You are on page 1of 6

ÌYÉ ORÒ – Plumas Sagradas

Ìkódíde, Agbè, àlùkò e Lékeléke são plumas usadas em nossa
Religião nos rituais de Iniciação, Passagem e Oferecimentos
(ebós), como símbolos Sagrados de descendência e proteção.


Exemplo: a pena do odideré, papagaio africano, que possui a
cauda vermelha, é conhecida porÌkódidé, representa a
transmutação no rito de Iniciação, é um amuleto de proteção
no rito de passagem – de um estado a outro, foi usada
porÌyámi assim que chegou à Terra para protegê-la contra as
desgraças do Mundo.






Odíderé – Papagaio Cinzento

Assim, qualquer pessoa que usar uma pena deodíderé na
cabeça, estará protegida contra maldades, feitiços,
invejas, etc.
É um pássaro considerado Rei pelos yorùbá(s), pois a sua
noiva é Àmí, a Vida.

A pena vermelha de sua calda simboliza a ovulação,
fecundação, menstruação, gestação e nascimento – é a
representação de todo o Poder Feminino, cujo poder,
expressa Realeza, status, honra... , quando posta na cabeça
torna-se mais importante que a adé, coroa.













Agbè – Turaco



Ìyé ti Agbè é uma pena preta azulada extraída da cauda da
ave africana, Turaco. É usada nos rituais e nos
assentamentos dos Òrísà(s) como símbolo de descendência e
de resistência contra as necessidades. Os relatos do Ifá
(Oráculo) descrevem Agbè como o pássaro que levava para
Olókun (Dona/o do Mar), riqueza e boa sorte. Tornando-a,
dessa maneira, um símbolo de prosperidade e de vitória
contra as dificuldades da vida.

Cada elemento usado no Culto tem o seu próprio poder, mas,
às vezes, se junta outros elementos para complementar a
força que há no princípio de cada coisa. No caso da ìyé ti
Agbè o costume é usá-la juntamente com outras penas
Sagradas como:àlukò, lekéléke, ìkódíde, etù, àkùko,
eiyelé,etc., a fim de se obter a ligação entre o mar, rio,
terra (campo), floresta e o doméstico.














Àlukò – Turaco

Ìyé ti àlukò é a pena (púrpura/escarlate)da cauda desse
pássaro. Os relatos do Ifá (Oráculo) a descreve como o
transportador de riqueza e boa sorte para Olóòsá (Dona das
Águas Doces). Nos rituais tem os mesmos significados da ìyé
ti agbè, ou seja, ambas se complementam.




Lékeléke – Garça-vaqueira



Ìyé ti lékeléke além de ser como todas as plumas um símbolo
de descendência, o pássaro é tido com aquele que carregava
boa sorte e riqueza paraÒrísàlá – Grande Orixá.

Assim, todas as plumas usadas no Culto têm o significado de
riqueza ou poder de atraí-la quando são utilizadas como
amuleto de boa sorte, queimadas e misturadas ao sabão para
ser usado em banhos nos dias de segunda-feira (dia de Ajé-
Sàlùngà, Òsun, Èsù e dos Ancestrais humanos), têm o poder
de favorecer com dinheiro, esposa ou marido, filhos, casa,
alegria, boa saúde e vida longa.

As plumas (penas) também fazem referências às cores do
Culto – o vermelho, o preto e o branco, lembram os quatro
principais Códigos (Odù Ifá) Ogbè-méjì, Oyekú-méjì, Ìwòrì-
méjì e Òdí-méjì.

Observação: A ideia de escrever este artigo surgiu numa
visita ao blog de Oya-Dèjì, minha neta. Onde pode ser
vistos e analisados, artigos excelentes.

http://oyamesanorun.blogspot.com/2011/03/ebora-oya.html