You are on page 1of 58

Professor Eliezer

História Geral
Idade Moderna
séc. XV - XVIII
Turma EMESCAM – AULA 3
- FATORES DETERMINANTES
. As Cruzadas
. Renascimento Comercial
. Renascimento Urbano
. Surgimento da burguesia
. Crise do feudalismo e o enfraquecimento dos
senhores feudais
. Desintegração da servidão, que sustentava o
feudalismo
. Progressos técnicos nos armamentos militares,
provocando a decadência da cavalaria
. Surgimento dos exércitos reais ou profissionais
- PRINCIPAIS MONARQUIAS NACIONAIS
EUROPÉIAS
> PORTUGAL
. Fim da Guerra da Reconquista
> ESPANHA
. Fim da Guerra da Reconquista
. Casamento de Isabel e Fernando(Castela e
Aragão)
> FRANÇA
. Guerra dos Cem Anos
. Peste Negra
> INGLATERRA
- Guerra dos Cem Anos
. Guerra das Duas Rosas (Lancaster x York)
- ABSOLUTISMO MONÁRQUICO
. Concentração total dos poderes nas mãos do rei.
. O rei era visto como grande árbitro das questões nacionais.
. Luxo e ostentação reforçavam a imagem do rei diante das
massas miseráveis.
. Cobrança cada vez maior de tributos, irritando burguesia e
povão.
. “casamento” da monarquia com a Igreja Católica.
JUSTIFICATIVAS PARA O ABSOLUTISMO
 Nicolau Maquiavel: na obra “O Príncipe”, afirma que os
poderes do rei são ilimitados, desde que seus objetivos sejam a
grandeza do Estado. Os fins justificamos meios.
 Thomas Hobbes: na obra “Leviatã”, menciona que é
necessário o poder ilimitado do soberano para uma melhor
organização e defesa da sociedade. Sem essa autoridade, a
sociedade tende ao caos.
 Jacques Bossuet: na obra “Política Segundo a Sagrada
Família”, o rei é um representante de Deus na Terra e todos os
súditos devem respeitá-lo.
 Política econômica praticada pelos Estados Absolutistas.
. Objetivos: fortalecer o Estado e a burguesia.
. Princípios:
 Metalismo
 Balança Comercial favorável
 Intervenção do Estado na economia
 Protecionismo
- RENASCIMENTO
* Transição da mentalidade medieval para a
mentalidade moderna.
* Patrocinado pelos mecenas (burgueses ricos).
* Buscava o resgate da cultura greco-romana.
* Períodos:
. Trecento (séc.XIV): início, ainda muita
religiosidade.
. Quatrocento (séc.XV): apogeu do “reviver
clássico”.
. Cinqüecento (séc.XVI): declínio do
Renascimento, influenciado pelas Grandes
Navegações e a Contra-Reforma. Com a decadência,
surge o Barroco.
FATORES DETERMINANTES
. Decadência moral do clero
. Venda de indulgências(perdão dos pecados)
. Simonia (venda de objetos considerados sagrados
. O patrimônio acumulado pela Igreja
. Centralização das monarquias nacionais( poder)
. O papa passou a ser visto como um líder estrangeiro
. Ascensão da burguesia (condenação da usura)
- Reação da Igreja Católica contra as novas religiões.
- Medidas:
. Concílio de Trento
- manutenção do celibato
- criação dos seminários
- criação do catecismo
- criação do Índex
. Companhia de Jesus: combate às heresias e aos
protestantes
. Reativação do Tribunal da Inquisição
. Quebra da unidade do Cristianismo na Europa
Ocidental.
. Fortalecimento das monarquias nacionais.
. Estímulo ao desenvolvimento capitalista.
. Impulso à alfabetização(mais leitura).
. Maior intolerância religiosa, tanto católica como
protestante.
. Impedimento ao livre desenvolvimento das
ciências.
CONSEQÜÊNCIAS DA REFORMA
PROTESTANTE
- Representou as idéias revolucionárias da burguesia
- Movimento intelectual do século XVIII
- Combatia: - o absolutismo monárquico
- o privilégio de classes
- a intolerância religiosa
- a política mercantilista
- Defendia: - um governo constitucional
- igualdade jurídica
- liberdade de culto
- liberalismo econômico
- O pensamento iluminista encontra sua origem no século XVII,
quando os pensadores René Decartes, John Locke e Isaac
Newton produziram uma verdadeira revolução científica.
- René Decartes: a razão é a única fonte de chegar ao
conhecimento verdadeiro dos fatos.
- Isaac Newton: os acontecimentos da natureza são regidos por
leis universais que governam e explicam os fenômenos
naturais, sem a participação direta das forças divinas.
- John Locke: o governo existe pela necessidade de garantir os
direitos e a segurança dos homens, mas seus poderes não
podem ultrapassar os limites estabelecidos pelos que o
escolheram.
- ILUMINISMO FRANCÊS
. Montesquieu: na obra O Espírito das Leis, propôs a divisão
dos poderes do Estado em Executivo, Legislativo e Judiciário.
. François Marie Arouet, vulgo Voltaire, foi um vigoroso
crítico da religião e da Monarquia. A liberdade consistia em
ser governado por um código de leis legítimo, que se aplicasse
igualmente a todos.
. Rousseau: amado por muitos e odiado por outros, crente em
Deus, defendeu a formação de um governo popular. É
considerado o pai da democracia moderna. O início da
desigualdade social teria sido a demarcação das propriedades.
- LIBERALISMO ECONÔMICO
. Adam Smith:
- o trabalho é a verdadeira fonte de riqueza.
- o laissez faire(deixar fazer) não admitia a presença do
Estado na economia.
- o Estado só deve interferir na economia para evitar as
injustiças e para promover a saúde pública e a educação.
- suas idéias opunham-se à política mercantilista.
- INFLUÊNCIAS DO ILUMINISMO
. Independência dos Estados Unidos.
. Revolução Francesa.
. Outros movimentos de independência.
. Inconfidência Mineira.
- Iniciou na Inglaterra em fins do século XVIII:
. Queda do absolutismo inglês (Revolução Gloriosa)
. Acúmulo de capitais
. Criação do Banco da Inglaterra
. Política dos Cercamentos
. Grande mercado fornecedor(colônias)
. Amplo mercado interno
. Vários e vantajosos tratados comerciais
. Ato de Navegação
. Ricas jazidas de ferro e carvão
. Grande desenvolvimento dos meios de comunicação.
. Disputa do mercado internacional pelos europeus.
. Forte pressão sobre a classe trabalhadora.
. Aparecimento de novas doutrinas sociais e econômicas.
. Primeiras uniões de operários contra os patrões(sindicalismo)
CONSEQÜÊNCIAS DA REVOLUÇÃO
INDUSTRIAL