UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF

ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO

PROJETO DE INTERVENÇÃO:
Boletim informativo Fazendo Moda, Beleza e Arte na Comunidade.

Niterói - RJ
JUNHO/2014
0

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO

PROJETO DE INTERVENÇÃO:
Boletim informativo Fazendo Moda, Beleza e Arte na Comunidade.

Trabalho de conclusão da Disciplina de
Supervisão Acadêmica de Estágio II, da
Escola de Serviço Social da Universidade
Federal Fluminense, como requisito
parcial para a aprovação na disciplina,
ministrada
pela
professora
Angela
Magalhães Vasconcelos.

Niterói - RJ
JUNHO/2014
1

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO

SUMÁRIO

Apresentação
1. Justificativa .......................................................................................................... 5
2. Objetivo geral ...................................................................................................... 7
3. Objetivos específicos ......................................................................................... 8
4. Metodologia ......................................................................................................... 8
5. População beneficiada ....................................................................................... 9
6. Monitoramento e avaliação ................................................................................ 9
7. Cronograma das ações ...................................................................................... 10
8. Metas ................................................................................................................... 11
9. Custos do projeto ............................................................................................... 11
Referências

2

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO
Apresentação
O presente projeto de intervenção, intitulado Boletim Fazendo Moda, Beleza e
Arte na Comunidade, que visa criar um canal de visibilidade das demandas das
adolescentes que participam do Projeto: Fazendo moda, arte e beleza, que é
desenvolvido no Centro de Referência para Saúde da Mulher, no Complexo da
Penha, na expectativa de promover a reflexão crítica sobre essas demandas e
oferecer acesso a informações de qualidade na busca por ampliação da cidadania
deste grupo.
As marcas da vulnerabilidade e exposição a riscos das adolescentes
residentes em áreas pobres do Rio de Janeiro revelam que investimentos voltados
ao fortalecimento do protagonismo comunitário e da cidadania são necessários para
a melhoria na qualidade de vida destas regiões. Assim, o Centro de Referência para
Saúde da Mulher (CRESAM) identifica a necessidade de ações que estimulem a
troca de experiências e a capacitação profissional, visando inclusive, a ruptura de
paradigmas e a necessidade de incentivo ao acesso a informações de qualidade e
que contribuam para o bem estar dessa população, especialmente frente às
relações de poder desiguais entre homens e mulheres. Segundo Marilda Iamamoto:
A análise dos espaços ocupacionais do assistente social –
em sua expansão e metamorfoses – requer inscrevê-los na
totalidade histórica considerando as formas assumidas pelo
capital no processo de revitalização da acumulação no cenário da
crise mundial. Sob a hegemonia das finanças e na busca
incessante da produção de super lucros, aquelas estratégias vêm
incidindo radicalmente no universo do trabalho e dos direitos. As
medidas

para

superação

da

crise

sustentam-se

no

aprofundamento da exploração e expropriação dos produtores
diretos, com a ampliação da extração do trabalho excedente e a
expansão do monopólio da propriedade territorial, comprometendo
3

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO
simultaneamente recursos naturais necessários à preservação da
vida e os direitos sociais e humanos das maiorias.

O Projeto Fazendo Moda. Beleza e Arte na Comunidade tem como um de
seus objetivo a formação e capacitação dessas adolescentes para o trabalho 1
posteriormente e formação de renda ‘extra’ 2, através de suas aulas de customização.
Por isso faz-se necessário haver intervenção internas no projeto para que as
usuárias possam obter mais conhecimento sobre o espaço que podem vir a ocupar
enquanto trabalhadoras posteriormente e a necessidade de reconhecimento dos
direitos sociais e humanos que obtêm.
Além disso o projeto Fazendo Moda, Beleza e Arte na Comunidade, visa
contribuir e estimular as adolescentes, moradoras do Complexo da Penha, em
habilidades criativas do mundo da moda, beleza e arte valorizando o protagonismo
juvenil fortalecendo a autoestima e a sociabilidade, de forma que possam conquistar
novos espaços para ampliação da criatividade a ser utilizada como ferramenta para
geração de renda
A proposta deste projeto de intervenção é realizar atividades em grupo
através de encontros educativos, oficinas direcionadas para as demandas das
adolescentes e da comunidade através de discussões temáticas como: relações de
gênero, saúde da mulher, políticas públicas de saúde, violência contra a mulher,
inserção da mulher no mercado de trabalho entre outras temáticas, e posteriormente
incentivar a criação de um canal de comunicação que contribua para a divulgação e
troca de experiências formuladas a partir do projeto. Também serão fortalecidas
parcerias na comunidade, a fim de identificar e publicitar as demandas locais.
1.

Justificativa

1

Art. 60 Lei 8.069 de 13/07/1990 – Estatuto da Criança e do Adolescentes -

É proibido qualquer trabalho a menores de

quatorze anos de idade, salvo na condição de aprendiz
2

A MESADA, POR SI, NÃO É UMA OBRIGAÇÃO DE PAIS PARA FILHOS. ISSO NÃO ESTÁ PREVISTO NA LEGISLAÇÃO NEM NO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO

ADOLESCENTE. TAMBÉM NÃO É UM COMPROMISSO MORAL OU TÁCITO. MAS, SE UM DIA ESSE ACORDO FOR ASSUMIDO ENTRE PAIS E FILHOS, ENTÃO,
TERÃO QUE PAGAR E NA FORMA QUE FOR COMBINADO. IN: OS PAIS TÊM OBRIGAÇÃO DE PAGAR MESADA AOS FILHOS? POR ÁLVARO
MODERNELL, ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PALESTRANTE.
(HTTP://ZH.CLICRBS.COM.BR/RS/NOTICIA/2010/08/ARTIGO-OS-PAIS-TEM-OBRIGACAO-DE-PAGAR-MESADA-AOS-FILHOS-3012436.HTML)

4

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO

A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher, desenvolvida pelo
Ministério da Saúde em 2004, num enfoque de gênero, vem reforçar a necessidade
de ações de promoção da saúde integral da mulher que visem viabilizar a melhoria
das condições de vida das mulheres brasileiras, com vistas à consolidação da
cidadania.
Tendo como pressuposto que mulheres e homens, especialmente em função
da organização social das relações de gênero, estão expostos a padrões distintos de
sofrimento, adoecimento e morte, faz-se imprescindível a incorporação da
perspectiva de gênero na análise e planejamento das ações de saúde.
Numa perspectiva de direitos, a saúde integral da mulher demanda ações que
proporcionem melhoria das suas condições de vida em todos as áreas e relações
sociais estabelecidas. Além disto, a saúde envolve diversos aspectos da vida, como
a alimentação, as condições de trabalho, relações sociais, preconceitos, bem estar,
moradia, lazer e renda. E para as adolescentes, muitas vezes, as mazelas são
agravadas pela discriminação nas relações estabelecidas no dia-a-dia.
A história nos revela que a cidadania não se limita a conquista de direitos,
mas estende-se para a luta por sua efetivação. A Política Nacional entende a
participação da população como imprescindível na efetivação de ações de
cidadania:
É, acima de tudo, uma proposta de construção conjunta
e de respeito à autonomia dos diversos parceiros – entes
fundamentais para a concretização das políticas – enfatizando
a importância do empoderamento das usuárias do SUS e sua
participação nas instâncias de controle social (BRASIL, 2004,
p.5).
Nesse sentido, a participação das usuárias surge como uma possibilidade de
integração e garantia coletiva de debates a cerca das demandas especificas desse
grupo, como também das demandas pessoais e das políticas de atendimento a elas,
com base na participação popular e da construção da cidadania, são urgentes
5

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO
O Projeto Fazendo Moda, Beleza e Arte na Comunidade, visa contribuir a
capacitação em customização de roupas e assessórios, promover atividades de
beleza e arte contemporânea como forma de estimular a criatividade das
adolescentes baseada no protagonismo juvenil.
Esses debates pretendem tornar visível como a cidadania e as demandas dos
jovens são de grande importância na medida em que contribuem para troca de
experiências e criação de um canal de publicitação. Tal campo de intervenção e
saber se mostra difuso e se apresentam como possibilidade de objeto e alvo de
estudos e intervenção.
O Projeto Fazendo Moda, Beleza e Arte na Comunidade, é realizado em um
espaço

específico,

uma

comunidade

do

Rio

de

Janeiro,

apresentando

especificidades singulares, como a questão da violência, falta de atendimento a
saúde de qualidade, acesso a educação de qualidade, como também transporte
público de qualidade, entre outras questões que já tem sido debatidas por muitos
outros pesquisadores, como os que fazem parte da organização da sociedade
civil de interesse público, Observatório Favelas3, e todas essas questões
inerentes aos espaços de moradia dessas meninas aliadas às baixas condições
socioeconômicas fazem com que seja de extrema necessidade a criação de opções
atrativas de atividades que estimulem debates a cerca do seu cotidiano, habilidades
e criatividade para expor suas demandas, e contribuir para melhoria do
aproveitamento desta fase da vida.
O reconhecimento e definição de onde alocar no espaço público as questões
relativas às demandas desse grupo de mulheres em formação é um percurso de
ação necessário, bem como, suas lutas precisam ser fortalecidas e suas demandas
e experiências divulgadas. Segundo Ivo Tonet:
3

O Observatório é uma organização social de pesquisa, consultoria e ação pública dedicada à produção
de conhecimento e de proposições políticas sobre as favelas e os fenômenos urbanos . Foi criado em 2001,e em
2003 tornou-se uma organização da sociedade civil de interesse público(OSCIP), com sede na Maré, no Rio de
Janeiro .
O Observatório tem como missão a elaboração de conceitos e práticas que contribuam na formulação e
avaliação de políticas públicas voltadas para a superação das desigualdades sociais. E mostram que para serem
efetivas, tais políticas têm de se pautar pela expansão dos direitos, por uma cidadania plena e pela garantia dos
direitos humanos nos espaços populares

6

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO
Toda forma de sociabilidade que entra em crise profunda
tende a agravar enormemente os sofrimentos da humanidade.
E até mesmo aqueles que se beneficiam de um sistema social
em crise não deixam de ser atingidos por problemas de toda
ordem.(Ivo Tonet, 2009)
E é a respeitos de algumas dessas problemáticas que pretendemos abordar
com as adolescentes no projeto de intervenção. A política apresenta como uma de
suas diretrizes a efetivação de redes integradas, contando com a participação de
organizações não-governamentais:
As ações voltadas à melhoria das condições de vida e
saúde das mulheres deverão ser executadas de forma
articulada com setores governamentais e não-governamentais;
condição básica para a configuração de redes integradas de
atenção à saúde e para a obtenção dos resultados esperados
(BRASIL, 2004, p.65).

2.

Objetivo Geral

Construir um canal de comunicação para as adolescentes do Projeto Fazendo
Moda, Beleza e Arte na Comunidade

3.

Objetivos Específicos

Objetivo Específico

Atividades

Resultados Esperados
7

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO

Qualitativos

Quantitativos

* Criar espaços de

* Oficinas reflexivas * Incentivar e

* Distribuição de

reflexão e debate de

para identificação

promover um espaço

cem cópias

modo a contribuir para o do grupo e das

participativo de

mensais do

acesso à informação e

demandas.

protagonismo juvenil.

Boletim Fazendo

troca de experiências a

* conversa

* fortalecera

moda beleza e

cerca das demandas.

expositiva sobre a

autoestima e a

arte na

* Promoção de oficinas

criação de um

sociabilidade.

comunidade.

visando contribuir para

Boletim informativo. * Contribuir para a

criação de um espaço

livre expressão da

* Publicitação em
meio digital, a

de protagonismo das

* Oficina didática de criatividade.

través de um

adolescentes.

elaboração de

Blog, do Boletim

* Criar espaços de

Boletim informativo. autonomia e a

Fazendo moda,

publicitação de reflexão

* Desenvolvimento

organização do

beleza e arte na

e demandas das

do Boletim.

movimento de

comunidade.

adolescentes.

* Distribuição e

mulheres.

* Estimular a

publicitação do

* Fomentar a

participação comunitária Boletim Fazendo
das adolescentes.

4.

Moda.

Metodologia

Reuniões de equipe para o planejamento inicial das atividades.

Pesquisa com as usuárias do projeto sobre quais os principais temas

que gostariam de discutir(para identificação do grupo e das demandas.).

Reunião para planejamento das oficinas

Oficinas reflexivas.

Exposição sobre a criação de um Boletim informativo.

Oficina didática de elaboração de Boletim informativo.

Desenvolvimento do Boletim.
8

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO

Distribuição e publicitação do Boletim Fazendo Moda.

Através do meio digital de publicitação do Boletim criar um canal de

diálogo com o público para ter um retorno de interesses e dicas.
5.

População beneficiada:
Diretamente: 20 a 50 adolescentes moradoras da Vila Cruzeiro
Indiretamente: Comunidade em geral.

6.

Monitoramento e avaliação:

Indicadores de Progresso

Meios de Verificação

Índice de participação nas
oficinas e atividades do curso
acima de 80% das participantes.

Verificação da evolução
quanto as iniciativas e
desenvolvimento das habilidades

Desenvolvimento do Boletim

7.

Lista de presença.
Relatórios e fotos do
desenvolvimento das oficinas.
Distribuição do Boletim.

Cronograma das Ações:
Atividades

mês

mês mês mês mês mês mês mês
9

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO

5

8.

Reuniões de equipe
para o planejamento
inicial das atividades
e de planejamento
das oficinas a serem
oferecidas
Pesquisa com as
usuárias do projeto
sobre os principais
temas a serem
abordados
(identificação do
grupo e das
demandas.).
Exposição sobre
criação de Boletim
Informativo
Oficina didática de
elaboração de
Boletim informativo
Elaboração do
“Boletim Fazendo
Moda, beleza e arte
na Comunidade”.
Distribuição e
publicitação do
Boletim Fazendo
moda, beleza e arte
na comunidade.
Avaliação coletiva do
projeto com os
profissionais e
usuárias.
Metas:

Qualitativos

6

7

8

9

10

11

12

x

x

x

x

x

x

x

X

X

X

X

X

X

X

X

x

x

x

x

x

x

X

X

X

X

X

X

X

X

x

x

x

Quantitativos
10

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO



9.

Maior número de adolescentes 
participando atividades
Melhoria do nível de

comunicação das adolescentes
Melhoria do nível de
conhecimento sobre as demandas

do grupo.
Capacidade de organização e
planejamento
Melhorar a qualidade de
informações sobre direitos, gênero
e prevenção da saúde da mulher.

Participação de 20
adolescentes assíduas nas
atividades
Elaboração de 5 edições de
boletins do projeto pelas
adolescentes
Distribuição de 100 boletins
mensal.

Custos do Projeto:

Materiais de Consumo :Cartucho p/impressora preto e colorido, lápis, borracha,
cola, tesouras canetas esferográficas, marcadores permanentes, 10 folhas de
papel pardo, 5 resmas de papel A4, revistas, jornais e Boletins informativos
institucionais.
Espaço Físico: Sala de Recepção, Sala Administrativa, Salão de atividades,
banheiros, 30 cadeiras Universitárias, 2 computadores.

Referências:

11

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL – ESS
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE NITERÓI
DISCIPLINA: SUPERVISÃO ACADÊMICA DE ESTÁGIO II
DOCENTE: ANGELA MAGALHÃES VASCONCELOS
ALUNO(A): ANA ALINE MUNIZ RAMALHO
_____. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e
diretrizes / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de
Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2004.
O QUE É FAVELA, AFINAL? /

organizador: Jailson de Souza e Silva. – Riode

Janeiro: Observatório de Favelas do Rio de Janeiro, 2009.
TONET, Ivo. Expressões socioculturais da crise capitalista na atualidade. In: Serviço
Social, direitos sociais e competências profissionais.

12