22nd March 2011

Uma fonte permanente de discussão e confusão é a multiplicidade de modos 4x4
oferecidos pela Pajero TR4 (e Full).
O ponto nevrálgico é tal modo 4x4 permanente (4H). O manual de instruções até
tenta, mas não deixa perfeitamente claro para que ele serve, nem como ele se
equivale aos modos 4x4 de outros veículos.
É mais fácil lidar com o "problema" eliminando primeiro os outros modos de tração,
que são mais simples de entender:
2H: apenas rodas traseiras.
4HLc: Tração 4x4 "bloqueada". A mesma rotação e torque são transmitidos
para os eixos dianteiro e traseiro.
4LLc: O mesmo que 4HLc, porém com uma redução adicional na transmissão.
Anda mais devagar, porém tem mais força. Bom para andar quase sem
acelerar, ou em subidas muito íngremes.
A tração 4x4 bloqueada não deve ser utilizada em estradas pavimentadas secas,
porque às vezes os eixos dianteiro e traseiro devem rodar a velocidades diferentes
-- principalmente quando se está fazendo curvas. A diferença tem de ser
compensada pelo deslizamento de algum pneu, o que é muito difícil quando a
aderência é boa. A transmissão é bastante forçada.
Do modo 2H, a grande vantagem é poupar combustível, pois menos engrenagens
estão trabalhando. Uma vantagem menor é poupar os componentes da
transmissão dianteira.
Resta então o modo 4H, a nossa nêmesis. Em 4H, a transmissão para os eixos é
feita por diferencial central, que compensa diferenças entre os eixos, de forma
semelhante aos automóveis com tração 4x4 permanente (AWD).
A caixa de transferência Super Select I que vem com a TR4 divide igualmente o
torque entre dianteira e traseira. A caixa SS-II, que vem com a Pajero Full, manda
apenas 33% do torque para a dianteira.
O modo 4H pode ser usado em qualquer piso, o tempo todo, mas tem uma
desvantagem teórica: se apenas uma roda patinar ou sair do chão, todas as
demais perdem tração, limitando muito a utilidade deste modo.
Nos melhores automóveis AWD, este problema é remediado com diferenciais de
deslizamento limitado e/ou controle de tração. Na Pajero TR4, o deslizamento do
diferencial central é limitado pelo VCU.
VCU: unidade de acoplamento viscoso
O VCU é uma espécie de embreagem viscosa. Antes de mais nada, é importante
mencionar que o VCU não é mágico. Ele é apenas uma forma barata de
implementar deslizamento limitado. Há formas melhores, porém muito mais caras
(diferencial Torsen).
O formato é de uma panelinha com um eixo protuberante. Este eixo é ligado a uma
saída do diferencial central. A carcaça da "panelinha" está acoplada à outra saída.
O VCU atua quando há movimento relativo entre carcaça e eixo (ou seja, quando
as saídas do diferencial giram a velocidades diferentes).
O mistério dos diferentes modos 4x4
Dentro do VCU há diversos discos ranhurados, muito próximos uns dos outros mas
sem se tocarem. Os discos são conectados alternadamente a cada eixo, e o
espaço vazio é preenchido com um líquido especial. O tal líquido engrossa
conforme sua temperatura aumenta.
Quando os dois eixos giram à mesma velocidade, não acontece nada. Quando
giram a velocidades diferentes, o movimento relativo entre os discos do VCU
movimenta e aquece o líquido. Conforme o líquido engrossa, vai acoplando, de
forma suave e proporcional, os dois eixos.
O efeito final desejado é que, quanto maior a diferença entre eixos, mais torque
seja transmitido ao eixo "lento". Mesmo com uma roda patinando, as rodas do outro
eixo continuam tracionando (embora menos do que no modo 4HLc bloqueado).
O aquecimento do líquido não é instantâneo, então o VCU demora uns instantes
para "agarrar". Mas o líquido frio é viscoso o suficiente para fornecer um
acoplamento parcial, desde o primeiro momento.
Na prática
Em resumo: os modos 4x4 da Pajero TR4 funcionam. Fazem o carro passar com
estabilidade onde outros dançariam ou até atolariam.
Numa estrada pavimentada, não dá pra notar diferença alguma entre 2H e 4H.
Numa estrada de chão, em particular numa subida, usar o modo 4H em vez de 2H
diminui sensivelmente as patinagens na roda traseira.
Já que o modo 4H pode ser usado continuamente, é uma boa ideia utilizá-lo em
estradas rurais, bem como em piso molhado, em particular se escorregadio, como
calçamento de pedra. (Um jipe é menos estável que um carro "normal". Qualquer
recurso que compense esta inerente deficiência é bem-vindo.)
Numa estrada bem arenosa (estou falando de estrada, não de beira de praia!) o
ganho de estabilidade com 4x4 fica bem mais evidente. Em 2H o carro "dança"
bastante. Em 4H ele dança bem menos. E em 4HLc ele parece estar andando
sobre trilhos. O volante também fica mais duro em 4HLc.
Em lama, a mesma coisa. O carro dança um pouco em 4H até o VCU "engatar".
Passando no mesmo lugar em 4HLc vai quase tão reto quanto no asfalto, desde
que esteja tracionando e não freando.
Em terrenos arenosos, tipo beira de praia, duna, etc. o ideal é ir de 4HLc ou até
4LLc, pois o atraso do VCU pode causar uma atolagem. Por outro lado, passar em
4HLc é humilhação. Onde os outros carros têm de passar correndo, ou atolam, a
Pajero passa como se fosse uma rua qualquer.
Lembre-se da velha máxima do 4x4: engate a tração antes do obstáculo, não
quando está atolado nele.
Mudança em velocidade
Outra dúvida recorrente é se a tração 4x4 (4H e 4HLc) pode ser engatada em
velocidade. Sim, na Pajero TR4 pode, porque o diferencial dianteiro já está
rodando de qualquer maneira, vai apenas acoplar partes que estão girando à
mesma velocidade.
As recomendações são: estar em linha reta, não estar acelerando, e a menos de
100Km/h. Estar em linha reta garante que ambos os diferenciais estão rodando
igual. Não acelerar garante uma troca suave, sem carga, e evita a possibilidade de
uma roda estar patinando.
A velocidade máxima de 100Km/h não parece ter nenhuma razão especial, pode
ser apenas uma forma genérica de poupar o sistema, ou evitar um acidente feio em
caso de problemas.
A tração reduzida (4LLc) só pode ser engatada/desengatada com o veículo
parado.
Diferenciais e patinagem
Os modos 4HLc e 4LLc bloqueiam apenas o diferencial central. Os diferenciais
dianteiro e traseiro ainda estão sujeitos ao problema de distribuição de torque: se
um lado patina, o outro recebe pouco torque.
Consta no manual que a TR4 tem diferencial traseiro de deslizamento limitado.
Alguns dizem que na verdade não tem, que foi erro de tradução do manual etc. O
manual técnico do Pajero Pinin (em inglês) diz que há. Não achei uma resposta
definitiva sobre isso, e não estou a fim de desmontar o diferencial da minha TR4
para conferir.
UPDATE: a TR4 não tem diferencial de deslizamento limitado
[http://sopajerotr4.blogspot.com/2011/05/sem-lsd-na-pajero-tr4.html] .
Na prática, as rodas traseiras patinam pouco, A TR4 tem excelente distribuição de
peso, o que também ajuda a diminuir patinagem.
O fato é que diferencial de deslizamento limitado é suficiente apenas para uso
"normal". Para off-road sério, do tipo passar por erosões, escalar trechos rochosos
etc. o bom mesmo é bloqueio total com comando no painel. Parece que há kits
para adaptar nos diferenciais da TR4, em torno de 2 mil reais cada.
Postado há 22nd March 2011 por Boni Reutemann

45
Visualizar comentários
Anonymous 31 de julho de 2011 06:19
DESEMPENHO E ESTABILIDADE NO ASFALTO?
Responder
Anonymous 4 de novembro de 2011 16:51
Muito ben explicado.
Responder
Anonymous 17 de dezembro de 2011 08:32
Parabéns pela qualidade técnica do conteúdo do blog. É muito bem explicado,
fazendo que qualquer iniciante entenda melhor e possa usar de forma adequada
os recursos de sua TR.
Material com esta qualidade está cada vez mais difícil de encontrar na internet.
Valeu,
Responder
Boni 17 de dezembro de 2011 08:53
É, a motivação foi justamente essa, falta de informação noutros lugares.
Responder
Anonymous 3 de janeiro de 2012 15:31
Realmente o manual da Full nao explica nada e suas informaçoes foram as
melhores da net.
Responder
Alexandre Junior 14 de fevereiro de 2012 16:45
Gostei muito das informações.
Parabéns.
Responder
Alexandre Junior 14 de fevereiro de 2012 16:57
Gostei muito das informações.
Parabéns.
Responder
Anonymous 20 de fevereiro de 2012 12:45
Parabéns pelos esclarecimentos. Estou adquirindo uma nova TR4 e achei suas
explicações excelentes.
Responder
Anonymous 2 de março de 2012 06:09
Falei com um consultor e fiquei mais confuso doque antes.Agora entendi.Acho
que vou comprar O TR4.
Responder
USO DE CORRENTES SOBRE PNEUS 6 de março de 2012 08:16
Eu sou o joão vanes, tenho uma Tr4 2011/2012 e já a utilizei em terrenos
complicadíssimos. Costumo andar bastante pela Serra da Bocaina e os
caminhos ali existentes exigem bastante do carro e do piloto. Tive uma
experiência exitosa com o uso de correntes nas rodas traseiras sobre pneus
normais de rodagem, os que vem com o carro. Nas rodas dianteiras, não é
possível o uso de correntes, pois o espaço entre a roda e o amortecedor não
permite. Usando a tração 4HLc (redução adicional) a elevada força de tração
associada à aderência oferecida pelas correntes, tornam a Tr4 um verdadeiro
trator.
As correntes, contudo, devido aro 17" não são muito fáceis de serem
encontradas. A Jipebrás, onde adquiri as minhas, oferece um jogo "especial"
que calça corretamente os referidos pneus. Há uma sobra no comprimento, que
deve ser suprimido, deixando apenas um gomo de sobra depois de ajustada
corretamente para o uso. Se for usar na terra, não tive problemas com o tempo
Respostas
Responder
de uso. Não deve, todavia, usar, por muito tempo, sem necessidade. No asfalto,
nunca.
Responder
Alex A. Fardo 25 de abril de 2012 16:17
Estou cogitando comprar um TR4, Excelente este blog!!! Ótimo conteúdo...
duvido que um vendedor saiba explicar de tal maneira. Parabéns!!! No meu caso
tbm achei muito pouco material informativo sobre o que uma L200 Savana era
capaz de fazer, comprei a minha e resolvi fazer alguns vídeos, assista lá,
aposto que vai gostar... hehehe procura no youtube "testando l200 savana"
postado por alexfardo. abraço
Responder
Anonymous 12 de agosto de 2012 05:08
Muito boa as explicações... mas ainda fiquei com uma dúvida e se alguem
puder me ajudar agradeço muito. Tenho um Jeep Willys 1963 e uma TR4 2012
AT. No jeep temos a opção de engatar o reduzido, onde o carro realmente anda
beeemmmm de vagar e tem muiiittaaa força, dá pra desatolar um caminhão
carregado se quiser, subir e descer uma ladeira ingrime de lama e usar em
trilhas pesadas. Já na Pajero não tém essa opção ou não to sabendo encontra-
la? Ah e outra.... pra rebocar o jeep com a TR4 qual seria a melhor opção:
deixar em D ou L?????
Responder
Boni 12 de agosto de 2012 06:21
O modo 4LLc é reduzido, embora a taxa de redução não seja muito
grande (1:6 para 1).
Sobre a marcha para rebocar, depende a velocidade e situação.
Realmente é bom evitar que o câmbio tente usar marchas altas
quando rebocando. Então seria D com overdrive desligado na
rodovia, 2 numa estrada de terra razoável e L numa estrada ruim.
Anonymous 30 de agosto de 2012 13:27
Boni, gostaria de saber se mesmo com bloquei central ou com a reduzida se
uma das rodas perder contato com o chão ou mesmo patinar se o carro perde a
tração 4x4? Passei por isso recentemente e fiquei atolado e a impressão era
que a função 4x4 nao funcionava. Somente 01 roda dianteira rodava. Nao sei se
foi pelo efeito X. Pode me ajudar com uma explicação? Desde, já grato.
Responder
Boni 30 de agosto de 2012 13:35
Só patina com 1 roda girando se for 4H.
Com 4L ou 4LL forçosamente gira uma roda na frente e outra atrás.
Responder
Anonymous 31 de agosto de 2012 03:50
Respostas
Responder
Respostas
Responder
Boni, aproveitando a pergunta do amigo acima, responde. Com 4L ou 4LL
quando um eixo ( dianteiro ou traseiro ) uma roda perde contado com o solo,
somente esse eixo ficará sem tração ou os dois eixos serão afetados?
Desculpe a minha ignorância mais novato é fogo! ;-)
Responder
Boni 31 de agosto de 2012 06:16
Apenas aquele eixo. Para prejudicar a tração no modo 4L, é preciso
perder tração em uma roda dianteira e uma traseira (não é
simplesmente perder tração em quaisquer duas rodas).
Anonymous 5 de setembro de 2012 10:38
Ola, sou jipeiro e tenho um wills, e estou querendo trocar por uma tr4, o blog
me tirou varias duvidas, ate onde posso ir com a tr4. Fiquei mais afim depois
que li.
Muito bem explicado.
abraço
Responder
Anonymous 13 de setembro de 2012 09:58
Tava com duvidas em comprar uma tr4 2004, com esse esclarecimentos me
motivei a comprar, parabens!!
Responder
Anonymous 14 de setembro de 2012 13:43
tenho uma pajero tr 4x4 09/10, estourou o diferencial o valor do tal é muito caro,
por gentileza posso isolar e rodar sem...
Responder
Anonymous 7 de novembro de 2012 13:05
Acabei de comprar uma TR4 e coloquei a transmição em 4HLC, e não to
conseguindo engatar para outra transmição. oq faço? obg...
Responder
dani 19 de abril de 2014 16:35
Amigo tem um macete, aperte bem o cambio pra baixo e qnd ele
descer empurre pra frente. Eh meio complicado, mas so achei esse
jeito de fazer.
Eduardo Cosme Carvalho da Silva. Cosme 13 de dezembro de 2012 17:35
Eduardo.
Muito boa explicação. Saberia me dizer sobre acionar o 4x4 em marcha ré???
Respostas
Responder
Obrigado.
Responder
Boni 14 de dezembro de 2012 17:07
Não vai explodir, mas não sei se o vácuo do eixo dianteiro vai
engatar tão prontamente.
Não pode estar fazendo curva, tracionado nem patinando, e se você
precisa engatar 4x4 justo em R, é porque está numa situação
destas :)
Marco Antonio Vargas 8 de julho de 2013 08:11
Aproveitando a pergunta do Cosme, faço a minha. Eu estava em
uma subida forte e engatei em 4Hlc para subir de Ré, uma coisa que
notei foi o cheiro forte de embreagem "queimando", é normal?.
Só acrescentando estava em linha reta, parado e o piso era de
concreto e seco. Engatei esse tipo de 4x4 para facilitar, fiz certo?
qual seria a indicada?
Marco Antonio Vargas 8 de julho de 2013 08:17
Aproveitando a Pergunta do Cosme, faço a minha. Também so
novato na 4x4 e este blog, já sanou várias dúvidas, ficando uma. Eu
estava em uma subida forte e para facilitar engatei a 4Hlc, o que
percebi foi um cheiro forte de embreagem "queimando", quando subí
de ré, isso é normal?
Acrescentado, eu estava reto, parado e o piso era de concreto e
estava seco, fiz a coisa certa? ou qual seria a 4x4 indicada?
LeoTR4 17 de dezembro de 2012 09:21
Parabéns pelo conteúdo!!
Responder
Anonymous 19 de janeiro de 2013 11:37
Por gentileza, existe algum teste a ser feito para saber se realmente a tração
da tr4 está engatando normalmente?
Pensei em colocar o vaículo em um elevador, mas não sei se seria o correto.
Obrigado pela atenção.
Responder
reinaldo da silva costa 22 de janeiro de 2013 05:30
ATÉ QUE ENFIM UMA PESSOA EXPLICOU NO PÉ DA LETRA COMO
FUNCIONA OS DOFERENTES TOPOS DE TRAÇÃO DO PAJERO TR4.
PARABENS!
REINALDO
Responder
Jefferson 16 de fevereiro de 2013 09:28
realmente muito bom... parabéns...
Responder
Max Russo 5 de maio de 2013 17:15
Olá! Após ler seu blog, realmente é necessário concordar com os demais: as
explicações são excelentes. Parabéns!
Mas, como os outros, estou aqui cheio de dúvidas de principiantes.
Adquiri minha primeira TR4 Flex 16v 10/10 4X4 câmbio manual, faz uma
semana, e agora estou vendo que o 4X4 não é tão "simples". Faço trilha de
moto (KTM) e não achava que havia tantos detalhes.
Bem, retirei este veículo em uma concessionária MIT em Ipatinga/MG. Trouxe
para BH/MG, ou seja, rodei aproximadamente 220 Km. Rodei tudo em tração
2H. Passados poucos dias levei para dar uma olhada geral em um mecânico
indicado e trocar óleos e filtros, pois sempre fui muito detalhista nestes
cuidados, até mesmo metódico.
Bem, para minha decepção a caixa da transferência estava sem o parafuso de
onde se coloca o óleo. O parafuso mais alto pois o mais baixo é o bujão de
sangria (correto?).
O que pareceu é que não foi colocado o parafuso quando se verificou o óleo da
caixa.
O mecânico de onde eu estava retirou o óleo da caixa e saiu pouco óleo,
segundo ele, bem "batido". Contudo, não pode afirmar em haver maiores
problemas. Os diferenciais estavam com o óleo de aparência de novo.
Hoje pensei em testar as transferências. Ao transferir para 4H, a luz do painel
pisca por poucos segundos e estabiliza. Como o teste foi no asfalto, não deu
para perceber muita coisa, contudo a transferência 2H - 4H - 2H ocorreu sem
qualquer ruído em velocidades de 40 a 60 por hora.
Então parei o carro e em ponto morto passei de 2H para 4HLc (óbvio, que pela
sequência do câmbio, primeiro 4H). Engatei primeira e a luz "lock" no painel,
juntamente com o desenho das rodas e diferencial central ficou piscando o
tempo todo, mas não indicava como engatado, ou seja, a luz do painel não
"estabilizava". Andei uns 200 mts e parei no início de um morro de uns 400 mts,
muito íngreme, principalmente ao final dele, e subi este morro inteiro em linha
reta. O carro e a direção me pareceram bem "travados", como se realmente
estivessem com o diferencial central bloqueado.
No final do morro, voltei para 4H e a luz do "lock" apagou no painel e parou de
piscar o desenho das rodas e diferencial, estabilizando o indicador em 4WD
com as quatro rodas "escuras". Isto em poucos segundos.
Então virei o carro, e em ponto morto passei a transferência para 4LLc. O
indicador do painel piscou como em 4HLc (explicado acima) e permaneceu
piscando por todo o tempo. Desci o morro bem devagar, de primeira, e o carro
me pareceu extremamente reduzido, pois "segurou" muito na decida que é
muito forte.
Fiz outros testes em local plano e, por fim, em 4LLc a luz estabilizou no painel,
ficando sem piscar, mas indicando 4WD com as quatro rodas e diferencial
escuros. Segundo o manual, nesta condição de sinalização o engate é de
4HLc.
Nesta condição, andando devagar entrei em uma rua, virando bem a direção, e
pude sentir os rangidos nas rodas. Parei ao sentir os primeiros rangidos, no
meio da curva, e em ponto morto transferi para 4H, engatei primeira e saí bem
devagar.
Notei a diferença e para mim pareceu que a 4x4 reduzida estava engatada antes
de eu parar na curva e transferir para 4H.
Repeti todo o processo de transferência no plano, mas as indicações do painel
não seguiram o informado no manual, e somente em 4LLc que paravam de
piscar, mas sempre indicando a sinalização de 4HLc, isto, repito, segundo
informado pelo manual do proprietário.
Bem, após esta longa explicação, faço minha pergunta e pedido de ajuda: será
que existe um problema nos contatos, sensores ou terminais que indicam no
painel a posição da caixa de transferência, ou pode haver algo mais grave?
E, como não poderia faltar, muito obrigado pelo blog!
Responder
alexandre 21 de agosto de 2013 12:10
no cambio automático tem 2 botões 1 é para colocar em movimento agora o2°
eu não sei se deixa em off ou em on?
Responder
Antonio Tostes Jr 27 de setembro de 2013 14:03
Excelentes explicações Boni.
Comprei uma TR4 agora e estou gostando muito do carro, mas estou com uma
preocupação e uma dúvida. Talvez você possa me ajudar.
A preocupação: dependendo da forma de usar a embreagem e da rotação,
quando troco de 1ª para 2ª, ouço um ruído - 'TEC' - como se houvesse uma
pequena folga entre duas engrenagens da transmissão.
Se levar a 1ª até uma rotação um pouco mais alta e trocar com cuidado, não
acontece.
Não sei se acontece em todos os carros ou se o meu tem alguma folga. O
carro só tem 30.000km, mas era de mulher, e elas em geral são bem ruinzinhas
para tratar câmbio e embreagem...
A dúvida: O modo 4H. Eu sempre acreditei que tracionasse as 4 rodas, o que
está de acordo com o seu artigo e com o bom senso.
Mas aí eu li isso, que espero que esteja ERRADO:
"...4H is a part-time four-wheel drive mode using a viscous coupling unit (VCU)
and center differential to direct drive to the front wheels when the rear axle loses
traction..."
"...Indeed, in 4H SS4-i is in 'thinking' mode, because although you've selected
4WD, power is still only fed to the rear wheels until surface conditions dictate
that the front wheels need it too...."
no site http://www.d4u.com.ua/en/go/Super-Select-4WD-
II/tech.glossary.details.html
Estou pesquisando na internet (claro que não adianta perguntar ao SAC da
Mitsubishi), mas é impressionante a falta de informações técnicas detalhadas...
Abs.
Antonio Tostes Jr.
Responder
Antonio Tostes Jr 27 de setembro de 2013 14:03
Excelentes explicações Boni.
Comprei uma TR4 agora e estou gostando muito do carro, mas estou com uma
preocupação e uma dúvida. Talvez você possa me ajudar.
A preocupação: dependendo da forma de usar a embreagem e da rotação,
quando troco de 1ª para 2ª, ouço um ruído - 'TEC' - como se houvesse uma
pequena folga entre duas engrenagens da transmissão.
Se levar a 1ª até uma rotação um pouco mais alta e trocar com cuidado, não
acontece.
Não sei se acontece em todos os carros ou se o meu tem alguma folga. O
carro só tem 30.000km, mas era de mulher, e elas em geral são bem ruinzinhas
para tratar câmbio e embreagem...
A dúvida: O modo 4H. Eu sempre acreditei que tracionasse as 4 rodas, o que
está de acordo com o seu artigo e com o bom senso.
Respostas
Mas aí eu li isso, que espero que esteja ERRADO:
"...4H is a part-time four-wheel drive mode using a viscous coupling unit (VCU)
and center differential to direct drive to the front wheels when the rear axle loses
traction..."
"...Indeed, in 4H SS4-i is in 'thinking' mode, because although you've selected
4WD, power is still only fed to the rear wheels until surface conditions dictate
that the front wheels need it too...."
no site http://www.d4u.com.ua/en/go/Super-Select-4WD-
II/tech.glossary.details.html
Estou pesquisando na internet (claro que não adianta perguntar ao SAC da
Mitsubishi), mas é impressionante a falta de informações técnicas detalhadas...
Abs.
Antonio Tostes Jr.
Responder
Boni 27 de setembro de 2013 15:51
Tomara que seja embreagem mesmo, que é relativamente fácil
trocar.
O artigo é inexato, se olhar o documento técnico que descreve o
interior da caixa de transferência fica claro que o modo 4H usa um
diferencial central, que divide o torque entre os dois eixos. Além do
mais pode-se sentir a diferença ao volante, que fica mais duro e o
carro perde a tendência de sair de traseira quando se arranca forte
em curva. Faça o teste.
Como o modo 4H usa diferencial central, qualquer das 4 rodas
patinando pára o carro; o acoplamento viscoso (VCU) diminui esta
tendência, garantindo que algum torque vá para o eixo "bom".
A caixa de transferência da TR4 é a Super Select I, que manda 50%
do torque para as rodas dianteiras. As Pajero Full contam com a
SS-II que manda apenas 30% do torque para a frente em 4H, o que é
melhor para dirigibilidade e consumo de combustível.
Alguns carros de corrida (Lamborghini, Nissan GT-R) de fato
mandam torque para o eixo dianteiro apenas quando há necessidade
real, mediante VCU ou (mais recentemente) controle eletrônico, ou
até usando motores elétricos na frente (Porsche 918 Concept) mas
estes não vão andar em nenhuma estrada que não asfalto liso :)
Antonio Tostes Jr 2 de outubro de 2013 09:27
Obrigado pela resposta Boni.
Imaginei que o artigo deveria estar errado...
Quanto ao "TEC" na troca de marchas, o Tulio Melo postou na
página defeitos de nascença que tem o mesmo problema. A
descrição bate exatamente com o que acontece no meu carro.
Será que temos aqui outro problema recorrente? Meu o carro tem
apenas 30.000. Penso que sendo um carro robusto, ainda não
deveria ter folgas na transmissão, mesmo se tiver sido utilizado por
alguém meio braço duro.
Outra coisa: Hoje está chovendo aqui no Rio, então antes de pegar o
aterro eu coloquei a transmissão em 4x4 com o diferencial central
atuando. Me parece que a transmissão passou a fazer um ruído
Responder
Respostas
Responder
Respostas
maior, o que era de se esperar. Só que achei o barulho meio
metálico, como se não houvesse lubrificação na parte dianteira da
transmissão... Percebe isso no seu carro também?
Unknown 29 de dezembro de 2013 14:02
Fale sobre a L200 hls 2.4 flex....4x4....
Responder
Marcos Alburquerque 28 de janeiro de 2014 06:48
Boa tarde,estive este fim de semana na pedra grande em Atibaia,estava subindo
em 4x4 com ar ligado quando percebi que a temperaturo do carro estava
subindo,parei e desliguei o ar a temperatura voltou ao normal,alguem pode me
ajudar o que poderia ser??
Responder
Fabricio Mota 10 de abril de 2014 19:38
Boni muito interessante suas explicações. O que vc tem a me dizer do
consumo da tr4 mesmo as mais novas 2012, 2013? Muitos amigos me dizem q
o consumo é alto mesmo na cidade.
Responder
Boni Reutemann 23 de abril de 2014 04:58
É alto mesmo, devido ao peso do veículo (1500kg).
Regis Marques 13 de maio de 2014 10:02
Olá, gostei muito do post. Apenas uma dúvida que me ocorreu. Não havendo
diferença no asfalto entre o 2H e 4H, seria bom utilizar o 4H permanentemente,
principalmente em épocas que não se faz nenhuma "aventura", para manter o
sistema 4x4 em funcionamento? E o consumo urbano, não apresentaria
diferença entre o 2H e 4H?
Responder
Boni Reutemann 13 de maio de 2014 12:10
Na dúvida, eu uso 4H: em rampas inclinadas (onde há risco de ter de
voltar de ré), quando chove, etc. A estabilidade melhora
enormemente. Quem nunca usa, realmente é bom fazer o 4x4
funcionar de vez em quando.
Mas o uso de 4H permanente tem algumas desvantagens. As mais
imediatas são pequeno aumento no consumo de combustível e
pequena perda de desempenho.
Outra desvantagem, esta de longo prazo, é que a caixa de
transferência (da TR4 e da maioria dos veículos com 4x4 em tempo
Responder
Respostas
Responder
Digite seu comentário...
Comentar como:
Conta do Google
Publicar

Visualizar
parcial) usa corrente para transmitir movimento ao eixo dianteiro.
Esta corrente tem vida útil mais curta do que o resto da
transmissão, entre 50.000 e 80.000km de uso contínuo.
Imagino que veículos tipo Hilux SW4, onde o veículo está sempre em
4H, não usem corrente, ou incluam a troca da corrente nas revisões
normais.
Dentro do uso "típico" do 4x4, entre 5% e 20% da rodagem, a
corrente vai durar, em tese, 400.000km, mais que o resto da
transmissão.
Helio Costa 15 de maio de 2014 13:01
gostaria de saber se eu estando na 4 LLC posso girar a direção ou não
Responder
Boni Reutemann 21 de maio de 2014 06:01
Pode, você vai sentir que é mais pesado.
Helio Costa 15 de maio de 2014 13:01
Responder
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Combo Multi + Smartphone
netcombo.com.br/ComboMulti
Várias Oportunidades Especiais para Você. Veja Nossas Opções Agora!