O diamante

Um dia, Maria chegou em casa da escola, muito triste.
— O que foi? — perguntou a mãe de Maria.
Mas Maria nem quis conversa. Foi direto para o seu quarto, pegou o seu Snoopy e se
atirou na cama, onde ficou deitada, emburrada.
A mãe de Maria foi ver se Maria estava com febre. Não estava. Perguntou se estava
sentindo alguma coisa. Não estava. Perguntou se estava com fome. Não estava.
Perguntou o que era, então.
— Nada — disse Maria.
A mãe resolveu não insistir. Deixou Maria deitada na cama, abraçada com o seu
Snoopy, emburrada. Quando o pai de Maria chegou em casa do trabalho a mãe de
Maria avisou:
— Melhor nem falar com ela...
Maria estava com cara de poucos amigos. Pior. Estava com cara de amigo nenhum.
Na mesa do jantar, Maria de repente falou:
— Eu não valo nada.
O pai de Maria disse:
— Em primeiro lugar, não se diz “eu não valo nada”. É “eu não valho nada”. Em
segundo lugar, não é verdade.Você valhe muito. Quer dizer, vale muito.
— Não valho.
— Mas o que é isso? — disse a mãe de Maria. — Você é a nossa querida. Todos
gostam de você. A mamãe, o papai, a vovó, os tios, as tias. Para nós, você é uma
preciosidade.
Mas Maria não se convenceu. Disse que era igual a mil outras pessoas. A milhões de
outras pessoas.
— Só na minha aula tem sete Marias!
— Querida... — começou a dizer a mãe. Mas o pai interrompeu.
— Maria — disse o pai — você sabe por que um diamante vale tanto dinheiro?
— Porque é raro. Um pedaço de vidro também é bonito. Mas o vidro se encontra em
toda parte. Um diamante é difícil de encontrar. Quanto mais rara é uma coisa, mais ela
vale. Você sabe por que o ouro vale tanto?
— Por quê?
— Porque tem pouquíssimo ouro no mundo. Se o ouro fosse como areia, a gente ia
caminhar no ouro, ia rolar no ouro, depois ia chegar em casa e lavar o ouro do corpo
para não ficar suja. Agora, imagina se em todo o mundo só existisse uma pepita de
ouro.
— Ia ser a coisa mais valiosa do mundo.
— Pois é. E em todo o mundo só existe uma Maria.
— Só na minha aula são sete.
— Mas são outras Marias.
— São iguais a mim. Dois olhos, um nariz...
—Mas esta pintinha aqui nenhuma delas tem.
— É...
— Você já se deu conta que em todo mundo só existe uma você?
— Mas pai...
— Só uma. Você é uma raridade. Podem existir outras parecidas. Mas você, você
mesmo, só existe uma. Se algum dia aparecer outra você na sua frente, você pode
dizer: é falsa.
— Então eu sou a coisa mais valiosa do mundo.
— Olha, você deve estar valendo aí uns três trilhões...
Naquela noite a mãe de Maria passou perto do quarto dela e ouviu Maria falando com
o Snoopy:
— Sabe um diamante?

Luís Fernando Veríssimo


Após ler o texto, responda:

1.Por que Maria chegou da escola tão triste?



2. Releia o trecho: “Maria estava com cara de poucos amigos.” O que significa a
expressão grifada?



3. O texto é uma narrativa e contém vários diálogos. Que sinal de pontuação foi usado
para introduzi-los?


4. “Você já se deu conta que em todo mundo só existe uma você?” O termo
destacado significa:
( ) encontrou ( ) percebeu ( ) achou ( ) buscou

5. Que substantivos o pai usou para que a menina reconhecesse seu valor?
( ) bonito, precioso ( ) único, diamante ( ) raro, ouro ( ) diamante, ouro

6.De acordo com o parágrafo 14, que palavras (substantivos) foram substituídos pelo
pronome nós na seguinte frase: “Para nós, você é uma preciosidade...”

( )Milhões de pessoas ( )O papai, a mamãe, o vovô, os tios
( )Mil outras pessoas ( )A mamãe, o papai, a vovó, os tios, as tias

7. Para convencer Maria que ela era valiosa, o pai faz uma comparação. O que ele
quis dizer com essa comparação?

( )As pessoas são tão bonitas quanto as pedras preciosas.

( ) As pessoas, por serem diferentes umas das outras, tornam-se raras e valiosas,
como as pedras preciosas.

( ) Algumas pessoas são bonitas, outras são feias, assim como algumas pedras
preciosas, por isso são raras.

8.Essa comparação acontece porque, para o pai de Maria, Maria e o diamante
têm uma característica em comum. Complete o esquema abaixo com essa
característica.

MARIA ________________ DIAMANTE

9. O texto O diamante é uma crônica e tem a intenção de:

( ) divertir o leitor, fazendo-o pensar nas muitas Marias que existem no Brasil.
( ) fazer o leitor refletir sobre a singularidade das pessoas, isto é, cada pessoa é
diferente da outra, apesar de possuir o mesmo nome.
( ) Informar o leitor que existem muitas Marias por aí.

O turismo da bondade

Jovens adeptos do intercâmbio voluntário viajam pelo mundo para trabalhar em
instituições filantrópicas e, segundo eles, buscar o crescimento pessoal.

No mundo inteiro, o intercâmbio estudantil é uma maneira tradicional de os jovens
viajarem para o exterior para aprender um segundo idioma e entrar em contato com
outras culturas. Agora, uma variante desse tipo de programa vem se popularizando,
inclusive no Brasil – o intercâmbio voluntário. Ele consiste em viajar para outro país
não apenas para estudar, mas para engajar-se em atividades filantrópicas ou auxiliar
entidades de preservação ambiental. Segundo os estudantes, essa é uma forma de se
sentir útil, ajudar o próximo ou colaborar para a saúde do planeta, obtendo como
recompensa o crescimento pessoal. De quebra, o voluntariado enriquece o currículo.
Nos Estados Unidos e em vários países da Europa, muitas escolas de ensino médio e
faculdades exigem que o aluno, para receber o diploma, tenha cumprido um mínimo de
horas de trabalho voluntário. Exercer esse trabalho em outro país é mais enriquecedor e
divertido. As agências de intercâmbio brasileiras informam que a procura por programas
desse tipo cresceu três vezes nos últimos dois anos.
Há duas formas de hospedagem: a primeira delas é ficar na casa de uma família e dividir
o dia entre o estudo e o voluntariado; a segunda é ficar na própria instituição em que se
trabalha. No caso da Alemanha, a maior quantidade de bolsas desse tipo tem como
destino o Brasil. Depois de fazer voluntariado na Dinamarca, cuidando de crianças
órfãs, o alemão Maximilian Georgi, de 21 anos, decidiu que gostaria de dar
continuidade à experiência num local no qual as pessoas vivessem uma realidade
diversa da sua. Escolheu o Brasil e há três meses trabalha com crianças carentes em
Porto Alegre. “É um choque de realidade”, conta ele. [...]
Uma pesquisa realizada neste ano por algumas agências mostrou que o Brasil é o
segundo destino favorito para fazer intercâmbio voluntário. O primeiro lugar coube ao
Peru, entre outros motivos, pela peculiaridade de o país manter vivas as tradições
indígenas.

[...]

Já a estudante paulista de veterinária Raissa Seabra Bittencourt, de 18 anos, procurou
um programa que a ajudasse na profissão que escolheu. Em julho passado, ela foi
trabalhar em um parque nacional, na África do Sul, que abriga animais selvagens.
Chegou a cuidar de guepardos e de outros felinos acidentados. “Notei grande diferença
na minha bagagem quando retornei à faculdade", diz Raissa.

(Carolina Romanini, Veja, 02.12.2009)

Reportagem na íntegra:

http://veja.abril.com.br/021209/turismo-bondade-p-104.shtml

Após ler a reportagem:

1. Identifique

Título da reportagem ____________________________________
Subtítulo ______________________________________________
Autor da reportagem________________________________________________
Onde foi publicada a reportagem ____________________________________
Data da publicação ______________

2. Explique o título do texto.

3. Quais as vantagens, segundo os estudantes, dessa forma de intercâmbio estudantil?


Questões 4 e 5, assinale a alternativa correta:

4. De acordo com o texto, é correto afirmar que:

(A) o intercâmbio voluntário já é uma prática em outros países, mas no Brasil, o
interesse por esse tipo de intercâmbio não tem mostrado avanços.
(B) aqueles que optam pelo intercâmbio voluntário visam, prioritariamente, à inserção
mais rápida no mercado de trabalho internacional.
(C) os países da América Latina são os que mais recebem voluntários da Europa, que
vêm com o intuito de se aprimorar na profissão que escolheram.
(D) a diversão e o amadurecimento interior, promovidos pela experiência de
intercâmbio, colaboram para a formação pessoal dos jovens.
(E) uma das formas de hospedagem é o voluntário passar um curto período em
diferentes casas que pertencem a famílias carentes

5. Pela leitura do texto, conclui-se que o objetivo principal da jornalista é:

(A) passar informações que possam esclarecer os leitores sobre um fato, em princípio,
desconhecido por eles.
(B) construir o texto de forma a expressar as ideias em nível poético, literário e com
aspectos líricos.
(C) reunir argumentos e dados para criticar os jovens brasileiros que não praticam o
intercâmbio voluntário.
(D) usar o texto como meio para expor seus sentimentos e dúvidas em relação ao tema
abordado.
(E) discutir os recursos linguísticos necessários para a elaboração de um bom texto
jornalístico.