WORKSHOP

(apostila)
Técnicas de gravação audio digital para
guitarra
com:
Ricardo Xavier
(guitarrista, compositor, produtor e ténico de gravação)
Apoio técnico:
André Chacon
(guitarrista e professor)
Tópicos:
• Como e o que utilizar:
! "nstrumentos, cordas, ca#os, pedais, amplificadores, simuladores e tim#re
$! A interface de audio, periféricos, microfones e computadores
%! & soft'are de gravação
• (ravando:
! & sinal de audio e seu camin)o até o computador
$! A#rindo uma sessão de gravação no computador
%! (ravando a primeira sessão
*! +tilizando plug,ins
-! .inalizando a gravação
"nstrumentos, ca#os, pedais, amplificadores, simuladores e tim#re
• "nstrumentos
/0iste uma variedade de instrumentos musicais, entretanto devemos sempre optar por
instrumentos que nos permitam e0ecutar a m1sica que dese2amos de forma mais art3stica, f4cil e
correta poss3vel! +m #om instrumento é construido com madeiras selecionadas, que sim fazem
muita diferença no tim#re que vamos produzir, acessórios de qualidade como: pontes, tremolos,
captadores, trastes, tarrac)as, etc!, e de f4cil toca#ilidade! 5 importante lem#rar que devemos
sempre manter nossos instrumentos limpos e regulados por um 6ut)ier e0periente para uma mel)or
performance!
• Cordas
Assim como instrumentos podemos escol)er dentre uma grande variedade de marcas na
)ora de comprar, mas o que poucos sa#em é que o cali#re (a espessura da corda) influencia e muito
no sinal enviado para o amplificador, o simulador, o computador, etc!, portando alterando tam#ém o
tim#re e a gravação! /0istem algumas difer7nças que nos é importante con)ecer:
! (uitarras com ponte fi0a como na (i#son les 8aul e com tremolo do tipo .ender se adaptam
mel)or a cordas de maior cali#re como: 99, 9 e 9$!
$! As guitarras com tremolo do .lo:d ;ose são mel)ores adaptadas a cali#res menores como
99<, 99= e até 99!
A realidade é que cordas de menor cali#re e0ercem menor tensão so#re o instrumento e
nossos dedos, mas uma guitarra com cordas 9, por e0emplo, muito #em regulada e de ótima
construção nos d4 a sensação de que estamos utilizando cordas de menor cali#re!
• Ca#os
Ca#os de qualidade são de e0trema import>ncia! +m ca#o mal feito ou de #ai0a qualidade
pode alterar ou mesmo atrapal)ar um, ensaio, s)o' ou gravação! Ca#os são parte essencial do som
(tim#re) que queremos criar e demonstrar! /sses ca#os como o ?@onster ca#leA por e0emplo, são
mais caros, mas certamente transportam o sinal de 4udio com mais qualidade, sem perdas
significativas e praticamente sem ruidos indese24veis!
• 8edais
Aqui est4 um tópico que poder3amos vir a discutir por )oras, mas o mais importante por
agora é sa#er que os pedais que dese2amos utilizar durante a e0ecução de nossas m1sicas são
periféricos que alteram o sinal limpo da guitarra transformando esse sinal, por adição dos elementos
sonicos que esse ou aquele pedal traz em sua composição e construção, resultando nos in1meros
efeitos que são poss3veis de se encontrar! /0istem com sa#em uma variedade de pedais dispon3veis
tais como: distorçBes, c)orus, dela:s, saturadores de sinal, dentre muitos outros! .ica aqui uma dica!
5 importante que con)eçamos o camin)o que o sinal enviado pela guitarra vai percorrer quando
c)egar nos pedais! A posição em que os pedais estão conectados é muito importante! Ce2a a#ai0o:
8edaleiras são uma outra opção que é claro geram diferentes resulatados sonoros,
dependendo somente de quem as utiliza com o con)ecimento necess4rio! Talvez a vantagem que as
pedaleiras ten)am so#re os pedais é que podemos fazer uso de muitos efeitos e de forma #em
comple0a utilizando somente um 1nico equipamento que é a pedaleira! @uitas vezes mais acess3vel
e #arata do que um #om ?setA de pedais!
• Amplificadores
Como o nome diz esses equipamentos são antes de tudo amplificadores de sinal! 8orém esse
não é o 1nico motivo pelo qual guitarristas de todo o mundo estão ligados a esse instrumento
amplificador e gerador de sons! Tais equipamentos são parte integrante para gerar um espec3fico
tim#re que no fim esta#elece a qualidade e estilo de um guitarrista! &s amplificadores são in1meros,
mas podem ser distri#uidos conforme sua construção em % tipos diferentes: transistorizados,
valvulados ou )i#ridos! /sse 1ltimo contendo as caracter3sticas dos $ primeiros tipos! &s
amplificadores valvulados são os mais dese2ados dentre os guitarristas por causa de suas qualidades
sDnicas dentre elas a riquesa )armDnica que é gerada pelo uso das valvulas em lugar de transistores!
5 um assunto comple0o e merece uma a#ordagem mais profunda, entretanto no momento o mais
importante é sa#er como efetivamente e0trair um som quente e vi#rante que dar4 vida E m1sica que
dese2amos tocar! /sses equipamentos são acompan)ados de cai0as de som devidamente compostas
para mel)or reproduzir o som que seu amplificador vai gerar! Temos portanto o ?setA mais comum
que c)amamos de com#os, amplificador e cai0a numa mesma unidade, e ca#eçotes que trazem sua
cai0a de som em separado! A pot7ncia desses equipamentos #em como o taman)o de suas cai0as de
som e alto falantes varia de acordo com a necessidade no momento da produção de um dado sinal
de audio! Ce2a a#ai0o:
• Fimuladores
&s simuladores são nada mais que a solução completa para quem dese2a ter v4rios
amplificadores e cai0as ao mesmo tempo! Ao menos é isso que esses equipamentos prometem!
@uitos testes e estudos são feitos durante a construção desses equipamentos! As resultantes sonoras
dos in1meros amplificadores, cai0as e pedais são literalmente colocados, por assim dizer, dentro de
um 1nico equipamento que ir4 simular o efeito, tim#re e relação sonora que um determinado ?setA
de equipamento pode gerar! Fimuladores trazem tipicamente o som dos mais con)ecidos e
dese2ados amplificadores como: @ars)all, @esa Goggie, Folano, etc! 8odemos ainda aplicar
variaçBes dentre esses c)amados ?presetsA de f4#rica, ou ainda criar nosso próprio ?presetA! & mais
interessante desses equipamentos é que geralmente alcaçamos a sonoridade dese2ado com mais
facilidade, porém nem sempre é do agrado de todos os guitarristas! Ho2e em dia, talvez a mel)or
escol)a se2a misturar todos esses equipamentos em #usca do som que mel)or nos agrada! & mais
con)ecido simulador é o ?8&IA da marca ?6ine JA! A#ai0o o e0emplo de $ de seus equipamentos!
/0istem outros dispon3veis!
• Tim#re
/m m1sica, c)ama,se ti!re E caracter3stica sonora que nos permite distinguir se sons de
mesma frequ7ncia foram produzidos por fontes sonoras con)ecidas e que nos permite diferenci4,
las! +ma mesma nota musical tocada por um piano e um violino tem caracteristicas sDnicas muito
diferentes! /ssa diferença no recon)ecimento que fazemos, na percepção dessa diferença entre um
som tocado ao piano e um mesmo som tocado ao violino é que nos faz permite distinguir um
instrumento de outro! Ka guitarra o mesmo acontece, mas pequenas alteraçBes no uso dos
equipamentos que compBe o ?setA de um guitarrista farão com que atin2am um dado colorido
tim#ristico que cada guitarrista impBe so#re o tim#re espec3fico de uma guitarra! /u diria mais a
forma de se pal)etar o instrumento, a suavidade ou agressividade utilizada para pro2etar as cordas
contra os trastes e o #raço da guitarra contri#ui e muito para ageração desse colorido tim#ristico
especial que muitos guitarristas são capazes de criar! 8odemos simplesmente o#servar isso ouvindo
diferentes guitarristas por e0emplo: 8at @et)en:, Fteve Cai, Fatriani, Lo)n 8etrucci, Leff GecM,
Limm: Gruno, etc!
• "nterface de 4udio
+ma interface de audio nada mais é que um equipamento que trasforma sinais analógicos
em sinais digitais! A interface recria digitalmente os elementos que formam o tim#re de uma voz ou
instrumento musical! +m processador no interior da interface rece#e um sinal elétrico e o
transforma em informação digital a qual ser4 utilizada dentro de um computador e por consequencia
manipulada através de um ?soft'areA que reproduzir4 a imagem desse sinal digital! 8ara que
possamos ouvir o som que estamso manipulando o soft'are 2untamente com a interface
transformam esse sinal digital 24 alterado ou manipulado para um sinal elétrico analógico
novamente! Iessa forma esse sinal poder4 ser interpretado por um alto falante que transformar4 os
impulsos elétrico em vi#raçBes mec>nicas do ar recosntituindo o som inicialmente captado!
• 8eriféricos
8or vezes e menos comuns em est1dios menores, periféricos com são c)amados são
equipamentos geradores ou transformadores de um sinal de 4udio! Temos uma longa lista de
diferentes periféricos que quando utilizados com con)ecimento resultam na ela#oração de #elas
sonoridades e efietos numa gravação por e0emplo! Ientre eles podemos citar alguns com e0emplo:
compressores, limitadores, geradores de dela:s, rever#eres, pré amplificadores, endereçadores de
sinal, e muitos outros!
• @icrofones
@icrofones são de fato instrumentos capazes de trasformar vi#raçBes sonoras captadas no ar
em impulsos elétricos! /0istem na atualidade J tipos de microfones, cada um capaz de traduzir
essas vi#raçBes sonoras do ar de forma e qualidade diferente!
• "#$%&#COS
• CO$"'$SA"OR
• CO$"'$SA"OR ( ')'TR'TO
• *#TA
• CAR+O$O
• P#',O-').TR#CO
8or vezes nos deparamos com questBes do tipo: qual o mel)or microfone para gravar uma guitarra
ou voz, ou contra#ai0oN Ka verdade, em#ora e0istam microfones que foram produzidos com
espec3ficas finalidades, devemos entender que microfonação é tam#ém uma arte e com e0peri7ncia
e estudo um #om técnico consegue diferentes sonoridades com microfones, que por vezes, não são
realmente adequados para aquele fim! & mais importante é que tra#al)emos com microfones de
qualidade comprovada e atuemos com a convicção de que sa#emos muito #em oque estamos
fazendo, técnica e artisticamente!
• Computadores
Ho2e em dia é dif3cil encontrar quem realmente não con)eça um computador! /sse
equipamento é tão comum e necess4rio atualmente quanto nossas geladeiras! Conforme sua
configuração e sistema operacional temos resumidamente esses $ tipos: 8cs da "G@ e o @acintos)
da Apple! Am#os estão aptos a oferecer o processamento e funçBes que nos au0iliarão na
manipulação do soft'are de gravação! Ka verdade é no ?)ard disMA (HI) do computador que o
audio que captamos com o microfone fica armazenado para que possamos tra#al)a,lo! As partes
#4sicas para o funcionamento de um computador geralmente são: a fonte eletrica, a placa mãe com
as v4rias entradas +FG, fire'ire e demais necess4rias, o processador, o ?)ard disMA, a memória
?;A@A, a placa de video, o monitor de video, o leitor e gravador de CIOICI, mouse, teclado, o
ga#inete, ca#os, etc! Tam#ém os c)amados 6aptops e Kote#ooMs são muito eficientes e utilizados!
@as é sempre importante sa#er qual adquirir porque certas interfaces de audio do mercado e0igem
configuraçBes espec3ficas para que o computador possa gerenci4,la corretamente! (eralmente
encontramos essa informação nos ?sitesA dessas empresas!
• Foft'are de gravação
+ma das peças fundamentais do processo de gravação, é o soft'are que nos d4 acesso visual
e sonoro aos elementos da m1sica que estamos gravando! 5 através de seu mecanismo de ação que
podemos manipular o audio gravado e alterarmos ou não seu conteudo ou essencia para c)egarmos
ao resultado dese2ado! Como o mercado florece mais a cada dia, temos tam#ém v4rios desses
soft'are para edição e sequenciamento de audio digital )o2e em dia! /0istem diferenças na )ora de
se manipular as propriedades desses soft'ares, por isso devemos estud4,los a fundo para podermos
utiliz4,los a nosso favor e a favor da arte e produção audio digital na qual estamos envolvidos!
+tilizaremos aqui o soft'are da empresa AC"IO Iigidesign, o 8ro Tools muito difundido em todo
mundo por sua qualidade de som e facilidade de manuseio!
Cada um desses tópicos nos daria dias de discussão e estudo aprofundade, mas a essencia
desse ?'orMs)opA é demonstrar de maneira pr4tica como funciona a captação (gravação) de um
instrumento musical através desses equipamentos! Todo processo criativo traz consigo uma gama de
enorme de pequenos outros processos no decurso de seu desenrolar! Ca#e a nós estud4,los com
cuidado e seriedade para que possamos oferecer os mel)ores resultados poss3veis num dado
processo de criação e produção musical!
Ricardo Xavier
armfxavier@hotmail.com
9191-1142
+m pouco a respeito de ;icardo Pavier
Aos meus anos começei a estudar m1sica, um pouco tarde para muitos, mas fiquei
apai0onado no momento em que ouvi meus primeiros discos (antigos 6ps) dos artistas e #andas que
ficavam na prateleira em cima da min)a cama! Goa parte desses discos eram de musica erudita e
2azz (do meu pai), mas alguns outros eram de mp#, dos #eatles e até uns muito antigos de musica
#rasileira ainda dos anos -9!!!eram da min)a avó! Gom eu escutava de tudo na época até as )orriveis
colet>neas de m1sicas romanticas que as gravadoras lançavam, risos! Comecei a estudar o violão
popular, mas depois de um tempo perce#i que oque eu dese2ava mesmo era soar como os caras do
ACIC, então fiquei um tempo tentando imitar os caras por mim mesmo! (an)ei min)a primeira
guitarra aos $, uma guitarra Lennifer!!rs, credo, mas era oque eu tin)a pra tirar os sons do
@etallica! nessa época eu desco#ri muitas coisas por mim mesmo, não )avia um guitarrista que
desse aulas de rocM, ou como tirar os solos do Hendri0 em tau#até! Tive que confiar na min)a
audição e intuição pra imitar os sons que ouvia! @eu primeiro pedal de distorção foi o amplificador
gradiente do antigo aparel)o de som que ao colocar o volume no m40imo (imagineN) saturava o
falante das cai0as e me dava aquele som, que na época eu ac)ava o m40imo e parecido com o do
Hendri0! Quando fiz < anos 24 integrava uma #anda que ficou con)ecida aqui na região c)amada
Cruciform! "ntegramos uma colet>nea da então ;evista ;ocM Grigade, mas aca#amos nos
separando! Kesse tempo eu 24 flertava a uns dois anos com a m1sica cl4ssica e a composição
musical em geral, principalmente para orquestra que eu sempre adorei! Comecei a escrever para
orquestra como louco pra tentar entender o processo e tudo que envolvia a composição para um
grupo tão grande de instrumentos! /studava FtravinsM: e #ac) como um louco, )oras e )oras
procurando afinidades e relaçBes!!!!então mergul)ei no estudo de )armonia e contraponto! Kessa
época comecei a estudar violão cl4ssico no conservatório local e foi muito importante porque então
sedimentei min)a técnica instrumental e pude ter contato com a composição musical! 6ia muito,
questionava muito os professores! @eu querido professor Limmi .erreira me iniciou nos estudos do
violão erudito! @eu amigo e professor @4rio C! Iias tam#ém! (raças a facilidade técnica que
desde o principio pude fazer uso, no prazo de um ano estava tocando Cilla 6o#os, Garrios, Gac) e
muita m1sica contempor>nea pra violão! .azia isso até de ouvido, por que naquela época a min)a
leitura era ruim, )o2e é regular! 8articipei de cursos e 'orMs)ops, varios com o apoio de professores
de renome como o saudoso Henrique 8into! Iepois parei de tocar violão como concertista, quero
dizer, nunca fui o concertista, mas estudava pra isso! 8arei porque min)a vida sempre foi a
composição, principalmente para orquestra e isso e0igiria de mim muito esforço e tempo! /m
meados de ==* no .estival de "nverno de Campos do Lordão, como #olsista, travei meu primeiro
contato com a musica moderna de fato, e a m1sica eletroacustica! .ui dai em diante orientado por
grandes nomes, talvez descon)ecidos do grande p1#lico, mas essas pessoas trou0eram,me a
maturidade que #uscava a anos! 6ivio Tragten#erg e posteriormente, .lo @enezes foram as figuras
c)aves como professores e compositores que são! .ui aluno especial na .asm a pedido de .lo
menezes para compor min)a primeira composição eletroacustica! /m ==< fui a Aleman)a para
participar do primeiro curso que o compositor alemão Rarl)einz FtocM)ausen daria, de uma série
que se repetiu anualmente até sua morte em $99S! Quando voltei da europa com a #agagem que
tanto procurei durante anos perce#i que aqui a coisa é realmente esquisita pra não dizer outra coisa!
Aca#ei montando um estudio de gravação no qual tra#al)ei por quase 9 anos! & estudio de musica
eletroacustica da .asm deu,me a segurança e con)ecimento que iria utilizar no meu estudio, mas
nesse caso pra gravar musica popular, sertane2o, sam#a, 2azz, rocM, etc!!!#em longe dos meus
son)os, mas assim foi! Aca#ei ficando nove anos sem tocar de verdade! A#andonei a e0ecução
musical quase que por inteiro e a composição tornou,se um )o##:! Ainda com o estudio eu voltei a
tocar guitarra e comecei a compor para o instrumento! Iesde então voltei a ativa e ten)o me
intusiasmado em compor tril)as em geral! /stou finalizando meu primeiro cd, que na verdade 24 era
pra estar pronto a alguns anos! Ie l4 pra c4 foram muitos altos e #ai0os, mas a luta e o son)o
continuam! @1sica, 8az e Fucesso para todos! Ieus nos a#ençoe e fortaleça nossos esp3ritos!