You are on page 1of 18

CENTRO UNIVERSITÁRIO JORGE AMADO

CID RANGEL
IVYSON THIAGO
GENILDO REIS
RONALDO BISPO
LEONILDO MATOS

RELATÓRIO PARCIAL DE PLANEAÇÃO ESTRATÉGICA
E COMUNICATIVA DA ORGANIZAÇÃO CASAS BAHIA

SALVADOR
2013

Rodrigo Cesar Reis de Oliveira SALVADOR 2013 . sob a orientação do Prof. MSc.CID RANGEL IVYSON THIAGO GENILDO REIS RONALDO BISPO LEONILDO MATOS ESPECIALIZAÇÃO EM NEGÓCIOS E FINANÇAS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS E LIDERANÇA RELATÓRIO PARCIAL DE PLANEAÇÃO ESTRATÉGICA E COMUNICATIVA DA ORGANIZAÇÃO CASAS BAHIA Trabalho de análise e relatório estratégico sobre a empresa Casas Bahia. apresentado ao Centro Universitário Jorge Amado. como requisito de avaliação parcial da disciplina Gestão Estratégica.

..................................1 VOTAÇÃO.................3 3.................................................................................................................................................. HISTÓRICO.................................................12 7.SUMÁRIO 1........................................................17 ........................................................................................................13 8................................3 2............................................................................................................... QUADRO SWOT....15 9....... ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO... VISÃO...................................................................16 REFERÊNCIAS.................... CONCLUSÃO.................................................................................................9 6.....................6 5.............7 5...................... QUESTÕES ESTRATÉGICAS................................................................................................................... MISSÃO........................................4 4.. MANDATO.................................................................... ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO......................................................................1 VOTAÇÃO...10 6.................................

é a empresa responsável pela administração de duas importantes varejistas brasileiras. em São Caetano do Sul-SP. o nome Casas Bahia foi escolhido como uma forma de homenagear e agradar o grande número de nordestinos que moravam na cidade. Casas Bahia e Nova Pontocom –. HISTÓRICO Com 61 anos de atuação no mercado nacional de varejo. agência interna da Casa Bahia na época um símbolo capaz de representar a integração do povo com e a empresa. foi adotada em fevereiro de 2012. . Casas Bahia e Pontofrio. em decorrência da associação entre Pontofrio (do Grupo Pão de Açúcar) e Casas Bahia. Originalmente utiliza um chapéu de nordestino e bombachas gaúchas. MANDATO Via Varejo S. aproximadamente 600 lojas espalhadas pelo País. pelo imigrante polonês Samuel Klein. fundadores das Casas Bahia.  1. A razão social Via Varejo S. segundo informações do site de relações com investidores da companhia.A.A. que havia chegado cinco anos antes ao Brasil e trabalhava como vendedor de porta em porta. O mascote “O Baianinho” foi criado em 1970 pela Interjob. Os Klein. Em 1957 a primeira loja foi aberta. Pontofrio. 2. até adquirir o estabelecimento comercial e iniciar sua promissora trajetória como comerciante. em substituição à Globex Utilidades S/A. possuem 47% do capital da Via Varejo – que inclui. Foi fundada em 1952.

MISSÃO A missão da empresa condiz com sua essência. • Ser a varejista que atende as necessidades do brasileiro. ou seja. • Realizar a necessidade de atender ao sonho do Brasileiro. • Trazer a melhor conformidade de um melhor convívio familiar. Prevê seu foco de criação e existência e seus motivos. o propósito da organização. • Rentabilidade para os seus acionistas. • Solucionar as opções de compras em varejo. • Uma rede de varejo e eletrodoméstico e móveis. ligada ao seu objetivo social. O QUE É A ORGANIZAÇÃO (QUAL SUA RAZÃO DE EXISTIR)? • Oferecer produtos de qualidade no varejo com preço acessível para todas as classes.  3. • Planejar uma gestão focada na solidez do negocio alcançando o topo do varejo brasileiro no ramo de eletrodoméstico. • Empresa no seguimento varejista de móveis e eletros a fim de atender a população do Brasil. colaboradores e parceiros. . • Realizar a melhor experiência de compra no varejo no ramo de móveis e eletrodomésticos.

• Prazos. • Qualidade de atendimento. • Respeito com clientes e fornecedores. • Dedicação total a seus clientes. • Qualidade na pré e pós venda. . • Facilidade de pagamento. • Ética interna e externa. • Igualdade. • Valorização dos colaboradores.  QUAIS SÃO SEUS PRINCIPAIS VALORES? • Ética. O QUE A DIFERENCIA DE OUTRAS ORGANIZAÇÕES SEMELHANTES? • Atendimento diferenciado com excelência. • Qualidade e garantia de produtos. • Preço justo. • Priorização ao cliente. • Serviços humanizados. • Poder de compra (barganha). • Atendimento em excelência. • A estrutura logística (cadeia de abastecimento). • Sua própria indústria moveleira. • Melhores marcas e produtos diferenciados. • Maior parcelamento do Brasil.

é onde a empresa pretende chegar em determinado espaço de tempo. e também. com uma equipe totalmente engajada e motivada e que represente os princípios da organização. VISÃO É a meta da organização. • Alcançar a liderança em varejo na América Latina e exportar para o mercado internacional. • Ser a varejista padrão no mercado mundial. Focar a qualidade e facilidade de pagamento. POSSIBILIDADES • Ser a maior rede de móveis e eletrodomésticos do mundo. . a partir de uma excelente estrutura logística (cadeia de abastecimento). sendo a melhor varejista em qualidade e resultados para todos os envolvidos. • Dominar o mercado nacional em todos os Estados e ser a varejista padrão internacionalmente. valorizando seus colaboradores com dedicação total a seus clientes. visando satisfação dos clientes e fornecedores. ou seja. considerando o limite geográfico e temporal. • Tornar-se uma empresa atuante em todo o País. garantindo melhor alcance nos produtos.  MISSÃO DEFINITIVA Realizar a melhor experiência de compra no varejo no ramo de móveis e eletrodomésticos. 4. • Ser a maior rede de distribuição de produtos do mercado mundial e tornarse referência em varejo. • Alcançar a marca de maior varejista da América Latina. como pretende ser vista por todos.

a partir de uma ótica interna de processos. Estas proporcionam desvantagens operacionais e estratégicas dentro do mercado atuante. visando satisfação dos clientes e fornecedores. que devem ser diagnosticadas e sanadas através de análises e ações corretivas e preventivas. . ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO Toda organização possui atributos que a dignifica como empresa capaz de alcançar marcas de êxito e sucesso em suas propostas mercadológicas. estratégica. 5. apesar de ser uma variável de inadequação controlável. • Ser a varejista padrão no mercado mundial. há debilidades e fraquezas. a depender do peso atribuído pelo mercado a um ponto considerado fraco na empresa. ou mesmo natural do ramo de atuação. tem-se os pontos que devem ser focados e melhor trabalhados. com uma equipe totalmente engajada e motivada e que represente os princípios da organização.  VISÃO DEFINITIVA • Alcançar a marca de maior varejista da América Latina. quanto para minimização de entraves. este pode impedir o desenvolvimento da estratégia de forma eficaz ou dificultar a implementação de alguns aspectos do plano estratégico. tanto para amplificação de potencial. Com isso. Por isso foram listados e categorizados os potenciais e as deficiências das Casas Bahia. Para Cavalcante (2008). a fim de estabelecer o panorama de atuação no mercado. essas virtudes podem ser de natureza operacional. destacados cinco itens de cada área. limitando o alcance de objetivos competitivos. Contudo.

15. 11. Oportunidades de emprego. 3. 13. 5. 9. Poder de compra. 2. Salário. 16.  PONTOS FORTES 1. 10. Carteira de clientes. Poder de barganha com seus fornecedores. Políticas eficazes de garantia. Publicidade e Marketing. Qualidade de produtos. 12. devido ao enorme volume comprado e maior desconto. 6. 20. Sua própria consultoria de designers que desenham e desenvolvem produtos. 8. Variedade de produtos. Marca valorizada. Um dos maiores centros de distribuição da América Latina. 19. Tempo de mercado. Identidade mantida ao longo do tempo. Parcerias. Forma de pagamento facilitada. 18. . 17. Logística eficiente. A mais popular rede de móveis e eletrodomésticos do Brasil. Atendimento a todas as classes sociais. 4. 14. 7. Quantidade de filiais em pontos estratégicos.

Avaria na entrega do produto por terceiros.  PONTOS FRACOS 1. E-commerce (venda pela internet). Terceirização (perda de identidade). 5. Carreto pago. 7.1 VOTAÇÃO (Item/Peso) PONTOS FORTES ITEM PESO PONTUAÇÃO RANKING 15 3+2 5 1 09 2+1+1 4 2 04 1 1 - 02 3 3 3 03 2 2 - 14 3 3 4 16 1 1 - 05 3 3 5 19 2 2 - . 6. 3. 2. Flexibilidade de preços. 4. 8. Foco em apenas algumas linhas de produtos. 5. O aparecimento de redes digitais. A constante concorrência de outros varejos.

uma oportunidade devidamente usufruída pode proporcionar aumento dos lucros da organização. concorrência. enquanto uma ameaça não administrada pode acarretar diminuição dos lucros ou prejuízos. que segundo Rezende (2008). não apenas o macroambiente deve ser analisado. . ✁ PONTOS FRACOS ITEM PESO PONTUAÇÃO RANKING 06 1+1 2 - 07 2 2 - 04 3+1+1 5 1 05 2+2 4 3 01 3+2 5 2 03 3 3 4 08 3 3 5 6. tais como cenário mercadológico e político. Para Matos e Almeida (2007). indicadores que estão fora do controle das empresas também possuem esse poder. A esses fatores. que são as variáveis relacionadas ao setor de atividade próprio da empresa (Cavalcante. dentre outros. Oportunidades são variáveis externas que criam condições favoráveis à organização. 2008). todavia. denomina-se Oportunidades e Ameaças. ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO Assim como fatores internos influenciam o desempenho e desenvolvimento das organizações. mas também o ambiente operacional da organização. já as Ameaças são as que influenciam negativamente.

9. 7. Flexibilidade de políticas externas.   OPORTUNIDADES 1. 11. 8. 6. 10. . Melhoria nos estudos de mercado. 5. A concorrência desleal relacionado à promoção. AMEAÇAS 1. 4. Descentralização para entrega em compras pela internet. Concorrência. Variedade de fornecedores. 12. 12. 7. Aparecimento de novos produtos e mercados diversificados. Novos ganhos com a logística reversa. Entrada de outras redes de varejo. Preços muito abaixo do mercado. Novo conceito de venda pela internet. União dos concorrentes. 3. 6. 5. preço e prazo. Ampliação e melhoria no sistema de parceria. A perda da identidade devido à terceirização. Expansão econômica das classes. 3. Impostos elevados. 9. Parceria com fornecedores. Novas lojas em novos estados. 8. Novos entrantes. 10. Parceria com concorrentes 2. 4. Credibilidade de fornecedores. Falta de atuação no pós-venda. Vendas pela internet. 11. 2. Aumento da empregabilidade.

   6.1 VOTAÇÃO (Item/Peso) OPORTUNIDADES ITEM PESO PONTUAÇÃO RANKING 09 3 3 2 07 2+1+1 4 1 08 1 1 - 04 3 3 3 03 2 2 - 10 2 2 5 01 3 3 4 AMEAÇAS ITEM PESO PONTUAÇÃO RANKING 03 3 3 2 10 2+2 4 1 12 1 1 - 01 2 2 5 02 3 3 3 11 1 1 - 09 1 1 - 08 3 3 4 .

a fim de identificar casos pontuais e específicos. . que utiliza diretamente os itens ambientais internos e externos. A matriz SWOT ainda pode ser combinada entre si cruzando as variáveis dos ambientes diretamente. Isso retorna resultados satisfatórios quanto a análise direta. Restrição. bem como possíveis linhas de ação. a importância da matriz SWOT no apoio à formulação de estratégias deriva da capacidade de promover um confronto entre as variáveis externas e internas. que em português diz-se matriz PFOA.   7. 2007). Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). Weaknesses (Pontos Fracos). QUADRO SWOT O termo SWOT é oriundo do idioma inglês. Defesa e Problema (Daychouw. Segundo Daychouw (2007). facilitando a geração de alternativas de escolhas estratégicas. apontando quando há situações de Alavanca. sendo um anagrama das palavras Strenghts (Pontos Fortes). É uma ferramenta de análise estratégica.

AMBIENTE desconto. Novo conceito de venda pela 3. AMBIENTE internet. volume comprado e maior 1. 10. Concorrência. Parceria com concorrentes 8. União dos concorrentes. Carreto pago. Flexibilidade de preços. Impostos elevados. 10. 2. 5. 9. Avaria na entrega do produto INTERNO 9. Novas lojas em novos estados. Variedade de produtos. 14. Vendas pela internet. Terceirização (perda de fornecedores. Parceria com fornecedores. pontos estratégicos. E-commerce (venda pela internet). A mais popular rede de 8. devido ao enorme identidade). por terceiros. OPORTUNIDADES AMEAÇAS 7. 1. móveis e eletrodomésticos do Brasil. Expansão Aparecimento produtos econômica e de novos mercados das diversificados. classes. . Quantidade de filiais em 3. Poder de barganha com seus 4.   MATRIZ Favorável SWOT Desfavorável PONTOS FRACOS PONTOS FORTES 15. Publicidade e Marketing. 5. EXTERNO 4. 1. 2.

Contudo. Isto poderia efetivamente reduzir o market share regional. QUESTÕES ESTRATÉGICAS Como uma estratégia para garantir sua posição no mercado. com a maior inserção na mídia em massa.   8. novas tecnologias e ofertas de produtos diferenciados como destaque. necessitando assim. que possuem legislação específica. Outra situação seria a abertura de filiais em novos Estados. a CASAS BAHIA continuamente busca desenvolver juntamente com seus parceiros. Com isso. que necessitam uma maior cautela estratégica. há áreas que tornam-se problematizadas e conflitantes. por exemplo. uma vez que esta responsabilidade não está na alçada de controle da organização. a empresa fica mais vulnerável às falhas nos anúncios. possibilitando rejeição à marca naquele nicho de mercado. a empresa seria inserida em ambientes e culturas econômicas divergentes do planejado. acompanhando seu networking com mais frequência e as mudanças no competitivo mercado. de um novo planejamento específico e estritamente focado no local. .

. Suas escolhas de princípios e missão. onde podese perceber que a Casas Bahia é uma organização estruturada e que estrategicamente encontra-se bem posicionada. foi constatado que existem fatores pontuais que atrapalham a evolução de qualidade.   9. conclui-se que a empresa enfatizada traduz claramente seu planejamento estratégico através de suas medidas adotadas perante o mercado. Assim. A pesquisa foi embasada em temas sobre a estratégia de marketing. Sendo assim. visão e princípios. cumprindo ações corretivas que remetem ao planejamento inicial. a empresa cria e reformula seu modelo estratégico. a qual utiliza-se de ferramentas essenciais ao avanço no mercado. Todavia. CONCLUSÃO Visando identificar os principais indicadores que afetam o desempenho do marketing na organização e após a análise agrupada aos conceitos abordados. foi possível obter uma nova percepção sobre o tema em questão. colaboram para o alcance efetivo de sua visão estabelecida. pautada e já prevista em sua missão.

Planejamento Estratégico Participativo. Denis Alcides. Disponível em < http://pt. E-papers.br/Perfil_Artes/_Clippinglogo. Planejamento Estratégico para Organizações Privadas e Públicas.html>. Josimar Ribeiro. REZENDE.   REFERÊNCIAS CAVALCANTE.wikipedia.perfilartes. Brasport. MATOS. 2007. Merhi.com. Rosa Maria B. 2008. Acesso em 18/11/13. Análise do ambiente corporativo: Do caos organizado ao planejamento estratégico das organizações. Francisco Antonio. 2008. Senac. José Gilvomar R. . 2007. 40 Ferramentas e Técnicas de Gerenciamento. Acesso em 18/11/13. ALMEIDA. Disponível em <http://www. Brasport.org/wiki/Via_Varejo>. DAYCHOUW.