You are on page 1of 2

A Sra.

ANAIS GOURDON
Era muito jovem e notável pela doçura do caráter e de eminentes qualidades morais que
a distinguiam, tendo falecido em novembro de 1860. Pertencia a uma família de mine
iros dos arredores de Saint-Étienne, circunstância que torna interessante sua posição es
piritual.
Evocação:
- R. Presente.
- P. Vosso pai e vosso marido pediram-me para evocar-vos, e felizes se julgariam
se obtivessem uma comunicação.
- R. Eu também sou feliz em dá-la.
- P. Por que tão cedo vos furtastes aos carinhos da família?
- R. Porque terminei as provações terrenas.
- P. Podeis ver algumas vezes os vossos parentes?
- R. Oh! estou sempre ao lado deles.
- P. Sois feliz como Espírito?
- R. Sou feliz. Amo e espero. Os céus não me infundem temor, e cheia de confiança agua
rdo que asas brancas me alcem até eles.
- P. Que entendeis por asas brancas?
- R. Tornar-me Espírito puro, resplandecer como os mensageiros celestes que me ofu
scam.
Nota - As asas dos anjos, arcanjos, serafins, que não passam de Espíritos puros, são e
videntemente apenas um atributo pelos homens imaginado para dar idéia da rapidez c
om que se transportam, visto como a sua natureza etérea os dispensa de qualquer am
paro para fender os espaços. Contudo, eles podem aparecer aos homens com tal acessór
io para lhes corresponderem ao pensamento, assim como os Espíritos se revestem da
aparência terrestre a fim de se fazerem cognoscíveis.
- P. Podem os vossos parentes fazer algo em vosso favor?
- R. Podem, caros irmãos, não mais me entristecendo com as suas lamentações, pois sabem
que não estou perdida de todo para eles. Desejo que a recordação de meu ser lhes seja
suave e doce. Passei qual flor sobre a Terra, e nada de pesaroso deve subsistir
dessa passagem.
- P. Como pode ser tão poética a vossa linguagem, e tão pouco em harmonia com a posição qu
e tivestes na Terra?
- R. É que a minha alma é quem fala. Sim, eu tinha conhecimentos adquiridos eDeus pe
rmite muitas vezes que Espíritos delicados encarnem entre os homens mais rústicos, p
ara fazer-lhes pressentir as delicadezas ao seu alcance, que compreenderão mais ta
rde.
Nota - Sem esta explicação tão lógica, consentânea com a solicitude de Deus para com as cr
iaturas, dificilmente se compreenderia o que à primeira vista parecerá anomalia. De
fato, que pode haver de mais belo, poético e gracioso que a linguagem desta jovem
educada entre rudes operários? Dá-se o contrário muitas vezes: - Espíritos inferiores en
carnam entre os mais adiantados homens, porém, com fito oposto. É visando o seu própri
o adiantamento que Deus os põe em contacto com um meio esclarecido, e, às vezes, tam
bém como instrumento de provação desse mundo. Que outra filosofia pode resolver tais p
roblemas?
Questões para estudo
1.O que a Sra. Anais Gourdon pede a seus familiares?
2.Por que o modo desse espírito expressar-se causou uma certa surpresa ao comunica
r-se? A que se pode atribuir esta mudança? Acontece o mesmo a todo desencarnado?
3. O que podemos fazer por nossos desencarnados para ajudá-los na vida espiritual?
Conclusão:
CONCLUSÃO
1. Pede a seus irmão e familiares que não se entristeçam e não lamentem sua morte, pois
isso a perurba e entristece.
De fato, o espírito precisa de amor e paz para que consiga encontrar seu equilíbrio
com serenidade e os que ficam na Terra podem ajudar orando e lembrando dele com
amor. A revolta e a inconformidade, até mesmo o desespero por quem partiu, causa u
ma intensa perturbação que, muitas vezes, não dá a paz que o espírito necessita para segui
r seu caminho.
2. O espírito já tinha uma evolução muito própria e superior ao que demonstrava na Terra,
pois o mesmo encarnou com certas limitações para que pudesse adaptar-se às condições neces
sárias a esta encarnação em particular, onde veio para auxiliar e ensinar os homens a
docura do amor. Acontece o mesmo a todo desencarnado? Não. Acontece quando é necessári
o para o desenvolvimento do desencarnado ou dos encarnados que irão conviver com e
le. Tabém dependerá da evolução e do merecimento destes espíritos.
3. Orar por eles, principalmente. Bons pensamento de conforto e paz, sabendo que
um dia, se for do nosso merecimento, estaremos todos reunidos na espirtualidade
ou em outras encarnações