You are on page 1of 16

13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e

http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 1/16
Reimpressão Oficial do UpToDate
www.uptodate.com © 2014 UpToDate
Autor
Peter A Nigrovic, MD
Editor de Seção
Robert Sundel, MD
Deputy Editor
Elizabeth TePas, MD, MS
Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
Todos os temas são atualizados conforme novas evidências torna-se disponível e nosso processo de revisão estiver
completa.
A revisão da literatura atual através de: . julho 2014 | Este tópico última actualização: 07 de outubro de 2013.
INTRODUÇÃO - A artrite psoriásica juvenil idiopática (psJIA), ou artrite psoriática juvenil alternadamente (JPsA), é uma
condição que pode variar amplamente na sua apresentação e gravidade. Psoríase cutânea Frank nem sempre é evidente
e a extensão do envolvimento articular pode variar de leve entesite (inflamação dos locais em que os ligamentos, tendões
e outras estruturas fibrosas inserir no osso) para envolvimento poliarticular de axial múltipla (coluna vertebral e
articulações sacro-ilíacas) e periférica juntas.
A epidemiologia, manifestações clínicas e diagnóstico de psJIA são discutidos aqui. O tratamento eo prognóstico dos
psJIA, a patogênese da artrite psoriática e artrite psoriática em adultos são discutidos separadamente. (Veja "psoriática
artrite idiopática juvenil: Gestão e prognóstico" e "Manifestações clínicas e diagnóstico da artrite psoriática" e
"Tratamento da artrite psoriática" e "A patogênese da artrite psoriática" .)
EPIDEMIOLOGIA - A prevalência da artrite idiopática juvenil psoriática (psJIA) não se sabe com certeza, e não parece
haver grande variação geográfica. Um diátese psoriática é evidente em crianças com AIJ a uma taxa muito mais elevada
do que na população pediátrica em geral [ 1 ]. PsJIA representa cerca de 7 por cento (intervalo: 0-11 por cento) de todos
os pacientes com AIJ em série, que incluem apenas os pacientes com psoríase franca ou usando Liga Internacional de
Associações de Reumatologia (ILAR critérios) [ 2-14 ]. Série empregando os critérios de Vancouver mais inclusivas (ver
"diagnóstico" abaixo) sugerem que psJIA representa 8 a 20 por cento da AIJ [ 2,5,6,15 ]. Em contraste, a psoríase ocorre
em apenas cerca de 0,5 a 1 por cento de todas as crianças, aumentando para 2 a 3 por cento em idade adulta [ 16-18 ].
A incidência e prevalência de psJIA entre as crianças com psoríase não está definido.
Na população pediátrica, a idade de início da psJIA é bimodal [ 2,5,19 ]. Um primeiro pico (principalmente meninas)
ocorre durante os anos pré-escolares e tem semelhança clínica para oligoarticular de início precoce AIJ. O segundo pico
é visto durante meio para o final da infância e se assemelha a artrite psoriática adulto. PsJIA é muito raro antes da idade
de um ano. (Veja 'As manifestações clínicas' abaixo.)
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS - artrite idiopática juvenil psoriática (psJIA) é clinicamente diverso. A inflamação pode
envolver apenas uma articulação ou muitos, com ou sem envolvimento das articulações sacroilíacas, coluna vertebral, ou
entheses periféricos. Parte dessa variabilidade psJIA como um todo é atribuível a apresentações divergentes em crianças
mais jovens e mais velhos. As crianças mais jovens, apresentando antes da idade de cinco a seis anos, são
clinicamente semelhante em muitos aspectos ao início precoce oligoarticular. Eles são mais propensos a ser do sexo
feminino e ter um anticorpo antinuclear (ANA) título positivo [ 5,20 ]. Várias características fazem distinguir essas
crianças daquelas com nonpsoriatic AIJ, incluindo dactylitis (um inchaço de salsicha de dígitos individuais) e uma
tendência da artrite envolver os punhos e pequenas articulações das mãos e pés. Alguns pacientes evoluem para o
comprometimento articular mais generalizada [ 6,21-23 ]. As crianças mais velhas com psJIA adolescentes, tipicamente,
exibem uma proporção género mais próximo de 1: 1 e assemelham-se os adultos com artrite psoriática. Eles tendem a
desenvolver entesite e doenças da coluna vertebral ou sacroilíacas [ 3,5,20,24 ].
Artrite - Artrite em psJIA começa em <5 articulações em cerca de 80 porcento das crianças ( tabela 1 ). Em alguns
casos, as crianças apresentam com artrite de uma única articulação, normalmente o joelho, com ou isolado dactilite [ 20
]. As mais comuns são as articulações envolvidas no joelho e tornozelo, com a doença da articulação da anca em até 20
a 30 por cento ( Tabela 1 ). Pulsos, tornozelos e pequenas articulações das mãos e dos pés são mais freqüentemente
afetadas do que em outros subtipos de oligoartrite [ 2,5,6,21,22,25 ]. Artrite das articulações interfalângicas distais (DIPs)
é altamente sugestiva de artrite psoriática, embora a maioria das crianças não têm envolvimento DIP. Extensão de artrite
para cinco ou mais articulações ocorre em 60 a 80 por cento de pacientes, na ausência de uma terapia eficaz [ 2,20,25 ].
Mesmo na doença poliarticular, o número de articulações envolvidas é muitas vezes menor do que em outras formas de
poliartrite de início na infância, dando origem a uma distribuição assimétrica das articulações envolvidas [ 2,26 ]. A forma
altamente destrutiva da artrite psoriática adulto conhecida como artrite mutilante é rara em crianças.
®
®
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 2/16
A artrite da coluna vertebral e articulações sacro-ilíacas - psJIA pode afetar o esqueleto axial em 10 a 30 por cento
dos pacientes ( Tabela 1 ). Sacroileíte, às vezes assimétrica, afeta principalmente os pacientes com idade mais
avançada no início que muitas vezes são positivos para o antígeno HLA-B27 ( imagem 1 ) [ 5,27 ]. Doença inflamatória da
coluna lombar ocorre em menos de 5 por cento das crianças com psJIA e geralmente é mais suave do que em
espondilite anquilosante, geralmente não está a progredir a anquilose da coluna vertebral [ 2,5,25,28 ]. (Veja
"Espondiloartropatia em crianças" .)
Entesite - Entesite refere-se a inflamação localizada para a inserção de ligamentos, tendões e outras estruturas fibrosas
em osso. Locais típicos de enthesitis incluir as inserções do tendão de Aquiles e da fáscia plantar no calcâneo. Outros
locais facilmente acessíveis ao exame incluem os pólos da patela, as cristas ilíacas, os côndilos femorais medial e
epicôndilo lateral do cotovelo [ 29,30 ]. Enthesitis suspeita pode ser confirmada por ultra-som ou ressonância magnética
(MRI) [ 31 ].
Entesite é uma característica da artrite psoriática adulto, mas seu papel em crianças com artrite psoriática não está tão
bem estabelecida. Aproximadamente 60 por cento das crianças no subgrupo mais antiga do psJIA exposição entheseal
ternura, em comparação com 22 por cento dos pacientes mais jovens, embora esta última pode ser subestimado pois o
exame é difícil em crianças mais jovens [ 5 ]. Na verdade, dactylitis é especialmente comum em crianças mais jovens
com psJIA e entesite pode contribuir para o seu desenvolvimento. (Veja 'Dactilite' abaixo.)
Muitas crianças com artrite e entesite são classificados como artrite relacionada à entesite usando da Liga Internacional
de Associações de Reumatologia (critérios do ILAR), embora alguns desses pacientes são classificados como psJIA se
cumprirem critérios adequados [ 14,17 ].
Dactilite - Dactilite refere ao inchaço dentro de um dígito que se estende para além das fronteiras das articulações.
Essa expansão pode ser uniforme ao longo do comprimento do digito, dando a aparência de uma "salsicha dígito", mas
também pode ser fusiforme com acentuação em torno do interfalângica proximal (PIP) comum ( figura 1 e 2 da imagem ).
Estudos em adultos sugerem que os resultados de aparência dactylitic de uma combinação variável de tenossinovite dos
flexores, sinovite nas articulações próximas, crescimento subperiosteal osso novo, e entesite em múltiplas inserções de
tendões, ligamentos e outras estruturas fibrosas que permitem flexão dos dedos, sem bowstringing dos tendões flexores
[ 32-35 ]. Dactilite é observada em 20 a 40 por cento dos pacientes com psJIA ( tabela 1 ) [ 25,36 ]. Normalmente apenas
um ou alguns dígitos são afetados, na maioria das vezes o segundo dedo do pé e dedo indicador, possivelmente por
causa de sua susceptibilidade ao trauma. Dactilite pode ser sintomática ou assintomática. Em uma série, dactylitis foi o
único achado musculoesquelético na apresentação em 12 por cento das crianças com psJIA [ 20 ]. Dactilite é relatada
em até 18 por cento das crianças com AIJ nonpsoriatic, embora seja possível que muitas destas crianças tinha psJIA
despercebidas diante dos desafios no diagnóstico desta condição [ 1,2,22,37 ].
Pele e doenças das unhas - franca psoríase ocorre em 40 a 60 por cento dos pacientes com psJIA, geralmente sob a
forma vulgar clássica, apesar de psoríase gutata, também é observada [ 2,3,6,20,24,38,39 ]. A psoríase em crianças
tende a ser sutil, com placas moles, finos que podem ir e vir, às vezes escondidos no couro cabeludo, umbigo, atrás das
orelhas, ou no sulco interglúteo ( imagem 2 ) [ 40,41 ]. As lesões podem aparecer semelhante ao eczema. Algumas
lesões são difíceis de diagnosticar de forma inequívoca, mesmo com exame dermatológico especialista [ 40 ].
Alterações nas unhas, como corrosão são encontradas em 50 a 80 por cento das crianças com psJIA, em comparação
com até 30 por cento no tratamento da psoríase na infância em geral ( imagem 1 ) [ 3,5,20,39,42,43 ]. Onycholysis
(separação da unha do leito ungueal) também pode ser observada, mas é muito menos comum. Essas alterações nas
unhas podem refletir enthesitis da inserção distal dos tendões extensores, um site em contato íntimo com o leito ungueal
[ 44,45 ].
A uveíte - Crônica uveíte indolor ocorre em 10 a 15 por cento das crianças com psJIA ( tabela 1 ), e é indistinguível do
que visto em oligo e poliarticular [ 12,46 ]. Pacientes jovens com um teste ANA positivo parecem estar em maior risco.
Exame oftalmológico regular é essencial para evitar a perda visual, e padrão JIA uveíte diretrizes de triagem aplicar. Num
estudo, a taxa de complicações da uveíte foi maior em psJIA que em outros subtipos de artrite juvenil [ 47 ]. Uveíte
anterior aguda característica das espondiloartropatias adultos pode ocorrer em crianças mais velhas e está associada
com a presença de HLA-B27, embora uveíte crónica também é relatada neste subgrupo [ 3-5,48-50 ]. (Veja "início da
artrite idiopática juvenil pauciarticular", seção sobre "A uveíte ' .)
Outras manifestações sistêmicas - Crianças com psJIA poliarticular muito ativo pode ter as características
constitucionais de doença inflamatória crônica, incluindo anorexia, anemia e crescimento deficiente. A febre ocorre
raramente e apenas em casos graves. Assim, a febre não deve ser atribuída a psJIA sem uma cuidadosa pesquisa para
causas alternativas, incluindo o câncer [ 38,51,52 ].
Os achados laboratoriais - psoriática artrite idiopática juvenil (psJIA), como com a maioria dos outros tipos de artrite
idiopática juvenil (AIJ), é um diagnóstico clínico para que testes de laboratório podem excluir nem estabelecer o
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 3/16
diagnóstico. Marcadores inflamatórios, incluindo a taxa de sedimentação de eritrócitos (ESR), proteína C-reativa (PCR), e
contagem de plaquetas, podem apresentar ligeira elevação a moderada, mas muitas vezes são normais, mesmo na
doença poliarticular, [ 5,20 ]. Anticorpos antinucleares (ANA) está presente em título baixa ou moderada em 60 por cento
dos doentes mais jovens e 30 por cento de pacientes mais idosos, e é útil principalmente para definir o risco uveíte para
efeitos de rastreio oftalmológico [ 5 ]. Antígenos nucleares extraíveis (por exemplo, anti-dsDNA, anti-Smith) são
normalmente ausentes. O fator reumatóide (FR) é geralmente negativo, e é considerado um critério de exclusão sob
definições ILAR ( tabela 2 ). A presença de psoríase pode ser incidental em pacientes com poliartrite simétrica que são
positivos em alto título de RF ou anticorpos peptídeo citrullinated (PCC) anticíclica. Estes doentes raros são mais
considerados para representar RF + AIJ poliarticular [ 51 ].
Estudos radiológicos - alterações ósseas e redução do espaço articular, indicando perda de cartilagem significativa,
normalmente são evidentes somente após a doença tem avançado substancialmente. Neoformação óssea proliferativa é
evidente com menos frequência em crianças do que em adultos [ 53 ].
A ressonância magnética (RM) com contraste de gadolínio pode ajudar a definir sinovite, derrame, tendinite, entesite e
edema da medula óssea nos casos em que o exame é ambígua, embora a especificidade de determinadas achados
radiológicos para a artrite idiopática juvenil psoriática (psJIA) não tem foi determinada [ 53 ]. Em mãos experientes, o
ultra-som é uma alternativa útil e rentável para MRI, com as vantagens de ser menos dependente da cooperação do
paciente completo e mais propícios a série de acompanhamento [ 31 ].
DIAGNÓSTICO - artrite idiopática juvenil psoriática (psJIA) é diagnosticada facilmente em crianças nas quais a
inflamação das articulações desenvolve no cenário da psoríase estabelecida. No entanto, a erupção cutânea clássica
está ausente na apresentação em cerca de metade das crianças com psJIA, às vezes ficando 10 ou mais anos atrás
início dos sintomas articulares [ 2-6,20,21,24,25,38,39,48,54, 55 ]. Além disso, a psoríase na criança pequena pode ser
sutil, atípica e transitória, e muitas vezes é inicialmente diagnosticada como eczema ( quadro 2 ) [ 3,38,40 ]. Incerteza
diagnóstica é comum, mas de limitada importância clínica, uma vez que as opções de tratamento para psJIA não diferem
substancialmente daquelas empregadas na maioria dos outros subtipos de AIJ. (Veja "psoriática artrite idiopática juvenil:
Gestão e prognóstico" .)
Na prática, psJIA é suspeita quando a artrite ocorre no contexto de uma história pessoal ou familiar de psoríase, na
presença de erupções cutâneas sugestivas, ou quando a artrite é acompanhada por poços de unha, onicólise ou
dactylitis, que são características da artrite associada à psoríase em crianças e adultos ( imagem 1 e imagem 3 ). Pistas
adicionais incluem determinados padrões comuns, como a artrite das pequenas articulações das mãos ou pés no
contexto de oligoartrite (<5 articulações total), ou ternura em locais entheseal [ 21,22,28 ]. Quando um outro tipo de AIJ é
fortemente suspeita, a presença de psoríase ou história familiar de psoríase pode ser incidental (por exemplo, em um
paciente com altos títulos de fator reumatóide [RF] ou peptídeos citrullinated cíclico [PCC] autoanticorpos indicando
soropositivos AIJ poliarticular ou com febre e exantema evanescente indicando AIJ sistêmica). (Veja 'As manifestações
clínicas " acima e "Manifestações clínicas e diagnóstico da artrite psoriática" .)
Os testes laboratoriais e estudos radiológicos são de valor limitado no diagnóstico de psJIA. (Veja 'achados laboratoriais
" acima e "estudos radiológicos" acima.)
Os critérios de diagnóstico - reconhecendo o desafio diagnóstico, foram desenvolvidos critérios para facilitar o
reconhecimento de psJIA na ausência de psoríase franca, incorporando essas pistas como história familiar de psoríase e
sintomas clínicos sugestivos [ 2,56 ]. Os critérios mais velhos (Vancouver) são mais permissivos do que os critérios de
consenso subseqüentes da Liga Internacional de Associações de Reumatologia (ILAR), que incorporam critérios de
exclusão extensas para permitir distinção de outros subtipos de AIJ ILAR ( tabela 2 ) [ 2,48,56 ] . (Veja "Classificação
das reumatóide juvenil (ARJ / AIJ)" .)
Diagnóstico diferencial - O diagnóstico diferencial da artrite idiopática juvenil psoriática (psJIA) inclui principalmente
outros subtipos de artrite idiopática juvenil (AIJ), artrite RF-negativo AIJ e relacionada à entesite especialmente
oligoarticular e poliarticular. Incerteza diagnóstica residual é comum, mas, felizmente, tem poucas implicações do
tratamento. (Veja "Classificação das reumatóide juvenil (ARJ / AIJ)" e "início da artrite idiopática juvenil pauciarticular" e
"poliarticular da artrite idiopática juvenil: manifestações clínicas e diagnóstico" e "psoriática artrite idiopática juvenil:
Gestão e prognóstico" .)
Além de outros tipos de AIJ, o diagnóstico diferencial depende da apresentação (ver "As manifestações clínicas ' acima):
Monoartrite e grande conjunto oligoartrite levanta a possibilidade de desarranjos mecânicos ou doença de Lyme,
que pode ser afastado por ensaios sorológicos e de imagiologia adequadas quando indicado. (Ver "O diagnóstico
da doença de Lyme" e "doença de Lyme: Manifestações clínicas em crianças" seção, em "artrite" .)
O diagnóstico diferencial da doença poliarticular é principalmente restrita a AIJ poliarticular (RF negativa ou
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 4/16
positiva), mas inclui a infecção por parvovírus B19 ou outras viroses, doenças complexas imunes, incluindo artrite
e crioglobulinemia postinfectious e vasculites. Estas entidades mais incomuns deve ser considerada quando o
início da doença é fulminante ou acompanhadas de características clínicas não bem explicadas por psJIA, tais
como erupções cutâneas nonpsoriatic ou doença multissistêmica. (Veja "Manifestações clínicas e patogênese da
infecção pelo parvovírus B19 humano" e "Visão geral de CM e crioglobulinemia" e "A vasculite em crianças:
Avaliação" .)
Artropatia Cristalina, como gota ou pseudogota, é extremamente rara em crianças, mas deve ser considerada
quando existem fatores de risco, tais como disfunção renal ou o uso de diuréticos ou inibidores da calcineurina.
Ele pode ser excluído por ensaio de soro de ácido úrico (para a gota) e polarizado de inspecção de luz de um
aspirado de articulação. (Veja "Manifestações clínicas e diagnóstico de gota" e "manifestações clínicas e
diagnóstico de pirofosfato de cálcio doença deposição de cristais" .)
Febre e grave consideração raise dor da artrite séptica ou uma apresentação articular de malignidade,
particularmente leucemia linfoblástica aguda e raramente linfoma [ 57 ]. Pistas para malignidade incluem sintomas
migratórias, dor óssea não se limitando ao articulações, febre, marcadores inflamatórios elevados fora de
proporção com o grau de sinovite, ou anormalidades hematológicas, como anemia marcada ou uma contagem de
plaquetas abaixo do esperado para o grau e cronicidade da sistêmica inflamação. (Veja "artrite bacteriana:
características clínicas e diagnóstico em lactentes e crianças" e "Visão geral da apresentação e diagnóstico de
leucemia linfoblástica aguda em crianças e adolescentes" e "A avaliação clínica da criança com suspeita de
câncer", seção sobre "Ossos e Articulações dor " .)
O diagnóstico diferencial de inchaço digital inclui anemia falciforme, osteomielite tuberculosa, e artropatia
sarcoidose, mas raramente são confundidos com psJIA. (Ver "Visão geral das manifestações clínicas da doença
falciforme" e "tuberculose esquelética" e "artropatia sarcoidose" .)
INFORMAÇÃO PARA PACIENTES - UpToDate oferece dois tipos de materiais de educação do paciente, "O Básico" e
". além do básico" As peças de ensino paciente Basics são escritos em linguagem simples, no 5 e 6 nível de leitura,
e eles respondem a quatro ou cinco perguntas-chave a paciente pode ter sobre uma determinada condição. Estes artigos
são os melhores para os pacientes que querem uma visão geral e que preferem, materiais de fácil leitura curtas. Além do
paciente Basics peças de ensino são mais longos, mais sofisticados e mais detalhado. Estes artigos são escritos na 10
a 12 leitura nível e são os melhores para os pacientes que desejam obter informações em profundidade e são
confortáveis  com algum jargão médico.
Aqui estão os artigos de educação do paciente que são relevantes para o tema. Nós encorajamos você a imprimir ou e-
mail para esses tópicos para seus pacientes. (Você também pode localizar artigos de educação do paciente sobre uma
variedade de assuntos, pesquisando sobre "info paciente" ea palavra-chave (s) de interesse.)
Tema Basics (ver "Informações ao paciente: A artrite psoriásica em crianças (O Básico)" )
RESUMO
A artrite psoriática juvenil idiopática (psJIA), ou artrite psoriática juvenil (JPsA), é clinicamente diversa ( tabela 1 ).
A inflamação pode envolver apenas uma articulação ou muitos, com ou sem envolvimento das articulações
sacroilíacas, coluna vertebral, ou entheses periféricos. Dactilite ((um inchaço de salsicha de dígitos individuais)
foto 3 ) é uma manifestação comum em crianças mais jovens, ao passo que a artrite axial e entesite (inflamação
localizada à inserção de ligamentos, tendões e outras estruturas fibrosas em osso) são mais comuns em crianças
mais velhas. Psoríase cutânea Frank nem sempre é evidente ( imagem 2 ). Unhas picada ( foto 1 ) é visto com
mais freqüência em psJIA do que na psoríase restrita à pele. (Veja 'As manifestações clínicas " acima.)
O fator reumatóide (FR) é geralmente negativo, e é considerado um critério de exclusão. Marcadores inflamatórios,
incluindo a taxa de sedimentação de eritrócitos (ESR), proteína C-reativa (PCR), e contagem de plaquetas, podem
apresentar ligeira elevação a moderada, mas muitas vezes são normais, mesmo na doença poliarticular. (Veja
'achados laboratoriais " acima.)
Alterações ósseas e redução do espaço articular, indicando perda de cartilagem significativa, normalmente são
evidentes somente após a doença tem avançado substancialmente ( imagem 2 e imagem 1 ). (Veja "estudos
radiológicos" acima.)
PsJIA é diagnosticada facilmente em crianças nas quais a inflamação das articulações desenvolve no cenário da
psoríase estabelecida ( Tabela 2 ). No entanto, a erupção cutânea clássica está ausente na apresentação em
º º
ª ª
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 5/16
cerca de metade das crianças com psJIA, às vezes ficando 10 ou mais anos atrás início dos sintomas articulares.
Além disso, a psoríase na criança pequena pode ser sutil, atípica e transitória, e muitas vezes é inicialmente
diagnosticada como eczema. Assim, é comum a incerteza de diagnóstico. Os testes laboratoriais e estudos
radiológicos são de valor limitado no diagnóstico de psJIA. (Veja "diagnóstico" acima.)
O diagnóstico diferencial da psJIA inclui principalmente outros subtipos de AIJ, especialmente oligoarticular e
poliarticular RF-negativo AIJ e artrite relacionada à entesite. Além de outros tipos de AIJ, o diagnóstico diferencial
depende da apresentação clínica. (Veja 'Diagnóstico diferencial' acima).
Uso de UpToDate está sujeito ao Contrato de Subscrição e licença .
Referências
1. Nigrovic PA. Artrite psoriática juvenil: água do banho ou o bebê? Reumatol 2009; 36: 1861.
2. Southwood TR, Petty RE, Malleson PN, et al. A artrite psoriásica em crianças. Arthritis Rheum 1989; 32: 1007.
3. Truckenbrodt H, Häfner R. [artrite psoriática na infância. Uma comparação com os subgrupos de artrite juvenil
crônica]. Z Rheumatol 1990; 49:88.
4. Koo E, Balogh Z, gomor B. juvenil artrite psoriática. Clin Rheumatol 1991; 10: 245.
5. Stoll ML, Zurakowski D, Nigrovic LE, et ai. Os pacientes com artrite psoriática juvenil compreendem duas
populações distintas. Arthritis Rheum 2006; 54: 3564.
6. Flato B, Lien G, Smerdel-Ramoya A, Vinje O. juvenil artrite psoriática: resultados a longo prazo e diferenciação de
outros subtipos de artrite idiopática juvenil. Reumatol 2009; 36: 642.
7. Thomas E, Barrett JH, Donn RP, et al. Subtipagem da artrite idiopática juvenil por meio de análise de classe
latente. Britânico pediátrica Grupo Reumatologia. Arthritis Rheum 2000; 43: 1496.
8. Hofer MF, Mouy R, Prieur AM. Artrites idiopáticas juvenis avaliados prospectivamente em um único centro de
acordo com os critérios de Durban. J Rheumatol 2001; 28: 1083.
9. Krumrey-Langkammerer M, Häfner R. Avaliação dos critérios ILAR para artrite idiopática juvenil. J Rheumatol 2001;
28: 2544.
10. Berntson L, Fasth A, Andersson-Gare B, et al. A validade de construção de critérios ILAR e EULAR na artrite
idiopática juvenil: um estudo de incidência de base populacional dos países nórdicos. Liga Internacional de
Associações de Reumatologia. Liga Europeia Contra o Reumatismo. J Rheumatol 2001; 28: 2737.
11. Merino R, de Inocencio J, García-Consuegra J. Avaliação da revista Liga Internacional de Associações de
Reumatologia critérios de classificação para artrite idiopática juvenil em crianças espanholas (Edmonton 2001). J
Rheumatol 2005; 32: 559.
12. Saurenmann RK, Levin VA, Feldman BM, et al. Prevalência, fatores de risco, e os resultados da uveíte na artrite
idiopática juvenil: um estudo de acompanhamento de longo prazo. Arthritis Rheum 2007; 56: 647.
13. Arguedas O, Fasth A, Andersson-Gare B, Porras O. juvenil artrite crônica na área urbana de San José, Costa Rica:
um estudo prospectivo de 2 anos. J Rheumatol 1998; 25: 1844.
14. Danner S, Sordet C, Terzic J, et al. Epidemiologia da artrite idiopática juvenil na Alsácia, França. J Rheumatol
2006; 33: 1377.
15. Oen K, Fast M, Postl B.  Epidemiologia da artrite reumatóide juvenil em Manitoba, Canadá, 1975-1992: ciclos de
incidência. J Rheumatol 1995; 22: 745.
16. Ferrándiz C, Bordas X, García-Patos V, et al. Prevalence of Psoríase in Brazil (epiderme Project: phase I). J Eur
Acad Dermatol Venereol 2001; 15:20.
17. Gelfand JM, Weinstein R, Porter SB, et al. Prevalência e tratamento da psoríase no Reino Unido: um estudo de
base populacional. Arch Dermatol 2005; 141: 1537.
18. Kurd SK, Gelfand JM. A prevalência de psoríase previamente diagnosticadas e não diagnosticadas em adultos
norte-americanos: os resultados do NHANES de 2003-2004. J Am Acad Dermatol 2009; 60: 218.
19. Stoll ML, Nigrovic PA. Subpopulações dentro artrite psoriática juvenil: uma revisão da literatura. Clin Immunol Dev
2006; 13: 377.
20. Shore A, Ansell BM. Artrite psoriática juvenil - uma análise de 60 casos. J Pediatr 1982; 100: 529.
21. Huemer C, Malleson PN, Cabral DA, et al. Padrões de acometimento articular de início oligoarticular diferenciar
artrite psoriática juvenil da artrite reumatóide juvenil pauciarticular. J Rheumatol 2002; 29: 1531.
22. Stoll ML, Nigrovic PA, Gotte AC, Punaro M. Comparação clínica de psoríase de início precoce e oligoarticular
artrite idiopática juvenil não psoriática. Clin Exp Rheumatol 2011; 29: 582.
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 6/16
23. Petty RE. Artrite psoriática juvenil ou artrite juvenil com psoríase? Clin Exp Rheumatol 1994; 12 Suppl 10: S55.
24. Hamilton ML, Gladman DD, Shore A, et al. Artrite psoriática juvenil e antigénios HLA. Dez Ann Rheum 1990; 49:
694.
25. Roberton DM, Cabral DA, Malleson PN, Petty RE. Artrite psoriática juvenil: acompanhamento e avaliação dos
critérios diagnósticos. J Rheumatol 1996; 23: 166.
26. Helliwell PS, Hetthen J, Sokoll K, et al. Simetria conjunta na artrite reumatóide e psoriática precoce e tardia:
comparação com um modelo matemático. Arthritis Rheum 2000; 43: 865.
27. Ansell B, Beeson M, Salão P, et al. HLA e artrite psoriática juvenil. Br J Rheumatol 1993; 32: 836.
28. Helliwell PS, Hickling P, Wright V. Será que as alterações radiológicas do clássico espondilite anquilosante
diferem das alterações encontradas na espondilite associada com doença inflamatória do intestino, psoríase e
artrite reativa? Ann Rheum Dis 1998; 57: 135.
29. D'Agostino MA, Disse-Nahal R, Hacquard-Bouder C, et al. Avaliação da enthesitis periférica nos
spondylarthropathies por ultra-sonografia com Doppler combinado com poder: um estudo transversal. Arthritis
Rheum 2003; 48: 523.
30. Healy PJ, Helliwell PS. Medindo enthesitis clínica na artrite psoriática: avaliação de medidas e desenvolvimento de
um instrumento específico para a artrite psoriática existentes. Arthritis Rheum 2008; 59: 686.
31. Kamel M, H Eid, detecção Mansour R. do ultra-som de enthesitis salto: uma comparação com a ressonância
magnética. J Rheumatol 2003; 30: 774.
32. Olivieri I, L Barozzi, Favaro L, et al. Dactilite em pacientes com spondylarthropathy soronegativos. Avaliação por
ultra-sonografia e ressonância magnética. Arthritis Rheum 1996; 39: 1524.
33. Olivieri I, Salvarani C, Cantini F, et al. Seqüências de rotação rápida eco-ponderada em T2 com saturação de
gordura em dactylitis de Espondilartrite. Nenhuma evidência de envolvimento entheseal dos tendões flexores dos
dedos. Arthritis Rheum 2002; 46: 2964.
34. Lalande Champetier de Ribes T, Margarit-Coll N, Sans N, et al. [Ultra-som apresenta de entesopathy em pacientes
com dactylitis psoriática]. J Radiol 2006; 87: 639.
35. Healy PJ, Groves C, Chandramohan M, Helliwell PS. Mudanças de ressonância magnética em dactylitis psoriática
- extensão da patologia, relação com ternura e correlação com índices clínicos. Reumatologia (Oxford) 2008; 47:92.
36. Um Padula, Belsito F, Barozzi L, et al. Isolated tenossinovite associada à psoríase desencadeada por lesão
corporal. Clin Exp Rheumatol 1999; 17: 103.
37. Butbul YA, Tyrrell PN, Schneider R, et al. Comparação de pacientes com artrite psoriática juvenil e artrite idiopática
juvenil nonpsoriatic: quão diferente eles são? Reumatol 2009; 36: 2033.
38. Lambert JR, Ansell BM, Stephenson E, artrite psoriática V. Wright na infância. Rheum Dis Clin 1976; 2: 339.
39. Sills EM. A artrite psoriásica na infância. Johns Hopkins Med J 1980; 146: 49.
40. Morris A, Rogers M, G Fischer, Williams psoríase K. Infância: uma revisão clínica de 1.262 casos. Pediatr
Dermatol 2001; 18: 188.
41. Farber EM, Carlsen RA. Psoríase na infância. Calif Med 1966; 105: 415.
42. Kumar B, R Jain, Sandhu, K, et al. Epidemiologia da psoríase na infância: um estudo de 419 pacientes do norte da
Índia. Int J Dermatol 2004; 43: 654.
43. Al-Mutairi N, Manchanda Y, Nour-Eldin O. alterações das unhas no tratamento da psoríase na infância: um estudo
a partir de Kuwait. Pediatr Dermatol 2007; 24: 7.
44. Scarpa R, Soscia E, Peluso R, et al. Prego e articulação distal na artrite psoriática. J Rheumatol 2006; 33: 1315.
45. Tan AL, Benjamin M, Toumi H, et al. A relação entre o entese tendão extensor e as unhas na doença articulação
distal na artrite psoriática - uma alta resolução de ressonância magnética e estudo histológico. Reumatologia
(Oxford) 2007; 46: 253.
46. Um Heiligenhaus, Niewerth M, Ganser G, et al. Prevalência e complicações da uveíte na artrite idiopática juvenil em
um estudo de âmbito nacional de base populacional na Alemanha: sugeriu modificação das orientações de rastreio
atuais. Reumatologia (Oxford) 2007; 46: 1015.
47. Cabral DA, Petty RE, Malleson PN, et al. O prognóstico visual em crianças com uveíte anterior crônica e artrite. J
Rheumatol 1994; 21: 2370.
48. Stoll ML, Lio P, Sundel RP, Nigrovic PA. Comparação de Vancouver e Liga Internacional de Associações de
Reumatologia critérios de classificação para artrite psoriásica juvenil. Arthritis Rheum 2008; 59:51.
49. Paiva ES, Macaluso DC, Edwards A, Rosenbaum JT. Caracterização da uveíte em doentes com artrite psoriática.
Ann Rheum Dis 2000; 59:67.
50. Häfner R, artrite psoriática H. Michels em crianças. Curr Opin Rheumatol 1996; 8: 467.
51. WRIGHT V. Reumatismo e psoríase: uma reavaliação. Am J Med 1959; 27: 454.
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 7/16
52. Nordstrom BL, Minas D, Gu Y, et al. Risco de malignidade em crianças com artrite idiopática juvenil não tratados
com agentes biológicos. Arthritis Care Res (Hoboken) 2012; 64: 1357.
53. Lee EY, Sundel RP, Kim S, et al. Os achados de RM de artrite psoriática juvenil. Skeletal Radiol 2008; 37: 987.
54. Calabro JJ. A artrite psoriásica em crianças. Arthritis Rheum 1977; 20 Suppl: 415.
55. Wesołowska H. Curso clínico da artropatia psoriática em crianças. Mater Med Pol 1985; 17: 185.
56. Petty RE, Southwood TR, Modos P, et al. Liga Internacional de Associações de Reumatologia para classificação
da artrite idiopática juvenil: segunda revisão, Edmonton, 2001 Reumatol 2004; 31: 390.
57. Cabral DA, Tucker LB. Doenças malignas em crianças que apresentam inicialmente com queixas reumáticas. J
Pediatr 1999; 134: 53.
Tópico 16630 Versão 5.0
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 8/16
GRÁFICOS
As características clínicas da artrite idiopática juvenil psoriática
Série,
ano
Sills,
1980
Shore,
1982
Southwood,
1989
Truckenbrodt,
1990
Roberton,
1996
Stoll,
2006
Flato,
2009
Número de
pacientes
24 60 35 48 63 139 31
Por cento do
sexo
feminino
71 58 69 44 70 59 77
Artrite
aparece
antes
psoríase
58 43 48 42 56 29 50
Início
oligoarticular
(<5
articulações)
73 94 85 73 84 68
Coluna
cervical
32 17 25
TMJ 34 40 7
Ombro 23 9 8 3
Elbow 43 20 15 30 13 33
Wrist 33 62 43 31 43 25 42
Pequenas
articulações
das mãos
88 60 31 62 61
MCP 53 43
PIP 40 51
DIP 63 42 27
A articulação
sacroilíaca
29 11 17 5 1 0
Hip 33 38 23 21 32 11 23
Joelho 67 77 89 67 84 60 87
Tornozelo 63 63 50 60 51 71
Pequenas
articulações
do pé
67 46 25 56 42
Qualquer
pequena
articulações
periféricas
> 88 > 53 69 > 31 > 62 57 65
Dactilite 23 49 67 47 30
A uveíte 8 8 17 10 14 8 19
Todos os números indicam percentagem de pacientes. Em branco = não relatado.
ATM: articulação temporomandibular; MCP: metacarpo; PIP: interfalângica proximal; DIP: distal.
Referência:
[1]
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630&… 9/16
1. Stoll M, Nigrovic PA, dados não publicados.
Dados de: Nigrovic PA, Sundel RP, Petty RE. Artrite psoriática juvenil. In: Textbook of Reumatologia Pediátrica,
6 ª ed, Cassidy JT, Petty RE, Laxer RM, Lindsley CB (Eds), Saunders, Philadelphia 2011.
Graphic 68365 Versão 4.0
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630… 10/16
Radiografia de sacroileíte e hip lesão em paciente
adulto com artrite psoriásica juvenil de início
Sacroileíte leve unilateral e marcado esquerdo> lesão no quadril direito
em um paciente adulto com artrite psoriática-juvenil início.
Reproduzido de: Nigrovic PA, Sundel RP, Petty RE. Artrite psoriática juvenil. In:
Textbook of Reumatologia Pediátrica, 6 ª ed, Cassidy JT, Petty RE, Laxer RM,
Lindsley CB (Eds), Saunders, Philadelphia 2011 Ilustração usada com a
permissão da Elsevier Inc. Todos os direitos reservados.
Graphic 78012 Versão 1.0
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630… 11/16
Alterações das unhas na artrite idiopática juvenil psoriática
(psJIA)
Alterações das unhas em uma criança com psJIA. Nota corrosão e onicólise.
Frequentes mudanças são substancialmente mais sutil, com apenas alguns poços
espalhados que são evidentes somente após inspeção cuidadosa.
Reproduzido de: Nigrovic PA, Sundel RP, Petty RE. Artrite psoriática juvenil. In: Textbook of
Reumatologia Pediátrica, 6 ª ed, Cassidy JT, Petty RE, Laxer RM, Lindsley CB (Eds),
Saunders, Philadelphia 2011 Ilustração usada com a permissão da Elsevier Inc. Todos os
direitos reservados.
Graphic 64753 Versão 2.0
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630… 12/16
Radiografia de dactylitis e reação periosteal em criança com
artrite psoriática
Mão radiografias / pulso de uma criança com artrite idiopática juvenil psoriática
(psJIA). Nota inchaço dactylitic do dígito (setas brancas) e reação periosteal do osso
(setas pretas) em comparação com o lado contralateral.
Reproduzido de: Nigrovic PA, Sundel RP, Petty RE. Artrite psoriática juvenil. In: Textbook of
Reumatologia Pediátrica, 6 ª ed, Cassidy JT, Petty RE, Laxer RM, Lindsley CB (Eds), Saunders,
Philadelphia 2011 Ilustração usada com a permissão da Elsevier Inc. Todos os direitos
reservados.
Graphic 63642 Versão 3.0
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630… 13/16
Descobertas de pele psoríase em uma criança com artrite
idiopática juvenil psoriática (psJIA)
Rachaduras e escala atrás da orelha de uma criança com psJIA. Como é
evidente a partir desta imagem, os achados de pele da psoríase precoce pode
ser sutil e ambígua.
Reproduzido de: Nigrovic PA, Sundel RP, Petty RE. Artrite psoriática juvenil. In: Textbook
of Reumatologia Pediátrica, 6 ª ed, Cassidy JT, Petty RE, Laxer RM, Lindsley CB (Eds),
Saunders, Philadelphia 2011 Ilustração usada com a permissão da Elsevier Inc. Todos os
direitos reservados.
Graphic 57017 Versão 2.0
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630… 14/16
Vancouver e critérios ILAR para artrite psoriásica juvenil
Vancouver ILAR (revisão Edmonton)
Os critérios de
inclusão
A artrite reumatóide ou psoríase, mais
além de pelo menos dois dos
seguintes:
A artrite reumatóide ou psoríase, mais
além de pelo menos dois dos
seguintes:
Dactilite Dactilite
Poços de unhas Covas prego ou onicólise
FHX de psoríase em um primeiro ou
parente até segundo grau
FHX de psoríase em um parente de
primeiro grau
Exantema tipo psoríase
Os critérios de
exclusão
Nenhum 1. Artrite em um início masculino
HLA-B27 positivo após o sexto
aniversário
2. AS, ERA, sacroileíte com IBD,
artrite reativa, ou uveíte anterior
aguda, ou uma história de um
desses distúrbios em um
parente de primeiro grau
3. A presença de IgM em pelo
menos duas ocasiões, pelo
menos, três meses de intervalo
4. A presença de AIJ sistêmica em
um paciente
5. Cumprindo Arthritis 2 categorias
de AIJ
Para ambos os conjuntos de critérios, artrite deve ser de etiologia desconhecida, começar antes do
décimo sexto aniversário, e persistir por pelo menos seis semanas. Segundo os critérios de
Vancouver, a doença "definitiva" é a artrite mais psoríase ou artrite mais três critérios menores,
enquanto a doença "provável" é a artrite mais dois critérios menores.
ILAR: Liga Internacional de Associações de Reumatologia; FHX: história familiar; AS: espondilite
anquilosante; Relacionada com entesite artrite;: ERA DII: doença inflamatória do intestino; JIA: artrite
idiopática juvenil; RF: fator reumatóide.
Reproduzido de: Nigrovic PA, Sundel RP, Petty RE. Artrite psoriática juvenil. In: Textbook of Reumatologia
Pediátrica, 6 ª ed, Cassidy JT, Petty RE, Laxer RM, Lindsley CB (Eds), Saunders, Philadelphia 2011 Tabela
usada com a permissão da Elsevier Inc. Todos os direitos reservados.
Graphic 77.944 Versão 3.0
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630… 15/16
Dactilite na artrite idiopática juvenil psoratic (psJIA)
Dactilite em psJIA. Nota forma de salsicha das segunda e quarto dedos (A) e fusiforme
inchaço de dedo indicador e polegar (B).
Graphic 79540 Versão 3.0
13/8/2014 Psoriática artrite idiopática juvenil: Patogênese, manifestações clínicas, diagnóstico e
http://www.uptodate.com/contents/psoriatic-juvenile-idiopathic-arthritis-pathogenesis-clinical-manifestations-and-diagnosis?topicKey=ALLRG%2F16630… 16/16
Di vul gação: Peter A Nigrovic, MD Grant / Research / Clínica de Apoio Julgamento: Baxter (IgG concessão de glicosilação).
Consultor / Conselhos Consultivos: Novartis (IL-1 bloqueio); Genentech (IL-6 de bloqueio); Alkermes (IL-1 de bloqueio); Momenta
(glicosilação IgG). Sundel Robert, MD Nada a divulgar. Elizabeth TePas, MD, MS Employee of UpToDate, Inc.
Colaborador divulgações são revisadas para conf litos de interesse por parte do grupo editorial. Quando encontrados, estes são
abordados por habilitação através de um processo de revisão multi-nível, e através de requisitos para ref erências a serem
f ornecidas para suportar o conteúdo. Apropriadamente conteúdo ref erenciado é exigido de todos os autores e devem estar em
conf ormidade com as normas UpToDate de prova.
Conflito de Interesses
Divulgações