9 coisas que você deve fazer independentemente da opinião dos outros

1) Abandonar o que não é mais importante para você
Boa parte das pessoas acha que desistir é sempre algo ruim. Não é. Não sempre, pelo
menos. É ruim quando você desiste de algo que ainda deseja, que ainda ama, que
ainda sonha. Mas há momentos em que é preciso abandonar coisas que foram
importantes para você um dia, mas não são mais. Ainda que você explique isso aos
outros, eles podem dizer “mas você sempre gostou tanto disso” ou “você era tão feliz
assim, qual o problema agora?”. Problema nenhum, apenas um necessidade interna
de mudança. Mas só você é capaz de entender.
2) Definir o seu conceito de sucesso
Quando se fala em sucesso, o que vem à mente da maioria das pessoas é a ideia de
ter dinheiro, um cargo importante no trabalho e muitos bens materiais. Se você não
tem nenhum destes itens, não é bem-sucedido, segundo o senso comum. Talvez você
mesmo já tenha absorvido essa ideia sem refletir se isso condiz com o que você
pensa, com as suas vontades e com o que te faz feliz. Sucesso é amar viver a própria
vida. Se, para você, o que te faz amar viver é poder ajudar os outros, se expressar
através da arte, ter tempo para estar com a família ou liberdade para conhecer o
mundo, então este é o seu conceito de sucesso e ninguém pode te dizer o contrário.
3) Tentar quantas vezes for preciso
Não importa se as pessoas acham que existe um número limite aceitável de vezes
para você trocar de curso, de emprego, de namorado, de cidade, de estilo, de filosofia
de vida, o que for. O que elas sabem mais do que você para te dizer quando é hora de
parar de tentar? Ninguém pode ter certeza de que as escolhas que faz agora durarão
para sempre. Pior do que não tentar de novo é ficar infeliz onde está por achar que já
tentou demais. A vida tem muitas possibilidades e não há nada de errado em explorar
muitas delas para encontrar a certa para você. Não permaneça em algo que não te faz
feliz apenas porque os outros acham que devem te dizer quando é a sua hora de
parar.
4) Esperar
Talvez esteja nos seus planos, mas você ainda não se sinta pronto para entrar na
faculdade, morar sozinho, casar ou ter um filho, por exemplo. Mas os outros dizem que
já é hora, que você já está na idade. Contra a sua vontade, você faz o que eles dizem
que é certo, mesmo sem se sentir preparado. Por que não poderia esperar mais um
pouco? O tempo que cada um leva para se conhecer, para crescer e para se preparar
para certas mudanças é único, não é igual para todos. Não há motivo para acelerar o
processo. Suas decisões têm muito mais chances de dar certo se você tomá-las
quando sentir que é a hora certa, sem pressão e sem pressa.
5) Usar e fazer o que te faz feliz
Sempre (repito: S-E-M-P-R-E) vai haver alguém para te criticar. A menos que você se
tranque em um quarto escuro para o resto da vida e nunca ninguém saiba disso,
muitas vezes você vai ser alvo de críticas, reprovações, fofocas e comentários. A boa
notícia é que, na maioria das vezes, as palavras são inofensivas se você não der
importância a elas. Se isso vai acontecer de qualquer jeito, então não se prive de
vestir-se como quer, de usar maquiagem e acessórios “fora de moda”, de ler os livros
que gosta, de dançar do seu jeito, de fazer o que “não condiz” com a sua idade. Não
esconda quem você é e não pare de fazer o que te deixa feliz para evitar os
comentários maldosos. Eles vão continuar existindo, não importa o quanto você se
esforce para contê-los. O preço disso? A sua felicidade. Não vale a pena.
6) Lançar-se no incerto
Por seus sonhos e objetivos ou por vontade de ir além, quase sempre é preciso, de
alguma forma, enfrentar a incerteza. Dificilmente você vai encontrar quem apoie sua
decisão de trocar o (teoricamente) certo pelo duvidoso, mas se você quer fazer algo
grande e importante, vai precisar passar por esta etapa. É uma das decisões mais
difíceis de enfrentar quando você se depara com uma ou mais pessoas que se opõem.
Só há duas opções: tentar realizar seus sonhos ou permitir que as pessoas o
impeçam. Lembre-se: se optar por desistir, os outros continuarão suas vidas e o fato
de você não realizar seus sonhos não fará diferença nenhuma para eles. E para você,
fará?
7) Ver o lado bom de tudo
Eles dirão: “A vida não é um conto de fadas!”, “Pare de se enganar!”. Ou a pior de
todas: “Seja realista!”. “Realismo” é o nome que os pessimistas dão ao pessimismo.
Pode mesmo não existir vida perfeita, e é impossível passar por ela intacto, sem sofrer
com os altos e baixos. Mas é possível sim enxergar o lado bom de todas as situações,
por piores que sejam. Nunca permita que ninguém te faça acreditar que você não
pode enfrentar seus problemas de forma positiva ou que o otimismo é uma ilusão.
Deixe que os pessimistas lidem com seu “realismo” e permita-se ver as coisas da
maneira que faz você se sentir melhor.
8) Reinventar-se
Um belo dia você resolve mudar. Percebe que quer ser de outro jeito, fazer outras
coisas e sentir-se diferente de como se sente agora. Então decide transformar algo em
sua vida e as pessoas começam a dizer que você está louco, que isso “é fase”, que
você não sabe o que quer e é infeliz ou infantil. Você sabe que é algo muito mais
profundo e importante: a necessidade de se renovar, de sair do lugar, de ser mais, de
dar significado e aproveitar melhor a vida. O que os outros vêem em relação a isso é
muito pouco, eles não enxergam a necessidade, apenas a vontade. Não conseguem
ver que você evoluiu, que aprendeu algo que mudou sua forma de pensar, que não
está se sentindo à vontade e que se sente agoniado por perceber que mudou por
dentro mas é obrigado a continuar fazendo as mesmas coisas.
9) Recomeçar
Nunca é tarde demais, nunca! Nunca, nunca, nunca, nunca. Entendeu? É importante
que você saiba disso, porque os outros não vão te dizer. Com palavras delicadas ou
expressões discretas, eles vão querer fazer você acreditar que está velho demais para
começar algo do zero. Esqueça o tempo, o passado, a idade e a opinião dos
outros. Para recomeçar, você só precisa de uma coisa: disposição. Não permita que
pessoas conformadas e acomodadas tirem isso de você.
Conclusão: dê a si mesmo o direito de se arrepender sem precisar se culpar, seja
diferente, arrisque, se jogue na incerteza de ir atrás daquilo que agita seu coração,
faça o que tem vontade e seja ridículo, se é assim que as outras pessoas definem
quem é feliz.

Related Interests