O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor

Page 1 of 12
Home
Sobre
Principal
Entretenimento
Artigos
Videos
GAMES
Publicidade
Guia de cultivo indoor
Se você que mora aqui Brasil resolveu plantar seu próprio fumo, tenha em mente que a
pesar da lei estar um pouco mais branda, você pode ser confundido com um traficant
e e arrumar um belo problema para sua vida.
LEI Nº11.343, DE 23 DE AGOSTO DE 2006:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11343.htm Mas se me
smo assim você optou pela subsistência, tenha consciência de que o único lugar onde o su
cesso vem antes do trabalho é no dicionário. Você passará por dificuldades, decepções e algu
mas vezes o fracasso total. Não se aflija, foi assim com todos, estude e aprofunde
-se cada vez mais. Com perseverança e muito trabalho você terá boas colheitas.
A Cannabis Sativa é da familia da urtiga, ela se divide em duas sub-espécies, Cannab
is Indica e Cannabis Sativa. Hoje em dia com o cruzamento das duas, temos as cha
madas Hibridas, que são os variados skunks e hazes, portando as melhores qualidade
s de cada.
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 2 of 12
Cannabis Sativa
São de origem equatorial, necessitam de bastante luz e calor, demoram até 3 meses pa
ra floração e atingem altissimas estaturas. Sua folhas são finas e compridas, sem muit
as ramificações de galhos. Na floração exalam fortes odores citricos. Devido a essas lim
itações não é muito indicada para o cultivo indoor. Possui altos niveis de THC, após fumad
a, dá uma onda bastante energética e eufórica.
Cannabis Indica
Suas caracteristicas são, em quase tudo, o inverso da Sativa. Tem origem em climas
temperados, assim necessitam de menos luz e calor que suas primas. Seu florecim
ento é mais rapido, e sua estatura é menor em comparação a familia da Sativa. Suas folha
s são pequenas e gordas, com bastante ramificação de galhos. Na floração exalam aromas doc
es, com muito menos intensidade do que as Sativas, e alta concetração de flores. Dev
ido a estas caracteristicas, é a mais indicada e a menina dos olhos de todo agricu
ltor indoor. Seu efeito após fumada é uma viagem maior e mais sedativa.
A Cannabis, como quase toda as plantas, se divide em machos e fêmeas. Ao florecer
ao lado de um macho, a fêmea é polinizada e produz sementes, deixando de produzir mu
ita resina. Ao identificar e tirar os machos de perto, as fêmeas deixam de produzi
r sementes, se dedicam única e exclusivamente a produzir resina. A qual a função é prote
ger as flores do calor, do frio e de pragas. As flores também se desenvolvem bem m
ais e com maior densidade. O que nóis fumamos é a flor, caso não saibam.
Como identificar machos e fêmeas ?
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 3 of 12
Quando a planta atingir sua maturidade, variando por volta de 4 a 6 semanas, será
a hora de iniciar a floração. Após até 14 dias do período de floração, começarão a aparecer pi
os, "pêlos" brancos (indicativo de fêmea) ou pequenas bolas (indicativo de macho) cr
escendo na base de cada nó. Os pistilos crescem até 0,5 cm, sendo facilmente visíveis,
aparecendo aos pares, um de cada lado do nó. As bolas crescem também na base de cad
a galho, aos grupos, parecendo pequenas cornetas, antes da forma final arredonda
da. Nas bolas está o pólen.
Para quem escolheu o cultivo indoor, este é um dos fatores à influenciar a fartura d
a sua colheita. Primeiro de tudo você deve calcular quantidade de luz necessária no
seu grow. A formula é esta: Lumens ± Um lumen equivale a quantidade de luz emitida p
or uma vela que incide sobre 1 pé quadrado de uma superfície a um pé (1 foot = 0,30m )
de distância. Quantidade de lumens por metro quadrado (lux): 1000 - 5000 lux - Míni
mo necessário pra vida; 10 000 - 15 000 lux - Mínimo necessário para um crescimento co
nsistente porém esparso; 20 000 - 25 000 lux - Mínimo necessário para crescimento robu
sto; 25 000 - 30 000 lux - Máxima eficiência para espécies sub tropicais; 25 000 - 50
000 lux - Máxima eficiência para espécies equatoriais; Máximo: 90 000 lux - Itensidade d
a luz do sol na superfície da Terra. É muita luz e não é bom pra erva. As plantas precis
am de 25 000 - 50 000 lux para desevolverem rápido. Todas as marcas de lâmpadas indi
cam na embalagem quantos lumens são emitidos por watt. Obs: Não confudam lumens com
lux, 1 lux = 1 lumen por m².
Tempo de luz por dia
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 4 of 12
Durante o vegetativo é necessário que elas recebam 18 horas por dia de luz e 12 hora
s na floração. Alguns deixam as luzes acesas 24 horas por dia no vegetativo, mas dep
endendo da espécie pode estressar a planta, ou seja, menos colheita.
Cores (espectros) das Lâmpadas
Durante o período vegetativo as plantas necessitam de uma luz com espectro igual o
u superior a 6500 kelvin, uma luz branca azulada, isso vem escrito na embalagem
dela. Durante a floração precisam de um espectro entre 2700 e 3000 kelvin, um tom am
arelo alaranjado. É muito bom manter no vegetativo uma lâmpada de 3000k no meio das
de 6500k, e vice-versa na floração. O espectro azulado estimula o crescimento das fo
lhas, produz talos curtos, grossos e favorece um desenvolvimento vigoroso, ideal
para o vegetativo. O amarelo-alanranjado favorece o crescimento das raízes, talo
e a floração. Assim como a posição da Terra muda em relação ao Sol desde a primavera até o out
ono, também o brilho e a cor dos raios de luz recebidos pela Terra desde a estrato
sfera mudam. As folhas detectam a chegada do outono com a diminuição das horas do di
a, a menor intensidade dos raios e um incremento da cor vermelha (alaranjada).
Tipos de lâmpadas
Em geral, hoje em dia se usam 2 tipos de lâmpadas, as de alta pressão, e as frias. A
lta pressão - Vapor de sódio (emite um espectro de 3000k, perfeito para a floração) e Va
por de mercúrio (emite um espectro de 6500k, perfeito para o vegetativo). Elas nec
essitam de reator e uma voltagem de 220v. Esquentam demais, mas tem a melhor efi
ciência de lumens por watts. Por isso se você esta fazendo seu grow dentro do armário,
terá que projetar também um mega esquema de esfriamento, com direito a um belo cool
tube, e potentes coolers industriais. O reator por si só consome em média 50% a mai
s da energia q a lâmpada já utiliza, ou seja, mais capital para o projeto. Se fizer
em um cômodo da casa, será a mais indicada, pois tem a maior eficiência lumen por watt
e elas adoram. Lâmpadas frias - No passado as condenavam por sua eficiência, mas ag
ora em 2010 elas são as grandes aliadas dos mini-grows, em armários por todo o mundo
. Existem com todos os espectros, evite aquelas com reator embutido (são aquelas q
ue todos utilizam ao invés das antigas incadecentes), utilize as tubulares, pois v
ocê pode colocar os reatores do lado de fora do seu grow, evitando o calor gerado
por eles. Isto não é merchandising, pelo que vi na internet, a mais utilizada é a tubu
lar OSRAM T5, possúi a maior eficiência de todas. Fora as gringas que não temos acesso
aqui do brasil.
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 5 of 12
Tanto em um armário como em um cômodo, você precisará de um sistema de exaustão. Dentro do
armário, você pode usar um cooler para pc de 120mm. Escolha um bem potente, ou até 2,
e ponha-os no alto retirando o ar, pois é la onde o ar quente se acumula. O burac
o de entrada de ar deve ser na parte mais baixa do grow, com o dobro do tamanho
da saída de exaustão. Se sua exaustão estiver trabalhando bem, você não precisara de um co
oler na entrada, já que a pressão atmosférica se encarrega de empurrar ar pra dentro,
na mesma medida do ar que sai. Verifique se não entra luz pelos buracos de ventilação,
isso é importantissimo, desenvolva um esquema onde só passe ar, não luz. Em um cômodo,
coolers de pc não darão vazão. Procure por ventiladores industriais e faça um sistema de
tubulução, igual aquele que sai do aparelho de gáz da sua casa. Outra necessidade da
planta é o gás carbônico, Co2, com ele a planta cresce vigorosa. Adquirindo um emissor
de Co2, você deve saber que se não houver uma ventilação correta ele se acumulará no chão d
o grow.
Odores na Floração
Durante este período a erva exala grandes odores, com as sativas então nem se fala. É
de extrema importância que você adquira um ionizador, ou um filtro de carbono ativad
o para colocar no sistema de exaustão do seu Grow. Senão toda a vizinhança saberá de tud
o.
É uma das etapas mais complexas de todo o processo. Os elementos necessários a vida
da planta são luz, água, Co2 e nutrientes. Nesse momento, é crucial para um iniciante
decidir se vai querer utilizar fertilizantes industriais, ou orgânicos. Os nutrien
te essenciais para a vida da planta são: N Nitrogênio P Fósforo K Potássio
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 6 of 12
No vegetativo o mais necessário é o Nitrogênio e na floração o Fósfóro.
Cultivo com fertilizantes industrias
Caso queira fertilizantes industriais, certifique-se de que não haja muitos nutrie
ntes no solo, elabore um solo mais carente para usá-los com mais folga. Ao adicion
ar fertilizantes químicos em um substrato com bastante nutrientes, você corre o risc
o de cometer um "overfert", overdose de fertilizantes. Isto pode ser o fim da pl
anta. Você consegue no mercado livre o fertilizante importado Peter`s Professional
, não é o mais usado lá fora, porém dos melhores achados por aqui. Possui 3 modelos: Par
a o pequeno broto criar bastante raiz - Plant starter (NPK 9-45-15); Para o vege
tativo - Hi-Nitro (NPK 30-10-10); Para a floração - Blossom Booster (NPK 10-30-20).
Utilize só 0,5g diluida em 1litro de água. Em todas as outras fases utilize na mesma
proporção, aumente para 1g somente caso tenha tido uma ótima resposta da planta. Apli
que-os nas regas de 15 em 15 dias e sempre faça um flush antes de usa-los(exceto n
a priemira rega no inicio do vegetativo), significa que para cada 5 litros do va
so você terá que despejar, mais ou menos, 25 litros de água no substrato. Caso não o faça,
a cada rega com fert seu solo será cada vez mais carregado, até o seu trágico fim.
Cultivo orgânico
Felizmente aqui no Brasil e em todo o mundo, existem maravilhosos substratos a v
enda no mercado. Prontos para o uso, só é necessário dar uma pequena arejada neles par
a que suportem a maconha o vegetativo inteiro. Para isso misture uma boa quantid
ade de fibra de coco no solo. No Brasil, a marca Terral faz um magnifico substra
to, o Terral Solo, vem com ph balanceado e tudo para suportar um belo vegetativo
, com ele pelo menos nos primeiros 30 dias não haverá necessidade de fert industrial
. Também fica com você a decisão de segurar este substrato até a flora e fazer um transp
lante com farinha de osso caso tenha escolhido um cultivo orgânico - ou fazer um f
lush e adicionar fertilizantes industriais. Caso não encontre esta marca, ou nenhu
ma parecida segue a receita: Vegetativo: 30% de Terra Preta ou Turfa 30% de Fibr
a de coco 20% de Vermiculita 20% de Humus 1 Colher de Sopa de Calcário domilitico
1 colher de torta de mamona (só se tiver trabalhando com terra, a turfa já libera ba
stante nitrogênio junto ao humus)
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 7 of 12
Floração: 30% de Terra Preta ou Turfa 30% de Fibra de coco 20% de Vermiculita 20% de
Humus 1 Colher de Sopa de Calcário domilitico 1 colher de farinha de osso Ao faze
r esta mistura, molhe o vaso e deixe repousando durante 15 dias até se criar uma b
iodiversidade no substrato. Ponha argila expandida com fibra de coco no fundo do
vaso para uma melhor escoação da água. Transplantes: Optando pelo cultivo orgânico, o i
deal é fazer 3 transplantes para vasos de tamanho diferentes: O primeiro deve ser
um bem pequeno, para que em sua fase inicial o broto enraize bem. Outro um pouco
maior, para segurar 30 dias do vegetativo. O ultimo deverá ter um bom tamanho. El
e vai aguentar o resto do vegetativo, juntamente ao transplante para floração, e nos
dois periodos será necessário ter espaço para uma boa ramificação das raizes. Um bom indi
cativo de que está na hora de um transplante é quando você notar que o solo está secando
rápido. Isso acontece porque as raizes estão grandes precisando de mais espaço.
Regas
Regue somente quando o solo estiver totalmente seco, isto estimula o crescimento
das raizes, mas não deixe seco por muito tempo pois pode alterar o ph e estressar
a planta. O truque é pegar um palito de churrasco e enfiar a ponta chata até o fund
o do vaso, se ela voltar suja é sinal de que ainda tem água, se não é hora de regar. Não há
limite de água para rega, desde que o substrato tenha boa escoação.
O pH
o pH É um fator determinante na tomada de nutrientes da planta. Se o pH for muito
alto ou muito baixo, a planta não consegue absorver certos nutrientes e sais miner
ais. A falta/excesso de algum sal mineral ou nutriente pode fazer com que outros
elementos também fiquem "presos" ao solo e a planta não consiga se alimentar, apesa
r de estar com fatura de alimento! O PH ideal no vegetativo é entre 6,6 e 6,9 ....
e na flora 6,0, a 6,5.
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 8 of 12
É a lei do mínimo: o elemento em menor disponibilidade manda no processo inteiro. Se
ele faltar, nada vai para frente...Para vc ter uma idéia de como funciona o pH, u
ma solução com pH 5.0 é 100 vezes mais ácida que uma solução neutra pH 7.0, isso quer dizer
que cada casa decimal influenciará e muito nesta tomada de nutrientes. A maneira d
e analizar o pH é "contando" o número de átomos de H+ .Existem uns medidores de aquário
bem baratos, com eles você mede o ph da água que escôou pro prato. Porém o único meio efic
az e que realmente precisamos apesar do caro investimento é o medidor de pH digita
l. Apenas com ele você pode ter precisão e sucesso mais fácil.í. Para regular o pH exist
em soluções específicas para isso, no exterior, infelizmente. Mas é claro que a gente dá u
m jeitinho, para aumentar o pH vocÊ pode simplesmente adicionar mais água mineral de
pH alto 8.5 (comum por aqui), até que a solução fique no nível desejado ou adicionando
hidróxido de potássio[KOH]. Normalmente você não tem que aumentar o pH, só se você abaixou e
le demais/fertilizou demais. Se o problema for na água que você rega, acrecente 1 go
ta de vinagre em 1 litro e compare para baixar o ph. O calcareo domilitico é um bo
m condicionador de solo, com ele o ph não sofre mudanças drasticas. Lembrando que se
você tiver comprado um substrato pronto, com o ph já certinho, e tiver controle do
pH da água a qual se rega, você não terá estes problemas.
Para alguns muito simples, para outros um grave problema. Existem algumas formas
, mas a melhor é esta: verifique se a semente não estoura fácil ao ser apertada entre
os dedos, as mais duras são as melhores, depois deixe em um copo de agua com ph en
tre 6 e 7 por 12 horas, depois em um ambiente escuro, ponha as sementes entre du
as folhas de papel toalha molhadas dentro de um tapeware e feche. Não pode ser um
ambiente frio, o ideal seria de 25º a 30º. Todo dia abra uma vez para renovar o ar,
e certifique-se que não estão apodrecendo. Ao manusear as sementes, o Tupperware e o
guardanapo é de extrema impotância que você use luvas de latex estéreis.
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 9 of 12
As sativas demoram até 14 dias e as indicas até 3 ou 4 para germinar. Ao notar que a
semente se abriu e a raticula saiu, espere-a crescer até no máximo 2cm. Faça um burac
o de 2 a 4cm no substrato e ponha o broto com a raticula para baixo. Cubra cuida
dosamente com substrato e certifique-se de que ao regar, o broto não irá se desaloja
r do lugar escolhido. Também há quem jogue no solo direto, mas assim você não terá control
e dos resultados das semilhazinhas. Existem fertilizantes industriais maravilhos
os, próprios para enraização de brotos há serem usados apenas na primeira rega da erva.
Note que mesmo com o substrato fertilizado orgânicamente, você poderá utilizar este ad
itivo. Use um pequeno vasinho nesta fase, quando você sentir que a planta está absor
vendo a água rapidamente é hora de trasplanta-la para um vaso maior.
Ao identificar uma fêmea, ou em uma planta mãe, clonar é o melhor meio de otimizar tod
o o processo. Veja na foto onde devem ser os cortes, corte sempre em 45º em relação ao
caule. Corte também a ponta das folhas como mostra a imagem, as setas brancas ind
icam os clones e as marcações azuis os cortes. Adquira um gel vendido próprio para ist
o, chamado sela gel. Passe o gel na ponta do caule da muda a ser plantada, esper
e 15 minutos e fixe-a no substrato. Os clones precisam de bastante humidade já que
ainda não possuem raizes, se você não tiver um humidificador de ar, ponha um balde ou
bacia de água no chão do grow e também dê borrifadas de água nas folhas umas 5 vezes ou m
ais por dia.
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 10 of 12
Vegetativo
Esta é a fase em que a planta deverá ganhar carcaça para a estação seguinte, dura de 2 a 3
meses. Necessitam de 18horas de luz diárias, e 6 de escuridão absoluta. Nada pode a
trapalhar a noite delas, caso você sinta necessidade demais de trabalhar nelas dur
ante seu descanso, utilize luz negra ou verde. Como dito na parte de iluminação, o e
spectro das lâmpadas desta fase é de 6500 Kelvin, um tom branco azulado. Necessitam
de fertilizantes com bastante nitrogenio, como dito acima no tópico "Solo e Nutrição"
um bom exemplo é o Peter`s Hi Nitro de NPK 30-10-10. O fim deste periodo pode ser
forçado, mudando o espectro das lâmpadas e diminuindo o fotoperiodo, ou aguardando a
s fêmeas porem seus pistilos de fora e os machos suas bolas. Dependendo do seu esp
aço ou do tamanho atingido pela planta, você pode induzir a floração aos 2 meses de idad
e. Diminuindo o fotoperiodo e o mudando o espectro da lâmpada. Não há necessidade de t
irar os machos no exato momento de sua descoberta, eles estimulam a floração das fêmea
s e só começam a exalar o pólem após 2 semanas de maturidade.
Floração
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 11 of 12
Neste perido as plantas terão 12 horas de luz e 12 horas de escuridão. O espectro da
s lâmpadas deve ser de 2700 a 3000 Kelvin, aquele tom amarelo-alaranjado. Necessit
am de fertilizantes com bastante Fósforo, seguindo o exemplo do Peter`s Blossom Bo
oster NPK 10-30-20. Antes de iniciar a floração, caso você queira utilizar fertilizant
es industriais e não pretende fazer um transplante, faça um belo flush antes de jogá-l
os.
Colheita
15 dias antes da colheita faça um flush honesto na planta, o mais honesto já feito,
para que o fumo não fique arranhando a garganta e deixe os camarões sugarem tudo das
folhas, repletas de nutrientes. Existem 2 formas de identificar este momento, a
mais fácil é esta. Durante a floração os pistilos antes brancos, vão aos poucos ficando a
vermelhados, quando mais ou menos 70% ficarem, é hora da colheita. Na outra forma,
use uma lente de aumento e tente ver os tricomas entroncados (pequenos cristais
de THC sobre a flor). Se a maioria estiver clara, e não marrom, o ápice do buquê flor
al está próximo. Quando a maioria desses tricomas atingirem uma coloração marrom, os nívei
s de THC estarão caindo e a flor estará perdendo potencial, declinando rapidamente c
om a exposição à luz e ao vento. Então ao notar que todos estiverem brancos e alguns pou
cos marrons, é chegada a hora. Não colha tarde de mais! Observe as plantas e aprenda
o tempo ideal de colheita no ápice da potência floral.
Secagem
Corte os galhos com os bugs e faça uma manicure nas pontas das folhas que aparecem
, não as arranque. Pendure-os em um ambiente escuro com ventilação, mas sem vento inci
dente nos bugs, de cabeça para baixo. Pese tudo antes de por para secar, quando el
es
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010
O Diário da Erva: Guia de cultivo indoor
Page 12 of 12
estiverem com apenas 25% do peso inicial, e ao apertar os galhos eles quebarem e
stalando, é hora de curar.
Curagem
Jarras de vidro, latas de metal ou tapeware, além de outros potes podem ser usados
para curar suas flores. Coloque as flores propriamente secas no pote de sua esc
olha e deixe descansando em um lugar fresco e escuro. Remova a tampa do pote dia
riamente e vire as flores, permitindo que o dióxido de carbono escape. Repita esse
processo por cerca de 2 semanas, ou até alcançar o gosto e/ou potência desejados. Dur
ante a cura ocorrem nos buds inúmeras reações químicas e alguma atividade de biosintese.
Basta lembrar de como amadurece e depois apodrece uma maçã, mesmo depois de colhida
.
FirstPrev 1 Publicidade
/ 73
Go
NextLast
http://www.diariodaerva.com/p/cultivo-indoor.html
14-12-2010