PERTURBAÇÃO NO EQUILÍBRIO DOS ECOSSISTEMAS.

Autores: Maria Inês Nº15 Maria João Nº16 Ricardo Vilares Nº19 Turma 8ºD

Maia, 28/02/2008

Índice:

..........................................................................................................................................2 Introdução:.........................................................................................................................3 Perturbação no equilíbrio dos ecossistemas:.....................................................................4 Produtos:........................................................................................................................4 Aquecimento global:......................................................................................................4 A poluição e as chuvas ácidas:......................................................................................5 Poluição:............................................................................................................................7 Poluição do solo:...........................................................................................................7 Poluição da agua:...........................................................................................................7 Poluição da atmosfera:...................................................................................................7 Catástrofes naturais:......................................................................................................9 Catástrofes artificiais:....................................................................................................9 Conclusão:.......................................................................................................................10 Bibliografia:.....................................................................................................................11

Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares

Página 2 de 11

Introdução:
Realizamos este trabalho porque tínhamos interesse em aprofundar este tema. Consiste na exploração de uma unidade de ensino do 8ºano. Foi realizado a partir de uma pesquisa frutífera, que resumida e aperfeiçoada por nós se tornou esclarecedora. Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Ciências Naturais. Esperamos que gostem…

Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares

Página 3 de 11

Perturbação no equilíbrio dos ecossistemas:

Produtos:
Mesmo produtos relativamente benignos da actividade humana podem ser considerados poluentes, se eles precipitarem efeitos negativos posteriormente. Os óxidos de nitrogénio (Óxidos de azoto) produzidos pela indústria, por exemplo, são frequentemente citados como poluidores, embora a própria substância não seja prejudicial. Na verdade, é a energia solar (luz do Sol) que converte esses compostos em substâncias poluentes. Muitas vezes, depende-se do contexto para classificar um fenómeno como poluição ou não. Surtos descontrolados de algas e a resultante asfixia de lagos e baías são considerados poluição quando são alimentados por nutrientes vindos de dejectos industriais, agrícolas ou residenciais.

Aquecimento global:
Devido à poluição atmosférica e seus efeitos, muitos cientistas apontam que o aquecimento global do planeta a médio e longo prazo pode ter carácter irreversível e, por isso, desde já devem ser adoptadas medidas para diminuir as emissões dos gases que provocam esse aquecimento. Outros cientistas, no entanto, admitem o aumento do teor do gás carbónico na atmosfera, mas lembram que grande parte desse gás tem origem na concentração de vapor de água, o que depende das actividades humanas. Essa controvérsia acaba adiando a tomada de decisão para a adopção de uma política que diminua os efeitos do aumento da Fig.1 – Aquecimento Global temperatura média da Terra. O carbono presente na atmosfera garante uma das condições básicas para a existência de vida no planeta: a temperatura. A Terra é aquecida pelas radiações infravermelhas emitidas pelo Sol até uma temperatura de -27oC. Essas radiações chegam à superfície e são reflectidas para o espaço. O carbono forma uma redoma protectora que aprisiona parte dessas radiações infravermelhas e as reflecte novamente para a superfície. Isso produz um aumento de 43oC na temperatura média do planeta, mantendo-a em torno dos 16oC. Sem o carbono na atmosfera a superfície seria coberta de gelo. O excesso de Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares Página 4 de 11

carbono, no entanto, tenderia a aprisionar mais radiações infravermelhas, produzindo o chamado efeito estufa: a elevação da temperatura média a ponto de reduzir ou até acabar com as camadas de gelo que cobrem os pólos. Os cientistas ainda não estão de acordo se o efeito estufa já está ocorrendo, mas preocupam-se com o aumento do dióxido de carbono na atmosfera a um ritmo médio de 1% ao ano. A queima da cobertura vegetal nos países subdesenvolvidos é responsável por 25% desse aumento. A maior fonte, no entanto, é a queima de combustíveis fósseis, como o petróleo, principalmente nos países desenvolvidos.

A poluição e as chuvas ácidas:
As chuvas ácidas são precipitações na forma de água e neblina que contêm ácido nítrico e sulfúrico. Elas decorrem da queima de enormes quantidades de combustíveis fósseis, como petróleo e carvão, utilizados para a produção de energia nas refinarias e oficinas termoeléctricas, e também pelos veículos. O dióxido de carbono reage reversivelmente com a água para formar um ácido fraco o ácido carbónico. No equilíbrio o pH desta solução é 5,6, assim a água é naturalmente ácida pelo dióxido de carbono. Qualquer chuva com pH abaixo de 5,6 é considerada excessivamente ácida. Dióxido de nitrogénio NO2 e dióxido de enxofre SO2 podem reagir com substâncias da atmosfera produzindo ácidos, estes gases podem se dissolver em gotas de chuva e em partículas de aerossóis e em condições favoráveis precipitaremse em chuva ou neve. Dióxido de nitrogénio pode se transformar em ácido nítrico e em ácido nitroso e dióxido de enxofre pode se transformar em ácido sulfúrico e ácido sulfuroso. Amostras de gelo da Gronelândia datadas de 1900 mostram a presença de sulfatos e nitratos, o que indica que já em 1900 tínhamos a chuva ácida. O pior de tudo é que a chuva ácida pode se formar em locais distantes da produção de óxidos de enxofre e nitrogénio A chuva ácida é um grande problema da actualidade porque anualmente grandes quantidades de óxidos ácidos são formados pela actividade humana e colocados na atmosfera. Quando uma precipitação (chuva) ácida cai em um local que não pode tolerar a acidez anormal, sérios problemas ambientais podem ocorrer. A extensão dos problemas da chuva ácida pode ser visto pelos lagos sem peixes, árvores mortas, construções e obras de arte feitas a partir de rochas destruídas irreversivelmente A chuva ácida pode causar perturbações nos estomas das folhas das árvores causando um aumento de transpiração e deixando a árvore deficiente em água, a chuva ácida pode acidificar o solo, danificar raízes aéreas e assim diminuir a quantidade de nutrientes transportada, a chuva ácida pode carregar minerais importantes Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares Página 5 de 11

do solo, como fazer o solo guardar minerais de efeito tóxico, como íons de metais. A chuva ácida é composta por diversos ácidos como, por exemplo, o óxido de nitrogénio e os dióxidos de enxofre, que são resultantes da queima de combustíveis fósseis (carvão, óleo diesel, gasolina entre outros). Quando caem em forma de chuva ou neve, estes ácidos provocam danos no solo, plantas, construções históricas, animais marinhos e terrestres etc. Este tipo de chuva pode até mesmo provocar o descontrole de ecossistemas, ao exterminar determinados tipos de animais e vegetais. Poluindo rios e fontes de água, a chuva pode também prejudicar directamente a saúde do ser humano, causando doenças pulmonares, por exemplo. Este problema tem se acentuado nos países industrializados, principalmente nos que estão em desenvolvimento como, por exemplo, Brasil, Rússia, China, México e Índia. O sector industrial destes países tem crescido muito, porém de forma desregulada, agredindo o meio ambiente. Nas décadas de 1970 e 1980, na cidade de Cubatão, litoral de São Paulo, a chuva ácida provocou muitos danos ao meio ambiente e ao ser humano. Os ácidos poluentes jogados no ar pelas indústrias, estavam gerando muitos problemas de saúde na população da cidade. Foram relatados casos de crianças que nasciam sem cérebro ou com outros defeitos físicos. A chuva ácida também provocou derrubamentos significativos na Mata Atlântica da Serra do Mar.

Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares

Página 6 de 11

Poluição:
Poluição do solo:
A poluição do solo consiste numa das formas de poluição, que afecta particularmente a camada superficial da crosta terrestre, causando malefícios directos ou indirectos à vida humana, à natureza e ao meio ambiente em geral. Consiste na presença indevida, no solo, de elementos químicos estranhos, de origem humana, que prejudiquem as formas de vida e seu desenvolvimento regular.

Fig.2 – poluição do solo

A poluição do solo pode ser de duas origens: urbana e agrícola.

Poluição da agua:
Existem dois tipos de definição para descrever uma Água Poluída. Do ponto de vista económico, a poluição da água é uma alteração da qualidade que afecta o bem-estar do consumidor e reduz os lucros do produtor, exigindo-se assim o estabelecimento de um nível óptimo de poluição. Em termos ambientais, a poluição da água é uma alteração do ambiente que afecta os ecossistemas e directa ou indirectamente, o Fig.3 – poluição da agua Homem. A classificação de água poluída depende do seu uso, e do equilíbrio que existe entre o meio aquático e a sua fauna e flora, assim sendo, uma água pode ser imprópria para consumo humano, mas estando em equilíbrio com o seu meio não poder ser classificada como poluída. Um exemplo é a água dos oceanos, que devido a sua composição mineral e iónica, não se encontra dentro dos padrões definidos para consumo humano, mas no entanto não pode ser considerada como poluída.

Poluição da atmosfera:
Resulta da emissão de gases poluentes ou de partículas sólidas na atmosfera. Pode provocar uma degradação dos ecossistemas devido ao lançamento de inúmeras substâncias (radioactivas, ácidas, recalcitrantes, Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares
Fig.4 – poluição da atmosfera

Página 7 de 11

etc.) e não respeita fronteiras, por isso pode se tratar de um problema local e transfronteiriço. Este tipo de poluição pode dar origem ao efeito estufa, às alterações climatéricas, à diminuição da qualidade do ar, a problemas de saúde nos seres vivos como diversas doenças respiratórias, diversos tipos de cancros, entre outros.

Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares

Página 8 de 11

Catástrofes naturais e artificiais:

Catástrofes naturais:
Catástrofe natural e qualquer acidente que ocorre sem intervenção directa do Homem e que coloque em perigo a existência da Vida. As catástrofes naturais, que afectam mais intensamente a vida humana, são as: actividades sísmicas e vulcânicas são manifestações da actividade interna da Terra que, em fracções de segundos, podem alterar profundamente os ecossistemas. As tempestades é uma violenta perturbação da atmosfera, que se manifesta por chuva intensa, acompanhada de vento e trovoada. Durante as tempestades, formam-se frequentemente tufões, tornados e furacões. As inundações é a acumulação de grandes em locais habitualmente secos, causam graves danos em pessoas e bens. As secas caracterizam-se por longos períodos de muito baixa ou inexistente pluviosidade. Os incêndios é uma ocorrência de fogo não controlado, que pode ser extremamente perigosa para os seres vivos e as estruturas. Fig.5 – Catástrofe Natural
(Furacão)

Catástrofes artificiais:
Catástrofes artificiais são causadas pelo Homem, agente perturbador nos ecossistemas, causa directamente com a sua actuação catástrofes como por exemplo: a guerra é a maior das catástrofes, já que gera todo o tipo de sofrimento e morte, uma das suas principais causas é o negócio do armamento. O terrorismo é um dramático problema das sociedades modernas, tem múltiplas causas e consequências, amplamente conhecidas e difundidas pela comunicação social. A poluição é a degradação do meio ambiente pela sociedade tecnológica e revela-se, neste momento, uma das principais causas de perturbação do equilíbrio dos ecossistemas.

Conclusão:

Gostamos imenso de realizar este trabalho porque foi muito gratificante em relação há aprendizagem sobre o que está na origem do desequilíbrio dos ecossistemas. Esperamos que tenha sido gratificante, também, para as pessoas que o leram. Chegamos à conclusão que o ambiente esta muito degradado e que não tomamos as devidas medidas para o proteger.

Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares

Página 10 de 11

Bibliografia:

Livros:
Antunes, Cristina e outros – Novo Descobrir, Areal, Porto, 2007.

Sites:
 http://blog.uncovering.org/obvious.html  http://pedacosemblog.blogspot.com/2006/05/perturbaes-noequilbrio-dos.html  http://pt.wikipedia.org/wiki/Polui%C3%A7%C3%A3o  http://pt.wikipedia.org/wiki/Polui%C3%A7%C3%A3o_h%C3%ADdrica  http://pt.wikipedia.org/wiki/Polui%C3%A7%C3%A3o_atmosf%C3%A 9rica  http://pt.wikipedia.org/wiki/Polui%C3%A7%C3%A3o_do_solo  http://www.abae.pt/jra/concurso04/JRA_2004/lvt054_2004/lvt05 4_2004_c/sem_nome4-6.jpg  http://www.eb1-torre-pinhao.rcts.pt/imagens/ar.jpg  http://www.eb1-torre-pinhao.rcts.pt/imagens/terra.jpg

Maria Inês, Maria João e Ricardo Vilares

Página 11 de 11