You are on page 1of 46

CURSO SECRETARIADO

AULA 5 – PARTES E NULIDADES

Professor Eduardo Galante
BRASÍLIA
2014
1
ASSUNTOS DA AULA

Das partes e procuradores

 Nulidades processuais

2
PARTES E PROCURADORES - INTRODUÇÃO
 A parte é aquele que pede, bem como aquele em face
de quem se pede, participando da relação jurídica,
como interesse na causa. A indicação das partes é
importante, porque define os limites subjetivos da
lide, uma vez que a sentença só pode abranger as
partes.

 Para ostentar tal condição, é necessário que a parte
tenha capacidade de ser parte, processual e
capacidade postulatória (por advogado ou pelo ius
postulandi do art. 791 da CLT).
3
PARTES E PROCURADORES - INTRODUÇÃO
 No processo do trabalho, prevalece o entendimento
de que o menor de 16 anos emancipado tem a
capacidade de ser parte, sem necessidade de
assistência dos responsáveis.


4
LEGITIMIDADE
 A legitimidade da parte pode ser ordinária ou
extraordinária, com a possibilidade de haver
substituição processual;

A) Legitimação ordinária: a parte vai ao processo em
nome próprio, defendendo interesse próprio.

B) Legitimação extraordinária: a parte vai ao processo
em nome próprio, defendendo interesse alheio,
mediante autorização legal (art. 6º do CPC). Diferencia-
se da representação, pois, nesta, a pessoa atua em
nome alheio, defendendo um interesse alheio, como a
mãe que representa o filho menor de 16 anos.
5
LEGITIMIDADE
C) Substituição processual: é espécie de legitimação extraordinária.
Nela, a parte processual está atuando em nome próprio, porém
defendendo direito ou interesse alheio. Entretanto, na substituição
processual, há uma efetiva substituição, uma vez que o substituído não
esta em um dos polos da ação.

Exemplo: o sindicato dos trabalhadores ajuíza ação trabalhista para pedir
que uma empresa deposite o FGTS de todos os seus 20 funcionários.
Dos 20, Maria e Pedro optaram por ingressar no polo passivo da ação
também. Nesse caso, com relação à Maria e Pedro, há legitimação
extraordinária, mas não há substituição processual, pois eles estão no
polo ativo da ação junto com o sindicato. Já com relação aos outros 18
empregados, há substituição processual, pois eles não estão na ação e o
sindicato, efetivamente, os está substituindo.
6
LEGITIMIDADE
Essa substituição é:
a) autônoma, uma vez que se admite a possibilidade de
transação, independentemente da autorização do
substituído;
b) concorrente, pois é possível que o substituído ajuíze
uma ação própria, ou mesmo intervenha nesse processo
como assistente litisconsorcial;
c) primaria, porque o substituto não precisa aguardar a
inercia do substituído para ingressar com a ação.
7
LEGITIMIDADE
MUITA ATENÇAO!!

Segundo o STF, o art. 8º, III, da CF encerra de
substituição processual ampla pelo sindicato,
abrangendo os direitos e interesses difusos, coletivos e
individuais homogêneos (RE 222.039-6, j. 19/06/2006
e RE 213974ArG/RS, DJE 26/02/2010). O entendimento
também foi adotado pelo TST (SDI1, ERR 36903-
32.1991.5.15.5555, j. 06/02/2007). Inicialmente, o
TST havia adotado uma postura restritiva, de que a
substituição não abrangia os direitos individuais
homogêneos, chegando a editar a Súmula 310 nesse
sentido, atualmente cancelada.
8
LEGITIMIDADE
1.1 A representação do menor é tratada pelo art. 793 da CLT. Ela
fica a cargo de seus representantes legais e, na sua falta, MPT,
do sindicato do MP Estadual ou de curador nomeado pelo juízo.

Há uma hierarquia nessa representação. Assim, o MPT só atuará
na ausência dos representantes legais. Para o TST, a intervenção
no MPT só atuará na ausência dos representantes legais. Para o
TST, a intervenção do MPT só é obrigatória na função de
curador ou ausência dos representantes (SDI1, ERR 679909-
54.2000.5.24.0071, DEJT 07/05/2009).

9
LEGITIMIDADE
 Se as partes mudarem ao longo da relação processual, haverá
a sucessão, que poderá ocorrer entre vivos ou causa mortis.



10
SUCESSÃO ENTRE VIVOS
 A sucessão entre vivos ocorre na hipótese de
sucessão de empresas (artigos 10 e 448 da CLT).

 Na sucessão causa mortis na sistemática processual
trabalhista, aplica-se o art.1º da Lei nº 6.858/80.
Assim, em caso de falecimento do trabalhador, os
direitos decorrentes do contrato de trabalho devem
ser liberados aos seus dependentes inscritos na
Previdência Social. Apenas na ausência destes é que
os valores são liberados aos sucessores, nos termos
da lei civil.

11
ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA
 A assistência judiciaria é dever do Estado (art. 5º, LXXIV, da
CF) e não engloba apenas o beneficio da justiça gratuita, mas
todo o conjunto de gastos dentro de um processo, como
exames e custeio de defensor.

 No processo trabalhista, a prestação de assistência judiciaria
gratuita não é feita pela Defensoria Pública dos Estados ou da
União, mas sim pelos sindicatos, que são obrigatórios a
fornecer advogado aos empregados da categoria (art. 14 da Lei
nº 5.584/70). A obrigação existe, ainda que o empregado não
seja sindicalizado.
12
MANDADO
Caso a parte opte por contratar advogado, é
imprescindível que ela lhe outorgue procuração, que
pode se dar, inclusive, de forma tácita, da seguinte
forma:

A) Mandato expresso: é o que normalmente ocorre,
com a juntada de um instrumento de procuração
escrito, com os poderes da cláusula ad judicia, ou,
ainda, com os poderes especiais previstos no art. 38 do
CPC (receber citação inicial, confessar, reconhecer a
precedência do pedido, transigir, desistir, renunciar, ao
direito sobre o qual se funda a ação, receber e dar
quitação, bom como firmar compromisso);
13
MANDADO
B) Procuração apud acta: é aquela em que parte
expressamente constitui a sua advogado, porém,
verbalmente em ata de audiência, podendo haver
outorga de poderes especiais (art. 791, § 3º, da CLT e
art. 16 da Lei nº 1.060/50). Nesse caso, o juiz deverá
constar em ata a outorga de poderes ao profissional.
Exemplo: as a parte comparece em audiência
acompanhada de advogado e expressamente informa
que, naquele ato, constitui aquele profissional para
defendê-lo no processo, inclusive outorgando os
poderes especiais do art. 38 do CPC, há procuração
apud acta;
14
MANDADO
C) Mandato tácito: se configura quando o advogado
comparece à audiência e pratica atos em defesa da
parte (OJ nº 286 da SDI-1 do TST). Nesse caso, basta a
simples presença em audiência, mesmo sem
procuração. Ele não concede poderes especiais ao
advogado, mas apenas os poderes gerais da cláusula
ad judicia. Ainda, que não está sujeito a
substabelecimento (OJ nº 200 da SDI1 do TST), por ser
pessoal e intransferível. Exemplo: se a parte comparece
em audiência acompanhada de advogado, mas não
entrega qualquer procuração, há mandato tácito.
ciais do art. 38 do CPC, há procuração apud acta;
15
MANDADO
 Os procuradores da União, dos Estados e dos
Municípios estão dispensados de procuração, por
serem advogados públicos (Súmula 436 do TST).
Nesse caso, basta que eles se declarem exercentes
do cargo, não bastando apenas a indicação do
numero de inscrição na OAB.

 Quando há outorga de poderes pelo representante
da empresa, não há nulidade pela falta de juntada
dos atos constitutivos. Eles devem ser juntados
apenas quando houver impugnação da parte
contraria (OJ nº 255 da SDI-1 do TST).
16
MANDADO
Em resumo: Partes e procuradores

 Parte: Aquele que pede e aquele em face de quem se
pede.

 Legitimidade Extraordinária: Art. 8º, III, da CF:
substituição ampla do sindicato, inclusive para
direitos e interesses individuais homogêneos.

 Art. 793 da CLT: Apenas na falta dos representantes
é que a integração da capacidade do menor é feita
pelo MPT, sindicato, MPE ou curador.


17
MANDADO
 Justiça gratuita: Inclusive de oficio quando houver
declaração de miserabilidade ou o trabalhador
receber ate dois salários mínimos.

 Ius postulandi: Abrange reclamante o reclamado.
Abrange apenas as Varas do Trabalho e os TRT’s.

 Procuração apud acta: Dada ao advogado
verbalmente em audiência, com transcrição na ata.
Pode conferir poderes especiais do art. 38 do CPC.


18
NULIDADES
A sistemática de nulidades no processo de trabalho é
regulada pelos artigos 794 a 798 da CLT, bom como pelos
dispositivos pertinentes do CPC. Passemos a analise dos
dispositivos legais sobre o tema.


19
NULIDADES
A) Art. 794 do CLT (princípio da transcendência ou do
prejuízo): no processo de trabalho, a nulidade só será
declarada se dela resultar manifesto prejuízo às partes.
Como exemplo, se o juiz indefere s produção de provas
testemunhal do reclamado, mas julga improcedente o pedido
do declarante, a empresa não poderia arguir a nulidade por
cerceamento de defesa, pois não houve qualquer
comprovação de prejuízo.


20
NULIDADES
B) Art. 795 da CLT (principio da preclusão ou da convalidação):
as nulidades serão declaras por provocação das partes, na
primeira vez em que tiverem que falar em audiência ou nos autos.
Na pratica trabalhista, a arguição de nulidade é feita por meio de
protesto nos autos;

C) Art. “a”, CLT: a nulidade não será pronunciada se a falta puder
ser suprida ou o ato, repetido;

D) Art. 796, “b”, CLT e at. 243 do CPC (principio do interesse): não
pode arguir a nulidade a parte que a causou;
21
NULIDADES
E) Art. 797 da CLT: o juiz deverá indicar os atos atingidos pela
pronuncia de nulidade;


F) Art. 798 da CLT: (principio da utilidade): a nulidade de um
ato apenas prejudicará os atos posteriores de dele
dependam, ou seja, consequência;
22
NULIDADES
G) Art. 244 da CLT (principio da instrumentalidade das formas
ou da finalidade): quando a lei prescrever determinada forma, sem
cominação de nulidade, o juiz considerará válido o ato sem
realizado de outro modo, lhe alcançar a finalidade;


H) Art. 154 do CPC: os atos processuais não dependem de forma
determinada, salvo quando a lei exigir expressamente, sendo
validos aqueles que, mesmo realizados de outro modo, atinjam a
sua finalidade.
23
NULIDADES
Nulidades: Não será reconhecida se não for demostrado o
prejuízo. Deve ser arguida na primeira oportunidade para se
falar nos autos. Não pode ser arguida pela parte que lhe deu
causa.

DICA IMPORTANTE:

A leitura atenta dos artigos 794 a 798 da CLT é muito
importante para responder as questões referentes às
nulidades no processo do trabalho.
24
QUESTÕES
01 - ( Prova: FCC - 2010 - TRT - 22ª Região (PI)

Danilo, 19 anos, trabalhava em uma empresa onde realizava horas extras que
nunca lhe foram remuneradas. Por ter recebido proposta melhor de emprego,
Danilo pediu dispensa da referida empresa e decidiu ajuizar Reclamação
Trabalhista em face da mesma para reaver os valores relativos a tais horas. Diante
dessa situação, é correto afirmar:

a) Danilo pode propor a Reclamação Trabalhista, independentemente de
assistência de seus pais ou responsáveis.
b) Por ser menor de 21 anos de idade, Danilo necessita da assistência dos pais ou
responsáveis para propor a Reclamação Trabalhista.
c) Quem deve propor a Reclamação Trabalhista requerendo as horas extras
trabalhadas por Danilo são seus pais ou responsáveis, tendo em vista ser ele
menor de 21 anos de idade.
d) Danilo pode propor a Reclamação Trabalhista desde que colacione aos autos
autorização de seus pais ou responsáveis com fins específicos para tal postulação.
e) A Consolidação das Leis do Trabalho autoriza Danilo a propor a Reclamação
Trabalhista, porém, na audiência UNA ou inicial deve estar acompanhado de seus
pais ou responsáveis.
25
QUESTÕES
02 - ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) –

Com relação ao processo do trabalho, julgue os itens que se seguem.


O jus postulandi aplica-se de forma pacífica no primeiro grau de jurisdição, tanto
nas ações trabalhistas quanto nos mandados de segurança, habeas corpus e
habeas data.


( ) Certo ( ) Errado
26
QUESTÕES
03 - ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) –

A respeito das custas e emolumentos, bem como das partes e procuradores,
julgue os seguintes itens.



Após o advento do Estatuto da Advocacia, todas as reclamações trabalhistas
devem ser propostas e acompanhadas por um advogado.


( ) Certo ( ) Errado
27
QUESTÕES
04 - ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico Judiciário –

Considere a seguinte situação hipotética.

João atuava como advogado de Manoel em um processo trabalhista. O mandato
concedido por Manoel a João ocorreu de forma tácita.
Nessa situação, é permitido a João substabelecer o mandato a outro profissional
para que este continue atuando no processo de Manoel.


( ) Certo ( ) Errado
28
QUESTÕES
05 - ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico Judiciário –

Julgue os itens subsequentes, relativos aos recursos no processo do trabalho.


O Código de Processo Civil (CPC) estabelece prazo em dobro para litisconsortes
com procuradores distintos. Tal regra não se aplica ao processo do trabalho, pois é
incompatível com o princípio da celeridade inerente ao processo trabalhista.


( ) Certo ( ) Errado
29
QUESTÕES
06 - ( Prova: FCC - 2008 - TRT - 2ª REGIÃO (SP) - Técnico Judiciário –

Quanto às partes e aos procuradores, é correto afirmar:

a) O empregador que não puder comparecer à audiência de instrução e julgamento poderá
fazer-se representar por seu advogado, desde que este esteja munido de procuração com
poderes para tanto.

b) O empregado que não puder comparecer à audiência de instrução e julgamento por
motivo de doença poderá fazer-se representar por sua esposa ou pessoa da família.

c) Em se tratando de reclamação plúrima, os empregados poderão fazer-se representar
na audiência de instrução e julgamento pelo sindicato de sua categoria.

d) A reclamação trabalhista do menor de 16 anos, na falta de seus representantes legais,
poderá ser feita por outro empregado maior que pertença à mesma profissão.

e) Sendo o reclamante empregado doméstico, a representação do empregador só pode ser
feita pelo proprietário do imóvel onde exerça suas funções.
30
QUESTÕES
07 - ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Técnico Judiciário

Sempre que uma ação for proposta na justiça do trabalho,

a) ela só será admitida se firmada por advogado.

b) os serventuários que, injustificadamente, não realizarem os atos nos prazos fixados
serão descontados em seus vencimentos.

c) competirá aos chefes de secretaria tomar por termo as reclamações verbais, nos casos de
dissídios coletivos.

d) fugirá à competência da secretaria das varas do trabalho a contagem das custas devidas
pelas partes, nos respectivos processos.

e) ao oficial de justiça e oficiais avaliadores competirá o fornecimento de informações sobre
os feitos individuais.
31
QUESTÕES
08 - ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) -
Técnico Judiciário –

Julgue os itens a seguir.

A gratuidade judiciária pode ser deferida pelo juiz ou pelo
tribunal do trabalho apenas quando expressamente requerida
pela parte interessada e mediante declaração de que não tem
condições de pagar as custas do processo sem prejuízo do
sustento próprio ou de sua família.


( ) Certo ( ) Errado
32
QUESTÕES
09 - ( Prova: FCC - 2006 - TRT - 6ª Região (PE) - Técnico Judiciário

Perante a Justiça do Trabalho, as partes

a) poderão reclamar pessoalmente.

b) poderão reclamar pessoalmente, exceto os menores e os analfabetos.

c) poderão reclamar pessoalmente, apenas quando se tratar de processo
submetido ao procedimento sumaríssimo.

d) deverão fazer-se representar por advogado.

e) deverão estar assistidas pelo respectivo sindicato.
33
QUESTÕES
10 - ( Prova: FCC - 2006 - TRT - 24ª REGIÃO (MS) - Técnico Judiciário

De acordo com o Decreto Lei no 5.452/43, a reclamação trabalhista do menor de
18 anos será feita por seus representantes legais e, na falta destes,

a) apenas pela Procuradoria da Justiça do Trabalho, pelo sindicato ou curador
nomeado em juízo.

b) apenas pela Procuradoria da Justiça do Trabalho ou pelo Ministério Público
estadual.

c) apenas pela Procuradoria da Justiça do Trabalho ou pelo curador nomeado em
juízo.

d) apenas pelo curador nomeado em juízo ou pelo sindicato.

e) pela Procuradoria da Justiça do Trabalho, pelo sindicato, pelo Ministério
Público estadual ou curador nomeado em juízo.
34
QUESTÕES
11 - ( Prova: MPT - 2013 - MPT - Procurador

Em relação às nulidades no processo do trabalho, assinale a alternativa CORRETA:

a) Deve sempre ser observado o princípio da transcendência, não havendo nulidade
quando não resultar dos atos inquinados manifesto prejuízo às partes litigantes.

b) Pelo princípio da causalidade, na hipótese de incompetência material, somente os
atos posteriores e que dependam ou sejam consequência do ato nulo serão
prejudicados.

c) Pode ser alegada nulidade absoluta pela primeira vez no processo em sede de
recurso ordinário, não obstante ela ter ocorrido durante a fase de conhecimento.

d) Não pode ser alegada nulidade relativa pela primeira vez no processo em sede de
recurso ordinário, não obstante ela ter ocorrido durante a fase de conhecimento.

e) Não respondida.
35
QUESTÕES
12 - ( Prova: FCC - 2013 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista Judiciário

Conforme dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho relativos às nulidades e
exceções processuais, é INCORRETO afirmar que

a) a nulidade sempre será pronunciada, mesmo quando for possível suprir-lhe a falta
ou repetir o ato, diante do princípio da irretroatividade dos atos processuais.

b) se a parte recusante houver praticado algum ato pelo qual haja consentido na pessoa do
Juiz, não mais poderá alegar exceção de suspeição, salvo sobrevindo novo motivo.

c) nos processos sujeitos à apreciação da Justiça do Trabalho, só haverá nulidade quando
resultar dos atos inquinados manifesto prejuízo às partes litigantes.

d) as nulidades não serão declaradas, como regra, senão mediante provocação das partes,
as quais deverão argui-las à primeira vez em que tiverem de falar em audiência ou nos autos.

e) dentre os motivos, em relação à pessoa das partes, em que o Juiz é obrigado a dar-se por
suspeito, e pode ser recusado estão a inimizade pessoal e a amizade íntima.
36
QUESTÕES
13 - ( Prova: FCC - 2013 - TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Analista Judiciário

Em relação às nulidades nos processos sujeitos à apreciação da Justiça do Trabalho,
conforme regras contidas em lei própria, é INCORRETO afirmar que

a) só haverá nulidade quando resultar dos atos inquinados manifesto prejuízo às partes
litigantes.

b) as nulidades não serão declaradas senão mediante provocação das partes, que
poderão as arguir em qualquer fase do processo, desde que antes de sentenciado.

c) a nulidade não será pronunciada quando for possível suprir-se a falta ou repetir-se o ato.

d) quando for arguida por quem lhe tiver dado causa a nulidade não será declarada.

e) a nulidade do ato não prejudicará senão os posteriores que dele dependam ou sejam
consequência.
37
QUESTÕES
14 - ( Prova: FCC - 2012 - TRT - 6ª Região (PE) - Analista Judiciário

Nos processos sujeitos à apreciação da Justiça do Trabalho, em relação à
matéria de nulidades, é correto afirmar que:

a) As nulidades somente serão declaradas se forem arguidas em recurso
de revista ao TST.

b) A nulidade do ato não prejudicará senão os posteriores que dele
dependam ou sejam consequência.

c) O juiz ou Tribunal que pronunciar a nulidade não precisa declarar os
atos a que se estende.

d) Ainda que seja possível repetir-se o ato, a nulidade será pronunciada.

e) Ainda que dos atos inquinados não resulte manifesto prejuízo às partes,
a nulidade deverá ser declarada de ofício pelo juiz.
38
QUESTÕES
15 - ( Prova: FCC - 2012 - TRT - 11ª Região (AM) - Analista Judiciário

Nos processos sujeitos à apreciação da Justiça do Trabalho, a nulidade

a) não poderá ser declarada mediante provocação das partes, mas
apenas se arguida ex officio pelo Juiz.

b) será pronunciada ainda quando arguida por quem lhe tiver dado causa.

c) só será declarada quando resultar dos atos inquinados manifesto
prejuízo às partes litigantes.

d) após declarada não prejudicará senão os atos anteriores ou posteriores
que dele dependam, ou sejam consequência.

e) será sempre pronunciada, mesmo que seja possível suprir-se a falta ou
repetir-se o ato.
39
QUESTÕES
16 - ( Prova: FGV - 2011 - OAB - Exame de Ordem Unificado - V –

A respeito das nulidades no processo do trabalho, é correto afirmar que

a) declarada a nulidade, por qualquer fundamento, todos os atos
processuais posteriores serão nulos.

b) as partes poderão alegar nulidade enquanto estiver aberta a instrução,
mesmo que já tenham tido oportunidade de manifestação nos autos.

c) é desnecessária a provocação da parte para a declaração de nulidade.

d) só serão considerados nulos os atos que alegadamente causarem
manifesto prejuízo às partes litigantes.
40
QUESTÕES
17 - ( Prova: CESPE - 2009 - OAB - Exame de Ordem

No que se refere às nulidades no processo do trabalho, assinale a opção
correta de acordo com a CLT.

a) A nulidade será pronunciada quando for possível suprir-se a falta ou
repetir-se o ato.

b) Não haverá nulidade quando dos atos inquinados resultar manifesto
prejuízo às partes litigantes.

c) Tratando-se de nulidade fundada em incompetência de foro, serão
considerados nulos os atos ordinatórios.

d) O juiz ou tribunal que declarar a nulidade declarará os atos a que ela se
estende.
41
QUESTÕES
18 - ( Prova: FCC - 2009 - TRT - 15ª Região - Técnico Judiciário

Com relação às nulidades, a Consolidação das Leis do Trabalho, ao dispor
que nos processos sujeitos à apreciação da Justiça do Trabalho só haverá
nulidade quando resultar dos atos inquinados manifesto prejuízo às partes
litigantes, está aplicando, especificamente, o princípio

a) do interesse.

b) da preclusão.

c) da utilidade.

d) da transcendência.

e) da finalidade.


42
QUESTÕES
19 - ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO – Analista

No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue o
item

A nulidade fundada em incompetência de foro deve ser declarada de
ofício.


( ) Certo ( ) Errado


43
QUESTÕES
20 - ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista Judiciário

Acerca das nulidades processuais no processo do trabalho, julgue
os itens a seguir.

No processo do trabalho, se considera a nulidade apenas quando do ato
questionado resulte manifesto prejuízo à parte que não o praticou, e desde
que, não tendo sido arguido por quem lhe haja dado causa, seja possível
suprir a falta ou repetir-se o ato, resultando na necessária nulidade do
processado, prejudicando não apenas os atos subsequentes como os
anteriores, uma vez que prevalece a contaminação dos atos processuais.


( ) Certo ( ) Errado


44
QUESTÕES
21- ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista Judiciário

As partes litigantes deverão arguir a nulidade perante o juiz, na primeira
ocasião em que se manifestarem no processo. Se não o fizerem, a
eventual nulidade não poderá ser pronunciada por decorrência da
preclusão, mesmo que envolva questão alusiva a competência material da
Justiça do Trabalho.


( ) Certo ( ) Errado


45

46
FIM DA APRESENTAÇÃO E OBRIGADO