You are on page 1of 43

CURSO SECRETARIADO

AULA 3 – ORGANIZAÇÃO E
COMPETÊNCIA

Professor Eduardo Galante
BRASÍLIA
2014
1
ORGANIZAÇÃO
(art. 111 a 117 da CF > principais aspectos da Justiça
do Trabalho)

A Justiça Nacional se subdivide em:

Justiça Especial ou especializada:
Do Trabalho;
Eleitoral;
Militar.

Justiça Comum:
Federal;
Estadual.

2
ORGANIZAÇÃO
O artigo 111 da CF dispõe quais são os Órgãos da Justiça do Trabalho:

Art. 111. São órgãos da J ustiça do Trabalho: (segundo a CF)

I - o Tribunal Superior do Trabalho;
II - os Tribunais Regionais do Trabalho (24 TRT´s. Tocantins, Roraima,
Acre e Amapá possuem TRT´s vinculados em outros Estados);
III - Juízes do Trabalho.

> A EC/24 de 1999 trouxe a extinção da representação classista da JT em
todos os graus de Jurisdição. Hoje só entra na JT através de concurso
público ou através do 5º Constitucional previsto na CF.

> No 1º grau tinha a Junta de Conciliação e Julgamento, mas hoje existe a
Vara do Trabalho com posta por juiz Monocrático ou Singular, ou seja, o
juiz titular ou o substituto. (art. 116 da CF).

3
ORGANIZAÇÃO
São órgãos da Justiça do Trabalho:

o TST, os Tribunais Regionais do Trabalho e as Varas de Trabalho ou os
juízos de direito investidos de jurisdição trabalhista (art. 644 da CLT).

Art. 644 da CLT São Órgãos da J ustiça do Trabalho:

a) o Tribunal Superior do Trabalho
b) os Tribunais Regionais do Trabalho
c) as Varas de Trabalho ou os Juízos de Direito.


DICA: É importante saber o teor dos dois artigos porque ora as bancas
abordam o art. 644 da CLT e ora abordam o art. 111 da CF/88, como vocês
poderão observar na resolução de questões de prova mais adiante.

4
ORGANIZAÇÃO
> Art. 112 da CF: A lei (ordinária) criará varas da Justiça do
Trabalho, podendo, nas comarcas não abrangidas por sua
jurisdição, atribuí-la aos juízes de direito, com recurso para o
respectivo Tribunal Regional do Trabalho.

*Esses juízes de direito são conhecidos como juiz de direito investido
na jurisdição trabalhista.

*O juiz Estadual ou o juiz federal poderá julgar matéria trabalhista.

Obs.: O recurso da sentença proferida por juiz de direito é o recurso
ordinário emanado perante o TRT (parte final do art. 112 da CF e
art. 895, I, da CLT).

5
ORGANIZAÇÃO
Obs.: Súmula 10 do STJ:

“Instalada a Vara do trabalho, cessa a competência do juiz de
direito em matéria trabalhista, remetendo os autos à Justiça do
Trabalho independentemente da fase processual em que os processos
se encontram”.


*Princípio da identidade física do juiz (Art. 132 do CPC) > o juiz
que concluir a audiência julgará a lide, salvo quando ele estiver
licenciado, afastado, promovido ou aposentado.

Obs: O TST editou a Súmula n. 136 dispondo que o princípio da
identidade física do juiz não é aplicado nas Varas do Trabalho.
6
ORGANIZAÇÃO
 Observar ainda as questões que são de
competência do STF (art. 102 da CF).
7
TST

 O Tribunal Superior do Trabalho tem sede em Brasília,
possui jurisdição em todo o território nacional, e é composto
por EXATOS 27 ministros, que devem ser brasileiros, com
mais de 35 e menos de 65 anos, nomeados pelo
Presidente da República, após aprovação pela maioria
absoluta do Senado Federal. [Art. 690, CLT].

 Um quinto de seus membros será composto por advogados
e membros do Ministério Público (quinto constitucional) com
mais de 10 anos de efetiva atividade profissional e de
efetivo exercício, respectivamente. Os demais membros
serão desembargadores dos Tribunais Regionais do
Trabalho, oriundos da magistratura de carreira, indicados
pelo próprio Tribunal Superior. [Art. 111-A, CF/88]
8
TST

 Funcionarão junto ao TST a ESCOLA NACIONAL DE
FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DOS MAGISTRADOS
DO TRABALHO e o CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA
DO TRABALHO.
9
TRT
Os Tribunais Regionais do Trabalho compõe-
se de, no mínimo, sete juízes, recrutados,
quando possível, na respectiva região, e
nomeados pelo Presidente da República dentre
brasileiros com mais de 30 e menos de 65
anos. Na composição dos membros do TRT
também se respeita o quinto constitucional.

Atualmente, há 24 regiões e 24 Tribunais
Regionais do Trabalho, sendo dois deles
situados no estado de São Paulo (um na
Capital e outro em Campinas).

10
TRT
Não há Tribunal Regional do Trabalho nos
seguintes Estados: Tocantins, Amapá, Acre e
Roraima.

 Os Tribunais Regionais deverão criar a Justiça
Itinerante, com a realização de audiências e
demais funções de atividade jurisdicional,
dentro do limite territorial de sua jurisdição,
servindo-se de equipamento público e
comunitários.
11
JUIZ DO TRABALHO
O Juiz do Trabalho ingressará na carreira como
Juiz do Trabalho Substituto, após aprovação
em concurso público de provas e títulos,
sendo designado pelo Presidente do TRT para
auxiliar ou substituir nas Varas do Trabalho.

Após dois anos de exercício, o Juiz do
Trabalho substituto torna-se vitalício.

Alternadamente, por antiguidade ou
merecimento, o Juiz será promovido a juiz
Titular da Vara do Trabalho e, posteriormente,
pelo mesmo critério, a juiz do Tribunal
Regional do Trabalho
12
JUIZ DO TRABALHO
Nas Comarcas onde não houver juiz do
trabalho, por lei, os Juízes de Direito poderão
ser investidos da jurisdição trabalhista. Das
sentenças que proferirem caberá Recurso
Ordinário para o respectivo Tribunal Regional
do Trabalho. [Art. 112, CF/88 e Art. 668, CLT]
13
Dissídios
 DÍSSIDIO é o questionamento de um ou mais
pontos da relação de trabalho.

 pode ser:

1) SIMPLES: um só reclamante.

2) PLÚRIMO: pluralidade de reclamantes
(chamado, no Processo Civil, de litisconsórcio
ativo).
14
Dissídios
3) ESPECIAL: Inquérito judicial para afastar o
empregado estável, por justa causa.


TODOS ESSES DISSÍDIOS SÃO DE
COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA DAS VARAS DE
TRABALHO.
15
Dissídio Coletivo
DISSÍDIO COLETIVO: É aquele que envolve interesses de uma
coletividade (Ex: vigilantes que pedem periculosidade).

 Diz-se que estes dissídios atuam abstratamente, pois são ações de
pessoas indeterminadas. São de categorias. Não há necessidade de
procuração de cada um dos integrantes da categoria. O sindicato é que
atua como substituto processual.

 O dissídio coletivo pode ser de natureza econômica: aquele em que a
Justiça determina o aumento salarial.

 O dissídio coletivo pode ainda ser de natureza jurídica: aquele em que
não se firmam novas convicções mas, sim, servem somente para
interpretar normas coletivas. É o mais comum.

 Todos esses dissídios são de competência originária do TRT ou TST, a
depender da natureza da ação ou recurso.
16
COMPETÊNCIA
 A competência na Justiça do Trabalho será designada
da seguinte forma:

1) em razão da matéria,
2) em razão das pessoas,
3) em razão da função
4) em razão do território.


17
COMPETÊNCIA
Diferenças entre competência absoluta e relativa


18
COMPETENCIA
ABSOLUTA
COMPETÊNCIA
RELATIVA
ESPÉCIES
Competência material;
competência em razão da
pessoa; competência
funcional
Competência territorial
MOMENTO DE ALEGAÇÃO
Qualquer tempo e grau de
jurisdição, exceto
instância superior que
depende do pré-
questionamento
Prazo para resposta
CONHECIMENTO EX
OFFÍCIO
Pode ser conhecida pelo
Juiz.
Não pode ser conhecida
de ofício (ex offício)
FORMA DE ALEGAÇÃO
Qualquer petição e até
mesmo oralmente na
audiência
Exceção de
incompetência. Pode ser
alegada na contestação
NULIDADE
Gera nulidade absoluta Gera nulidade relativa
AÇÃO RESCISÓRIA
Pode ser objeto Não pode ser objeto.
COMPETÊNCIA
 A Justiça do Trabalho, nos termos do art. 114 da CF/88, tem
competência MATERIAL para julgar:

 Compete às Varas do Trabalho processar e julgar as ações oriundas das
relações de trabalho como determinado pelo art. 114 da Constituição
Federal.

Art. 114 - Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar:

I - as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito
público externo e da administração pública direta e indireta da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;

II - as ações que envolvam exercício do direito de greve;

III - as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos
e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores;
19
COMPETÊNCIA
IV - os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data,
quando o ato questionado envolver matéria sujeita à sua
jurisdição;

V - os conflitos de competência entre órgãos com jurisdição
trabalhista, ressalvado o disposto no art. 102, I, "o";

VI - as ações de indenização por dano moral ou patrimonial,
decorrentes da relação de trabalho;

VII - as ações relativas às penalidades administrativas impostas
aos empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de
trabalho;

20




COMPETÊNCIA
VIII - a execução, de ofício, das contribuições sociais previstas no
art. 195, I, "a", e II, e seus acréscimos legais, decorrentes das
sentenças que proferir;


IX - outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, na forma
da lei.

> Esse artigo dispõe ainda, em seus §§ 1º e 2º, que, no caso de
negociação coletiva, as partes poderão eleger árbitros; na recusa da
negociação coletiva e/ou da arbitragem, será ajuizado dissídio
coletivo de natureza econômica, a ser decidido pela Justiça do
Trabalho.

21
COMPETÊNCIA
 Ainda, o Ministério Público do Trabalho pode interpor dissídio
coletivo em caso de greve em serviço essencial, com
possibilidade de lesão do interesse público. Neste caso, a
competência também será da Justiça do Trabalho.

 OUTRAS HIPÓTESES DE COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA
DO TRABALHO:

a) Decisão sobre abusividade de greve (Súmula 189 do TST);
b) Cadastramento no PIS (Súmula 300 do TST);
c) Contribuições Fiscais (Súmula 368 do TST);
d) Seguro-desemprego (Súmula 389 do TST).

22




COMPETÊNCIA
 Após a EC/45/04, a Justiça do passou a ter competência para
julgar não somente relação de emprego, ou seja, as ações de
empregado x empregador, mas também as ações decorrentes
das relações de trabalho que incluem: relação de emprego,
trabalho autônomo, trabalho eventual, trabalho avulso,
trabalho voluntário, etc...

 O entendimento majoritário é no sentido de que cobrança dos
honorários advocatícios é competência da Justiça Estadual e
não da Justiça do Trabalho.

 A Justiça do Trabalho não tem competência para julgar e
processar as ações penais (ADIN 3684).

23
COMPETÊNCIA
 Competência para julgamento dos servidores públicos:

a) Competência da Justiça do Trabalho: Empregado Público.

b) Competência da Justiça Comum: Servidor estatutário e
temporário.

> A Justiça do trabalho é competente para processar e julgar ação
possessória ajuizada em decorrência do exercício do direito de greve
pelos trabalhadores da iniciativa privada (Súmula vinculante nº 23 do
STF).

24
COMPETÊNCIA
 EM RESUMO: Competência material da Justiça do Trabalho: Art. 114
da CF

 COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO:

1)Ações decorrentes da relação de trabalho, inclusive danos pré e pós contratuais,
cadastramento da PIS, FGT, seguro desemprego e complementação de aposentadoria;

2) Servidores públicos celestiais e empregados de cartórios;

3) Meio ambiente de trabalho;

4) [Ações decorrentes do exercício de greves, inclusive ações possessórias;].

5) Ações sindicais;

6) Danos morais e matérias decorrentes da relação de trabalho, inclusive nas ações ajuizadas
pelos herdeiros;

7) Contribuições previdenciárias incidentes sobre as parcelas de natureza salarial que forem
objeto de condenação ou acordo.

25
COMPETÊNCIA
EM RESUMO: COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA COMUM

1) Servidores públicos estatutários ou que tenham vínculo
administrativo;

2) Ações criminais decorrentes da relação de trabalho;

3) Execução de créditos trabalhistas em falência e recuperação
judicial;

4) Complementação de aposentadoria em plano privado;

5) Contribuições previdenciárias incidentes sobre os salários pagos
ao longo de vínculo reconhecido em juízo.


26
COMPETÊNCIA
EM RESUMO: COMPETÊNCIA TERRITORIAL


1) Regra geral: local da prestação de serviço, ainda que
outro seja o local da contratação;

2) Agente comercial/viajante: local da filial a que esteja
vinculado ou, na ausência, domicílio do reclamante;

3) Empresa que promove a prestação de serviços em
mais de um lugar: local da contratação ou da prestação
de serviços.

27
MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO
O Ministério Público do Trabalho (MPT) é o ramo do
Ministério Público da União (MPU) cuja função é atuar na
defesa dos direitos coletivos e individuais na área
trabalhista. A Constituição da República de 1988 define,
em seu artigo 127, o Ministério Público como sendo
"instituição permanente, essencial à função jurisdicional
do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica,
do regime democrático e dos interesses sociais e
individuais indisponíveis".
28
ATUAÇÃO
Até 1988, o Ministério Público do Trabalho atuava
apenas como Órgão Interveniente junto ao Tribunal
Superior do Trabalho ou aos Tribunais Regionais do
Trabalho, emitindo parecer nos processos judiciais, na
condição de fiscal da lei.

 A partir da nova Constituição Federal, passou a atuar
também como Órgão Agente, ou de campo, na defesa
dos direitos difusos, coletivos e individuais indisponíveis
dos trabalhadores.
29
ATUAÇÃO
> Desde 1999, elegeu cinco áreas prioritárias de
atuação: erradicação do trabalho infantil e regularização
do trabalho do adolescente, combate ao trabalho
escravo e regularização do trabalho indígena, combate a
todas as formas de discriminação no trabalho,
preservação da saúde e segurança do trabalhador, e
regularização dos contratos de trabalho.
30
PRINCÍPIOS INSTITUCIONAIS
Os princípios institucionais estão definidos no artigo 127, §1º, da
Constituição da República Federativa do Brasil que afirma: "São princípios
institucionais do Ministério Público a unidade, a indivisibilidade e a
independência funcional".

UNIDADE
Os membros do Ministério Público integram um só órgão, todos seus
membros agindo individualmente visando ao atendimento das finalidades
do Ministério Público como um todo. Não obstante, o Ministério Público se
divide em vários ramos.

INDIVISIBILIDADE
Os membros do Ministério Público podem ser substituídos uns pelos
outros sem que haja alteração subjetiva na relação jurídica processual.

INDEPENDÊNCIA FUNCIONAL
O princípio da independência funcional informa que não há hierarquia
funcional entre os membros do Ministério Público.

31
AUTONOMIA
O §2º do artigo 127 da Constituição da República
assegura a autonomia funcional, administrativa e
financeira, dispondo que "Ao Ministério Público é
assegurada autonomia funcional e administrativa,
podendo, observado o disposto no art. 169, propor ao
Poder Legislativo a criação e extinção de seus cargos e
serviços auxiliares, provendo-os por concurso público
de provas ou de provas e títulos, a política
remuneratória e os planos de carreira; a lei disporá
sobre sua organização e funcionamento".
32
QUESTÕES
1 - ( Prova: FCC - 2013 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Técnico Judiciário - Área Administrativa /
Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do Trabalho; ) Conforme previsão
constitucional, as vagas destinadas à advocacia e ao Ministério Público do Trabalho nos
Tribunais Regionais do Trabalho, observado o disposto no artigo 94 da CF, serão de

a) um terço dentre os advogados com mais de três anos de efetiva atividade profissional e
membros do Ministério Público do Trabalho com mais de três anos de efetivo exercício.

b) um quinto dentre os advogados com mais de três anos de efetiva atividade profissional e
membros do Ministério Público do Trabalho com mais de três anos de efetivo exercício.

c) um terço dentre os advogados com mais de cinco anos de efetiva atividade profissional e
membros do Ministério Público do Trabalho com mais de cinco anos de efetivo exercício.

d) um quinto dentre os advogados com mais de dez anos de efetiva atividade profissional e
membros do Ministério Público do Trabalho com mais de dez anos de efetivo exercício.

e) um quinto dentre os advogados com mais de cinco anos de efetiva atividade profissional e
membros do Ministério Público do Trabalho com mais de cinco anos de efetivo exercício.

33
QUESTÕES
2 - ( Prova: TRT 15R - 2013 - TRT - 15ª Região - Juiz do Trabalho / Direito Processual do
Trabalho / Competência; ) Assinale dentre as alternativas abaixo aquela em que todos os tipos
de ações relacionados estejam fora da competência da Justiça do Trabalho, de acordo com a
jurisprudência dominante do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça:


a) ações de cobrança de honorários de profissionais liberais, ações relativas à previdência
complementar decorrente de contratos de trabalho e ações relativas a servidores públicos
estatutários;

b) ações relativas a servidores públicos estatutários, ações penais condenatórias em matéria
penal-laboral e ações liberatórias(habeas corpus);

c) ações relativas a tutelas inibitórias em sede de labor-ambiental (meio ambiente do trabalho) e
ações em que se pede a nulidade ou a anulação de eleições sindicais;

d) ações relativas a servidores públicos estatutários, ações penais condenatórias em matéria
penal-laboral e ações de indenização por danos morais ou materiais ajuizadas pelo cônjuge
supérstite em caso de acidente de trabalho fatal;

e) ações relativas a tutelas inibitórias em sede labor-ambiental (meio ambiente do trabalho),
ações de consignação em pagamento e ações de indenização por danos morais e materiais
ajuizadas pelo cônjuge supérstite em caso de acidente de trabalho fatal.

34
QUESTÕES
3 - ( Prova: CESPE - 2013 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito
Processual do Trabalho / Competência; ) No que concerne ao direito
processual do trabalho, julgue os itens seguintes.



Compete à justiça do trabalho processar e julgar ação ajuizada por
empregado em face de empregador relativa ao cadastramento no
Programa de Integração Social.



( ) Certo ( ) Errado

35
QUESTÕES
4 - ( Prova: FCC - 2013 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Técnico Judiciário -
Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; ) Conforme normas legais que regulam a matéria, a
competência da Justiça do Trabalho EXCLUI a análise e julgamento de
ações

a) sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e
trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores.
b) oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito
público externo e da administração pública direta e indireta da União,
dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.
c) relativas às penalidades administrativas impostas aos
empregadores por órgãos de fiscalização das relações de trabalho.
d) de indenizações por danos morais e também danos materiais ou
patrimoniais, decorrentes da relação de trabalho.
e) penais para apuração de crimes contra a organização do trabalho,
incluindo trabalho escravo e trabalho infantil irregular.



36
QUESTÕES
5 - ( Prova: FCC - 2013 - TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Técnico Judiciário -
Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; ) A Constituição Federal e a Consolidação das Leis do
Trabalho NÃO inserem na competência das Varas do Trabalho a
apreciação e julgamento dos dissídios e ações


a) em que se pretenda estabilidade no emprego.
b) coletivas de natureza econômica e jurídica, originalmente.
c) resultantes de contratos de empreitadas em que o empreiteiro seja
operário ou artífice.
d) sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e
trabalhadores.
e) para a execução de contribuições previdenciárias decorrentes de
suas sentenças condenatórias.



37
QUESTÕES
6 - ( Prova: FCC - 2013 - TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Técnico Judiciário -
Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; ) Hércules, morador de Nova Iguaçu, foi contratado em
Angra dos Reis para trabalhar na empresa Beta & Gama Produções,
localizada no município do Rio de Janeiro. Após oito meses de
trabalho foi dispensado sem justa causa. Na presente situação, a
competência territorial para ajuizar reclamação trabalhista
questionando o motivo da rescisão contratual e postular indenização
por danos morais é do município

a) do Rio de Janeiro, porque é a Capital do Estado e há pedido de
indenização por danos morais.
b) de Nova Iguaçu, porque é o local do domicílio do reclamante.
c) de Angra dos Reis, porque é o local onde o trabalhador foi
contratado.
d) do Rio de Janeiro, porque é o local da prestação dos serviços do
empregado.
e) de Nova Iguaçu ou Angra dos Reis, sendo opção do reclamante por
atender a sua conveniência.



38
QUESTÕES
7 - ( Prova: FCC - 2013 - TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Técnico Judiciário -
Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; ) Nos termos das previsões da Constituição Federal e
da Consolidação das Leis do Trabalho, compete à Justiça do Trabalho
processar e julgar

a) as demandas que envolvam as questões relativas aos benefícios da
Previdência Social, sendo partes o trabalhador e o INSS.
b) as contas prestadas anualmente pelo Ministro do Trabalho e
Emprego, mediante parecer prévio que deverá ser elaborado em
sessenta dias a contar de seu recebimento.
c) originalmente, a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato
normativo federal ou estadual e a ação declaratória de
constitucionalidade de lei ou ato normativo federal.
d) os crimes contra a organização do trabalho e, nos casos
determinados por lei, contra o sistema financeiro e a ordem
econômico-financeira.
e) as ações entre trabalhadores portuários e os operadores portuários
ou o Órgão Gestor de Mão de Obra - OGMO decorrentes da relação de
trabalho.



39
QUESTÕES
8 - ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 5ª Região (BA) - Juiz do Trabalho /
Direito Processual do Trabalho / Ministério Público do Trabalho; )
Assinale a opção correta, no que diz respeito ao MP do Trabalho.

a) Os procuradores do trabalho atuam junto ao TST.

b) Os procuradores regionais do trabalho podem atuar regularmente
junto às varas do trabalho.

c) Antes da CF, o MP do Trabalho integrava o Poder Executivo.

d) O MP do Trabalho não opera em esfera extrajudicial.

e) O chefe do MP do Trabalho é o procurador geral do trabalho,
nomeado pelo presidente da República.



40
QUESTÕES
9 - ( Prova: TRT 8R - 2008 - TRT - 8ª Região (PA e AP) - Juiz / Direito Processual do Trabalho /
Ministério Público do Trabalho; ) Assinale a alternativa CORRETA:

a) Os membros do Ministério Público do Trabalho gozam das seguintes garantias: vitaliciedade, após
três anos de efetivo exercício, não podendo perder o cargo senão por sentença judicial transitada em
julgado e inamovibilidade, salvo por motivo de interesse público, mediante decisão do Conselho
Superior, por voto da maioria absoluta de seus membros, assegurada ampla defesa.

b) Conforme jurisprudência dominante do TST, o Ministério Público do Trabalho possui interesse para
recorrer da decisão que declara a existência de vínculo empregatício com sociedade de economia
mista, após a Constituição Federal de 1988, sem a prévia aprovação em concurso público.

c) Os autos dos processos da Justiça do Trabalho não poderão sair dos cartórios ou secretarias, salvo
se solicitados por advogado, ainda que sem procuração nos autos, por exercer o advogado função
essencial à Justiça, ou quando tiverem de ser remetidos aos órgãos competentes, em caso de recurso
ou requisição.
d) As partes poderão requerer certidões dos processos em curso ou arquivados, as quais serão
lavradas pelos escrivães ou chefes de secretarias, independente de despacho do juiz, inclusive
daqueles que correrem em segredo de justiça.


e) A parte vencedora na primeira instância, se vencida na segunda, está obrigada, após intimação, a
pagar as custas fixadas na sentença originária, das quais ficará isenta a parte então vencida.



41
QUESTÕES
10 - ( Prova: TRT 21R (RN) - 2012 - TRT - 21ª Região (RN) - Juiz - 1ª Parte /
Direito Processual do Trabalho / Ministério Público do Trabalho; ) São
prerrogativas dos membros do Ministério Público:

a) cômputo do prazo em quádruplo para contestar e em dobro para recorrer
quando interpuserem recursos, seja com parte, seja como custos legis;
b) sentar-se no mesmo plano, e imediatamente à direita, dos juízes de 1ª
Instância, dos Presidentes de Turmas e do Presidente dos Tribunais do
Trabalho, nas sessões de instrução e julgamento e nas sessões
administrativas, nas atuações como custos legis;
c) receber a intimação via postal nos processos que tramitam na primeira
instância, com cômputo do prazo, a partir do recebimento da intimação na
Procuradoria Regional do Trabalho, e intimação pessoal nos processos que
tramitam na segunda instância;
d) receber intimação pessoal nos autos dos processos que tramitem em
primeira instância, com encaminhamento dos autos à sede do Ministério
Público, com cômputo do prazo, a partir da efetiva distribuição a um dos
membros lotados naquela sede;
e) solicitar, como fiscal da lei, novas diligências em processos em julgamento,
interrompendo-se, necessariamente, o julgamento, para atendimento do
pedido do membro do Ministério Público, sem possibilidade do juiz relator
indeferir o pedido.



42

43
FIM DA APRESENTAÇÃO E OBRIGADO