You are on page 1of 20

CONSTITUCIONAL

Apostila de Teoria Geral do Estado
1. T.G.E.
1.1 Origem: Direito Constitucional
· POSITIVO: é o ramo do Direito Púlico !ue e"#$e% inter#reta e sinteti&a as normas
constitucionais de um determinado Estado. 'ateriali&a(se no documento )ormal denominado
Constitui*+o.
· CO'P,-,DO: tem como o.eti/o a sele*+o e com#ara*+o de determinadas normas ou
matérias das Constitui*$es !ue estudar.
· GE-,0: é a disci#lina aut1noma !ue tem como o.eti/o a analise das #rinci#ais
estruturas estatais% #rinci#almente: #o/o% territ2rio e go/erno.

1.3 Conceito:
4 o ramo do Direito Constitucional !ue% utili&ando algumas ci5ncias au"iliares 6Ci5ncia
Pol7tica% 8iloso)ia e Sociologia9% )ormula conceitos das estruturas do Estado inclusi/e a
Constitui*+o.
/ulgar
EPISTE'O0OGI,
cient7)ico

1.: -ela*$es:
, Teoria Geral do Estado se relaciona direta ou indiretamente com os demais ramos da
Ci5ncia ;ur7dica% se.a na es)era #úlica% se.a na es)era #ri/ada.

DI-EITO:
· POSITIVO:
<P=>0ICO 6interesses gerais9:
I?TE-?O: Direito Constitucional% Triut@rio% 8inanceiro% Processual...
I?TE-?,CIO?,0: Direito Constitucional% Triut@rio% 8inanceiro% Processual...
< P-IV,DO 6interesses #articulares9:
I?TE-?O: Direito Ci/il e Comercial.
I?TE-?,CIO?,0: Direito Ci/il e Comercial.
· ?,TA-,0

CO?STITAIBCO
EST,DO Direito
,utorit@rio

3. O-IGE' E EVO0ABCO DO EST,DO.
3.1 Estado ,ntigo 6ou Teocr@tico% ou -eligioso9:
D.EEE anos atr@s.
Organi&a/a(se a #artir de uma centrali&a*+o e"cessi/a #elo l7der #ol7tico dos #oderes
religioso e institucionais. Este l7der re#resenta/a a di/indade #ara e"ercer% ilimitadamente%
seus atriutos.
O e"em#lo cl@ssico desta organi&a*+o )oi o Egito% !ue atra/és do )ara2 mani)esta/a%
#ermanentemente% con/ic*$es religiosas nos costumes.

3.3 Estado Grego:
3FEE anos atr@s.
Desen/ol/eu(se a #artir da cren*a e"cessi/a nos Deuses% !ue .usti)ica/am toda e
!ual!uer autoridade. ,dministrati/amente organi&a/a(se nas cidades(estado 6PG0IS9:
organi&a/am% inde#endentemente% e"ércitos% sistemas de comércio e sistemas de direito.
Princi#ais PG0IS: ,tenas% Es#arta% Téas...
O Estado Grego iniciou as #rimeiras mani)esta*$es de Direito Púlico e de Organi&a*+o
;udici@ria. ?o século V% Péricles inaugurou o #er7odo democr@tico% sendo !ue seus
#rinci#ais institutos constam nas #rinci#ais Constitui*$es:
( direito de /otar.
( direito de der /otado.
( direito de o#osi*+o.
( direito de lierdade #úlica de e"#ress+o.
,s elei*$es caracteri&a/am todas as discuss$es #úlicas% e os eleitos% necessariamente%
#ertenciam a aristocracia.
3.: Estado -omano:
Sucedeu ao Grego e desen/ol/eu suas #rinci#ais caracter7sticas #ara /iaili&ar a
#ulicidade dos direitos. O Estado -omano normati&ou os #rinci#ais direitos das GE?TES%
atra/és do HCO-PAS IA-IS CIVI0ISI. Este documento de)iniu os #rinci#ais direitos dos
cidad+os em rela*+o Js COIS,S 6-ES9.
VKCIO -EDI>ITG-IO 6Hescra/o estragadoI9 L a!uisi*+o de algo estragado% sem ter esta
inten*+o.
CIVIT,S L cidades romanas antigas L -oma% 'ileto% Pom#éia...
O Estado -omano tornou cada CIVIT,S aut1noma #ara legislar as #rinci#ais matérias de
seus interesses.

3.D Estado 'edie/al:
Desen/ol/eu suas caracter7sticas a #artir das di/is$es territoriais e de )ronteirasM seu
sistema econ1mico% aseado no )eudalismo% torna/a cada e"tens+o territorial #articular e
so asoluto dom7nio de seu #ro#riet@rio 6senNor )eudal9.
Predominou o Direito Pro/ado e Na/ia restri*+o Js mani)esta*$es #úlicas: o senNor
)eudal era tamém um l7der religioso% tal como nosso Estado ,ntigo.
,s #rinci#ais conce#*$es so)reram altera*$es em )un*+o das desigualdades !ue
#redomina/am nas rela*$es decorrentes da #ro#riedade.
Este #er7odo Nist2rico desen/ol/eu os micro()eudos como rela*+o #atrimonial% e a idéia de
um Estado único e"istiu a#enas em rela*+o J conce#*+o religiosa. Tamém é deste #er7odo
o desen/ol/imento de /@rios institutos .ur7dicos:
( direito de #ro#riedadeM
( direito de com#ra 6Direito Ci/il9M
( trans#orte de ri!ue&as atra/és de t7tulos 6Direito ComercialM
( #rocesso #enalM
( #ena% castigos e e"ecu*$es 6Direito Penal9M
( usuca#i+o 6Direito ,gr@rio: utili&ar a terra #or tem#o indeterminado e de#ois e"igi(la9...
4#oca da: I?OAISIBCO.

3.F Estado 'oderno:
O -enascimento e a -e)orma 0uterana resgataram a idéia de lierdade e de autonomia
social% o indi/7duo read!uire seu status 6estar )irme9.
, idéia de Estado 'oderno ins#irou(se nos escritos de: Tomas PO>>ES% ;oNn 0OCQE e
?icolau ',OAI,VE0. Segundo estes autores% e consideradas suas #articularidades% a
sociedade e"igia um ente su#erior e com com#et5ncia #ara #romo*+o da de)esa dos
interesses indi/iduais.
,s conce#*$es #rimiti/as do Estado 'oderno consideram a ri!ue&a do EstadoM de outro
lado% as idéias sore lierdade determinaram !ue Nou/esse uma institucionali&a*+o dos
limites de #oder. Com a -e/olu*+o 8rancesa os contratualistas e os iluministas di)undiram a
idéia de !ue todos tinNam direitos.
Com a Constitui*+o de 1RS1% )icou estaelecido% inclusi/e como modelo% o limite de
atua*+o do Estado% !ue se mani)esta/a atra/és de tr5s )ontes de #oder:
( ETECATIVO.
( 0EGIS0,TIVO.
( ;ADICIU-IO.
Este modelo de Estado Contem#orVneo% a #artir da -e/olu*+o de 1RWS% e/oluiu #ara
#ermitir% inclusi/e% #ara !ue os Estados se tornassem ideol2gicos.

3.X Teoria 8amiliar:
Tem como )undamento o desen/ol/imento do Estado a #artir dos núcleos )amiliares%
#rinci#almente #ri/ilegiando a )igura do P,TE- 8,'I0IS. O #ai era autoridade asoluta na
)am7lia #ara dis#or sore destinos e direitos.

3.R Teoria ?atural:
O Estado e/olui naturalmente a #artir da reuni+o de /@rias )am7lias% !ue #or o.eti/os
comuns )ortaleceram(se. Esta e/olu*+o natural é resultado de um #rocesso de domina*+o
dos mais )ortes sore os mais )racos% numa rela*+o de sumiss+o.

3.W Teoria Contratual:
O Estado é uma realidade .ur7dica na medida !ue é o titular das garantias !ue asseguram
os direitos indi/iduais. , ase te2rica desta escola é% )undamentalmente% )ilos2)ica:
( o HContrato SocialI J -OSSE,A.
( o HEs#7rito das 0eisI J 'O?TESOAIEA.
Estes autores desen/ol/eram as teses considerando a #remissa de !ue os indi/7duos% #or
serem li/res% adicariam de #arcelas da sua indi/idualidade #ara !ue o Estado as
assegurasse #lena e #ermanentemente.

3.S Teoria ;ur7dica:
4 a teoria mais moderna e tem res#aldo cient7)ico #ara suas Ni#2teses% !ue s+o:
a9 -econNecimento internacional: surgir@ um Estado 6o Estado9 !uando dois ou mais
Estados li/remente reconNecerem(no.
9 Constitucionali&a*+o: com a outorgada 6im#osta9% ou a #romulga*+o 6criada #elo
legislati/o9 da Constitui*+o% surgir@ o Estado% #or!ue tal lei disci#lina rela*$es gerais.


:. E0E'E?TOS CO?ST-ATIVOS DO EST,DO:

:.1 POVO
:.1.1 Conceito:
4 o con.unto de #essoas naturais !ue mantém /7nculo .ur7dico #ermanente com o Estado
num determinado territ2rio% é uma realidade .ur7dica na medida !ue todos os integrantes do
POVO e"ercem direitos e contraem origa*$es. 4 o elemento Numano de um Estado.
POVO L POPA0,BCO

:.1.3 Direitos Essenciais:
S+o a!ueles #ertencentes as #essoas naturais do territ2rio do Estado.
I ( Direito J ?acionalidade:
4 o direito !ue toda #essoa natural tem de estar .uridicamente /inculada a um Estado. 4
um direito #ersonal7ssimo.
a9 Prim@ria e Secund@ria:
?acionalidade Prim@ria é a!uela decorrente do acontecimento natural% nascimento 6com
/ida9.
?acionalidade Secund@ria é a !ue decorre de uma mani)esta*+o unilateral de /ontade da
#essoa natural ca#a&. 4 o #rocesso da naturali&a*+o.
9 Critérios:
S+o estaelecidos #ara de)inir a nacionalidade Prim@ria% a #artir de o.etos distintos.
· HIAS SO0ISI< considera(se nacional todo a!uele nascido em territ2rio nacional% é
cNamado critério territorial% sendo estaelecido constitucionalmente no >rasil% na ,rgentina%
no Aruguai e na maioria dos #a7ses latino(americanos.
· HIAS S,?GAI?ISI< Ser@ considerado nacional o )ilNo ou descendente de nacional.
c9 Con)litos:
· POSITIVO< con)igura(se !uando a #essoa natural dis#user de duas ou mais
nacionalidades% ser@ cNamado de #oli#@tria.
· ?EG,TIVO< ocorre !uando o nacional n+o a#resentar nenNuma nacionalidade% ser@
denominado a#@trida.
d9 Estrangeiros:
S+o todos a!ueles indi/7duos !ue n+o mantém nenNum dos direitos essenciais.

II ( Direito J Cidadania:
Cidad+o é !ual!uer #essoa natural titular dos direitos #ol7ticos #ositi/os de /otar e ser
/otado. Ter@ direito ao e"erc7cio da cidadania e da soerania a!uele !ue esti/er
eleitoralmente alistado 6dis#user de t7tulo eleitoral9.

:.1.: Po#ula*+o:
4 uma realidade sociol2gica% com elementos .ur7dicos seu resultado de/e(se a soma dos
integrantes do #o/o mais as outras situa*$es 6estrangeiros% asilados% condenados em
cum#rimento de #ena% etc...9

:.3 TE--ITG-IO
:.3.1 Introdu*+o
:.3.3 Conceito:
4 o elemento material do Estado onde um determinado #o/o e"erce seus direitos% suas
#artes s+o soeranas% e o Estado dentro de suas )ronteiras e"erce #lenos #oderes.
4 o Vmito de /alidade do ordenamento .ur7dico 6leis9% sumetendo todos as suas
determina*$es.
:.3.: Partes:
S+o os elementos onde o Estado e"erce #ermanentemente todos seus direitos.
I ( Solo:
4 a )ai"a de terra sore a !ual o Estado desen/ol/e .untamente com a sociedade todos os
direitos #oss7/eis. O solo é o local onde acontecem as delimita*$es materiais do territ2rio.
· )ronteiras < s+o os limites #ara a /alidade do direito. Ti#os:
a9 natural: é a!uela decorrente de um acontecimento geogr@)ico natural 6@guas%
montanNas% ilNas e outros9.
9 arti)icial < s+o decorrentes das mani)esta*$es de /ontades dos Estados organi&ados e
soeranos% de )orma ilateral #ara de)inir os Vmitos das leis% s+o os tratados ou os acordos
internacionais de )ronteiras.
II ( Susolo:
4 a )ai"a de terra locali&ada aai"o do solo sore a !ual o Estado e"erce direitos.
III ( 'ar Territorial:
4 a )ai"a de @gua !ue anNa #arte do solo de um Estado.
a9 Teoria do alcance /isual:
O Estado e"ercia sua soerania até onde os olNos alcan*assem o HlimiteI.
9 Teoria De)ensi/a:
O Estado e"ercia #lenamente a sua soerania até onde as armas de )ogo alcan*assem.
c9 Teoria dos Tratados:
O e"erc7cio da soerania decorrer@ dos acordos e tratados internacionais.
d9 Passagem Inocente:
4 decorr5ncia dos tratados a na/ega*+o em @guas alNeias% res#eitando as restri*$es
decorrentes do ordenamento .ur7dico.
IV ( Plata)orma Continental:
4 a )ai"a de terra locali&ada aai"o da linNa de @gua e sore a !ual o Estado e"erce
#lenamente a sua soerania% é um segmento de e"tra*+o de ri!ue&as.
V ( Es#a*o ,éreo:
4 a )ai"a de ar geogra)icamente delimitada e internacionalmente reconNecida.
:.3.D E"ce*$es ao #oder de im#ério
S+o as situa*$es legais !ue limitam a soerania de um Estado em rela*+o a determinados
)atos ou #essoas.
I ( E"traterritorialidade:
Con)igura(se !uando os )atos acontecerem no territ2rio )icto 6arti)icial9 do Estado% ou se.a%
no interior das aerona/es e emarca*$es de andeira nacional e nos territ2rios das
emai"adas% nestes locais #resume(se !ue as #essoas este.am no territ2rio de seu Estado%
moti/o #elo !ual incide esta limita*+o.
II ( Imunidades Di#lom@ticas:
S+o as garantias legais !ue incidem nas carreiras di#lom@ticas tendo como o.eti/o
garantir #rerrogati/a de )oro #elo caso e"ercido #or a!uele agente% trata(se de uma garantia
!ue tem como o.eti/o resguardar a re#resentati/idade de um Estado no outro. Estas
garantias n+o se estendem aos consulados ou aos )uncion@rios.
:.: GOVE-?O
:.:.1 Conceito:
HGo/erno é um con.unto )ormado #elo Estado% #ela sociedade e #elas institui*$es #ara
!ue de )orma concorrente se.a elaorada e administrada a distriui*+o do em comum.I
'a" Yeer.
Conceito ;ur7dico: 4 uma realidade normati/a )undamentada na rela*+o entre o Estado e a
sociedade #ara legalmente% atra/és de institui*$es #ermanentes se.a alcan*ada a )inalidade
do Estado.

:.:.3 Elementos Essenciais
I ( 0egalidade:
O Estado atra/és do Go/erno #ara desen/ol/er suas ati/idades estar@ suordinado ao
ordenamento .ur7dico 6Direito Positi/o% escrito9.
II ( Im#essoalidade:
O Go/erno de/e desen/ol/er seus o.eti/os de )orma im#essoal e/itando #ri/ilegiar
#essoas ou institui*$es.
III ( Se#ara*+o de Poderes:
, -e/olu*+o 8rancesa ins#irada na doutrina de 'ontes!uieu 6H, se#ara*+o dos PoderesI9
institucionali&ou a se#ara*+o do #oder estatal nos tr5s #oderes #ol7ticos: e"ecuti/o%
legislati/o e .udici@rio.
ETECATIVO 0EGIS0,TIVO ;ADICIU-IO
Ani+o Presidente e /i/e Congresso ?acional 6Senado e CVmara9 ST8% STS% STE% TST
Estado Go/ernador e /ice ,ssemléia T;% T, 6-S% SP% 'G9
'unic7#io Pre)eito e /ice CVmara 'unici#al ((((((((((((
IV ( Perman5ncia:
,s institui*$es de go/erno t5m um car@ter de #erman5ncia% #or!ue a sociedade tamém o
é. ?os regimes democr@ticos o #o/o elege os integrantes de algumas institui*$es.
V ( -egime De)inido:
a9 Democr@tico:
Caracteri&a(se #ela #artici#a*+o do #o/o na legitima*+o dos go/ernantes% /isto !ue
atra/és do /oto direto e secreto nas elei*$es #eri2dicas% escolNe mani)estando sua /ontade.
?este regime é garantida a lierdade como /alor asoluto.
4 uma caracter7stica e/olu7da a #artir do direito de /oto institu7do si)ica*$es !ue se
re)erem aos critérios do Estado #ara administrar.
a9 Estado Anit@rio
4 o ti#o de Estado !ue concentra num #oder central a totalidade dos atos de im#ério.
E"iste uma unidade de)initi/a de com#et5ncias sem a #ossiilidade de suas distriui*$es.
E".: Polanda.
9 Estado Com#osto
4 o ti#o de Estado !ue tem como caracter7stica #rinci#al a descentrali&a*+o de #oderes e
com#et5ncias dentro do territ2rio nacional a #artir de um #oder central. S+o Estados
tamém cNamados )ederati/os ou sim#lesmente )edera*+o. E".: >rasil% ,lemanNa% It@lia e
Paraguai.
F.: 8orma Con)ederada
F.:.1 Origens
,s Con)edera*$es surgiram entre os séculos IT e T reunindo #e!uenas comunidades
numa @rea naturalmente delimitada #ara a de)esa de o.eti/os comuns: alimentos%
seguran*a% de)esa do territ2rio% N@itos e culturas.
HCO'A?ID,DEI( micro T HSOCIED,DEI ( macro
,s con)edera*$es% #or suas di)eren*as e da su#erioridade numérica% )oram sustitu7das
#elas )edera*$es.
F.:.3 Conceito
4 a reuni+o central de duas ou mais unidades #ol7ticas 6Estados 'emros9 com interesses
e o.eti/os comuns.
F.:.: Elementos
S+o caracter7sticas asolutas !ue identi)icam esta )orma.
a9 >ase ;ur7dica
4 o tratado% uma es#écie de contrato onde suas #artes% os Estados 'emros% #actuam
)ormalidades de acordo com cl@usulas.
Direito de Secess+o% é o direito !ue todo integrante da Con)edera*+o tem #ara retirar(se
de )orma unilateral do tratado con)ederati/o% o Estado rom#e o tratado e n+o mais integra a
Con)edera*+o.
9 O.eti/o
O o.eti/o #rinci#al da Con)edera*+o é a manuten*+o da #a& interna% #or!ue os o.eti/os
acess2rios 6manuten*+o de ri!ue&as naturais% )ronteiras e outros9 #odem gerar con)litos% o
o.eti/o é ent+o% Narmoni&ar os interesses.
c9 ?acionalidade
Os Estados da Con)edera*+o ter+o suas nacionalidades de)inidas a #artir dos critérios !ue
adotarem 6IAS S,?GAI?IS e IAS SO0IS9.
d9 S7molos
Podem% os memros da Con)edera*+o% utili&ar s7molos #r2#rios 6andeiras% Ninos...9% mas
a #ersonalidade .ur7dica da Con)edera*+o e"ige uma andeira nacional.
e9 Personalidade ;ur7dica
, Personalidade ;ur7dica soerana na Con)edera*+o é reconNecida internacionalmente
atra/és do tratado% documento )ormal e .ur7dico.
F.D 8orma 8ederati/a
F.D.1 Origens
Am modelo cl@ssico de )edera*+o é o americano no )inal do século TVIII% onde as tre&e
col1nias norte(americanas se#araram(se .uridicamente do im#ério ritVnico. Posteriormente
#a7ses do norte tamém estaeleceram um critério de #oder central coordenador de
com#et5ncias #aralelas. ,tualmente os Estados constitucionali&ados descentrali&am
#oderes atra/és de di/is$es territoriais.
F.D.3 Conceito
4 a )orma de Estado !ue tem como caracter7stica )undamental% a #artir de dis#osi*$es
constitucionais% a descentrali&a*+o de com#et5ncias e #oderes. 4 uma realidade .ur7dica
!ue admite )ontes simultVneas de #oderes constitu7dos.
?a )orma )ederati/a e"istem o #oder intermedi@rio% entre o #oder central e o local% é
denominado Estado('emro.
F.D.: Elementos
S+o as caracter7sticas asolutas !ue identi)icam esta )orma.
a9 >ase ;ur7dica
, Constitui*+o 8ederal é a )onte de /alidade #ara todo o ordenamento .ur7dica !ue
/igorar@ no territ2rio nacional. Todas as leis de/em estar ade!uadas a este documento
su#erior.
,s Constitui*$es determinam e"#ressamente as atriui*$es e com#et5ncias #ara os :
#oderes constitu7dos: dentro do territ2rio% os Estados('emros #odem organi&ar(se
constituindo os mesmos #oderes. Esta mesma Constitui*+o sumete toda a #o#ula*+o
#ermanentemente.
Esta Constitui*+o di/ide es#acialmente o #oder ao admitir /@rias )ontes normati&adoras.
9 O.eti/o
, #artir da Constitui*+o di/idir #arcelas de #oder dentro do territ2rio nacional. Os :
#oderes nas )edera*$es t5m com#et5ncias #r2#rias.
c9 ?acionalidade
, 8edera*+o estaelece% constitucionalmente% um critério de nacionalidade #ara todos
a!ueles !ue integram o #o/o.
d9 S7molos
,s 8edera*$es t5m s7molo nacional de)inido. , andeira ser@ nacional.
e9 Personalidade ;ur7dica
, 8edera*+o é soerana e os Estados('emros aut1nomos. , Constitui*+o >rasileira
determina autonomia aos Estados('emros 6,rt.1W9.
F.F 8edera*+o >rasileira
F.F.1 Pist2rico E/oluti/o
Desde as ca#itanias Neredit@rias% o >rasil di/idiu(se administrati/amenteM durante o
Im#ério% as #ro/7ncias tinNam #oderes #aralelos a ca#ital im#erialM com a Constitui*+o
-e#ulicana de 1WS1% o >rasil adotou o modelo de )edera*+o norte(americana.
F.F.3 Princ7#ios Constitucionais
S+o as dis#osi*$es constitucionais !ue res#aldam esta )orma de Estado. ?o >rasil s+o
duas:
a9 Constitui*+o 8ederal% ,rt. 1Z ( identi)icador
Este artigo identi)ica e"#ressamente a 8edera*+o como uma realidade asoluta.
9 Constitui*+o 8ederal% ,rt. XE% [ DZ% I ( re#ressi/o
Este dis#ositi/o determina a im#ossiilidade .ur7dica da altera*+o da )orma de Estado
nacional% é uma cl@usula #étrea 6 Dis#ositi/o constitucional imut@/el% insuscet7/el de
re/oga*+o. Visa a im#edir ino/a*$es temer@rias em assuntos cruciais #ara a cidadania do
Estado9% !ue torna a matéria irre)orm@/el.
F.F.: ,s#ectos
I( ,dministra*+o
, 8edera*+o >rasileira é% administrati/amente% )ormada #ela Ani+o% Estados('emros%
'unic7#ios% Distrito 8ederalM de )orma asoluta. S+o #essoas .ur7dicas com autonomias e
com#et5ncias.
, administra*+o #úlica da 8edera*+o est@ suordinada aos #rinc7#ios constitucionais do
,rt. :R 6legalidade% #ulicidade% im#essoalidade e moralidade9.


II( Triutos
, 8edera*+o >rasileira tem um 2rg+o de cú#ula no seu #oder .udici@rio: Su#remo Triunal
8ederal 6ST89% tem sede em >ras7lia e .urisdi*+o em todo territ2rio nacional. Tamém
e"istem: Triunais Su#eriores e ;usti*as Estaduais 6Triunais de ;usti*a e Triunais de
,l*ada9% além dos .ui&es.
O #oder ;udici@rio tem nos Triunais decis$es !ue s+o #roduto de um colegiado.
1Z9 ST8 ( Su#remo Triunal 8ederalM
3Z9 ST; ( Su#erior Triunal de ;usti*aM
:Z9 TST% TSE% S'TM
DZ9 T-T% T-E% T;'M
FZ9 TS% T, e .ui&es de Direito.
F.F.D Estados('emros
S+o os Estados !ue com#$em a 8edera*+o% no >rasil s+o 3R% todos com uma ca#ital.
I( ,utonomias
De acordo com o ,rt% 1W da Constitui*+o% os Estados('emros t5m autonomia
administrati/a% or*ament@ria e legislati/a.
II( Constitui*$es Estaduais
Os Estados('emros se organi&am a #artir das Constitui*$es Estaduais% !ue% n+o #odem
contrariar a Constitui*+o 8ederal.
III( -e#resenta*+o Parlamentar
O Poder 0egislati/o Estadual é e"ercido #ela ,ssemléia 0egislati/a% !ue ter@ sua
com#osi*+o numérica #ro#orcionalmente de)inida em )un*+o do número de de#utados
)ederais.
F.F.F 'unic7#ios
I( ,utonomias
O 'unic7#io rasileiro tem autonomia administrati/a% )inanceira% or*ament@ria e legislati/a.
O 'unic7#io integra o Estado('emro e recee deste% a#oio administrati/o legalmente
#re/isto.
II( 0eis OrgVnicas
Os 'unic7#ios se organi&am a #artir das 0eis OrgVnicas% !ue s+o elaoradas #elas
CVmaras 'unici#ais.
1Z9 Constitui*+o 8ederal ( concentradora.
3Z9 Constitui*$es Estaduais.
:Z9 0eis OrgVnicas.

X. 8O-',S DE GOVE-?O

4 a classi)ica*+o !ue tem como o.eti/o o tem#o de go/erno
X.1 'onar!uia
X.1.1 Conceito
4 a )orma !ue tem com caracter7sticas #rinci#ais a #erman5ncia indeterminada no
e"erc7cio de IAS I'PE-IA'.
X.1.3 Caracter7sticas 8undamentais
I( Vitaliciedade
O rei ou monarca e"ercer@ seus en!uanto esti/er /i/o e )or ca#a&. Poder@ Na/er uma
e"ce*+o% !ue é !uando este adicar o seu #oder.
II( Pereditariedade
O IAS I'PE-IA' é trans)erido Nereditariamente% ou se.a% #ara um integrante da )am7lia
real.
III( Irres#onsailidade Pol7tica
O Poder 'on@r!uico n+o est@ suordinado a !uest$es #ol7ticas ou administrati/as. P@
uma irres#onsailidade #ol7tica do monarca em rela*+o aos )atos.

X.3 -e#úlica
X.3.1 Conceito
4 a )orma !ue se caracteri&a #ela transitoriedade #ara o e"erc7cio do #oder de im#ério #or
#arte dos legitimados.
X.3.3 Caracter7sticas Essenciais
I ( Eleti/idade
?as -e#úlicas os legitimados #ara o e"erc7cio do #oder s+o eleitos #elo #o/o.
II ( Tem#orariedade
Os eleitos na -e#úlica e"ercer+o #arcelas de #oder num #ra&o determinado. E"iste m
termo inicial e um termo )inal: este #er7odo é denominado mandato. Os mandat@rios
legitimamente re#resentam o #o/o% #or!ue )oram escolNidos.
III ( -es#onsailidade Pol7tica
, -e#úlica #or estar /inculada a Democracia em )un*+o das elei*$es e dos eleitos% so)re
#ress$es e in)lu5ncias #ol7ticas% é a -es#onsailidade Pol7tica da )orma.

R. -EGI'ES DE GOVE-?O

R.1 -egimes Democr@ticos e Democracia
R.1.1 Conceitos:
4 o -egime de Go/erno !ue re#resenta a /ontade das maiorias% admitindo #aci)icamente
a e"ist5ncia de o#osi*$es.
Democracia é o -egime de Go/erno )undamentado na asoluta suordina*+o das
#essoas e institui*$es J lei 6Constitui*+o9 de )orma #ermanente.
R.1.3 Democracia Pol7tica
I ( Conceito
4 o am#lo con.unto de direitos indi/iduais e coleti/os !ue #ermite J sociedade ir% /ir% ser%
estar% )a&er% ter e outros. 4 este con.unto a garantia da normalidade e #erman5ncia das
rela*$es sociais.
Estes direitos% !uanto mais am#los% identi)icam a #lenitude da democracia.
II ( Pressu#ostos
S+o os direito !ue indicam a Democracia Pol7tica.
a9 Direito de 0ierdade
4 o direito mais am#lo% #or!ue en/ol/e todas as #ossiilidades Numanas.
Os Nomens nas Democracias t5m garantido o direito de )a&erem naturalmente suas
/ontades.
9 Direito de E"#ress+o
4 o direito !ue as #essoas t5m de mani)estar li/remente suas con/ic*$es.
c9 Direito de O#ini+o
4 a )aculdade #ara tornar #úlico uma conce#*+o.
d9 Direito de Voto
4 garantido J!ueles !ue tenNam ca#acidade% #ermitindo /otar e ser /otado% é um direito
#ol7tico #ositi/o.
e9 Direito de Peti*+o
4 o direito de encaminNar #edidos de in)orma*+o% ou esclarecimento aos #oderes
constitu7dos.
III ( Princ7#ios
a9 Princ7#io das Elei*$es
?as democracias e"istem elei*$es #eri2dicas #ara !ue o #o/o e"er*a o seu direito de
/oto% desta )orma estar@ legitimando o go/erno #or!ue Na/er@ uma maioria.
9 -e#resentati/idade
?as democracias /igora o #rinc7#io da re#resentati/idade #or!ue as elei*$es #ermitem
di/ersas o#*$es #ara a escolNa de re#resentantes% !ue ser+o os com#onentes dos cargos
do e"ecuti/o e legislati/o.
R.1.: Democracia Direta
I ( Conceito
8oi a )orma encontrada #elos Estados ,ntigos #ara #ermitir !ue os cidad+os e os eleitos
6aristocratas9 rei/indicassem e .usti)icassem suas #retens$es. Vigorou% #rinci#almente% no
Estado Grego e no Estado -omano. Seu e"erc7cio ocorria em #ra*a #úlica% sendo suas
decis$es mani)esta*$es #o#ulares diretas.
II ( Considera*$es
Em )un*+o da e/olu*+o do Estado% a mani)esta*+o direta )oi sustitu7da #ela indireta. Os
Estados modernos desen/ol/eram institui*$es e rela*$es incom#at7/eis com essa
modalidade !ue )oi sustitu7da #ela Democracia -e#resentati/a.
R.1.D Democracia -e#resentati/a
I ( Conceito
4 a )orma !ue e"#ressa a /ontade dos cidad+os atra/és do /oto direto e secreto%
determinando !ue os eleitos #or este #rocesso ser+o os re#resentantes #ara legislar e
e"ecutar.
II ( Elementos
a9 -e#resentati/idade
Os eleitos% ou se.a% a!ueles !ue% escolNidos #elo /oto nas elei*$es re#resentam de )orma
di/ersa a sociedade !ue integram. Os #rinci#ais segmentos sociais #odem ter seus
re#resentantes eleitos.
9 'andato
4 o #er7odo legal #re/isto #ara !ue os eleitos e"ercer+o suas #arcelas de #oder. O
mandato tem in7cio e términos de)inidos. O mandato é a e"#ress+o normati&ada da /ontade
#o#ular.
c9 Parlamento
O Parlamento é a sede institucional do #oder 0egislati/o. ,s )ormalidades e #rocedimentos
dos #arlamentos modernos iniciaram a#2s a -e/olu*+o 8rancesa. Os #arlamentos s+o
integrados #elos re#resentantes eleitos.
Ti#os de Parlamento
1( Ouanto a sua com#osi*+o:
· A?IC,'E-,0: é o #arlamento )ormado #or uma casa legislati/a.
· >IC,'E-,0: !uando e"istem duas casas legislando com mesma com#et5ncia. ?o
>rasil% o Congresso ?acional é )ormado #elo Senado 8ederal e CVmara dos De#utados.
II ( Ouanto J Com#et5ncia
Ser+o de)inidas as com#et5ncias de acordo com os dis#ositi/os constitucionais como
decorr5ncia a descentrali&a*+o do #oder. Se Nou/er com#et5ncia #ara munic7#ios% Estados(
'emros e #oder central% esta com#et5ncia é legislati/a.
R.1.F Democracia Partici#ati/a
I ( Conceito
4 o con.unto de instrumentos legais !ue #ermite a #artici#a*+o direta dos cidad+os na
organi&a*+o e o.eti/o do Estado. Estes instrumentos s+o legalmente disci#linados.
II ( Instrumentos
S+o as #ossiilidades #ara inter)er5ncia na legisla*+o ou na conduta de administradores
#úlicos. Conceitualmente /ariam de Estado #ara Estado.
a9 Pleiscito
4 uma consulta #o#ular !ue ocorre #re/iamente ao #rocesso legislati/o. O cidad+o
mani)estar@ sua /ontade antes da lei ser /otada ou discutida #elo #oder legislati/o 6Hantes
da lei ser leiI9. 4 a consulta !ue antecede o ingresso da lei no ordenamento .ur7dico.
9 -e)erendo Po#ular 6H-E8E-E?DA'I9
4 outra es#écie de consulta #o#ular% #orém #osterior ao #rocesso legislati/o. Os eleitores
ir+o se mani)estar #ara admitir ou n+o o ingresso da lei no ordenamento .ur7dico.
c9 Iniciati/a Po#ular
4 a #ossiilidade .ur7dica do cidad+o indi/idual ou coleti/amente )ormular e a#resentar
#ro.etos de lei ao #oder legislati/o com#etente.
d9 ,*+o Po#ular
4 uma es#écie de #rocesso .udicial !ue #ermite ao cidad+o ingressar em .u7&o #ara !ue o
mau administrador #úlico se.a #unido e #ara !ue Na.a um ressarcimento aos co)res
#úlicos #or!ue o interesse é coleti/o.
R.1.X Democracia >rasileira
,s#ecto ;ur7dico: , Constitui*+o >rasileira em seu ,rt. 1Z identi)ica o >rasil como um
Estado Democr@tico de Direito% é a Democracia um /alor constitucionalmente assegurado.
EST,DO DE'OC-UTICO DE DI-EITO
-ealidade 1D C. 8. 0eis
;ur7dica XE% [ DZ% II

R.3 -egimes ,utorit@rios
I ( Conceito
4 o regime !ue rom#e a normalidade constitucional #ara unilateralmente im#or restri*$es
J sociedade e des/iar as )un*$es estatais. ,s mani)esta*$es mais comuns s+o as ditaduras
militares% ditaduras nominais e totalitarismos.
II ( Elementos
a9 Poderes Com#rometidos
Os regimes autorit@rios desres#eitam a Constitui*+o em rela*+o Js com#et5ncias%
atriui*$es% e até a com#osi*+o dos #oderes constituintes.
9 Democracia Pol7tica: -estri*$es e Direitos
O autoritarismo restringe os #rinci#ais direitos indi/iduais #re/istos na Constitui*+o e !ue
re#resentam a democracia #ol7tica de um Estado: #roii*+o do direito de reuni+o% de
lierdade% de e"#ress+o e outros.
c9 Viol5ncia
Os regimes autorit@rios #or sua ilegitimidade e ilegalidade% utili&am )or*as #úlicas #ara
im#or seus /alores.
d9 Constitui*+o Violada
Ouando o regime autorit@rio se estaelece% ele necessariamente /iola a Constitui*+o
/igente #ara agir de )orma totalmente ilegal com#rometendo o Estado de direito.

W. SISTE',S DE GOVE-?O

W.1 Conceito
S+o )ormas !ue identi)icam% em rela*+o ao tem#o% o #ra&o #ara o e"erc7cio das cNe)ias de
#oderes.

W.3 Presidencialismo
4 o sistema )undamentado essencialmente no #ra&o determinado #ela Constitui*+o #ara o
mandato #residencial. 4 um sistema ti#icamente latino(americano% cu.as caracter7sticas s+o
/ari@/eis con)orma o Estado.
W.3.1 Concentra*+o dos Poderes
O #residente da -e#úlica concentra #essoalmente as cNe)ias de Estado e de go/erno%
e"ercendo atriui*$es administrati/as e #ol7ticas. Pode o #residente inter)erir no #rocesso
legislati/o e até mesmo na com#osi*+o do #oder .udici@rio.
W.3.3 'andato
4 o #ra&o #ara o e"erc7cio das cNe)ias constitucionalmente #re/isto. O mandato é neste
sistema o )undamento .ur7dico #ara o e"erc7cio do #oder. Pode /ariar con)orme a
Constitui*+o.
W.3.: Plano de Go/erno
4 a #ro#osta #ol7tica do #residente #ara e"ercer o seu mandatoM é tamém uma #ro#osta
ideol2gica #ara o e"erc7cio de seu #oder.

W.: Parlamentarismo
4 o sistema )undamentado na di/is+o institucional de #oder e na maioria #ol7tica do
#arlamento.
W.:.1 Dualidade do Poder:
a9 CNe)ia do Estado
?as 'onar!uias% e"ercido #elo im#erador% e nas -e#úlicas #elo #residente. 4 a
atriui*+o constitucional #ara re#resentar interna e internacionalmente o Estado. 4 uma
atriui*+o legitimada #elo /oto !uando )or -e#úlica% #ara #ermitir o e"erc7cio de )un*$es e
com#et5ncias.
9 CNe)ia de Go/erno
4 e"ercida #elo 1Z ministro com sustenta*+o #ol7tica do #arlamento. O 1Z ministro
re#resenta a maioria escolNida e é escolNida #elo #residente ou im#erador. O go/erno ter@
um con.unto de ministros !ue )ormar+o um gainete de ministros. O 1Z ministro tem )un*$es
#ol7ticas e seu #oder s2 tem legitimidade en!uanto ti/er maioria #arlamentar.


W.:.: Demiss+o do Primeiro('inistro
I ( Perda da 'aioria
Ouando o Primeiro('inistro n+o dis#user de maioria no Parlamento n+o ter@ mais
legitimidade #ara re#resent@(la #erante o e"ecuti/o. , #erda da maioria é o en)ra!uecimento
#ol7tico do Primeiro('inistro.
II ( Voto de Descon)ian*a
Ocorre !uando o #residente da -e#úlica )ormali&a no Parlamento seu descontentamento
#ol7tico em rela*+o ao Primeiro('inistro. , descon)ian*a é em rela*+o a sua lideran*a ou
crediilidade 6idoneidade9.
W.:.D Considera*$es
O Parlamentarismo é um sistema !ue de/e ter )orte #oliti&a*+o social% além de #artidos
#ol7ticos e"#ressi/os% .@ as Ni#2teses da demiss+o do Primeiro('inistro !ue s+o uni/ersais
est+o diretamente /inculadas Js e"ig5ncias sociais mais imediatas.


S. -EP-ESE?T,TIVID,DE

S.1 Su)r@gio
S.1.1 Conceito
4 um am#lo direito de mani)esta*+o constitucionalmente #re/isto #ara #ermitir
#artici#a*+o #o#ular nas ati/idades do Estado e do #oder. 4 uma garantia #ara a
legitimidade do regime democr@tico.
S.1.3 8ormas
I ( Ouanto J E"tens+o
a9 Ani/ersal
4 a!uele !ue tem como única limita*+o uma idade m7nima #ara o seu e"erc7cio. O
Su)r@gio Ani/ersal n+o di)erencia /otos considerando ra*a% #atrim1nio% considera*+o social
e outros /alores.
9 -estriti/o
4 a!uela modalidade caracteri&ada #ela e"ig5ncia de determinadas situa*$es sociais #ara
admitir seu e"erc7cio% é uma mani)esta*+o discriminat2ria.
· censit@rio
S2 ter@ direito ao Su)r@gio a!uele !ue dis#user de ri!ue&a #essoal ele/ada. ?o >rasil
/igorou até 1WS1.
· ca#acit@rio
E"ige #ara seu e"erc7cio determinada situa*+o de escolaridade #ara e"cluir diretamente
os anal)aetos.
II ( Ouanto J Igualdade
a9 Igual
Cada #essoa corres#onde a um /oto% inclusi/e considerando(se o su)r@gio uni/ersal.
9 Inigual
4 o su)r@gio !ue distingue as #essoas #ermitindo !ue um eleitor #ossa /otar mais de uma
/e&.
S.1.: 'ani)esta*$es
S+o as #re/is$es legais #ara o e"erc7cio do su)r@gio% #ode ser atra/és das elei*$es% dos
#leiscitos e dos re)erendos.

S.3 Voto
S.3.1 Conceito
4 o instrumento indi/idual !ue o eleitor tem #ara mani)estar sua /ontade em rela*+o a
uma #ro#osta ou a um candidato. O /oto é #re/isto constitucionalmente e% atra/és dele a
sociedade legitima o go/erno.
S.3.3 Caracteres Essenciais
I ( Personalidade
O eleitor de/e com#arecer #essoalmente ao seu local de /ota*+o% n+o sendo #ermitido o
/oto #or #rocura*+o.
II ( 0ierdade
O eleitor mani)esta suas #re)er5ncias indi/idualmente de acordo com a sua con/ic*+o.
S.3.: 8ormas
I ( Púlico ( Secreto
Púlico ( é a!uele !ue e"#ressado #ulicamente #elo eleitor #ara identi)icar a sua
/ontade.
Secreto ( é a!uele /oto !ue se e"#ressa sigilosamente sem a identi)ica*+o do eleitor% é
caracter7stica essencial do regime democr@tico na medida !ue% o eleitor e"#ressa sua
/ontade sem identi)ic@(la.
II ( Origat2rio ( 8acultati/o
Origat2rio ( é o !ue /em legalmente #re/isto #ara origar o eleitor.
8acultati/o ( decorre da #re/is+o legal !ue estaelece o direito do eleitor /otar ou n+o.
III ( ,m#lo ( -estrito
,m#lo ( ocorre na elei*+o !ue #reencNer@ mais de um cargo.
-estrito ( é o /oto #ara #reencNimento de um cargo es#ec7)ico.
S.3.D Princ7#ios Constitucionais
a9 Estado Democr@tico
?o >rasil o /oto é% de acordo com o ,rt. 1Z da C. 8.% instrumento de legitimidade do Estado
Democr@tico de Direito. O ,rt. 1D da C. 8. regula o /oto no >rasil.
9 Cl@usula Pétrea
O ,rt. XE% [ DZ% inciso II da C. 8. #ro7e a restri*+o do /oto no >rasil.

S.: Elei*$es
S.:.1 Conceito
Elei*+o é o #rocedimento técnico !ue #ossiilita o eleitor escolNer os titulares dos cargos
eleti/os.
S.:.3 Sistemas de -e#resentati/idade
I ( 'a.orit@rio
O corre na elei*+o dos titulares dos cargos do #oder e"ecuti/o e nos cargos de senadores.
Para ser eleito o candidato #recisa oter uma determinada maioria% sendo eleito o mais
/otado.
II ( Pro#orcional
Ocorre nas elei*$es !ue #reencNem cargos do #oder legislati/o. Os candidatos #recisam
ad!uirir #ro#orcionalidade entre: o eleitorado e as /agas dis#on7/eis. Este sistema #ermite
!ue todos os segmentos sociais a#resentem candidatos% sendo !ue s2 ser+o eleitos os !ue
atingirem o !uociente eleitoral.
III ( Distrital
Vincula os candidatos a cargos eleti/os J uma determinada @rea. Os /otos #ara a elei*+o
do candidato ser+o somente a!ueles de)inidos.

1E. PODE- CO?STITAI?TE

1E.1 Introdu*+o: Conceito
4 o #oder de estaelecer ou alterar o ordenamento .ur7dico /igente% Nistoricamente
admitindo(se a #ossiilidade da /iol5ncia.

1E.3 Poder Constituinte Origin@rio
1E.3.1 ,ntecedentes Pist2ricos
Originalmente ine"istia documento legal !ue suordinasse todos a uma regra genérica.
Com a -e/olu*+o 8rancesa% surgiu a Constitui*+o de 1RS1% denominada: Declara*+o
Ani/ersal dos Direitos do Pomem e do Cidad+o% escrita #elos re/olucion@rios !ue eram os
leg7timos re#resentantes do #o/o.

1E.3.3 Conceito
4 o am#lo #oder de Constitui*+o do Estado ou do ordenamento .ur7dico. 4 um direito do
#o/o e !ue est@ /inculado as suas as#ira*$es.
1E.3.: , Doutrina de Sie\és
8oi criado% a #artir de Sie\és% um racioc7nio doutrin@rio de !ue o Estado era com#osto #or
: gru#os: ?ore&a% Clero e >urguesia. Esta >urguesia corres#ondia J classe econ1mica !ue
esta/a em desen/ol/imento% a maioria.
O :Z estado é o #o/o organi&ado% sendo ele detentor leg7timo das as#ira*$es de todo o
gru#o.
1E.3.D E"erc7cio
O Poder Origin@rio mani)esta(se% Nistoricamente% atra/és da -e/olu*+o% !ue é o con)ronto
entre os descontentes e o go/erno constitu7do% e"em#lo: -e/olu*+o 8rancesa e -e/olu*+o
,mericana.
'odernamente% mani)esta(se nas ,ssemléias Constituintes% !ue s+o% #rocessos técnicos
desen/ol/idos #or legisladores eleitos #ara redigir uma Constitui*+o e construir um Estado.
1E.: Poder Constituinte Deri/ado
1E.:.1 Conceito e O.eto
4 o #oder de alterar a Constitui*+o% #ara !ue esta corres#onda as e"#ectati/as sociais. 4
a #ossiilidade .ur7dica #re/ista na Constitui*+o #ara a sua re)orma ou altera*+o. 4 tamém
cNamado #oder institu7do ou re)ormador.
1E.:.3 'ani)esta*+o
O #oder de re)orma é mani)estado legitimamente #elos integrantes do #oder legislati/o%
!ue de acordo com a ordena*+o /igente inter)ere na reda*+o do te"to constitucional. Este
#oder ocorre nos Parlamentos.
1E.:.: 0imita*$es #ara seu E"erc7cio
S+o as modalidades restriti/as #ara o e"erc7cio do #oder de re)orma% e !ue de/em ser
oser/adas #elos legisladores.
a9 Tem#oral
Ocorre !uando a Constitui*+o )i"a uma data es#ec7)ica #ara o in7cio do #rocesso de
re)orma.
9 'aterial: cl@usulas #étreas
S+o os limites re)erentes as matérias !ue n+o #odem ser alteradas #elo #oder constituinte
deri/ado. P@ uma im#ossiilidade .ur7dica #ara alterar es#ec7)icos #ontos da Constitui*+o.
?o >rasil as cl@usulas #étreas /5m #re/istas no ,rt. XE% [ DZ da C. 8.

11. CO?STITAIBCO E CO?STITACIO?,0IS'O
11.1 Constitui*+o: Conceito
4 um documento )ormal !ue organi&a e sistemati&a os #oderes do Estado% direitos e
de/eres% rela*$es e com#et5ncias de )orma #ermanente e genérica.
, Constitui*+o é a )onte da /alidade #ara todo o ordenamento .ur7dico estatal: todas as leis
do Estado de/em estar a ela ade!uados. Isto é o #rinc7#io da su#remacia constitucional: na
Nierar!uia das leis% a Constitui*+o é asolutamente su#erior #ara sumeter todas as outras
leis numa rela*+o /ertical.

11.3 Constitucionalismo
4 o ramo do Direito Constitucional !ue tem como o.eto es#ec7)ico a an@lise e o estudo da
Constitui*+o de um Estado.

11.: E/olu*+o
, -e/olu*+o 8rancesa iniciou o Constitucionalismo com ci5ncia a #artir da Constitui*+o de
1RS1% #osteriormente os demais Estados tamém adotaram uma lei su#rema #ara de)inir os
#a#éis do Estado e da sociedade. ,s Constitui*$es do século TIT caracteri&am(se #elos
conceitos iniciais das rela*$es de traalNo e de direitos indi/iduais. ?o século TT%
#rinci#almente a#2s a Primeira Guerra 'undial% as Constitui*$es estaeleceram am#los
sistemas econ1micos e de direitos indi/iduais. ,#2s a década de FE% as Constitui*$es
de)iniram e"#ressamente as com#et5ncias dos #oderes constitu7dos e os direitos indi/iduais
de toda sociedade.
11.D Princ7#ios Constitucionais
S+o /alores trans)ormados em dis#osi*+o constitucional !ue identi)icam #rinc7#ios
asolutos #ara o Estado em )un*+o dos seus e)eitos sociais ou .ur7dicos. Identi)icam um
Estado% rela*$es e outras Ni#2teses. E"em#los: #rinc7#io da )edera*+o% #rinc7#io do Estado
Democr@tico de Direito% #rinc7#io do /oto% #rinc7#ios da administra*+o #úlica...
11.F ?ormas Constitucionais
S+o as dis#osi*$es constitucionais 6o conteúdo da Constitui*+o9% classi)icadas a #artir do
seu o.eto.
I ( Organi&adoras
S+o as !ue )i"am e"#ressamente a organi&a*+o do Estado e a com#et5ncia de suas
institui*$es e #oderes% estaelecem !uais os #oderes% suas atriui*$es e outros )atores.
E"em#los: ,rt. 1W 6Organi&a*+o ,dministrati/a9% ,rt. S3 6Organi&a*+o ;udici@ria9.
II ( De)inidoras
De)inem e"#ressamente direitos e garantias% indi/iduais e coleti/os e a )orma das rela*$es
entre os indi/7duos e o estado. E"em#los: ,rt. 1F% ,rt. R 6Direitos Sociais: sal@rio m7nimo%
ene)7cios traalNistas% licen*as...9% ,rt. 13 6Direito de ?acionalidade9...
III ( Program@ticas
O.eti/o: de)inir e"#licitamente atriui*$es% com#et5ncias e situa*$es estritamente
/inculadas aos o.eti/os e )inalidades do Estado. E"em#los: sistema triut@rio nacional%
#re/id5ncia social% educa*+o% saúde e outros.

11.X Constitui*$es >rasileiras
O >rasil est@ na sua oita/a Constitui*+o e desde 1W3D utili&a(se deste documento )ormal
#ara se#arar os #oderes constitu7dos e de)inir direitos.
1W3D ( Constitui*+o Im#erial 6outorgada9.
1WWS ( -e#úlica.
1WS1 ( Promulga*+o da Primeira Constitui*+o.
1S:: ( Constituinte.
1S:D ( Por Getúlio 6#romulgada9
1S:R ( Estado ?o/o: #or 8ernando Cam#os% ins#irada na Constitui*+o da
Pol1nia 6outorgada9.
1S:W(DF ( II Guerra 'undial.
1SDX ( Constitui*+o Democr@tica 6#romulgada9.
1SXD ( Gol#e de Estado.
1SXR ( Su#orte )ormal do ,I 1 e ,I 3 6outorgada9.
1SXS ( Institucionali&a*+o do ,I F 6outorgada9.
1SWF ( -edemocrati&a*+o.
1SWW ( ,tual Constitui*+o 6#romulgada9.

11.R Classi)ica*+o das Constitui*$es
I ( 8orma
a9 Consuetudin@rias:
S+o /alores sociais !ue integram um documento nacional sem maior normati/idade. 4
uma declara*+o de #rinc7#ios !ue orienta a conduta da sociedade de determinado Estado% é
tamém cNamada Constitui*+o Costumeira.
9 Escritas:
S+o documentos escritos na l7ngua do Estado% estaelecendo% )ormalmente%
com#et5ncias% direitos e rela*$es.
II ( Origem
a9 Outorgadas:
S+o a!uelas decorrentes de uma mani)esta*+o unilateral de /ontades% sendo t7#ica dos
regimes autorit@rios. ?esta es#écie ine"iste #artici#a*+o #o#ular #ara as de)ini*$es
.ur7dicas. Outorga é sin1nimo de im#osi*+o% #or isso s+o cNamadas Constitui*$es
autorit@rias ou im#o#ulares.
9 Promulgadas:
S+o a!uelas elaoradas #or um 2rg+o técnico cu.o os integrantes s+o in/estidos no
ilimitado #oder constituinte origin@rio. Este #oder #ermite ao constituinte elaorar li/re e
re#resentati/amente os anseios de uma sociedade. Pode Na/er tamém a #artici#a*+o de
entidades da sociedade ci/il. ,s ,ssemléias Constituintes t5m #or o.eti/o% ent+o% redigir
uma Constitui*+o !ue re#resente a /ontade da maioria.
III ( Estailidade% -e)orma ou Perman5ncia
a9 8i"as:
S+o as !ue n+o estaelecem #ossiilidade #ara a altera*+o de seu conteúdo.
9 -7gidas 6Cl@usulas Pétreas9:
S+o Constitui*$es !ue #ara seu #rocesso de re)orma de/em res#eitar alguns re!uisitos
)ormais. e"igem um #rocesso solene #ara estaelecer mudan*as: limita*+o material a #artir
da Cl@usulas Pétreas% coro #ara /ota*+o% re/is$es nas /ota*$es e outros...
, rigide& destas Constitui*$es im#edem as sucessi/as modi)ica*$es no te"to
constitucional. , atual Constitui*+o >rasileira é r7gida 6,rt. XE% [ D9.
c9 8le"7/eis ( Pl@sticas:
S+o Constitui*$es !ue% #ara o #rocesso de re)orma oedecem a#enas o #rocesso
legislati/o comum% sem maiores )ormalidades.
d9 Semi(r7gidas:
Estaelecem critérios #ara de)inir re)ormas r7gidas ou )le"7/eisM de acordo com a matéria.
E".: Constitui*+o de 1W3D.
IV ( Conteúdo
a9 ,nal7ticas:
S+o Constitui*$es !ue analisam a totalidade das matérias regulamentadoras do Estado%
dos direitos e das rela*$es. S+o Constitui*$es e"tensas e disci#linam as rela*$es
com#le"as de com#et5ncias% atriui*$es e legitima*$es. , Constitui*+o >rasileira /igente é
anal7tica.
9 Sintéticas:
S+o a!uelas !ue determinam generalidades Js matérias disci#linadas% trans)erindo #ara a
legisla*+o comum a tare)a de conceituar es#eci)icamente.

V ( Dogm@tica
a9 Ecléticas:
S+o a!uelas !ue em seu conteúdo n+o se )iliam ou estaelecem /7nculos com
determinada ideologia. Suas dis#osi*$es t5m .usti)icati/as /ariadas sem maiores inten*$es
ideol2gicas.
S+o Constitui*$es modernas com dis#ositi/os !ue se com#letam.
9 Ortodo"as:
S+o a!uelas cu.o conteúdo identi)icam e"#licitamente um sistema #ol7tico e econ1mico%
s+o tamém cNamadas Constitui*$es ideol2gicas% a #artir da ideologia legalmente a#licada
#elo Estado.
O-TODOT,S < H',-TIST,SI

11.W Constitui*+o Vigente
Contém 3DX artigos e se#ara e"#ressamente os : #oderes constitu7dos #ara a garantia do
Estado Democr@tico de Direito. Tem Cl@usulas Pétreas e"#ressas e um am#lo con.unto de
direitos indi/iduais.


13. CO?T-O0E D, CO?STITACIO?,0ID,DE

13.1 Conceito
4 o #rocedimento técnico #ara garantia do #rinc7#io da su#remacia constitucional.

13.3 O.eto
Im#edir a e"ist5ncia de normas ou dis#ositi/os !ue contrariem a Constitui*+o 8ederal. O
ordenamento constitucional #ro7e a e"ist5ncia de normas !ue lNe contestem.

13.: Sistemas
I ( Pol7tico
4 e"ercido #or um 2rg+o #ol7tico e legislati/o !ue tem com#et5ncia #ara re#rimir a
ingresso de leis inconstitucionais no ordenamento .ur7dico.
II ( ;urisdicional
Os integrantes do #oder .udici@rio e os triunais t5m com#et5ncia #ara e"ercer este
controle. 4 um sistema técnico.
III ( 'isto
, Constitui*+o determinar@ uma rela*+o #aralela de controle: algumas matérias de
com#et5ncia .urisdicional e outras de matéria #ol7tica.
< ?o >rasil de acordo com a Constitui*+o 8ederal o sistema adotado é o .urisdicional%
#or!ue .u7&es e triunais #odem declarar as inconstitucionalidades.

13.D Critérios
I ( Di)uso
Determina com#et5ncia #ara !ual!uer .ui& ou triunal /eri)icar e declarar a
constitucionalidade de uma lei. 4 t7#ico dos #rocessos de de)esa.
II ( Concentrado
, Constitui*+o 8ederal determina e"#ressamente com#etXencia es#ec7)ica #ara um
triunal e"ercer o controle da constitucionalidade das leis. Pa/er@ um 2rg+o do #oder
.udici@rio com a com#et5ncia e"clusi/a #ara esta atriui*+o.
?o >rasil% de acordo com o ,rt. 1E3 da Constitui*+o 8ederal% o Su#remo Triunal 8ederal
6ST89 é o guardi+o da Constitui*+o: tem com#et5ncia origin@ria #ara declarar a
inconstitucionalidade das leis. Este #rocedimento ocorre es#eci)icamente nos #rocessos de
a*+o.

13.F Processos Declarat2rios
I ( Via de De)esa
, declara*+o da inconstitucionalidade ocorre em !ual!uer #rocesso% em !ual!uer
instVncia% logo% sendo com#etentes #ara declara*+o o Poder .udici@rio 6.u7&es e triunais9.
?este caso somente ser+o atingidos #elos e)eitos da decis+o a!ueles !ue )orem #artes no
#rocesso. , isso denomina(se e)eito Hinter #artesI.
II ( Via de ,*+o
S+o as denominadas a*$es diretas de inconstitucionalidade !ue tramitam no ST8 #or
determina*+o constitucional. , declara*+o da inconstitucionalidade #elo ST8 tem e)eitos
Herga omnesI% ou se.a% #ara toda sociedade.

CO?STITAIBCO
P-4 PGS
re/ogadas inconstitucionais
/iola*+o ao #rinc7#io da
Su#remacia Constitucional

1:. -EVISCO CO?STITACIO?,0

1:.1 Conceito e O.eto
4 a #ossiilidade .ur7dica de uma no/a an@lise da Constitui*+o 8ederal. O o.eto da
re/is+o é a atuali&a*+o do seu conteúdo% se necess@rio )or #ara garantia da Narmonia
nacional.
1:.3 -e)orma Constitucional
4 o #rocedimento técnico #ermitido e estaelecido anteriormente #elo #oder constituinte
origin@rio. -e)ormar a Constitui*+o é alterar o Estado% con)orme determina o ,rt. 1Z da
Constitui*+o 8ederal 6Estado Democr@tico de Direito9. , -e)orma Constitucional #ermite !ue
o Estado altere a sua com#et5ncia e !ue os direitos so)ram altera*$es.
a9 Emendas
Con)orme determinam os ,rt. FS e XE da C. 8. as emendas s+o os instrumentos leg7timos
#ara a -e)orma Constitucional. Os limites da re)orma atra/és das emendas s+o os )i"ados
#elas Cl@usulas Pétreas.
9 Procedimento
O #rocedimento de -e)orma Constitucional é rigoroso e solene% #rinci#almente #or!ue as
altera*$es constitucionais ser+o imediatas e erga omnes.