U N I V E R S I D A D E G A M A F I L H O

GRADUAÇÃO
2012
AUTOMAÇÃO PNEUMÁTICA E
ELETROPNEUMÁTICA

Graduação em Engenharia de Controle e Automação Industrial

Estudo sobre a funcionamento, definição, tipos de equipamentos e circuitos utilizados em Sistemas
Pneumticos e Eletro pneumticos!





William Paes da Silva
V1.1






AO ALUNO


Este material é destinado aos alunos do curso de Engenaria de Controle e
Automa!"o industrial da Uni#ersidade $ama %ilo&

Esta a'ostila tem um grande conte(do de
in)orma!*es +ue com certe,a #ai a-udar ao aluno #er de
uma )orma di)erente o am.iente +ue cerca a Automa!"o
Pneum/tica e Eletro'neum/tica& O.#iamente n"o ser"o
a.ordados todos os ti'os de 'rocessos industriais
e0istentes1 mas com certe,a os mais utili,ados e mais
im'ortantes ter"o desta+ue& Este material )oi )eito de
)orma +ue o aluno com'reenda a l2gica de
desen#ol#imento de um controle de 'rocessos
automati,ado& Tam.ém ser"o mencionados conceitos de
instrumenta!"o e metrologia industrial1 -/ +ue estes
conceitos a-udar"o na ade+ua!"o das #ari/#eis de 'rocesso&
Os 'rocessos +ue ser"o estudados nesta a'ostila s"o3
Controle de N4#el1 de Tem'eratura1 de Press"o e de 5a,"o&

A Uni#ersidade $ama %ilo1 mais es'eci)icamente a Coordena!"o de Engenaria
de Controle e Automa!"o Industrial1 ino#a mais uma #e, e a.ordar/ esta disci'lina de uma
)orma o.-eti#a1 clara e coerente1 com muita 'r/tica de la.orat2rio& O grande desa)io é diminuir
a lacuna e0istente entre o ensinamento te2rico e a e0'eri6ncia 'r/tica&

"illiam Paes da Sil#a
U N I V E R S I D A D E G A M A F I L H O
GRADUAÇÃO
2012


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 3 de 160

ÍNDICE
1. INTRO!"#O .................................................................................................................................. 1$
7&7& PROPRIE8A8E9 %:9ICA9 8O AR &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7;
$!$!$! Compressibilidade !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! $%
$!$!%! Elasticidade !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! $&
$!$!&! 'ifusibilidade !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! $&
$!$!(! E)pansibilidade !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! $(
$!$!*! +ariação da Pressão Atmosf,rica com -elação . Altitude !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! $*
$!$!/! 0edição da Pressão Atmosf,rica !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! $*
$!$!1! Efeitos Combinados entre as & +ari#eis 23sicas do Gs !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! $/
$!$!4! Princ3pio de Pascal !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! $1
$. I%P&ANTA"#O ............................................................................................................................... 1'
;&7& 5ANTA$EN9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7<
;&;& LIMITAÇ=E9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7>
3. A(IONA%ENTO) E (O%ANO) ................................................................................................. 1*
?&7& COMAN8O 8IRETO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7>
?&;& COMAN8O IN8IRETO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;@
+. TIPO) E A(IONA%ENTO) E (O%ANO) ............................................................................. $0
A&7& ACIONAMENTO9 MU9CULARE9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;@
A&;& ACIONAMENTO9 MECBNICO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;;
(!%!$! Posicionamento das +l#ulas com Acionamentos 0ec5nicos !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %%
(!%!%! Acionamento por Pino !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %&
(!%!&! Acionamento por -olete !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %&
(!%!(! Gatilho 6-olete Escamote#el7 !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %(
A&?& ACIONAMENTO9 PNEUMÁTICO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;C
(!&!$! Comando 'ireto por Al3#io de Pressão 6Piloto 8egati#o7 !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %*
(!&!%! Comando 'ireto por Aplicação de Pressão 6Piloto Positi#o7 !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %*
(!&!&! Comando 'ireto por 'iferencial de 9reas !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %/
A&?&?&7& 8ia)ragma &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;D
A&A& ACIONAMENTO9 ELETRICO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;F
A&C& ACIONAMENTO9 COMGINA8O9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;F
(!*!$! Solen:ide e Piloto Interno !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %1
(!*!%! Solen:ide e Piloto E)terno !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %4
(!*!&! Solen:ide e Piloto ou ;otão !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! %<
,. E&E%ENTO) A!-I&IARE) ........................................................................................................... $*
C&7& 5ÁL5ULA9 8E GLOHUEIO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?@
*!$!$! +l#ula de -etenção com 0ola !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &=
*!$!%! +l#ula de -etenção sem 0ola !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &=
*!$!&! +l#ula de Escape -pido !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &$
*!$!(! +l#ula de Isolamento 6Elemento >?7!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &%
*!$!*! +l#ula de Simultaneidade 6Elemento E7!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &&
C&;& 5ÁL5ULA9 8E CONTROLE 8E %LUIO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?A
*!%!$! +l#ula de Controle de 2lu)o ?nidirecional !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &*
C&;&7&7& %lu0o Controlado &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?C


Automação Pneumática e Eletropneumática Página + de 160
C&;&7&;& %lu0o Li#re &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?C
C&?& 5ÁL5ULA9 8E CONTROLE 8E PRE99ÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?F
*!&!$! +l#ula de Al3#io !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &1
6. ./&.!&A) IRE(IONAI) ............................................................................................................. 30
D&7& I8ENTI%ICAÇÃO 8A9 5IA9 PNEUMÁTICA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?<
/!$!$! 'ireção de 2lu)o !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &4
/!$!%! Passagem ;loqueada !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &4
/!$!&! Escape @i#re !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &<
/!$!(! Escape com Cone)ão !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! &<
D&;& NUMERAÇÃO 8O9 COMPONENTE9 PNEUMÁTICO91 NORMA I9O 7;7 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A7
/!%!$! 'esignação 8um,rica !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! ($
/!%!%! 'esignação Alfab,tica !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! ($
D&?& 5ÁL5ULA9 ;J; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A;
D&A& 5ÁL5ULA9 ?J; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A?
D&C& 5ÁL5ULA9 CJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& AD
D&D& 5ÁL5ULA9 ?J? 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A<
D&F& 5ÁL5ULA9 CJ? 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A>
0. AT!AORE) PNE!%/TI(O ........................................................................................................ ,1
F&7& CLA99I%ICAÇÃO 8O9 CON5ER9ORE9 8E ENER$IA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C7
1!$!$! @ineares !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *%
1!$!%! -otati#os !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *%
1!$!&! >scilantes !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *%
F&;& TIPO9 8E CILIN8RO9 PNEUMÁTICO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C;
1!%!$! Cilindros de Simples Ação ou Simples Efeito !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *%
1!%!%! Cilindros de 'upla Ação ou 'uplo Efeito !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *(
'. %1TOO INT!ITI.O .................................................................................................................... ,6
<&7& REPRE9ENTAÇÃO 8O9 MO5IMENTO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& CD
<&;& %ORMA9 8E REPRE9ENTAÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& CF
4!%!$! SeqABncia Cronol:gica !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *1
4!%!%! Indicação em 2orma de Cabela !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *1
4!%!&! Indicação +etorial !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *1
4!%!(! Indicação Alg,brica !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *4
<&?& 8IA$RAMA 8E MO5IMENTO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C<
4!&!$! 'iagrama CraDetoEPasso !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *4
4!&!%! 'iagrama CraDeto F Cempo !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *<
4!&!&! 'iagrama de Comando !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! /=
*. (IR(!ITO) PNE!%/TI(O) ......................................................................................................... 60
>&7& METO8O CA9CATA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& FF
>&;& METO8O PA99OKAKPA99O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <C
10. E&ETRO2PNE!%/TI(A .............................................................................................................. *1
7@&7& PRINCIPAI9 COMPONENTE9 UTILILA8O9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >7
$=!$!$! -elB !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! <$
$=!$!%! ;otoeira !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! <&
$=!$!&! Solen:ide !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! <&
$=!$!(! Circuitos EletroEPneumticos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! <(
11. (IR(!ITO) )E3!EN(IA)......................................................................................................... 111


Automação Pneumática e Eletropneumática Página , de 160
77&7& METO8O INTUITI5O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 777
77&;& METO8O CA9CATA&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77<
77&?& METO8O PA99OKAKPA99O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?@
1$. )I%4O&O5IA E (O%PONENTE) ....................................................................................... 1+3

































Automação Pneumática e Eletropneumática Página 6 de 160
LISTA DE FIGURAS

%I$URA 73 COMPRE99IGILI8A8E 8O AR &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?
%I$URA ;3 ELA9TICI8A8E 8O AR &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?
%I$URA ?3 8I%U9IGILI8A8E 8O AR &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7A
%I$URA A3 EIPAN9IGILI8A8E 8O AR &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7A
%I$URA C3 PRE99ÃO ATMO9%ERICA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7C
%I$URA D3 E%EITO COMGINA8O 8E ? 5ARIÁ5EI9 %:9ICA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7C
%I$URA F3 PRINC:PIO 8E PA9CAL &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7F
%I$URA <3 ACIONAMENTO9 MU9CULARE9&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;7
%I$URA >3 ACIONAMENTO9 MECBNICO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;;
%I$URA 7@3 ACIONAMENTO POR PINO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;?
%I$URA 773 ACIONAMENTO TIPO ROLETE &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;A
%I$URA 7;3 ACIONAMENTO TIPO $ATILMO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;A
%I$URA 7?3 COMAN8O PILOTO NE$ATI5O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;C
%I$URA 7A3 COMAN8O PILOTO PO9ITI5O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;D
%I$URA 7C3 COMAN8O POR 8IA%RA$MA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;D
%I$URA 7D3 ACIONAMENTO COMGINA8O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;<
%I$URA 7F3 ACIONAMENTO COMGINA8O COM PILOTO EITERNO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;<
%I$URE 7<3 ACIONAMENTO COMGINA8O COM GOTÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ;>
%I$URA 7>3 5ÁL5ULA 8E RETENÇÃO COM MOLA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?@
%I$URA ;@3 5ÁL5ULA 8E E9CAPE RÁPI8O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?7
%I$URE ;73 5ÁL5ULA 8E I9OLAMENTO N OU &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?;
%I$URA ;;3 EIEMPLO 8E CIRCUITO COM ELEMENTO OU &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ??
%I$URE ;?3 5ÁL5ULA 8E 9IMULTANEI8A8E N E &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ??
%I$URA ;A3 EIEMPLO 8E CIRCUITO COM ELEMENTO E &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?A
%I$URA ;C3 5ÁL5ULA CONTROLE 8E %LUIO GI8IRECIONAL 5ARIÁ5EL &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?A
%I$URA ;D3 5ÁL5ULA 8E %LUIO CONTROLA8O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?C
%I$URA ;F3 5ÁL5ULA 8E %LUIO LI5RE &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?D
%I$URA ;<3 EIEMPLO 8E CIRCUITO COM CONTROLE 8E %LUIO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?D
%I$URA ;>3 5ÁL5ULA 8E AL:5IO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?F
%I$URA ?@3 8IREÇÃO 8O %LUIO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?<
%I$URA ?73 PA99A$EM GLOHUEA8A &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?<
%I$URA ?;3 E9CAPE LI5RE&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?>
%I$URA ??3 E9CAPE COM CONEIÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?>
%I$URA ?A3 5ÁL5ULA 8E ; E ? 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?>
%I$URA ?C3 5ÁL5ULA9 E 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A@
%I$URA ?D3 5ÁL5ULA ;J; 5IA9 ACIONA8A POR ROLETE &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A;
%I$URA ?F3 5ÁL5ULA ;J; 5IA9 ACIONA8A POR PINO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A;
%I$URA ?<3 5ÁL5ULA ?J; 5IA9 ACIONA8A POR PILOTO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A?
%I$URA ?>3 5ÁL5ULA ?J; 5IA9 ACIONA8A POR 9OLENOI8E &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& AA
%I$URA A@3 5ÁL5ULA ?J; 5IA9 ACIONA8A POR 9OLENOI8E IN8IRETO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& AA
%I$URA A73 5ÁL5ULA ?J; 5IA9 ACIONA8A POR 8UPLO PILOTO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& AC
%I$URA A;3 EIEMPLO 8E CIRCUITO COM 5ÁL5ULA9 ?J; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& AC
%I$URA A?3 5ÁL5ULA ?J; 5IA9 GOTÃO PUL9OJMOLA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& AD
%I$URA AA3 5ÁL5ULA CJ; 5IA9 ACIONA8A COM 8UPLO PILOTO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& AF
%I$URA AC3 EIEMPLO 8E CIRCUITO COM 5ÁL5ULA CJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& AF
%I$URA AD3 5ÁL5ULA CJ; 5IA9 8UPLO PILOTO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A<
%I$URA AF3 5ÁL5ULA 8E CONTROLE 8IRECIONAL ?J? 5IA9 ACIONA8A POR ALA5ANCA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A>
%I$URA A<3 5ÁL5ULA CJ? 5IA9 8UPLA PILOTA$EM COM RETORNO POR MOLA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C@
%I$URA A>3 5ÁL5ULA CJ? 5IA9 8UPLA PILOTA$EM COM TRA5A &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C@
%I$URA C@3 ATUA8ORE9 PNEUMÁTICO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C7
%I$URA C73 CILIN8RO 8E 9IMPLE9 AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C?


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 0 de 160
%I$URA C;3 CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& CA
%I$URA C?3 CILIN8RO 8UPLA AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& CC
%I$URA CA3 METO8O INTUITI5O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& CD
%I$URA CC3 IN8ICAÇÃO 5ETORIAL 8O9 MO5IMENTO 8O9 CILIN8RO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& CF
%I$URA CD3 IN8ICAÇÃO AL$EGRICA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C<
%I$URA CF3 8IA$RAMA TRAPETOKPA99O UM CILIN8RO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C<
%I$URA C<3 8IA$RAMA TRAPETOKPA99O 8OI9 CILIN8RO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C>
%I$URA C>3 8IA$RAMA TRAPETOKTEMPO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& C>
%I$URE D@3 8IA$RAMA 8E COMAN8O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& D@
%I$URA D73 CIRCUITO 7 N ATUAÇÃO 8E UM CILIN8RO 8E 9IMPLE9 AÇÃO&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& D7
%I$URA D;3 CIRCUITO ; N CIRCUITO 8E PILOTA$EM 8E UM CILIN8RO 8E 9IMPLE9 AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& D7
%I$URA D?3 CIRCUITO ? K CICLO QNICO 8E UM CILIN8RO 8E 9IMPLE9 AÇÃO 5ÁL5ULA ?J; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& D;
%I$URA DA3 CIRCUITO A K CICLO QNICO 8E UM CILIN8RO 8E 9IMPLE9 AÇÃO 5ÁL5ULA CJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& D?
%I$URE DC3 CIRCUITO C K A5ANÇO E RETORNO 8E UM CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& D?
%I$URA DD3 CIRCUITO D K A5ANÇO E RETORNO 8E UM CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& DA
%I$URA DF3 CIRCUITO F N UM CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO ACIONA8O 8E LU$ARE9 8I9TINTO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& DA
%I$URA D<3 5ÁL5ULA OU &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& DC
%I$URA D>3 CIRCUITO < N CICLO QNICO 8E UM CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO COMAN8O IN8IRETO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& DC
%I$URA F@3 CIRCUITO > N CIRCUITO INCORRETO 8E CICLO CONTINUO N 9IMULA8O 5IA 9O%TRARE &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& DD
%I$URA F73 CIRCUITO 7@ K CICLO ILIMITA8O 8E CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& DF
%I$URA F;3 CIRCUITO 77 K CICLO ILIMITA8O 8E CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO K 9IMULA8O 5IA 9O%TRARE&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& DF
%I$URA F?3 CIRCUITO 7? N CICLO CONTINUO O CILIN8RO PERMANECE A5ANÇA 8URANTE C9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& D<
%I$URA FA3 CIRCUITO 7A K CICLO CONT:NUO COM GOTÃO 8E EMER$SNCIA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& D>
%I$URA FC3 CIRCUITO 7C K CICLO CONT:NUO COM GOTÃO 8E EMER$SNCIA INCORRETO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F@
%I$URA FD3 CIRCUITO 7D K CICLO CONT:NUO COM GOTÃO 8E EMER$SNCIA K 9IMULA8O 5IA 9O%TRARE &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F@
%I$URA FF3 5ÁL5ULA RE$ULA8ORA 8E %LUIO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F7
%I$URA F<3 9:MGOLO 8E UMA 5ÁL5ULA RE$ULA8ORA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F7
%I$URA F>3 8IA$RAMA TRAPETOKPA99O 8E 8OI9 CILIN8RO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F;
%I$URA <@3 CIRCUITO 7F N 8IA$RAMA PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7

A U ; A U 7 A N ; A N&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F?
%I$URA <73 CIRCUITO 7< N 8IA$RAMA PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A N 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& FA
%I$URA <;3 CIRCUITO 7> N INICIO 8A 9OLUÇÃO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A N 7 A K METO8O INTUITI5O &&&&&&&&&&&&&& FC
%I$URA <?3 CIRCUITO ;@ K 8IA$RAMA 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A N 7 A K METO8O INTUITI5O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& FD
%I$URA <A3 CIRCUITO ;7 N 8IA$RAMA 8A 9EHTSNCIA 7 A U V; A U ? A UW; A N V7 A N ? A KW KMETO8O INTUITI5O FF
%I$URA <C3 CA9CATA PNEUMÁTICA PARA 8OI9 9ETORE9 U9AN8O UMA 5ÁL5ULA CJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F<
%I$URA <D3 CA9CATA PNEUMÁTICA PARA 8OI9 9ETORE9 U9AN8O UMA 5ÁL5ULA AJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F<
%I$URA <F3 CA9CATA PNEUMÁTICA PRA TRS9 9ETORE9 U9AN8O 8UA9 5ÁL5ULA9 CJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F>
%I$URA <<3 CA9CATA PNEUMÁTICA PARA HUATRO 9ETORE9 U9AN8O TRS9 5ÁL5ULA9 CJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F>
%I$URA <>3 CA9CATA PNEUMÁTICA PARA HUATRO 9ETORE9 U9AN8O TRS9 5ÁL5ULA9 AJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <@
%I$URA >@3 CA9CATA PNEUMÁTICA 8E HUATRO 9ETORE9 K A ULTIMA 5ÁL5ULA CJ; HUE E PILOTA8A &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <@
%I$URA >73 CA9CATA PARA HUATRO 9ETORE9 A PENQLTIMA 5ÁL5ULA E PILOTA8A &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <7
%I$URA >;3 CA9CATA PARA HUATRO 9ETORE9 A PRIMEIRA 5ÁL5ULA E PILOTA8A &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <7
%I$URA >?3 CA9CATA PARA HUATRO 9ETORE9 A LINMA I5 E9TÁ PRE99URILA8A &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <;
%I$URA >A3 CIRCUITO ;; K 8IA$RAMA PARA A CA9CATA 7 A U ; A U ; A K 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <;
%I$URA >C3 CIRCUITO ;? K 8IA$RAMA PARA A CA9CATA 7 A U ; A U ; A K ? A U ? A K 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <?
%I$URA >D3 CIRCUITO ;A N 8IA$RAMA PARA A CA9CATA 7 A U ; A U ? A UV? A N ; AKW 7 A N&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <A
%I$URA >F3 CIRCUITO ;C N 8IA$RAMA CA9CATA PARA A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A N 7 A N 7 A U 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&& <C
%I$URA ><3 CIRCUITO ;D N PRIMEIRO PA99O NA MONTA$EM 8O 8IA$RAMA PA99OKAKPA99O 8E A LINMA9 &&&&&&&&&&&&&&&&& <D
%I$URA >>3 CIRCUITO ;F K 9E$UN8O PA99O NA MONTA$EM 8O 8IA$RAMA PA99OKAKPA99O 8E A LINMA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&& <F
%I$URA 7@@3 CIRCUITO ;< K CIRCUITO PA99OKAKPA99O 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <<
%I$URA 7@73 CIRCUITO ;> N CIRCUITO PA99OKAKPA99O 8A 9EHTSNCIA 7 A U 7 A N ; A U ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& <>
%I$URA 7@;3 CIRCUITO ?@ N CIRCUITO PA99OKAKPA99O 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U 7 A N 7 A U ; A N 7 A N &&&&&&&&&&&&& >@
%I$URA 7@?3 RELS X7 8E9ENER$ILA8O COM ; CONTATO9 NA E ; CONTATO9 N% &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >7
%I$URA 7@A3 RELS X7 ENER$ILA8O COM ; CONTATO9 NA E ; CONTATO9 N% &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >;
%I$URA 7@C3 $I$A 8E TE9TE E 9IMULAÇÃO 8E RELS9 N %E9TO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >;


Automação Pneumática e Eletropneumática Página ' de 160
%I$URA 7@D3 $I$A 8E TE9TE E 9IMULAÇÃO 8E GOTOEIRA9 N %E9TO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >?
%I$URA 7@F3 5ÁL5ULA CJ; 5IA9 COM 9OLENOI8E 9IMPLE9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >A
%I$URA 7@<3 CIRCUITO ELETROKPNEUMÁTICO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >A
%I$URA 7@>3 CONTATO9 8E UM ME9MO GOTÃO PUL9O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >C
%I$URA 77@3 CIRCUITO ELETROKPNEUMÁTICO COM GOTÃO COM TRA5A &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >D
%I$URA 7773 CIRCUITO ELETROKPNEUMÁTICO COM 9ELO NO RELS &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >D
%I$URE 77;3 9ELO OU AUTOKRETENÇÃO 8E X7 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >F
%I$URE 77?3 CIRCUITO ELETROKPNEUMÁTICO COM RETIRA8A 8E 9ELO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >F
%I$URE 77A3 CIRCUITO ELETROKPNEUMÁTICO COM 9E$UN8A OPÇÃO 8E RETIRA8A 8E 9ELO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ><
%I$URA 77C3 CICLO QNICO COM CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >>
%I$URE 77D3 CICLO QNICO COM CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO COM 8UPLA PILOTA$EM &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& >>
%I$URA 77F3 CICLO CONT:NUO COM CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@@
%I$URA 77<3 CICLO CONT:NUO COM CILIN8RO 8UPLA AÇÃO COM 8UPLA PILOTA$EM &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@7
%I$URA 77>3 CICLO CONT:NUO COM GOTÃO 8E EMER$SNCIA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@;
%I$URA 7;@3 CICLO CONT:NUO COM CILIN8RO 8UPLA AÇÃO E 5ÁL5ULA CJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@;
%I$URA 7;73 CICLO CONT:NUO LIMITA8O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@?
%I$URA 7;;3 CONTA8OR 8I$ITAL &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@A
%I$URA 7;?3 CICLO CONT:NUO COM 5ÁL5ULA ?J; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@A
%I$URA 7;A3 RELS TEMPORILA8OR &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@C
%I$URA 7;C3 CAIIA9 8E RELS9 TEMPORILA8ORE9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@C
%I$URA 7;D3 CILIN8RO %ICA A5ANÇA8O POR C 9E$UN8O9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@D
%I$URA 7;F3 CICLO CONT:NUO CILIN8RO A5ANÇA POR C 9E$UN8O9 COM 5ÁL5ULA 8E ?J; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@D
%I$URA 7;<3 CICLO CONT:NUO1 CILIN8RO A5ANÇA8O POR C 9E$UN8O9 COM 8UPLA PILOTA$EM &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@F
%I$URA 7;>3 CIRCUITO COM COMAN8O GIMANUAL &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@F
%I$URA 7?@3 COMAN8O GIMANUAL 8E CILIN8RO 8E 8UPLA AÇÃO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@<
%I$URA 7?73 CIRCUITO COM COMAN8O GIMANUAL E GOTÃO MANUAL &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7@>
%I$URA 7?;3 CIRCUITO COM COMAN8O GIMANUAL COM GOTÃO 8E EMER$SNCIA COM 5ÁL5ULA CJ; 5IA9 &&&&&&&&&&&&&& 77@
%I$URA 7??3 CIRCUITO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U 7 A K ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 777
%I$URE 7?A3 CIRCUITO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U 7 A K ; A N COM GOTÃO PUL9A8OR&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77;
%I$URA 7?C3 CIRCUITO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U 7 A K ; A N 9IMULA8O 5IA 9O%TRARE &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77?
%I$URA 7?D3 CIRCUITO ELETROKPNEUMATICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U 7 A K ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77A
%I$URA 7?F3 CIRCUITO ELETROKPNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA AUGUAKGK &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77C
%I$URA 7?<3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U 7 A K ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77D
%I$URA 7?>3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U 7 A K ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77F
%I$URA 7A@3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U 7 A K ; A K& CICLO CONT:NUO &&&&&&&&&&&&&&&&&& 77<
%I$URA 7A73 CA9CATA ELETRICA PARA 8OI9 9ETORE9&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77>
%I$URA 7A;3 CA9CATA ELETRICA PARA TRS9 9ETORE9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 77>
%I$URA 7A?3 CA9CATA ELETRICA PARA HUATRO 9ETORE9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7;@
%I$URA 7AA3 PRIMEIRO PA99O NA CON9TRUÇÃO K CA9CATA 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7;7
%I$URA 7AC3 CA9CATA 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7;;
%I$URA 7AD3 9IMULAÇÃO 8O CIRCUITO CA9CATA 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7;A
%I$URA 7AF3 9IMULAÇÃO 8O CIRCUITO CA9CATA 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A N& 9E$UN8O PA99O &&&&&&&&&&&&& 7;C
%I$URA 7A<3 9IMULAÇÃO 8O CIRCUITO CA9CATA 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A K& TERCEIRO PA99O &&&&&&&&&&&&& 7;D
%I$URA 7A>3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U 7 A K ; A U ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7;F
%I$URA 7C@3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U 7 A K ; A U ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7;<
%I$URA 7C73 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U 7 A K ; A U ? A U ? A K ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7;>
%I$URA 7C;3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A K ; A U ; A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?@
%I$URE 7C?3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A N&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?7
%I$URE 7CA3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA ANTERIOR &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?;
%I$URA 7CC3 CIRCUITO COM TRS9 CILIN8RO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?A
%I$URA 7CD3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO PELO METO8O PA99O A PA99O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?C
%I$URA 7CF3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO 8A 9EHTSNCIA U9AN8O 5ÁL5ULA9 8E 9ER5OCOMAN8O 9IMPLE9 &&&&& 7?D
%I$URA 7C<3 CIRCUITO 8A 9EHTSNCIA 7 A U ; A U ; A K 7 A K 7 A U 7 A N &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?<
%I$URA 7C>3 ALARME 9ONORO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?>


Automação Pneumática e Eletropneumática Página * de 160
%I$URA 7D@3 IN8ICA8OR LUMINO9O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7?>
%I$URA 7D73 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO COM ALARME 9ONORO1 IN8ICA8OR LUMINO9O E GOTÃO 8E
EMER$SNCIA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7A@
%I$URA 7D;3 9EN9OR IN8UTI5O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7A7
%I$URA 7D?3 9EN9OR CAPACITI5O &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7A7
%I$URA 7DA3 9EN9OR OPTICO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7A;
%I$URA 7DC3 CIRCUITO ELETRO PNEUMÁTICO COM 9EN9ORE9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7A;































Automação Pneumática e Eletropneumática Página 10 de 160
LISTA DE TABELAS


TAGELA 73 5ARIAÇÃO 8A PRE99ÃO ATMO9%ERICA&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7C
TAGELA ;3 I8ENTI%ICAÇÃO 8A9 5IA9 PNEUMÁTICA9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& ?>
TAGELA ?3 8E9I$NAÇÃO NUMERICA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A7
TAGELA A3 8E9I$NAÇÃO AL%AGETICA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& A7
TAGELA C3 MO5IMENTO 8E CILIN8RO9 EM %ORMA 8A TAGELA &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& CF
TAGELA D3 8IA$RAMA 8E MO5IMENTO9 8E UM CILIN8RO &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& F;

































Automação Pneumática e Eletropneumática Página 11 de 160
LISTA DE EQUA!ES


EHUAÇÃO 73 LEI $ERAL 8O9 $A9E9 PER%EITO9 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7D
EHUAÇÃO ;3 PRINCIPIO 8E PA9CAL &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& 7F










































Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$ de 160
1. INTRO!"#O

A 'neum/tica é a ci6ncia +ue utili,a o ar como )luido +ue reali,a um tra.alo& 8esta maneira1
em Pneum/tica Industrial1 o +ue ocorre é uma trans)orma!"o da energia 'neum/tica em energia
mecYnica 'or meio de elementos de tra.alo& Os 'rinci'ais elementos de tra.alo s"o os cilindros1 ou
atuadores1 e as #/l#ulas&

O ar é 'rodu,ido 'or com'ressores1 tratado 'or um com'onente camado Lu.re)il
VLu.ri)icante1 %iltro e Regulador de Press"oW e distri.u4do 'or intermédio de redes 'neum/ticas& N"o
é o.-eti#o desta a'ostila tratar destes t2'icos&

Uma #e, na rede1 o ar é direcionado 'elas #/l#ulas 'ara +ue os cilindros 'ossam reali,ar seus
mo#imentos lineares ou rotati#os& As #/l#ulas +ue direcionam o ar 'ara os cilindros s"o conecidas
como Z#/l#ulas direcionais[&

7&7& PROPRIE8A8E9 %:9ICA9 8O AR


A'esar de ins4'ido1 inodoro e incolor1 'erce.emos o ar atra#és dos #entos1 a#i*es e '/ssaros
+ue nele )lutuam e se mo#imentam\ sentimos tam.ém o seu im'acto so.re o nosso cor'o& Conclu4mos
)acilmente +ue o ar tem e0ist6ncia real e concreta1 ocu'ando lugar no es'a!o&

$!$!$! Compressibilidade


O ar1 assim como todos os gases1 tem a 'ro'riedade de ocu'ar todo o #olume de +ual+uer
reci'iente1 ad+uirindo seu )ormato1 -/ +ue n"o tem )orma 'r2'ria& Assim1 'odemos encerr/Klo num
reci'iente com #olume determinado e 'osteriormente 'ro#ocarKle uma redu!"o de #olume usando
uma de suas 'ro'riedades K a com'ressi.ilidade&

Podemos concluir +ue o ar 'ermite redu,ir o seu #olume +uando su-eito ] a!"o de uma )or!a
e0terior&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 13 de 160
Compressibilidade do Ar
Ar submetido a um
volume inicial V
0
Ar submetido a um
volume inicial V
f
V
f
< V
0
F
1 2

6igura 17 (ompre88i9ilidade do Ar

$!$!%! Elasticidade

Pro'riedade +ue 'ossi.ilita ao ar #oltar ao seu #olume inicial uma #e, e0tinto o e)eito V)or!aW
res'ons/#el 'ela redu!"o do #olume&

Elasticidade do Ar
Ar submetido a um
volume inicial V
0
Ar submetido a um
volume inicial V
f
V
f
> V
0
1 2
F

6igura $7 Ela8ticidade do Ar

$!$!&! 'ifusibilidade

Pro'riedade do ar +ue le 'ermite misturarKse omogeneamente com +ual+uer meio gasoso
+ue n"o este-a saturado&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+ de 160
Difusibilidade do Ar
Volumes contendo
ar e gases; válvula
fechada
Válvula aberta temos uma
mistura homogênea
1 2

6igura 37 i:u8i9ilidade do Ar
$!$!(! E)pansibilidade

Pro'riedade do ar +ue le 'ossi.ilita ocu'ar totalmente o #olume de +ual+uer reci'iente1
ad+uirindo o seu )ormato&

Expansibilidade do Ar
Possuímos um recipiente contendo ar;
a válvula na situação 1 está fechada
Quando a válvula é aberta o ar expande,
assumindo o formato dos recipientes;
porque não possui forma própria
1
2

6igura +7 E;pan8i9ilidade do Ar


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1, de 160
$!$!*! +ariação da Pressão Atmosf,rica com -elação . Altitude

Ta9ela 17 .ariação da Pre88ão Atmo8:<rica
Altitude Pressão Altitude Pressão
m Kgf/cm
2
m Kgf/cm
2
0 1,033 1000 0,915
100 1,021 2000 0,810
200 1,008 3000 0,715
300 0,996 4000 0,629
400 0,985 5000 0,552
500 0,973 6000 0,481
600 0,960 7000 0,419
700 0,948 8000 0,363
800 0,936 9000 0,313
900 0,925 10000 0,270


$!$!/! 0edição da Pressão Atmosf,rica

N2s geralmente 'ensamos +ue o ar n"o tem 'eso& Mas1 o oceano de ar co.rindo a terra e0erce
'ress"o so.re ela& Torricelli1 o in#entor do .ar^metro1 mostrou +ue a 'ress"o atmos)érica 'ode ser
medida 'or uma coluna de merc(rio& EncendoKse um tu.o com merc(rio e in#ertendoKo em uma
cu.a ceia com merc(rio1 ele desco.riu +ue a atmos)era 'adr"o1 ao n4#el do mar1 su'orta uma coluna
de merc(rio de FD@ mm de altura&

76 cm
Pressão Atmosférica ao
Nível do Mar
Barômetro

6igura ,7 Pre88ão Atmo8:<rica


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 16 de 160
Aumenta e Vice-Versa
T3
V3
P3
Mesma Pressão:
Volume Aumenta - Temperatura
Aumenta e Vice-Versa
T4
V4
P4
T1
V1
P1
Mesma Temperatura:
Volume Diminui - Pressão Aumenta
T2
V2
P2
Mesmo Volume:
Pressão Aumenta - Temperatura
Aumenta e Vice-Versa
T3
A 'ress"o atmos)érica ao n4#el do mar mede ou é e+ui#alente a FD@ mm de merc(rio&
Hual+uer ele#a!"o acima desse n4#el de#e medir e#identemente menos do +ue isso& Num sistema
idr/ulico1 as 'ress*es acima da 'ress"o atmos)érica s"o medidas em _g) J cm;& As 'ress*es a.ai0o
da 'ress"o atmos)érica s"o medidas em unidade de mil4metros de merc(rio&

$!$!1! Efeitos Combinados entre as & +ari#eis 23sicas do Gs


&ei 5eral do8 5a8e8 Per:eito8

As leis de Go`leKMariotte1 Carles e $a` Lussac re)eremKse a trans)orma!*es de estado1 nas
+uais uma das #ari/#eis )4sicas 'ermanece constante& $eralmente1 a trans)orma!"o de um estado 'ara
outro en#ol#e um relacionamento entre todas1 sendo assim1 a rela!"o generali,ada é e0'ressa 'ela
)2rmula3

E=uação 17 &ei 5eral do8 5a8e8 Per:eito8
P
1
V
1
T
1
=
P
2
V
2
T
2


8e acordo com esta rela!"o s"o conecidas as tr6s #ari/#eis do g/s& Por isso1 se +ual+uer uma
delas so)rer altera!"o1 o e)eito nas outras 'oder/ ser 're#isto&














6igura 67 E:eito (om9inado de 3 .ariá>ei8 6?8ica8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 10 de 160
$!$!4! Princ3pio de Pascal

ConstataKse +ue o ar é muito com'ress4#el so. a!"o de 'e+uenas )or!as& Huando contido em
um reci'iente )ecado1 o ar e0erce uma 'ress"o igual so.re as 'aredes1 em todos os sentidos&

Por Glaise Pascal temos3 aA 'ress"o e0ercida em um l4+uido con)inado em )orma est/tica atua
em todos os sentidos e dire!*es1 com a mesma intensidade1 e0ercendo )or!as iguais em /reas iguaisa&

Princípio de Blaise Pascal
1 - Suponhamos um recipiente cheio de um líquido, o qual é
praticamente incompressível;
2 - Se aplicarmos uma força de 10 Kgf num êmbolo de 1 cm
2
de área;
3 - O resultado será uma pressão de 10 Kgf/cm
2
nas paredes
do recipiente.

6igura 07 Princ?pio de Pa8cal

E=uação $7 Principio de Pa8cal
P =
F
A


No S.I.

F - Newton – N (Força)
P - Newton / Área – N / m
2
(Pressão)
A - m
2
(Área)

No MKS

F - Kgf (Força)
P - Kgf / cm
2
(Pressão)
A - cm
2
(Área)

Temos +ue3 7 Xg) b >1< N


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1' de 160

Nota7 Pascal n"o )a, men!"o ao )ator atrito1 e0istente +uando o l4+uido est/ em mo#imento1
'ois .aseiaKse na )orma est/tica e n"o nos l4+uidos em mo#imento&
$. I%P&ANTA"#O

;&7& 5ANTA$EN9

1@ Incremento da 'rodu!"o com in#estimento relati#amente 'e+ueno&

$@ Redu!"o dos custos o'eracionais& A ra'ide, nos mo#imentos 'neum/ticos e a li.erta!"o do
o'er/rio VomemW de o'era!*es re'etiti#as 'ossi.ilitam o aumento do ritmo de tra.alo1 aumento de
'roduti#idade e1 'ortanto1 um menor custo o'eracional&

3@ 2 Ro.uste, dos com'onentes 'neum/ticos& A ro.uste, inerente aos controles 'neum/ticos tornaK
os relati#amente insens4#eis a #i.ra!*es e gol'es1 'ermitindo +ue a!*es mecYnicas do 'r2'rio
'rocesso sir#am de sinal 'ara as di#ersas se+u6ncias de o'era!"o& 9"o de )/cil manuten!"o&

+@2 %acilidade de im'lanta!"o& Pe+uenas modi)ica!*es nas m/+uinas con#encionais1 aliadas ]
dis'oni.ilidade de ar com'rimiK do1 s"o os re+uisitos necess/rios 'ara im'lanta!"o dos controles
'neum/ticos&

,@ 2 Resist6ncia a am.ientes ostis& Poeira1 atmos)era corrosi#a1 oscila!*es de tem'eratura1 umidade1
su.mers"o em l4+uidos1 raramente 're-udicam os com'onentes 'neum/ticos1 +uando 'ro-etados 'ara
essa )inalidade&

6@ 2 9im'licidade de mani'ula!"o& Os controles 'neum/ticos n"o necessitam de o'er/rios su'er
es'eciali,ados 'ara sua mani'ula!"o&

0@ 2 9eguran!a& Como os e+ui'amentos 'neum/ticos en#ol#em sem're 'ress*es moderadas1 tornamK
se seguros contra 'oss4#eis acidentes1 +uer no 'essoal1 +uer no 'r2'rio e+ui'amento1 além de
e#itarem 'ro.lemas de e0'los"o&

'@ 2 Redu!"o do n(mero de acidentes& A )adiga é um dos 'rinci'ais )atores +ue )a#orecem acidentes\ a
im'lanta!"o de controles 'neum/ticos redu, sua incid6ncia Vli.era!"o de o'era!*es re'etiti#asW&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1* de 160
;&;& LIMITAÇ=E9

1@ O ar com'rimido necessita de uma .oa 're'ara!"o 'ara reali,ar o tra.alo 'ro'osto3 remo!"o de
im'ure,as1 elimina!"o de umidade 'ara e#itar corros"o nos e+ui'amentos1 engates ou tra#aK mentos
e maiores desgastes nas 'artes m2#eis do sistema&

$@ Os com'onentes 'neum/ticos s"o normalmente 'ro-etados e utili,ados a uma 'ress"o m/0ima de
7F;?1D _Pa& Portanto1 as )or!as en#ol#idas s"o 'e+uenas se com'aradas a outros sistemas& Assim1 n"o
é con#eniente o uso de controles 'neum/ticos em o'era!"o de e0trus"o de metais& Pro#a#elmente1 o
seu uso é #anta-oso 'ara recoler ou trans'ortar as .arras e0trudadas&

3@ 5elocidades muito .ai0as s"o di)4ceis de ser o.tidas com o ar com'rimido de#ido ]s suas
'ro'riedades )4sicas& Neste caso1 recorreKse a sistemas mistos Vidr/ulicos e 'neum/ticosW&

+@ O ar é um )luido altamente com'ress4#el1 'ortanto1 é im'oss4#el se o.terem 'aradas
intermedi/rias e #elocidades uni)ormes& O ar com'rimido é um 'oluidor sonoro +uando s"o
e)etuadas e0aust*es 'ara a atmos)era& Esta 'olui!"o 'ode ser e#itada com o uso de silenciadoK res nos
ori)4cios de esca'e&

3. A(IONA%ENTO) E (O%ANO)

As #/l#ulas e0igem um agente e0terno ou interno +ue deslo+ue suas 'artes internas de uma
'osi!"o 'ara outra1 ou se-a1 +ue altere as dire!*es do )lu0o1 e)etue os .lo+ueios e li.era!"o de esca'es&
Os elementos res'ons/#eis 'or tais altera!*es s"o os acionamentos1 +ue 'odem ser classi)icados em3

K Comando 8ireto
K Comando Indireto

?&7& COMAN8O 8IRETO

E assim de)inido +uando a )or!a de acionamento atua diretamente so.re +ual+uer mecanismo
+ue cause a in#ers"o da #/l#ula&




Automação Pneumática e Eletropneumática Página $0 de 160
?&;& COMAN8O IN8IRETO

E assim de)inido +uando a )or!a de acionamento atua so.re +ual+uer dis'ositi#o
intermedi/rio1 o +ual li.era o comando 'rinci'al +ue1 'or sua #e,1 é res'ons/#el 'ela in#ers"o da
#/l#ula&

Estes acionamentos s"o tam.ém camados de com.inados1 ser#o etc&
+. TIPO) E A(IONA%ENTO) E (O%ANO)

Os ti'os de acionamentos s"o di#ersi)icados e 'odem ser3

K Musculares
K MecYnicos
K Pneum/ticos
K Elétricos
K Com.inados&

Estes elementos s"o re'resentados 'or s4m.olos normali,ados e s"o escolidos con)orme a
necessidade da a'lica!"o da #/l#ula direcional&

A&7& ACIONAMENTO9 MU9CULARE9


As #/l#ulas dotadas deste ti'o de acionamento s"o conecidas como #/l#ulas de 'ainel& 9"o
acionamentos +ue indicam um circuito1 )indam uma cadeia de o'era!*es1 'ro'orcionam condi!*es de
seguran!a e emerg6ncia&

A mudan!a da #/l#ula é reali,ada geralmente 'elo o'erador do sistema&
Os 'rinci'ais ti'os de acionamentos musculares s"o mostrados nas )iguras a.ai0o&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página $1 de 160
Botão
Simbologia
Alavanca
Pedal
Simbologia
Simbologia

6igura '7 Acionamento8 %u8culare8



Automação Pneumática e Eletropneumática Página $$ de 160
A&;& ACIONAMENTO9 MECBNICO9

Com a crescente introdu!"o de sistemas autom/ticos1 as #/l#ulas acionadas 'or uma 'arte
m2#el da m/+uina ad+uirem uma grande im'ortYncia& O comando da #/l#ula é conseguido atra#és de
um contato mecYnico so.re o acionamento1 colocado estrategicamente ao longo de um mo#imento
+ual+uer1 'ara 'ermitir o desenrolar de se+u6ncias o'eracionais& Comumente1 as #/l#ulas com este
ti'o de acionamento rece.em o nome de #/l#ulas )im de curso&

Pino
Rolete
Gatilho ou Rolete Escamoteável
Simbologia
Simbologia
Simbologia

6igura *7 Acionamento8 %ecAnico8

(!%!$! Posicionamento das +l#ulas com Acionamentos 0ec5nicos

As #/l#ulas de#em estar situadas o mais 'r20imo 'oss4#el ou diretamente aco'ladas aos
e+ui'amentos comandados Vcilindros1 motores etc&W1 'ara +ue as tu.ula!*es secund/rias se-am .em
curtas e#itando1 assim1 consumos in(teis de ar com'rimido e 'erdas de 'ress"o1 con)erindo ao
sistema um tem'o de res'osta redu,ido&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página $3 de 160
Para as #/l#ulas acionadas mecanicamente1 é indis'ens/#el e)etuar um 'osicionamento
ade+uado1 garantindo um comando seguro e 'er)eito1 mesmo de'ois de muito tem'o&

(!%!%! Acionamento por Pino

Huando um mecanismo m2#el é dotado de mo#imento retil4neo1 sem 'ossi.ilidades de
ultra'assar um limite e ao )im do mo#imento de#e acionar uma #/l#ula1 o recomendado é o
acionamento 'or 'ino1 +ue rece.e um ata+ue )rontal& Ao 'osicionar a #/l#ula1 de#eKse ter o cuidado
de dei0ar uma )olga1 a'2s o curso de acionamento1 com rela!"o ao curso )inal do mecanismo1 'ara
e#itar inutili,a!"o da #/l#ula de#ido a in(teis e #iolentas solicita!*es mecYnicas&

En+uanto durar a a!"o so.re o 'ino1 a #/l#ula 'ermanece comutada VacionadaW&

Posicionamento do Acionamento Tipo Pino

6igura 107 Acionamento Por Pino

(!%!&! Acionamento por -olete

9e a #/l#ula necessita ser acionada 'or um mecanismo com mo#imento rotati#o1 retil4neo1 com
ou sem a#an!o ulterior1 é aconsel/#el utili,ar o acionamento 'or rolete1 'ara e#itar atritos in(teis e
solicita!*es danosas em rela!"o ]s 'artes da #/l#ula&

O rolete1 +uando 'osicionado no )im de curso1 )unciona como 'ino1 mas rece.e ata+ue lateral
na maioria das #e,es& Numa 'osi!"o intermedi/ria1 rece.er/ comando toda #e, +ue o mecanismo em
mo#imento 'assar 'or cima1 inde'endentemente do sentido do mo#imento&




Automação Pneumática e Eletropneumática Página $+ de 160
Posicionamento do Acionamento Tipo Rolete

6igura 117 Acionamento Tipo Rolete

(!%!(! Gatilho 6-olete Escamote#el7

Utili,ado nas 'osi!*es intermedi/rias ou )im de curso1 onde 'odem ocorrer 'ro.lemas de
acontra'ress"oa& O 'osicionamento no )inal de curso1 com le#e a)astaK mento1 e#ita +ue 'ermane!a
constantemente acionado1 como o 'ino e o rolete&

8i)ere dos outros 'or 'ermitir o acionamento da #/l#ula em um sentido do mo#imento1
emitindo um sinal 'neum/tico .re#e& Huando o mecanismo em mo#imento atua so.re o acionamento
causa um tra#amento1 'ro#ocando o deslocamento das 'artes internas da #/l#ula& No sentido o'osto
ao de comando1 o mecanismo causa a rota!"o do acionamento1 eliminando +ual+uer 'ossi.ilidade de
comandar a #/l#ula&

Posicionamento do Acionamento Tipo Gatilho
Comanda a Válvula Não Comanda a Válvula

6igura 1$7 Acionamento Tipo 5atilBo


Automação Pneumática e Eletropneumática Página $, de 160
E im'ortante ressaltar +ue a emiss"o do sinal 'neum/tico1 sendo .re#e1 n"o de#e 'ercorrer
longas distYncias& A comuta!"o da #/l#ula e a emiss"o do sinal est"o em )un!"o de sua constru!"o1
'rinci'almente da #elocidade com +ue é acionada e do com'rimento do mecanismo +ue ir/ acion/Kla&

A&?& ACIONAMENTO9 PNEUMÁTICO9

As #/l#ulas e+ui'adas com este ti'o de acionamento s"o comutadas 'ela a!"o do ar
com'rimido1 'ro#eniente de um sinal 're'arado 'elo circuito e emitido 'or outra #/l#ula&
Nos acionamentos 'neum/ticos destacamKse3

(!&!$! Comando 'ireto por Al3#io de Pressão 6Piloto 8egati#o7

Os 'ist*es s"o 'ressuri,ados com o ar com'rimido 'ro#eniente da alimenta!"o& Um
e+uil4.rio de )or!as é esta.elecido na #/l#ula\ ao se 'rocessar a des'ressuri,a!"o de um dos 'ist*es1
ocorre a in#ers"o da #/l#ula&
Piloto Negativo
Simbologia
10

6igura 137 (omando Piloto Negati>o

(!&!%! Comando 'ireto por Aplicação de Pressão 6Piloto Positi#o7

Um im'ulso de 'ress"o1 'ro#eniente de um comando e0terno1 é a'licado diretamente so.re
um 'ist"o1 acionando a #/l#ula&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página $6 de 160
Piloto Positivo
Simbologia
12

6igura 1+7 (omando Piloto Po8iti>o

(!&!&! Comando 'ireto por 'iferencial de 9reas

A 'ress"o de comando atua em /reas di)erentes1 'ossi.ilitando a e0ist6ncia de um sinal
'riorit/rio e outro su'ressi#o&
".#.#.1. Dia$%a&ma

A grande #antagem est/ na 'ress"o de comando\ de#ido ] grande /rea da mem.rana1 'ode
tra.alar com .ai0as 'ress*es& O 'rinc4'io de atua!"o é .em semelante ao de um 'iloto 'ositi#o&

AplicaçCe8 :re=uente87 9u.stitui!"o de sistemas eletr^nicos e elétricos +ue s"o utili,ados na
automati,a!"o de )/.ricas de e0'losi#os1 'rodutos sol#entes1 de#ido ] sensi.ilidade +ue a'resentam
no controle de 'rocessos&
Diafragma
Simbologia
12
10

6igura 1,7 (omando Por ia:ragma


Automação Pneumática e Eletropneumática Página $0 de 160
A&A& ACIONAMENTO9 ELETRICO9

A o'era!"o das #/l#ulas é e)etuada 'or meio de sinais elétricos1 'ro#enientes de ca#es )im de
curso1 'ressostatos1 tem'ori,adores1 etc& 9"o de grande utili,a!"o onde a ra'ide, dos sinais de
comando é o )ator im'ortante1 +uando os circuitos s"o com'licados e as distYncias s"o longas entre o
local emissor e o rece'tor&

A&C& ACIONAMENTO9 COMGINA8O9

E comum a utili,a!"o da 'r2'ria energia do ar com'rimido 'ara acionar as #/l#ulas& Podemos
comunicar o ar de alimenta!"o da #/l#ula a um acionamento au0iliar +ue 'ermite a a!"o do ar so.re o
comando da #/l#ula ou corta a comunica!"o1 dei0andoKa li#re 'ara a o'era!"o de retorno&

Os acionamentos tidos como com.inados s"o classi)icados tam.ém como 9er#o Piloto1
Comando Pré#io e Indireto& Isso se )undamenta na a'lica!"o de um acionamento V'réKcomandoW +ue
comanda a #/l#ula 'rinci'al1 res'ons/#el 'ela e0ecu!"o da o'era!"o&

Huando é e)etuada a alimenta!"o da #/l#ula 'rinci'al1 a +ue reali,ar/ o comando dos
con#ersores de energia1 'odeKse emitir ou des#iar um sinal atra#és de um canal interno ou cone0"o
e0terna1 +ue )icar/ retido1 direcionandoKo 'ara e)etuar o acionamento da #/l#ula 'rinci'al1 +ue
'osteriormente é colocada 'ara e0aust"o&

As #/l#ulas de 'réKcomando s"o geralmente elétricas V9olen2idesW1 'neum/ticas VPilotoW1
manuais VGot"oW1 mecYnicas VCame ou Es)eraW& A seguir1 s"o mostrados alguns ti'os de acionamentos
com.inados&

(!*!$! Solen:ide e Piloto Interno

Huando o solen2ide é energi,ado1 o cam'o magnético criado desloca o indu,ido1 li.erando o
'iloto interno I1 o +ual reali,a o acionamento da #/l#ula&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página $' de 160
Acionamento Combinado - Elétrico e Pneumático
Simbologia
X
D

6igura 167 Acionamento (om9inado

(!*!%! Solen:ide e Piloto E)terno

Id6ntico ao anterior1 'orém a 'ress"o 'iloto é su'rida e0ternamente&
Acionamento Combinado - Elétrico e Pneumático
Simbologia
12
D


6igura 107 Acionamento (om9inado com Piloto E;terno






Automação Pneumática e Eletropneumática Página $* de 160
(!*!&! Solen:ide e Piloto ou ;otão

A #/l#ula 'rinci'al 'ode ser comandada 'or meio da eletricidade1 a +ual cria um cam'o
magnético1 causando o a)astamento do indu,ido do assento e li.erando a 'ress"o I +ue aciona a
#/l#ula&

Pode ser acionada atra#és do .ot"o1 o +ual des'ressuri,a a #/l#ula internamente& O
acionamento 'or .ot"o con-ugado ao elétrico é de grande im'ortYncia 'or+ue 'ermite testar o
circuito1 sem necessidade de energi,ar o comando elétrico1 'ermitindo continuidade de o'era!"o
+uando )altar energia elétrica&

Acionamento Combinado - Muscular ou Elétrico e
Pneumático
Simbologia
X
D
D


6igure 1'7 Acionamento (om9inado com 4otão

,. E&E%ENTO) A!-I&IARE)

Im'edem o )lu0o de ar com'rimido em um sentido determinado1 'ossi.ilitando li#re )lu0o no
sentido o'osto&





Automação Pneumática e Eletropneumática Página 30 de 160
C&7& 5ÁL5ULA9 8E GLOHUEIO

*!$!$! +l#ula de -etenção com 0ola

Um cone é mantido inicialmente contra seu assento 'ela )or!a de uma mola& OrientandoKse o
)lu0o no sentido )a#or/#el de 'assagem1 o cone é deslocado do assento1 causando a com'ress"o da
mola e 'ossi.ilitando a 'assagem do ar&

A e0ist6ncia da mola no interior da #/l#ula re+uer um maior es)or!o na a.ertura 'ara #encer
a contraK 'ress"o im'osta& Mas nas #/l#ulas1 de modo geral1 esta contra'ress"o é 'e+uena1 'ara e#itar
o m/0imo de 'erda1 ra,"o 'ela +ual n"o de#em ser su.stitu4das aleatoriamente&

Válvula de Retenção com Mola
Simbologia
1 2
2 1
2 1

6igura 1*7 .ál>ula de Retenção com %ola

As #/l#ulas de reten!"o geralmente s"o em'regadas em automati,a!"o de le#antamento de
'eso1 em lugares onde um com'onente n"o de#e in)luir so.re o outro1 etc&

*!$!%! +l#ula de -etenção sem 0ola

E outra #ers"o da #/l#ula de reten!"o citada anteriorK mente& O .lo+ueio1 no sentido
contr/rio ao )a#or/#el1 n"o conta com o au04lio de mola& Ele é )eito 'ela 'r2'ria 'ress"o de ar
com'rimido&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 31 de 160
*!$!&! +l#ula de Escape -pido

Huando se necessita o.ter #elocidade su'erior ]+uela normalmente desen#ol#ida 'or um
'ist"o de cilindro1 é utili,ada a #/l#ula de esca'e r/'ido& Para um mo#imento r/'ido do 'ist"o1 o )ator
determinante é a #elocidade de esca'e do ar contido no interior do cilindro1 -/ +ue a 'ress"o numa
das cYmaras de#e ter ca4do a'recia#elmente1 antes +ue a 'ress"o no lado o'osto aumente o su)iciente
'ara ultra'ass/Kla1 além de im'ulsionar o ar residual atra#és da tu.ula!"o secund/ria e #/l#ulas&

Utili,andoKse a #/l#ula de esca'e r/'ido1 a 'ress"o no interior da cYmara cai .ruscamente\ a
resist6ncia o)erecida 'elo ar residual V+ue é em'urradoW é redu,id4ssima e o ar )lui diretamente 'ara
a atmos)era1 'ercorrendo somente um ni'le +ue liga a #/l#ula ao cilindro& Ele n"o 'ercorre a
tu.ula!"o +ue )a, a sua alimenta!"o&

Válvula de Escape Rápido
Simbologia
3 1
2
3
2
1
3
2
1

6igura $07 .ál>ula de E8cape Rápido

Alimentada 'ela #/l#ula direcional +ue comanda o cilindro1 o ar com'rimido 'ro#eniente
com'rime uma mem.rana contra uma sede onde se locali,a o esca'e1 li.era uma 'assagem até o
'onto de utili,a!"o e atua em sua 'arte o'osta1 tentando desloc/Kla da sede inutilmente1 'ois uma
di)eren!a de )or!as gerada 'ela atua!"o da mesma 'ress"o em /reas di)erentes im'ede o
deslocamento&

Cessada a 'ress"o de entrada1 a mem.rana é deslocada da sede do esca'e1 'assando a #edar
a entrada& Esta mo#imenta!"o é causada 'elo ar contido na cYmara do cilindro1 +ue in)luencia a
su'er)4cie in)erior em rela!"o ] entrada e a desloca1 'ois n"o encontra a resist6ncia su'erior o)erecida
'ela 'ress"o&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 3$ de 160
Com o deslocamento da mem.rana1 o esca'e )ica li#re e o ar é e0'ulso ra'idamente1 )a,endo
com +ue o 'ist"o ad+uira alta #elocidade& Os -atos de e0aust"o s"o desagrada#elmente ruidosos& Para
se e#itar a 'olui!"o sonora1 de#em ser utili,ados silenciadores&

*!$!(! +l#ula de Isolamento 6Elemento >?7

8otada de tr6s ori)4cios no cor'o3 duas entradas de 'ress"o e um 'onto de utili,a!"o&
En#iandoKse um sinal 'or uma das entradas1 a entrada o'osta é automaticamente #edada e o sinal
emitido )lui até a sa4da de utili,a!"o&

O ar +ue )oi utili,ado retorna 'elo mesmo camino& Uma #e, cortado o )ornecimento1 o
elemento seletor interno 'ermanece na 'osi!"o1 em )un!"o do (ltimo sinal emitido&

Ma#endo coincid6ncia de sinais em am.as as entraK das1 're#alecer/ o sinal +ue 'rimeiro
atingir a #/l#ula1 no caso de 'ress*es iguais& Com 'ress*es di)erentes1 a maior 'ress"o dentro de uma
certa rela!"o 'assar/ ao 'onto de utili,a!"o1 im'ondo .lo+ueio na 'ress"o de menor intensidade&
Muito utili,ada +uando / necessidade de en#iar sinais a um 'onto comum1 'ro#eniente de locais
di)erentes no circuito&
Válvula de Isolamento, Elemento "OU"
Simbologia
1 1
2
1 1
2
1 1
2

6igure $17 .ál>ula de i8olamento D O!


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 33 de 160
A
a0
12
1
2
3
a4
1
2
3
a2
1
2
3
a.02
1 1
2


6igura $$7 E;emplo de (ircuito com Elemento O!

*!$!*! +l#ula de Simultaneidade 6Elemento E7

Assim como na #/l#ula de isolamento1 tam.ém 'ossui tr6s ori)4cios no cor'o& A di)eren!a se d/
em )un!"o de +ue o 'onto de utili,a!"o ser/ atingido 'elo ar1 +uando duas 'ress*es1 simultaneamente
ou n"o1 cegarem nas entradas& A +ue 'rimeiro cegar1 ou ainda a de menor 'ress"o1 se
auto.lo+uear/1 dando 'assagem 'ara o outro sinal& 9"o utili,adas em )un!*es l2gicas ZE[1 .imanuais
sim'les ou garantias de +ue um determinado sinal s2 ocorra a'2s1 necessariamente1 dois 'ontos
estarem 'ressuri,ados&

O Primeiro Sinal se Autobloqueará…
…Para que Somente Quando Houver o Segundo Sinal
Haja Alimentação na Saída
Simbologia
1 1
2
1 1
2
1 1
2

6igure $37 .ál>ula de )imultaneidade D E


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 3+ de 160
A
a0
12
1
2
3
a2
1
2
3
a.02
1 1
2
a4
1
2
3

6igura $+7 E;emplo de (ircuito com Elemento E

C&;& 5ÁL5ULA9 8E CONTROLE 8E %LUIO

Em alguns casos1 é necess/ria a diminui!"o da +uantidade de ar +ue 'assa atra#és de uma
tu.ula!"o1 o +ue é muito utili,ado +uando se necessita regular a #elocidade de um cilindro ou )ormar
condi!*es de tem'ori,a!"o 'neum/tica& Huando se necessita in)luenciar o )lu0o de ar com'rimido1
este ti'o de #/l#ula é a solu!"o ideal1 'odendo ser )i0a ou #ari/#el1 unidirecional ou .idirecional&

Válvula de Controle de Fluxo Variável Bidirecional
Simbologia
1 2
2 1

6igura $,7 .ál>ula (ontrole de 6lu;o 4idirecional .ariá>el


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 3, de 160
Muitas #e,es1 o ar +ue 'assa atra#és de uma #/l#ula controladora de )lu0o tem +ue ser
#ari/#el con)orme as necessidades& O.ser#eKse a )igura1 a +uantidade de ar +ue entra 'or 7 ou ; é
controlada atra#és do 'ara)uso c^nico1 em rela!"o ] sua 'ro0imidade ou a)astamento do assento&
Conse+uentemente1 é 'ermitido um maior ou menor )lu0o de 'assagem.

*!%!$! +l#ula de Controle de 2lu)o ?nidirecional

Algumas normas classi)icam esta #/l#ula no gru'o de #/l#ulas de .lo+ueio 'or ser 4.rida1 ou
se-a1 num (nico cor'o unemKse uma #/l#ula de reten!"o com ou sem mola e em 'aralelo um
dis'ositi#o de controle de )lu0o1 com'ondo uma #/l#ula de controle unidirecional&

Possui duas condi!*es distintas em rela!"o ao )lu0o de ar3
'.(.1.1. Fl)*+ C+,-%+lad+

Em um sentido 'réK)i0ado1 o ar com'rimido é .lo+ueado 'ela #/l#ula de reten!"o1 sendo
o.rigado a 'assar restringido 'elo a-uste )i0ado no dis'ositi#o de controle&

Válvula de Controle de Fluxo Variável Unidirecional
Simbologia
1 2
2 1

6igura $67 .ál>ula de 6lu;o (ontrolado

'.(.1.(. Fl)*+ Liv%e

No sentido o'osto ao mencionado anteriormente1 o ar 'ossui li#re #a,"o 'ela #/l#ula de
reten!"o1 em.ora uma 'e+uena +uantidade 'asse atra#és do dis'ositi#o1 )a#orecendo o )lu0o&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 36 de 160
Válvula de Controle de Fluxo Variável Unidirecional
Simbologia
1 2
2 1

6igura $07 .ál>ula de 6lu;o &i>re

Estando o dis'ositi#o de a-uste totalmente )ecado1 esta #/l#ula 'assa a )uncionar como uma
#/l#ula de reten!"o& Huando se dese-am a-ustes )inos1 o elemento de controle de )lu0o é dotado de
uma rosca micrométrica +ue 'ermite este a-uste&

A
a.01
1
2
3
a.02
a0
12
2
3
14
1
5
4
a1
2
3
1
a2
2
3
1

6igura $'7 E;emplo de (ircuito com (ontrole de 6lu;o




Automação Pneumática e Eletropneumática Página 30 de 160
C&?& 5ÁL5ULA9 8E CONTROLE 8E PRE99ÃO

T6m 'or )un!"o in)luenciar ou serem in)luenciadas 'ela intensidade de 'ress"o de um
sistema&

*!&!$! +l#ula de Al3#io

Limita a 'ress"o de um reser#at2rio1 com'ressor1 lina de 'ress"o1 etc&1 e#itando a sua
ele#a!"o além de um 'onto ideal admiss4#el& Uma 'ress"o 'redeterminada é a-ustada atra#és de uma
mola cali.rada1 +ue é com'rimida 'or um 'ara)uso1 transmitindo sua )or!a so.re um 6m.olo e
mantendoKo contra uma sede& Ocorrendo um aumento de 'ress"o no sistema1 o 6m.olo é deslocado
de sua sede1 com'rimindo a mola e 'ermitindo contato da 'arte 'ressuri,ada com a atmos)era
atra#és de uma série de ori)4cios 'or onde é e0'ulsa a 'ress"o e0cedente& alcan!ando o #alor de
regulagem1 a mola recoloca automaticamente o 6m.olo na 'osi!"o inicial1 #edando os ori)4cios de
esca'e&
Válvula de Alívio
Simbologia
1
3
1
3
3

6igura $*7 .ál>ula de Al?>io
6. ./&.!&A) IRE(IONAI)

Para se tra!arem circuitos 'neum/ticos1 as #/l#ulas ganam re'resenta!*es es+uem/ticas1 +ue
'retendem simular seu )uncionamento interno1 'ouco tendo a #er1 'ortanto1 com seu 'rinc4'io
construti#o&




Automação Pneumática e Eletropneumática Página 3' de 160
As #/l#ulas direcionais s"o sem're re'resentadas 'or um retYngulo& K Este retYngulo é di#idido
em +uadrados& K O n(mero de +uadrados re'resentados na sim.ologia é igual ao n(mero de 'osi!*es
da #/l#ula1 re'resentando a +uantidade de mo#imentos +ue e0ecuta atra#és de acionamentos&




; Posi!*es ? Posi!*es

O n(mero de #ias é a +uantidade de cone0*es de tra.alo +ue a #/l#ula 'ossui& 9"o
consideradas como #ias a cone0"o de entrada de 'ress"o1 cone0*es de utili,a!"o e as de esca'e&

Para )/cil com'reens"o do n(mero de #ias de uma #/l#ula de controle direcional 'odemos
tam.ém considerar +ue3

↑ Passagem T Glo+ueio


D&7& I8ENTI%ICAÇÃO 8A9 5IA9 PNEUMÁTICA9

/!$!$! 'ireção de 2lu)o

Nos +uadros re'resentati#os das 'osi!*es1 encontramK se s4m.olos distintos3 As setas indicam
a interliga!"o interna das cone0*es1 mas n"o necessariamente o sentido de )lu0o&




6igura 307 ireção do 6lu;o
/!$!%! Passagem ;loqueada


6igura 317 Pa88agem 4lo=ueada



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 3* de 160
/!$!&! Escape @i#re

6igura 3$7 E8cape &i>re
/!$!(! Escape com Cone)ão


6igura 337 E8cape com (one;ão

Uma regra 'r/tica 'ara a determina!"o do n(mero de #ias consiste em se'arar um dos
+uadrados V'osi!"oW e #eri)icar +uantas #e,es oVsW s4m.oloVsW internoVsW tocaVmW os lados do +uadro1
o.tendoKse1 assim1 o n(mero de ori)4cios e em corres'ond6ncia o n(mero de #ias&

Pre)erencialmente1 os 'ontos de cone0"o de#er"o ser contados no +uadro da 'osi!"o inicial&
2 vias 3 vias


6igura 3+7 .ál>ula de $ e 3 .ia8


As 'rinci'ais normas seguidas no Grasil1 +ue di,em res'eito ] identi)ica!"o das #ias
'neum/ticas s"o a alem" 8IN V8eutsce NormenW ;A?@@ e a americana I9O VInternation Organi,ation
)or 9tandardi,ationW7;7> V'artes I e IIW&

Ta9ela $7 Identi:icação da8 .ia8 Pneumática8
Ori)4cio Norma 8IN ;A?@@ Norma I9O 7;7>
Press"o P 1
Utili,a!"o A B C 2 4 6
Esca'e R S T 3 5 7
Pilotagem X Y Z 10 12 14



Automação Pneumática e Eletropneumática Página +0 de 160
As #/l#ulas e as #ias identi)icadas3


6igura 3,7 .ál>ula8 e .ia8

Os n(meros relacionados ] norma I9O 7;7> signi)icam3

1 2 alimenta!"o3 ori)4cio de su'rimento 'rinci'al V'ress"oW&

$ 2 utili,a!"o1 sa4da3 ori)4cio de a'lica!"o em #/l#ulas de ;J;1 ?J; e ?J?&

$ e + 2 utili,a!"o1 sa4da3 ori)4cios de a'lica!"o em #/l#ulas AJ;1 AJ?1 CJ; e CJ?& A #ia A normalmente
)a, o a#an!o e a ; o retorno do cilindro&

3 K esca'e ou e0aust"o3 ori)4cios de li.era!"o do ar utili,ado em #/l#ulas ?J;1 ?J?1 AJ; e AJ?&

3 e , 2 esca'e ou e0aust"o3 ori)4cio de li.era!"o do ar utili,ado em #/l#ulas CJ; e CJ?&

Os ori)4cios de 'ilotagem s"o identi)icados da seguinte )orma3 7@1 7; e 7A& Estas re)er6ncias
.aseiamKse na identi)ica!"o do ori)4cio de alimenta!"o 7&

10 2 indica um ori)4cio de 'ilotagem +ue1 ao ser in)luenciado1 isola1 .lo+ueia1 o ori)4cio de alimenta!"o&

1$ 2 liga a alimenta!"o 7 com o ori)4cio de utili,a!"o ;1 +uando ocorrer o comando&

1+ 2 comunica a alimenta!"o 7 com o ori)4cio de utili,a!"o A1 +uando ocorrer a 'ilotagem&

P/ a norma 8IN ;A?@@ usa uma )orma literal 'ara a identi)ica!"o das #ias&

As letras re'resentam3

Lina de tra.alo Vutili,a!"oW3 AE 4E (

Cone0"o de 'ress"o Valimenta!"oW3 P


Automação Pneumática e Eletropneumática Página +1 de 160
Esca'e ao e0terior do ar com'rimido utili,ado 'elos e+ui'amentos 'neum/ticos Vesca'e1 e0aust"oW3
RE)ET

8renagem de l4+uido3 &

Lina 'ara transmiss"o da energia de comando Vlinas de 'ilotagemW3 -EFE G

Os esca'es s"o re'resentados tam.ém 'ela letra E1 seguida da res'ecti#a letra +ue identi)ica a
utili,a!"o Vnormas N&%&P&A&W& E0em'lo 3

EA 2 signi)ica +ue os ori)4cios em +uest"o s"o a e0aust"o do 'onto de utili,a!"o A&
E4 2 esca'e do ar utili,ado 'elo ori)4cio G& A letra 81 +uando utili,ada1 re'resenta ori)4cio de esca'e do
ar de comando interno&

D&;& NUMERAÇÃO 8O9 COMPONENTE9 PNEUMÁTICO91 NORMA I9O 7;7
/!%!$! 'esignação 8um,rica

Ta9ela 37 e8ignação Num<rica
BWAC&BW; &! *#=& X@.1$1! " &1! &/' -@! #.6 ! @*' &1! &%-! " " +' &
AMC&; M&! *#=&& R' 6 %' @! @*! " &1! &%' *F@#.$&P#.2.@1-' " Q&
AYAC&AY; &! *#=& E2! 6 ! @*' " &1! &#' @*-' 2! &
AZAC&AZ; &! *#=&& E2! 6 ! @*' " & 1! & ! @*-$1$& P7827( 2$" & $*( $1$" & 6 $@( $26 ! @*! & ' ( &
6 ! #$@.#$6 ! @*! Q&



/!%!%! 'esignação Alfab,tica

Ta9ela +7 e8ignação Al:a9<tica
345"64"$127" 8 , 9 : , ( $( 1$%"; $": , 1<( 2&) "
3=35"6=3"$127"" >&( %!; $!2?@%, %") 1&A) ; , %"( ) ": , %&*+, "; $"@$2?, "; , %"2&-&( ; @, %"34"$"64"
3=65"6=6"$127" >&( %!; $!2?@%, %") 1&A) ; , %"( ) ": , %&*+, "; $") A) ( *, "; , %"2&-&( ; @, %"34"$"64"





Automação Pneumática e Eletropneumática Página +$ de 160
D&?& 5ÁL5ULA9 ;J; 5IA9

Simbologia
1
2


6igura 367 .ál>ula $H$ .ia8 Acionada por Rolete

Simbologia
3 1
2


6igura 307 .ál>ula $H$ .ia8 Acionada por Pino








Automação Pneumática e Eletropneumática Página +3 de 160
D&A& 5ÁL5ULA9 ?J; 5IA9

Toda #/l#ula de#e ser 'ilotada em seus dois lados1 es+uerdo e direito1 ou se-a1 de#e ser 'oss4#el
se alcan!ar suas duas Vou maisW 'osi!*es& Uma #/l#ula com uma (nica 'osi!"o n"o seria uma #/l#ula e
sim uma cone0"o& Na #/l#ula re'resentada 'ela %igura a.ai0o1 'odeKse 'erce.er a 'ilotagem em
am.os os lados& No lado es+uerdo1 'or meio de um 'ino e no lado direito1 'or meio de uma mola&
Assim é +ue1 ao se 'ressionar o 'ino1 a 'osi!"o re'resentada 'elo 'rimeiro +uadrado no es+uema
sim.2lico é alcan!ada& Para +ue a #/l#ula retorne 'ara sua segunda 'osi!"o1 re'resentada 'elo
segundo +uadrado1 é necess/ria a e0ist6ncia da mola& M/ di#ersas maneiras de se )a,er uma
'ilotagem3 manual Vutili,ando .ot*es 'ulso1 tra#a1 mani#elaW1 mecYnica Vusando 'inos1 roletesW1
'neum/tica Vutili,ando uma #ia de 'assagem de arW e elétrica V'or meio de solen2idesW&

A %igura a.ai0o a'resenta uma #/l#ula ?J; #ias a#an!ada 'or 'ino e retornada 'or mola1 em
corte&

Válvula de Controle Direcional 3/2 Acionada por Piloto,
Retorno por Mola, N.F., Tipo Assento com Disco
Simbologia
3 1
2
12
12
12
3
3
2
2
1
1

6igura 3'7 .ál>ula 3H$ .ia8 Acionada por Piloto



Automação Pneumática e Eletropneumática Página ++ de 160
Válvula de Controle Direcional 3/2 Acionada por
Solenóide Direto, Retorno por Mola, N.F.
Simbologia
3 1
2
2 2
1 1
3 3


6igura 3*7 .ál>ula 3H$ .ia8 Acionada por )olenIide
Simbologia
3 1
2
3
1
2
1
3
2


6igura +07 .ál>ula 3H$ .ia8 Acionada por )olenIide Indireto


Automação Pneumática e Eletropneumática Página +, de 160

Válvula 3/2 Acionada por Duplo Piloto Positivo
Simbologia
3 1
2
2
12
12
3 1
2
3 1
10
10
12 10


6igura +17 .ál>ula 3H$ .ia8 Acionada por uplo Piloto8
A
a0
12 2
1 3
a2
2
1 3


6igura +$7 E;emplo de (ircuito com .ál>ula8 3H$ .ia8


No deseno a'resentado na %igura acima 'ode ser )acilmente #isto +ue o ar +ue cega na #ia
7 n"o é distri.u4do 'ara nenuma outra #ia1 o +ue est/ de acordo com a re'resenta!"o sim.2lica da
#/l#ula& P/ as #ias ; e ? inicialmente est"o se comunicando1 o +ue tam.ém est/ de acordo com a
re'resenta!"o& Huando o 'ino é 'ressionado 'ara .ai0o1 a mola se com'rime e o .atente +ue e#ita#a a


Automação Pneumática e Eletropneumática Página +6 de 160
'assagem de ar 'ara a #ia ; se a.re1 'ermitindo agora +ue o ar cegue até a #ia ;& 8i,Kse +ue a #/l#ula
)oi 'ilotada mecanicamente1 cegando ] segunda 'osi!"o da #/l#ula& Em conse+c6ncia1 isolaKse a #ia
?1 o +ue est/ con)orme a re'resenta!"o sim.2lica da #/l#ula& E sem're .om lem.rar +ue a mola é
camada de re'osi!"o 'or+ue1 +uando n"o ou#er mais uma )or!a mecYnica em'urrando o ei0o e
#encendo sua resist6ncia1 ela ser/ res'ons/#el 'elo retorno do ei0o ] sua 'osi!"o original& Na %igura ;
'ode ser #isto ainda +ue todas as #ias s"o de)inidas segundo as normas I9O e 8IN& E im'ortante +ue o
aluno se acostume a nomear todas as #ias1 'or+ue isso )acilita enormemente a montagem de circuitos
'neum/ticos na 'r/tica& Alguns softGares1 como o %luidsim1 -/ )a,em automaticamente esta
numera!"o& Ainda recordando1 a #ia 7 ou P é camada #ia de 'ress"o1 a ; ou A #ia de utili,a!"o e a ?
ou R é uma #ida de esca'e& A %igura acima a'resenta uma )oto de uma #/l#ula ?J; #ias& Como 'ode
ser 'erce.ido1 / um logoti'o no +ual est/ escrito Z%esto didatic[& A %esto é um dos maiores
)a.ricantes de com'onentes 'neum/ticos do mundo e ser/ )re+centemente citada nesta a'ostila1 'ois
a escola e as ind(strias da regi"o tra.alam 'rinci'almente com com'onentes deste )a.ricante&


6igura +37 .ál>ula 3H$ .ia8 4otão Pul8oH%ola

D&C& 5ÁL5ULA9 CJ; 5IA9

Na %igura a.ai0o1 'ode ser 'erce.ido +ue +uem )a, a mudan!a de uma 'osi!"o 'ara outra é
um ei0o& 9e este ei0o é em'urrado 'ara a direita1 temKse acesso a uma 'osi!"o da #/l#ula Vou se-a1 o ar
é direcionado 'ara um determinado lugarW e se deslocado 'ara a es+uerda temKse acesso a outra
'osi!"o da #/l#ula Vou se-a1 o ar é direcionado 'ara outro lugarW& A %igura A a'resenta uma #/l#ula
CJ; #ias +ue é 'ilotada em am.os os lados Ves+uerdo e direitoW 'elo ar& Esta #/l#ula é conecida como
CJ; #ias du'lo 'iloto& Pode ser 'erce.ida mais )acilmente agora a im'ortYncia da nomea!"o correta
das #ias1 -/ +ue a +uantidade delas aumentou considera#elmente& 9e o ei0o é 'ilotado 'ara o lado
es+uerdo 'or meio da #ia 7A1 ela 'ermanecer/ nesta 'osi!"o até +ue se-a en#iado ar 'ara a #ia 7;1 de
modo +ue ele retorne 'ara o lado direito& 8i,Kse +ue a #/l#ula mantém a 'osi!"o do (ltimo
acionamento e 'or isso as #/l#ulas du'lo 'iloto s"o tam.ém conecidas como Z5/l#ulas mem2ria[1 ou
se-a1 memori,am o (ltimo acionamento& 8i)erentemente das #/l#ulas com re'osi!"o 'or mola1 +ue


Automação Pneumática e Eletropneumática Página +0 de 160
sem're )a,em com +ue o ei0o retorne ] sua 'osi!"o inicial& Na %igura A1 'ode ser 'erce.ido +ue o ar
est/ 'assando da #ia 7 'ara a #ia ;1 signi)icando +ue a #/l#ula est/ na 'osi!"o ;1 ou se-a1 no +uadrado
da direita& Ao ser 'ilotada 'ela #ia 7;1 'odeKse 'erce.er +ue o ar 'assar/ da #ia 7 'ara a #ia A& A
#/l#ula est/ na 'osi!"o 71 re'resentada 'elo +uadrado da es+uerda&
Simbologia
3 5
4 2
1
5 1 3 5 1 3
4 2 4 2
14 12 14 12
14 12

6igura ++7 .ál>ula ,H$ .ia8 Acionada com uplo Piloto
A
14 12
a0
5
2 4
3
1
a2
2
3 1
a1
2
3 1

6igura +,7 E;emplo de (ircuito com .ál>ula ,H$ .ia8

O ar +ue cega ]s #ias ; ou A1 na %igura AA1 s"o utili,ados1 'or e0em'lo1 'ara deslocar um
cilindro 'ara a es+uerda ou 'ara a direita& E0istem dois ti'os 'rinci'ais de cilindros1 os de sim'les e
os de du'la a!"o e am.os 'odem ser deslocados com esta #/l#ula& A #/l#ula é sim'lesmente um
dis'ositi#o res'ons/#el 'elo direcionamento do ar& Ora o ar #em da #ia 7 'ara a ; e em outro
momento da #ia 7 'ara a #ia A1 .astando 'ara tanto deslocar o carretel 'rinci'al&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página +' de 160
E im'ortante ressaltar +ue1 de acordo com a %igura AA1 a #ia 7 n"o tem nenuma rela!"o com a
#ia 7; ou 7A1 em.ora o ar +ue 'assa 'or estas #ias 'ro#ena do mesmo com'ressor1 do mesmo
gerador de ar so. 'ress"o& Ao relacionar a #/l#ula em corte com seu s4m.olo1 cegaKse ] conclus"o
+ue a mudan!a de uma 'osi!"o 'ara outra se d/ de#ido ao deslocamento do ei0o 'rinci'al& Este
deslocamento1 re)or!ando1 no caso desta #/l#ula du'lo 'iloto1 é )eito 'or tomadas de ar N #ias 7; e 7A&

A %igura a.ai0o a'resenta uma )oto de uma #/l#ula CJ; #ias du'lo 'iloto&


6igura +67 .ál>ula ,H$ .ia8 uplo Piloto

D&D& 5ÁL5ULA9 ?J? 5IA9

Com as mesmas cone0*es de uma ?J;1 é acrescida de uma 'osi!"o camada Centro1 Posi!"o
Neutra ou Intermedi/ria1 )ornecendo outras caracter4sticas ] #/l#ula& E0istindo ? 'osi!*es1 o ti'o de
acionamento ter/ +ue 'ossuir tr6s mo#imentos1 'ara +ue se 'ossa utili,ar de todos os recursos da
#/l#ula& O centro de uma 5&8& ?J? normalmente é C&%& Vcentro )ecadoW& Nesta 'osi!"o1 todas as
cone0*es1 sem e0ce!"o1 est"o .lo+ueadas& Este ti'o de centro 'ermite im'or 'aradas intermedi/rias
em cilindros de 9&E&1 mas sem condi!*es 'recisas&

A comunica!"o entre ori)4cios é conseguida atra#és do distri.uidor a0ial1 +ue se desloca no
interior da #/l#ula1 comunicando os ori)4cios de acordo com seu deslocamento1 e)etuado 'elo
acionamento& Pode ser comandada 'or acionamento muscular1 elétrico ou 'neum/tico e di)icilmente
'or mecYnico&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página +* de 160
Simbologia
3 1
2
1 2 3

6igura +07 .ál>ula de (ontrole irecional 3H3 .ia8 Acionada por Ala>anca

A Posi!"o Neutra é conseguida 'or3

J (entragem por mola8 ou ar comprimido K eliminaK do o e)eito so.re o acionamento1 o carretel é
centrado atra#és da 'ress"o do ar com'rimido ou 'or )or!a da mola1 sendo mantido até +ue o
camino se 'rocesse&

J Tra>amento K utili,ado geralmente com acionamento muscular&

Acionada a #/l#ula1 atra#és de um dis'ositi#o de es)eras ou atrito1 o carretel é retido na
'osi!"o de mano.ra& Para coloc/Klo em outra 'osi!"o ou no centro1 é necess/ria a in)lu6ncia umana1
+ue #ence a reten!"o im'osta1 deslocando o distri.uidor 'ara a 'osi!"o dese-ada& O mesmo critério é
em'regado +uando s"o #/l#ulas AJ? ou CJ?&

D&F& 5ÁL5ULA9 CJ? 5IA9


Uma #/l#ula CJ? C&%& VCentro %ecadoW& E utili,ada 'ara im'or 'aradas intermedi/rias& A
#/l#ula CJ? C&A&N& VCentro A.erto Negati#oW1 onde todos os 'ontos de utili,a!"o est"o em
comunica!"o com a atmos)era1 e0ceto a 'ress"o1 +ue é .lo+ueada\ utili,ada +uando se dese-a
'aralisar um cilindro sem resist6ncia e selecionar dire!*es de )lu0o 'ara circuitos&


Na #/l#ula de CJ? C&A&P& VCentro A.erto Positi#oW1 os 'ontos de utili,a!"o est"o em


Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,0 de 160
comunica!"o com a alimenta!"o1 e0ceto os 'ontos de e0aust"o& Utili,ada +uando se dese-a 'ress"o
nas duas cone0*es de alimenta!"o do cilindro& A comunica!"o entre as cone0*es é conseguida atra#és
de canais internos&

%acilita a manuten!"o1 de#ido ] sua )orma construti#a e contém uma m4nima +uantidade de
'e!as )acilmente su.stitu4#eis na 'r2'ria instala!"o& Pode ser instalada em 'ainéis com sa4das laterais
ou 'ela .ase e 'ossi.ilita sua utili,a!"o como ?J?1 e)etuandoKse um 'e+ueno .lo+ueio com tam'"o
em um dos 'ontos de utili,a!"o&

Simbologia
3 5
2 4
1
5 1 3
5 1 3
4 2
14 12
14 12

6igura +'7 .ál>ula ,H3 .ia8 upla Pilotagem com Retorno por %ola

Simbologia
3 5
2 4
1
5 4 1 2 3
D D D D
X

6igura +*7 .ál>ula ,H3 .ia8 upla Pilotagem com Tra>a



Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,1 de 160
0. AT!AORE) PNE!%/TI(O



6igura ,07 Atuadore8 Pneumático8

5eremos agora como ele é colocado 'ara tra.alar& Na determina!"o e a'lica!"o de um
comando1 'or regra geral1 se conece inicialmente a )or!a ou tor+ue de a!"o )inal re+uerida1 +ue de#e
ser a'licada em um 'onto determinado 'ara se o.ter o e)eito dese-ado& E necess/rio1 'ortanto1 dis'or
de um dis'ositi#o +ue con#erta em tra.alo a energia contida no ar com'rimido& Os con#ersores de
energia s"o os dis'ositi#os utili,ados 'ara tal )im&

Num circuito +ual+uer1 o con#ersor é ligado mecanicamente ] carga& Assim1 ao ser in)luenciado
'elo ar com'rimido1 sua energia é con#ertida em )or!a ou tor+ue1 +ue é trans)erido 'ara a carga&

F&7& CLA99I%ICAÇÃO 8O9 CON5ER9ORE9 8E ENER$IA

Est"o di#ididos em tr6s gru'os3

K Mo#imentos Lineares
K Mo#imentos Rotati#os
K Mo#imentos Oscilantes


Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,$ de 160
1!$!$! @ineares

9"o constitu4dos de com'onentes +ue con#ertem a energia 'neum/tica em mo#imento linear
ou angular& 9"o re'resentados 'elos Cilindros Pneum/ticos& 8e'endendo da nature,a dos
mo#imentos1 #elocidade1 )or!a1 curso1 a#er/ um mais ade+uado 'ara a )un!"o&

1!$!%! -otati#os

Con#ertem energia 'neum/tica em energia mecYnica1 atra#és de momento torsor cont4nuo&

1!$!&! >scilantes

Con#ertem energia 'neum/tica em energia mecYnica1 atra#és de momento torsor limitado
'or um determinado n(mero de graus&

F&;& TIPO9 8E CILIN8RO9 PNEUMÁTICO9

Os cilindros se di)erenciam entre si 'or detales construti#os1 em )un!"o de suas
caracter4sticas de )uncionamento e utili,a!"o& Gasicamente1 e0istem dois ti'os de cilindros3

K 9im'les E)eito ou 9im'les A!"o
K 8u'lo E)eito ou 8u'la A!"o1 com e sem amortecimento& Além de outros ti'os de constru!"o
deri#ados como3
K Cilindro de 8&A& com aste du'la
K Cilindro du'le0 cont4nuo VTandemW
K Cilindro du'le0 geminado Vm(lti'las 'osi!*esW
K Cilindro de im'acto K Cilindro de tra!"o 'or ca.os

1!%!$! Cilindros de Simples Ação ou Simples Efeito


Rece.e esta denomina!"o 'or+ue utili,a ar com'rimiK do 'ara condu,ir tra.alo em um (nico
sentido de mo#imento1 se-a 'ara a#an!o ou retorno&




Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,3 de 160
Este ti'o de cilindro 'ossui somente um ori)4cio 'or onde o ar entra e sai do seu interior1
comandado 'or uma #/l#ula& Na e0tremidade o'osta ] de entrada1 é dotado de um 'e+ueno ori)4cio
+ue ser#e de res'iro1 #isando im'edir a )orma!"o de contra'ress"o internamente1 causada 'elo ar
residual de montagem& O retorno1 em geral1 é e)etuado 'or a!"o de mola e )or!a e0terna& Huando o ar
é e0aurido1 o 'ist"o Vaste U 6m.oloW #olta 'ara a 'osi!"o inicial&

Cilindro Simples Ação Retorno por Mola Cilindro de Simples Ação com Avanço por Mola e Retorno por
Ar Comprimido
Cilindro Simples
Ação Retorno por Força Externa
Simbologia
Simbologia Simbologia
P
Vent.


6igura ,17 (ilindro de )imple8 Ação

O atuador da %igura acima 'ossui somente uma #ia de 'assagem de ar1 conecida como #ia de
a#an!o& O retorno do cilindro é )eito 'or meio de uma mola& Assim +ue a 'assagem de ar )or
interrom'ida1 a mola )ar/ com +ue o atuador retorne ] sua 'osi!"o original& Estes cilindros s"o mais
utili,ados em con-unto com #/l#ulas ?J; #ias1 +ue 'ossuem somente uma #ia de utili,a!"o1 como ser/
ilustrado adiante&








Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,+ de 160
1!%!%! Cilindros de 'upla Ação ou 'uplo Efeito

Huando um cilindro 'neum/tico utili,a ar com'rimido 'ara 'rodu,ir tra.alo em am.os os
sentidos de mo#imento Va#an!o e retornoW1 di,Kse +ue é um cilindro de 8u'la A!"o1 o ti'o mais
comum de utili,a!"o& 9ua caracter4stica 'rinci'al1 'ela de)ini!"o1 é o )ato de se 'oder utili,ar tanto o
a#an!o +uanto o retorno 'ara desen#ol#imento de tra.alo& E0iste1 'orém1 uma di)eren!a +uanto ao
es)or!o desen#ol#ido3 as /reas e)eti#as de atua!"o da 'ress"o s"o di)erentes\ a /rea da cYmara
traseira é maior +ue a da cYmara dianteira1 'ois nesta / +ue se le#ar em conta o diYmetro da aste1
+ue im'ede a a!"o do ar so.re toda a /rea& O ar com'rimido é admitido e li.erado alternadamente
'or dois ori)4cios e0istentes nos ca.e!otes1 um no traseiro e outro no dianteiro +ue1 agindo so.re o
6m.olo1 'ro#ocam os mo#imentos de a#an!o e retorno& Huando uma cYmara est/ admitindo ar a
outra est/ em comunica!"o com a atmos)era& Esta o'era!"o é mantida até o momento de in#ers"o da
#/l#ula de comando\ alternando a admiss"o do ar nas cYmaras1 o 'ist"o se desloca em sentido
contr/rio&
Cilindro de Dupla Ação
Simbologia

6igura ,$7 (ilindro de upla Ação





Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,, de 160
No atuador re'resentado na %igura acima 'odeKse 'erce.er a e0ist6ncia de duas #ias1 uma
res'ons/#el 'elo a#an!o do cilindro e outra 'or seu retorno& Estes cilindros s"o comumente
utili,ados em con-unto com #/l#ulas CJ; #ias1 +ue 'ossuem duas sa4das de ar 'ara utili,a!"o1 como )oi
mostrado anteriormente&

Para se )a,er o a#an!o e retorno deste cilindro s"o necess/rias duas tomadas de ar1 uma no
a#an!o1 +ue 'reencer/ a cYmara de a#an!o e outra de retorno1 +ue 'reencer/ a cYmara de retorno&
Entretanto1 tal a#an!o e retorno 'odem ser )eitos de #/rias maneiras1 utili,ando #/l#ulas ?J; #ias1
uma no a#an!o e outra no retorno1 utili,ando uma #/l#ula AJ; #ias ou CJ; #ias ou mesmo CJ? #ias1
de'endendo das necessidades do 'ro-eto1 ou da m/+uina1 ou do 'rocesso +ue se dese-a automati,ar&
Ali/s1 nesta mesma lina1 n"o se 'ode di,er +ue uma #/l#ula ?J; #ias )oi 'ro-etada e0clusi#amente
'ara mo#imentar cilindros de sim'les a!"o& Tam'ouco 'odeKse a)irmar +ue uma #/l#ula CJ; )oi
desenada e0clusi#amente 'ara a mo#imenta!"o de cilindros de du'la a!"o&

A %igura a.ai0o a'resenta a )oto de um cilindro de du'la a!"o&


6igura ,37 (ilindro upla Ação















Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,6 de 160
'. %1TOO INT!ITI.O

Unidade de Transferência de Produto
A
B
Remoção e Transporte
Entrada de Produtos
Unidade de Estocagem
Unidade de
Remoção e
Empilhamento
B+
D-
D
a0
a1
t1
t3
t2
d1
b0
b1


6igura ,+7 %<todo Intuiti>o

<&7& REPRE9ENTAÇÃO 8O9 MO5IMENTO9

Huando os 'rocedimentos de comando s"o um 'ouco mais com'licados1 e de#emKse re'arar
instala!*es de certa en#ergadura1 é de grande a-uda 'ara o técnico de manuten!"o dis'or dos
es+uemas de comando1 e se+c6ncias1 segundo o desen#ol#imento de tra.alo das m/+uinas&

A necessidade de re'resentar as se+c6ncias dos mo#imentos de tra.alo1 e de comando1 de
maneira )acilmente #is4#el1 n"o necessita de maiores esclarecimentos&

Assim +ue e0istir um 'ro.lema mais com'le0o1 os mo#imentos ser"o reconecidos r/'ida e
seguramente1 se )or escolida uma )orma con#eniente de re'resenta!"o dos mo#imentos& Além disso1
uma re'resenta!"o clara 'ossi.ilita uma com'reens"o .em melor&

Com au04lio de um e0em'lo1 'retendeKse a'resentar as 'ossi.ilidades de re'resenta!"o mais
utili,adas&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,0 de 160
E0em'lo3 Pacotes +ue cegam 'or uma esteira trans'ortadora de rolos s"o le#antados e
em'urrados 'ela aste de cilindros 'neum/ticos 'ara outra esteira trans'ortadoK ra& 8e#ido a
condi!*es de 'ro-eto1 a aste do segundo cilindro s2 'oder/ retornar a'2s a aste do 'rimeiro ter
retornado&

<&;& %ORMA9 8E REPRE9ENTAÇÃO

4!%!$! SeqABncia Cronol:gica

Maste do cilindro A a#an!a e ele#a o 'acote&
Maste do cilindro G a#an!a e em'urra o 'acote 'ara a esteira II&
Maste do cilindro A retorna ] sua 'osi!"o inicial&
Maste do cilindro G retorna ] sua 'osi!"o inicial&

4!%!%! Indicação em 2orma de Cabela

Ta9ela ,7 %o>imento de (ilindro8 em 6orma da Ta9ela
Movimento Cilindro A Cilindro B
1 avança parado
2 parado avança
3 retorna parado
4 parado retorna



4!%!&! Indicação +etorial

avanço
retorno
cilindro A
cilindro B
cilindro A
cilindro B


6igura ,,7 Indicação .etorial do8 %o>imento do8 cilindro8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,' de 160
4!%!(! Indicação Alg,brica

avanço +
retorno –
cilindro A +
cilindro B +
cilindro A – ou A+B+A-B-
cilindro B –

6igura ,67 Indicação Alg<9rica

<&?& 8IA$RAMA 8E MO5IMENTO9

4!&!$! 'iagrama CraDetoEPasso


Neste caso se re'resenta a se+c6ncia de mo#imentos de um elemento de tra.alo\ le#andoK
se ao diagrama os mo#imentos e as condi!*es o'eracionais dos elementos de tra.alo& Isto é )eito
atra#és de duas coordenadas1 uma re'resenta o tra-eto dos elementos de tra.alo1 e a outra o 'asso
Vdiagrama tra-etoK'assoW&

passos trajeto
Avançado
CilindroA
Recuado
1 5 4 3 2

6igura ,07 iagrama TraKeto2Pa88o um (ilindro






Automação Pneumática e Eletropneumática Página ,* de 160
9e e0istem di#ersos elementos de tra.alo 'ara um comando1 estes ser"o re'resentados da
mesma )orma e desenados uns so. os outros& A ocorr6ncia atra#és de 'assos&

8o 'rimeiro 'asso até o 'asso ; a aste de cilindro a#an!a da 'osi!"o )inal traseira 'ara a
'osi!"o )inal dianteira1 sendo +ue esta é alcan!ada no 'asso ;& A 'artir do 'asso A1 a aste do cilindro
retorna e alcan!a a 'osi!"o )inal traseira no 'asso C&

Avançado
Cilindro A
Recuado
1 5 4 3 2
1
0
1
0
Avançado
Cilindro B
Recuado


6igura ,'7 iagrama TraKeto2Pa88o doi8 (ilindro8

4!&!%! 'iagrama CraDeto F Cempo

Neste diagrama1 o tra-eto de uma unidade construti#a é desenado em )un!"o do tem'o1
contrariamente ao diagrama tra-etoK'asso& Neste caso o tem'o é desenado e re'resenta a uni"o
cronol2gica na se+c6ncia1 entre as distintas unidades&

1
1
0
0
Tempo
5=1

6igura ,*7 iagrama TraKeto2Tempo


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 60 de 160
Para re'resenta!"o gr/)ica1 #ale a'ro0imadamente o mesmo +ue 'ara o diagrama tra-etoK
'asso1 cu-a rela!"o est/ clara atra#és das linas de uni"o Vlina dos 'assosW1 sendo +ue as distYncias
entre elas corres'ondem ao res'ecti#o 'er4odo de dura!"o do tra-eto na escala de tem'o escolida&

En+uanto o diagrama tra-etoK'asso o)erece uma melor #is"o das tra-et2rias1 e suas
correla!*es1 no diagrama tra-etoKtem'o 'odeKse re'resentar com mais clare,a as di)erentes
#elocidades de tra.alo&

4!&!&! 'iagrama de Comando


No diagrama de comando1 anotamKse os estados de comuta!"o dos elementos de entrada de
sinais e dos elementos de 'rocessamento de sinais1 so.re os 'assos1 n"o considerando os tem'os de
comuta!"o1 'or e0em'lo1 o estado das #/l#ulas Za7[&

Fechada
Aberta
passos trajeto
1 5 4 3 2 6

6igure 607 iagrama de (omando
*. (IR(!ITO) PNE!%/TI(O)


Um dos circuitos mais ./sicos de 'neum/tica 'ode ser constru4do com um cilindro de
sim'les a!"o e uma #/l#ula ?J; #ias acionada 'or um .ot"o e retornada 'or mola1 con)orme ilustra a
%igura D7& O comando é dito direto 'or+ue assim +ue )or 'ressionado o .ot"o 'ulso da #/l#ula ?J;
#ias1 o ar é li.erado diretamente 'ara o cilindro1 'ara +ue ele a#ance1 sem a necessidade de uma outra
#/l#ula intermedi/ria&




Automação Pneumática e Eletropneumática Página 61 de 160
9
F 7
QRF
FD
FG

6igura 617 (ircuito 1 D Atuação de um (ilindro de )imple8 Ação

O )uncionamento deste circuito é sim'les3 ao 'ressionarmos o .ot"o 'ulso 791 a #/l#ula ?J;
#ias é 'ilotada1 )a,endo com +ue o ar alimente a cYmara de entrada do cilindro& A )or!a desse ar #ence
a )or!a de resist6ncia da mola e o cilindro continua a#an!ando até o )im de seu curso ou até +ue o
.ot"o da #/l#ula este-a 'ressionado& 9e retirarmos o dedo do .ot"o1 a mola 'resente na #/l#ula )ar/
com +ue ela retorne ] sua 'osi!"o original1 im'edindo a 'assagem de ar 'ara o cilindro& 9em ar na
cYmara de alimenta!"o1 a mola )ar/ com +ue o atuador retorne ] sua 'osi!"o original& 9e construirmos
um circuito com comando indireto1 tal 'ro.lema 'oder/ ser resol#ido& Neste no#o diagrama
'neum/tico1 uma #/l#ula ?J; #ias1 acionada 'or .ot"o e retornada 'or mola1 'ilota uma #/l#ula ?J;
#ias du'lo 'iloto1 o +ue garante +ue o cilindro de sim'les a!"o cegue até o )inal de seu curso& O
retorno do cilindro 'ode ser )eito 'or meio de uma outra #/l#ula ?J; #ias acionada 'or .ot"o e
retornada 'or mola ou ent"o 'or um )imKdeKcurso do ti'o rolete1 con)orme 'ode ser #isto nas %iguras
D; e D?1 res'ecti#amente&
!
@
< E
< L
<=<
@
< E
@
< E
<=@
< M


6igura 6$7 (ircuito $ D (ircuito de Pilotagem de um (ilindro de )imple8 Ação


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 6$ de 160
O cilindro da %igura D; a#an!ar/ +uando 'ressionado o .ot"o 'ulso 797 e continuar/
a#an!ando até +ue se-a 'ressionado o .ot"o 79;1 usado 'ara +ue o cilindro retorne 'ara sua 'osi!"o
inicial&
!
@
< E
< L
<=<
@
< E
@
< E
<=@
< M
<=@

6igura 637 (ircuito 3 2 (iclo Lnico de um (ilindro de )imple8 Ação .ál>ula 3H$ .ia8

Neste (ltimo caso1 +uando o cilindro VatuadorW cegar ao )inal de seu curso1 ir/ acionar
mecanicamente o rolete 79;1 da #/l#ula ?J; #ias roleteJmola1 n"o a#endo necessidade da
inter#en!"o do o'erador 'ara o retorno do cilindro& A #/l#ula 79; 'ilotar/ o lado direito da #/l#ula
751 de modo +ue cesse a alimenta!"o de ar 'ara o cilindro 7A&

PodeKse 'erce.er +ue1 no caso de um atuador de sim'les a!"o1 é normal a utili,a!"o de uma
#/l#ula ?J; #ias1 +ue 'ossui somente uma #ia de utili,a!"o de ar& O cilindro de sim'les a!"o necessita
de ar somente 'ara seu a#an!o1 o retorno 'ode ser reali,ado 'or meio da mola em seu interior&
Entretanto1 n"o / nada +ue im'e!a o o'erador de utili,ar uma #/l#ula CJ; #ias ou uma AJ; #ias&
E#identemente1 estar/ ciente +ue des'erdi!a uma #ia1 a de retorno& Em caso de urg6ncia1 'or
e0em'lo1 numa )/.rica em +ue / a.undYncia de #/l#ulas CJ; #ias 'ara re'osi!"o e escasse, de
#/l#ulas ?J; #ias1 'odeKse recorrer a tal arti)4cio1 trans)ormando uma #/l#ula CJ; #ias du'lo 'iloto em
uma ?J; #ias du'lo 'iloto1 tam'andoKse uma das #ias de utili,a!"o1 con)orme 'ode ser #isto na %igura
DA&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 63 de 160
)
A
. ?
. 8
. U.
A
. ?
. UA
. /
. UA
F A
E
.
?

6igura 6+7 (ircuito + 2 (iclo Lnico de um (ilindro de )imple8 Ação .ál>ula ,H$ .ia8

Utili,andoKse atuadores de du'la a!"o1 / a necessidade de en#io de ar 'ara a cYmara +ue )a,
o a#an!o do cilindro e de'ois 'ara a cYmara de retorno& Tal )ornecimento de ar 'ode ser )eito 'or
duas #/l#ulas ?J; #ias ou 'or uma (nica #/l#ula CJ; #ias& No circuito da %igura DC1 uma #/l#ula ?J;
#ias .ot"oJmola é utili,ada 'ara se )a,er o a#an!o do cilindro e outra id6ntica 'ara seu retorno&
En+uanto esti#er sendo )ornecido ar 'ara o atuador1 ele continuar/ a#an!ando& O a#an!o é
interrom'ido1 'ortanto1 assim +ue o .ot"o )or desacionado Vou se-a1 +uando o o'erador retirar o dedo
da #/l#ula 797W& Para +ue o cilindro retorne / a necessidade de se 'ressionar o .ot"o da #/l#ula 79;1
con)orme 'ode ser #isto na %igura DC&
!
)
( I
( +
( Q(
)
( I
( Q)

6igure 6,7 (ircuito , 2 A>anço e Retorno de um (ilindro de upla Ação

O 'r20imo circuito utili,a um atuador de du'la a!"o e uma #/l#ula CJ; #ias .ot"o
tra#aJmola& A+ui o cilindro a#an!ar/ assim +ue o .ot"o )or 'ressionado e continuar/ a#an!ando até o


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 6+ de 160
)im de seu curso1 a menos +ue o o'erador 'ressione no#amente o .ot"o tra#a1 )a,endo com +ue a
#/l#ula CJ; #olte ] sua 'osi!"o original1 )ornecendo ar 'ara o retorno do cilindro& PodeKse 'erce.er1
'ortanto1 +ue 'ara o retorno do atuador1 o .ot"o tra#a de#e ser destra#ado&

M )
=
(
I
( +
( Q

6igura 667 (ircuito 6 2 A>anço e Retorno de um (ilindro de upla Ação

O a#an!o de um cilindro de du'la a!"o 'ode ser comandado de dois lugares di)erentes1 ou
se-a1 dois .ot*esK'ulso 'odem ser 'osicionados em cYmaras distintas e e)etuarem a mesma o'era!"o1
con)orme ilustra a %igura DF& Para tanto se utili,a uma #/l#ula ZOU[& O retorno de#er/ ser )eito 'or
meio de uma #/l#ula ?J; #ias .ot"oJmola&

( B
L
( J
( (
L
L
( J
L
( J
( R( ( RL
( RJ
SF

6igura 607 (ircuito 0 D !m (ilindro de upla Ação Acionado de &ugare8 i8tinto8




Automação Pneumática e Eletropneumática Página 6, de 160

O comando do atuador da %igura DF é conecido como diretoE 'or+ue o ar é en#iado do .ot"o
'ulso diretamente 'ara as cYmaras do cilindro1 sem a necessidade das #/l#ulas direcionais&

A %igura D< a'resenta um deseno em corte de uma #/l#ula ZOU[&

1 1
2

6igura 6'7 .ál>ula O!

Na %igura D<1 o ar +ue 'assa 'ela #ia 7 ou I1 desloca o 'e+ueno 6m.olo 'ara a direita1 de modo
+ue a 'assagem de ar da #ia ? ou d 'ara a #ia ; ou A se-a tam'ada e o ar 'asse 'ara a #ia ; ou A1 de
utili,a!"o1 'ara +ue e)etue algum tra.alo& 8a mesma maneira1 se o ar 'assar 'ela #ia ? ou d1 o
6m.olo ser/ deslocado 'ara a es+uerda1 de modo +ue a 'assagem de ar da #ia 7 ou I 'ara a #ia ; ou A
se-a im'edida& Esta #/l#ula é conecida como ZOU[ 'or+ue o ar 'assar/ 'ara a #ia ; se #ier tanto da
#ia 7 OU da #ia ?& Caso o ar #ena simultaneamente 'ara as #ias 7 e ?1 o ar 'assar/ normalmente 'ara
a #ia ;& Entretanto1 o circuito mais comum é a+uele +ue )a, um ciclo inteiro sem a necessidade de
inter#en!"o do o'erador1 ou se-a1 o retorno do cilindro a'2s atingir o )inal de seu curso é reali,ado
automaticamente 'or algum com'onente no 'r2'rio circuito& Este com'onente é um )imKdeKcurso1
+ue 'ode ser do ti'o rolete ou do ti'o sensor& A %igura D> ilustra um circuito desse ti'o& Como / a
necessidade de uma #/l#ula direcional1 +ue direciona o ar 'ara o atuador1 camamos tal comando de
indireto&
#
3 D
6
3 !
6
3 !
3U6
3U3
V 6
Q
3
!
3U6
3 N

6igura 6*7 (ircuito ' D (iclo Lnico de um (ilindro de upla Ação (omando Indireto


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 66 de 160
O diagrama 'neum/tico da %igura D> ilustra um ciclo (nico de um cilindro de du'la a!"o& E se
+uiséssemos um atuador +ue reali,e um ciclo cont4nuo ilimitadoe A solu!"o seria sim'lesmente
su.stituir a #/l#ula ?J; #ias .ot"o 'ulsoJmola 'or uma #/l#ula ?J; #ias .ot"o tra#aJmolae 5e-a esta
solu!"o a'resentada na %igura F@& E im'ortante ressaltar +ue mesmo +ue o .ot"o 'ulso se-a
des'ressionado antes +ue o atuador alcance o )inal de seu ciclo1 o cilindro continuar/ a#an!ando1 uma
#e, +ue a #/l#ula direcional CJ; #ias du'lo 'iloto1 uma #e, )ornecido ar 'ara uma de suas 'ilotagens1
'ermanece nesta 'osi!"o& Por isso é tam.ém conecida como Z>ál>ula memIria[1 -/ +ue memori,a o
(ltimo acionamento&
!
APQ
( ?
E
( L
E
( L
( BE
( B(
R E
C
(
L
( BE
( S

6igura 007 (ircuito * D (ircuito Incorreto de (iclo (ontinuo D )imulado .ia )o:tMare

No circuito da %igura F@1 o cilindro n"o reali,ar/ um ciclo cont4nuo ilimitado& Ao
'ressionarmos o .ot"o tra#a da #/l#ula 7971 ela 'ilotar/ a #/l#ula direcional CJ; #ias1 +ue )ar/ com
+ue o atuador a#ance& Ao cegar ao )inal de seu ciclo1 'ressionar/ a #/l#ula 79;1 +ue en#iar/ ar 'ara o
retorno da #/l#ula direcional& Entretanto1 a #/l#ula 7&; ainda est/ acionada1 en#iando ar no sentido
contr/rio1 o +ue )a, com +ue a #/l#ula CJ; #ias 'ermane!a 'arada e conse+centemente com +ue o
cilindro n"o retorne& E necess/rio1 'ortanto1 +ue se-a adicionado um com'onente1 +ue retire o ar +ue
'ilote a #/l#ula direcional CJ; #ias 'ela es+uerda +uando o cilindro cegar ao )im de seu curso e
acionar 7&?1 'ara e#itar o +ue camamos de contrapre88ão& Tal circuito é ilustrado na %igura F7&




Automação Pneumática e Eletropneumática Página 60 de 160
!
( F
>
( <
>
( <
( @<
( @(
L >
M
(
<
( @> ( @<
( N
>
( <
( @>

6igura 017 (ircuito 10 2 (iclo Ilimitado de (ilindro de upla Ação

No circuito da %igura F71 a #/l#ula ?J; #ias roleteJmola 79;1 res'ons/#el 'elo a#an!o do
cilindro est/ em contato com o atuador1 como 'ode ser #isto 'ela /rea acurada do lado do rolete1 o
+ue 'ermite a 'assagem de ar +uando )or 'ressionado o .ot"o tra#a da #/l#ula ?J; #ias 7971
'ilotando desta )orma a #/l#ula direcional e 'ermitindo o a#an!o do atuador& Assim +ue o cilindro
'artir1 a #/l#ula 79; n"o estar/ mais em contato com o ca.e!ote do cilindro1 retornando1 'ortanto1 ]
sua 'osi!"o original V+ue é Normalmente %ecada N N%W1 como 'ode ser 'erce.ido 'or meio da %igura
F;&
!
: OP( E><
( F
>
( <
>
( <
( @<
( @(
L >
M
(
<
( @> ( @<
( N
>
( <
( @>

6igura 0$7 (ircuito 11 2 (iclo Ilimitado de (ilindro de upla Ação 2 )imulado .ia )o:tMare


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 6' de 160
8e acordo com a %igura F;1 +uando o cilindro atingir a #/l#ula 79?1 li.erando o ar 'ara a
'ilotagem direita da #/l#ula direcional CJ; #ias1 n"o a#er/ mais ar 'ilotando o lado es+uerdo da
#/l#ula1 'ermitindo +ue a #/l#ula direcional retorne ] sua 'osi!"o original e +ue o cilindro recue1
com'letando o ciclo& O ciclo ser/ reiniciado automaticamente +uando o atuador recuar
com'letamente1 'ressionado o rolete da #/l#ula 79;1 'ermitindo no#amente a 'ilotagem es+uerda da
#/l#ula direcional1 )ormando o ciclo cont4nuo&

A+ui se torna necess/ria uma 'ausa 'ara +ue se 'ossa e0'licar a numera!"o das #/l#ulas&
8esde o circuito da %igura D> +ue o leitor 'assou a con#i#er com os n(meros 79; E 79?& Mas o +ue
signi)icame A numera!"o das #/l#ulas é im'ortante 'ara +ue se 'ossam relacionar os n(meros +ue
)icam ao lado do cilindro com as #/l#ulas +ue est"o no circuito1 'ilotando outras #/l#ulas& Na %igura
F71 é a )orma de se sa.er +ue a designa!"o 79? no )im do curso do cilindro corres'onde ] #/l#ula da
direita1 +ue 'ilota o retorno da #/l#ula direcional CJ; #ias& Esta numera!"o segue uma regra1 +ue )oi
a'resentada em ta.elas nos itens anteriores& Ao )inal da a'ostila ser/ e0'licado .re#emente como
seria a numera!"o de #/l#ulas seguindo a norma 8IN;A?@@&

9u'onamos agora +ue1 num ciclo cont4nuo1 dese-emos +ue o cilindro 'ermane!a a#an!ado
durante C segundos& M/ a necessidade da inser!"o de uma #/l#ula tem'ori,adora no circuito1
con)orme 'ode ser #isto na %igura F?&
. G
=
. 8
=
. 8
. 78
. 7.
R =
;
.
8
. 7= . 78
. Y
=
. 8
. 7=
ZS[
=
.
. =
8
S\ 8

6igura 037 (ircuito 13 D (iclo (ontinuo o (ilindro Permanece A>ança durante ,8



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 6* de 160
O 'rinc4'io construti#o de uma #/l#ula tem'ori,adora 'ode ser #isto no a'6ndice1 ao )inal
desta a'ostila&

No diagrama 'neum/tico da %igura F?1 a #/l#ula ?J; #ias roleteJmola 79? n"o li.erar/ o ar
'ara 'ilotar diretamente a #/l#ula direcional CJ; #ias& Antes1 o ar ir/ 'ara uma #/l#ula
tem'ori,adora1 +ue li.erar/ o ar 'ara 'ilotagem a'2s um certo tem'o&

No circuito da %igura FA1 )oi inserido no ciclo cont4nuo um .ot"o de emerg6ncia1 +ue )a, com
+ue o cilindro retorne imediatamente1 n"o im'orta +ual sua 'osi!"o& E a'2s este retorno1 n"o é
'oss4#el +ue se reinicie o ciclo1 a menos +ue o .ot"o de emerg6ncia se-a 'ressionado no#amente1
li.erando a #/l#ula direcional 'ara ser 'ilotada na #ia es+uerda&
!
@E
<
@ >
<
@ >
@A>
@A@
S <
D
@
>
@A< @A>
@T
<
@ >
@A<
@ @
<
<
@ >
@AS

6igura 0+7 (ircuito 1+ 2 (iclo (ont?nuo com 4otão de EmergNncia

No circuito da %igura FA1 #6Kse a inser!"o de uma #/l#ula do ti'o ZOU[& 9eria 'oss4#el
construir o diagrama sem esta #/l#ula1 como est/ ilustrado na %igura FCe






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 00 de 160
!
CM
(
C D
(
C D
C7D
C7C
N (
O
C
D
C7( C7D
CP
(
C D
C7(
(
C D
C7N

6igura 0,7 (ircuito 1, 2 (iclo (ont?nuo com 4otão de EmergNncia Incorreto

9e tra!/ssemos o circuito de acordo com o +ue est/ a'resentado na %igura FC1 ele estaria
incorreto& O cilindro n"o retornaria a'2s 'ressionar o )imKdeKcurso 79?& Por +u6e E sim'les3 ao
'ressionar 79?1 a #/l#ula ?J; #ias de#eria en#iar ar 'ara a 'ilotagem direita da #/l#ula direcional& 92
+ue o ar1 em #e, de 'ilotar esta #/l#ula1 ir/ 'ara o esca'e da #/l#ula de emerg6ncia1 )a,endo com +ue
o circuito n"o )uncione ade+uadamente e se-a considerado errado1 como 'ode ser 'erce.ido 'or meio
da %igura FD&
!
I QR
CM
(
C D
(
C D
C7D
C7 C
N (
O
C
D
C7( C7D
CP
(
C D
C7(
(
C D
C7N

6igura 067 (ircuito 16 2 (iclo (ont?nuo com 4otão de EmergNncia 2 )imulado .ia )o:tMare


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 01 de 160
A %igura FD ilustra muito .em este 'ro.lema& O ar +ue sai da #/l#ula 79? ir/ 'ara o esca'e da
#/l#ula de emerg6ncia1 como mostram as setas +ue indicam o sentido do )lu0o de ar&

Em todos os circuitos tra!ados até agora1 n"o é 'oss4#el a regulagem da #elocidade de a#an!o
ou de retorno1 +ue é uma #ari/#el muito im'ortante na 'neum/tica e na idr/ulica& Como )a,er este
a-uste1 ent"oe 8e#eKse utili,ar uma #/l#ula camada Zreguladora de )lu0o[& A-ustandoKse o )lu0o1
regulaKse a #elocidade tam.ém& Isso se torna claro +uando se sa.e +ue a #a,"o de um )luido é
diretamente 'ro'orcional ] sua #elocidade&

A %igura FF tra, um deseno es+uem/tico do )uncionamento desta #/l#ula&


6igura 007 .ál>ula Reguladora de 6lu;o

Na %igura FF1 'erce.eKse +ue se o ar so. 'ress"o #ier da #ia ; 'ara a #ia 71 ele é o.rigado a
'assar 'or um estrangulamento1 regulado 'or um 'ara)uso1 de acordo com a necessidade do circuito&
O ar n"o consegue 'assar 'ela outra #ia 'or+ue / um .lo+ueio& 9e a 'ress"o )or conectada na #ia 7
indo no sentido da #ia ;1 esta 'ress"o é su)iciente 'ara #encer a )or!a da mola e o ar 'assar/ li#re
neste sentido&

O s4m.olo deste com'onente est/ re'resentado a seguir3


6igura 0'7 )?m9olo de uma .ál>ula Reguladora



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 0$ de 160
Agora1 é necess/rio a'render a tra!ar circuitos com mais de um atuador& Antes1 entretanto1 é
'reciso +ue se e0'li+uem as di)erentes maneiras de re'resenta!"o do mo#imento dos cilindros
'neum/ticos& As )ormas mais utili,adas s"o3 ta.ela1 digrama tra-etoK'asso ou tra-etoKtem'o e
a.re#iada& Todas elas s"o .astante sim'les e re'resentam 'er)eitamente +ual+uer se+c6ncia de
mo#imentos&

9e-a1 'or e0em'lo1 a ta.ela a seguir3

Ta9ela 67 iagrama de %o>imento8 de um (ilindro
E&, , $! F $; .4 * ) 1$! G$4 &) 0$!
HI ! " ; &) 2$!0* !H" ! J $1: $!
KI ! " ; &) 2$!0* !K" ! L.4 @0* @+3%, $!
MI ! N* 1$%) $!0* !H" ! L.4 @0* @+3%, $!
OI ! N* 1$%) $!0* !K" ! L.4 @0* @+3%, $!
A&>* 8&!H!P!N* / %* , * ) 1&2: $!0$, !4 $; .4 * ) 1$, !0$, !+.8.) 0%$, !* 4 !34 !+.%+3.1$!


Na Ta.ela D1 'odemos in)erir +ue os cilindros mo#imentar"o da seguinte maneira3 7A a#an!a1
em seguida1 ao cegar ao )im de seu curso1 'ro#oca o a#an!o de ;A& Ao cegar ao )im de seu curso1 ;A
comanda o retorno de 7A& Assim +ue 7A esti#er totalmente retornado1 iniciaKse o retorno de ;A1
)ecandoKse assim o ciclo de mo#imentos dos cilindros&

Esta mesma série de mo#imentos 'ode ser re'resentada 'or meio de um diagrama tra-etoK
'asso1 como re'resentado na %igura F>&


6igura 0*7 iagrama TraKeto2Pa88o de oi8 (ilindro8

A %igura F> a'resenta um diagrama tra-etoK'asso1 +ue re'resenta a mesma se+c6ncia de
mo#imentos a'resentada na Ta.ela D&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 03 de 160
Por )im1 a maneira mais sim'li)icada e utili,ada de re'resentar mo#imentos de cilindros
'neum/ticos é a a.re#iada& Nesta )orma1 o sinal ZU[ signi)ica a#an!o e o sinal ZKZ retorno& 8esta
maneira1 a mesma se+c6ncia a'resentada na Ta.ela 7 e na %igura F> 'ode ser re'resentada assim3

7AU;AU7AK;AK

Camamos esta se+c6ncia de direta1 'ois se a di#idirmos ao meio e com'ararmos os lados
direito e es+uerdo1 desconsiderandoKse os sinais1 eles s"o e0atamente iguais3

7AU;AUf7AK;AK
7A;A b 7A;A

Caso isso n"o aconte!a1 camamos a se+c6ncia de indireta&

As se+c6ncias diretas t6m resolu!"o mais sim'les 'elo método intuiti#o Va+uele +ue n"o
o.edece a uma regra es'ec4)ica1 de'endendo somente do racioc4nio de +uem con)ecciona o circuitoW1
'ois nelas n"o ocorre o 'ro.lema da contra'ress"o Vso.re'osi!"o de sinaisW&

A %igura <@ tra, a solu!"o da se+c6ncia 7AU;AU7AK;AK 'or meio do método intuiti#o&


6igura '07 (ircuito 10 D iagrama Pneumático da )e=ONncia 1

A P $ A P 1 A D $ A D


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 0+ de 160
9e tentarmos utili,ar o mesmo racioc4nio 'ara resol#er uma se+c6ncia indireta1 7AU;AU;AK7AK
1 #ai ocorrer1 em um ou #/rios 'ontos do diagrama1 uma so.re'osi!"o de sinais&

7AU;AUf;AK7AK
7A;A ≠ ;A7A

A se+c6ncia 7AU;AU;AK7AK é indireta1 'ois o lado direito é di)erente do lado es+uerdo&

A %igura <7 tra, a solu!"o errada deste 'ro.lema1 resol#ida 'elo método intuiti#o& Como
'ode ser o.ser#ado1 / so.re'osi!"o de sinais&

!
9 :
(
9 P
(
9 P
( J9
9J 9
S (
C
9
P
9J( 9JP
9E9
(
9 P
9J(
( :
(
9 P
( J(
S (
C
9
P
( J9 ( J(
( E9
(
9 P
9JP
)
T
U
)
T
U
9E(
( E(

6igura '17 (ircuito 1' D iagrama Pneumático da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A D 1 A D

Na %igura <71 'odemos 'erce.er +ue1 ao ligarmos o com'ressor1 a#er/ ar sendo en#iado 'ara
o lado direito da 'rimeira #/l#ula direcional CJ; #ias 7571 res'ons/#el 'elo a#an!o do cilindro 7A&
Ent"o1 ao 'ressionarmos o .ot"o 'ulso 7971 en#iando ar 'ara o lado es+uerdo da #/l#ula 7571 a
mesma n"o ser/ 'ilotada1 'ois acontecer/ o +ue camamos de contra'ress"o& M/ uma 'ress"o de


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 0, de 160
igual #alor em am.os os lados da #/l#ula1 o +ue )a, com +ue a mesma n"o se mo#a& Portanto1 o
cilindro 7A nem cega a a#an!ar1 im'ossi.ilitando o in4cio do ciclo&

Para +ue o ciclo se inicie1 ao ligarmos o com'ressor1 a #/l#ula ?J; #ias ;97 n"o 'oder/ estar
en#iando ar 'ara a #/l#ula direcional 757&

Podemos come!ar resol#endo o 'ro.lema inserindo uma outra #/l#ula CJ; #ias& 9ua 'rimeira
)un!"o é retirar a 'ress"o da #/l#ula ;97 +uando o com'ressor )or ligado&

A %igura <; ilustra o 'rimeiro 'asso desta solu!"o&

!
9 :
(
9 H
(
9 H
( I 9
9I 9
V (
E
9
H
9I ( 9I H
9W9
(
9 H
9I (
( :
(
9 H
( I (
V (
E
9
H
( I 9 ( I (
( W9
(
9 H
9I H
X
Y
Z
X
Y
Z
9W(
( W(
V (
E
9
H
YW

6igura '$7 (ircuito 1* D Inicio da )olução da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A D 1 A 2 %<todo intuiti>o

Na %igura <;1 a #/l#ula CJ; #ias inserida n"o li.era inicialmente o ar 'ara a ?J; #ias ;971 a n"o
ser +uando o seu lado es+uerdo )or 'ilotado& Huando ser/ necess/rio +ue se-a li.erado o ar 'ara a
#/l#ula ;97e Huando )or 'reciso )a,er o retorno do cilindro A& Este retorno é reali,ado a'2s o a#an!o


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 06 de 160
de G1 segundo a se+c6ncia 7AU;AU;AK7AK& Utili,aremos ent"o o )imKdeKcurso do cilindro G1 79? 'ara a
'ilotagem direita desta #/l#ula CJ; #ias&

Assim1 o ciclo -/ )uncionaria e e)etuaria a se+c6ncia1 mas a #/l#ula CJ; #ias inserida é uma
#/l#ula mem2ria1 de modo +ue1 'ara reiniciar o ciclo1 +uando )or 'ressionado o .ot"o 'ulso +ue d/
in4cio ] se+c6ncia1 é necess/ria a 'ilotagem es+uerda desta #/l#ula& Assim1 a solu!"o correta e
com'leta 'ode ser #ista na %igura <?&

9 :
(
9 S
(
9 S
( Q9
9Q9
V (
W
9
S
9Q( 9QS
9X9
(
9 S
9Q(
( :
(
9 S
( Q(
V (
W
9
S
( Q9 ( Q(
( X9
(
9 S
9QS
Y
U
Z
Y
U
Z
9X(
( X(
V (
W
9
S
UX

6igura '37 (ircuito $0 2 iagrama da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A D 1 A 2 %<todo intuiti>o

8esta maneira1 'raticamente todas as se+c6ncias 'odem ser con)eccionadas utili,andoKse o
método intuiti#o& E#identemente1 o grau de di)iculdade #ai aumentando ] medida +ue as se+c6ncias
se-am mais com'ridas&

Para sim'li)icar a resolu!"o de se+c6ncias indiretas1 )oram criados dois métodos1 +ue
o.edecem a regras r4gidas de constru!"o de circuitos3 o método cascata e o método 'assoKaK'asso&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 00 de 160
Como (ltimo circuito )eito 'elo método intuiti#o1 daremos o e0em'lo de um circuito com
mo#imento simultYneo1 isto é1 dois cilindros reali,am mo#imentos ao mesmo tem'o& 9e-a a se+c6ncia
7AUV;AU?AUW;AKV7AK?AKW1 a'resentada na %igura <A&

!
5 6
9
5 (
5P5
R 9
S
5
(
5P9 5P(
5T5
9
5 (
5P9
9 6
9
5 (
( P
R 9
S
5
(
9P
9T5
9
5 (
5P(
U
)
V
U
)
V
5T9
9T9
( 6
R 9
S
5
(
( P
( T5
U
)
V
( T9
R 9
S
5
(
) T
9
5 (
9P

6igura '+7 (ircuito $1 D iagrama da )e=ONncia 1 A P Q$ A P 3 A P@$ A D Q1 A D 3 A 2@ 2%<todo Intuiti>o

No circuito da %igura ?@1 os cilindros ;A e ?A 'ossuem somente um )imKdeKcurso1 o +ue se de#e
'elo )ato de +ue / nesta se+c6ncia mo#imentos simultYneos&

>&7& METO8O CA9CATA

O método cascata )oi criado 'ara e#itar o 'ro.lema da so.re'osi!"o de sinais e 'ode resol#er
tanto se+c6ncias diretas como indiretas& A contra'ress"o é e#itada 'or+ue di#idimos a se+c6ncia em
setores e cada setor 'ode conter somente um mo#imento de cada cilindro 'neum/tico&
O 'rimeiro 'asso 'ara a constru!"o de um circuito 'neum/tico é a di#is"o da se+c6ncia em setores3
Resol#endo o diagrama 7AU;AU;AK7AK 'elo método cascata1 temos3

7AU;AUf;AK7AK
9etor I f 9etor II


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 0' de 160
A di#is"o de setores o.edece a esta regra3 +uando uma letra se re'etir1 iniciaKse um no#o
setor&

A 'artir da4 determinaKse o n(mero de linas 'neum/ticas +ue controlam a mudan!a destes
setores& Cada setor tem de 'ossuir uma lina 'neum/tica& O n(mero de #/l#ulas CJ; #ias ou AJ; #ias
+ue controlam a mudan!a de setores é igual ao n(mero de linas menos um&

8esta )orma1 a se+c6ncia 7AU;AU;AK7AK1 tem duas linas e uma #/l#ula CJ; #ias1 como 'ode
ser #isto na %igura <C.

QQ
Q
? >
< J

6igura ',7 (a8cata Pneumática para doi8 )etore8 u8ando uma .ál>ula ,H$ .ia8

A %igura <D a'resenta uma cascata 'neum/tica 'ara dois setores utili,ando uma #/l#ula AJ;
#ias&

? >
G J
QQ
Q

6igura '67 (a8cata pneumática para doi8 )etore8 u8ando uma .ál>ula +H$ .ia8

Nas %iguras <C e <D1 'odemos 'erce.er +ue a lina +ue inicia 'ressuri,ada é sem're a (ltima& E
uma outra regra do método&

Para tr6s setores1 a cascata é a'resentada na %igura <F&






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 0* de 160
@@
@
@@@
; :
8
A
(
A; A:
; :
8
A
(
A; A:

6igura '07 (a8cata Pneumática pra trN8 )etore8 u8ando dua8 .ál>ula8 ,H$ .ia8

@@
@
@@@
; :
8
A
(
A; A:
; :
8
A
(
A; A:
; :
8
A
(
@B

6igura ''7 (a8cata Pneumática para =uatro )etore8 u8ando trN8 .ál>ula8 ,H$ .ia8

A %igura <> a'resenta uma cascata 'neum/tica 'ara +uatro setores utili,ando #/l#ulas AJ;
#ias&







Automação Pneumática e Eletropneumática Página '0 de 160
!
JJ
J
JJJ
J?
: <
K (
: <
K (
: <
K (

6igura '*7 (a8cata Pneumática para =uatro )etore8 u8ando trN8 .ál>ula8 +H$ .ia8

Como )unciona esta cascatae 5amos dar uma olada na cascata da %igura <<& A (ltima lina
come!a 'ressuri,ada& A 'rimeira a!"o é 'ilotar a (ltima #/l#ula CJ; #ias1 'assando a 'ress"o 'ara a
'rimeira lina1 como 'ode ser #isto na %igura >@&

!
JJ
J
JJJ
J?
: <
)
K
(
K: K<
: <
)
K
(
K: K<
: <
)
K
(
K: K<

6igura *07 (a8cata Pneumática de =uatro )etore8 2 A !ltima .ál>ula ,H$ =ue < Pilotada




Automação Pneumática e Eletropneumática Página '1 de 160
A mudan!a do ar da lina II 'ara a lina III 'ode ser )eita 'ilotandoKse a 'en(ltima #/l#ula
CJ; #ias1 como 'ode ser #isto na %igura >7&

"
. .
.
...
. H
I :
8
J
?
JI J:
I :
8
J
?
JI J:
I :
8
J
?
JI J:

6igura *17 (a8cata para =uatro )etore8 a PenRltima .ál>ula < Pilotada

Ao 'ilotarmos a 'rimeira #/l#ula CJ; #ias1 a 'ress"o 'assa 'ara a lina III1 de acordo com a
%igura >;&

"
. .
.
...
. H
I :
8
J
?
JI J:
I :
8
J
?
JI J:
I :
8
J
?
JI J:

6igura *$7 (a8cata para =uatro )etore8 a Primeira .ál>ula < Pilotada


Automação Pneumática e Eletropneumática Página '$ de 160
Para +ue o ar retorne 'ara a (ltima lina1 a de n(mero I51 é necess/rio +ue as tr6s #/l#ulas
se-am 'ilotadas de #olta1 #oltando ] 'osi!"o original1 como 'ode ser #isto na %igura >?&

33
3
333
34
H M
O
K
A
KH KM
H M
O
K
A
KH KM
H M
O
K
A
KH KM

6igura *37 (a8cata para =uatro )etore8 a &inBa I. e8tá Pre88uriSada
A %igura A@ tra, a solu!"o 'elo método cascata 'ara a se+c6ncia 7AU;AU;AK7AK&
6 7
9
6 B
9
6 B
9A6
6A6
( 9
O
6
B
6A9 6AB
6T6
9
6 B
6A9
9 7
9
6 B
9A9
( 9
O
6
B
9A6 9A9
9T6
9
6 B
6AB
U
)
V
U
)
V 6T9
9T9
( 9
O
6
B
) T
K
KK

6igura *+7 (ircuito $$ 2 iagrama para a (a8cata 1 A P $ A P $ A 2 1 A D


Automação Pneumática e Eletropneumática Página '3 de 160
Na %igura >A1 os )insKdeKcurso ti'o rolete 79;1 79?1 ;97 E ;9; s"o res'ons/#eis 'elo a#an!o e
retorno dos cilindros1 .em como 'ela mudan!a de linas& Nesta mesma )igura1 a lina II re'resenta o
setor II1 no +ual s"o )eitos os mo#imentos de retorno dos cilindros 'neum/ticos A e G e a lina I
re'resenta o setor I1 no +ual s"o )eitos os mo#imentos de a#an!o dos cilindros A e G&

Para tra!ar um diagrama 'neum/tico 'ara uma se+c6ncia de tr6s setores1 / a necessidade de
se utili,arem duas #/l#ulas CJ; #ias du'lo 'iloto 'ara o direcionamento da 'ress"o 'ara todas as
linas do circuito& Entretanto1 isso n"o im'lica di,er +ue n"o se 'ossa usar mais #/l#ulas CJ; #ias no
circuito& Tanto é +ue / mais #/l#ulas CJ; #ias em todo o circuito1 +ue s"o as direcionais utili,adas em
todos os atuadores 'ara a con)ec!"o de se+c6ncias indiretas& O +ue n"o 'ode ser )eita no método
cascata é a utili,a!"o de outras #/l#ulas CJ; #ias 'ara o controle da mudan!a do ar nas tr6s linas
'neum/ticas&

A %igura >C tra, a se+c6ncia 7AU;AU;AK?AU?AK7AK tra!ada com o método cascata&

!
) 6
8
) :
8
) :
8K)
) K)
( 8
L
)
:
) K8 ) K:
) X)
8
) :
) K8
8 6
8
) :
8K8
( 8
L
)
:
8K) 8K8
8X)
8
) :
) K:
Y
V
Z
Y
V
Z ) X8
8X8
( 8
L
)
:
VX)
D
DD
: 6
( 8
L
)
:
: K) : K8
: X)
Y
V
Z
: X8
( 8
L
)
:
VX8
DDD
8
) :
: K8
8
) :
: K)

6igura *,7 (ircuito $3 2 iagrama para a (a8cata 1 A P $ A P $ A 2 3 A P 3 A 2 1 A D



Automação Pneumática e Eletropneumática Página '+ de 160
8e acordo com o diagrama a'resentado na %igura >C1 os a#an!os dos cilindros 7A e ;A s"o
)eitos na lina I& Na lina II é )eito o retorno de ;A e o a#an!o de ?A1 en+uanto +ue na lina II s"o
)eitos os retornos dos cilindros ?A e 7A&

Para +ue a 'ress"o retorne1 ao )inal do ciclo1 'ara a (ltima lina1 é necess/rio +ue a #/l#ula ?9;
'ilote simultaneamente as duas #/l#ulas CJ; #ias&

A 'r20ima se+c6ncia1 7AU;AU?AUV?AK;AKW7AK tra, um mo#imento simultYneo1 ou se-a1 os
cilindros ?A e ;A retornam ao mesmo tem'o& Esse mo#imento é re'resentado entre 'ar6nteses1 como
)oi #isto no circuito da %igura ?@& O circuito 'ode ser estudado 'or meio da %igura >D&

6 7
)
6 9
)
6 9
) I )
6I 6
( )
J
6
9
6I ) 6I 9
6K6
)
6 9
6I )
) 7
( )
J
6
9
) I 6 ) I )
) K6
)
6 9
6I 9
L
M
N
L
M
N 6K)
) K)
MK6
O
OO
9 7
( )
J
6
9
9I )
9K6
L
M
N
9K)
( )
J
6
9
)
6 9
9I )
)
6 9
) I 6

6igura *67 (ircuito $+ D iagrama para a (a8cata 1 A P $ A P 3 A PQ3 A D $ A2@ 1 A D

A %igura >F tra, um diagrama tra!ado 'elo método cascata1 em +ue um cilindro re'ete um
determinado mo#imento& Camemos a esse ti'o de circuito de cascata com re'eti!"o de mo#imento&
A se+c6ncia é 7AU;AU;AK7AK7AU7AK&





Automação Pneumática e Eletropneumática Página ', de 160
!
6 7
9
6 )
6E6
( 9
K
6
)
6E9 6E)
6J 6
9 7
( 9
K
6
)
9E6 9E9
9J 6
L
M
N
L
M
N 6J 9
9J 9
MJ )
I
I I
( 9
K
6
)
9
6 )
9E9
MJ 9
( 9
K
6
)
I II
I J
9
6 )
9E6
6 6
9
6 6
9
( 9
K
6
)
MJ 6
9
6 )
6E9
9
6 )
6E)
6 6
9
( 9
K
6
)
MJ O
MJ L
MJ (
MJ K

6igura *07 (ircuito $, D iagrama (a8cata para a )e=ONncia 1 A P $ A P $ A D 1 A D 1 A P 1 A D

>&;& METO8O PA99OKAKPA99O

Para se tra!ar um diagrama 'neum/tico com o método 'assoKaK'asso1 'rimeiramente é
necess/rio se'arar a se+c6ncia de mo#imentos em setores& Neste método1 cada mo#imento é um
setor&

9e-a a se+c6ncia3
7AUf;AUf;AKf7AK
9etor I f 9etor II f 9etor III f 9etor I5


Automação Pneumática e Eletropneumática Página '6 de 160
Para cada setor1 ser/ necess/ria uma lina 'neum/tica +ue e)etue o mo#imento indicado&

Nesta metodologia 'ara resolu!"o de circuitos 'neum/ticos1 a (ltima lina tam.ém sem're
come!a 'ressuri,ada1 como no método cascata&

Assim1 o es+ueleto 'ara um diagrama 'assoKaK'asso com +uatro linas é a'resentado na
%igura ><&
$
N@
I
N G
I
N G
I PN
NPN
C I
M
N
G
NPI NPG
NFN
I
N G
NPI
I @
I
N G
I PI
C I
M
N
G
I PN I PI
I FN
I
N G
NPG
Q
R
S
Q
R
S
NFI
I FI
E
EE
EEE
EF
I
N G
I
N G
I
N G
I
N G
RFN RFI RFG RFC

6igura *'7 (ircuito $6 D Primeiro pa88o na %ontagem do iagrama Pa88o2a2Pa88o de + &inBa8
Na %igura ><1 'odemos 'erce.er +ue a lina I5 come!a 'ressuri,ada& A 'rimeira a!"o a ser
tomada é a des'ressuri,a!"o desta (ltima lina e a 'ressuri,a!"o da 'rimeira& Para mudarmos a
'ress"o 'ara a 'rimeira lina1 utili,amos um .ot"o 'ulso +ue 'ilotar/ uma #/l#ula ?J; #ias du'lo
'iloto& Para retirarmos o ar da (ltima lina1 utili,amos o ar +ue agora est/ na 'rimeira lina 'ara
'ilotar a (ltima #/l#ula1 +ue da#a 'ress"o ] lina I5&

Agora temos a lina I 'ressuri,ada e 'odemos come!ar a se+c6ncia de mo#imentos com o
a#an!o do cilindro A&

Na %igura >> est"o re'resentados o a#an!o de 7A e de ;A3


Automação Pneumática e Eletropneumática Página '0 de 160
!
PC
B
P Q
B
P Q
B+P
P+P
( B
)
P
Q
P+B P+Q
PXP
B
P Q
P+B
BC
B
P Q
B+B
( B
)
P
Q
B+P B+B
BXP
B
P Q
P+Q
Y
Z
[
Y
Z
[
PXB
BXB
E
EE
EEE
EX
B
P Q
B
P Q
B
P Q
B
P Q
ZXP ZXB ZXQ ZX(

6igura **7 (ircuito $0 2 )egundo pa88o na %ontagem do iagrama Pa88o2a2Pa88o de + &inBa8
8e acordo com o circuito a'resentado na %igura >>1 'odeKse 'erce.er +ue o ar agora )oi
direcionado 'ara a segunda lina& Para tanto1 utili,ouKse a #/l#ula ;&;1 )imKdeK curso do atuador A&
Em'regaKse o ar +ue 'assa 'ara a lina II 'ara a 'ilotagem da #/l#ula anterior1 de modo +ue a lina I
se-a des'ressuri,ada&

A 'artir deste racioc4nio1 'odeKse esta.elecer uma regra geral 'ara a con)ec!"o de circuitos
'elo método 'assoKaK'asso3 a (ltima lina inicia 'ressuri,ada& A 'rimeira a!"o é des'ressuri,ar esta
(ltima lina e 'ressuri,ar a 'rimeira& 8e'ois se des'ressuri,a a 'rimeira lina e 'ressuri,a a segunda
e assim 'or diante& Utili,aKse o ar +ue est/ na lina NU7 'ara 'ilotar o retorno da #/l#ula +ue
'ressuri,ou a lina N& A tomada de ar utili,ado nos )insKdeKcurso +ue 'ilotam as #/l#ulas ?J; #ias
res'ons/#eis 'ela 'ressuri,a!"o das linas é )eita da seguinte maneira3 se a #/l#ula #ai 'ressuri,ar a
lina N1 o ar é 'ego da lina NK7&

O ar 'ode ser 'u0ado diretamente das linas 'ara as #/l#ulas direcionais1 res'ons/#eis 'elo
a#an!o e retorno dos atuadores1 res'eitando a se+c6ncia +ue se +uer tra!ar&

A %igura 7@@ a'resenta o circuito 'neum/tico tra!ado 'elo método 'assoKaK'asso da
se+c6ncia 7AU;AU;AK7AK&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página '' de 160
!
8 9
;
8 V
;
8 V
; W8
8W8
( ;
X
8
V
8W; 8WV
8Y8
;
8 V
8W;
; 9
;
8 V
; W;
( ;
X
8
V
; W8 ; W;
; Y8
;
8 V
8WV
A
Z
[
A
Z
[
8Y;
; Y;
U
UU
UUU
UY
;
8 V
;
8 V
;
8 V
;
8 V
ZY8 ZY; ZYV ZY(

6igura 1007 (ircuito $' 2 (ircuito Pa88o2a2Pa88o da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A D

Para +ue o aluno 'ossa estudar um outro circuito1 é a'resentado na %igura 7@7 o diagrama
'neum/tico da se+c6ncia 7AU7AK;AU;AK1 tra!ado utili,andoKse o método 'assoKaK'asso& Estas
se+c6ncias a'resentadas s"o cl/ssicas e a'lica!*es 'odem ser #istas na lista de e0erc4cios desta
a'ostila1 contida no a'6ndice& E im'ortante +ue o aluno sem're imagine uma a'lica!"o 'ara estas
se+c6ncias +ue est/ tra!ando1 'ara +ue o estudo n"o )i+ue muito restrito ] tra!agem de circuitos& A
teoria )4sica +ue en#ol#e a mani'ula!"o de cilindros é muito im'ortante e de#e ser sem're recordadag
E im'ortante n"o se es+uecer +ue o método 'assoKaK'asso é mais sim'les 'ara ser seguido1 mas cada
um dos métodos utili,ados tem suas #antagens e des#antagens e se eles e0istem é 'or+ue t6m sua
a'lica!"o na ind(stria&

Neste 'onto1 é im'ortante +ue o aluno 'ondere as #antagens e des#antagens de cada método
'ara +ue se decida 'elo melor na ora de tra!ar seus circuitos& O método 'assoKaK'asso1 'or
e0em'lo1 tem a des#antagem de ter muito mais linas 'neum/ticas1 estando muito mais su-eito a
+uedas de 'ress"o ao longo do circuito& Isso em rela!"o ao método cascata& Por outro lado tem a
#antagem -/ mencionada de ser um método mais )/cil do +ue o cascata1 de melor assimila!"o&




Automação Pneumática e Eletropneumática Página '* de 160
8 9
;
8 ]
;
8 ]
; ?;
8?8
( ;
R
8
]
8?; 8?]
8^ 8
;
8 ]
; ?8
; 9
;
8 ]
8?;
( ;
R
8
]
; ?8 ; ?;
; ^ 8
;
8 ]
8?]
)
_
`
)
_
`
8^ ;
; ^ ;
W
WW
WWW
W^
;
8 ]
;
8 ]
;
8 ]
;
8 ]
_^ 8 _^ ; _^ ] _^ (

6igura 1017 (ircuito $* D (ircuito Pa88o2a2Pa88o da )e=ONncia 1 A P 1 A D $ A P $ A D
A #/l#ula ;97 é camada de #/l#ula de seguran!a e sem're ser/ 'osicionada no (ltimo
mo#imento da se+c6ncia e acima da #/l#ula 7971 +ue d/ in4cio ] se+c6ncia de mo#imentos& Uma de
suas )un!*es 'rinci'ais é e#itar +ue um no#o a'erto no .ot"o 'ulso1 no meio da se+c6ncia de
mo#imentos1 inter)ira no )uncionamento do circuito&

A %igura 7@; mostra um circuito tra!ado 'elo método 'assoKaK'asso 'ara a se+c6ncia
7AU;AU7AK7AU;AK7AK& E uma se+c6ncia com'licada1 mas ainda assim1 'odeK se 'erce.er +ue o
circuito o.tido é mais sim'les do +ue a+uele o.tido 'or meio do método cascata&

O aluno 'ode se )a,er a seguinte 'ergunta1 ao 'erce.er +ue todos os circuitos )oram tra!ados
com #/l#ulas direcionais CJ; #ias 8UPLO PILOTO3 n"o é 'oss4#el utili,ar #/l#ulas direcionais sim'les
'ilotoe A+ui1 'ara res'onder esta +uest"o1 seria con#eniente +ue este aluno tentasse tra!ar o circuito
da %igura 7@71 'or e0em'lo1 'ara ele mesmo res'onder esta +uest"o&

Uma outra dica1 'ara )inali,ar este método1 é +ue o aluno utili,e um so)thare como o
%luidsim 'ara tra!ar seus circuitos1 mas +ue n"o )i+ue 'reso a tentati#as e erros1 'ermitidas 'or
+ual+uer 'rograma com'utacional1 mas +ue com'reenda de )ato o +ue est/ )a,endo&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página *0 de 160

8 9
;
8 V
8U8
( ;
Q
8
V
8U; 8UV
8M8
;
8 V
8UV
X
Y
Z
8M;
L
LL
LLL
LM
;
8 V
;
8 V
;
8 V
;
8 V
YM8
YM; YMV YM(
8 8
;
8 8
;
M
ML
;
8 V
;
8 V
8 8
;
( ;
Q
8
V
;
8 V
; U;
;
8 V
8U;
;
8 V
; U8
; 9
( ;
Q
8
V
; U8 ; U;
; M8
X
Y
Z; M;
YMQ YM? YMX
YM)
YM[

6igura 10$7 (ircuito 30 D (ircuito Pa88o2a2Pa88o da )e=ONncia 1 A P $ A P 1 A D 1 A P $ A D 1 A D

PodeKse 'erce.er na %igura 7@;1 +ue o circuito 'ossui D linas 'neum/ticas& No método 'assoK
aK'asso cada mo#imento corres'onde a um setor e conse+centemente a uma lina 'neum/tica&

Neste circuito1 em +ue o a#an!o do cilindro 7A reali,a duas )un!*es N a#an!o de ;A na lina II e
retorno de ;A na lina 5& 8a mesma maneira o retorno de 7A reali,a duas )un!*es N a#an!o de 7A na
lina I5 e )im do ciclo na lina 5I&

No circuito a'resentado1 o )im do ciclo corres'onderia a uma #/l#ula de seguran!a&

O diagrama 'neum/tico da %iguras 7@; )oi tra!ado utili,andoKse a'enas dois )insKdeKcurso do
ti'o rolete 'or cilindro& Isso )a, com +ue cada rolete assuma duas )un!*es1 como )oi dito nos
'ar/gra)os anteriores& Portanto1 cada rolete +ue reali,a mais de uma )un!"o de#er/ alimentar uma
#/l#ula CJ; #ias Vcada #ia de utili,a!"o desta #/l#ula reali,ar/ uma tare)a de um roleteW& 8esta
maneira1 uma #ia da #/l#ula CJ; #ias reali,ar/ a tare)a do rolete 79? Va#an!o do cilindro ;AW e a outra
#ia reali,ar/ a tare)a de retorno do cilindro ;A& As demais regras do método 'assoKaK'asso de#em ser


Automação Pneumática e Eletropneumática Página *1 de 160
o.edecidas& 8esta maneira1 o n(mero de #/l#ulas ?J; #ias +ue alimentam as linas corres'onde ao
n(mero de linas1 no caso seis1 a lina 'osterior 'ilota o retorno da #/l#ula anterior1 +ue 'ressuri,a#a
a lina anterior& O ar 'ara a 'ilotagem da #/l#ula +ue 'ressuri,a a lina 'osterior é retirado da lina
anterior e assim 'or diante& As normas do método 'assoKaK 'asso n"o so)rem nenuma modi)ica!"o&

Huanto menor o n(mero de )insKdeKcurso1 melor 'ara a montagem 'r/tica do circuito& Isso
'or+ue é di)4cil o 'osicionamento de roletes nas m/+uinas& M/ todo um a'arato necess/rio 'ara a
inser!"o de )insKdeKcurso na ind(stria e +uanto maior o n(mero maior a com'le0idade da instala!"o&
Lem.reKse +ue cada )imKdeKcurso corres'onde a uma no#a #/l#ula1 a cone0*es 'neum/ticas Vmais
tu.osW1 a con)ec!"o de su'ortes1 de modo +ue o melor 'ro-eto é a+uele com menos n(meros de )insK
deKcurso&
10. E&ETRO2PNE!%/TI(A

7@&7& PRINCIPAI9 COMPONENTE9 UTILILA8O9

$=!$!$! -elB

O rel6 é uma .o.ina +ue1 ao ser energi,ada1 'rodu, um cam'o magnético ca'a, de atrair
contatos elétricos& Assim1 ao se energi,ar a .o.ina de um rel61 todos os seus contatos s"o in#ertidos e
ao desenergi,/Kla1 todos estes contatos #oltam ] sua 'osi!"o original& A %igura 7@? ilustra um rel6 X71
com +uatro contatos Vdois normalmente a.ertos NA e dois normalmente )ecados N%W&

CD
MD
ML
CD CD
DM
DN
CD
LM
LN
CD
ND
NL
O, +-. * P, . 7*7, 1! 4, ! #$%&
D L M N A
L
M
N
A

6igura 1037 RelN T1 e8energiSado com $ contato8 NA e $ (ontato8 N6


Automação Pneumática e Eletropneumática Página *$ de 160

Ao se energi,ar a .o.ina deste rel6 X71 todos os seus contatos t6m sua 'osi!"o in#ertida1
como é ilustrado na %igura 7@A&

CD
MD
ML
CD CD
DM
DN
CD
LM
LN
CD
ND
NL
O, +-. * P, . 7*7, 1! 4, ! #$%&
!!BQ
RLNQ
D L M N A
L
M
N
A

6igura 10+7 RelN T1 EnergiSado com $ contato8 NA e $ (ontato8 N6

A %igura 7@C tra, uma )oto de uma cai0a de rel6s1 contendo tr6s .o.inas1 cada uma com
+uatro contatos1 )a.ricada 'ela %esto&



6igura 10,7 5iga de Te8te e )imulação de RelN8 D 6e8to



Automação Pneumática e Eletropneumática Página *3 de 160
$=!$!%! ;otoeira

Os .ot*es s"o elementos de acionamento de circuitos 'neum/ticos e eletroK 'neum/ticos& 9"o
eles os res'ons/#eis 'elo in4cio do ciclo1 'elo 'rimeiro mo#imento de uma se+c6ncia +ual+uer&

A %igura 7@D a'resenta uma )oto de uma cai0a de .ot*es )a.ricada 'ela %esto& Esta cai0a de
.ot*es tra, tr6s .ot*es1 dois 'ulso e um tra#a& Este .ot"o tra#a é mais utili,ado 'ara a tra!agem de
circuitos com ciclo cont4nuo1 limitado ou ilimitado& O .ot"o tra#a 'ara .ot*es de emerg6ncia1 como o
'r2'rio nome indica1 de#e ser #ermelo1 'ara +ue o o'erador o #isuali,e mais )acilmente em
situa!*es cr4ticas& Esta cai0a a'resentada na %igura 7@D é did/tica1 mas a (nica coisa +ue a di)ere de
um .ot"o industrial é o ti'o de su'orte e as indica!*es mais )/ceis im'ressas na )ace da cai0a1
indicando com clare,a as numera!*es de todos os contatos&



6igura 1067 5iga de Te8te e )imulação de 4otoeira8 D 6e8to

$=!$!&! Solen:ide

O solen2ide tam.ém é um 4m" 'ermanente e tem a )inalidade de atrair o ei0o das #/l#ulas1
res'ons/#el 'ela 'ilotagem das mesmas& Na %igura 7@F é a'resentada uma #/l#ula CJ; #ias sim'les
solen2ide&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página *+ de 160

6igura 1007 .ál>ula ,H$ .ia8 com )olenIide )imple8

$=!$!(! Circuitos EletroEPneumticos

Utili,aKse a eletricidade como uma maneira de se 'ilotar as #/l#ulas direcionais& O solen2ide1
com'onente +ue utili,a suas caracter4sticas de 4m" 'ermanente1 é o mais ade+uado 'ara o
deslocamento do ei0o +ue direciona o ar no interior das eletro#/l#ulas& Os circuitos eletroK
'neum/ticos s"o comumente di#ididos em duas 'artes3 a 'neum/tica1 +ue re'resenta o cilindro e as
#/l#ulas direcionais e a elétrica1 +ue re'resenta o circuito elétrico res'ons/#el 'ela se+c6ncia de
mo#imentos do atuador& Os dois circuitos 'odem )icar lado a lado ou1 no caso de se tornarem
com'ridos demais1 mantémKse o 'neum/tico acima e o elétrico a.ai0o&

A %igura 7@< ilustra um circuito eletroK'neum/tico sim'les&

M
N K
NQ
!![ O
\ MUO
PN
NK
NU
NQ
CN
CM
NC
NO
N

6igura 10'7 (ircuito Eletro2Pneumático





Automação Pneumática e Eletropneumática Página *, de 160
No circuito da %igura 7@<1 n"o se 'ode di,er +ue o cilindro reali,a um curso& Isto 'or+ue a
#/l#ula direcional ?J; #ias sim'les solen2ide 75 se manter/ acionada somente o tem'o em +ue o
o'erador manti#er o .ot"o 97 'ressionado& Assim +ue o .ot"o 97 )or desacionado1 cessar/ o en#io de
energia elétrica 'ara o solen2ide 7d1 )a,endo com +ue a #/l#ula 75 retorne e +ue o atuador 7A
tam.ém retorne&

Ainda na %igura 7@<1 'odeKse notar +ue os contatos do .ot"o e do solen2ide est"o numerados&

Esta numera!"o segue a regra dada a seguir3

Contatos normais )ecados rece.em a numera!"o 7 e ; en+uanto +ue contatos normais a.ertos
rece.em a numera!"o ? e A& Estes n(meros ocu'am a segunda 'osi!"o na numera!"o dos contatos do
circuito& O 'rimeiro algarismo se re)ere ao n(mero de um determinado com'onente& 9e o circuito
'ossuir dois contatos1 o 'rimeiro rece.er/ a numera!"o Z7[ e o segundo a numera!"o Z;[& Assim1 os
contatos de 971 (nico e normal a.erto1 rece.e a numera!"o 7? e 7A& V7 'or+ue é o (nico contato de 97
e ? e A 'or+ue este contato é normal a.ertoW&

Assim1 considere a %igura 7@>&

&
<=
=A
=B
<=
E=
EE


6igura 10*7 (ontato8 de um %e8mo 4otão Pul8o

Agora se tem dois contatos de um mesmo com'onente Vum .ot"o 'ulso 97W& Ent"o1 os contatos
do 'rimeiro com'onente rece.e a numera!"o 7? e 7A V7 'or+ue é o 'rimeiro contato do com'onente
e ? e A 'or+ue o contato é normal a.ertoW e o segundo contato do .ot"o 97 rece.e a numera!"o ;7 e
;; V; 'or+ue é o segundo contato de 97 e 7 e ; 'or+ue este contato é normal )ecadoW&

Os contatos de rel6s e solen2ides rece.em sem're a numera!"o A7 e A;&

No circuito da %igura 77@1 'ara se garantir +ue o cilindro cegue até o )inal de seu curso1
colocaKse um .ot"o tra#a& Assim1 somente +uando ele )or 'ressionado no#amente é +ue cessar/ o
en#io de energia elétrica 'ara o solen2ide e a #/l#ula e o cilindro retornar"o&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página *6 de 160
E
= A
=Q
&&WX
YEBX
=Q
! =
! E
= !
= X
<=
=A
=B
=


6igura 1107 (ircuito Eletro2Pneumático com 4otão com Tra>a

O retorno das #/l#ulas sim'les solen2ide é )eito 'ela mola& Para +ue a #/l#ula 'ermane!a
'ilotada1 é necess/rio +ue o solen2ide 7d este-a energi,ado1 #encendo a )or!a da mola& No circuito da
%igura 77@1 o solen2ide )oi mantido energi,ado 'or meio de um .ot"o tra#a& Mas seria 'oss4#el
manter o solen2ide energi,ado com um .ot"o 'ulsoe 9im1 mas / a necessidade de se utili,ar um rel6&

Y
? T
?Z
!![ \
] YU\
E?
?T
?U
?Z
N?
NY
? N
? \
B?
N?
NY
B?
?T
?U
B?
YT
YU
? Y T
Y
T

6igura 1117 (ircuito Eletro2Pneumático (om )elo no RelN

No circuito da %igura 7771 'odeKse 'erce.er uma rami)ica!"o na lina 71 em +ue )oi inserido
um contato do rel6 X7& No detale na %igura 77;&




Automação Pneumática e Eletropneumática Página *0 de 160
!
!![ \
] YU\
B?
N?
NY
B?
?T
?U
E?
?T
?U
? Y
Y

6igure 11$7 )elo ou Auto2retenção de T1

Um rel6 tra.ala da seguinte maneira3 +uando sua .o.ina é energi,ada1 ele in#erte TO8O9 os
contatos& Assim +ue a .o.ina )or desenergi,ada1 TO8O9 os contatos #oltam ] 'osi!"o original&

Na %igura 77; est/ ilustrado o +ue se cama 'or Zselo[ ou autoKreten!"o& Assim +ue a .o.ina
do rel6 X7 é energi,ada 'elo .ot"o 'ulso 971 ela in#erte seus contatos& 8esta )orma1 mesmo +ue o
.ot"o 97 se-a desacionado1 o rel6 X7 se mantém energi,ado 'or meio de um de seus contatos V7? e
7AW& Este arti)4cio rece.e o nome de Zselo[ e é usado 'ara manter o solen2ide 7d energi,ado1
garantindo +ue o cilindro #/ até o )inal de seu curso&

Entretanto1 no circuito da %igura 77;1 o cilindro de sim'les a!"o n"o retorna 'or+ue o rel6 X7
se mantém energi,ado& M/ a necessidade de desenergi,/Klo e 'ara tanto1 num 'rimeiro circuito1
utili,arKseK/ um outro .ot"o&

N
0 W
01 &&HU
XNYU
M0
0W
0Y
01
O0
ON
0 O
0 U
C0
O0
ON
C0
0W
0Y
C0
NW
NY
MN
00
0N
0 N W
N
W
6igure 1137 (ircuito Eletro2Pneumático com Retirada de )elo


Automação Pneumática e Eletropneumática Página *' de 160
No circuito da %igura 77?1 o atuador retornar/ +uando a .o.ina do rel6 X7 )or desenergi,ada&
Utili,aKse um .ot"o 'ulso 9; 'ara a desenergi,a!"o da .o.ina& Ao se )a,er isso1 di,Kse +ue o Zselo de
X7 )oi +ue.rado[&

Mas / um outro lugar onde se 'ossa inserir 9; 'ara +ue.rar o selo de X7e 9im& 5e-a na
%igura 77A&
!
D
) S
) T !!; U
VDWU
C)
) S
) W
) T
6)
6D
) 6
) U
I )
6)
6D
I )
) S
) W
I )
DS
DW
CD
) )
) D
) D S
D
S


6igure 11+7 (ircuito Eletro2Pneumático com )egunda Opção de Retirada de )elo

A maneira de se +ue.rar o selo da %igura 77? é camada de Zcom'ortamento de desligar
dominante[& Isso 'or+ue ao se 'ressionarem os .ot*es 97 e 9; simultaneamente1 n"o se conseguir/
energi,ar o rel6 X7 Vo rel6 'ermanece desligadoW&

Na %igura 77A1 o método de se +ue.rar o selo é camada de Zcom'ortamento de ligar
dominante[ 'or+ue ao se 'ressionarem os .ot*es 97 e 9; simultaneamente1 o rel6 X7 ser/ energi,ado&

Nos 'rimeiros circuitos eletroK'neum/ticos a'resentados nas )iguras anteriores1 / a
necessidade da inter#en!"o do o'erador1 'or meio de um outro .ot"o 'ulso1 'ara o retorno do
cilindro& M/ como )a,er este retorno automaticamentee M/ sim& Gasta utili,ar um )imKdeKcurso do ti'o
rolete1 como a'resentado na %igura 77C&





Automação Pneumática e Eletropneumática Página ** de 160


)
G @
GM !!TU
V) WU
HG
G@
GW
GM
XG
X)
GX
GU
JG
XG
X)
JG
G@
GW
JG
) @
) W
GH
GH
GG
G)
G ) @
)
@

6igura 11,7 (iclo Lnico com (ilindro de upla Ação

No circuito da %igura D;1 )oi necess/ria a utili,a!"o de uma #/l#ula ?J; #ias 'or+ue o atuador é
de sim'les a!"o& O retorno é autom/tico 'or+ue1 +uando o cilindro .ater no rolete 791 ele a.rir/ seu
contato1 desenergi,ando o rel6 X7 e conse+centemente o solen2ide 7d&

E im'ortante ressaltar +ue o 'iloto das eletro#/l#ulas a'resentadas até a+ui é )eito
diretamente 'elo solen2ide1 ou se-a1 ele atua no 'r2'rio ei0o da #/l#ula1 direcionando o ar& M/ uma
maneira mais segura de se 'ilotar as eletro#/l#ulas1 indireta1 em +ue o solen2ide desloca um ei0o
secund/rio1 +ue 'ermite a 'assagem de ar 'ara a 'ilotagem do ei0o +ue direciona o ar& Esta maneira
de se 'ilotar a #/l#ula1 camada de ser#ocomando1 é mostrada no circuito da %igura 77D&

!!TU
V) WU
HG
G@
GW
GM)
XG
X)
GH
G@
GW
GX
GU
W )
Y
G
@
GMG GM)
GH
GMG
XG
X)
G )

6igure 1167 (iclo Lnico com (ilindro de upla Ação com upla Pilotagem


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 100 de 160
No circuito da %igura 77D1 a #/l#ula 75 é camada de CJ; #ias du'lo ser#ocomando& Para se
energi,ar o solen2ide 7d71 utili,aKse um .ot"o 'ulso 97& Um 'ulso somente .asta 'ara energi,ar 7d7&
A #/l#ula se manter/ 'ilotada até +ue se-a )ornecida energia elétrica 'ara o solen2ide 7d;& Esta
#/l#ula é tam.ém conecida como Z#/l#ula mem2ria[1 'ois memori,a o (ltimo acionamento& Neste
circuito n"o / necessidade de autoKreten!"o1 'or+ue o solen2ide n"o 'recisa se manter energi,ado
até +ue o cilindro atin-a o )im de seu curso&

O cilindro da %igura 77D reali,a somente um ciclo (nico& 9e o o'erador manti#er o .ot"o 97
'ressionado1 o atuador a#an!ar/ e n"o retornar/ até +ue ele retire seu dedo do .ot"o 'ulso& Isso
'or+ue +uando o cilindro cegar até o )imKdeKcurso 791 energi,ando 7d;1 7d7 ainda estar/
energi,ado1 o +ue resultar/ em contra'ress"o& A #/l#ula 751 neste caso1 n"o 'oder/ ser 'ilotada 'ara
+ue o cilindro retorne&

E se a m/+uina re+uerer um ciclo cont4nuoe O circuito em +ue o atuador reali,a o ciclo
cont4nuo ilimitado é a'resentado na %igura 77F&

##\ 4
] ; V4
3C;
I 3
I ;
3G;
3.
3V
3 I
3 4
V ;
9
3
.
3C3 3C;
3G; 3G3
3C3
I 3
I ;
G3
3.
3V
3G3
3.
3V
3 ;

6igura 1107 (iclo (ont?nuo com (ilindro de upla Ação

Para +ue se-a )eito um ciclo cont4nuo1 +uando o cilindro cegar até o rolete 7971 'ara energi,ar
7d;1 7d7 de#e estar desenergi,ado1 'ara n"o ocorrer contra'ress"o& InsereKse no circuito um no#o
)imKdeKcurso 7971 normal a.erto1 no curso de retorno do cilindro& O contato do )imKdeKcurso 9? é
re'resentado )ecado no circuito Vem.ora 'ossa ser reconecido como normal a.erto 'or dois
)atores N seus contatos rece.em a numera!"o 7? e 7A e tam.ém / uma seta em cima de 7971
re'resentando o camesW& Camamos este contato de normal a.erto e inicialmente )ecado&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 101 de 160
Assim1 no circuito da %igura 77F1 +uando o cilindro 'artir1 ele dei0ar/ de estar em contato
com 7971 +ue tem seus contatos #oltados ao +ue s"o realmente Va.ertosW&

Huando o cilindro atingir 79; 'ara energi,ar 7d;1 como 797 est/ a.erto1 n"o a#er/ energia
elétrica em 7d71 n"o a#endo1 'ortanto1 o 'erigo de contra'ress"o& O cilindro reali,ar/ um ciclo
cont4nuo&

A %igura 77< a'resenta um circuito cont4nuo ilimitado tra!ado com uma #/l#ula direcional
CJ; #ias sim'les ser#ocomando&
' ' VW
X0RW
. 40
A.
A0
. / 0
. Y
. R
. A
. W
R 0
D
.
Y
. 4. . 40
. / 0 . / .
. 4.
A.
A0
/ .
. Y
. R
. / .
. Y
. R
. 0

6igura 11'7 (iclo (ont?nuo com (ilindro upla Ação com upla Pilotagem

No circuito da %igura 77<1 o )imKdeKcurso 797 é utili,ado somente 'ara +ue o rel6 X7 n"o se-a
energi,ado no#amente a'2s a +ue.ra do selo 'or 79;& Huando o atuador come!a seu retorno1 79;
)eca no#amente seus contatos& 9e n"o e0istisse 7971 assim +ue o contato 79; )osse )ecado1 a .o.ina
do rel6 X7 se energi,aria no#amente&

Nos circuitos das %iguras 77F e 77< ser"o inseridos .ot*es de emerg6ncia& M/ #/rios
'rinc4'ios de )uncionamento dos .ot*es de emerg6ncia1 +ue aos 'oucos ser"o a'resentados nesta
a'ostila& O mais usado é a+uele +ue )a, com +ue o cilindro retorne imediatamente +uando
'ressionado1 n"o im'orta em +ue 'osi!"o este-a& Para +ue isso aconte!a1 no caso de #/l#ulas du'lo
solen2ide ou du'lo ser#ocomando1 de#eKse desenergi,ar o solen2ide res'ons/#el 'elo 'iloto
es+uerdo da #/l#ula e energi,ar o solen2ide res'ons/#el 'elo retorno do cilindro1 con)orme é
a'resentado na %igura 77>&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 10$ de 160
!!PQ
R=SQ
CT
CQ
S =
U
C
V
CHC CH=
C<= C<C
<C
CV
CS
C<C
CV
CS
C<=
CV
CS
BC
CV
CS
BC
TC
T=
CH=
TC
T=
CHC
TC
T=
<=
CV
CS
C = V S

6igura 11*7 (iclo (ont?nuo com 4otão de EmergNncia

No circuito da %igura 77>1 9; é o .ot"o de emerg6ncia& Ele energi,a a .o.ina de um rel6 X71
cu-os contatos ser"o res'ons/#eis 'ela desenergi,a!"o de 7d7 e energi,a!"o de 7d;& Isso )a, com +ue
o cilindro retorne1 n"o im'orta em +ue 'osi!"o este-a& Para +ue o ciclo se reinicie1 é necess/rio +ue se
'ressione no#amente o .ot"o tra#a 9;&

Para o caso do ciclo cont4nuo reali,ado com uma #/l#ula sim'les solen2ide1 a solu!"o é mais
sim'les& Gasta +ue se desenergi,e o solen2ide res'ons/#el 'ela 'ilotagem da #/l#ula e conse+cente
a#an!o do atuador&

!!TK
U?OK
HV
HK
O ?
W
H
X
HI
H>? H>H
>H
HX
HO
H>H
HX
HO
>
?
HH H?
HI
VH
V?
YH
VH
V?
YH
HX
HO
YH
?X
?O
H>?
H ? X O W

6igura 1$07 (iclo (ont?nuo com (ilindro upla Ação e .ál>ula ,H$ .ia8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 103 de 160
No circuito da %igura 7;@1 o .ot"o de emerg6ncia é o 9;& 9ua )un!"o é desati#ar a )onte1 n"o
'ermitindo +ue cegue mais energia elétrica a nenum 'onto do circuito& 8esta )orma1 com 7d
desenergi,ado1 a mola 'ilota o retorno da #/l#ula 75 e o cilindro retorna1 n"o im'orta em +ue 'osi!"o
este-a&

Os e0em'los das %iguras 77F a 7;@ tra,em ciclos cont4nuos ilimitados& E se dese-armos um
ciclo cont4nuo limitado1 ou se-a1 se +uisermos +ue um atuador e)etue cinco ciclos e de'ois 'aree Para
resol#ermos este 'ro.lema1 necessitamos de um rel6 contador1 como 'ode ser #isto na %igura 7;7&

!!XY
ZE[ Y
DVE
CD
CE
DTE
D\
D[
DC
DY
[ E
]
D
\
DVD DVE
DTE DTD
DVD
CD
CE
TD
D\
D[
TD
ED
EE
<+ !!]
DTD
<+
DD
DE
D E \ [
D

6igura 1$17 (iclo (ont?nuo &imitado
O rel6 contador le#a a nomenclatura XC e 'ossui duas .o.inas1 uma contadora e outra
,eradora& Os contatos da .o.ina contadora le#am a numera!"o A7 e A; e toda #e, +ue )or energi,ada
conta um n(mero& 8esta maneira1 ao energi,armos uma #e, Ve a'2s desenergi,armos1 claroW a .o.ina
contadora de Xc1 ela registrar/ o n(mero 7& A segunda #e, o n(mero ; e assim 'or diante1 até atingir o
n(mero 'redeterminado& Ao atingir este n(mero1 seu contato é in#ertido& Este contato s2 #oltar/ ]
'osi!"o original +uando o rel6 contador )or ,erado& Para isso1 utili,ados a .o.ina ,eradora1 cu-os
contatos s"o re'resentados 'ela numera!"o R7 e R;& No circuito da %igura D<1 toda #e, +ue o atuador
.ater no )imKdeKcurso 9;1 energi,ar/ a .o.ina contadora do rel6 contador1 contando um ciclo& Huando
.ater cinco #e,es em 9;1 in#erter/ o contado de XC1 n"o 'ermitindo mais +ue 7d7 se-a energi,ado&
Para reiniciar um no#o ciclo1 o .ot"o 97 de#er/ ser 'ressionado no#amente1 o +ue )a, com +ue a
.o.ina ,eradora se-a energi,ada1 ,erando o rel6 contador e 'ermitindo +ue ser reinicie um no#o ciclo&

A %igura 7;; a'resenta uma )oto de um contador digital1 )a.ricado 'ela %esto&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 10+ de 160

6igura 1$$7 (ontador igital
Para o caso de uma #/l#ula direcional sim'les ser#ocomando1 a solu!"o é a'resentada no
circuito da %igura 7;?&

B
C D
CE
!!>F
GBHF
CE
I C
I B
CI
CF
JC
I C
I B
JC
CD
CH
JC
BD
BH
CKB CKC
CKB
CC
CB
J+ !!L
KC
CD
CH
KC
BC
BB
CKC
CD
CH
J+
CC
CB
C B D H L
B
D
C

6igura 1$37 (iclo (ont?nuo com .ál>ula 3H$ .ia8




Automação Pneumática e Eletropneumática Página 10, de 160
M/ tam.ém um outro ti'o de rel6 es'ecial +ue é de grande im'ortYncia 'ara a eletroK
'neum/tica& E o rel6 tem'ori,ador& M/ dois ti'os construti#os3 o rel6 tem'ori,ador com retardo no
energi,ar e o rel6 tem'ori,ador com retardo no desenergi,ar1 cu-os s4m.olos est"o a'resentados na
%igura 7;A&
#
Q Q
F/ 012#$/ &- *+,; %. *+/ 2
F/ $%+. *#6*#. / 2/ 6/ +5,; %+ F/ $%+. *#6*#/ 6/ +5,; %+
D O

6igura 1$+7 RelN TemporiSador

O rel6 tem'ori,ador com retardo no desenergi,ar )unciona da seguinte maneira3 +uando sua
.o.ina é energi,ada1 ele in#erte todos os seus contatos imediatamente& Assim +ue sua .o.ina )or
desenergi,ada1 o tem'o 'redeterminado come!a a ser contado e +uando este tem'o 'assar1 todos os
seus contatos s"o in#ertidos1 #oltando ] 'osi!"o original&

P/ o rel6 tem'ori,ador com retardo no energi,ar tra.ala de modo di)erente3 +uando sua
.o.ina é energi,ada1 ele come!a a contar o tem'o 'redeterminado& Huando este tem'o )or #encido1
seus contatos s"o in#ertidos& Assim +ue sua .o.ina é desenergi,ada1 ele in#erte imediatamente seus
contatos1 +ue #oltam ] 'osi!"o original&

A %igura 7;C a'resenta uma )oto de uma cai0a de rel6s tem'ori,adores&


6igura 1$,7 (ai;a8 de RelN8 TemporiSadore8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 106 de 160
5amos agora tra!ar um circuito eletroK'neum/tico no +ual o cilindro 'ermanece a#an!ado
durante cinco segundos e de'ois retorna automaticamente& Tal circuito é a'resentado na %igura 7;D1
resol#ido utili,ando uma #/l#ula direcional du'lo ser#ocomando e na %igura 7;F1 resol#ido utili,ando
uma #/l#ula direcional sim'les ser#ocomando&

!!F9
G) D9
HI
H9
D )
J
H
B
HKH HK)
HL) HLH
LH
HB
HD
HLH
HB
HD
HL)
HB
HD
HKH
I H
I )
HK)
I H
I )
MH J
I H
I )
MH
H(
HN
H ) B
B

6igura 1$67 (ilindro :ica A>ançado por , )egundo8

O.ser#e1 na %igura 7;D1 +ue os contatos de um rel6 tem'ori,ador t6m uma numera!"o
di)erente3 F e < 'ara contatos a.ertos e C e D 'ara contatos )ecados&

J
K 0
KL
!!MN
OJDN
KP
KN
QK
PK
PJ
QK
K0
KD
KHJ KHK
HK
K0
KD
KHK
K0
KD
QJ @
PK
PJ
KL
PK
PJ
KHJ
K0
KD
QK
J0
JD
QJ
K@
KA
K J 0 D
@

6igura 1$07 (iclo (ont?nuo (ilindro A>ança por , )egundo8 com .ál>ula de 3H$ >ia8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 100 de 160
9e +uisermos limitar o n(mero de ciclos no circuito da %igura 7;D1 .asta inserir no um rel6
contador1 como 'ode ser #isto na %igura 7;<&

!!HI
JKLI
MN
MI
L K
)
M
O
MPM MPK
MQK MQM
QM
MO
ML
MQM
MO
ML
MQK
MO
ML
MPM
NM
NK
MPK
NM
NK
RM )
NM
NK
RM
M(
MS
R+ !!)
QM
KM
KK
R+
MM
MK
M K O L )
O M

6igura 1$'7 (iclo (ont?nuoE (ilindro A>ançado por , )egundo8 com upla Pilotagem

Para circuitos +ue acionam m/+uinas +ue o)erecem 'erigo ao usu/rio1 como 'rensas1 é
necess/ria a con)ec!"o de circuitos em +ue o o'erador mantena as duas m"os ocu'adas& Camamos
a estes comandos de .imanuais& M/ desde os .astante sim'les1 +ue n"o s"o muito seguros1 até os mais
com'le0os1 e#identemente com dis'ositi#os e solu!*es +ue o)erecem muito mais seguran!a& Um
circuito com comando .imanual é a'resentado na %igura 7;>&

!!HI
JKLI
MN
MI
L K
)
M
O
MPM MPK
MQK MQM
MPM
NM
NK
MPK
NM
NK
MQK
MO
ML
MQM
MO
ML
QM
MO
ML
QK
MO
ML
M K

6igura 1$*7 (ircuito com (omando 4imanual


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 10' de 160
No circuito da %igura 7;>1 o solen2ide 7d7 s2 ser/ energi,ado +uando o o'erador 'ressionar os
dois .ot*es 'ulso1 97 e 9;& Entretanto1 é )/cil dri.lar esta limita!"o1 .astando +ue o o'erador )i0e um
dos dois .ot*es com uma )ita adesi#a1 mantendo uma das m"os li#res e acionando o circuito com
a'enas um .ot"o&

A %igura 7?@ a'resenta um circuito comando .imanual mais so)isticado&
##UV
W>TV
5 H
5 V
T >
X
5
O
565 56>
5=> 5=5
=5
5O
5T
=>
5O
5T
565
H5
H>
56>
H5
H>
5=>
5O
5T
N5
H5
H>
NO X
H5
H>
NT
H5
H>
N>
H5
H>
N5
5O
5T
N5
>O
>T
N>
5O
5T
5=5
5O
5T
N>
>O
>T
NT
>O
>T
NT
55
5>
NO
5X
5.
5 > O T X . -
O
X
T
X
X . O

6igura 1307 (omando 4imanual de (ilindro de upla Ação

O circuito da %igura 7?@ é cl/ssico& 9e o o'er/rio demorar mais de dois segundos 'ara acionar
os dois .ot*es 97 e 9;1 o cilindro n"o 'arte mais& 8esta )orma1 n"o adiantar/ nada se ele )i0ar um dos
dois .ot*es1 'ara tentar manter uma m"o li#re& A )un!"o do rel6 tem'ori,ador X? é somente marcar
este tem'o& Uma #e, +ue o o'erador tena acionado os dois .ot*es num inter#alo menor +ue dois
segundos1 'odeKse tir/Klo de o'era!"o& Para isso1 é utili,ado um contato do rel6 XA& 9e o o'erador
acionar os dois .ot*es num inter#alo menor do +ue dois segundos1 energi,ar/ a .o.ina do rel6 XA1
+ue desati#ar/ o rel6 tem'ori,ador X? e energi,ar/ o solen2ide 7d71 )a,endo com +ue o cilindro


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 10* de 160
'arta&

No circuito da %igura 7?@1 o .ot"o 97 é 'ressionado1 energi,ando o rel6 tem'ori,ador X?1 mas
n"o consegue energi,ar o rel6 XA& O rel6 tem'ori,ador X? inicia a contagem de tem'o& 9e o o'erador
n"o 'ressionar o .ot"o 9; num inter#alo menor do +ue dois segundos1 o contato do rel6 tem'ori,ador
X? é a.erto1 n"o 'ermitindo mais +ue se energi,e X7& Caso o o'erador a'erte 9; em menos de dois
segundos de inter#alo1 a .o.ina do rel6 XA é energi,ada& O contato 771 7; de XA desenergi,a a .o.ina
do rel6 tem'ori,ador com retardo no energi,ar Vo rel6 n"o tem mais utilidade neste cicloW e o contato
;?1 ;A de XA energi,a o solen2ide 7d71 )a,endo com +ue a #/l#ula 75 se-a 'ilotada e o cilindro 'arta&

Huando o atuador cegar ao )im de seu curso e 'ressionar o rolete 9?1 energi,ar/ o solen2ide
7d;1 res'ons/#el 'elo retorno da #/l#ula ] sua 'osi!"o normal e 'elo retorno do cilindro&

E#identemente um circuito 'ara acionar uma 'rensa necessita de um sistema de emerg6ncia&
Incor'oramos tal sistema no circuito da %igura 7?@1 +ue é a'resentado na %igura 7?7&

!!UT
VCAT
BW
BT
A C
?
B
:
BDB BDC
B9C B9B
9B
B:
BA
9C
B:
BA
BDB
WB
WC
BDC
WB
WC
B9C
B:
BA
>B
WB
WC
>: ?
WB
WC
>A
WB
WC
>C
WB
WC
>B
B:
BA
>B
C:
CA
>C
B:
BA
B9B
B:
BA
>C
C:
CA
>A
C:
CA
>A
BB
BC
>:
B?
BX
>?
WB
WC
9A
BB
BC
9:
B:
BA
>?
: :
: A
>?
C:
CA
>?
BB
BC
B C : A ? X ( ) L BU
: A ? X : ) X
6igura 1317 (ircuito com (omando 4imanual e 4otão %anual


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 110 de 160
Na %igura 7?71 o .ot"o 9? ao ser 'ressionado energi,a a .o.ina do rel6 XC1 +ue util,a seu
contato ??1 ?A 'ara se manter energi,ado e o contato 771 7; 'ara desenergi,ar 7d7& O contato ;?1 ;A
de XC é usado 'ara energi,ar 7d;& E o .ot"o de emerg6ncia& 9A é utili,ado 'ara +ue.rar o selo de XC e
'ermitir +ue se reinicie o ciclo& O circuito .imanual 'ara o caso de se usar uma #/l#ula direcional CJ;
#ias sim'les ser#ocomando é a'resentado na %igura 7?;&

Na %igura 7?;1 o .ot"o 9? ao ser 'ressionado energi,a o rel6 XC1 +ue utili,a seu contato ??1
?A 'ara se manter energi,ado e o contato 771 7; 'ara desenergi,ar 7d7 e ;?1 ;A 'ara energi,ar 7d;&
9? é o .ot"o de emerg6ncia& O .ot"o 9A é utili,ado 'ara +ue.rar o selo de XC e 'ermitir +ue se reinicie
o ciclo& No circuito com sim'les se#ocomando1 / a necessidade de se manter o solen2ide 7d7
energi,ado até +ue o cilindro cegue ao seu )im de curso e acione 9?& Para +ue isso aconte!a1 é
necess/rio +ue o rel6 XA tena uma autoKreten!"o& Huando o atuador cegar em 791 este rolete
+ue.rar/ o selo1 'ara +ue a mola da #/l#ula 75 atue e a 'ilote de #olta1 )a,endo com +ue o cilindro
retorne& E usado o rel6 XC1 energi,ado 'elo rolete 791 'ara e)etuar esta tare)a& O .ot"o 9A é
res'ons/#el 'ela +ue.ra do selo do rel6 XD1 +uando o .ot"o de emerg6ncia é acionado& 9D é
comumente camado de .ot"o ,erador&

""TU
PQ=U
7 O
7 U
= Q
2
7
V
7W7
78
87
7V
7=
8Q
7V
7=
7W7
O7
OQ
78
7V
7=
17
O7
OQ
1V 2
O7
OQ
1=
O7
OQ
1Q
O7
OQ
17
7V
7=
17
QV
Q=
1Q
7V
7=
1Q
QV
Q=
1=
VV
V=
1=
77
7Q
1V
72
7B
8=
77
7Q
8V
7V
7=
1B
VV
V=
1B
77
7Q
12
77
7Q
12
O7
OQ
1B
O7
OQ
1=
QV
Q=
7 Q V = 2 B F S G 7T

6igura 13$7 (ircuito com (omando 4imanual com 4otão de EmergNncia com .ál>ula ,H$ .ia8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 111 de 160
11. (IR(!ITO) )E3!EN(IA)
77&7& METO8O INTUITI5O

O Método Intuiti#o n"o o.edece a nenuma regra e o circuito de'ende inteiramente do talento
e racioc4nio do 'ro-etista& E mais utili,ado em se+c6ncias diretas&

9e-a a se+c6ncia 7AU;AU7AK;AK& A %igura <@ a'resenta o diagrama eletroK 'neum/tico ca'a,
de reali,ar estes mo#imentos&

!
R >
S
;
T
; U; ; U>
;
)
)
V
; W;
; W>
R >
S
;
T
>U; >U>
;
)
)
V
>W;
>W>
; < > < ; C; ; C> >C>
=>RW
!!) W
C;
; T
; R
; U;
<;
<>
>U;
<;
<>
; U>
<;
<>
>U>
<;
<>
; C>
; T
; R
>C>
; T
; R
; C;
; T
; R
; > T R

6igura 1337 (ircuito da )e=ONncia 1 A P $ A P 1 A 2 $ A D




Automação Pneumática e Eletropneumática Página 11$ de 160
Esta se+c6ncia é camada de direta& 9e se'ararmos a se+c6ncia de mo#imentos na metade e
com'ararmos am.os os lados1 #eremos +ue um é e0atamente igual ao outro1 des're,andoKse os
sinais3
7AU;AUf7AK;AK
7A;A b 7A;A

Ou se-a1 a ordem de retorno dos cilindros acom'ana a ordem de a#an!o& 7A a#an!a 'rimeiro e
retorna 'rimeiro& ;A a#an!a em segundo lugar e retorna em segundo&

No circuito da %igura 7??1 os solen2ides s"o numerados de acordo com a seguinte regra3

Por e0em'lo1 se-a o solen2ide 7d7 N o 'rimeiro n(mero Z7[ di, res'eito ao cilindro 7A e o
(ltimo n(mero signi)ica +ue ele é o 'rimeiro solen2ide do cilindro 7A& O mesmo raciocino 'ode ser
a'licado 'ara o solen2ide ;d; N o 'rimeiro n(mero Z;[ di, res'eito ao )ato de +ue ele 'ertence ]
#/l#ula direcional +ue 'ilota o cilindro ;A e o (ltimo n(mero signi)ica +ue é o segundo solen2ide da
#/l#ula1 ou o solen2ide da direita& Ao se 'ressionar o .ot"o 'ulso 971 energi,aKse o solen2ide 7d7 e a
#/l#ula 757 é 'ilotada1 en#iando ar 'ara a cYmara de a#an!o do cilindro 7A1 como 'ode ser #isto na
%igura 7?A&
$
T C
U
2
V
232 23C
EW2AXY
2
X
X
Z
2K2
2KC
T C
U
2
V
C32 C3C
EWX
2
X
X
Z
CK2
CKC
2 ; C; 2I 2 2I C CI C
SCTK
$$XK
I 2
2V
2T
232
; 2
; C
C32
; 2
; C
23C
; 2
; C
C3C
; 2
; C
2I C
2V
2T
CI C
2V
2T
2I 2
2V
2T
2 C V T

6igure 13+7 (ircuito da )e=ONncia 1 A P $ A P 1 A 2 $ A D (om 4otão Pul8ador


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 113 de 160
Ao a#an!ar1 o cilindro 7A 'ressiona o )imKdeKcurso 79;1 +ue energi,ar/ ;d71 'ara +ue o
cilndro ;A 'ossa a#an!ar1 como 'ode ser #isto na %igura 7?C& Ao a#an!ar1 o cilindro 7A dei0a de estar
em contato com o )imKdeKcurso 7971 cu-o contato se a.re&
K 7
L
.
J
. <. . <7
%MN
.
N
N
O
. P.
. P7
K 7
L
.
J
7<. 7<7
%M. @NQ
.
N
N
O
7P.
7P7
. ! 7 ! . 6. . 67 767
H7KP
##NP
6.
. J
. K
. <.
! .
! 7
7<.
! .
! 7
. <7
! .
! 7
7<7
! .
! 7
. 67
. J
. K
767
. J
. K
. 6.
. J
. K
. 7 J K

6igura 13,7 (ircuito da )e=ONncia 1 A P $ A P 1 A 2 $ A D )imulado .ia )o:tMare

Ao a#an!ar1 o cilindro ;A 'ressiona o )imKdeKcurso ;9;1 +ue energi,ar/ o solen2ide 7d;1
res'ons/#el 'elo retorno do cilindro 7A1 como 'ode ser #isto na %igura 7?D&






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 11+ de 160

G >
I
;
)
; E; ; E>
@J1; H>)
;
K
K
L
; M;
; M>
G >
I
;
)
>E; >E>
@JK
;
K
K
L
>M;
>M>
; < > < ; B; ; B> >B>
=>GM
!!KM
B;
; )
; G
; E;
<;
<>
>E;
<;
<>
; E>
<;
<>
>E>
<;
<>
; B>
; )
; G
>B>
; )
; G
; B;
; )
; G
; > ) G

6igura 1367 (ircuito Eletro2Pneumatico da 8e=ONncia 1 A P $ A P 1 A 2 $ A D

Ao retornar1 o cilindro 7A 'ressiona no#amente o )imKdeKcurso 7971 +ue energi,ar/ o
solen2ide ;d;1 res'ons/#el 'elo retorno do cilindro ;A1 )ecando assim a se+c6ncia1 como 'ode ser
#isto na %igura 7?F&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 11, de 160
) B
K
L
M
LCL LCB
JNO
L
O
O
P
LQL
LQB
) B
K
L
M
BCL BCB
JNO
L
O
O
P
BQL
BQB
L ; B; LRL LRB BRB
<B) Q
!!OQ
RL
LM
L)
LCL
; L
; B
BCL
; L
; B
LCB
; L
; B
BCB
; L
; B
LRB
LM
L)
BRB
LM
L)
LRL
LM
L)
L B M )

6igura 1307 (ircuito Eletro2Pneumático da )e=ONncia AP4PA242

No circuito da %igura 7?F1 'erce.eKse +ue o solen2ide ;d; -/ é energi,ado assim +ue a )onte
)or ligada& Isso 'ode ser e#itado se inserir um outro )imKdeKcurso no cilindro ;A& A %igura 7?<
a'resenta este no#o circuito&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 116 de 160
!
J >
)
;
I
; S; ; S>
;
T
T
U
; V;
; V>
J >
)
;
I
>S; >S>
;
T
T
U
>V;
>V>
; < > < ; A; ; A> >A; >A>
=>JV
!!TV
A;
; I
; J
; S;
<;
<>
>S;
<;
<>
; S>
<;
<>
>S>
<;
<>
; A>
; I
; J
>A>
; I
; J
; A;
; I
; J
>A;
; ;
; >
; > I J

6igura 13'7 (ircuito Eletro pneumático da )e=ONncia 1 A P $ A P 1 A 2 $ A D
E im'ortante 'erce.er +ue o contato 797 é normal a.erto Vest/ inicialmente )ecado 'or+ue
est/ em contato com o cames do cilindroW e 'or isso rece.e a numera!"o 7? e 7A& O contato ;97 é
normal )ecado e 'or isso rece.e a numera!"o 77 e 7; Vest/ inicialmente a.erto 'or+ue em contato
com o camesW&

Esta se+c6ncia 'ode ser tra!ada utili,andoKse #/l#ulas sim'les solen2ide1 como 'ode ser
#isto na %igura 7?>&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 110 de 160
!
N >
O
;
P
; Q
;
R
R
S
; T;
; T>
N >
O
;
P
>Q
;
R
R
S
>T;
>T>
; < > < ; B; ; B> >B; >B>
=>NT
!!RT
B;
; P
; N
>Q
<;
<>
; B>
; P
; N
; Q
<;
<>
G;
<;
<>
G>
<;
<>
G;
; P
; N
G;
>P
>N
>B>
; ;
; >
; B;
; ;
; >
G>
; P
; N
G>
>P
>N
; > P N O )
>
P
O
)

6igura 13*7 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia 1 A P $ A P 1 A 2 $ A D

Para +ue n"o ocorra um retorno do cilindro +uando o .ot"o 'ulso 97 n"o esti#er mais
'ressionado1 utili,aKse uma autoKreten!"o no rel6 X71 como 'ode ser #isto na %igura <D& O retorno do
cilindro é )eito ao se desenergi,ar X71 +ue.rando seu selo& Para isso é utili,ado o )im de curso ;9;&

O ciclo cont4nuo da se+c6ncia 7AU;AU7AK;AK é a'resentado no circuito da %igura 7A@&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 11' de 160
!
Q >
O
;
S
; T; ; T>
;
U
U
V
; W;
; W>
Q >
O
;
S
>T; >T>
;
U
U
V
>W;
>W>
; < > < ; G; ; G> >G; >G>
=>QW
!!UW
; T;
<;
<>
>T;
<;
<>
; T>
<;
<>
>T>
<;
<>
; G>
; S
; Q
>G>
; S
; Q
; G;
; S
; Q
G;
; S
; Q
>G;
; S
; Q
; > S Q

6igura 1+07 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia 1 A P $ A P 1 A 2 $ A 2. (iclo (ont?nuo

77&;& METO8O CA9CATA

Como no método cascata 'ara um circuito 'uramente 'neum/tico1 a 'rimeira tare)a a ser
e)etuada é a di#is"o da se+c6ncia em setores ou linas& 9e-a1 'or e0em'lo1 a se+c6ncia 7AU;AU;AK7AK&
Esta se+c6ncia 'ode ser di#idida em dois setores3

7AU;AUf;AK7AK
9etor I f 9etor II

9e na 'neum/tica o n(mero de #/l#ulas CJ; #ias ou AJ; #ias res'ons/#eis 'ela mudan!a de
linas era igual ao n(mero de setores menos 71 a+ui estas #/l#ulas s"o su.stitu4das 'or rel6s&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 11* de 160
Portanto1 o n(mero de rel6s res'ons/#eis 'ela mudan!a das linas elétricas é igual ao
n(mero de setores menos um& Isso n"o +uer di,er +ue no circuito n"o 'ossa a#er um n(mero maior
de rel6s&

Este n(mero Vsetores menos umW é somente 'ara os rel6s da cascata&

O segundo 'asso é tra!ar a cascata elétrica& Para dois setores Vou duas linasW1 a cascata é da
seguinte )orma3
I J
JL
JM
I J
KJ
KK
Linha I Linha II
J K

6igura 1+17 (a8cata El<trica para doi8 )etore8

Para tr6s setores Vtr6s linasW3
)
I J
JL
JM
I J
KJ
KK
Linha I
I K
JL
JM
I K
KJ
KK
Linha II
Linha III
K L

6igura 1+$7 (a8cata El<trica para TrN8 )etore8

Ou se-a1 temKse contatos de X7 Vum )ecado e um a.ertoW 'aralelos e contatos de X; Vum
a.erto e um )ecadoW tam.ém 'aralelos&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$0 de 160
Para +uatro setores V+uatro linasW3

VW
WU
WX
VW
SW
SS
Linha I
VS
WU
WX
VS
SW
SS
Linha II
VU
WU
WX
VU
SW
SS
Linha IV
Linha III
U X


6igura 1+37 (a8cata El<trica para =uatro )etore8

E assim 'or diante& 9em're com dois contatos de cada rel6 em 'aralelo& Essa estrutura se de#e
ao )ato de +ue a lina II de#a de'ender da lina I1 a lina III de'enda da lina II 'ara ser energi,ada e
assim 'or diante& Tam.ém 'or+ue1 ao se energi,ar a lina II1 a lina I se-a desenergi,ada& Ao se
desenergi,ar a lina III1 a lina II de#e ser desenergi,ada e assim 'or diante&

No Método Cascata 'uramente 'neum/tico1 a (ltima lina sem're inicia#a a se+c6ncia de
mo#imentos 'ressuri,ada& A+ui a (ltima lina inicia a se+c6ncia energi,ada&

O racioc4nio continua o mesmo +ue 'ara o Método Cascata 'uramente 'neum/tico3 A (ltima
lina é desenergi,ada 'ara +ue se energi,e a lina seguinte1 +ue 'or sua #e, ser/ desenergi,ada 'ara
energi,ar a seguinte e assim 'or diante& Ent"o1 'ara +uatro setores1 a Lina I5 ser/ denergi,ada e a
Lina I se energi,a& Ao se desenergi,ar a Lina I1 a Lina II é imediatamente energi,ada e assim 'or
diante& Para a mudan!a de lina1 analogamente ao Método Cascata 'uramente 'neum/tico1 em +ue
de#iam ser 'ilotadas #/l#ulas CJ; #ias1 a+ui de#em ser energi,adas as .o.inas dos rel6s&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$1 de 160
A +uantidade de rel6s utili,ados na mudan!a de linas é igual ao n(mero de setores menos
um& Para +uatro setores temKse1 'ortanto1 ? rel6s&

O 'r20imo 'asso é inserir todos os solen2ides e rel6s1 como 'ode ser #isto na %igura 7AA&
"
P H
Q
E
R
EJ E EJ H
E
S
S
T
EUE
EUH
P H
Q
E
R
HJ E HJ H
E
S
S
T
HUE
HUH
EF HF EVH HVE HVH
GHPU
""SU
EJ E
FE
FH
HJ E
FE
FH
EJ H
FE
FH
HJ H
FE
FH
VE
ER
EP
WE
FE
FH
WE
ER
EP
WE
HR
HP
WE
RE
RH
XYZ[ F" Y XYZ[ F" YY
E H R Q \
H
R
Q

6igura 1++7 Primeiro Pa88o na (on8trução 2 (a8cata da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A D

E#identemente os solen2ides 7d7 e ;d7 n"o 'odem )icar acionados desta maneira e tam'ouco
;d7 e ;d;1 sen"o acarretaria mo#imentos simultYneos e desordenados&

Gasta1 ent"o1 inserir os )insKdeKcurso1 res'ons/#eis 'ela organi,a!"o da se+c6ncia de
mo#imentos1 o +ue resulta no circuito da %igura 7AC&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$$ de 160
!
L 9
S
6
K
6T6 6T9
6
R
R
U
6V6
6V9
L 9
S
6
K
9T6 9T9
6
R
R
U
9V6
9V9
6 7 9 7 6A9 9A6 9A9
89LV
!!RV
6T6
76
79
9T6
76
79
6T9
76
79
9T9
76
79
6A9
6K
6L
9A6
6K
6L
A6
6K
6L
B6
76
79
B6
6K
6L
B6
9K
9L
B6
K6
K9
9A9
66
69
WQ; X7! Q WQ; X7! QQ
6 9 K S Y
9
K
S

6igura 1+,7 (a8cata da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A D

Na %igura 7AC1 ao ser 'ressionado o .ot"o 'ulso 971 a .o.ina do rel6 X7 é energi,ada1 o +ue )a,
com +ue os contatos de X7 se-am in#ertidos& O 'rimeiro contato1 7? e 7A1 é res'ons/#el 'elo selo ou
autoKreten!"o no rel6 X7& Ou se-a1 o rel6 utili,a um de seus contatos 'ara se manter energi,ado a'2s a
a.ertura de 97& Os outros dois contatos de X71 ;? e ;A1 ?7 e ?; s"o res'ons/#eis 'ela mudan!a de
lina& Ao se )ecar o contato ;? e ;A1 a energi,a!"o 'assa 'ara a lina I e ao se a.rir o contato ?7 e ?;1
esta lina II 'assa a )icar desenergi,ada&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$3 de 160
Como o rel6 X7 est/ diretamente ligado do contato ;? e ;A de X71 ele é energi,ado assim +ue
esta mudan!a de lina é )eita1 'ro'orcionando o a#an!o do cilindro 7A1 como 'ode ser #isto na %igura
7AD&

Na %igura 7AC1 os mo#imentos de retorno de ;A e de 7A est"o na lina Vou setorW II e os
mo#imentos de a#an!o de 7A e de ;A est"o no setor Vou linaW I& 8esta )orma1 o 'rimeiro 'asso é
se'arar estes solen2ides1 ligandoKos ]s res'ecti#as linas& Como o a#an!o do cilindro 7A acontece na
lina I e a energia elétrica est/ na lina II1 utili,aKse o .ot"o 'ulso 97 'ara a desenergi,a!"o da lina II
e energi,a!"o da lina I& Isso se d/ 'or meio da energi,a!"o da .o.ina do rel6 X7& Ao ser energi,ada
esta .o.ina1 o rel6 in#erte seus contatos& O contato N% ?7 e ?; de X7 se a.re e 'ermanece a.erto V/
um selo na .o.ina de X7W e o contato ;? e ;A de X7 se )eca e 'ermanece )ecado& E desta maneira
+ue acontece a mudan!a de linas no método cascata& O cilindro A a#an!a e atinge o )imKdeKcurso 9;1
+ue energi,a ;d7 e 'ilota a #/l#ula ;571 )a,endo com +ue o cilindro ;A a#ance& O )imKdeKcurso ;9; do
cilindro de#er/ )a,er o retorno de ;A1 ou se-a1 energi,ar ;d;& ;d;1 entretanto1 é energi,ado na Lina
II& Para +ue se retorne 'ara esta lina1 o rel6 X7 de#e ser desenergi,ado& Essa desenergi,a!"o é )eita
+ue.randoKse a autoKreten!"o1 +ue mantém a .o.ina do rel6 energi,ada& Assim1 na lina II1 'odem ser
)eitos os dois 'r20imos mo#imentos da se+c6ncia& E#identemente estas con)igura!*es 'odem se
modi)icar& Por e0em'lo1 o .ot"o 'ulso 97 n"o de#e estar necessariamente nesta 'osi!"o em +ue se
encontra na %igura 7AC& Isto #ai de'ender de sua )un!"o e da criati#idade do 'ro-etista&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$+ de 160
!
K =
L
:
M
: H: : H=
CN: ?) O
:
)
)
P
: Q:
: Q=
K =
L
:
M
=H: =H=
CN)
:
)
)
P
=Q:
=Q=
: ; = ; : += =+: =+=
<=KQ
!!) Q
: H:
; :
; =
=H:
; :
; =
: H=
; :
; =
=H=
; :
; =
: +=
: M
: K
=+:
: M
: K
+:
: M
: K
R:
; :
; =
R:
: M
: K
R:
=M
=K
R:
M:
M=
=+=
: :
: =
STUV; ! T STUV; ! TT
: = M K L W O
=
M
L

6igura 1+67 )imulação do (ircuito (a8cata da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A D

O cilindro 7A a#an!a& Huando 'ressionar o )imKdeKcurso 79;1 o solen2ide ;d7 ser/
energi,ado1 )a,endo com +ue o cilindro ;A a#ance1 como 'ode ser #isto na %igura 7AF&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$, de 160
!
M <
N
)
O
) P) ) P<
AQR
)
R
R
S
) T)
) T<
M <
N
)
O
<P) <P<
AQR
)
R
R
S
<T)
<T<
) : < : ) +< <+) <+<
; <MT
!!RT
) P)
: )
: <
<P)
: )
: <
) P<
: )
: <
<P<
: )
: <
) +<
) O
) M
<+)
) O
) M
+)
) O
) M
G)
: )
: <
G)
) O
) M
G)
<O
<M
G)
O)
O<
<+<
) )
) <
UHVW: ! H UHVW: ! HH
) < O M N X Y
<
O
N

6igura 1+07 )imulação do (ircuito (a8cata da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A D. )egundo Pa88o

O cilindro ;A a#an!a e 'ressiona o )imKdeNcurso ;9;1 +ue desenergi,ar/ a .o.ina do rel6 X71
+ue.rando assim o selo& Isso )ar/ com +ue todos os contatos de X7 se-am in#ertidos1 #oltando ]s suas
'osi!*es originais& Assim1 a lina II #olta a ser energi,ada e a lina I desenergi,ada1 como 'ode ser
#isto na %igura 7A<&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$6 de 160

!
Q )
R
:
P
: D: : D)
HST
:
T
T
U
: V:
: V)
Q )
R
:
P
) D: ) D)
HST
:
T
T
U
) V:
) V)
: ; ) ; : +) ) +: ) +)
<) QV
!!TV
: D:
; :
; )
) D:
; :
; )
: D)
; :
; )
) D)
; :
; )
: +)
: P
: Q
) +:
: P
: Q
+:
: P
: Q
W:
; :
; )
W:
: P
: Q
W:
) P
) Q
W:
P:
P)
) +)
: :
: )
XMYZ; ! M XMYZ; ! MM
: ) P Q R [ \
)
P
R

6igura 1+'7 )imulação do (ircuito (a8cata da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A 2. Terceiro Pa88o

Com esta mudan!a de lina1 ;d; é energi,ado 'rimeiramente1 )a,endo o retorno de ;A e de'ois
7d;1 )a,endo o retorno de 7A1 )ecando assim a se+c6ncia de mo#imentos&

E im'ortante o.ser#ar +ue este método )oi criado 'ara e#itar +ual+uer so.re'osi!"o de sinal
Vcontra'ress"oW& Isto ocorre 'or+ue n"o ocorre a#an!o e retorno de um cilindro na mesma lina&

Um e0em'lo de +ue o .ot"o 'ulso 97 'ode ser trocado de lugar é o circuito da %igura 7A>&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$0 de 160
!
P >
Q
;
)
; R; ; R>
;
S
S
T
; U;
; U>
P >
Q
;
)
>R; >R>
;
S
S
T
>U;
>U>
; < > < ; G; ; G> >G; >G>
=>PU
!!SU
; R;
<;
<>
>R;
<;
<>
; R>
<;
<>
>R>
<;
<>
; G>
; )
; P
V;
<;
<>
V;
; )
; P
V;
>)
>P
V;
) ;
) >
>G>
; ;
; >
G;
; )
; P
; G;
; )
; P
>G;
; ;
; >
; > ) Q W
>
)
Q

6igura 1+*7 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia 1 A P 1 A 2 $ A P $ A D

No circuito da %igura 7A>1 'ara )acilitar a montagem do circuito1 a se'ara!"o dos setores é )eita
da seguinte maneira3

7AUf7AK;AUf;AK
9etor II f 9etor I f9etor II

A regra 'ara a se'ara!"o da se+c6ncia em setores é a seguinte3 n"o 'ode a#er mo#imentos
de um mesmo cilindro em uma mesma lina& 8a4 o moti#o de se 'oder colocar em um mesmo setor
7AU e ;AK& Esta se+c6ncia tam.ém 'ode ser se'arada da seguinte )orma3


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$' de 160
7AUf7AK;AUf;AK
Lina I f Lina II f Lina III

A escola de uma maneira de se se'arar esta se+c6ncia de'ender/ da #ontade do 'ro-etista&

!
C '
N
"
O
" P" " P'
"
Q
Q
R
" S"
" S'
C '
N
"
O
' P" ' P'
"
Q
Q
R
' S"
' S'
" # ' # " T" " T' ' T'
$' CS
!!QS
' P"
#"
#'
" T'
" O
" C
M"
#"
#'
M"
" O
" C
M"
OO
OC
M"
C"
C'
' T'
" "
" '
T"
" O
" C
" T"
" O
" C
M'
' O
' C
M'
O"
O'
M'
#"
#'
M'
" O
" C
" P"
#"
#'
M"
' O
' C
" P'
#"
#'
' P'
#"
#'
( -UV#! ---
( -UV#! -
( -UV#! --
" ' O C W X B
'
O
W
X C
N
W

6igura 1,07 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia 1 A P 1 A 2 $ A P $ A D

A %igura 7C@ a'resenta um circuito eletroK'neum/tico da se+c6ncia 7AU7AK ;AU;AK1 tra!ado
utili,andoKse tr6s linas Vtr6s setoresW& Para a trans)er6ncia da energia da Lina III 'ara a Lina I Vna
+ual ocorre o a#an!o do cilindro 7AW1 utili,aKse o rel6 X7 e 'ara a mudan!a de energia da Lina I 'ara
a II1 utili,aKse o rel6 X;& Para +ue a energia #olte 'ara a Lina III1 é im'ortante +ue 8e de8energiSem
o8 relN8 T1 e T$& A desenergi,a!"o de somente do rel6 X7 im'lica em +ue1 se o o'erador +uiser
iniciar um no#o ciclo1 isto n"o ser/ 'oss4#el 'or+ue a cascata n"o )oi inteiramente desenergi,ada&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1$* de 160
M/ uma +uest"o im'ortante a ser tratada3 'or +ue n"o s"o utili,adas #/l#ulas direcionais CJ;
#ias sim'les ser#ocomando 'ara se tra!ar os circuitos com o método cascatae Estas #/l#ulas s"o mais
.aratas e com #ida (til maior1 mas s2 é a'lic/#el em algumas se+c6ncias .em 'articulares& Isto
'or+ue1 +uando acontece as mudan!as de linas1 / a 'ossi.ilidade de desenergi,a!"o dos solen2ides
de a#an!o& No caso das #/l#ulas du'lo ser#ocomando n"o / 'ro.lema1 'or+ue elas memori,am o
(ltimo acionamento& Mas no caso das #/l#ulas sim'les ser#ocomando isso 'ode im'licar em retorno
indese-ado de um cilindro no instante errado1 com'rometendo a se+c6ncia de mo#imentos dese-ada&
Para ilustrar um circuito com tr6s cilindros1 é a'resentada na %igura 7C7 a resolu!"o da se+c6ncia
7AU7AK;AU?AU?AK;AK1 com tr6s setores&

P >
)
;
?
; H; ; H>
;
Q
Q
R
; D;
; D>
P >
)
;
?
>H; >H>
;
Q
Q
R
>D;
>D>
; < > < ; J; ; J> >J>
=>PD
!!QD
>H;
<;
<>
; J>
; ?
; P
S;
<;
<>
S;
; ?
; P
S;
??
?P
S;
P;
P>
?J>
; ;
; >
J;
; ?
; P
; J;
; ?
; P
S>
>?
>P
S>
?;
?>
S>
<;
<>
S>
; ?
; P
; H;
<;
<>
S;
>?
>P
; H>
<;
<>
?H>
<;
<>
TUVW<! UUU
TUVW<! U
TUVW<! UU
P >
)
;
?
?H; ?H>
;
Q
Q
R
?D;
?D>
? < ?J; ?J>
?H;
<;
<>
>H>
<;
<>
>J>
; ?
; P
?J;
; ?
; P
; > ? P X ( ; Q ; ;
>
?
X
( P
)
X

6igura 1,17 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia 1 A P 1 A 2 $ A P 3 A P 3 A 2 $ A D

8esta maneira1 o solen2ide res'ons/#el 'ela 'ilotagem es+uerda da #/l#ula 757 e
conse+centemente res'ons/#el 'elo a#an!o do cilindro 7A rece.e o n(mero 7d7& 9eguindo a leitura
da se+c6ncia da es+uerda 'ara direita1 #aiKse numerando os solen2ides na ordem crescente&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 130 de 160
O mesmo 'ode ser )eito com os )insKdeKcurso1 iniciando a contagem em 797&

A %igura 7C; a'resenta um circuito com +uatro setores e dois atuadores1 +ue reali,am a
se+c6ncia AUGUGKAKGUGK&

!
W >
P
;
X
; Y; ; Y>
;
Z
Z
[
; L;
; L>
W >
P
;
X
>Y; >Y>
;
Z
Z
[
>L;
>L>
; < >< ; R; ; R> >R; >R>
=>WL
!!ZL
; Y;
<;
<>
>Y;
<;
<>
; Y>
<;
<>
>Y>
<;
<>
; R>
; X
; W
>R;
; X
; W
R;
; X
; W
\ ;
<;
<>
\ ;
; X
; W
\ ;
WX
WW
\ ;
P;
P>
] KM^ <! K
\ W
<;
<>
\ >
<;
<>
\ P
<;
<>
\ >
XX
XW
\ >
W;
W>
\ X
>X
>W
\ X
X;
X>
\ X
<;
<>
\ )
<;
<>
\ W
XX
XW
\ P
; X
; W
\ )
; ;
; >
>R>
; X
; W
\ W
; X
; W
\ >
; X
; W
\ ;
>X
>W
\ ;
XX
XW
; R;
; X
; W
\ >
>X
>W
\ W
>X
>W
\ X
; X
; W
] KM^ <! KK
] KM^ <! KL
] KM^ <! KKK
; > X W P ) _ ` ; > ; X ; W
>
W
)
; >
; X W
`
; X
P
_
; ;
; > ; ; `
; Z
; ; ;

6igura 1,$7 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A 2 $ A P $ A D

77&?& METO8O PA99OKAKPA99O

A )orma de se di#idir uma se+c6ncia em setores ou linas 'elo Método PassoKaK 'asso é a
mesma da 'neum/tica 'ura1 ou se-a1 cada mo#imento re'resenta um setor&

8esta maneira1 a se+c6ncia 7AU;AU;AK7AK 'ode ser di#idida assim3

7AU f ;AU f ;AK f 7AK
I f II f III f I5


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 131 de 160
Neste método1 o n(mero de rel6s é igual ao n(mero de linas mais um& O circuito da
se+c6ncia acima 'ossuir/1 'ortanto1 C rel6s& Uma se+c6ncia com 9 setores 'ossuir/ N b 9U7 rel6s& Os
NK7 'rimeiros rel6s )ar"o autoKreten!"o e energi,ar"o o rel6 seguinte&

Assim1 o rel6 X7 )ar/ autoKreten!"o e energi,ar/ X; 'or meio de um contato a.erto na .o.ina
deste outro rel6 e assim 'or diante& O (ltimo rel61 ou o rel6 N1 n"o )ar/ autoK reten!"o e desenergi,ar/
o 'rimeiro rel6& O circuito eletroK'neum/tico da se+c6ncia 7AU;AU;AK7AK1 tra!ado utili,andoKse o
Método PassoKaKPasso é a'resentado na %igura 7C?&

&
O 9
Q
-
S
- R- - R9
-
Y
Y
Z
- [ -
- [ 9
O 9
Q
-
S
9R- 9R9
-
Y
Y
Z
9[ -
9[ 9
- ! 9 ! - \ - - \ 9 9\ - 9\ 9
D9O[
&&Y[
- R-
! -
! 9
9R-
! -
! 9
9R9
! -
! 9
9\ 9
- S
- O
9\ -
- S
- O
\ -
- S
- O
, -
! -
! 9
, -
- S
- O
, -
SS
SO
, O
! -
! 9
, 9
! -
! 9
, Q
! -
! 9
, 9
SS
SO
, S
OS
OO
, S
S-
S9
, S
! -
! 9
, O
OS
OO
, Q
- -
- 9
- \ 9
- S
- O
, -
9S
9O
, O
- S
- O
- \ -
- S
- O
, 9
9S
9O
, O
9S
9O
, S
9S
9O
, 9
- S
- O
, S
- S
- O
- R9
! -
! 9
, O
S-
S9
- 9 S O Q ] J ^ I - Y - - - 9 - S - O
9
S
- Y
O
Q
- -
]
J
- 9
- - ^
I
- S
- Y -

6igure 1,37 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A D

Como 'ode ser #isto na %igura 7C?1 os +uatro 'rimeiros rel6s VX7 a XAW )a,em autoKreten!"o
e energi,am o rel6 seguinte 'or meio de um contato a.erto inserido acima da .o.ina& O rel6 XC1 o
(ltimo1 n"o )a, autoKreten!"o& O rel6 X7 energi,a 7d7 e inicia a se+c6ncia de mo#imentos& O rel6 X;
energi,a 7d;1 dando se+c6ncia ao circuito& O rel6 X? energi,a ;d7 e XA energi,a ;d;& Entretanto1 ao
energi,ar o rel6 X?1 X; ainda est/ energi,ado1 o +ue im'ossi.ilitaria o retorno de ;A1 -/ +ue ocorreria


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 13$ de 160
contra'ress"o& A solu!"o é inserir um contato )ecado do rel6 X? na lina do solen2ide ;d7 Vlina
77W1 de modo +ue +uando ;d; )or energi,ado ;d7 se-a desenergi,ado1 e#itando assim a
contra'ress"o& Este cuidado de#e ser sem're tomado& Gasta olar os solen2ides de uma mesma
#/l#ula N 7d7 e 7d; da #/l#ula 757 e ;d7 e ;d; da #/l#ula ;5;& Perce.a1 nas linas 7@ e 77 os
contatos )ecados de XA e X?1 res'ecti#amente&

A %igura 7CA a'resenta um circuito eletroK'neum/tico da se+c6ncia 7AU7AK ;AU;AK1 tra!ado
utili,andoKse o Método PassoKaKPasso&

%
> -
X
+
?
+, + +, -
+
9
9
Y
+/ +
+/ -
> -
X
+
?
- , + - , -
+
9
9
Y
- / +
- / -
+ A - A +Z+ +Z- - Z+ - Z-
J- >/
%%9/
+, +
A+
A-
- , +
A+
A-
- , -
A+
A-
Z+
+?
+>
=+
A+
A-
=+
+?
+>
=+
??
?>
=>
A+
A-
=-
A+
A-
=X
A+
A-
=-
>?
>>
=?
??
?>
=?
A+
A-
=>
>?
>>
=X
++
+-
+Z-
+?
+>
=+
- ?
- >
=>
+?
+>
=-
- ?
- >
=>
- ?
- >
=?
- ?
- >
=-
+?
+>
=?
+?
+>
+, -
A+
A-
=>
?+
?-
=-
?+
?-
+Z+
+?
+>
- Z-
+?
+>
- Z+
+?
+>
+ - ? > X [ \ E D +9 ++ +- +? +>
-
?
+9
>
X
++
+9 [
\
+-
E
D
+?
+- +

6igure 1,+7 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia Anterior

Na %igura 7CA1 'odeKse 'erce.er no#amente os contatos )ecados nas linas dos solen2ides1
'ara e#itar contra'ress"o& Assim1 na lina 7@1 temKse um contato de X;1 'ois na #/l#ula 757 n"o
'odem ser energi,ados ao mesmo tem'o 7d7 e 7d;& E na #/l#ula ;571 n"o 'ode ocorrer
contra'ress"o e1 'ortanto1 n"o 'odem ser acionados ;d7 e ;d; simultaneamente&



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 133 de 160
A %igura 7CC a'resenta um circuito eletroK'neum/tico com tr6s atuadores1 'ara a se+c6ncia
7AU;AU?AU?AK;AK7AK&

A %igura 7CD a'resenta um circuito eletroK'neum/tico 'elo método 'assoKaK 'asso 'ara a
se+c6ncia 7AUV;AU?AUW?AK;AK7A& Os 'ar6nteses re'resentam mo#imento simultYneo&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 13+ de 160
F
i
g
u
r
a

9
9



C
i
r
c
u
i
t
o

e
l
e
t
r
o
-
p
n
e
u
m
á
t
i
c
o

d
a

s
e
q
ü
ê
n
c
i
a

1
A
+
2
A
+
3
A
+
3
A
-
2
A
-
1
A
-

"
#
$
%
&
%
'
%
%
'
#
%( ( )
%
*
%
%
*
#
"
#
$
%
&
#
'
%
#
'
#
%( ( )
#
*
%
#
*
#
%
+
#
+
%
,
%
%
,
#
#
,
%
#
,
#
-
#
"
*
!
!
(
*
%
'
%
+
%
+
#
&
'
%
+
%
+
#
&
'
#
+
%
+
#
#
,
#
%
&
%
"
,
%
%
&
%
"
.
%
+
%
+
#
.
%
%
&
%
"
.
%
&
&
&
"
.
"
+
%
+
#
.
#
+
%
+
#
.
$
+
%
+
#
.
&
+
%
+
#
.
/
%
%
%
#
%
,
#
%
&
%
"
.
%
#
&
#
"
.
"
%
&
%
"
.
#
#
&
#
"
.
"
#
&
#
"
.
&
#
&
#
"
.
#
%
&
%
"
.
&
%
&
%
"
#
'
#
+
%
+
#
"
#
$
%
&
&
'
%
&
'
#
%( ( )
&
*
%
&
*
#
&
+
&
,
%
&
,
#
#
'
%
+
%
+
#
%
'
#
+
%
+
#
.
0
+
%
+
#
.
$
#
&
#
"
.
/
+
%
+
#
.
0
#
&
#
"
&
,
%
%
&
%
"
#
,
%
%
&
%
"
%
,
%
%
&
%
"
&
,
#
%
&
%
"
.
$
%
&
%
"
.
0
%
&
%
"
.
#
&
&
&
"
.
&
&
&
&
"
.
0
&
%
&
#
.
"
"
&
"
"
.
$
"
&
"
"
.
0
"
&
"
"
.
$
&
%
&
#
.
"
&
%
&
#
%
#
&
"
$
0
/
1
2
%
(
%
%
%
#
%
&
%
"
%
$
%
0
%
/
%
1
%
2
#
(
#&
%
"
"$
%
$
0/
%
0
12
%
/
%
0
%
(
%
%
%
1
%
$
%
#
%
&
%
2
%
"
%

6igura 1,,7 (ircuito com TrN8 (ilindro8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 13, de 160
Como 'ode ser #isto na %igura 7CD1 temKse a'enas seis rel6s& Isso 'or+ue o mo#imento
simultYneo é contado como somente um mo#imento& Assim3 7AUfV;AU?AUWf?AKf;AKf7AK

F
C
G
2
D
2
H
2
2
H
C
233I
2
J
2
2
J
C
F
C
G
2
D
C
H
2
C
H
C
233I
C
J
2
C
J
C
2
>
C
>
2
K
2
2
K
C
C
K
2
@
C
F
J
!
!
3
J
2
H
2
>
2
>
C
D
H
2
>
2
>
C
D
H
C
>
2
>
C
D
K
C
2
D
2
F
K
2
2
D
2
F
L
2
>
2
>
C
L
2
2
D
2
F
L
2
D
D
D
F
L
F
>
2
>
C
L
C
>
2
>
C
L
G
>
2
>
C
L
D
>
2
>
C
L
M
2
2
2
C
2
K
C
2
D
2
F
L
2
C
D
C
F
L
F
2
D
2
F
L
C
C
D
C
F
L
F
C
D
C
F
L
D
C
D
C
F
L
C
2
D
2
F
L
D
2
D
2
F
C
H
C
>
2
>
C
F
C
G
2
D
D
H
2
D
H
C
233I
D
J
2
D
J
C
D
>
D
K
2
D
K
C
C
H
2
>
2
>
C
2
H
C
>
2
>
C
L
M
>
2
>
C
L
G
C
D
C
F
L
G
2
D
2
F
L
C
D
D
D
F
L
G
D
2
D
C
L
D
F
D
F
F
L
F
F
D
F
F
L
G
F
D
F
F
L
F
D
2
D
C
L
D
D
2
D
C
D
K
2
2
D
2
F
C
K
2
2
D
2
F
2
K
2
2
D
2
F
2
C
D
F
G
M
N
O
P
2
3
2
2
2
C
2
D
2
G
2
M
2
N
2
O
CD
2
C
FG
2
D
MN
2
G
2
F
OP
2
M
2
D
2
3
2
2
2
N
2
C
2

6igura 1,67 (ircuito Eletro Pneumático pelo %<todo Pa88o a Pa88o



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 136 de 160
7AU → 9etor I → Rel6 X7
V;AU?AUW → 9etor II → Rel6
X; ?AK → 9etor III → Rel6 X?
;AK → 9etor I5 → Rel6 XA
7AK → 9etor 5 → Rel6 XC

O n(mero de rel6s no circuito é igual ao n(mero de setores mais 7& Portanto1 temK se seis rel6s&
O rel6 XD é res'ons/#el 'ela desenergi,a!"o de X7 e1 conse+centemente1 de todos os demais rel6s1
)ecando a se+c6ncia&

E im'ortante relem.rar +ue os dois solen2ides de uma mesma #/l#ula n"o 'odem estar
energi,ados simultaneamente& 8e#eKse 'restar muita aten!"o aos solen2ides 7d7 e 7d;1 ;d7 e ;d; e
?d7 e ?d;1 +ue s"o os 'ares das tr6s #/l#ulas1 7571 ;57 e ?571 simultaneamente& A se+c6ncia ilustrada
no circuito da %igura 7CF é a mesma da %igura 7@@1 ou se-a1 7AUV;AU?AUW?AK;AK7AK1 tra!ada 'elo
método 'assoKaK'asso1 mas desta #e, com #/l#ulas sim'les ser#ocomando& Ao contr/rio do método
cascata1 a+ui é 'oss4#el a utili,a!"o deste ti'o de #/l#ula1 mais .arata e t"o e)iciente +uanto uma
du'lo ser#ocomando& Como todos os rel6s1 e0cetuandoKse o (ltimo1 )a,em autoKreten!"o VseloW1 n"o
/ +ue se 'reocu'ar com a desenergi,a!"o do solen2ide e conse+cente atua!"o da mola&

Y =
R
(
>
( Z(
(
)
)
[
( \ (
( \ =
Y =
R
(
>
=Z(
(
)
)
[
=\ (
=\ =
( : = : ( K( ( K= =K(
; =Y\
!!) \
( Z(
: (
: =
>Z(
: (
: =
>K=
( >
( Y
K(
( >
( Y
U(
: (
: =
U(
( >
( Y
U(
>>
>Y
UY
: (
: =
U=
: (
: =
UR
: (
: =
U>
: (
: =
UL
( (
( =
( K=
( >
( Y
U(
=>
=Y
UY
( >
( Y
U=
=>
=Y
UY
=>
=Y
U>
=>
=Y
U=
( >
( Y
U>
( >
( Y
Y =
R
(
>
>Z(
(
)
)
[
>\ (
>\ =
> : >K( >K=
=Z(
: (
: =
UL
: (
: =
UR
=>
=Y
UR
( >
( Y
U=
>>
>Y
UR
>(
>=
UY
>(
>=
U>
>(
>=
>K(
( >
( Y
=K(
( >
( Y
( K(
( >
( Y
( = > Y R L ] V W ( ) ( ( ( = ( > ( R

6igura 1,07 (ircuito Eletro Pneumático da )e=ONncia u8ando .ál>ula8 de )er>ocomando )imple8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 130 de 160
A se+c6ncia ilustrada no circuito da %igura 7@; é 7AU;AU;AK7AK7AU7AK& Note +ue o n(mero
total de rel6s n"o o.edece ] regra n(mero de setores mais um& 9e se'arar a se+c6ncia1 terKseK/ D
setores e1 'ortanto1 sete rel6s seriam utili,ados& O.ser#ando a %igura 7C<1 'erce.eKse +ue )oram
usados no#e rel6s& Por +u6e A res'osta é sim'les& Os )insKdeKcurso 797 e 79; de#em reali,ar cada um
duas tare)as& 797 de#e a#an!ar 7A na lina C e )inali,ar a se+c6ncia de mo#imentos1 en+uanto +ue
79; de#e a#an!ar ;A na lina ; e retornar 7A na lina D& Como n"o se 'odem utili,ar dois contatos
dos )insKdeKcurso1 usamKse rel6s conectados a eles1 +ue )ar"o as tare)as& 8a4 o surgimento dos rel6s X<
e X>1 +ue n"o inter)erem na +uantidade de linas e0istentes no circuito e1 conse+centemente 'odem
ser acrescentados&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 13' de 160
>
*
?
(
@
(
A
(
(
A
*
( ) ) B
(
C
(
(
C
*
>
*
?
(
@
*
A
(
*
A
*
( ) ) B
*
C
(
*
C
*
(
<
*
<
(
D
(
(
D
*
*
D
(
*
D
*
=
*
>
C
'
'
)
C
(
A
(
<
(
<
*
*
A
(
<
(
<
*
*
A
*
<
(
<
*
D
(
(
@
(
>
E
(
<
(
<
*
E
(
(
@
(
>
E
(
>
@
>
>
E
>
<
(
<
*
E
*
<
(
<
*
E
?
<
(
<
*
E
@
<
(
<
*
E
@
>
@
>
>
E
F
(
(
(
*
E
(
*
@
*
>
E
>
(
@
(
>
E
*
*
@
*
>
E
>
*
@
*
>
E
@
*
@
*
>
E
*
(
@
(
>
E
@
(
@
(
>
(
A
*
<
(
<
*
E
>
@
(
@
*
E
G
<
(
<
*
E
F
<
(
<
*
E
H
<
(
<
*
E
I
<
(
<
*
(
D
(
(
@
(
>
(
D
*
(
@
(
>
E
?
*
@
*
>
E
G
*
@
*
>
E
(
@
@
@
>
E
*
@
@
@
>
E
H
(
@
(
>
*
D
*
(
@
(
>
*
D
(
(
@
(
>
E
*
>
@
>
>
E
@
@
(
@
*
E
>
>
@
>
>
E
I
(
@
(
>
E
?
*
@
*
>
E
?
@
@
@
>
E
?
>
(
>
*
E
H
*
@
*
>
E
G
>
@
>
>
E
G
@
(
@
*
E
G
(
@
(
>
E
I
*
@
*
>
(
*
@
>
?
G
F
H
I
(
)
(
(
(
*
(
@
(
>
(
?
(
G
(
F
(
H
(
I
*
)
*
(
*
*
*@
(
>
(
G
>?
(
?
*
)
GF
*
(
*
)
HI
(
H
(
G
(
)
(
(
(
F
(
H
(
*
(
@
(
I
(
F
(
@
(
(
I
(
@

6igura 1,'7 (ircuito da )e=ONncia 1 A P $ A P $ A 2 1 A 2 1 A P 1 A D



Automação Pneumática e Eletropneumática Página 13* de 160
Alguns dis'ositi#os elétricos s"o muito im'ortantes no diaKaKdia da automa!"o& 8entre eles1
'odemKse citar dois sinali,adores3 o sonoro e o #isual&

9inal sonoro3
J%: : . 0


6igura 1,*7 Alarme )onoro

9inal luminoso3
K&( )14,+0!#)$?,

6igura 1607 Indicador &umino8o

Estes dois com'onentes s"o muito im'ortantes +uando / necessidade de se a#isar o
o'erador +ue alguma a!"o est/ sendo e0ecutada1 como 'or e0em'lo1 uma 'rensa entra em
)uncionamento1 um .ot"o de emerg6ncia é 'ressionado e assim 'or diante& Considere o circuito da
%igura 7D7&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+0 de 160
Y 9
Z
(
*
( T( ( T9
(
)
)
[
( \ (
( \ 9
Y 9
Z
(
*
9T( 9T9
(
)
)
[
9\ (
9\ 9
( 7 9 7 ( E( ( E9 9E( 9E9
89Y\
!!) \
E(
( *
( Y
( T(
7(
79
9T(
7(
79
( T9
7(
79
9T9
7(
79
( E9
( *
( Y
9E9
( *
( Y
( E(
( *
( Y
9E(
( *
( Y
P(
( (
( 9
P(
9*
9Y
7(
79
P(
*(
*9
P(
Y*
YY
P(
Z*
ZY
U] U^ _
( *
( Y
P(
7(
79
7(
79
( * Y Z ` a b c

6igura 1617 (ircuito Eletro Pneumático com Alarme )onoroE Indicador &umino8o e 4otão de EmergNncia

No circuito da %igura 7D71 é a'resentada uma se+c6ncia direta1 7AU;AU7AK;AK1 ciclo
cont4nuo& Ao ser acionado o .ot"o 'ulso 971 +ue d/ in4cio ] se+c6ncia de mo#imentos1 é tam.ém
acionado um sinali,ador #isual Vuma lYm'adaW1 'ara indicar ao o'erador +ue a m/+uina entrou em
)uncionamento& M/ tam.ém um .ot"o de emerg6ncia1 +ue )unciona da seguinte maneira3 ao ser
'ressionado1 ele energi,a a .o.ina de um rel6 X7& 8ois contatos de X7 desenergi,ar"o os solen2ides
de a#an!o V7d7 e ;d7W1 +uando a .o.ina de X7 )or energi,ada& E dois contatos deste mesmo rel6
energi,ar"o os solen2ides de retorno V7d; e ;d;W& E 'or isso +ue e0istem dois contatos a.ertos de X7
ligados a 7d; e ;d;& Huando este .ot"o de emerg6ncia )or acionado1 dois sinali,adores ser"o
energi,ados3 um #isual Vuma lYm'adaW e outro sonoro1 'ara +ue a-a uma di)erencia!"o do .ot"o
tra#a +ue d/ in4cio ao ciclo e do .ot"o de emerg6ncia Vtam.ém tra#aW&


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+1 de 160
Mo-e em dia os )insKdeKcurso1 do ti'o sensores de 'ro0imidade1 s"o muito utili,ados& Os
'rinci'ais s"o os sensores do ti'o ca'aciti#o1 induti#o e 2'tico& Eles s"o re'resentados 'elos
seguintes s4m.olos3

9ensor induti#o3
[#' / <6"1*+4)( F"0 "6\ +! ] "6<9

6igura 16$7 )en8or Induti>o
9"o caracter4sticas técnicas ./sicas do sensor induti#o3

K 8istYncia de detec!"o3 C mm
K %re+c6ncia m/0ima3 <@@ M,
K 9inal de sa4da3 ;A5cc PNP
K Tens"o de alimenta!"o3 7@ a ?@ 5cc&

9ensor Ca'aciti#o3
Z$4$<"6"1*+4)( F"0 "6\ +! ] ^

6igura 1637 )en8or (apaciti>o
9"o caracter4sticas técnicas ./sicas do sensor ca'aciti#o3

K 8istYncia de detec!"o3 C@ mm
K %re+c6ncia m/0ima3 7@@ M,
K 9inal de sa4da3 ;A5cc PNP
K Tens"o de alimenta!"o3 7@ a ?@ 5cc




Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+$ de 160
9ensor O'tico3
V0(,%&8!0' $G,: ,(W!+X,(%P


6igura 16+7 )en8or Uptico

9"o caracter4sticas técnicas ./sicas do sensor3

K 8istYncia de detec!"o3 ?@@ mm
K %re+c6ncia m/0ima3 7@@ M,
K 9inal de sa4da3 ;A5cc PNP
K Tens"o de alimenta!"o3 7@ a ?@ 5cc&

Assim1 )oi tra!ado um circuito 7AU;AU;AK7AK1 utili,adoKse o método cascata e somente
sensores ca'aciti#os como )insKdeKcurso& O resultado é a'resentado na %igura 7DC&

, +
I
>
J
>K> >K+
>
!
!
L
>" >
>" +
, +
I
>
J
+K> +K+
>
!
!
L
+" >
+" +
> ; + ; >M+ +M> +M+
?+, "
%%! "
>K>
; >
; +
+K>
; >
; +
>K+
; >
; +
+K+
; >
; +
M>
>J
>,
N>
; >
; +
N>
>J
>,
N>
+J
+,
N>
J>
J+
OPQR; %P OPQR; %PP
+M+
N+
N+
; >
; +
>M+ +M>
> + J I S >>

6igura 16,7 (ircuito Eletro Pneumático com )en8ore8


Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+3 de 160
1$. )I%4O&O5IA E (O%PONENTE)

Nº Denominação Aplicação Símbolo
1.0 Geral
1.1. Símbolos Básicos
1.1.1. Linhas
.1 Contínua
.2 Interrompida Longa Linhas de fluxo.
.3 Interrompida Curta
.4 Dupla Interligações mecânicas
(alavancas, hastes etc).
.5 Traço Ponto Linha de Contorno, encerramento
de diversos componentes reunidos
em um bloco ou unidade
de montagem.
1.1.2. Círculos e Semicírculos Em geral, para unidade principal
de transformação de energia,
bombas, compressores, motores.
Aparelho de medição.
Articulação mecânica, rolete, etc.
Válvulas de bloqueio, juntas rotativas.
Motor oscilante (Atuador Rotativo).
1.1.3. Quadrado e Retângulo Nas válvulas direcionais, válvulas
de regulagem.
1.1.4 Losango Equipamentos de condicionamento,
secador, resfriador, filtro,
lubrificador, etc.
1.1.5. Símbolos Miscelâneos Conexões em linha de fluxo.
Mola - (retorno, centralização,
regulagem).
Restrição - controle de fluxo.






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1++ de 160
Nº Denominação Aplicação Símbolo
1.2. Símbolos Funcionais
1.2.1. Triângulo Indica direção de fluxo e natureza
do fluido.
.1 Cheio Fluxo Hidráulico.
.2 Só Contorno Fluxo pneumático ou exaustão
para atmosfera.
1.2.2. Seta Indicação de:
Direção.
Direção de rotação.
Via e caminho de fluxo através
de válvulas.
Para aparelhos de regulagem,
como em 3.5, ambas as representa-
ções, com ou sem traço na extremi-
dade da seta, são usadas sem
distinção. Como regra geral, a linha
perpendicular na extremidade da
seta indica quando ela se move
para o interior, permanecendo
sempre conectada à ligação
correspondente do exterior.
1.2.3. Seta Oblíqua Indica possibilidade de regulagem
ou variação progressiva.
2.0 Transformação de Energia
2.1. Compressores de Deslocamento
Fixo
2.2. Motores Covertem a energia pneumática
em energia mecânica com
movimento rotativo.
2.2.1. Motor Pneumático com
Deslocamento Fixo
.1.1 Com Uma Direção de Fluxo
.1.2 Com Duas Direções de Fluxo







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+, de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
2.2.2. Motor Pneumático com
Deslocamento Variável
.1 Com Uma Direção de Fluxo
.2 Com Duas Direções de Fluxo
2.3.2. Cilindro de Duplo Efeito ou Ação Cilindro no qual o fluido pressuri-
zado opera alternadamente em
ambos os sentidos de
movimento (avanço e retorno).
.1 Com Haste Simples
.2 Com Haste Dupla
2.3.1. Cilindros de Simples Efeito Cilindro no qual o fluido pressurizado
ou Ação atua sempre em um único sentido do
seu movimento (avanço ou retorno).
.1 Retorno por Força não Definida Símbolo geral quando o método
(Ex. Força Externa) de retorno não é especificado.
.2 Retorno por Mola
.3 Avanço por Mola
2.3. Cilindros Convertem a energia pneumática
em energia mecânica,
com movimento retilíneo.
2.2.3. Motor Oscilante (Atuador
Rotativo) Pneumático







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+6 de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
2.3.3. Cilindro com Amortecimento Evita choques no final do curso.
.1 Com Simples Amortecimento Fixo O amortecimento fixo incorpo-
rado atua em um só sentido
do movimento.
.1.1 No Retorno
.1.2 No Avanço
.2 Com Duplo Amortecimento Fixo O amortecimento fixo incorpo-
rado atua em ambos os sentidos
do movimento.
.3 Com Simples Amortecimento O amortecimento incorporado atua
Variável em um só sentido do movimento,
permitindo variações.
.3.1 No Avanço
.3.2 No Retorno
.4 Com Duplo Amortecimento O amortecimento incorporado atua
Variável em ambos os sentidos do movimen-
to, permitindo variações.
2.3.4. Cilindros Derivados
.1 Duplex Contínuo ou Tandem Permite transmitir maiores
intensidades de força.
.2 Duplex Geminado ou Múltiplas Em combinação com os cursos e
Posições entradas de ar, 3 ou mais posições
distintas são obtidas.
.3 Cilindro de Impacto Desenvolve impacto através de
energia cinética.
.4 Cilindro Telescópico Usado em locais compactos, que
necessitam de cursos longos.
.4.1 Simples Efeito ou Ação O fluido pressurizado atua sempre
em um único sentido (avanço).
.4.2 Duplo Efeito O fluido pressurizado opera
alternadamente em ambos os
sentidos de movimento: avanço
e retorno.








Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+0 de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
2.4 Hidropneumáticos
2.4.1 Intensificador de Pressão Equipamento que transforma a
pressão X em alta pressão Y.
.1 Para um Tipo de Fluido A pressão pneumática X é trans-
formada em alta pressão
pneumática Y.
.2 Para Dois Tipos de Fluido A pressão pneumática X transfor-
(Volume Fixo) mada em alta pressão hidráulica Y.
.3 Para Dois Tipos de Fluido A pressão pneumática reduzida
(Volume Variável) produz uma pressão hidráulica
reduzida.
Com a entrada do intensificador a
pressão hidráulica é aumentada.
2.4.2 Conversor Hidropneumático Equipamento destinado a transfor-
(Atuador Ar-Óleo) mar a pressão pneumática em
pressão hidráulica, teoricamente
igual.
2.4.3 Conversor Hidráulico de Veloci- Controla uniformemente as veloci-
dade (Hydro-Check) dades de um cilindro pneumátrico
a ele ligado.
3.0 Distribuição e Regulagem de Energia
3.1 Métodos de Representação Composição de um ou vários
das Válvulas (Exceto 3.3.,3.6.) quadros 1.1.3, setas e demais
componentes básicos.
Nos esquemas de circuitos
pneumáticos são representadas
na posição inicial (não operada).







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+' de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
que o fluxo deve seguir a fim
de realizar o trabalho proposto.
O fluxo permitido pela passagem
pode ser total ou em alguns
casos restringido.
3.1.1. Único Quadrado Indica uma unidade de controle de
fluxo ou pressão. Estando em
operação, existem infinitos números
de possíveis posições. Deste modo,
há várias posições de fluxo através
da passagem. Segue-se, assim, a
escolha da pressão ou fluxo, consi-
derando-se as condições do circuito.
3.1.2. Dois ou Mais Quadrados Indicam uma válvula de controle
direcional, tendo tantas posições
distintas quantos quadros houve-
rem. As conexões são normalmente
representadas no quadro que indica
a posição inicial (não operada). As
posições de operação são deduzi-
das e imaginadas deslocando-se os
quadros sobre o quadro da posição
inicial, de forma que as conexões
se alinhem com as vias.
Os tubos de conexão são represen-
tados na posição central. As ope-
rações com as posições são redu-
zidas e imaginadas deslocando-se
os quadrados sobre o quadro
dotado de conexões.
3.1.3. Símbolo Simplificado da Válvula O número se refere a uma nota
em Casos de Múltiplas Repetições sobre o diagrama em que o símbolo
da válvula está representado de
forma completa.
3.2. Válvulas de Controle Têm por função orientar a direção
Direcional







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1+* de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
3.2.1. Válvula de Controle Direcional É a mais importante. A válvula é
sem Estrangulamento provida de várias posições distintas
e caracterizadas por cada quadrado.
.1 Símbolo básico para uma válvula
de controle direcional de 2 posições.
.2 Símbolo básico para uma válvula
de controle direcional de 3 posições.
.3 Representação facultativa de pas-
sagem a um estado intermediário
entre duas posições distintas;
o quadrado é delimitado por 3 linhas
interrompidas. O símbolo básico
para a válvula de controle direcional
indica 2 posições distintas e
uma intermediária de passagem,
3 no total.
.4 Designação: a Primeira Cifra da
Designação Indica o nº de Vias
(excluindo-se os orifícios de
pilotagem), a Segunda Cifra Indica
o Número de Posições, Ex.:
Nº de Vias Nº Posições
.5 V.C.D 2/2 Dotada de 2 orifícios: pressão e
utilização e duas posições distintas.
.5.1 V.C.D 2/2 N.F. Válvula de controle direcional de
2 vias, 2 posições, normalmente
fechada.
.5.2 V.C.D 2/2 N.A. Válvula de controle direcional de
2 vias, 2 posições, normalmente
aberta.
.6 V.C.D 3/2 Dotadas de 3 orifícios, pressão,
escape, utilização e duas posições
distintas.
.6.1 V.C.D 3/2 N.F. Válvula de controle direcional de
3 vias, 2 posições, normalmente
fechada.
.6.2 V.C.D 3/2 N.A. Válvula de controle direcional de 3
vias, 2 posições, normalmente aberta.
.7 V.C.D 4/2 Válvula de controle direcional de
4 vias, 2 posições. Válvula com
4 orifícios, pressão, escape,
2 utilizações e 2 posições distintas.






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,0 de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
.8 V.C.D 5/2 Válvula de controle direcional de
5 vias, 2 posições. Válvula com
5 orifícios, pressão, 2 escapes,
2 utilizações e 2 posições distintas.
.9 V.C.D 3/3 C.F. Válvula de controle direcional de
3 vias, 3 posições. Centro fechado.
.10 V.C.D 4/3 C.F. Válvula de controle direcional de
4 vias, 3 posições. Centro fechado.
.11 V.C.D 5/3 C.F. Válvula de controle direcional de
5 vias, 3 posições. Centro fechado.
.12 V.C.D 5/3 C.A.N. Válvula de controle direcional de
5 vias, 3 posições.
Centro aberto positivo.
3.2.2. Válvula de Controle Direcional A unidade possui 2 posições e infini-
com Estrangulamento tos estados intermediários corres-
pondendo à variação do estran-
gulamento. O símbolo possui duas
linhas paralelas longitudinais em
relação aos quadros (posições).
.1 Com 2 posições
.2 Com 3 posições
Por ex.: operada por apalpador
(pino) com retorno por mola.
3.2.3. Servoválvula Eletropneumática Equipamento que recebe um sinal
elétrico e fornece um sinal de saída
pneumático, para realizar o aciona-
mento da válvula principal.
.1 V.C.D 5/2 Servocomandada Válvula de controle direcional de
5 vias, 2 posições, com operação
indireta por piloto.
.2 V.C.D 5/3 C.F. Servocomandada Válvula de controle direcional de
5 vias, 3 posições, centro fechado,
com operação indireta por piloto.
Duas posições com comando
pneumático e uma terceira,
centrada por mola.







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,1 de 160
3.3. Válvulas Bloqueio Permitem a passagem livre do fluxo
em um só sentido.
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
3.3.1. Válvula de Retenção Permite fluxo livre num sentido e
bloqueia no oposto.
.1 Válvula de Retenção sem Mola Abre quando a pressão de entrada
for maior do que a pressão de saída.
.2 Válvula de Retenção com Mola Permite fluxo livre num sentido e
bloqueia no oposto. Haverá passa-
gem de fluxo desde que a pressão
de entrada seja maior que a pres-
são resultante da força da mola
somada à pressão na saída.
.3 Válvula de Retenção com Com o controle por piloto é possível
Controle Pilotado prever:
Fechamento da válvula.
Abertura da válvula.
3.3.2. Seletor de Circuito, Válvula de Comunica duas pressões emitidas
Isolamento, Elemento OU separadamente a um ponto comum.
Com pressões diferentes pasará a
de maior intensidade numa relação.
3.3.3. Válvula de Simultaneidade Permite a emissão do sinal de saída
quando existirem os dois sinais de
entrada.
3.3.4. Válvula de Escape Rápido No caso de descarga da conexão
de entrada, a utilização é
imediatamente liberada para escape,
permitindo rápida exaustão do ar
utilizado.
3.4. Válvula de Controle de Fluxo Influi na passagem do fluxo,
impondo controles nas velocidades
dos conversores de energia ou crian-
do condições de temporização.
3.4.1. Válvula de Controle de
Fluxo Fixo
3.4.2. Válvula de Controle de Símbolo simplificado (não indica o
Fluxo Variável método de controle).







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,$ de 160
3.4.3. Com Controle Manual (Indica o método de controle e a
posição).
Símbolo detalhado.
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
3.4.4. Com Controle Mecânico e
Retorno por Mola
3.4.5. Controle Unidirecional Permite passagem livre numa dire-
ção e restringe na oposta.
3.5.2. Válvula de Segurança Limitadora A pressão de entrada é controlada
de Pressão ou de Alívio pela abertura do orifício de exaustão
para a atmosfera, contra a força
opositora (por ex.: mola).
.1 Com Controle Remoto ou Pilotada A pressão de entrada é limitada em
por Comando à Distância 3.5.2. ou contra a correspondente
pressão do piloto de controle remoto.
3.5.3. Limitador Proporcional A pressão de entrada é limitada a
(Válvula de Descarga) um valor proporcional à pressão de
pilotagem.
3.5.1. Válvulas de Controle de Pressão Símbolos genéricos.
.1 Normalmente Fechada com 1
Estrangulamento
.2 Normalmente Aberta com 1
Estrangulamento
.3 Normalmente Fechada com 2
Estrangulamentos
3.5. Válvulas de Controle Influem ou são influenciadas pela
de Pressão
pressão. São representadas com
um quadro de comando, e no interi-
or uma flecha, complementando-
se com os elementos de controle
interno.







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,3 de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
3.5.4. Válvula de Sequência Quando a pressão de entrada vence
a força opositora de mola, a válvula
é aberta, permitindo fluxo para o ori-
fício de saída (utilização).
3.6 Robinet de Isolamento ou
Válvula de Fechamento
4.0 Transmissão de Energia e Condicionamento
4.1. Fonte de Energia
4.1.2. Motor Elétrico Símbolos 1.1.3. da publicação
I.E.C. 1172.
4.1.1. Fonte de Pressão (Alimentação) Símbolo geral simplificado.
.1 Fonte de Pressão Hidráulica
.2 Fonte de Pressão Pneumática
3.5.5. Válvula Reguladora ou Redutora Permite obter variações em relação
de Pressão à pressão de entrada. Mantém a
pressão secundária substancial-
mente constante, independente das
oscilações na entrada (acima do
valor regulado).
.1 Válvula Reguladora de Pressão
sem Escape
.1.1 Válvula Reguladora de Pressão Como em 3.5.5.1, mas o valor da
Comandada por Controle Remoto pressão de saída está em função da
pressão piloto.
.2 Válvula Reguladora de Pressão
com Escape
.2.1 Válvula Reguladora de Pressão Como em 3.5.5.2, o valor da pres-
com Escape e Comando por são da saída está em função da
Controle Remoto pressão do controle pilotado.






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,+ de 160
4.1.3. Motor Térmico
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
4.2. Linhas de Fluxo e Conexões
4.2.1. Linhas de Fluxo
.1 Linha de Trabalho de Retorno,
de Alimentação
.2 Linha de Pilotagem
.3 Linha de Dreno ou Escape
.4 Tubo Flexível Usado em partes com movimentos.
.5 Linha Elétrica
4.2.2. Cruzamento de Linhas Não conectado.
4.2.3. Junção de Linhas
4.2.4. Sangria de Ar
4.2.6. Tomada de Potencial Os tubos de conexão são represen-
tados na posição central.
.1 Plugado ou Bloqueado As operações com as posições são
reduzidas e imaginadas deslocando-
se os quadrados sobre o quadro
dotado de conexões.
.2 Com Conexão Sobre equipamentos ou linhas para
tomada de medição.
4.2.5. Orifícios de Escape ou de
Exaustão
.1 Não Provido para Conexão Escape não canalizado, livre, não
conectável.
.2 Provido para Conexão Escape canalizado, rosqueado.
Sobre equipamentos ou linhas para
tomada de medição.






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,, de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
4.2.8 Conexão Rotativa (União Rotativa) União entre linhas permitindo
movimento angular em serviço.
.1 Com 1 via
.2 Com 2 vias
4.2.9. Silenciador Elimina o ruído causado pelo ar
comprimido quando colocado em
exaustão.
4.3. Reservatório
Geralmente representado
na horizontal.
4.4. Separador de água
4.4.1. Com Operação Manual
"Dreno Manual"
4.4.2. Com Drenagem Automática
4.5. Secador Equipamento que seca o ar
comprimido, por refrigeração,
absorção ou adsorção.
4.2.7. Acoplamento de Ação Rápida
(Engate Rápido)
.1 Conectado - Sem Válvula de
Retenção com Abertura Mecânica
.1.1 Desconectado
.2 Conectado - Com Dupla Retenção
e com Abertura Mecânica
.2.1 Desconectado
.3 Conectado - Com Única Retenção
e um Canal Aberto
.3.1 Desconectado







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,6 de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
4.6. Filtro Representação geral, elimina as
impurezas micrônicas e auxilia na
remoção parcial da umidade contida
no ar comprimido.
4.6.1. Com Dreno Manual
4.6.2. Com Dreno Automático
4.7. Lubrificador Pequena quantidade de óleo lubri-
ficante é adicionada ao ar quando
este passa pelo lubrificador. Evita o
desgaste prematuro dos componentes.
4.8. UnidadedeCondicionamentoConsiste em filtro, válvula reguladora
de pressão com manômetro e
lubrificador. É a última estação de
preparação do ar, antes de realizar
o trabalho.
4.8.1. Símbolo detalhado.
4.8.2. Símbolo simplificado.
4.9. Trocador de Calor Aparelho utilizado para aquecimento
ou resfriamento de fluido em
circulação.
4.9.1. Controlador de Temperatura Aparelho que controla a temperatura
do fluido, mantendo-a entre dois
valores predeterminados. As setas
indicam, simbolicamente, a introdu-
ção ou dissipação do calor.
4.9.2. Resfriador As setas no losango representam,
simbolicamente, a evacuação de calor.
.1 Sem representação das linhas de
fluido refrigerante.
.2 Com representação das linhas de
fluido refrigerante.
4.9.3. Aquecedor As setas do losango indicam, simbo-
licamente, a introdução de calor.






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,0 de 160

Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
5.0 Mecanismo de Controle - Comandos
5.1. Componentes Mecânicos
5.1.1. Eixo Rotativo A seta simboliza a direção de
rotação.
.1 Em Uma Direção
.2 Em Várias Direções
5.1.2. Dispositivo de Trava Colocado quando um aparelho é
bloqueado em uma posição e sen-
tido determinados.
* Símbolo do meio de acionamento.
5.1.3. Mecanismo de Articulação
.1 Simples
.2 Com Alavanca Transversal
.3 Com Fulcro Fixo
5.1.4. Trava ou Detente Mantém em posição sistemática um
equipamento (Válvula Direcional,
por exemplo).
5.2. Meios de Comando Os símbolos que representam os
Acionamento
meios de acionamento, incorporados
aos símbolos dos equipamentos de
controle, devem ser colocados sobre
o quadrado adjacente. Para equipa-
mentos com diversos quadrados
de atuação, o acionamento é efeti-
vado pelo quadrado adjacente.
5.2.1. Acionamentos Manuais Símbolo geral (sem indicação do
(Controles Musculares) tipo de acionamento).
.1 Por Botão
.2 Por Alavanca
.3 Por Pedal






Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,' de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
5.2.2. Acionamentos Mecânicos
.1 Por Came, Apalpador ou Pino
.2 Por Mola
.3 Por Rolete
.4 Por Rolete Operando Somente Gatilho, rolete escamoteável.
em um Sentido
5.2.3. Acionamentos Elétricos
.1 Por Solenóide Com uma bobina.
.2 Por Solenóide Com 2 bobinas agindo em sentidos
contrários.
.3 Por Motor Elétrico
5.2.4. Acionamentos Pneumáticos por
Aplicação ou Alívio de Pressão
.1 Acionamento Direto
.1.1 Por Aplicação de Pressão (Piloto
Positivo)
.1.2 Por Alívio de Pressão (Piloto
Negativo por Despressurização)
.1.3 Por Diferencial de Áreas No símbolo, o retângulo maior repre-
senta o sinal prioritário.
.2 Acionamento Indireto ou Prévio
.2.2 Por Alívio de Pressão
.3 Parte de Controle Interno As passagens de comando estão
situadas no interior da válvula.







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 1,* de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
5.2.5. Acionamentos Combinados
.1 Por Solenóide e Piloto Positivo O piloto da válvula direcional é
interno.
Quando o solenóide é energizado, o
piloto causa o acionamento por
pressurização (a válvula direcional
que efetua a pilotagem é acionada
por solenóide: servocomando).
.2 Por Solenóide e Piloto Negativo Idem a 5.2.4.1., porém o piloto é
despressurizado.
.3 Por Botão e Piloto Positivo
.4 Por Solenóide e Piloto Positivo O piloto da válvula é acionado pelo
ou Botão solenóide, causando pressurização
interna. Com a falta de energia
elétrica, o acionamento pode ser
efetuado pelo botão.
.5 Por Solenóide e Piloto Negativo Idem a 5.2.4.4., porém causando
ou Botão despressurização.
.6 Por Solenóide e Piloto ou Botão Pode ser como em 5.2.5.4. ou
Trava 5.2.5.5.
.7 Por Solenóide ou Piloto Positivo A válvula pode ser acionada, inde-
pendentemente, por qualquer um
dos acionamentos.
5.2.6. Centralizações Mantém a válvula em sua posição
central ou neutra, após a ação dos
acionamentos ser eliminada.
.1 Centralização por Ar Comprimido
.2 Centralização por Mola
5.2.7. Símbolo Geral Símbolo explicativo para outros
tipos de acionamentos.







Automação Pneumática e Eletropneumática Página 160 de 160
Nº Denominação Uso do Equipamento ou Símbolo
Explanação sobre o Símbolo
6.1.1. Medição de Pressão
Manômetro e Vacuômetro A posição da conexão em relação
ao círculo é indiferente.
6.0 Equipamentos Suplementares
6.1. Instrumentos de Medição
6.1.2. Medição de Temperatura
.1 Termômetro Idem a 6.1.1.1.
6.1.3. Medição de Fluxo
.1 Medidor de Fluxo (Rotâmetro)
.2 Medidor Integral de Fluxo
(Acumulativo)
6.2. Outros Equipamentos
6.2.1. Pressostato Converte um sinal pneumático em
um elétrico.