You are on page 1of 3

Pújá (bhavan pújá, guru pújá, satguru pújá, Shiva pújá

)
Na década de sessenta, desgostoso pelas incompreensões que sofrera,
morreu com a enfermidade que ceifa todos aqueles que no utili!am pújá
em suas aulas, pois essa técnica contribui para com a prote"o do instrutor
e os que no a aplicam ficam mais vulneráveis#
Dedico esta edição
ao aluno João Marcelo Rozario da Silva e
ao instrutor Flávio Moreira,
cujo pújá efetivo foi vital para a
reedição deste livro.
2. pújá7 retribuição de energia; trânsito energético;
$or e%emplo& pújá pronuncia'se (púdja)* e +,ganidrá pronuncia'se
(yôganídra)#
2) pújá sintoni!a"o com o arquétipo* retribui"o de energia*
Pújá (manasika pújá)
Quando o objetivo é realizar um pújá denomina!se c"akra pújá #ue é
uma técnica tipicamente tântrica$ %o cap&tulo PÚJÁ isto está mais bem
e'plicado$
(ortanto se o )estre pronunciar por e'emplo pújá e
o disc&pulo disser pujá *ica denunciado #ue não e'iste identi*icação entre
ambos$
+omo a*irma
,"ivánanda a presença de mudrá pújá e mantra caracteriza "erança
dos -antras$
(újá pode ter vários signi*icados$
.*erenda "onra ou retribuição de
energia ou de *orça interior são as *ormas pelas #uais nos re*erimos ao
pújá na estirpe /aks"inac"aratántrika!%ir&s"0arasámk"1a 23ga$
4ssim se voc5 seguir uma corrente de 23ga 65dánta o termo pújá
poderá ter uma conotação totalmente diversa da de uma 7scola de
23ga ,ámk"1a (ainda mais se *or %ir&s"0arasámk"1a)$ 7n#uanto no
,ámk"1a mais antigo pré!clássico pújá tem um sentido naturalista de
sintonização com os ar#uétipos na lin"a 65dánta medieval gan"a interpretação
espiritualista e até religiosa$
. conceito de pújá possui primeiramente duas divis8es9 bá"1a pújá
(e'terno e'presso com o*erendas materiais) e manasika pújá (interno
mani*estado por meio de mentalização e atitude interior)$
(ara realizar o bá"1a pújá cinco objetos materiais tradicionalmente são
mais recomendáveis9 *rutas *lores tecidos incenso e din"eiro$
%ão obstante essas cinco
*ormas de pújá tradicionais atualmente é comum o indiano médio o*erecer
a um )estre simplesmente uma cai'a de doces:
;mporta é o sentimento
a intenção e a intensidade com os #uais o pújá esteja sendo *eito$
4 partir da& podemos dizer #ue "á um número in*inito de variaç8es
tanto de bá"1a pújá #uanto de manasika pújá$
%a prática regular de 23ga aplica!se mais o manasika pújá reservando!
se o bá"1a pújá para circunstâncias cerimoniais sociais e *estivas$
<ma
modalidade denominada c"akra pújá pode ser *eita para comemorar a
*ormalização do relacionamento a*etivo de um casal de 13gins de lin"a
tântrica$
. manasika pújá *az!se com pro*unda concentração e visualizando
lin"as raios ou jatos de luz partindo do coração do praticante ou disc&pulo
(dependendo do seu grau de identi*icação) em direção ao )estre
envolvendo!o e impregnando!o com a energia de carin"o amor lealdade
e apoio da#uele #ue transmite o pújá$
(or e'emplo no
pújá ao )estre como parte objetiva do pújá é necessário realizar
ações efetivas e concretas em prol da obra e da pessoa do )estre$
%a prática ortodo'a de ,0ást"1a 23ga convencionaram!se #uatro
segmentos de pújá9
1) Bhavana pújá ! ao local #ue acol"e os praticantes e #ue *ica
impregnado de *orças positivas;
2) Guru pújá ! ao instrutor #ue ministra a prática em curso
representante de ,"iva;
3) Satguru pújá ! ao )estre vivo mais antigo da nossa
lin"agem #ue transmite a ele a *orça de ,"iva;
4) Shiva pújá ! ao criador do 23ga$
%a prática "eterodo'a o pújá pode so*rer algumas discretas adaptaç8es
desde #ue #uem o *aça ten"a a autorização do seu ,upervisor$
PARA QUÊ PÚ!"
4 *unção do pújá é estabelecer uma corrente de sintonia entre o disc&pulo
e o )estre e logo em seguida realizar energeticamente o *en3meno
dos vasos comunicantes9 a#uele #ue tem mais dei'a *luir para
a#uele #ue tem menos$
PARA QU#$ S# %A& PÚ!
(ode!se *azer pújá a um local sacralizado a uma pessoa consagrada
ou a uma egrégora isto é a uma entidade gregária o ser ar#uet&pico
#ue polariza e nucleia um grupo de indiv&duos$
Quando entre pessoas o pújá *az!se somente em sentido ascendente
ou seja do in*erior ao superior "ierár#uico$ 4ssim um devoto pode
*azer pújá = sua divindade um *il"o pode *azer pújá ao seu pai ou
mãe e o disc&pulo ao )estre mas o contrário não$ %o c"akra pújá os
convidados = cerim3nia o*erecem um pújá ao casal pelo motivo de
#ue na#uele momento ele representa ,"iva!,"akt&$
+omo em todas as coisas do "indu&smo com relação ao pújá encontram!
se também opini8es as mais variadas e discrepantes$
7m algumas
regi8es e em determinadas escolas o pújá muda de nome ou então
entende!se #ue ele não possa ser direcionado a outro ,er >umano mas
apenas ao ,er /ivino$ .utras contra!argumentam #ue o ,er /ivino
está dentro de todo ,er >umano portanto o pújá pode ser *eito ao
)estre$
. importante é o praticante saber #ue o pújá é parte da eti#ueta e das
boas maneiras 13gis (consulte o livro Boas Maneiras no Yôga deste
autor)$ ,eja #ual *or sua origem casta credo ou posição social antes
de #ual#uer coisa deve ter lugar um pújá$ . pújá é como se *osse o
agradecimento prévio pelo #ue ainda vai ser *eito$
4*inal #uando
os 4ntigos elaboraram o pújá como parte *undamental da prática de
23ga sabiam o #ue estavam *azendo$
.bserve!se #ue na nossa 7scola #ue utiliza pújá em #uase ?@ anos
não ocorreu nen"um Abito$