You are on page 1of 39

Sistema de Navegação Fluvial nos EUA e

Sistema de Navegação Fluvial nos EUA e
o Corpo de Engenheiros do Exército
o Corpo de Engenheiros do Exército
Americano (USACE)
Americano (USACE)
arcelo !" Salles
#$icial de %igação do USACE com o Comando Sul
U" S" Arm& Corps o$ Engineers (USACE)
Missão do Corpo de Engenheiros
na Área de Navegação:
Prover um modo de transporte hidroviário
seguro, confiável, eficiente, eficaz e
sustentável para ue se possam movimentar
cargas comerciais, assegurar a segurança
nacional e prover recreação!
USACE ' (esenvolvimento da
USACE ' (esenvolvimento da
Navegação nos EUA
Navegação nos EUA

)*+, ' -emover o.struç/es 0 navegação

)*123s ' (esenvolvimento da draga
Cutterhead

)**4 ' 5rimeira Eclusa constru6da no -io
#hio

)7823s ' ega Construção de Eclusas

)712972 ' (esenvolvimento de Navegação
em tri.ut:rios do -io ississippi

Construção no presente de Eclusas com
comprimento de )"+22 pés (814 metros) e
portos de calados de 42 pés ()4 metros)
"poio # Missão da Navegação "uaviária:
$uem %az o $ue&

issão do Corpo de Engenheiros;

5lane<amento= design= construção= manutenção e segurança da
in$raestrutura para o apoio 0 navegação $luvial"

Eclusas e .arragens= dragagem nos canais= estruturas de aux6lio 0
navegação= proteção das margens dos rios= cartas de navegação
eletr>nicas (rios interiores)? coleção de dados so.re carga mar6tima
e an:lise= etc"

onitoramento de postos $luviométricos e sedimentométricos

A @uarda Costeira; providenciar Aux6lios 0 Navegação (AAoN '
Aids Ao Navigation)? procura e resgate? segurança? certi$icação
do em.arcaç/es= resposta a emergBncias= etc"

National #ceanographic and Atmospheric Association (N#AA);
providenciar sondagens= .atimetria e cartas mar6timas em :reas
costeiras= e medição de dados oceanogr:$icos

aritime Administration (arAd); tem a missão de apoiar e
promover a navegação= ligaç/es intermodais

@rupos com Cnteresse na navegação $luvial são essenciais em
todas as etapas na implementação de pro<etos=
especialmente no apoio pol6tico e na arrecadação
de ver.as"
@rupos com Cnteresse '
@rupos com Cnteresse '
-eDuerimentos e Expectativas
-eDuerimentos e Expectativas

5rodutores e Usu:rios de 5rodutos

5recisam movimentar os produtos

Con$ia.ilidade ' pontualidade e Duantidade
espec6$ica

Custos dos Aransportes Alternativos

Companhias de 5uxadores de Earcaças

(isponi.ilidade dos canais e eclusas

Canais na calado autoriFada

Eclusagens disponiveis por
demanda

Corpo de Engenheiros

5ro<etam= mantem e operam Canais e Eclusas

antem o chronograma de a.ertura
das eclusas
Sistema de Navegação nos EUA
Sistema de Navegação nos EUA

,2"+82 Gms de hidrovias

)7"8)2 hidrovias interiores

+2"7+2 hidrovias litorais

-io ississippi tem 8"H82 Gms

,22 5ortos 5rincipais

I+ Eilh/es USACE ver.as anuais para manter
hidrovias

I722= ++* ilh/es de metros cJ.icos de
dragagem anual (eDuivalente ao volume
aproximado de )42 aracanãs)

72K da dragagem $eita por empreiteiras
Ler.as do USACE para Navegação
Ler.as do USACE para Navegação

# Corpo de Engenheiros gasta
aproximadamente I + Eilh/es anuais para
manter o sistema de transporte hidrovi:rio
Mreas; #ut" de +22H a Set" +22*;

Cnvestigaç/es I )7 )K

Construção I 4H+ +*K

#peração e anutenção I)",)* H)K
I+"227E
'alor e Custo "nual da Carga
Costeira Cnterior

Aoneladas I)=H E I1++

Lalor da Carga I8,2 E I7* E

Ler.a pN USACE I)=2) E I*11
Produtos Transportados no Modal
Produtos Transportados no Modal
Hidroviário -
Hidroviário - Por toneladas, 2006 Por toneladas, 2006
Total por Volume 2006: 627 Milhões de Toneladas
arv!o
2"#
Petr$leo e %erivados
2&#
'uimi(as
)#
Mat*ria Prima
+"#
Manu,aturados
Primários
&#
omida e Produtos -.r/(olas
+2#
Manu,aturados
2#
0utros
1+#
Carvão lidera em toneladas
(istema )idroviário * +nflu,ncia
na Economia

@rãos Exportados

Mais de 70 milhões de
toneladas anualmente

50% dos grãos, soja e
rações preparadas
exportadas são
movimentadas por barcaças

5etrOleo

!0 milhões de
toneladas anualmente
entre pontos dom"sticos

#$% do total nacional se
movimenta entre distritos
do Minist"rio de %nergia
Papel do Modal )idroviário na
Prosperidade Econ-mica do Pa.s
Portos: 'ital ao Com/rcio e
# Economia "mericana
Milhões de
Toneladas
Mais de
100
50 - 100
25 - 50
10 - 25
Houston
Corpus Christi
S. Louisiana
New Orleans
Baton ou!e
Te"as Cit#
La$e Charles
%la&ue'ines
Ta'pa
New (or$)N*
+alde,
Lon! Bea-h
Beau'ont
Nor.ol$
Lower /elaware
i0er 12 har3ors4
/uluth)Superior
Los 5n!eles
%ort 5rthur
St. Louis
%ortland
Seattle
6reeport
Huntin!ton
i-h'ond
Oa$land
Ta-o'a
Boston
Newport News
%ort 70er!lades
*a-$son0ille
Me'phis
/etroit
Cle0eland
Sa0annah
Charleston
8ndiana H3r
Cin-innati
%ortland
Two Har3ors
5na-ortes
Honolulu
Chi-a!o
%itts3ur!h
Balti'ore
%as-a!oula
Toledo
Mo3ile
New Ha0en
Mata!orda
%res&ue 8sle
9ala'a
Bar3ers %t
San *uan
&uase $'(#00 )ms com calado
de ' p"s ou *
$'! %clusas + #,$ Camaras
Movendo * de !00 milhões de
toneladas
Custa aproximadamente #+
do custo de movimentar por
-errovia e $+$0 do custo de
movimentar por rodovias
.istema de /avegação -luvial0
Tr:.e!o da Car!a Hidro0i:ria
Vantagens da Navegação Fluvial:
Descongestionando Ferrovias e Rodovias nas Nossas Comunidades
Uma barcaça hopper
cheia e coberta
carrega
58!!! bushels
de trigo o su"iciente
para "a#er $uase %&5
milh'es de pão de
"orma&
Unidades a Movimentar
1,750 Tons de Carga Seca
1 barcaça
16 vagões
70 caminhões
Uma barcaça tan$ue
cheia carrega
%(&5)) barris de
gasolina o
su"iciente para
manter %&5))
autom*veis nas ruas
por + ano&

Unidades para Movimentar 27500 !arris
de "#$%ido
1 barcaça
&6 vagões
1&& caminhões
Vantagens da Navegação Fluvial:
Descongestionando Ferrovias e Rodovias nas Nossas Comunidades
Vantagens da Navegação Fluvial:
Um Comboio de +5 ,arcaças -$uivale a %+. Vag'es ou +&)5) Caminh'es
Comboio de 15 !arcaças
216 'agões ( 6 "ocomotivas
1,050 Caminhões de Carga
Navegação %luvial 0 1esumo
Earcaça Lagão Caminhão

E$iciBncia de
Com.ust6vel +,, )H4 11

2ms por 3itro para movimentar uma tonelada

ais %impo Superior elhor Eom

Hidro(ar4onos, 02, 506

Segurança

%erramamento
de 7leo Superior elhor Eom

8atalidades ) ++"H )44
/e a carga atravessando a cidade de /t& 0ouis "osse
trans"erida do modal hidrovi1rio para o modal
rodovi1rio 231 congestionado4:

Custos para manter e "a#er novas rodovias em um per5odo de +) anos aumentariam
de 6!75 milh'es para 8 de 6(%+ milh'es

9r1"ego de caminh'es nas interestaduais em /t& 0ouis aumentariam mais de %)):

-spera devido ao tr1"ego aumentaria $uase 5)):

Ferimentos e "atalidades nos segmentos interestaduais aumentariam de !.: a 75:

Custos da manutenção aumentariam de 8): a ;!:
Um -studo <ipot=tico:
>odal <idrovi1rio nos Rios >ississippi e ?llinois são "echados
/e a carga atravessando a cidade de /t& 0ouis
"osse trans"erido do modal hidrovi1rio para o
modal rodovi1rio 231 congestionado4:
A perda do Modal Hidroviário teria
um impacto negativo de tremendas
proporções!!!
Um -studo <ipot=tico:
>odal <idrovi1rio nos Rios >ississippi e ?llinois são "echados
%55B;NS %O 7ST5 S7/85N/O
5 CO%5 /O M<N/O 201= 7 5S
OL8M%>5/5S 201? @@
BOT56OAO @@@@
Cnvestimentos de Capital no
Cnvestimentos de Capital no
USACE= +22*
USACE= +22*

+H 5ro<etos Costeiros ' elhorias

* ega 5ro<etos de -estauraç/es de
Eclusas

H Su.stituiç/es de Eclusas

I)) Eilh/es 9 total de investimentos
correntes
Arrecadação de Ler.as para
Arrecadação de Ler.as para
elhorias nas Pidrovias
elhorias nas Pidrovias

)7*1 o Congresso criou o Fundo de -eservas
para a Navegação Fluvial (Cnland QaterRa&s
Arust Fund ' CQAF)

Cmposto so.re Com.ust6vel para Em.arcaç/es
de I2=24 por litro de com.ust6vel usado nas
hidrovias interiores

CQAF é usado para construç/es novas e
grandes pro<etos de rea.ilitação

42N42 divisão de custos entre CQAF e
apropriação do Congresso

Esta.eleceu ComitB de Usu:rios da Navegação
Fluvial

Cmposto so.re com.ust6vel não mudou de
valor desde )77,

@era aproximadamente I*4 milh/es de
receitas anuais

5rograma de construçãoNrea.ilitação no
momento necessita de I+22 milh/es anuais

No presente estamos discutindo alternativas
para aumentar a receita;

Aumentar o valor do imposto de com.ust6vel

Aaxa para o Usu:rio= por eclusagem

Lalor da Carga
Arrecadação de Ler.as para
Arrecadação de Ler.as para
elhorias nas Pidrovias
elhorias nas Pidrovias
Ler.as para Navegação Costeira
Ler.as para Navegação Costeira

-eserva de Fundos para 5ortos 9 )7*1

Cmposto Ad valorem= 2=)+4K do valor da carga

@era aproximadamente I)"1 Eilh/es em
receitas anuais

Aproximadamente IH22 ilh/es por ano das
reservas estão sendo usadas

Assuntos #rçament:rios a$etam o uso das
ver.as das reservas e manutenção dos canais

No momento estamos discutindo alternativas
para melhorar a despesa de ver.as e
con$ia.ilidade dos canais"
%undos de 1eservas para
Navegação 0 1esumo

Navegação Costeira; Fundos de -eservas para
manutenção de portos

Cmposto Ad valorem; 2=)+4K do valor da carga

-eem.olsa )22K dos custos de operação e
manutenção

-eceita; I)"1 .ilh/es? Apropriação; IH22 milh/es

#utu.ro +22* a Setem.ro +227 ' .alanço $inal; I4",
.ilh/es para o.ras

Navegação Fluvial Cnterior; Fundos de -eservas
para Navegação Fluvial

Cmposto so.re com.ust6vel; I2"24 por litro

42K de construção e grandes pro<etos de rea.ilitação

-eceita; I*4 milh/es= Apropriação; I*4 milh/es
# Estado Atual da Navegação Fluvial
# Estado Atual da Navegação Fluvial
nos EUA
nos EUA

# EUA tem um sistema de navegação maduro

L:rios portos mar6timos tem pro<etos
correntes de melhoria

Não h: planos de construir novos sistemas
hidrovi:rios

# $oco é em providenciar sistemas de alta
con$ia.ilidade

Sistema alcançando idade avançada reDuer
gestão de manutenção

Estudos so.re Fundos de -eservas para
navegação estão em andamento
Navegação
Navegação

Sondagem e
apeamento

5esDuisas e
-elatOrios

-eceitas S Ler.as

(esign

Construção

Administração de
Contratos

Certi$icação de
Tualidade

Ara.alho Am.iental

#peração e anutenção

@estão da anutenção

@estão das Mguas

@erenciamento de
5ro<etos

Coleção de dados

Comunicação na :rea de
Navegação
2ransporte "uaviário

antendo os produtos Americanos
competitivos no mercado internacional

-ent:vel

E$iciente em
com.ust6vel

Eom para o
meio am.iente

Aem capacidade para aumentar o uso
Linha Ospre#
Baton ou!eB L5
Eclusagem 3upla em c4maras
menores
Mais antigas e
menores c1maras
de !00 p"s exigem
2ue comboios
t3picos de $5
barcaças 4açam
dupla eclusagem,
demorando at" #
horas por
rebocagem e muitas
ve5es provocando
4ilas nas eclusas de
maior tr64ego(
Varia9ões na (apa(idade por
via nave.ável :
;randes re4o(adores mistos de mais de <0 4ar(a9as
s!o (omuns em tre(hos de á.uas pro,undas no 4ai6o
=io Mississippi
om4oio (omum de +& 4ar(a9as
sendo re4o(ado numa (>mera de
+?200 p*s no rio 0hio
7amanho de %clusas
e Caracter3sticas de 8idrovias
@ ne(essário Aue4rar o (om4oio de @ ne(essário Aue4rar o (om4oio de
4ar(a9as de .r!os para atravessar e(lusas 4ar(a9as de .r!os para atravessar e(lusas
(om (>maras de 600 p*s no -lto rio (om (>maras de 600 p*s no -lto rio
Mississippi e muitos outros rios Mississippi e muitos outros rios
om4oios nas hidrovias Bntra- om4oios nas hidrovias Bntra-
(osteiras do ;ol,o s!o lon.os e (osteiras do ;ol,o s!o lon.os e
estreitos para poderem passar estreitos para poderem passar
nos (anais e atrav*s das e(lusas nos (anais e atrav*s das e(lusas
Aue au6iliam (om (ontrole de Aue au6iliam (om (ontrole de
en(hentes en(hentes
om4oios no sistema de rios
olum4iaCDnaEe no 5oroeste do
Pa(/,i(o usam e(lusas (om di,eren(iais
de mais de +00 p*s? om4oios podem
nave.ar (om (alados de +F p*s?
7amanho de %clusas
e Caracter3sticas de 8idrovias
Varia9ões na (apa(idade por
via nave.ável :
/avegação -luvial
9imensões das %clusas
Columbia
.
n
a
)
e
M
i
s
s
i
s
s
i
p
p
i
:
l
l
i
n
o
i
s
M
is
s
o
u
r
i
;
r)
a
n
s
a
s
<hite
=
u
a
c
h
i
t
a
>
e
d
?
o
@
e
r
M
i
s
s
i
s
s
i
p
p
i
7
e
n
n
A
7
o
m
B
l) <
arrior
;
l
a
b
a
m
a
;C-
7
e
n
n
e
s
s
e
e
C
u
m
b
e
r
la
n
d
=
h
i
o C
a
n
a
@
h
a
;lleghenD
Monongahela
;
t
l
a
n
t
i
c
:
n
t
r
a
c
o
a
s
t
a
l
<
a
t
e
r
@
a
D
:ntracoastal
E
u
l
4
<
ater@
aD
F
p
p
e
r

+?200 p*s ou maior
600 p*s at* +?200 p*s
1 600 p*s
5enhuma G(lusa
%imensões das G(lusas
=
)eechobee
<
ater@
aD
/G.
Canal
:
<
<
'encendo o 3esafio:
5randes Pro6etos de Navegação em "ndamento
Em 7889
5ova onstru9!o
Erande >eabilitação
?H9
0lmsted
Bnner
Har4or
MarmetH
M(-lpineH
2entu(EI
?H9 $$
?H9 $'
3oJer Mon 2-F
MIers
hi(Eamau.a
onstru9!o de novas
e(lusas e .randes proKetos
de rea4ilita9!o em 200":

) e(lusas L novas ou
su4stitu/das

) e(lusas - rea4ilita9!o

Total de investimento
M7?2 4ilhões
%ms@orth
?H9 #7
?oc)port
Mar)land
?H9 #,
H 5ova (>mara opera(ional
1899
1940s
1969
1880
96 % redução em
dragagem pre versus
pos 1970, tornando o
canal de navegação
fundo e largo
ConstruCDo de /i&ues para
/i'inuir /ra!a!e'
Nossas hidrovias tem a capacidade para:

transportar os produtos a granel e as
cargas intermodais

satis"a#er o crescimento "uturo destas
cargas e para

aceitar carga desviada das rodovias e
"errovias saturadas
<idrovias dos -stados Unidos da @m=rica:
@ntecipando as Demandas do Futuro
A

R
o
b
e
r
t

B
&

<
u
r
t
Com o menor impacto de
$ual$uer modal de super"icie na
$ualidade de ar no meio
ambiente e segurança pCblica
bem como tendo capacidade de
sobra nossas hidrovias
apresentam uma solução de
transportes para o "uturo de nossa
nação&
<idrovias dos -stados Unidos da @m=rica:
9ransportador de Carga D /olução para o Futuro
A

R
o
b
e
r
t

B
&

<
u
r
t
A missão do National Waterways Foundation
(Fundação Nacional de Hidrovias) é de
desenvolver argumentos intelectuais e factuais
para que tenamos ver!as suficientes" e um
eficiente e seguro sistema idroviario#
Aprenda mais so!re a fundação$
•%isite www#nationalwaterwaysfoundation#org

&el$ '()#)')#**+,
•-.mail NWF/vesselalliance#com
<idrovias dos -stados Unidos da @m=rica:
@poio ?ntelectual e Factual para as <idrovias