Tema Hegel, questão

:
“Aliás, a substancia viva é o ser, que na verdade é sujeito, ou – o que significa o
mesmo – que é na verdade efetivo, mas só na mediação consigo mesmo do tornar-se
outro. omo sujeito, é a negatividade !ura e sim!les, e justamente !or isso é o
fracionamento do sim!les ou a du!licação o!onente, que é de novo negação dessa
diversidade indiferente e de seu o!osto. "ó essa igualdade reinstaurando-se, ou só a
refle#ão em si mesmo no seu ser – outro, é que são o verdadeiro$ e não uma unidade
originaria enquanto tal, ou uma unidade imediata enquanto tal. % verdadeiro é o vir a
ser de si mesmo, o circulo que !ressu!&e seu fim como sua meta, que o tem como
!rinc'!io, e que só é efetivo mediante sua atuali(ação e seu fim.)
Elaborar uma explicação do trecho extraído da Fenomenologia do Espírito
de Hegel.
Em Hegel, não se deve entender o verdadeiro a partir da substância, a verdade se
apresenta no sujeito, sendo este como espírito, pensamento. Tal espírito, não é visto
como algo estático, mas diz-se de maneira dinâmica, em constante movimento, ue
pode ser representado em espiral. !esse movimento, temos vários particulares inseridos
de "orma sucessível dentro da verdade universal, onde tal particular restringi-se em um
#dever-ser$. % movimento descrito em Hegel para esse espírito in"inito, mostra-se
espiral por não se deter ao simples retorno sem a possibilidade de di"erencia&ão no real,
mas sim um espírito ue constantemente se move reconstituindo-se.
Hegel compreende o absoluto s' uando observado de acordo com a totalidade
das partes. % real é visto de acordo com a autoconsci(ncia, dada através de um processo
de momentos particulares ue acontecem de modo sucessivo. )ara ele s' podemos
con*ecer algo absolutamente a partir da dialética, ue em Hegel se "az em tr(s
movimentos+ a tese, onde temos o intelecto restrito a determina&,es do "inito- antítese,
onde encontramos a contradi&ão da tese, pois não se restringe mais ao "inito- síntese,
momento de especula&ão onde a razão "az a síntese dos opostos e mostra uma
totalidade.
)ara o con*ecimento absoluto em Hegel, o espírito se move, tal movimento
parte da consci(ncia de si mesmo, #ser em si$, trata-se do logos, da pura racionalidade,
ap's esse movimento temos o #ser "ora de si$, euivalente a natureza, onde temos a
possibilidade das sucess,es do ser, e por .ltimo, a idéia retorna para sim, #ser em si e
para si$, onde temos a autoconsci(ncia do ser.
% verdadeiro é o #vir a ser de si mesmo$, pois o absoluto s' pode ser encontrado
uando o ser ap's se ver em si e "ora de si, retorna para si mesmo, tomando plena
autoconsci(ncia de si. /ssim, encontramos a verdade, num circulo onde vemos sua
e"etividade como consci(ncia da sucessão dos particulares "ormando a verdade
universal e absoluta.