UFF – Universidade Federal Fluminense

Instituto de Geociências
Departamento de Geografia
Sociedade & Natureza
Thiago ogossian
!unho"#$$%
& partir do te'to ()s Tra*alhadores +o*res,- ela*ore uma refle'.o so*re a
rela/.o revolu/.o industrial – condi/.o social da classe tra*alhadora – situa/.o
am*iental ur*ana0
A revolução industrial trouxe transformações intensas pras sociedades ocidentais
do século XVIII. Atingindo à todos, a ascensão da burguesia e a solidificação do sistema
capitalista modificou violentamente o modo de vida da população rural e urbana, o meio
ambiente, as relações sociais, entre outros aspectos.
!s trabal"adores pobres#, termo usado por $obsba%n no texto, provavelmente
foi a camada social &ue mais sofreu as modificações dessa época. 'em possuir nada,
apenas sua força de trabal"o, as v(timas do modelo de produção insurgente ...
empobrecidos, explorados, )ogados em cortiços onde se misturavam o frio e a imund(cie,
ou nos extensos complexos de aldeias industriais de pe&uena escala, mergul"avam na
total desmorali*ação.#
Apenas a fome e a miséria unia essas pessoas. ! movimento oper+rio em
florescimento procurava meios de se organi*ar em associações para conseguir proteção
contra a exploração violenta a &ual eram submetidos pelos supervisores ou patrões. A
consci,ncia de classe surgida no in(cio do século XIX )+ começava a &uestionar o
unilateralismo imposto pelos capitalistas e suas greves paravam de ser um protesto
ocasional &ue servisse para restabelecer a estabilidade da sociedade perturbada
temporariamente#. ! pro)eto de classe socialista#, de eterna atividade do movimento,
cooperativa e coletivista começava a crescer, frente ao individualismo e a competição
cu)os males os trabal"adores sentiam na pele.
A situação urbana também não era das mel"ores. ! r+pido crescimento das
cidades sem plane)amento fa*ia com &ue os serviços b+sicos não fossem garantidos,
como o saneamento b+sico e a limpe*a das ruas. A reconstrução urbana s- foi
providenciada ap-s uma série de epidemias geradas pela falta de saneamento surgirem.
A princ(pio, essas epidemias s- "aviam atacado a&ueles &ue viviam em condições
ruins de "abitação, isto é, os pobres. .ntretanto, &uando as novas epidemias nascidas
nos cortiços começaram a matar também os ricos, e as massas desesperadas &ue a(
cresciam tin"am assustado os poderosos com a revolução social /de 01213, foram
tomadas provid,ncias para um aperfeiçoamento e uma reconstrução urbana sistem+tica.#
4ortanto, as transformações tra*idas pela revolução industrial para os pobres não
foram boas. !s trabal"adores não possu(am direitos, estavam su)eitos a condições
insalubres das péssimas instalações da maioria das f+bricas nos séculos XVIII e XIX,
absolutamente desmorali*ados /o alcoolismo foi compan"eiro da industriali*ação e
urbani*ação bruscas e incontrol+veis#, além do suic(dio e da dem,ncia3. As m+s
condições ambientais urbanas agravavam a condição social da classe trabal"adora,
conse&5,ncia direta da 6evolução Industrial.