You are on page 1of 8

Relação de artigos encontrados nos Cadernos

Espaço Feminino
• Entre o legal e o necessário: tempo de processamento do crime de
estupro no Sistema de Justiça Criminal – Aracaju – Brasil.
Autoras: Patrícia Rosalba Salvador Moura Costa, Miriam Pillar Grossi e Maria
Helena Santana Cruz.
Resumo: o presente artigo az uma abordagem sobre o tempo necess!rio aos
"peradores do #ireito para a resolu$%o do crime de estupro no Sistema de
&usti$a Criminal de Sergipe. Para tanto procedeu ' investiga$%o de processos
criminais na d(cada de oitenta do s(culo )).
Palavras*c+ave: estupro, viol,ncia se-ual, cidadania, sistema de &usti$a
criminal.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume 00, n1mero 0, agosto2
dezembro de 0334.
• ães desalmadas: in!antic"dio e amor materno no norte de inas
na d#cada de $%&'.
Autoras: Cl!udia 5esus Maia e .lizet+ 5. Pereira 6ieira.
Resumo: neste artigo propomos discutir o inanticídio como um tipo de viol,ncia
de g,nero e, ao mesmo tempo, uma atitude 7ue nos permite 7uestionar o amor
materno e a maternidade como algo da ess,ncia e da natureza eminina. Para
tanto, utilizamos processos criminais e notícias de inanticídios ocorridos em
Montes Claros.
Palavras*c+ave: inanticídio, corpo, g,nero, amor materno, viol,ncia de g,nero,
Montes Claros 8 MG.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume 00, n1mero 0, agosto2
dezembro de 0334.
• (ireito dos )omens e de*eres das mul)eres
Autores: C(sar Castro e Coel+o, 6era 91cia Puga.
Resumo: .ste trabal+o tem como ob&etivo analisar as rela$:es de g,nero na
sociedade brasileira da primeira metade do s(culo )). Para isso, tomamos
como ponto de partida da investiga$%o o C;digo Civil de <4<=, 7ue em seus
artigos dei-am de uma orma clara e evidente os direitos e deveres do +omem
e da mul+er na sociedade. #esta orma, tanto o comportamento masculino
7uanto eminino tin+am 7ue seguir padr:es dese&!veis, e os 7ue ugiam a estes
eram imediatamente condenados pela sociedade e pela &urisprud,ncia. .sta
1ltima tin+a como miss%o deender a moral e os bons costumes. >a sua
interpreta$%o, a amília era a base da sociedade brasileira 7ue n%o poderia ser
corrupta, ou, degenerada, pois poderia produzir indivíduos doentes 7ue iriam
contaminar todo o tecido social. Portanto, o C;digo Civil e a &urisprud,ncia da
(poca ac+avam 7ue controlando as rela$:es sociais e se-uais dos indivíduos
poderiam criar uma sociedade ?civilizada@ e trabal+adora. #o outro lado, vamos
observar como estas pr!ticas oram percebidas e re*signiicadas no seu
cotidiano.
Palavras*c+ave: C;digo Civil Arasileiro, g,nero e &urisprud,ncia.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume 00, n1mero 0, agosto2
dezembro de 0334.
• +eneri!icação da *iol,ncia nos meios de comunicação do -este do
.araná /$%0'1$%%'2
Autora: BCnia Regina Dimmermann
Resumo: " presente artigo discute ormas de viol,ncia perpetrada por
mul+eres, mas 7ue nos meios de comunica$%o aparecem pelo inverso, ou se&a
elas s%o ridicularizadas pelas suas a$:es atrav(s da viol,ncia simb;lica
articulada com uma linguagem risível e de deboc+e. .sta linguagem reproduz
vel+os estere;tipos de 7ue a viol,ncia associa* se a masculinidade e a
ragilidade ' eminilidade e assim a dicotomia vítima - agressor continua a ser
naturalizada.
Palavras*c+ave: G,nero. 6iol,ncia. Emprensa.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume 00, n1mero 0, agosto2
dezembro de 0334.
• 3or4ert Elias e ic)el Foucault: diálogos so4re poder e
se5ualidade
Autor: 9eonardo Burc+i Pac+eco
Resumo: .ste artigo tem como proposta e-plorar os temas do poder e da
se-ualidade nas obras " processo civilizador de >orbert .lias e Hist;ria da
se-ualidade de Mic+el /oucault. Aponta*se para a possibilidade de di!logo
entre as teorias desenvolvidas pelos dois autores apesar das dieren$as do
tratamento dos temas em 7uest%o.
Palavras*c+ave: >orbert .lias. Mic+el /oucault. Poder e Se-ualidade.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume 0<, n1mero <,
&aneiro2&ul+o de 0334.
• -l)ares )istoriográ!icos so4re as categorias de g,nero: inter!aces
com as 6uest7es socioam4ientais
Autora: Catarina Auriti "liveira
Resumo: .ste trabal+o prop:e suscitar uma discuss%o em torno dos m1ltiplos
eno7ues sob os 7uais as categorias de g,nero t,m sido analisadas pelos
domínios +istoriogr!icos, notadamente nas vertentes da +ist;ria social, nos
domínios da +ist;ria cultural, nas pes7uisas p;s*estruturalistas e, mais
recentemente, pelos +istoriadores do ambiente. .-plicitando os limites e as
perspectivas desses estudos no interior de cada paradigma +ist;rico, ressaltar*
se*! a importCncia da incorpora$%o da perspectiva de g,nero pelas ci,ncias
+umanas e sociais, especialmente pela disciplina de +ist;ria, para construir
sociedades sustentadas, com cidadania, &usti$a socioambiental e e7uidade.
Palavras*c+ave: Hist;ria. G,nero. Cultura. 5usti$a Social. Meio Ambiente.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume 0<, n1mero <,
&aneiro2&ul+o de 0334.
• A propaganda junto aos m#dicos: os an8ncios nas primeiras
d#cadas de pu4licação da re*ista de +inecologia e d9 -4stetr"cia
Autora: Patrícia de /reitas
Resumo: >este artigo s%o apresentados reclames e an1ncios de
medicamentos 7ue circularam na Revista de Ginecologia e dF "bstetrícia entre
<43G, ano de seu lan$amento, at( meados da d(cada de <4H3. Peri;dico das
especialidades emininas representa uma onte importante de pes7uisa para os
estudiosos dos estudos de g,nero. A propaganda conta uma +ist;ria an!loga,
seus te-tos respondem aos temas 7ue preocupam os proissionais da medicina
e s%o rele-o da sociedade 7ue l+es ( contemporCnea. "s an1ncios tamb(m
possuem uma temporalidade paralela: veiculam imagens estereotipadas,
ormas de se-ismo e discrimina$%o. Cabe ao pes7uisador e-ercer um ol+ar
agu$ado e crítico para analisar esses outros te-tosI estes s%o os ei-os
norteadores deste artigo.
Palavras*c+ave: Revista. Propaganda. An1ncio. Medicamento. Mul+er.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume 03, n1mero 0,
agosto2dezembro de 033J.
• A4ordagens pol"ticas na correspond,ncia de Bert)a :ut;: Segunda
+uerra undial e !eminismo
Autores: 5o%o Gabriel da Silva Ascenso K 6itor Manoel Mar7ues da /onseca
Resumo: .sse artigo se prop:e a analisar, atrav(s de parte da correspond,ncia
da cientista e eminista brasileira Aert+a 9utz, suas opini:es a respeito da
segunda guerra mundial e o papel 7ue atribuído 's mul+eres durante o conlito
e na sociedade a ser construída no p;s*guerra.
Palavras*c+ave: Aert+a 9utz. Segunda Guerra Mundial. /eminismo. Política.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume 03, n1mero 0,
agosto2dezembro de 033J.
• Bandeiras e re!le57es acerca do/s2 !eminismo/s2
Autora: Carmem Sílvia Moretzso+n Roc+a
Resumo: Partindo do pressuposto 7ue oLsM eminismoLsM ( um ponto de
reer,ncia crucial para a compreens%o dos principais movimentos sociais e
políticos desde a Revolu$%o /rancesa at( os dias de +o&e, identiicamos neste
trabal+o diversas oposi$:es em torno das 7uais s%o travados debates
relevantes para a vida intelectual e cotidiana.
Palavras*c+ave: G,nero. /eminismo. Multiculturalismo. Nniversalismo.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume <J, n1mero 0,
agosto2dezembro de 033G.
• Entre *ieses e re*eses: a mul)er< as mul)eres< o !eminino
Autora: Mic+ele Asmar /anini
Resumo: A investiga$%o sociol;gica das rela$:es entre o +omem e a mul+er
L7ue subentende a an!lise das recorr,ncias e variantes +ist;ricas e
socioculturais envolvidas no construto do 7ue se convencionou denominar de
masculino e emininoM ( uma prerrogativa deste artigo. Assim sendo, este te-to
estar! voltado para a ilumina$%o de algumas das lin+as 7ue comp:em os
debates acad,micos em torno das rela$:es entre os g,neros masculino e
eminino, o 7ue, por sua vez, pressup:e o tratamento das discuss:es
terminol;gicas a eles reeridas.
Palavras*c+ave: Sociologia. G,nero. Homem LmasculinoM.v Mul+er LemininoM
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume <G, n1mero <,
&aneiro2&ul+o de 033G.
• (es6uite e di*=rcio: a pol,mica e as repercuss7es na imprensa
Autora: Marlene de /!veri
Resumo: A vota$%o da emenda 7ue estabeleceu o div;rcio no Arasil, em <4GG,
gerou pol,micas em torno da indissolubilidade do casamento religioso, e das
mudan$as no contrato civil. " clero e os parlamentares se enrentavam, e,
tanto posi$:es divorcistas 7uanto antidivorcistas davam ,nase ' manuten$%o e
reprodu$%o dos valores amiliares vigentes. Se a Egre&a Cat;lica lutava pela n%o
aprova$%o do div;rcio, os divorcistas apelavam para a imoralidade do des7uite,
propondo o re*casamento como orma de manter a +onra da mul+er,
recolocando*a nos pap(is de g,nero. A imprensa deu ampla divulga$%o,
azendo produzir sentidos e imagens destes valores.
Palavras*c+ave: #es7uite e #iv;rcio. Emprensa. Rela$:es de G,nero
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino, volume <G, n1mero <,
&aneiro2&ul+o de 033G.
• Sa4eres< desorden > trasgresi=n !emeninos
Autora: 9ourdes C. Pac+eco 9adr;n de Guevara
Resumo: A crítica eminista com rela$%o ' ci,ncia e ' epistemologia tem se
revelado a raz%o da constru$%o eminista. #aí o interesse de il;soos e
cientistas sobre as tem!ticas relacionadas com as ormas especíicas do
con+ecimento das mul+eres. .ssa crítica tem ocado nas e-plica$:es sobre as
ormas particulares de con+ecimento e se situado em problemas 7ue se
encontram na raiz do 7ue se denomina o saber. >%o se trata de ormular uma
e-plica$%o universal, de construir uma nova abstra$%o, sen%o de ormular
novas perguntas e 7uest:es. >a constru$%o do masculino, como ser universal
7ue con+ece, e-iste uma abstra$%o das dieren$as 7ue a sociedade tem criado
entre os +omens e mul+eres. >o azer e sentir especíicos estes produzem
ormas distintas de perceber e, portanto, de encontrar articula$:es com a
realidade. " presente artigo discute as premissas da raz%o como Cmbito
privilegiado do saber na ci,ncia ocidental institucionalizada e analisa os
saberes das mul+eres como outras ormas de con+ecimento 7ue subvertem a
racionalidade cumprida na ordem da ci,ncia. " con+ecimento das mul+eres (
considerado irracional por7ue atua por debai-o da ordem racional, ora da
l;gica e da raz%o instrumental e instaura a desordem.
Palavras*c+ave: Critica /eminista. .pistemología. Ciencia. #esordem.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino volume <O, n1mero <J,
&aneiro2&un+o de 033=.
• ?A no*a mul)er? educando as !uturas mães. São .aulo $@A'1$%''
Autoras: Maria Ezilda Santos de Matos, Gisele Alves
Resumo: .ssa investiga$%o se prop:e a recuperar algumas propostas,
7uest:es e sentido sobre a educa$%o eminina em S%o Paulo*Arasil, no período
de <JO3*<433. A partir desse momento passaram a valorizar as mul+eres e
suas a$:es na educa$%o das crian$as em casa e tamb(m nas escolas. A
educa$%o eminina passou a ser considerada undamental para o
aperei$oamento ísico e moral da mul+er, da m%e, da amília e das uturas
gera$:es do país. #essa orma, a luta pela educa$%o eminina se e-pande
envolvendo dierentes agentes sociais e tornando*se e-plícita na imprensa.
Palavras*c+ave: Mul+eres. .duca$%o. Progresso
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino volume <O, n1mero <J,
&aneiro2&un+o de 033=.
• Beori;ar: una palanca para el mo*imiento !eminista
Autor: 9uz Maceira "c+oa
Resumo: A teoriza$%o das pr!ticas eministas se apresenta como uma
erramenta 1til e poderosa no avan$o e incid,ncia do movimento eminista. >a
verdade se analisa a importCncia da teoriza$%o das e-peri,ncias e pro&etos
educativos para ortalecer as organiza$:es 7ue nos impulsionam e consolidam
a bagagem pedag;gica como meio de ortalecer as con7uistas eministas.
Palavras*c+ave: Movimento /eminista. .-peri,ncias. Pro&etos .ducativos.
Con7uistas
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino volume <O, n1mero <J,
&aneiro2&un+o de 033=.
• ac)o a 6ual6uer custo. Cn*estigação das relaç7es de g,nero
atra*#s da análise de processos criminais
Autor: .dmar Henri7ue #airell #avi
Resumo: .ste trabal+o tem o intuito de discutir a rela$%o entre viol,ncia e
masculinidade a partir da an!lise de dois processos criminais, do ano de <4GO,
ar7uivados no Centro de #ocumenta$%o em Hist;ria da Nniversidade /ederal
de NberlCndia. "s processos s%o signiicativos, pois apresentam concep$:es
sobre o 7ue ( ser mac+o em nossa cultura e em 7ue situa$:es a viol,ncia
surge como recurso para a manuten$%o do status masculino. A manuten$%o
desse status social geralmente ocorre com o domínio ou submiss%o de outros
grupos sociais como mul+eres, crian$as, vel+os e +omosse-uais. Criam*se
+ierar7uias de valores a partir das dieren$as se-uais e essas dieren$as
acabam por se transormar em desigualdades de onde surge a viol,ncia.
Palavras*c+ave: 6iol,ncia, Processos Criminais, Masculinidade.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino volume <P, n1mero <=,
&aneiro2&un+o de 033O.
• Relaç7es .erigosas: g,nero e etnia na construção de um Brasil
mestiço
Autora: Cistina Sc+eibe Qol
>%o aparece o resumo, mas o te-to, pelo menos em seu início, parece bom.
Artigo encontrado no Caderno .spa$o eminino volume <0, n1mero <O,
agosto2dezembro de 033H.
• Cmagens da mul)er na construção da modernidade repu4licana
Autora: Cristiane da Silveira
Resumo: " presente artigo analisa a marginaliza$%o da mul+er, sobretudo da
mulata, no momento de consolida$%o da modernidade e da democracia no
Arasil com o advento da Rep1blica. Para isso, tomaremos o romance de 9ima
Aarreto RClara dos An&osR, inalizado em <400, como ob&eto de an!lise.
Palavras*c+ave: Mul+er, 9iteratura, Rep1blica, Modernidade
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino volume <3, n1meros <02<P,
&aneiro2dezembro de 033P.
• +,nero< uma possi4ilidade de interpretação
Autora: SSnia Missagia Mattos
Resumo: Analiso a7ui a constru$%o natural de +omens e mul+eres,
Ldeterminismo biol;gicoM, assim como a constru$%o social dos mesmos
Lsimbolismo de g,neroM, e tento apresentar uma possibilidade de
representa$%o de g,nero 7ue n%o se&a apenas uma met!ora para e-plicar
dieren$as de base se-ual entre pessoas. G,nero ( tratado, a7ui, como um
instrumento analítico, cu&os reerentes est%o ancorados em um imagin!rio
se-ual, mas 7ue transcende a se-o, e ( utilizado para mapear e desnaturalizar
representa$:es i-as e bin!rias das c+amadas identidades se-uais.
Palavras*c+ave: G,nero, Simbolismo, Edentidade
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino volume <3, n1meros <02<P,
&aneiro2dezembro de 033P.
• - Bom do D?Bom1tomD?: os manuais de ci*ilidade e a construção
das di!erenças
Autora: #iva do Couto Gonti&o Muniz
Resumo: .ste artigo ob&etiva analisar a constru$%o das dieren$as na
sociedade brasileira oitocentista, considerando*se particularmente a conduta
RcivilizadaR e seu respectivo c;digo, veiculados no comp,ndio de civilidade *
Manual do Aom*Bom *, com e-pressiva circula$%o ' (poca, tanto entre os
col(gios como entre as amílias mais abastadas e2ou letradas. "bserva*se 7ue
Rser civilizadoR encontrava*se generizado por7uanto signiicava pautar o
comportamento social * individual e coletivamente * segundo padr:es
se-ualmente dierenciados. #ierenciados, por7ue as representa$:es de
civilizado2civilidade 7ue reerenciam tal c;digo constituem matrizes e eeitos de
pr!ticas sociais masculinizantes e eminizantes.
Palavras*c+ave: Manuais do Aom*tom, Civilidade, C;digos >ormativos
Artigo encontrado no Caderno .spa$o /eminino volume 4, n1meros <32<<,
033<20330.
Relação de :i*ros
• SMEBH, Aonnie G. +,nero e Eist=ria: +omens, mul+eres e a pr!tica
+ist;rica. Aauru, SP: .#NSC, 033P. LT ou 8 RU =3,33M
• SCHQARCD, 9ilia Moritz. - espetáculo das raças: cientistas,
institui$:es e 7uest%o racial no Arasil 8 <JG3*<4P3. S%o Paulo:
Compan+ia das 9etras, <44P. LT ou 8 de RU PO,33 a RU HO,33M
• CHA9H"NA, SidneV. Bra4al)o< lar e 4ote6uim: o cotidiano dos
trabal+adores do Rio de 5aneiro da Aelle Wpo7ue. .ditora Nnicamp.
Lpre$os encontrados entre RU 04,33 a RU H0,33M
• /ANASB", Aoris. Bra4al)o ur4ano e con!lito social. .ditora #iel.
Lpre$os entre RU <O,33 a RU H3,33M
• Barroso Fil)o< +eraldo. Crescimento Nrbano, Marginalidade e
Criminalidade: " Caso do Recie, L<JJ3*<4H3M, Recie, <4JO, Mestrado
em Hist;ria 8 N/P.*C/CH, 30 e-emplares. "rientador: Pro. 5os(
Aoni!cio )avier de Andradre. Lencontrado no site da N/P. 8 Programa
de p;s*gradua$%o em Hist;riaM.
• /"NCAN9B, Mic+el. icro!"sica do poder. Lentre RU H3,33 a RU =3,33M
"AS: "s valores e-ibidos oram retirados da .stante 6irtual e variam de acordo
com as edi$:es e os retes.