FIQUE CALMO E VENÇA TODO TIPO DE PROVA OU DESAFIO Março/2005

O pensamento gera emoção e a emoção gera a vida
Por Nuno Cobra, Prof. De Educação Física – Há muito tempo queria falar sobre a dificuldade de enfrentar qualquer tipo de desafio. Tanto a educação vinda lá da infância, como a pressão social, tirou de nós adultos a possibilidade de acreditar mais em nossas possibilidades. A educação familiar/cultural exige que a gente sempre seja o máximo, vitorioso, o grande vencedor. Assim, ficamos inseguros quanto à nossa capacidade de superar as dificuldades, em situações em que somos colocados para mostrar o nosso desempenho, entre elas: entrevista para emprego, concurso, competição, discurso, teste na escola, exame para tirar carteira de motorista, etc. Mesmo pessoas mais preparadas, como o artista na hora da apresentação, o orador diante da platéia e o atleta de altas competições sofrem com esse problema. O treinamento do não-pensar O problema está na forma como mentalmente nos colocamos diante dessas situações. Através do meu trabalho como preparador físico e mental, descobri que esse problema está no pensamento. Por isso sempre preparo meus atletas de alta competição e empresários para desenvolver o treinamento do não-pensar. À primeira vista isto parece um absurdo, mas é de extrema utilidade você realmente não pensar a respeito do desafio ou da performance que você tem a desenvolver ou fazer.

É preciso buscar a melhor concentração e dar o máximo daquilo que você pode fazer. Com esse pensamento firme na sua mente, você vai facilitar a vitória e obter a sua melhor performance. Lembro de uma infinidade de atletas que queriam ganhar a competição. Eles empurravam para longe esse objetivo, ao colocar mais responsabilidade nos seus ombros. Mas vejam um feliz exemplo: O fenômeno Vanderlei Cordeiro Lima O corredor brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima, campeão da Olympus Hamburg Marathon-2004, estava na Europa sem muito treino e que 'distraidamente' foi participar de uma maratona na Alemanha. Ele foi pra lá tão distraído, mas com paixão e luta venceu a maratona. Como não queria se preocupar com tempo e nem vencer a prova, largou forte para ver até aonde ia. Na metade da prova, ele se deu conta que estava lá na frente. Encantado com a performance, se soltou, correu forte, até talvez para saber o que iria acontecer. E surpreso, talvez até mais do que os outros, tornou-se campeão naquela prova. Pensamento fez de Guga vencedor e perdedor O Guga quando conquistou o título Masters Series sobre quadra rápida em Cincinnati (EUA) em 2001, foi despreocupado. Claro que no fundo todo mundo quer fazer o melhor, mas ele não exigiu de si, a vitória a qualquer preço. Motivado, em boa forma física, tecnicamente bem, foi batendo um a um todos os adversários. O mais interessante foi a entrevista concedida após vencer o australiano Patrick Rafter. O que ele estava pensando quando derrubou o monstro sagrado do tênis? Ele respondeu que não estava pensando em nada, que estava muito feliz e muito alegre durante o jogo. Isso mostra de forma muita evidente que a busca de concentração e de deixar fluir o que sabe, da melhor maneira que você puder, fará com que fique sempre na frente do adversário, que coloca muita responsabilidade na competição e faz muita cobrança.

Lembro que ele veio logo em seguida para uma competição na Costa do Sauípe, (complexo turístico a 70 km de Salvador) contra Flávio Saretta, na qual saiu derrotado. Ele deve ter ficado com muita responsabilidade e deve ter pensando muito. Porque ele não 'podia' perder de um brasileiro após conquistar o Master. Vejam bem como a cabeça funciona! Caso Daiane dos Santos A nossa grande acrobata Daiane dos Santos que vinha vencendo todos os campeonatos mundiais, quando chegou ano passado nas Olimpíadas de Atenas, 'pressionada' pela imprensa e pela responsabilidade em trazer o ouro, acabou inexplicavelmente ficando em quinto lugar. Como encarar o desafio ou competição A competição tem que ser apenas o resultado de longos meses de trabalho, por isso ela não pode ser encarada como algo tão extraordinário, tão complexo e tão terrível, mas sim como algo absolutamente natural onde você coloca sua emoção o máximo que você pode. A pessoa vence a prova nos treinamentos, na preparação muito tempo antes da competição ou do desafio; se preparando tecnicamente, buscando um sono reparador, uma alimentação adequada, tendo momentos de relaxamento, respiração e principalmente trabalhando duro. O que fazer momentos antes do desafio ou competição? Você deve apenas momentos antes, ficar num canto espreguiçando, bocejando, respirando lenta e profundamente, isso irá diminuir ainda mais seus giros mentais e sua freqüência cardíaca. O que acontece quando você pensa muito no desafio?

Toda vez que você pensa muito em alguma coisa, você alimenta muito seu nível de ansiedade. O organismo não foi feito para suportar essa imensa carga de pensamentos preocupantes. Isso aumenta os giros mentais e quanto maior os giros, menor a produtividade do cérebro. Você fica nervoso, ansioso e aumenta o nível de adrenalina, você não está competindo e sim pensando: sua besta! Concluindo: quanto mais baixos os giros, melhor o rendimento do cérebro. Nuno Cobra é formado pela Escola de Educação Física de São Carlos e pós-graduado pela Universidade de São Paulo. Foi preparador físico de Ayrton Senna, Mika Hakkinen, Rubens Barrichello, Abílio Diniz entre outros. É autor do best-seller A Semente da Vitória

Fonte: Vya Estelar – UOL Boletim Vya Estelar – Março de 2005 –