You are on page 1of 8

1

Princípios básicos de teoria musical
As notas musicais são sete: DO – RE – MI – FA – SOL – LA – SI.
O dó é a tecla branca que fica antes (à esquerda) de 2 pretas.
O fá é a tecla branca que fica antes (à esquerda) de 3 pretas.
Pauta ou pentagrama
Pauta é o conjunto de 5 linhas e 4 espaços onde escrevemos a música.
Numeramos as linhas e os espaços da pauta de baixo para cima.
Para as partituras de piano usamos 2 pautas, a de cima é para a mão
direita e a de baixo para a mão esquerda. Para as músicas de teclado usamos
uma só pauta que é para a mão direita e as cifras para a mão esquerda.
Escrevemos as notas nas linhas e nos espaços da pauta.
Claves
Existem ao todo três tipos de claves, a clave de sol, a clave de fá e a
clave de dó. Elas dão nomes as notas e indicam sua altura. As mais conhecidas
são a de sol e a de fá.
Para as músicas de piano usamos a de sol e a de fá. Para as músicas de
teclado usamos a clave de sol.
A clave de sol se escreve na Segunda linha da pauta, portanto ela dá o
nome sol a nota que fica nesta linha.
A clave de fá fica na quarta linha da pauta.
DO RE MI FA SOL LA SI
2

Notas
Figuras
As notas podem ter diferentes durações. Para representar estes valores
podemos desenhar as notas de sete maneiras, são as figuras. Cadsa figura
vale a metade da anterior. Por enquanto, vamos aprender os seguintes valores
que são válidos para os seguinte sinais de compasso: (2/4, ¾, 4/4 ou C)
Semibreve = 4 tempos
Mínima = 2 tempos
Semínima = 1 tempo
Colcheia = ½ tempo
Semicolcheia = ¼ de tempo
Fusa = 1/8 de tempo
Semifusa = 1/16 de tempo
3
Pausas
São sinais que indicam a duração do silêncio. Cada figura tem a pausa
correspondente.
Ponto de aumento
Um ponto ao lado de uma nota aumenta-lhe a metade do valor. As
pausas também podem ser pontuadas, porém é mais comum usar outra pausa
no valor do ponto. Uma figura com ponto é chamada figura composta, uma
figura sem ponto é chamada figura simples.
Barras
Para tornar a leitura mais fácil, divide-se a música em compassos por
meio de uma barra. Para indicar o fim da música, coloca-se a dupla barra.
Também podemos chamar a barra de travessão ou linha divisora.
Compasso

Compasso Compasso
Barra

Barra
Barra
dupla
4

Para repetir um ou mais compassos de uma melodia, usa-se uma linha
clara, outra escura, com 2 pontinhos no centro; que chamamos de barra de
repetição ou ponto de repetição.
Compasso (1
ª
parte)
Compasso é cada uma das partes iguais (mesmo número de tempos) da
música.
Há vários tipos de compassos: Simples, compost os, alt ernados e mist os.
Primeiro vamos estudar os compassos simples. Os compassos simples podem
ser : Binários, ternários e quaternários

O sinal de compasso é em geral representado por uma fração e vem logo
após a clave, hoje vamos falar dos mais comuns que são 2/4, ¾ e 4/4 que
também pode ser representado por um C.
O numerador do sinal de compasso nos diz quantos tempos tem em cada
compasso.
Se o numerador for 2 sabemos que cada compasso terá 2 tempos e
dizemos que é um ritmo binário.
Se o numerador for 3 sabemos que cada compasso terá 3 tempos e
dizemos que é um ritmo ternário.
Quando temos o numerador 4 dizemos que é um compasso quaternário e
sabemos que cada compasso terá 4 tempos.
Compasso (2ª parte)
Você já havia aprendido três exemplos de compassos simples, hoje
vamos aprender todos os compassos simples.
Logo após a clave está o sinal de compasso, normalmente é uma fração.
É através do sinal de compasso que sabemos o tipo de compasso, quantos
tempos terá o compasso e qual a duração das figuras e pausas.
Em primeiro lugar você deve saber que compassos simples são aqueles
que tem como numeradores os números 2, 3 e 4. O numerador de qualquer
fração indica o número de tempo de cada compasso. O denominador do sinal
de compasso nos mostra que figura valerá um tempo.
Recordando: As figuras são:
Cada figura vale a metade de sua anterior.
5

1 2 4 8 16 32 64

Os números possíveis de serem usados como denominadores :
1 2 4 8 16 32 64
Cada número desses representa uma figura:
Quadro de denominadores
Vamos a um exemplo prático:
Compasso 4/4 - O denominador 4 representa a semínima, como já
disse o denominador indica quem valerá 1 tempo, então quer dizer que a
semínima vale 1 tempo, se ela vale 1 sabemos o valor das outras figuras:
Outro exemplo:
Compasso 4/8 - O denominador 8 representa a colcheia, então neste
caso a colcheia valerá um tempo. As outras figuras valerão:
O denominador indica a unidade de tempo, isto é a figura que vale 1
tempo.
Então quando formos ler uma partitura, devemos sempre olhar o sinal de
compasso, se o numerador for 2, 3 ou 4 sabemos que é um compasso simples.
Numerador 2 teremos 2 tempos em cada compasso, numerador 3 teremos 3
tempos em cada compasso ...
Devemos olhar também o denominador, veja qual figura o denominador
está “chamando”. A figura que ele “chama” valerá 1 tempo, então agora é só
achar o valor das outras.
6
Ligadura
Há 2 tipos de ligadura. A de união ou prolongamento e a de expressão ou
frase.
A de frase nos indica as frases da música, devemos cantar ou tocar as
notas que estão dentro desta ligadura bem ligadas. Este tipo de ligadura une 2
ou mais notas diferentes.
A de união liga 2 ou mais notas iguais. Devemos tocar somente a
primeira nota mas seu tempo é prolongado somando-se o valor de todas.
Acidentes
Acidentes são sinais que alteram as entoações das notas. São cinco:
Bemol, sustenido, bequadro, duplo bemol e duplo sustenido.
O bemol abaixa o som da nota um semitom (uma tecla à esquerda, torna
a nota mais grave).
O sustenido eleva o som da nota um semitom (uma tecla à direita, torna
a nota mas aguda)
O duplo sustenido eleva em 2 semitons o som de uma nota ou eleva um
semitom uma nota que já foi sustenizada.
O duplo bemol abaixa o som da nota 2 semitons.
O bequadro tira o efeito de um sustenido ou bemol.
7
Atenção: se a nota que for bemolizada é escrita em uma linha, o bemol
será escrito na linha, se a nota for escrita em um espaço o bemol será escrito
no espaço. O mesmo vale para as outras alterações.
Se quisermos que apenas uma ou outra nota seja bemolizada colocamos
o bemol no decorrer da música em frente a nota. O bemol vale então para
todas as notas de mesmo nome daquele compasso, a partir de onde apareceu,
menos as que tiverem bequadro. Chamamos este tipo de alteração de
alteração acidental.
Se quisermos que todas as nota “si” e “mi” por exemplo, sejam
bemolizadas, colocamos os bemóis no início da música, logo após a clave.
Então todos os sis e mis da música serão bemolizados, menos os que tiverem
bequadro. Chamamos de alterações constitutivas pois fazem parte da
armadura de clave.
A este conjunto de acidentes que nós colocamos entre a clave e o sinal
de compasso nós chamamos de armadura de clave.
Ordem dos bemóis na armadura
Si, mi, lá ,ré, sol, do ,fa
Ordem dos sustenidos na armadura
Fa, do, sol, ré, lá, mi, si
Atenção: Um duplo sustenido com um bequadro se torna um sustenido, um
duplo bemol com um bequadro se torna um bemol.
This document was created with Win2PDF available at http://www.win2pdf.com.
The unregistered version of Win2PDF is for evaluation or non-commercial use only.
This page will not be added after purchasing Win2PDF.