CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

1)Num processo de usinagem em um torno mecânico , um torneiro
precisa usinar um material com Diâmetro 100 mm e comprimento
800mm.Esse eixo deverá alcançar a dimensão de 80 mm de diâmetro
por 20 mm ,em cada extremidade ,sa!endo"se #ue a rotação
determinada $oi 200 %&', a pro$undidade de corte escol(ida $oi de
mm , o avanço 0,)mm .*ual o tempo de usinagem total e a seçcão
transversal do cavaco.
+, - . min 1, mm
2

+/- 8 min

), mm
2
+0- 10 min 1, mm
2
+D- min ),0 mm
2
+E- 1. min 1, mm
2
2)Na $a!ricação de uma peça , $oi escol(ido o processo de $resagem
para re!aixar uma $ace de um prisma , sa!endo"se #ue a má#uina
utili2ada tem um rendimento de 803 ,a $resa escol(ida para o
processo tem um diâmetro de 80 mm ,. dentes ,a pro$undidade de
corte mm avanço de 200 mm4min , 500 %&' .&ot6ncia consumida 5
0v . *ual a seccão do cavaco e pot6ncia do motor .
+,- 1412 mm
2
),2 07
+/- )412 mm
2
5 07
+0- 1412 mm
2
07
+D- 14. mm
2
07
+E - )412 mm
2
07
3 ) Numa $resadora ,utili2ando um divisor 1450 , com discos de 20 , 28
,)2 ,). ,5. .&recisamos usinar um sextavado , e uma engrenagem de
0 dentes . *uais os deslocamentos a $a2er respectivamente .
+,- . voltas 254)2 e 1.420
+/- voltas 2)45. e )04)2
+0- voltas 254). e 1.420
+D- 1 voltas 84)2 e 254)2
+E- . voltas 254). e 1.420
4 ) ,s $erramentas de usinagem podem ser multicortantes ou mono
cortantes , nesses processos 9 torneamento , ras#ueteamento ,reti:ca
,$resamento $uração e esmeril(amento.,s $erramentas são9
+,- multicortante , multicortante ,multicortante ,multicortante
,multicortante ,multicortante
+/- mono cortante , monocortante ,monocortante ,multicortante
,multicortante ,monocortante
+0- mono cortante , monocortante ,multicortante ,multicortante
,multicortante ,multicortante
+D- mono cortante , monocortante ,multicortante ,multicortante
,multicortante ,monocortante
+E- multicortante , monocortante ,multicortante ,multicortante
,multicortante ,multicortante
5)
;!serve o circuito pneumático acima.
;s componentes e o comportamento deste circuito t6m a seguinte
descrição9
+,- atuador de simples ação com velocidade de recuo regulável e
recuo a partir do acionamento manual.
+/- atuador de simples ação com velocidade de recuo regulável e
avanço a partir do acionamento manual.
+0- atuador de dupla ação com velocidade de recuo regulável e recuo
a partir do acionamento manual.
+D- atuador de dupla ação com velocidade de avanço regulável e
avanço a partir do acionamento manual.
+E- atuador de dupla ação com velocidade de avanço regulável e
recuo a partir do acionamento manual.
6)
, válvula de controle empregada nesse sistema < do tipo
+,- 5 vias 2 posiç=es, acionada por solen>ide
+/- 5 vias 2 posiç=es, acionada manualmente
+0- 5 vias ) posiç=es, acionada por solen>ide
+D- 2 vias 5 posiç=es, acionada manualmente
+E- 2 vias 5 posiç=es, acionada por solen>ide
7) ,s !om!as de deslocamento positivo são de9
+,- pal(eta, engrenagens, l>!ulos e rotor $ec(ado.
+/- l>!ulos, rotor $ec(ado, pistão e pal(eta.
+0- rotor $ec(ado, pistão, pal(eta e engrenagens.
+D- pistão, pal(eta, engrenagens e l>!ulos.
+E- engrenagens, l>!ulos, rotor $ec(ado e pistão.
8) 0onsidere uma !om!a de engrenagens,composta por
engrenagens de 21 dentes com 0 mm de largura e seção
do vão entre os dentes de )2 mm?, tra!al(ando a uma rotação
de )00 %&'. , va2ão do @uido incompressAvel,em ml4s, < igual a9
+,-155
+/-288
+0-5)2
+D- 1.
+E-120
9 ) ;s motores de corrente contAnua tem uma grande desvantagem
em relação o de corrente alternada, o custo da manutenção < muito
elevado. ;s motores de corrente alternada para reverter a sua
rotação deve"se9
+,- inverter a alimentação do capacitor de partida.
+/- Bigar a $ase % no terminal . do capacitor e a $ase C no .
+0- Dnverter a #ual#uer $ase pelo Neutro.
+D- Dnverter duas das $ases.
+E- Dnverter a $ase % pelo Neutro.
10 ) ,s unidades !ásicas do Cistema Dnternacional correspondentes
Es grande2as tensão, %esist6ncia e corrente são, respectivamente,
+,- 7olts, ,mper e #uilograma.
+/- 7olts, ;(ms e &ot6ncia.
+0- 7olts, ;(ms e ,mper.
+D- ,mper, ;(ms, &ot6ncia.
+E- ;(ms, 7olts, ,mper.
De acordo com o circuito a!aixo responda as #uest=es a seguir9
11 ) Ca!endo #ue a %esistencia e#uivalente do circuito < de 20 o(ms,
determine o valor da resist6ncia %1.
+,-)0 o(ms
+/-.0 o(ms
+0-20 o(ms
+D- 10 o(ms
+E-50 o(ms
12 ) ; valor da corrente el<trica #ue circula pelo resistor %1, sa!endo
#ue a tensão da $onte < de 120 7olts.
+,-.,
+/-),
+0-5,
+D- 1,
+E-2,
1) - ; valor da soma das correntes dos %esistores %2, %), %5.
+,-.,
+/-),
+0-5,
+D- 1,
+E-2,
No desen(o a!aixo9
14 ) Em #ue diedro está representadoF
+ , - 1G DDED%; +/ - 2G DDED%; + 0 - )G DDED%;
+D - 5G DDED%;
15 ) Dndi#ue #ual < a representação da perspectiva isométrica
#ue representa a peça da :gura anterior +#uestão15-9
+ , - + / -
+ 0 -
16 ) ;!serve o desen(o a!aixo
Este sAm!olo < utili2ado para indicar desen(os t<cnicos com
m<todo de proHeção tipo
+,-&lanom<trica
+/-Iopográ:ca
+0-;rtográ:ca no 1G diedro
+D- ,xonom<trica
+E-;rtográ:ca no )G diedro
17 ) 0onsiderando somente as escalas adotadas em desen(o
t<cnico previstas na N/% 818. de 1888, analise as a:rmativas a
seguir
D J ,dotando a escala 192, uma dimensão real de 100 mm será
representada no desen(o com um taman(o de 0 mm.
DD J ,dotando a escala 19), uma dimensão real de )00 mm será
representada no desen(o com um taman(o de 100 mm.
DDD J ,dotando a escala 91 , uma dimensão real de 10 mm será
representada no desen(o com um taman(o de 0 mm.
Está correto APENAS o #ue se a:rma em
+ , - D
+ / - DD
+ 0 - DDD
+ D - D e DDD
+ E - DD e DDD
18 ) Km operador rece!eu um desen(o para $a2er um $uro em
uma peça de L20 J M1, cuHo a$astamento in$erior N 0 e
a$astamento superiorN O 21. ,p>s $urar a peça um inspetor
veri:cou a dimensão do $uro e encontrou a seguinte medida L
20,01 mm . Essa peça será9
+ , - não"con$orme e sucateadaP
+ / - não"con$orme e retra!al(adaP
+ 0 - aprovada
+ D - redimensionada e retra!al(ada
+ E - exonerada
19 )
, medida indicada no pa#uAmetro em milAmetros com resolução
de 0,0 mm, acima <9
+ , - .0,10
+ / - )2,10
+ 0 - )),10
+ D - )2,.0
+ E - )),.0
20 )
, medida indicada no instrumento ilustrado na :gura acima <9
+ , - .0° ( B ) 100 mm ( C ) 100° ( D ) 100 polegadas ( E ) 80 mm
21)
; micrQmetro para mediç=es entre 0"2mm $oi utili2ado para
medição de R'S ,
con$orme ilustrado na :gura acima .Ca!endo"se #ue esse
micrQmetro tem
+ , - 10,00 mm + / - 8,)0 mm + 0 - 11,)0 mm + D - 10,)0
mm + E - 10,28mm
22) *ual instrumento de medição será necessário para medir
uma peça de comprimento de 28,2 mmF
+ , - ToniQmetro
+ / - pa#uAmetro de resolução de 0,1 mm
+ 0 - &a#uAmetro de resolução de 0,02 mm
+ D - 'icrQmetro 0"2 mm de resolução de 0,001 mm
+ E - 'icrQmetro 2"0 mm de resolução de 0,001 mm
23) ; instrumento da :gura a!aixo indicado < 9
+ , - cali!re passa Jnão passa
+ / - rel>gio comparador digital
+ 0 - inmicro
+ D - rel>gio comparador anal>gico
+ E - micrQmetro
24) , :gura a!aixo < um instrumento de medição denominado 9
+ , - micrQmetro + / - pa#uAmetro para medição de dentes de
engrenagem
+ 0 - pa#uAmetro de altura + D - inmicro + E - /loco padrão
25) Cão !asicamente válvulas de regulagem, mas tam!<m
podem tra!al(ar como válvulas de !lo#ueio e seu $ec(amento <
$eito pela rotação de um disco, em torno de um eixo
perpendicular E direção de escoamento do @uido. ; texto acima
as válvulas do tipo9
+ , - Taveta.
+ / - /or!oleta.
+ 0 - Tlo!o
+ D - ,gul(a
+ E - Dia$ragma
26) ;s tu!os de aço car!ono são designados por um nUmero
c(amado de diâmetro nominal ou !itola nominal.
+ , - ou diâmetro interno para tu!os de at< 12 polegadas.
+ / - ou diâmetro externo para tu!os de at< 12 polegadas.
+ 0 - ou diâmetro interno para tu!os acima de 12 polegadas.
+ D - ou ao somat>rio do diâmetro interno com a espessura de
parede.
+ E - não corresponde a nen(uma dimensão $Asica do tu!o.
27) , nomenclatura CMEDKBE, corresponde9
+ , - ao tipo de material da tu!ulação.
+ / - a espessura de parede da tu!ulação.
+ 0 - ao tipo de @uido a ser condu2ido pelo tu!o.
+ D - tipo de aca!amento ou revestimento.
+ E - processo de $a!ricação.
28),s roscas N&Is, National &ipe I(read Iaper, tem por
caracterAstica9
+ , - roscas $6meas paralelas e mac(o cQnicas.
+ / - roscas $6meas paralelas e mac(o paralelas.
+ 0 - roscas $6meas cQnicas e mac(o cQnicas.
+ D - roscas $6meas cQnicas e mac(o paralelas.
+ E - Nen(uma das respostas anteriores.
29) Ddenti:#ue as válvulas respectivamente9

+ , - 7álvula de controle auto operadaP válvula de controle com
sinal el<tricoP válvula es$eraP válvula agul(a e válvula !or!oleta.
+ / -%egulador de pressãoP válvula de controle auto operadaP
válvula agul(aP válvula de restrição e válvula !or!oleta.
+ 0 - 7álvula es$eraP 7álvula de controle com sinal el<tricoP
válvula es$eraP válvula agul(a, válvula mac(o e válvula de controle
auto operada.
+ D - 7álvula de controle auto operadaP regulador de pressãoP
válvula gavetaP válvula glo!o e válvula es$era.
+ E - %egulador de pressãoP válvula de controle auto operadaP
válvula gavetaP válvula glo!o e válvula mac(o.
30) Ddenti:#ue as válvulas em $unção da ação de segurança e
controle respectivamente9

+ , - ,ção de controleP controleP controleP controle e controle.
+ / - ,ção de segurançaP controleP controleP controle e
segurança.
+ 0 - ,ção de segurançaP segurançaP controleP controle e
segurança.
+ D - ,ção de segurançaP controleP controleP controle e controle.
+ E - ,ção de controleP controleP segurançaP controle e
segurança.
31) , vantagem de tra!al(ar com desen(os de 0,D está na
$acilidade de acesso a sua !i!lioteca de peças. Essa !i!lioteca pode e
deve tam!<m ser ampliada pelo usuário, #ue aproveita, #uando <
necessário, repetir a mesma peça seguidas ve2es. *ual o nome
empregado para identi:car tais ar#uivos.
+,-,r#uivos DTEC +Dnitial Tra:c Exc(ange Cpeci:cation-P
+/-,r#uivos tipo 0lip",rt +'icroso$t Co$tVares-P
+0-DWX +Data Exc(ange Xormat-P
+D-,r#uivos em /locos +/locYs Xiles-P
+E-,r#uivos DZT +DraVing Xiles-.
32) ,s telas in$ormativas a!aixo servem para auxiliar a!ertura
de um novo ar#uivo no programa ,uto0,D. 0laro #ue todo
usuário iniciante do programa conta com algumas dessas telas
de a!ertura. ,s duas :guras são de uma s> dessas telas #ue <
considerada a mais simples de todas. Ddenti:#ue #ual elas
representam.
+,- Ctart upP
+/- Ctart $rom Ccratc(P
+0- Kse a IemplateP
+D- ,dvanced CetupP
+E- *uicY Cetup.
33) ;!serve a :gura a!aixo9
, lin(a #ue está sendo construAda < uma lin(a traceHada, de
comprimento 0, por<m #ual sistema de coordenadas $oi utili2ado
para tal ação.
+,-Cistema de coordenadas cartesianas angularesP
+/-Cistemas de coordenadas relativasP
+0-Cistema de coordenada polarP
+D-Cistema de coordenadas incrementaisP
+E-Cistema de coordenadas cartesianas a!solutas.
34) No ,uto0,D tra!al(amos tam!<m com os tipos de escalas
de:nidos pela norma !rasileira +,/NI-. Cão elas9 Escala Natural,
Escala de %edução e Escala de ,mpliação. &or<m para a área de
Desen(o I<cnico temos como re$er6ncia de unidade padrão o mm.
Iendo como !ase o mm < costume a:rmar #ue a escala utili2ada no
,uto0,D < a9
,- Escala 191
/- Escala 1910
0- Escala 19100
D- Escala 191000
E- Escala 191.000.000
35) Em relação aos desen(os no ,uto0,D considere a ta!ela a!aixo9
0omandos ;!Hetivos
1 " T%DD , " Dnverter entidades grá:cas
2 " ZD&E;KI / " ,lterar comprimento de entidades grá:cas
) " BENTIME' 0 " 7isuali2ar grel(a auxiliar
5 " 'D%%;% D " [untar entidades lineares
" [;DN E J 0riar máscaras de ocultação de áreas do
desen(o
;s comandos e os o!Hetivos estão relacionados corretamente em9
,- /, ,, D, , e 0P
/- 0, ,, /, D e EP
0- /, ,, 0, E e DP
D- 0, E, /, , e DP
E- E, D, ,, 0 e /.