You are on page 1of 8

DESAPROPRIAÇÃO – Perda da Propriedade

Segundo Sergio de Andréa Fereira (Direito Administrativo, p.!" a nossa
tradi#$o %onstitu%iona& eviden%ia, em normas e'pressas, a %onviv(n%ia de duas
no#)es* ao mesmo tempo +ue se garante o direito de propriedade, ressa&va,se,
sempre, a possi-i&idade de desapropria#$o.
.F/00 –
Art. 12*
XXII - é garantido o direito de propriedade;
XXIII - a propriedade atenderá a sua função social;
XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por
necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, mediante justa e
prévia indeniação em din!eiro, ressalvados os casos previstos nesta
"onstituição;
#rt$ %&'(
"#)*+,-. II
/# ).-*+I"# ,01#2#
#rt$ %&'$ # pol3tica de desenvolvimento urbano, e4ecutada pelo )oder
)úblico municipal, conforme diretries gerais fi4adas em lei, tem por objetivo
ordenar o pleno desenvolvimento das funç5es sociais da cidade e garantir o
bem- estar de seus !abitantes$
6 %7 - . plano diretor, aprovado pela "8mara 9unicipal, obrigat:rio para
cidades com mais de vinte mil !abitantes, é o instrumento básico da pol3tica de
desenvolvimento e de e4pansão urbana$
6 '7 - # propriedade urbana cumpre sua função social ;uando atende <s
e4ig=ncias fundamentais de ordenação da cidade e4pressas no plano diretor$
6 >7 - #s desapropriaç5es de im:veis urbanos serão feitas com prévia e
justa indeniação em din!eiro$
6 ?7 - @ facultado ao )oder )úblico municipal, mediante lei espec3fica para
área inclu3da no plano diretor, e4igir, nos termos da lei federal, do proprietário do
solo urbano não edificado, subutiliado ou não utiliado, ;ue promova seu
ade;uado aproveitamento, sob pena, sucessivamente, de(
I - parcelamento ou edificação compuls:rios;
II - imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana progressivo no
tempo;

III - desapropriação com pagamento mediante t3tulos da d3vida pública de
emissão previamente aprovada pelo Aenado Bederal, com prao de resgate de
até de anos, em parcelas anuais, iguais e sucessivas, assegurados o valor real
da indeniação e os juros legais$
#rt$ %&?(
/# ).-*+I"# #C0*".-# D B,2/IE0I# D /# 0DB.09# #C0E0I#
#rt$ %&?$ "ompete < ,nião desapropriar por interesse social, para fins de
reforma agrária, o im:vel rural ;ue não esteja cumprindo sua função social,
mediante prévia e justa indeniação em t3tulos da d3vida agrária, com cláusula
de preservação do valor real, resgatáveis no prao de até vinte anos, a partir do
segundo ano de sua emissão, e cuja utiliação será definida em lei$
6 %7 - #s benfeitorias úteis e necessárias serão indeniadas em din!eiro$
6 '7 - . decreto ;ue declarar o im:vel como de interesse social, para fins
de reforma agrária, autoria a ,nião a propor a ação de desapropriação$
6 >7 - "abe < lei complementar estabelecer procedimento contradit:rio
especial, de rito sumário, para o processo judicial de desapropriação$
6 ?7 - . orçamento fi4ará anualmente o volume total de t3tulos da d3vida
agrária, assim como o montante de recursos para atender ao programa de
reforma agrária no e4erc3cio$
6 F7 - Aão isentas de impostos federais, estaduais e municipais as
operaç5es de transfer=ncia de im:veis desapropriados para fins de reforma
agrária$
#rt$ %&F$ Aão insuscet3veis de desapropriação para fins de reforma agrária(
I - a pe;uena e média propriedade rural, assim definida em lei, desde ;ue
seu proprietário não possua outra;
II - a propriedade produtiva$
)arágrafo único$ # lei garantirá tratamento especial < propriedade produtiva
e fi4ará normas para o cumprimento dos re;uisitos relativos a sua função social$
#rt$ %&G$ # função social é cumprida ;uando a propriedade rural atende,
simultaneamente, segundo critérios e graus de e4ig=ncia estabelecidos em lei,
aos seguintes re;uisitos(
I - aproveitamento racional e ade;uado;
II - utiliação ade;uada dos recursos naturais dispon3veis e preservação do
meio ambiente;
III - observ8ncia das disposiç5es ;ue regulam as relaç5es de trabal!o;
3
IV - e4ploração ;ue favoreça o bem-estar dos proprietários e dos
trabal!adores$
Segundo Di4genes 5asparini (366!, p.07 Direito Administrativo"* 8Essa
9a%u&dade %onstitu%iona& para desapropriar é ne%ess:ria, visto +ue nem sempre
o Estado pode a&%a#ar os 9ins a +ue se prop)e pe&os meios +ue o Direito
Privado o9ere%e e regu&a. O propriet:rio do -em ne%ess:rio, ;ti& ou de
interesse so%ia& para o Estado resiste <s pretens)es de %ompra, por n$o +uerer
vender ou por n$o &=e interessar o pre#o o9ere%ido, impedindo %om esta
resist(n%ia, a rea&i>a#$o do -em %omum?.
.O@.EIAO DE DESAPROPRIAÇÃO* é o pro%edimento administrativo pe&o
+ua& o Estado, %ompu&soriamente, retira de a&guém %erto -em, por ne%essidade
ou uti&idade p;-&i%a ou por interesse so%ia& e o ad+uire, originariamente, para
si ou para outrem, mediante prévia e Busta indeni>a#$o, paga em din=eiro,
sa&vo os %asos +ue a pr4pria .onstitui#$o enumera, em +ue o pagamento é
9eito %om tCtu&os da dCvida p;-&i%a (art,03,DE2,III" ou da dCvida agr:ria
(art.0E". (Di4genes"
Espécies:
Ordin:ria* art.12, FFIG .F/00
E'traordin:ria* art.03,DE2, III e 0E e par:gra9os .F/00
Di9eren#as*
a" na ordin:ria a indeni>a#$o dever: ser prévia, Busta e em din=eiro, na
e'traordin:ria, se para 9ins de re9orma agr:ria, a indeni>a#$o, em-ora prévia e
Busta, é paga em tCtu&os da dCvida agr:ria %om %&:usu&a de preserva#$o do va&or
rea&, resgat:veis no pra>o de até vinte anos, a partir do segundo ano de sua
emiss$o, e, se 9or para 9im de ur-ani>a#$o, é paga %om tCtu&os da dCvida
p;-&i%a muni%ipa& de emiss$o previamente aprovada pe&o Senado Federa&,
%om pra>o de resgate de até 6 anos, em par%e&as anuais.
-" a ordin:ria poder: in%idir so-re +ua&+uer -em, sa&vo as veda#)es &egaisH a
e'traordin:ria, se para 9ins de re9orma agr:ria, s4 pode re%air so-re im4veis
rurais +ue n$o esteBam %umprindo %om sua 9un#$o so%ia&, e, se para 9ins de
ur-ani>a#$o, s4 pode in%idir so-re propriedade ur-ana n$o edi9i%ada,
su-uti&i>ada ou n$o uti&i>ada, in%&uCda no p&ano diretor, %uBo propriet:rio n$o
promoveu o seu ade+uado aproveitamento.
%" a ordin:ria pode ser e9etivada pe&a Ini$o, Estados, Juni%Cpios, Distrito
Federa& e outras pessoas a +uem a &ei re%on=e#a ta& %ompet(n%ia.
E'traordin:ria, se para 9ins de re9orma agr:ria, s4 pe&a Ini$o ou seus
de&egados, e, se para 9ins de ur-ani>a#$o, s4 pe&o Juni%Cpio e pe&o Distrito
7
Federa& (art.73,D2" as %ompet(n%ias +ue %a-em ao Estado,Jem-ro e
Juni%Cpio.
Direta*desapropria#$o +ue o-servou todo o pro%edimento e'propriat4rio. (ato
de%&arat4rio, 9ase e'e%ut4ria, pagamento da indeni>a#$o e registro da
propriedade"
Indireta* n$o o-serva o pro%edimento e'propriat4rio. Gerdadeiro
apossamento /es-u&=o, ao +ua& o propriet:rio se o-riga a p&eitear o
ressar%imento administrativo ou Budi%ia&. S;mu&a SAK ! (pres%ri#$o indireta
pres%ri#$o 36 anos" e n$o a pres%ri#$o +Lin+Lena& do de%reto 9edera&
36.!6/73. A Administra#$o Federa& editou JP .MME,33 de !!!, +ueria
redu>ir o pra>o para %in%o anos, =ouve uma ADIn 3.3N6/DF, e =ouve mudan#a
no te'to pe&a JP 3.07,1N, restando agora a interpreta#$o +ue a pres%ri#$o
para p&eitear a indeni>a#$o é o %ontido no art.370 do .. de 1 anos.
Fundamentos Infraconstitucionais:
a"De%reto,&ei n27.7N1/E Oei 5era& das Desapropria#)es
-"Oei n2E.73/N3 .uida da desapropria#$o por interesse so%ia&
%"Oei 0.N3!/!7 Re9orma Agr:ria
d"De%reto Oei n2.6M1/M6 Imiss$o da posse no inC%io da &ide de im4veis
residen%iais ur-anos, =a-itados pe&o propriet:rio ou pe&o %ompromiss:rio,
%omprador.
e"Oei n2!.M01/!! A&tera a Oei 5era&
9"JP n23.07,1N – A&tera Oei 5era&
Requisitos da Desapropriação:
Para a desapropria#$o ordin:ria (art.12,FFIG"* a"ne%essidade p;-&i%a,
uti&idade p;-&i%a e interesse so%ia&H -"prévia e Busta indeni>a#$o em din=eiro.
Para desapropria#$o e'traordin:ria destinada < ur-ani>a#$o (art 03,DE2,III"*
a"im4ve& in%&uCdo no p&ano DiretorH -" n$o edi9i%ado, su-uti&i>ado ou n$o
E
uti&i>adoH %"e'ig(n%ia de &ei muni%ipa&, de +ue o propriet:rio promova o seu
ade+uado aproveitamentoH d"su%essividade das penas de par%e&amento ou
edi9i%a#$o %ompu&s4ria, imposto predia& e territoria& progressivo,
desapropria#$oH e"pagamento em tCtu&os da dCvida p;-&i%a muni%ipa&
(aprovado pe&o Senado", assegurado o va&or rea& da indeni>a#$o e os Buros
&egais.
Para desapropria#$o e'traordin:ria destinada a re9orma agr:ria (art.0E e
par:gra9os"* a" interesse so%ia&H -"in%idir so-re propriedade rura& +ue n$o
esteBa %umprindo %om sua 9un#$o so%ia&H %"Busta e prévia indeni>a#$o, paga em
tCtu&os da dCvida agr:ria, %om %&:usu&a de preserva#$o de seu va&or rea&H
d"pagamento das -en9eitorias ;teis e ne%ess:rias em din=eiroH e"pro%esso
e'propriat4rio de rito sum:rio, esta-e&e%ido pe&a &ei 9edera& %omp&ementar
MN/!7.
@E.ESSIDADE PPQOI.A* a desapropria#$o é por ne%essidade p;-&i%a
sempre +ue o Estado 9a> para atender uma situa#$o anorma&.
IAIOIDADE PPQOI.A* a desapropria#$o é por uti&idade p;-&i%a sempre +ue
o Estado 9a> para atender uma situa#$o norma&.
@e%essidade e uti&idade p;-&i%a s$o os %asos e&en%ados no art. 12 do DO
n27.77N1/E*
#rt$ F
o
"onsideram-se casos de utilidade pública(
a) a segurança nacional;
b) a defesa do Dstado;
c) o socorro público em caso de calamidade;
dH a salubridade pública;
e) a criação e mel!oramento de centros de população, seu abastecimento
regular de meios de subsist=ncia;
f) o aproveitamento industrial das minas e das jaidas minerais, das águas
e da energia !idráulica;
g) a assist=ncia pública, as obras de !igiene e decoração, casas de saude,
cl3nicas, estaç5es de clima e fontes medicinais;
h) a e4ploração ou a conservação dos serviços públicos;
1
iH a abertura, conservação e mel!oramento de vias ou logradouros
públicos; a e4ecução de planos de urbaniação; o parcelamento do solo, com
ou sem edificação, para sua mel!or utiliação econImica, !igi=nica ou estética;
a construção ou ampliação de distritos industriais; J0edação dada pela -ei n7
K$L&F, de %KKKH
j) o funcionamento dos meios de transporte coletivo;
k) a preservação e conservação dos monumentos !ist:ricos e art3sticos,
isolados ou integrados em conjuntos urbanos ou rurais, bem como as medidas
necessárias a manter-l!es e realçar-l!es os aspectos mais valiosos ou
caracter3sticos e, ainda, a proteção de paisagens e locais particularmente
dotados pela naturea;
l) a preservação e a conservação ade;uada de ar;uivos, documentos e
outros bens moveis de valor !ist:rico ou art3stico;
m) a construção de edif3cios públicos, monumentos comemorativos e
cemitérios;
n) a criação de estádios, aer:dromos ou campos de pouso para
aeronaves;
oH a reedição ou divulgação de obra ou invento de naturea cient3fica,
art3stica ou literária;
p) os demais casos previstos por leis especiais$
I@AERESSE SO.IAO* é a desapropria#$o e9etivada para impor me&=or
aproveitamento da terra rura& ou para prestigiar %ertas %amadas so%iais.
Segundo Kosé .rete&&a Kunior e Sea-ra Fagundes* 8o%orre motivo de interesse
so%ia& +uando a e'propria#$o se destina a so&u%ionar os %=amados pro-&emas
so%iais, isto é, a+ue&es diretamente atinentes <s %&asses po-res, aos
tra-a&=adores e < massa do povo, em gera&, pe&a me&=oria das %ondi#)es de
vida, pe&a mais e+Litativa distri-ui#$o da ri+ue>a, en9im, pe&a atenua#$o das
desigua&dades so%iais?. (.oment:rios <s &eis de desapropria#$o". (ver &ei
n2E.73/N3"
Oei n2E.73/N3*
Art. 2º "onsidera-se de interesse social(
I - o aproveitamento de todo bem improdutivo ou e4plorado sem
correspond=ncia com as necessidades de !abitação, trabal!o e consumo dos
centros de população a ;ue deve ou possa suprir por seu destino econImico;
N
II - a instalação ou a intensificação das culturas nas áreas em cuja e4ploração
não se obedeça a plano de oneamento agr3cola, VD+#/.;
III - o estabelecimento e a manutenção de colInias ou cooperativas de
povoamento e trabal!o agr3cola(
IV - a manutenção de posseiros em terrenos urbanos onde, com a toler8ncia
e4pressa ou tácita do proprietário, ten!am constru3do sua !abilitação, formando
núcleos residenciais de mais de %M JdeH fam3lias;
V - a construção de casa populares;
VI - as terras e águas suscet3veis de valoriação e4traordinária, pela conclusão
de obras e serviços públicos, notadamente de saneamento, portos, transporte,
eletrificação armaenamento de água e irrigação, no caso em ;ue não sejam
ditas áreas socialmente aproveitadas;
VII - a proteção do solo e a preservação de cursos e mananciais de água e de
reservas florestais$
VIII - a utiliação de áreas, locais ou bens ;ue, por suas caracter3sticas, sejam
apropriados ao desenvolvimento de atividades tur3sticas$ JInclu3do pela -ei n7
G$F%>, de 'M$%'$LLH
PRRGIA E KISAA I@DE@ISAÇÃO EJ DI@TEIRO*
Prévia* antes da %onsuma#$o da desapropria#$o, e'iste diverg(n%ia doutrin:ria
e Burispruden%ia&, sendo +ue a %onsuma#$o e o pagamento s$o +uase no
mesmo momento, o SAF entende +ue se %onsuma %om o pagamento.
Kusta* é a indeni>a#$o +ue permite ao e'propriado manter seu patrimUnio
inta%to. @as pa&avras de .e&so Antonio Qandeira de Je&&o* 8é a+ue&a %uBa
importVn%ia dei'e o e'propriado a-so&utamente indene, sem preBuC>o a&gum
em seu patrimUnio?.
Din=eiro* moeda %orrente, s4 permitido em tCtu&os +uando a .onstitui#$o
assim determinar.

M
0