser surpresa para você, saber que Nimrod
era um homem negro. Isto não é de modo nenhum conjetura; muitas estatuetas e gravuras de Nimrod
foram encontradas, remontando a milhares de anos, e todas confirmam suas características de negro.
E, é perfeitamente lógico que Nimrod deve ter sido um homem negro porque, na Bíblia, sempre que
você vê os povos chamados Cushitas, isto é, povos que descenderam de Cush, você poderia, para seu
próprio sistema de referência, chamá-los de Etíopes.....genericamente falando, a raça das pessoas
negras. Além disso, é tradição judaica antiga que HAM era um homem negro.
Nós não devemos apenas mencionar o nome de Nimrod e então rapidamente seguir adiante. Nós
falaremos mais sobre ele depois que lermos o capítulo seguinte. Basta dizer, por agora, que antigas
tabuletas assírias, encontradas em grandes quantidades, não somente mencionam Nimrod, como
confirmam o título para ele que nós vemos em 10:9.....“caçador poderoso”. Mas, como as tabuletas
assírias explicam, isto não é porque ele era bom em matança de cervos, de galinhas, de coelhos, ou de
javalis selvagens. Esta expressão significa “um caçador de homens”…..um guerreiro. E, sendo um
guerreiro feroz, transformou-se no primeiro criador de um império, e tirano do mundo. E, esse
primeiro império foi Babel.....a Babilônia mais antiga, não a Babilônia de Nabucodonosor, que viria
muitos séculos mais tarde. Durante os dias de Nimrod, Babel, Babilônia, ficava situada na terra de
Shinar, uma área um pouco a oeste de onde Abraão viria, e onde fica situado o
Iraque dos dias de hoje. Nimrod é creditado como sendo o construtor de Babel,
junto com outras 3 cidades principais nessa área.
O texto nos diz que de lá saiu “Ashur” e construiu Nínive, a cidade fabulosa no
coração da Assíria. E, como em Babilônia, este companheiro Ashur construiu as 3
maiores cidades da Assiria. Quem é Ashur? Ashur é simplesmente o nome assírio
para Nimrod (Nimrod é um nome babilônico). Assim, o verso 11 ainda está
falando do mesmo homem.....apenas usando uma linguagem diferente.....e esse
homem era Nimrod.
Deixe-me contar-lhe um pequeno segredo sobre nomes bíblicos: muito
frequentemente, você vê a mesma pessoa, com 3 ou 4 nomes diferentes ,
dependendo de qual nação em que a pessoa estava residindo, em qual época o
relato bíblico foi realmente escrito versus quando o evento relatado aconteceu
realmente, e que cultura estava falando dele. Da mesma forma, atualmente, Rick
ou Ricky são uma alcunha americana, Richard é um nome inglês mais formal,
Hecardo é um nome espanhol, Ricardo é brasileiro.....mas todos estão falando do
mesmo nome. A mesma coisa acontece a respeito das nações, das regiões, e das
cidades.....os nomes mudam com o passar dos anos assim como as culturas e as
Nimrod
línguas mudam, mas eles ainda estão se referindo a mesma pessoa, ou lugar.
No verso 14, lemos algo que tem grande impacto em nossos eventos atuais. Mitzrayim, filho de
Ham.....a linha do mal, amaldiçoada por Deus.....Mitzrayim gerou um pessoa chamada Kasluchim. De
Kasluchim descenderam os temidos Filisteus. E, nós precisamos lembrar que a palavra moderna para
Filisteu, é Palestina. Os palestinos de hoje reivindicam ser os descendentes dos Filisteus, que são
descendentes de Ham. De fato, isso não é verdadeiro. Os palestinos que nós vemos lutando contra os
judeus israelitas cada noite na TV, são árabes das várias áreas do Oriente Médio, que vieram como
imigrantes à área da Terra Santa durante os últimos 75-100 anos, procurando trabalho em
ajuntamentos agrícolas judeus e em fábricas judaicas; e os árabes não são da linha de Ham, eles são da
linha de Shem . Isto posto, o fato é que muitos destes povos fizeram uma decisão consciente, a partir
de seu ódio por Israel, para se identificarem com os Filisteus, porque os Filisteus eram arqui-inimigos
de Israel. Mas, criaram, inadvertidamente, um problema enorme para si. Da mesma forma que uma
pessoa de qualquer descendência pode se tornar um Israelita, identificando-se formalmente com
Israel (em um nível físico, convertendo e se transformando em um judeu), assim pode uma pessoa
transformar-se em Filisteu identificando com os Filisteus. Muitos árabes palestinos desistiram de sua
herança da linha do bem.....Shem.....para juntar-se à linha do mal, de Ham..... Eles, como a maioria dos
árabes, também abandonaram o Deus Semita, Yahweh, por um deus falso, Allah. E, serão julgados por
isto, e nós precisamos orar para que acordem para este fato antes que seja demasiado tarde.
Em todo o caso, nós vemos uma lista de tribos espalhada por Canaã nos versos 15-18. Mais tarde,
durante o êxodo do Egito, você verá muitos destes nomes reaparecerem como inimigos dos Israelitas,
que tentarão mantê-los fora da terra prometida.
No verso 21, nós encontramos agora a linha abençoada de Shem.....a linha do bem. Observe que nós
encontramos o nome “Ashur” conhecido como sendo um filho de Shem. Recorde, este não é o “Ashur”
que construiu Nínive.....aquele “Ashur” era simplesmente o nome assírio para Nimrod. Esta é uma
outra pessoa chamada Ashur.
Deixe-me resumir o aspecto mais importante dos versos que relatam a linha de Shem: você observará
que Shem está sendo referido como o “pai” ou o “antepassado” das crianças ou descendentes de
Heber. Isto é ponto-chave para a história hebraica porque da linha de Heber viriam outras das
divisões de Deus: Peleg e Yoktan. Dividindo, selecionando, elegendo. Preste atenção para isto, pois isto
é um tema principal que aponta para a maneira como Deus trabalha a Sua vontade através de toda a
Bíblia, e também, em nossas próprias vidas. Peleg e Yoktan eram os irmãos, filhos de Heber.
Interessantemente, Peleg significa “divisão”. Pois, da linha de Peleg veio Abraão, através de quem
seria executado o plano de Deus para salvar toda a humanidade, de restauração do homem caído a Si
mesmo.

LER GEN 11 todo

No capítulo 10, nós tivemos um amplo sumário da história genealógica das nações da terra. No
capítulo 11, nós voltaremos uma etapa, e começaremos examinando Nimrod, e PORQUE os povos da
terra se espalharam tão rápida e completamente.
Até a época de Nimrod, cada pessoa no mundo inteiro falou a mesma língua. Aparentemente, os povos
estavam dispersando-se a uma taxa muito pequena, e permaneciam ligados completamente à língua
comum porque NÃO SE SEPARAVAM, eles apenas se expandiam.....algo assim como expansão urbana.
Observe igualmente, em que direção eles se expandiram.....LESTE ! Eis aqui a palavra “leste” outra vez,
uma palavra importante para nós; e aqui ela tem grande significado. Observe que a frase diz que
(significando o volume de descendentes de Noach) vieram “do” leste para Shinar, ao invés de dizer
que eles mudaram-se para o leste. Isto é um pouco confuso, porque Shinar está ao sul e a LESTE de
onde eles vieram. Shinar é nos dias modernos o Iraque, perto do Golfo Pérsico, em uma área
dominada pela cidade de Basra. Shinar e Sumer são o mesmo lugar, apenas línguas diferentes. a
referência a se mudar DO leste: indo para leste de onde Deus os tinha colocado, moveram-se
essencialmente para longe de Deus. Agora, nós não devemos necessariamente pensar no que eles
fizeram, se mudando, como o mal por si mesmo.....pois , eles estavam realizando aquilo que Deus os
tinha instruído, repovoar o planeta. Ao invés disto, a designação bíblica de que eles estavam “partindo
do Leste”, era simbólico de que eles queriam ganhar independência de
Deus. Muito parecido com alguns de nós que não conseguem esperar
para alcançar a maioridade, de modo que possam se mudar para longe
da autoridade de nossos pais!
Agora, Nimrod fundou a cidade de Bavel, que nós chamamos agora
Babilônia, no sentido de que foi ele que fincou uma estaca na terra e
disse, “construam aqui”? Provavelmente não. Tomou provavelmente o
comando em algum ponto no desenvolvimento inicial da cidade.....uma
prática comum.....e levou-a a outro nível. E, a tempo, Bavel
transformou-se numa cidade enorme,estimando-se por baixo que
tinha uma área de cerca de 1500 metros quadrados dentro de seus
muros, e as estimativas maiores é de que era 5 vezes esta medida! E,
naturalmente, há a torre…..a torre de Babel. Tecnicamente, a torre era
um Zigurate, tipo de uma pirâmide em degraus. Diversos Zigurates antigos foram descobertos nos
dias modernos no Iraque e Irã. E, este Ziggurat em particular, foi construído para duas finalidades: a)
para alcançar até o céu, assim eles poderiam fazer um nome para si e b) para certificar-se de que não
seriam dispersados. Subentende-se: rebelião em uma escala enorme.
Como nós vimos nas últimas semanas, Shem significa nome; e a palavra SHEM é usada aqui se
referindo aos seguidores de Nimrod que querem fazer um nome para si. Mas, recorde que a palavra
“nome” não está se referindo a Bob, ou Elizabeth, ou Fred; esta palavra hebraica shem seria melhor
traduzida como “reputação” como carregando com ela o sentido de poder e de autoridade. Por
exemplo, Nimrod significa “caçador poderoso”; aquela era sua reputação. Assim, construíram uma
torre até os céus para criar uma reputação de ter o poder e a autoridade em si mesmos. E, a RAZÃO
pela qual quiseram a reputação era mostrar a Deus que não seriam obedientes a Ele e não se
dispersariam como compreenderam inteiramente que deviam fazer. Mais, qualquer um planejando
ser um ditador (como era Nimrod) tem que demonstrar que é todo-poderoso, de modo que os povos
se lhe submetam. Aquilo era só uma parte daquilo que Nimrod estava fazendo.
É evidente que desde os dias de Noach, o homem deveria se dispersar, se espalhar, para repovoar o
mundo inteiro.....visto que aquelas eram as instruções de Deus. Aquelas ordens não tinham sido
perdidas ou esquecidas, tinham sido simplesmente ignoradas . Mas, agora, sob a liderança de Nimrod,
eles se ajuntaram para PROVOCAR abertamente a ordem de Deus de dispersar. Como diz no verso 4
“.....para que nós não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra”.
A idéia naqueles cérebros babilônios era esta: Deus vive no céu? Nenhuma grande coisa, nós, homens,
com nossa inteligência maravilhosa, podemos inventar uma maneira de construir uma torre até ao
céu… assim nós poderemos viver lá em cima também, se nós desejarmos. E, quando nós chegarmos lá,
nós iremos dizer a Deus que NÓS decidimos que nós gostamos de todo o poder, conhecimento,
riqueza, e conforto que nós alcançamos permanecendo junto.....não dispersando.....e vamos nos manter
desta maneira, e não há nada que você possa fazer para nos parar! E, quando todos tiverem ouvido
sobre isto, nós criaremos realmente uma reputação para nós e ninguém nunca vai querer vir de
encontro a nós.
Isto está longe de onde nós estamos hoje, como humanidade? Não é o homem que diz atualmente:
“Deus, seus caminhos são velhos e obsoletos. Nós acumulamos tal conhecimento superior, que nós não
podemos somente resolver nossos próprios problemas, nós podemos fazê-lo melhor do que você
pode. De fato, você e aqueles povos atrasados que permanecem ligados a você e suas maneiras são
apenas um obstáculo aonde nós, humanidade, queiramos ir e PODEMOS ir.....Sem nenhuma ajuda sua,
muito obrigado. Nós não precisamos de SUAS tolas diretrizes orientadoras morais.....nós podemos
fazer as nossas próprias, quando nós precisarmos, e relevantes para cada situação. Vida? Nós
podemos produzir vida, e a manufaturamos segundo as NOSSAS especificações. União? Somente entre
o macho e a fêmea? Grande para épocas há muito esquecidas, não é necessária para hoje.” O que
Nimrod fez não é nada diferente do que nossa cultura humanística temporal está nos levando a fazer,
hoje. Rebelião, pura e simples.
No verso 5 nos deparamos com uma daquelas expressões “figurativas”, que dizem que “Deus desceu”
para olhar a torre. Deus certamente não teve que “mover-se” para saber o que estava
acontecendo. Mas, e eu amo realmente isto, Deus deu fim a esta rebelião de uma maneira
absolutamente brilhante: Ele deu a todos línguas diferentes. Tente unir uma equipe, construindo
qualquer coisa, quando ninguém fala a língua do outro.
Por falar nisto, os cientistas que pesquisam a história da língua, chegaram à conclusão recentemente
que todas as línguas derivaram de UMA fonte. Estão trabalhando duramente para descobrir qual, e de
onde. Tudo perda de tempo.....o que eles têm que fazer é dar uma lida neste capítulo de Gênesis.
O verso 6, quando nós olhamos para o hebraico, dá-nos alguma introspecção interessante. Diz que o
que Deus viu quando olhou para estes povos, foi unidade. Estavam unidos, e tinham uma única
lingual.....todos eles falavam como um só. No hebraico, dizemos que eram echad.....o que é um atributo
do próprio Deus. Isto é, os povos estavam organicamente conectados e inseparáveis. E, Deus não
gostou disto. Mas, qual é o mal que há em estarem eles unidos? Todos por um, um por todos? Não é
este o grito de cada púlpito, em cada igreja, em nossa terra? Unidade, unidade!
Veja, unidade no sentido em que a humanidade.....incluindo a igreja.....define-a, é uma doutrina falsa.
Aqui em Bavel os povos tiveram um líder, e tiveram uma visão e uma finalidade que pensaram que era
boa; e então, desde que TODOS ELES pensavam assim, e TODOS queriam assim, eles tiveram a
unidade. Contudo, quando nós examinamos as Escrituras, nós não vemos Deus unindo; nós vemos
Deus dividindo, e elegendo, e separando. De fato, mais tarde, quando nós estudarmos Israel subindo
do Egito, e então quando nós estudarmos as leis de Levítico, nós veremos Yahweh constantemente
dizendo ao povo para separarem-se dos povos imundos e ímpios; para separar coisas puras e impuras
como o alimento, e os animais, e o comportamento; A separação era Sua intenção para Nimrod e seus
seguidores. A unidade em si mesma não é uma coisa má; a chave é o que ou quem é o agente
unificador. O consenso e o acordo são espécies da unidade do homem . É o tipo que nós vemos durante
toda a cristandade e o mundo geralmente. São homens, dando as mãos, dizendo, nós somos um.
O tipo de unidade de Deus é unidade nEle. É cada indivíduo segurando na mão de Cristo. E, como o
cubo de uma roda raiada, Cristo é o ponto de união. Não tem nada a ver com consenso, acordo ou
mesmo governos de maioria.
O que é igualmente fascinante é que nós temos uma demonstração maravilhosa deste princípio, sob a
forma de acontecimento OPOSTO ocorrendo milhares de anos mais tarde. Recorde nosso princípio de
opostos. Tudo em nosso universo tem um oposto, ou, para vocês cientistas, um corolário reverso. Aqui
na história da torre de Babel, Deus está demonstrando mais uma vez como dividirá e separará aquilo
que o homem quer unificar. E, o mecanismo divisor que Ele usou nesta ocasião foi a língua.
No livro dos Atos, entretanto, nós vemos que o homem está sendo unificado à maneira de Deus, no dia
de Pentecostes. De fato, unificando aquilo que Ele tinha dividido e tinha separado mais de 2000 anos
antes.
LEIA ATOS 2:1 - 21
Você vê esta conexão fascinante entre o Pentecostes e a torre de Babel? Na torre, Deus quebrou o tipo
de unidade do homem dando-lhes línguas diferentes, para que assim não pudessem comunicar-se.....de
modo que o tipo de unidade do homem fosse desfeito e limitado. O espírito HUMANO era o que
conduzia a humanidade na torre de Babel, e o espírito HUMANO era o que definia a unidade. Agora,
em Pentecostes, Shavuot, Deus põe o Espírito Santo no homem, e unifica-os POR MEIO DO ESPÍRITO
DE DEUS.....não por meio do acordo e do consenso. A unidade aqui não é um tipo físico de unidade; ela
é um tipo espiritual de unidade. Ele até mesmo deu-lhes a habilidade de compreender e falar línguas
que nunca compreenderam ou falaram antes.....o oposto exato do que aconteceu na torre de Babel
quando Ele lhes deu línguas que não poderiam compreender.
Vamos falar um pouco sobre Nimrod. Nimrod era um homem real, literal, mas era igualmente um
tipo. É o primeiro de um tipo de homem que quer governar o mundo, e representa todos os atributos
daquele que se tornará o ÚLTIMO homem que quer governar o mundo: o Anticristo. Nimrod é o
“homem do pecado” que foi possuído inteiramente por Satanás, pela completa aceitação de sua
própria inclinação má. Assim muitos que virão após Nimrod são do mesmo tipo.....Faraó, Antíoco
Epifânio, Nero, e Hitler para nomear só alguns; culminando naquele sem lei, esse homem do pecado,
a besta chamada de o Anticriso. E, naturalmente, isto é para fazer oposição ao homem que é o exato
oposto, Yeshua.....Jesus Cristo.....o qual é possuído inteiramente por, e é um com, Yahweh.
Nimrod, da linha maldita de Ham, filho de Cush, é creditado com sendo o primeiro criador de um
império na história. É o primeiro a querer dominar não apenas os animais, mas homens. É o primeiro
a construir uma cidade murada; este é um indício a respeito de porque ele é provavelmente o inventor
da guerra. Isto é, há somente uma razão para se construir um muro em torno de onde você vive: auto-
proteção. E, se você foi o primeiro a pensar na idéia, dá para
imaginar como você poderia sair e invadir e conquistar
outros, e recuar à segurança atrás dos muros, de modo que
outros não pudessem lhe fazer o mesmo.
Nimrod casou com Semíramis. Depois que morreu, sua esposa
declarou que ele era Deus. Mais, como a esposa terrestre de
Deus, fêz-se a Rainha do Céu. Tiveram um filho, chamado
Tamuz. Tamuz foi considerado como sendo o
renascimento.....ou reencarnação.....de Nimrod. Assim, agora,
nós tínhamos um governante homem-deus.....Tamuz, que em
essência era Nimrod. Esta formulação de Deus o pai, da mãe
Rainha do Céu, e um filho cuja essência era o renascimento do
pai, transformou-se na base para todas as religiões falsas
futuras; aquelas religiões que Deus chama de religiões da
“misteriosa Babilônia”. Todas têm seu ponto de partida em
Nimrod.
Desde aqueles dias, Nimrod e Semíramis (definidos agora
como o deus e a deusa) têm aparecido sob os mais diferentes
nomes.....nomes que refletem a língua e cultura que os adotou.
Semíramis, como a mãe de todas as mães, era
conseqüentemente a deusa da fertilidade. No Egito, seu nome
era Ísis. Na India, Indrani; na Ásia, Cybelle, mais tarde,
particularmente na área da Terra Santa, será chamada
Ashteroth. Seu nome mais antigo era Astarte.
Quanto a Nimrod, sua imagem de deus tornou-se conhecida
como a do deus bíblico Ba'al, e como o deus-homem Ninus que
construiu Nínive. Mais tarde, Nimrod seria conhecido
igualmente como Marduk, e então Molech.
Eu mostro-lhes isto para que vocês possam ver o emaranhado
de mal que aparece em nossas Escrituras do começo ao fim; e
o que é isso que compõe “as religiões da misteriosa
Babilônia”.....pelo menos estruturalmente.....e de onde vieram.
E, como a maldição profética da linha de Ham, por Noach, está atuando. Você pode ter certeza de que o
Anticristo será da linha de Ham.
Interessantemente, o nome da cidade que Nimrod construiu primeiramente, Bavel, teve em épocas
mais antigas um significado diferente do que tem agora. Observe a soletração de Bav-EL. O EL indica a
palavra “Deus”.....o Deus mais elevado, realmente. Originalmente, Bav-EL significava a cidade de
Deus. Eventualmente, seu significado mudou para refletir o que aconteceu lá; e a palavra Bavel veio a
significar confusão.
Por fim, em conseqüência da confusão das línguas, a cidade de Bavel, Babylon, parou sua expansão; e
os povos mudaram dali, e agora em um ritmo muito mais rápido começaram a repovoar lugares
longínquos no mundo. Não é curioso como nesse ponto na história do homem Deus julgou o homem
através da confusão de línguas, e forçou-os a dispersar-se; mas, por outro lado, em Pentecostes,
milhares de anos mais tarde, Deus abençoa o homem com a manifestação do Espírito Santo quando a
Verdade de Deus poderia ser compreendida por todos, de cada língua. E, como foi maravilhoso esse
evento, que apontava ainda outro tempo no futuro, quando os povos de Deus, em todas as nações do
mundo, voltariam de sua dispersão, para unir-se em um espírito, sob nosso rei presente e futuro,
Yeshua HaMashiach, Jesus Cristo. Nós chamamos este Reino Unido de Deus de o Reino do Milênio.
Mas, como em todas as outras coisas que Satanás planejou, ele está trabalhando rapidamente numa
versão falsa deste reino.....sob a forma de seu próprio governo de um mundo unido. Nós hoje, estamos
nessa geração que está reencarnando ativamente o que Nimrod tentou fazer.....ligar todo o mundo em
um só povo, echad, sob um governo, e um só governante.....um homem. E, os grandes segmentos da
igreja estão cegamente abrindo caminho, pregando a tolerância, a harmonia do mundo, a paz a todo o
preço, e o fim da Torah e que preferivelmente nós devemos confiar na bondade de nossos corações.
Do vs. 10 ao fim deste capítulo a linhagem de Shem, começando com ele e levando-nos por todo o
caminho até Abraão, é recontada. Recebemos igualmente alguma boa informação básica sobre Abraão
e sua família. Por exemplo, seu pai era Terach, e Abraão teve dois irmãos.....pelo menos dois.....e seus
nomes eram Nachor e Haran. Haran teve um filho chamado Lot, mas Haran morreu. Nós vemos que
Abraão casou com uma mulher chamada Sarai (nós descobriremos mais tarde que ela era filha de
outras de esposas do seu pai.....assim Sarai seria meio-irmã de Abraão). E, por algum motivo, Sarai
parecia não poder ter filhos.
Uma coisa curiosa, negligenciada frequentemente, é dita no vs. 31. Parece que era inicialmente Terach,
não Abraão, que recebeu PRIMEIRAMENTE o chamado para tomar sua família e se transportar à terra
de Canaã. Quando Terach recebeu o chamado sua família estava vivendo na cidade de Ur dos Caldeus.
Os caldeus eram uma cultura antiga dessa área; Sumer era o nome da região, e Ur era essencialmente
a capital. Era igualmente um lugar muito mau; de fato era o centro cultural de adoração do deus-lua
Hurki, que é conhecido hoje como Allah.
Por algum motivo, Terach deixou Ur, mas em vez de seguir o rumo sudoeste para Canaã, foi para o
noroeste à mesopotâmia. Quando chegaram a uma determinada cidade, decidiram permanecer, em
vez de prosseguir até Canaã. O porquê, não nos é dito. Mas, foi lá que esse irmão de Abraão, Haran,
morreu. E a cidade recebeu seu nome, tempos mais tarde.
A propósito: tecnicamente , neste tempo, Abraão não era chamado ainda Abraão.....ele era chamado
Abram, ou em hebraico, Avram, que significa “pai exaltado”. Isto aconteceu diversos anos antes de
Deus mudar seu nome de Avram para Avraham, que significa “pai de nações”.