Apostila: Matemática Básica – por

Prof. Jullyene B. Assunção

Apostila de Matemática
Ensino Fundamental

MATEMÁTICA
Profª Jullyene B. Assunção

Apostila: Matemática Básica – por

Prof. Jullyene B. Assunção

Sumário
Unidade 1 – Revisão de Tópicos Fundamentais do Ensino Médio..........................................04
1.1 Apresentação............................................................................................................................04
1.2 Simbologia Matemática mais usual.........................................................................................04
1.3 Conjuntos Numéricos..............................................................................................................05
1.4 Operações com Números Relativos.........................................................................................07
1.4.1 Soma ou Adição........................................................................................................07
1.4.2 Subtração ou Diferença............................................................................................08
1.4.3 Multiplicação............................................................................................................09
1.4.4 Divisão......................................................................................................................09
1.4.5 Potenciação...............................................................................................................10
1.4.6 Radiciação.................................................................................................................11
1.4.7 Produto......................................................................................................................14
1.4.8 Expoente Nulo..........................................................................................................15
1.4.9 Expoente Negativo...................................................................................................15
1.4.10 Expoente Fracionário................................................................................................16
1.4.11 Emprego de Potências de Dez para simplificar a representação de certos
números....................................................................................................................
1.5 Produtos Notáveis....................................................................................................................16
1.5.1 Quadrado de um binômio.........................................................................................16
1.5.2 Produto da Soma de dois termos pela diferença entre eles.......................................17
1.5.3 Cubo de um binômio................................................................................................17
1.6 Equações..................................................................................................................................19
1.6.1 Equação do 1.º grau com uma Incógnita..................................................................19
1.6.2 Equação do 2.º grau com uma Incógnita..................................................................20
1.7 Progressão Aritmética (P. A.)...................................................................................................22
1.7.1 Definição..................................................................................................................22
1.7.2 Classificação.............................................................................................................22
1.7.3 Termo Geral..............................................................................................................23
1.7.4 Propriedades.............................................................................................................23
1.7.5 Soma dos n primeiros termos de uma P. A...............................................................25
1.8 Progressão Geométrica (P. G.).................................................................................................28
1.8.1 Definição..................................................................................................................28
1.8.2 Classificação.............................................................................................................29
1.8.3 Termo Geral..............................................................................................................29
1.8.4 Propriedades.............................................................................................................30
1.8.5 Soma dos n primeiros termos de uma P. G...............................................................32
1.9 Coordenadas Cartesianas no Plano..........................................................................................35
1.10 Equação reduzida da Reta....................................................................................................37
1.11 Noção de Aplicação..............................................................................................................42
1.12 Exercícios Propostos............................................................................................................43
1.13 Respostas dos Exercícios Propostos.....................................................................................46
1.14 Números Complexos............................................................................................................47
1.14.1 Introdução.................................................................................................................47
1.14.2 Potências de j............................................................................................................50
1.14.3 Representações e Formas de um Número Complexo...............................................51
a) Representações...................................................................................................51
b) As Fórmulas de Euler e suas decorrências.........................................................54

..........................8 Introdução aos Produtórios..............88 g) Circunferência Unitária..................9 Definição Formal de Produtório............................................................................................................................................19 Média Harmônica – Dados Não-agrupados............................................................1) Cartesiana ou Retangular............................................................5 Propriedade dos Somatórios Duplos..143 2...........20 Média Harmônica – Dados Agrupados......................................................................................17 Média Geométrica – Dados Não-agrupados....3 Propriedades dos Somatórios...............................................................................................................................55 c.............................................. Assunção c) Formas..........10 Propriedades dos Produtórios..........55 c...............................141 2.........................................................................87 d) Exterior da Circunferência..............................69 e) Potenciação...............................................135 2...127 2.........................................................................................................................................................................143 2..............................88 f) Coroa Aberta....................................................................................................................................62 a) Igualdade.....4 Operações com Números Complexos.........................................................................................................................................................................6 Curvas e Regiões no Plano Complexo.....................................................118 2.....21 Exercícios Propostos sobre Medidas de Posição................55 c...................14...Apostila: Matemática Básica – por Prof..16 Média Geral................137 2......................................62 b) Adição e Subtração.7 Respostas dos Exercícios Propostos sobre Somatórios...74 1...........................55 c...134 2............................................................................................................................................................................................140 2...........................................................................128 2........................62 c) Multiplicação............................14 Média Aritmética – Dados Não-agrupados................................................................4) Polar ou de Steinmetz.................................................................12 Respostas dos Exercícios sobre Produtórios................................................2 Definição formal de somatório..................14........88 h) Reta que une dois pontos....................................................................87 e) Coroa Fechada.....................................................86 c) Disco Aberto...............89 1.....16 Respostas dos Exercícios Propostos sobre Números Complexos..........................................3) Exponencial ou de Euler.................................................................................125 2........................................................................................146 2...115 2..13 Introdução às Medidas de Posição...................................................................................84 b) Disco Fechado............................14............................................................................................82 1......................................144 2....2) Trigonométrica.......................15 Exercícios Propostos sobre Números Complexos.4 Somatório Duplo.................140 2....................................................................................90 1............................................................................................139 2.............................6 Exercícios Propostos sobre Somatórios...................84 a) Circunferência.........................18 Média Geométrica – Dados Agrupados....................................................71 f) Radiciação...................116 2...............................115 2.................60 1............................................................................................... Produtórios e uma Introdução às Medidas de Posição.......11 Exercícios Propostos sobre Produtórios..........................149 .............................................................................................................................................................................................................................................1 Introdução aos Somatórios..................................................60 c........................ Jullyene B............................................................................................132 2........................................................97 Unidade 2 – Somatórios......................................................................145 2.........................................5 Desigualdade do Triângulo...............................................................................67 d) Divisão....................................................5) Algumas Formas Polares Especiais.....................................................................15 Média Aritmética – Dados Agrupados.........................................134 2..........................................................55 c...............................6) Complexo Conjugado.........................................................

.........161 3......................................................................................4...................................................205 3.................4................17 Soma ou Adição de Matrizes.............................206 3..................................................................4.............4.4.....................171 3.............................................4...................................................................4..............................................22 Matriz Idempotente......................4..................................14 Matriz Anti-simétrica.................................. Apresentação.............. Matrizes Especiais e Operações com Matrizes..................13 Matriz Simétrica.153 3..15 Matriz Hermitiana......19 Produto de um Número Complexo por uma Matriz...........152 2.......173 3............7 Matriz Identidade ou Matriz Unidade....152 Unidade 3 – Matrizes.........4.................................4..............................................................................154 3.....................12 Matriz Conjugada.................................... Introdução Histórica..................4...............11 Matriz Oposta..............................................................................................173 3........................................................170 3...................................................................................................153 3........................4.161 3..................................... Assunção 2......22 Exercícios de Revisão sobre Medidas de Posição..............................4................20 Produto de Matrizes........5 Matriz Diagonal..218 ...................4...................................4.................................165 3........................................164 3......................4......................161 3.....4..........4................................................................................................................23 Matriz Nilpotente ou Nulipotente............18 Subtração ou Diferença de Matrizes.....16 Matriz Anti-hermitiana..................4....... um primeiro enfoque........................................165 3...........................................................................................................206 3...........................6 Respostas dos Exercícios Propostos.........1 Matriz Linha..................................................................207 3...................................2......166 3......174 3..167 3....4 Matriz Triangular........................................164 3.............24 Respostas dos Exercícios de Revisão sobre Medidas de Posição.......................5 Exercícios Propostos............................ Conceitos Fundamentais........................................................4......................8 Matriz Nula ou Matriz Zero...............................................................4...............166 3.211 3................ Jullyene B........................................................................23 Respostas dos Exercícios Propostos sobre Medidas de Posição.................................................................................................9 Igualdade de Matrizes..............................................179 3................................169 3....................186 3..........4.................................................................................................160 3...4.................Apostila: Matemática Básica – por Prof............................................................................151 2..............................1.2 Matriz Coluna.......................................153 3................................4..4..........................................6 Matriz Escalar.................................21 Matriz Periódica............................................................24 Polinômio de uma Matriz...204 3......................3 Matriz Quadrada.....25 Matrizes em Blocos ou Partição de Matrizes................4.........................................178 3.168 3............................................................................................................................................................3..............10 Transposição de matrizes.................

1.Apostila: Matemática Básica – por Prof. e esperamos que os estudantes que estejam fora do “bom combate” há algum tempo. ou há muito tempo. e os conceitos fundamentais nos seus devidos lugares. e já tendo tido várias turmas anteriores de experiência. Jullyene B. Devido à flagrante heterogeneidade dos alunos. possam colocar suas idéias de novo em ordem. optamos por apresentar. alguns assuntos básicos que entendemos como sendo absolutamente fundamentais para o restante do curso.2 Simbologia Matemática mais usual Esperamos que o estudante conheça a seguinte simbologia: a) = (igual à) b)  (diferente de) c)  ou   (conjunto vazio) d)  (pertence à) e)  (não pertence à) f)  (está contido) g)  (não está contido) h)  (contém) i)  (não contém) j)  (existe pelo menos um)  k)  (não existe) l) | (existe e é único) m) | (tal que / tais que) n)  (ou) o)  (e) .1 Apresentação Esta é a primeira unidade da disciplina Matemática 1 dos cursos da área de Informática da Universidade Estácio de Sá. Assunção Unidade 1 Revisão de Tópicos Fundamentais do Ensino Médio 1. mesmo que de forma sucinta.

portanto. 1. qualquer que seja) s)  (implica) t)  (implica e a recíproca é equivalente) u)  (donde se conclui) 1. etc. por definição. d) R é o conjunto dos números reais. 2. 3. 2. 5 2 3 São exemplos de números irracionais:   3.73205  .41421 . É o conjunto dos números racionais.  c) Q   x | x   p  q sendo p  Z. e certos conjuntos numéricos são especialmente importantes devido às propriedades das operações entre seus elementos e.14159  (pi). 4. 2  1.71828  (base dos logaritmos neperianos). 3  1.  é o conjunto dos números inteiros não-negativos.Apostila: Matemática Básica – por Prof. 3.  3 . os conjuntos de maior importância são aqueles formados por números. etc. q  Z e q 0. é infinita em ambos os sentidos.3 Conjuntos Numéricos É lógico que. e costumamos associar tais números aos pontos de uma reta que. para a Matemática. Assunção p) A  B (interseção dos conjuntos A e B) q) A  B (união dos conjuntos A e B) r)  (para todo e qualquer.  1. 2 1 1 2 3  –3 –2 –1 0 2 1 2 3 3  .  . 0. e  2. 1.  2. Jullyene B. formados por todos os números racionais e irracionais. quais sejam: a) N   0.  é o conjunto dos números inteiros.  . São exemplos de números racionais:  3 9 8 . b) Z   . recebem nomes especiais.

14). 4. estamos indicando que foram excluídos todos os números negativos dos conjunto. l) Q    x| x  Q e x  0 é o conjunto dos números racionais não negativos m) R    x| x  R e x  0 .1 Representação gráfica de alguns elementos do conjunto R. sendo x  R. estamos indicando que o zero foi excluído do conjunto. Jullyene B. g) Z* h) Q * i) R * j) C *   x| x  Z e x  0   x| x  Q e x  0   x| x  R e x  0   x| x  C e x  0 Quando incluímos o símbolo + (mais). temos: f) N*  1. 2. k) Z    x| x  Z e x  0  N é o conjunto dos números inteiros não negativos.   x| x  N e x  0 é o conjunto dos números naturais. j 1 . 5. Assunção Fig. Assim. 3. y  R e é (voltaremos a tal assunto na seção 1. e) C   z | z  x  jy .Apostila: Matemática Básica – por Prof. é o conjuntos dos números complexos Quando incluímos o símbolo * (asterisco). 1.

R  . p) R    x| x  R e x  0 é o conjunto dos números reais não positivos. Quando acrescentamos o símbolo – (menos) estamos indicando que foram excluídos todos os números positivos do conjunto. Se excluímos o zero destes conjuntos. Jullyene B. Devemos notar que o zero é elemento dos conjuntos Z . o) Q    x| x  Q e x  0 é o conjuntos dos números racionais não positivos. R  . teremos: q) Z* r) Z* s) Q * t) Q * u) R *   x| x  Z e x  0   x| x  Z e x  0   x| x  Q e x  0   x| x    x| x  Q e x  0 R e x  0 .Apostila: Matemática Básica – por Prof. Assunção é o conjunto dos números reais não negativos. Assim. Z  . temos: n) Z    x| x  Z e x  0 é o conjunto dos números inteiros não positivos. Q  . Q  .

Jullyene B.  ILUSTRAÇÃO 1. ocorrendo o oposto quando o sinal antes do parêntese for o de (–). e o sinal que prevalece é o deste último.Apostila: Matemática Básica – por v) R *   x| x  Prof. Se não houver nenhum sinal antes do parêntese estará implícito que o sinal será o de mais (+). todo número natural é inteiro. Os outros têm nomes semelhantes. todo número inteiro é racional. 1.4 Operações com Números Relativos  Ilustração 1.1: Números relativos  1. É bom lembrar também que o sinal mais (+) antes de um parêntese não vai alterar o sinal do número que está entre parênteses. todo número racional é real e todo número real é também complexo.1 3 2 1 0 1 2 3  Soma ou Adição Quando os números têm o mesmo sinal basta conservá-lo e adicionar os números. quando os sinais são contrários subtraímos o menor do maior.2 a) (10)  (2)  10  2  12 b) ( 10)  ( 2)  10  2  8 c) ( 10)  ( 2)  10  2  8 d) (10)  ( 2)  10  2  12 . Assunção R e x  0 O conjunto R * é chamado conjunto dos números reais estritamente positivos e R * é o conjunto dos números reais estritamente negativos.4. Notemos a propriedade: N*  Z  Q  R  C isto é.

Apostila: Matemática Básica – por Prof. e assim por diante até a última parcela.3 ( 5)  ( 3)  ( 7)  ( 3)  ( 4)   ( 2)  (7)  (3)  ( 4)   ( 5)  (3)  (4)   (2)  ( 4)  2 Podemos também adicionar separadamente todas as parcelas positivas e todas as negativas e. temos: — soma das parcelas positivas: — ( 5)  ( 3)  ( 4)  12 — soma das parcelas negativas: — ( 3)  ( 7)  10 — soma de ambos os resultados: — ( 12)  ( 10)  2 1.4.2 Subtração ou Diferença Cumpre observar que o sinal de menos (–) antes de um parêntese troca o sinal do .  ILUSTRAÇÃO 1. em seguida. o resultado obtido com o terceiro. Assunção Quando devemos somar mais de dois números relativos o resultado é obtido somando o primeiro com o segundo.  ILUSTRAÇÃO 1.4 Efetuando a soma do exemplo anterior. somar os dois números de sinais contrários obtidos. Jullyene B.

4 Divisão .4. procedemos como na operação anterior.6 a) (10)  (2)  20 b) (10)  (2)  20 c) (10)  (2)  20 d) (10)  (2)  20 1. Jullyene B. 1.3 Multiplicação  Ilustração 1.5 a) ( 10)  (2)  10  2  8 b) ( 10)  ( 2)  10  2  12 c) ( 10)  (2)  10  2  12 d) ( 10)  ( 2)  10  2  8 Para as operações de multiplicação e divisão que virão logo a seguir vale a seguinte regra: “Números de mesmo sinal dão sempre resultado positivo. enquanto que os de sinais contrários conduzem sempre à resultados negativos”. Assunção número que está entre parênteses e.4.Apostila: Matemática Básica – por Prof. no mais.  ILUSTRAÇÃO 1.

7 a) (10)  ( 2)  5 b) (10)  ( 2)  5 c) (10)  ( 2)  5 d) ( 10)  (2)  5 1. os fatores são todos iguais. esta operação recebe o nome de potenciação. Jullyene B. a potência de um número é o produto de fatores iguais a este número. a seqüência de operações é simples: .º de repetições dos fatores iguais)  base (é o número ou fator em questão) Conforme veremos a seguir. toda potência de expoente ímpar tem o sinal de base. Assim sendo.8 a)   2  4    2    2  (2)    2   16 b) (2) 4    2    2    2    2  16 c)   2 3    2    2    2  8 d) ( 2)3    2    2    2  8 Para executar a potenciação de um número relativo em uma minicalculadora. porém. sendo representada por: ap  expoente (n. qualquer que seja o sinal da base. em uma multiplicação.4. toda potência de expoente par é positiva.5 Potenciação Quando.  Ilustração 1.Apostila: Matemática Básica – por Prof. em módulo e em sinal. Assunção  Ilustração 1.

. (b) Determinar   2 4 : Primeiramente digitamos a base (–2).º) Vai aparecer o número 16 no visor da calculadora.º) Pressionamos a tecla exponencial  (CASIO modelo fx-82LB) ou y (CASIO modelo fx-6300 G) x    . Jullyene B.º) Pressionamos a tecla exponencial      (CASIO modelo fx – 82LB) ou EXE (CASIO modelo fx – 6300G)   . 3.º) Digitamos a base (2)     yx 2.Apostila: Matemática Básica – por Prof.º) Digitamos o expoente (4)   4. Em outras (CASIO fx – 6300G) apertamos a tecla – e depois digitamos o número 2. expoente. Assunção (a) Determinar 2 4 : 1. que serão analisadas logo a seguir.   que depende do modelo da minicalculadora. .   que depende do modelo da minicalculadora. A esta altura é interessante notar a diferença entre a potenciação seqüencial e a potenciação escalonada. por exemplo) digitamos o número 2 e depois apertamos a tecla   para trocar o sinal para menos. Em algumas calculadoras (CASIO fx 82 – LB. 5. O restante da seqüência de operações é igual a do item a: tecla exponencial..

Jullyene B. ou seja: 3 2 2  28  256 1. . a radiciação é a operação inversa da potenciação.9 a) Potenciação Seqüencial: (2)    4 2 3 3  64 .6 Radiciação a) Raiz n-ésima de um número: Dizemos que um número “b” é a raiz n-ésima exata de um número “a” quando a  bn e ela é representada por n a b Denomina-se radiciação a operação pela qual se obtém a raiz n-ésima de um número. que também pode ser efetuada diretamente mantendo-se a base e multiplicando-se os expoentes: 2 23  2 6  64 b) Potenciação Escalonada: 3 22 2 3 que pode ser entendida como 2 . Temos então:  O sinal é o radical  O número " a" é o radicando   O número " n" é o índice do radical  Assim sendo 9 3 3 porque 32  9 8  2 porque 23  8 No caso de n = 2 a raiz se diz quadrada e não é usual escrever este índice no radical.4. Nas operações exatas. Assunção  Ilustração 1.Apostila: Matemática Básica – por Prof.

No entanto.º caso  . item j da seção 1. Assunção No caso de n = 3 a raiz se diz cúbica.º) Índice par e radicando positivo.Apostila: Matemática Básica – por Prof.14. a radiciação é uma operação unívoca. da seção 1. se este radicando é um número relativo a unicidade. item f. conforme já mencionado  tal assunto será abordado na seção 1. bem como um par complexo conjugado (vide exercício proposto 39. b) Valor algébrico dos radicais: Se o radicando é considerado em valor absoluto (módulo). 3.º) Índice para e radicando negativo.14 3.15). Neste caso não existe nenhum valor do conjunto do números reais que elevado ao índice para seja igual ao radicando.º caso      8 2  64  64  8 pois     8  64    5 4  625  625  5 pois  4    5  625  32  2 pois   2  32 5  32  2 pois   2  32 5  4   j e. tendo o mesmo sinal que o radicando.º) Índice ímpar. Este assunto será abordado na seção 1. e (n – 1) raízes no conjunto dos números complexos (vide exercício proposto 38.10    1. mas este índice aparece no radical. em alguns casos.  Ilustração 1.15). 2. temos uma raiz no conjunto dos números reais. Neste caso o radical admitirá duas raízes reais e simétricas no conjunto dos números reais. Sendo o índice do radical um número ímpar. não estará mais garantida e por isso vamos considerar três casos: 1.º caso   4    5  5 2. Jullyene B.

º) Pressionamos a tecla  x  e depois o valor 32 x y .º) O número 5 aparece no visor b) Determinar 5  32 : a.º) Pressionamos a tecla x 3.1) Utilizando uma CASIO fx-82 LB: 1.º) O valor – 2 aparece no visor.º) Pressionamos as teclas 2nd F e yx a fim de convocar a operação x y 3.2) Utilizando uma CASIO fx-6300 G 1.º) Digitamos o radicando 625 4.º) Digitamos o índice 4 2. A determinação de raízes através de minicalculadoras é simples: a) Determinar 4 625 : a. se alguém lhe perguntar qual é o valor de 9 .º) Pressionamos a tecla 3.º) Digitamos o índice 5 4. a. a resposta e simplesmente 3.º) Digitamos o radicando 625 2.º) Pressionamos a tecla  para trocar o seu sinal a fim de convocar a operação 3. e devemos ter em mente que se desejamos o valor algébrico da raiz a resposta completa é  5.Apostila: Matemática Básica – por Prof. Jullyene B.º) Digitamos o expoente 4 4.º) Pressionamos as teclas 2nd F e yx  5.º) O número 5 aparece no visor de calculadora.1) Utilizando um CASIO fx-82 LB 1.º) Digitamos o índice 5 2. a. Agora se for pedido o valor algébrico do 9 teremos então  3. Assunção Observação: pelo que foi exposto.º) Pressionamos a tecla  5.º) Pressionamos a tecla EXE 5.º) Digitamos o valor 32 e pressionamos a tecla 2.2) Utilizando uma CASIO fx-6300 G 1.

º) Pressionamos a tecla EXE 5.Apostila: Matemática Básica – por Prof. mas de modelos diferentes. 1.11 1 1 3 a) a 3  a 2  a  4  a 2  a 3 2  4 2  a 2 b) b8  b 8 5  b 3 5 b c) x2  x 2 5  x 3 5 x d) I3  I 3( 4 )  I 7 4 I 1. O que não esperar de modelos de outros fabricantes? Por isso insistimos que cada estudante deve adquirir logo sua própria calculadora. Jullyene B.12 a0  1 Observação: . são totalmente diferentes.8. Ilustração 1. Observação: Devemos notar que as rotinas para calculadoras do mesmo fabricante (CASIO).7 Produto e Divisão de Potências de Mesma Base a) Para multiplicar potências de mesma base. Expoente Nulo Toda potência de expoente nulo é igual à unidade. Assunção 4. a fim de se familiarizar com o uso da mesma.  Ilustração 1. repetimos a base e subtraímos o expoente do denominador do expoente do numerador.4. repetimos a base e somamos os expoentes. b) Para dividir potências de mesma base.4.º) O valor – 2 aparece no visor.

Jullyene B. Assunção São exceções 0 0 e  0 . (1) an  Ilustração 1.13 4 a) 2  1 1  4 2 16 2 b) 3  1 1  32 9 Observações: 1ª) Em conseqüência do exposto anteriormente temos: an  1 an (2) 2ª) Agora podemos obter o mesmo resultado do item (d) da ilustração 11 por outro caminho: I3  I3  I4  I7 I 4 1. 1.4.9 Expoente Negativo Toda potência de expoente negativo equivale a uma fração cujo numerador é a unidade e o denominador é a potência com o expoente positivo ou seja: a  n  1 .4.Apostila: Matemática Básica – por Prof.10 Expoente Fracionário Toda potência de expoente fracionário equivale a uma raiz cujo índice é o denominador da fração e cujo radicando é a base elevada a um expoente igual ao numerador. e são abordados em Análise Matemática na parte de Limites. ou seja: p aq  q ap (3) . que não têm qualquer significado numérico. sendo símbolos de indeterminação.

mantendo-se agora um espaço entre as mesmas.0003  3  104 — 0. Assunção  Ilustração 1. Jullyene B.000.Apostila: Matemática Básica – por Prof. 1.000.14 Determinar os valores algébricos das seguintes operações: 2 a) 8 3  3 82  3 64  4 1 b) 16 2  16  4 c) 4  1 2  1 4 1 2  1 1  2 4 1.000  2  103 b) 4 000 000  4  10 6 * — 4.1 Quadrado de um binômio a) (a  b) 2 : (a  b) 2  (a  b) (a  b)  a 2  ab  ab  b 2  a 2  2ab  b 2 ou .000  4  106 c) 0.0003  3  104 d) 0. respectivamente por 2.025  25  103 (*) Antigamente representava-se 2 e 4 milhões.U.000.025  25  103 — 0.000 e 4.: a) 2 000  2  103 * — 2.5.5 Produtos Notáveis 1.11 Emprego de Potências de Dez para simplificar a representação de certos Números  Ilustração 1.15 No Brasil: Nos E.A.4. Já há alguns anos aboliram-se os pontos separatrizes de classes.

Apostila: Matemática Básica – por Prof.3 a) (6) Cubo de um binômio (a  b)3  (a  b)(a  b) 2  (a  b)(a 2  2ab  b 2 )   a 3  2a 2b  ab 2  a 2b  2ab 2  b3  .2 (5) Produto da soma de dois termos pela diferença entre eles ( a  b) ( a  b ) : (a  b) (a  b)  a 2  ab  ab  b 2  a 2  b 2 ou a  b a  b a 2  ab  ab  b 2 a2  b2 ( a  b) ( a  b)  a 2  b 2 1. Assunção a  b a  b a 2  ab  ab  b 2 a 2  2ab  b 2 ( a  b) 2  a 2  2ab  b 2 (4) b) ( a  b) 2 : ( a  b) 2  (a  b) (a  b)  a 2  ab  ab  b 2  a 2  2ab  b 2 ou a  b a  b a 2  ab  ab  b 2 a 2  2 ab  b 2 ( a  b) 2  a 2  2ab  b 2 1.5. Jullyene B.5.

Jullyene B. Assunção  a 3  3a 2b  3ab 2  b3 ou a 2  2 ab  b 2 a  a 3 b  2 a 2b  ab 2 a 2 b  2 ab 2  b 3 a 3  3a 2b  3ab 2  b 3 (7) ( a  b)3  a 3  3a 2b  3ab 2  b3 b) ( a  b)3  ( a  b)( a  b) 2  ( a  b)(a 2  2ab  b 2 )   a 3  2a 2b  ab 2  a 2b  2ab 2  b3   a 3  3a 2b  3ab 2  b3 ou a 2  2 ab  b 2 a  b 3 a  2a 2b  ab 2 a3  a 2b  2 ab 2  b 3  3a 2b  3ab 2  b 3  a  b 3 (8)  a 3  3a 2b  3ab 2  b 3  Ilustração 1.16 a)  a  5 x  2  a 2  2  a   5 x    5 x  2   a 2  10ax  25 x 2 b) 5 x 2  3y  2   5x2  2  2 5 x  2 3y  3y2   25 x 4  30 x 2 y  9 y 2 c)  x y  x   x   y y  2 2  x y d)  2 x  3 y  3   2 x  3  3  2 x  2  3 y   3  2 x   3 y  2   3 y  3   8 x 3  36 x 2 y  54 xy 2  27 y 3 e)  x  2 y  3  x 3  3 x 2   2 y   3 x   2 y  2   2 y  3   x 3  6 x 2 y  12 xy 2  8 y 3 1.Apostila: Matemática Básica – por Prof.6 Equações .

Jullyene B.1 Prof. Sua solução é: az  b  0  az  b  z b a (10) EXEMPLO 1.1 Resolver as seguintes equações do 1º grau: a) 3z  1  7 z  3 b) 5 15  2 x 12 c) 3 6  y2 4 d) pz  q  0 (sendo p  0) Solução: a) 3z  1  7 z  3  3z  7 z  1  3   4 z  4  z b) 4  4 z 1 5 15   2 x 12  2 x 15  5  12  30 x  60  x 60 x  2 30 .Apostila: Matemática Básica – por 1.6. Assunção Equação do 1º Grau com uma Incógnita Toda equação do 1º grau com uma incógnita pode ser reduzida a forma az  b  0 (9) em que a  0 .

Apostila: Matemática Básica – por c) Prof.6. de modo que o primeiro membro seja um quadrado perfeito do tipo indicado na equação (4). teremos:  2az  b  2  b 2  4ac e) Extraindo as raízes quadradas de ambos os membros. Assunção 3 6   y2 4 6 y  2   3  4  6 y  12  12  6 y  24  y d) 24 y 4 6 pz  q  0  pz   q  z 1. Vamos então transformar a equação em outra equivalente. vem: az 2  bz  c b) Multiplicando por 4a . a) Transpondo a constante para o segundo membro. obtemos: 2az  b   b 2  4ac  2az  b  z b b 2  4ac  b 2  4ac b   2a 2a (12) . teremos: 4a 2 z 2  4abz  4ac c) Somando b 2 aos dois membros. Jullyene B.2 q p Equação do 2º Grau com uma Incógnita A forma geral da equação do 2º grau com uma incógnita é: az 2  bz  c  0 (11) onde a  0 . resulta: 4a 2 z 2  4abz  b 2  b 2  4ac d) Verificando que o 1º membro é um quadrado perfeito.

.14.. onde   b 2  4ac . e três casos podem ocorrer: 1º)   0  teremos duas raízes reais e desiguais.. Exemplo 1.2 Resolver as seguintes equações do 2º grau: a) 2z 2  5z  3  0 b) 4z 2  4z  1  0 c) z 2  4 z  13  0 Solução: a)  a2  2z  5z  3  0   b  5  c  3  2   b 2  4ac  52  4  2    3  49 z b)  b    5  49  5  7   2a 2 2 4 z1  57 2 1   4 4 2 z2   5  7  12   3 4 4  a4  4 z  4 z  1  0   b  4  c 1  2   b 2  4ac    4   4  4  1  0 2 z  b      4  0 4  0   2a 2 4 8 . Jullyene B. 2º)   0  teremos duas raízes reais e iguais.. e este caso será abordado na seção 1.(13) é o discriminante da equação.Apostila: Matemática Básica – por Prof. Assunção que é a conhecida fórmula da Bhaskara. 3º)   0  não teremos raízes no conjunto dos números reais.

 4 )  a1  8 e r  3 1.7. 17.A.  1. a .1 Definição É uma sucessão de termos a . 8. 7.2 Classificação . . x  2t . 5. a . a .Apostila: Matemática Básica – por Prof. . a . sendo que. Assunção 40 1  8 2   raiz dupla 4  0 1 z2    8 2 z1   a 1  z  4 z  13  0   b  4  c  13  2 c)   b 2  4ac   4   4  1  13  16  52  36  0 2 e esta equação não admite raízes no campo real. x  4t . 5.7 Progressão Aritmética (P. a diferença entre um termo qualquer e o seu antecedente é igual a uma quantidade constante r. x  6t )  a1  x e r  2t c) ( 5.) 1. 5. 12.1 ( z1  2  j 3 e z 2  2  j 3 são as suas raízes).14.A. 22 )  a1  2 e r  5 b) ( x. a . . (  1  2 3  4   n1 n n 1 ) n termos finita ou infinita. 2.7. Jullyene B. 9    a1  7 e r  2 2 2  e) ( 8. a partir do 2º termo inclusive.  15 17 1  . ou seja: a2  a1  a3  a2    an  an 1  an 1  an  r As seguintes seqüências são exemplos de P. denominada razão da progressão. 1. a . 5 )  a1  5 e r  0  d)  7. Sua solução será apresentada na subseção 1. 5.: a) ( 2.

Jullyene B. é dado.7. podemos escrever os termos da P.A.  an 1  r  a1   n  1 r e an  a1   n  1 r (14) que é a mesma equação anteriormente encontrada. crescente r  0  P. .3 Termo geral A partir da definição. Assunção As progressões aritméticas podem ser classificadas de acordo com o valor da razão r: r  0  P.Apostila: Matemática Básica – por Prof. ou seja: a2 a3 a4 an  a1  r  a1  2 r  a1  3r       a1   2  1 r a1   3  1 r a1   4  1 r a1   n  1 r O termo de ordem n da P. pela fórmula a seguir: an  a1   n  1 r (14) que pode também ser obtida da seguinte maneira: a2 a3 a4 an an  a1  r  a2  r Somando membro a membro estas n – 1 igualdades obtemos a  a3  r expressão do termo de ordem n.A.A. decrescente 1. constante ou estacionária r  0  P.A. da seguinte forma: a2  a1  r a3  a2  r a4  a3  r    a2  a1  r a3  a2  r a4  a3  r an  an 1  r  an  an 1  r     a1  r   r  a1  2r  a1  2r   r  a1  3r   a1   n  1 r Observe que cada termo é obtido adicionando-se ao primeiro um número de razões r igual à posição do termo menos uma unidade. portanto.A.

an 1  são termos consecutivos de uma P.A.A. se  an 1 . razão r. Assunção Propriedades I) Numa P.  . limitada.  . conforme ilustrado a seguir: a . an       ) (  1   2    p termos p termos .A.  . a partir do segundo. B . limitada. cada termo. então podemos escrever: an  an 1  an 1  an ou seja.7. an . A . a soma de dois termos eqüidistantes dos extremos é constante e igual à soma dos próprios extremos. é a média aritmética entre o termo precedente e o termo seguinte. e A e B os termos eqüidistantes dos extremos. a .Apostila: Matemática Básica – por 1. 2an  an 1  an 1 e an  an 1  an 1 2 (15) II) Em qualquer P. an 1 . com n termos. Seja pois a P.. Com efeito.4 Prof.A. Jullyene B.