Número 170

Sessões: 24 e 25 de setembro de 2013
Este Informativo, elaborado a partir das deliberações tomadas pelo Tribunal nas sessões de julgamento das
Câmaras e do Plenário, contém resumos de algumas decisões proferidas nas datas acima indicadas, relativas
a licitações e contratos, e tem por finalidade facilitar o acompanamento, pelo leitor, dos aspectos relevantes
!ue envolvem o tema" # seleç$o das decisões !ue constam do Informativo é feita pela %ecretaria das %essões,
levando em consideraç$o ao menos um dos seguintes fatores& ineditismo da deliberaç$o, discuss$o no
colegiado ou reiteraç$o de entendimento importante" 's resumos apresentados no Informativo n$o s$o
reposit(rios oficiais de jurisprud)ncia" Para aprofundamento, o leitor pode acessar o inteiro teor da
deliberaç$o, bastando clicar no n*mero do #c(rd$o +ou pressione a tecla CT,- e, simultaneamente, cli!ue
no n*mero do #c(rd$o."
SUMÁRIO
Plenáro
/" 0 poss1vel a adoç$o do registro de preços nas licitações de obras, sob o regime do ,2C, em !ue seja
demonstrada a viabilidade de se estabelecer a padroni3aç$o do objeto e das propostas, de modo !ue se
permitam a obtenç$o da melor proposta e contratações ade!uadas e vantajosas 4s necessidades dos
interessados"
5" 6as licitações para registro de preços direcionadas apenas para aderentes, é obrigat(rio aos vencedores do
certame contratar a integralidade dos !uantitativos registrados na ata, conforme o mens legis estabelecido no
art" 78 c9c o art" 77 do 2ecreto :";</9//"
=" 0 indevida a inabilitaç$o de licitante em ra3$o da apresentaç$o de atestado de capacidade técnica com data
posterior 4 da abertura do certame, uma ve3 !ue tal documento tem nature3a declarat(ria > e n$o constitutiva
? de uma condiç$o pree@istente"
A" Em sede de preg$o eletrBnico ou presencial, o ju13o de admissibilidade das intenções de recurso deve
avaliar t$o>somente a presença dos pressupostos recursais +sucumb)ncia, tempestividade, legitimidade,
interesse e motivaç$o., constituindo afronta 4 jurisprud)ncia do TCC a denegaç$o fundada em e@ame prévio
do mérito do pedido"
;" # licitaç$o para a!uisiç$o de cartucos de toner, por se tratar de bem de informática, está sujeita 4
disciplina da -ei <"5A<97/ e dos 2ecretos ;"7D89D8 e :"/:A9/D, inclusive no tocante ao direito de prefer)ncia
aos bens e serviços produ3idos com tecnologia desenvolvida no Pa1s e9ou de acordo com processo produtivo
básico"
8" # ta@a de E2I deve ser formada pelos componentes& administraç$o central, riscos, seguros, garantias,
despesas financeiras, remuneraç$o do particular e tributos incidentes sobre a receita auferida pela e@ecuç$o
da obra" Custos diretamente relacionados com o objeto da obra, pass1veis de identificaç$o, !uantificaç$o e
mensuraç$o na planila de custos diretos +administraç$o local, canteiro de obras, mobili3aç$o e
desmobili3aç$o, dentre outros., n$o devem integrar a ta@a de E2I"
P!"NÁRIO
1# $ %oss&'el ( (do)*o do re+stro de %re)os n(s l,t()ões de obr(s- sob o re+me do R./- em 01e se2(
demonstr(d( ( '(bld(de de se est(bele,er ( %(dron3()*o do ob2eto e d(s %ro%ost(s- de modo 01e se
%ermt(m ( obten)*o d( mel4or %ro%ost( e ,ontr(t()ões (de01(d(s e '(nt(2os(s 5s ne,essd(des dos
nteress(dos#
,epresentaç$o formulada por e!uipe de fiscali3aç$o do Tribunal acerca de poss1veis irregularidades em
editais de registro de preços lançados pelo F62E apontara Gilegalidade da aplicação do Sistema de Registro
de Preços (SRP) para obrasH" #s licitações em !uest$o, reali3adas mediante ,egime 2iferenciado de
Contrataç$o +,2C., tiveram por objeto a Geventual construção de escolas-padrãoH no âmbito do Programa
Proinfância, obedecendo 4s tipologias dos Projetos>Padr$o definidos pelo F62E" #p(s a oitiva do (rg$o, o
relator destacou !ue o 2ecreto :";</9//, !ue regulamenta o ,2C, bem como o 2ecreto :"<759/=, !ue
regulamenta o %,P, n$o contemplavam previs$o para a utili3aç$o do instituto do registro de preços para
obras" Ponderou, contudo, diante da situaç$o fática evidenciada nos autos, !ue a anulaç$o do certame n$o
seria cab1vel em ra3$o dos preju13os sociais decorrentes da paralisaç$o do programa, destacando !ue a
Gvisão teleológica da leiH e a publicaç$o posterior do 2ecreto <"D<D9/= +!ue alterou o 2ecreto :";</9//. s$o
decisivos na análise da !uest$o" %obre o mencionado decreto, ressaltou !ue, ao autori3ar, de forma literal, a
utili3aç$o do %,P para obras, n$o teria e@trapolado a -ei /5"A859// +,2C." E@plicou !ue em um %,P os
objetos devem ser padroni3áveis, sob pena de n$o oferecer uma contrataç$o vantajosa, e como as obras, em
geral, n$o s$o padroni3áveis, a -ei n$o dispBs sobre elas de forma direta" 6o caso concreto, contudo, Ga
modelagem da licitação foi engenhosamente concebidaH de forma a possibilitar a padroni3aç$o de propostas
e a precificaç$o justa das edificações, destacando, além da bai@a comple@idade técnica e porte das obras, a
regionali3aç$o dos lotes e a utili3aç$o da contrataç$o integrada como fatores determinantes para a
padroni3aç$o da obra" Concluiu, por fim, !ue Go mens legis do dispositivo questionado foi plenamente
atendido. licitação em escopo teve o poder de escolher a melhor proposta ...H" ,essalvou, por fim, os
riscos de se licitar, generali3adamente, obras por registro de preço, motivo pelo !ual propBs o
acompanamento do programa, desde a construç$o até o p(s>obra" ' Tribunal endossou a proposta do relator
!uanto a essa !uest$o, julgando a ,epresentaç$o parcialmente procedente" Acórdão 2600/2013-Plenário, TC
019.318/2013-8, relator Ministro al!ir Ca!"elo, 2#.9.2013.
2# N(s l,t()ões %(r( re+stro de %re)os dre,on(d(s (%en(s %(r( (derentes- 6 obr+(t7ro (os
'en,edores do ,ert(me ,ontr(t(r ( nte+r(ld(de dos 01(ntt(t'os re+str(dos n( (t(- ,on8orme o
!ens le$is est(bele,do no (rt# 9: ,;, o (rt# 99 do .e,reto 7#5<1;11#
#inda na ,epresentaç$o relativa aos editais de registro de preços lançados pelo F62E no âmbito do
Programa Proinfância, o relator !uestionou cláusula !ue permitira aos fornecedores beneficiários da ata
!optar pela aceitação ou não do fornecimento aos interessados que ainda irão aderir " ta de Registro de
Preços# independentemente dos quantitativos registrados ...$" ' relator registrou !ue a cláusula
fundamentou>se no 2ecreto :";</9//, !ue regulamenta o ,2C, o !ual prescreve !ue os fornecedores !não
serão obrigados a contratar com órgãos aderentes IcaronasJH, impondo fornecimento obrigat(rio apenas aos
participantes" E@plicou !ue, em um processo convencional, as !uantidades edital1cias s$o o somat(rio das
necessidades do gerenciador e dos diversos participantes, sendo esse !uantitativo de fornecimento
obrigat(rio" 6o caso peculiar da licitaç$o em !uest$o, em ra3$o de ela ser concebida unicamente para a
ades$o dos munic1pios, ine@istem necessidades do gerenciador, nem mesmo participantes" #ssim, as
!uantidades s$o estimadas em funç$o apenas das necessidades dos aderentes" Como conse!u)ncia, Go
fornecedor# considerando que e%istem apenas &aderentes'# pode tender a contratar apenas a &boa fatia' da
licitação. Para aqueles lotes mais onerosos# pode decidir não contratar(# o !ue afastaria o alcance da (boa
proposta(" 6esse sentido, concluiu o relator, Kpara assegurar o ob)etivo dessa licitação * que# afinal# + o
que guarda o art. ,, do -ecreto ../0123411# ao obrigar o fornecimento para o gerenciador e participantes *
o fornecimento não pode ser optativo# para a vencedora. 5em de ser obrigatório... 5al condição tem de estar
estampada nos instrumentos convocatórios nesse modelo# como condição para garantia da melhor
propostaK" ' Tribunal, em caráter e@cepcional, anuiu 4 continuidade da licitaç$o, sem preju13o de notificar o
F62E, dentre outras, da fala relativa 4 Kopção conferida " vencedora do certame de não contratar a
integralidade dos quantitativos licitados na ta de Registro de Preços# em desconformidade com o mens
legis estabelecido no art. ,6 c2c art. ,, do -ecreto ../0123411K" Acórdão 2600/2013-Plenário, TC
019.318/2013-8, relator Ministro al!ir Ca!"elo, 2#.9.2013.
3# $ nde'd( ( n(blt()*o de l,t(nte em r(3*o d( (%resent()*o de (test(do de ,(%(,d(de t6,n,(
,om d(t( %osteror 5 d( (bert1r( do ,ert(me- 1m( 'e3 01e t(l do,1mento tem n(t1re3( de,l(r(t7r( =
e n*o ,onstt1t'( > de 1m( ,ond)*o %ree?stente#
,epresentaç$o relativa a preg$o eletrBnico condu3ido pela Faculdade de Farmácia da Cniversidade Federal
do ,io de Laneiro +CF,L., tendo por objeto a constituiç$o de registro de preços para a!uisiç$o de
e!uipamentos laboratoriais, apontara, dentre outras irregularidades, poss1vel inabilitaç$o indevida de licitante
em ra3$o do Gnão envio de cat7logo (folder) com as caracter8sticas do produto cotado# bem como em ra9ão
da apresentação de atestado de capacidade t+cnica com data posterior " da licitaçãoH" #o analisar as
justificativas do (rg$o, o relator considerou confirmada a irregularidade !uanto 4 inabilitaç$o pela n$o
apresentaç$o do catálogo, uma ve3 !ue a pr(pria CF,L reconeceu o envio do documento pela licitante"
Contudo, o (rg$o defendeu !ue permanecia como motivo determinante para a inabilitaç$o a apresentaç$o do
!certificado de capacidade t+cnica com data posterior ao dia da abertura do certameH" Em relaç$o a este
5
ponto, o relator registrou !ue Go atestado de capacidade t+cnica tem nature9a declaratória -e não
constitutiva * de uma condição pree%istente. : di9er que a data do atestado não possuiu qualquer
interfer;ncia na certificação propriamente dita# não sendo ra9o7vel sua recusa pelo simples fato de ter sido
datado em momento posterior " data da abertura do certame. < que importa# em =ltima inst>ncia# + a
entrega tempestiva da documentação e%igida pelo edital# o que# de acordo com o informado# ocorreuH" 6esse
sentido, considerando !ue Gnão subsistem as apontadas irregularidades que formalmente fundamentaram a
inabilitação da representanteH, propBs a adoç$o de medidas destinadas 4 anulaç$o do ato de inabilitaç$o e de
todos os outros dele decorrentes, em ra3$o de v1cio insanável no motivo determinante do ato, ficando a CF,L
autori3ada, caso aja interesse, a dar continuidade ao procedimento licitat(rio a partir da etapa de
abilitaç$o" ' Tribunal julgou procedente a ,epresentaç$o, e@pedindo a determinaç$o proposta pelo relator"
Acórdão 262%/2013-Plenário, TC 018.899/2013-%, relator Ministro al!ir Ca!"elo, 2#.9.2013.
4# "m sede de %re+*o eletr@n,o o1 %resen,(l- o 21&3o de (dmssbld(de d(s nten)ões de re,1rso de'e
('(l(r t*o=somente ( %resen)( dos %ress1%ostos re,1rs(s As1,1mbBn,(- tem%est'd(de- le+tmd(de-
nteresse e mot'()*oC- ,onstt1ndo (8ront( 5 21rs%r1dBn,( do D/U ( dene+()*o 81nd(d( em e?(me
%r6'o do m6rto do %eddo#
#inda no âmbito da ,epresentaç$o relativa ao preg$o eletrBnico condu3ido pela Faculdade de Farmácia da
Cniversidade Federal do ,io de Laneiro, a representante levantara !uestionamento acerca da rejeiç$o, pela
CF,L, da intenç$o de recurso manifestada ap(s a sua inabilitaç$o" 6o caso concreto, o (rg$o justificara a
denegaç$o sob a alegaç$o de !ue Go eventual deferimento do pleito poderia abrir precedente inaceit7vel *
qual se)a# a permissão para que participantes sem condiç?es venham a regulari9ar sua situação apenas
quando vencerem (...)H" Em ju13o de mérito, o relator considerou indevida a rejeiç$o da intenç$o de recurso
manifestada pela reclamante, destacando, com base na jurisprud)ncia do TCC, !ue Gnas sess?es p=blicas
(pregão eletr@nico ou presencial)# ao reali9ar o )u89o de admissibilidade das intenç?es de recurso a que se
refere o art. AB# inciso CDEEE# da Fei nB 14./3423443# o art. 11# inciso CDEE# do -ecreto G.///23444 e o art.
36# caput# do -ecreto nB /.A/42344/# o pregoeiro deve verificar apenas a presença dos pressupostos
recursais# ou se)a# a sucumb;ncia# a tempestividade# a legitimidade# o interesse e a motivação# abstendo-se
de analisar# de antemão# o m+rito do recursoH" 6esse sentido, considerando a Gaus;ncia de indicação por
parte da HIRJ dos pressupostos recursais não atendidos no caso concretoH, propBs a ci)ncia dessa
impropriedade 4 universidade" ' Tribunal julgou procedente a representaç$o, acolendo a proposta de mérito
do relator" Acórdão 262%/2013-Plenário, TC 018.899/2013-%, relator Ministro al!ir Ca!"elo, 2#.9.2013.
5# E l,t()*o %(r( (01s)*o de ,(rt1,4os de toner- %or se tr(t(r de bem de n8ormát,(- está s12et( 5
ds,%ln( d( !e <#24<;91 e dos .e,retos 5#90:;0: e 7#174;10- n,l1s'e no to,(nte (o dreto de
%re8erBn,( (os bens e ser')os %rod13dos ,om te,nolo+( desen'ol'd( no P(&s e;o1 de (,ordo ,om
%ro,esso %rod1t'o bás,o#
,epresentaç$o formulada por sociedade empresária sobre preg$o eletrBnico para registro de preços
promovido pelo Instituto 6acional do %eguro %ocial ? Mer)ncia E@ecutiva de 'uro Preto, destinado 4
a!uisiç$o de materiais de consumo diversos, dentre eles cartucos de toner de impressora, apontara
inade!uado en!uadramento legal do certame" %egundo a representante, Ga Ker;ncia L%ecutiva do EMSS não
considerou os cartuchos de toner de impressora como bens de inform7tica# tendo reali9ado a licitação e a
aquisição de tais itens sem aplicar o regime do -ecreto ..1.A23414 c2c o -ecreto /.,4623446 e a Fei
0.3A021,,1H" Em ju13o de mérito, reali3adas as oitivas regimentais, o relator registrou sua concordância com
o pronunciamento da unidade do TCC especiali3ada em tecnologia da informaç$o, !ue opinou por estar a
a!uisiç$o de tal material sujeita 4 disciplina da -ei <"5A<97/ e dos 2ecretos ;"7D89D8 e :"/:A9/D" Em
decorr)ncia, concluiu o relator, nos termos do art" =N da -ei <"5A<97/ e do art" /N do 2ecreto :"/:A9/D, 4s
a!uisições de cartucos de toner aplicam>se as regras de prefer)ncia para bens e serviços de informática e
automaç$o produ3idos +i. com tecnologia desenvolvida no Pa1s e9ou +ii. de acordo com processo produtivo
básico" # prop(sito, relembrou o relator !ue os processos produtivos básicos do toner e do cartuco de toner
para impressoras a laser já foram estabelecidos por portarias interministeriais, revelando !a intenção do
con)unto normativo vigente de su)eitar as compras de cartucho de inform7tica ao regime institu8do pela Fei
0.3A021,,1 e aos respectivos decretos regulamentadores$" Caracteri3ada a ilegalidade do certame e a
e@ist)ncia de !uantidade remanescente de cartucos ainda n$o contratada, propBs o relator a fi@aç$o do pra3o
de !uin3e dias para a anulaç$o da respectiva #ta de ,egistro de Preços e a cientificaç$o do (rg$o sobre as
irregularidades apuradas, de modo a evitar falas semelantes em licitações futuras" ' Tribunal, ao apreciar a
matéria, considerou procedente a ,epresentaç$o, consignando em ac(rd$o as medidas alvitradas pela
relatoria" Acórdão 2608/2013-Plenário, TC 0&#.6&9/2012-0, relator Ministro 'en(a!in )*!ler, 2#.9.2013.
=
:# E t(?( de F.I de'e ser 8orm(d( %elos ,om%onentes: (dmnstr()*o ,entr(l- rs,os- se+1ros-
+(r(nt(s- des%es(s 8n(n,er(s- rem1ner()*o do %(rt,1l(r e trb1tos n,dentes sobre ( re,et(
(18erd( %el( e?e,1)*o d( obr(# /1stos dret(mente rel(,on(dos ,om o ob2eto d( obr(- %(ss&'es de
dent8,()*o- 01(nt8,()*o e mens1r()*o n( %l(nl4( de ,1stos dretos A(dmnstr()*o lo,(l- ,(ntero
de obr(s- mobl3()*o e desmobl3()*o- dentre o1trosC- n*o de'em nte+r(r ( t(?( de F.I#
Processo administrativo apreciou relat(rio de grupo de trabalo formado por unidades técnicas
especiali3adas do Tribunal cujo objetivo foi, no essencial, !definir fai%as aceit7veis para valores de ta%as de
Nenef8cios e -espesas Endiretas * N-E espec8ficas para cada tipo de obra p=blica e para aquisição de
materiais e equipamentos relevantes (...)# com utili9ação de crit+rios cont7beis e estat8sticos e controle da
representatividade das amostras selecionadas$" Em preliminar, o relator, recuperando o ist(rico
jurisprudencial do TCC sobre a matéria, anotou a abrang)ncia do trabalo desenvolvido, no !ual foram
adotados técnicas amostrais e conceitos da contabilidade de custos capa3es de alcançar a dinâmica da
formaç$o de preços de obras p*blicas e as formas de classificaç$o dos custos incorridos, de modo a
possibilitar a especificaç$o dos itens !ue compõem a ta@a de E2I e a respectiva f(rmula a ser empregada
para definiç$o do percentual final e, a vista das comple@idades incidentes, a adoç$o de fai@as e de E2I
espec1fico para determinados itens do orçamento" # regra geral para a composiç$o da ta@a de E2I em obras
p*blicas, destacou o relator, predica !ue !os custos que podem ser identificados# quantificados e
mensurados na planilha de custos diretos# por estarem relacionados diretamente com o ob)eto da obra# não
devem integrar a ta%a de N-E# tais comoO administração local# canteiro de obras# mobili9ação e
desmobili9ação# dentre outros.$" Por outro lado, destaca, !os componentes que devem formar a ta%a de N-E
são os seguintesO administração central# riscos# seguros# garantias# despesas financeiras# remuneração do
particular e tributos incidentes sobre a receita auferida pela e%ecução da obra$" Partindo dessas premissas,
foram e@tra1das tabelas com percentuais médios e fai@as referenciais de E2I +relacionadas ao lucro e 4s
despesas indiretas. !ue refletem as in*meras variáveis atinentes aos diversos tipos de obras p*blicas, as
peculiaridades das sociedades empresariais atuantes e as particularidades de cada ramo negocial" Inobstante
o rigor metodol(gico adotado e a funcionalidade dessas tabelas, ponderou o relator !ue !não cumpre ao
5PH estipular percentuais fi%os para cada item que comp?e a ta%a de N-E# ignorando as peculiaridades da
estrutura gerencial de cada empresa que contrata com a dministração P=blica. < papel da Porte de
Pontas + impedir que se)am pagos valores abusivos ou in)ustificadamente elevados e por isso + importante
obter valores de refer;ncia# mas pela própria log8stica das empresas + natural que ocorram certas
flutuaç?es de valores nas previs?es das despesas indiretas e da margem de lucro a ser obtida$" 6esse
sentido, embora o parâmetro mais importante seja o valor médio do E2I, por representar o valor de mercado,
a !adequabilidade da ta%a de N-E tem sempre que ser analisada# pontualmente# em situação espec8fica# pois
h7 sempre a possibilidade de as tabelas referenciais não tradu9irem a )usta remuneração para alguns
contratos de obras p=blicas$" ' Plenário do TCC, acolendo as considerações da relatoria, e@pediu, dentre
outros comandos, determinaç$o 4s unidades técnicas do TCC para !ue, nas análises de orçamentos de obras
p*blicas, passem a utili3ar os parâmetros para ta@as de E2I especificados no ac(rd$o, procedendo, sempre
!ue a ta@a de E2I estiver fora dos patamares estipulados, ao e@ame pormenori3ado dos itens !ue a
compõem, utili3ando como diretri3 os percentuais obtidos no estudo objeto dos autos, levando>se sempre em
consideraç$o as peculiaridades de cada caso concreto" Acórdão 2622/2013-Plenário, TC 036.0%6/2011-2,
Ministro-+,-stit,to Marcos 'e!.,erer Costa, 2#.9.2013.
/la-ora0ão1 +ecretaria das
+ess2es
Contato1 in3o(,ris4tc,.$o5.-r
A